A História Contada por Especialistas

Livre

0
1
20
1 year ago
Preview
Full text

SUMÁRIO

  • A História Contada por Especialistas POR QUE O 5S (Prof. João Martins)
  • Apresentação do Programa 10s
  • Prática do Programa 10s
  • Exercícios e Práticas
  • Promovendo Mudanças através do 5S
  • Programa 5S de Falconi Significado do 5S
  • Do 5S Japonês ao 10S Brasileiro - Um Resumo RADAR 10S
  • O Comprometimento da Alta Administração
  • Fluxo Detalhado para Implementar O 5S (Segundo I. Miyauchi)

  

A História Contada por Especialistas

  A utilização de técnicas de estimulo a cultura da qualidade, desenvolvidas pelas empresas japonesas na década de 70 e mundialmente difundidas no ocidente nos anos 80 e 90, provocaram diversas melhorias no âmbito empresarial, sendo estendida a todos os setores da sociedade. De acordo com Valentina S. Genova, expert em 10S em Campo Grande

  • – MS, “a técnica desenvolvida por Kaoru Ishikawa em 1950 no Japão denominada

  5S (Seiri, Seiton,

Seisoh , Seiketsu e Shitsuke) constituiu o primeiro passo de organização nas empresas,

  inspirado na necessidade que havia de colocar ordem na grande confusão que se estabeleceu no país após a Segunda Guerra Mundial. O método demonstrou ser tão eficaz enquanto reorganizador das empresas e da própria economia japonesa que, até hoje, é considerado um dos principais instrumentos de gestão da qualidade e produtividade ut ilizado naquele país. “

  Quando começou a ser utilizado nas organizações brasileiras, a partir de 1991, houve uma tradução para nossa língua, para que seus significados pudessem ser entendidos. Para não perder o conceito dos “S” , foi então colocada a palavra Senso no início de cada tradução para o português, ficando assim definidos: Senso de Utilização, Senso de Ordenação, Senso de

  Limpeza, Senso de Saúde e Senso de Autodisciplina.

  Hoje, a prática do 5S é amplamente utilizada nas empresas brasileiras, e na maioria delas, a implantação do Sistema de Gestão pela Qualidade é iniciada por este programa, tendo-se resultados comprovados em muitas organizações. Estudos realizados pela especialista citada mostram que : “Algum tempo depois, foi lançado pelos japoneses outros 3 Sensos que ampliavam os 5 (cinco) para 8 (oito). O Shikari Yaro

  • – Senso de Determinação e União, 7º Shido – Senso de Treinamento e 8º Setsuyaku – Senso de Economia e Combate aos Desperdícios. “ (Existe uma bibliografia de José Abrantes intitulada Programa 8S
  • – Da Alta Administração a Linha de Produção, que trata dos 3 S complementares.) Foi encontrado em um artigo, do qual infelizmente o original se extraviou, a sugestão de mais
Para completar ainda mais a prática de conceitos que estão sendo implantados nas organizações e difundir um sistema de grande relevância, o engenheiro José Ailton Baptista da Silva da empresa TQM

  • – Técnicas de Qualidade e Marketing Ltda, acrescentou o Senso de Responsabilidade Social, ficando definido como o 10ºS. Foi feita uma pesquisa com japoneses, encontrando-se o significado de Responsabilidade Social como Sekinin Shakai, (dialeto de Okinawa). Temos então 10 SENSOS, que são:

  1. SEIRI - Senso de Utilização

  2. SEITON - Senso de Ordenação

  3. SEISOH - Senso de Limpeza

  4. SEIKETSU - Senso de Saúde e Higiene

  5. SHITSUKE - Senso de Autodisciplina

  6. SHIKARI YARO

  • – Senso de Determinação e União

  7. SHIDO

  • – Senso de Treinamento

  8. SETSUYAKU

  • – Senso de Economia e Combate aos Desperdícios

  9. SHISEI RINRI

  • – Senso dos Princípios Morais e Éticos

  10. SEKININ SHAKAI

  • – Senso de Responsabilidade Social

POR QUE O 5S (Prof. João Martins)

   BEM ESTAR DO HOMEM  MELHORIA DA QUALIDADE  PREVENđấO DE ACIDENTES  AUMENTO DE PRODUTIVIDADE  REDUđấO DE CUSTOS  CONSERVAđấO DE ENERGIA  PREVENđấO QUANTO A PARADA POR QUEBRAS  INCENTIVO A CRIATIVIDADE  APRIMORAMENTO DO AMBIENTE DE TRABALHO

APRESENTAđấO DO PROGRAMA 10S

  O programa 10 S é uma proposta que visa reeducar as pessoas, recuperar valores, buscar a melhoria nos ambientes, aumentar a produtividade, não descuidar da saúde e segurança, modernizar as organizações, e, acima de tudo, buscar a conscientização das pessoas para práticas de cidadania. Com resultados comprovados por organizações que adotaram as práticas, inicialmente dos 5S, tem-se o fortalecimento do espírito de equipe dentro das mesmas, tão difundido para a busca de resultados, levando as pessoas envolvidas a ter mais iniciativas e participar mais do dia-a- dia da organização, implementando a melhoria continua em seus processos. A proposta de implantação dos outros S (de 5 para 10) é justamente conscientizar a todos de que é possível contribuir com ações diversas, para que se tenha uma sociedade mais digna e justa, que é o S da Responsabilidade Social, onde o comprometimento das pessoas é fundamental para o sucesso não só profissional, mas também pessoal e humano. Aquelas organizações que estiverem interessadas em melhorar seu ambiente de trabalho em todos os aspectos citados anteriormente, poderão iniciar pelos 5S, que é uma espécie de arrumação da casa. Quando as pessoas estiverem adaptadas com o sistema, pode-se acrescentar os outros S. Ou podem optar por iniciar implantando os 10S. Para aquelas organizações onde o programa já foi iniciado, tem-se a opção de implementá-lo acrescentando os novos S. Qualquer opção é valida, desde que a alta administração da organização se comprometa em dar o apoio necessário para o sucesso do programa. Para saber se o programa tem eficácia ou não é preciso realizar uma avaliação, acompanhando os critérios definidos para cada S. Na avaliação dos 10S, são verificados em torno de 50 itens, com pontuações que variam de 0 a 10, realizada por dois avaliadores, um da própria área que está sendo avaliada e um outro externo àquele ambiente de trabalho, sendo que os dois devem ser treinados para executar a avaliação. A avaliação pode ser realizada a cada três meses, ou seis meses ou uma vez por ano. O resultado de cada S é demonstrado através de um gráfico “Radar 10S”, que deve ser colocado no mural da área avaliada. O objetivo de colocar a avaliação no mural é para que todos saibam como encontra-se a situação dos 10S naquele ambiente de trabalho. Uma forma

  PRÁTICA DO PROGRAMA 10S 1º - Senso de Utilização (SEIRI) O sentido de SEIRI é “separar por grau, tipo ou tamanho”.

  O ponto inicial do 1º Senso é saber o que é essencial estar presente no ambiente de trabalho, eliminando tudo que não agrega valor, utilizando os recursos disponíveis de acordo com as necessidades e adequação, evitando excessos, desperdícios e má utilização. Saber utilizar é, antes de mais nada, saber arrumar, separando o que é bom daqueles materiais que não servem mais para sua utilização, lembrando sempre que, aquilo que não serve para você pode ser útil para outros.

  Benefícios:

  • maior senso de organização e economia, reaproveitando os recursos disponíveis (mesas, máquinas e equipamentos que não servem para você mas podem servir para outras pessoas);
  • liberação de espaço para diversos fins;
  • aumento da produtividade das pessoas envolvidas;
  • menos riscos de acidentes no local de trabalho;
  • evita compras desnecessárias; - combate a burocracia.

  2º - Senso de Ordenação (SEITON)

  O 2º Senso significa determinar o local para se achar com facilidade algum documento , material ou equipamentos necessário. Ordenar é a conseqüência natural de arrumar aquilo que se utiliza, colocando etiquetas brancas ou coloridas, rótulos, palavras-chaves, etc. Ter o que é necessário, na quantidade certa, na hora e lugar adequados. É preciso descobrir formas para que todos possam achar as coisas com facilidade, usá-las e guardá-las nos seus devidos lugares.

  Benefícios:

  • reduz o tempo de busca daquilo que se precisa usar;
  • diminui a necessidade de controle de estoques;
  • facilita a movimentação interna;

  3º - Senso de Limpeza (SEISOH)

  0 3º Senso significa deixar tudo limpo, com o cuidado de não varrer só por varrer, espanar só por espanar. A melhor interpretação para o senso de limpeza é: não basta varrer tirando o pó e a sujeira, é importante que cada um, após utilizar determinado instrumento de medição , veiculo, máquina ou ferramenta deixe-os limpos nas melhores condições de uso possível. Exercer o Senso de Limpeza é ter carinho com as coisas que usamos: não forçar os equipamentos e não desperdiçar materiais, enfim, ter senso de limpeza é zelar pela conservação de tudo que está sob nossa responsabilidade. Importante também é incentivar os colegas a manter o ambiente limpo, arrumado e ordenado.

  Benefícios:

  • ambiente mais agradável e sadio;
  • ajuda na prevenção de acidentes;
  • melhoria e preservação dos equipamentos, proporcionando maior vida útil;
  • diminuição do desperdício;
  • prevenção da poluição; - melhoria da imagem interna e externa da empresa.

  4º - Senso de Saúde e Higiene (SEIKETSU)

  O 4º Senso significa verificar se o pensamento, se o espirito do programa está sendo

  ª absorvido, isto é, checar o resultado parcial em toda empresa até esta 4 etapa do processo.

  É verificar, por exemplo, o estado dos banheiros, sanitários, refeitórios, oficinas, áreas operacionais, etc. Se todos esses locais estiverem em perfeita ordem pode-se dizer que o programa está sendo cumprido satisfatoriamente. Este é um senso que busca também, a questão da higiene mental: é necessário a existência de um clima de bom trabalho, com conforto, segurança e com relações saudáveis entre todos os setores da organização para que o programa possa ser plenamente desenvolvido. Além de exercer e manter os três primeiros sensos como forma de melhorar continuamente o ambiente físico de trabalho, devemos ter plena consciência dos aspectos que afetam nossa

  • prevenção e controle do estresse; - melhoria da qualidade de vida.
  • economia em combate a doenças (enfoque preventivo).

   5º - Senso de Autodisciplina (SHITSUKE)

  O 5º Senso significa cumprir os procedimentos operacionais, ética e padrões estabelecidos pela empresa. Este é o S mais complexo de todos, porque é o momento em que os empregados já devem executar as tarefas como hábito, sem achar que já está tudo funcionando perfeitamente ou que não há mais nada para evoluir. Ao contrario, a autodisciplina requer constante aperfeiçoamento : se está bom pode ficar ainda melhor. A criação de um ambiente de trabalho disciplinado é a medida mais importante para garantir a Qualidade.

  Benefícios:

  • conscientização da responsabilidade em todas as tarefas, por mais simples que sejam;
  • cumprimento das regras e procedimentos estabelecidos;
  • serviços executados dentro dos requisitos de qualidade;
  • desenvolvimento pessoal e profissional;
  • aumenta a possibilidade de resultados de acordo com o planejado; - incrementa a qualidade geral dos serviços e das relações interpessoais.

  6º - Senso de Determinação de União (SHIKARI YARO)

  Prega a participação determinada dos gestores em parceria com a união de todos os empregados. O exemplo vem de cima. Motivação, liderança e comunicação são as chaves do Senso. No ambiente da Qualidade, um ponto fundamental é a transparência na condução da gestão, para que se tenha um bom trabalho em equipe, buscando assim o comprometimento de todos, para alcançar os resultados almejados. Os gestores devem definir formas para que todos se engajem no processo, estimulando e motivando as pessoas para as práticas estabelecidas. Desenvolver a prática do trabalho em equipe em todas as esferas da organização é o verdadeiro sentido do 6º S.

  • retêm talentos.

  7º - Senso de Treinamento (SHIDO)

  Prega o treinamento do profissional e a educação do ser humano. Estas ações qualificam o profissional e engrandecem o ser humano, que passa a ter maior empregabilidade, essencial no cenário atual. Nas práticas da administração moderna, o ser humano tem que ser considerado o maior valor, pois é através dele que se obtém os resultados almejados. No atual cenário, não só o treinamento de tarefas repetitivas é importante, mas a organização tem que desenvolver as pessoas para que elas tenham a oportunidade de tornar-se empregáveis e competitivas, dando a elas qualificação profissional constante. Criar o ambiente do conhecimento e desenvolver talentos é uma das propostas do 7º S.

  Benefícios:

  • maior empregabilidade;
  • desenvolvimento de talentos; - aumento da produtividade e resultados.

  8º - Senso de Economia e Combate aos Desperdícios (SETSUYAKU)

  Modificações e melhorias que combatem os desperdícios, reduzindo os custo e aumentando a produtividade. Combater o desperdício no ambiente de trabalho é fundamental para ajudar nos resultados da empresa. Deve-se estimular os empregados para que criem alternativas de redução de perdas de materiais e serviços, conscientizando-os a realização do trabalho com qualidade e, estimular também, a prática da reciclagem, contribuindo assim com a degradação do meio ambiente.

  Benefícios:

  • economia para a empresa com a redução dos desperdícios de materiais e serviços;
  • redução de horas extras;
  • reeducação das práticas de aquisição de materiais;

  Ser ético é, além de outros fatores, ser capaz de voltar esforços de gestão para objetivos mais nobres, como o de aumentar a produtividade, a eficiência e a qualidade de um produto ou serviço. A empresa deve definir padrões de conduta para seus empregados, criando compromisso dos mesmos com suas atitudes e comportamento. Cada empregado tem que saber avaliar o que pode ou não fazer no exercício da sua função, procurando sempre ser leal com os clientes e com a própria empresa.

  Benefícios:

  • - empregados mais compromissados com os resultados da empresa, com atitudes éticas perante os clientes, acionistas, fornecedores e com as equipes de trabalho da qual fazem parte.

  10º - Senso de Responsabilidade Social (SEKININ SHAKAI)

  Compromisso que a organização e as pessoas que dela fazem parte devem ter para com a sociedade. Toda e qualquer ação que possa contribuir para a melhoria da qualidade de vida da sociedade. O 10º Senso tem a finalidade de disseminar na organização a importância da prática da Responsabilidade Social, não só como obrigação da empresa em desenvolver ações sociais, mas incentivar e motivar seus próprios empregados para a realização de trabalhos voluntários para atender às carências da sociedade. As práticas de Responsabilidade Social vão além dos pagamentos de impostos, tributos e cumprimento da legislação trabalhista e ambiental.

  Benefícios:

  • - melhora da imagem perante a sociedade e órgãos governamentais; -

  maior produtividade dos empregados; - transparência nas ações com os clientes, empregados, acionistas, fornecedores e a sociedade;

  • - participação do crescimento sócio - econômico da população; - preservação do meio ambiente.
  • EXERCÍCIOS E PRÁTICAS

      Como está o Senso de Utilização em sua empresa, sua casa, etc? Considere na sua reflexão, alguns itens, como por exemplo: - equipamentos, materiais e dados desnecessários; - adequação das informações; - burocracia; - disponibilidade operacional dos equipamentos; - utilização do tempo; - desperdício do dia-a-dia; - existência de padrões operacionais.

      E o Senso de Ordenação? Considere: - leitura dos equipamentos, instalações e arquivos; - sistema de guarda das ferramentas; - comunicação visual - identificação de todos os locais da área; - existência de coisas fora do lugar.

      Senso de Limpeza/higiene

      Considere:

    • banheiros - todos estão limpos;
    • postos de trabalho;
    • áreas comuns;
    • equipamentos;
    • pisos;
    • emissão de pó; - vestuário dos empregados.

      Senso de Saúde

    Considere: comportamento atual em relação aos 3S’s anteriores;

    • iluminação;
    • ruído/Vibração; - temperatura;.
    • cuidado com os materiais tóxicos, voláteis e/ou explosivos;
    • outras fontes de perigo;
    • preocupação do empregado com sua própria saúde;
    • promoção de atividades práticas e educacionais preventivas em relação a saúde(você tem participado?).

      Senso de Autodisciplina

      Considere:

    • cumprimento dos procedimentos operacionais estabelecidos pela empresa;
    • disseminação dos conceitos e informações; - motivação, criatividade e comunicação.

      Senso de Determinação e União

      Considere:

    • a transparência da administração na gestão da empresa;
    • o engajamento das pessoas com os resultados; - disseminação das informações para comprometer as pessoas.

      Senso de Treinamento

      Considere:

    • número de horas em treinamento que a empresa disponibiliza para os empregados;
    • treinamentos em tecnologia de ponta;

      Senso de Economia e Combate aos Desperdícios

      Considere: - desperdícios de materiais, equipamentos, horas de trabalho (retrabalho), etc.

    • métodos para aquisição de materiais e equipamentos; - formas de estímulo aos empregados para o combate ao desperdício.

      Senso dos Princípios Morais e Éticos

      Considere:

    • compromisso dos empregados com a qualidade do atendimento aos clientes;
    • a ética na condução do trabalho; - a preocupação com a produtividade.

      Senso de Responsabilidade Social

      Considere:

    • trabalho voluntário;
    • saúde e segurança dos empregados;
    • tratamento com os fornecedores;
    • relacionamento com os órgãos governamentais;
    • preocupação com o meio ambiente;
    • práticas adotadas com o público interno; - atendimento aos clientes.

      DO PONTO DE VISTA ORGANIZACIONAL, ESTA FILOSOFIA DEVE SER PRATICADA COM O OBJETIVO DE MELHORAR AS CONDIđỏES DE TRABALHO, CRIANDO UM AMBIENTE DE MOTIVAđấO, ONDE AS PESSOAS POSSAM TRANSFORMAR SEUS POTENCIAIS EM REALIZAđỏES.

      Gerenciamento

      5 S da Rotina

      Gerenciamento da Rotina Exemplar

      Gerenciamento da Rotina Exemplar Vicente Falconi Campos, Gerenciamento da Rotina do Trabalho no dia-a-dia

    Promovendo mudanças através do 5S

      Implantar o 5S é uma boa maneira de iniciar o melhoramento do seu Gerenciamento da Rotina O 5S potencializa o seu Gerenciamento da Rotina O 5S promove o aculturamento das pessoas a um ambiente de economia, organizaçao, limpeza, higiene e disciplina, fatores fundamentais a elevada produtividade.

      O 5S pertence a todas as pessoas Voce deve fazer todo esforço para que o 5S seja muito bem sucedido em sua área. Informe-se a respeito lendo o livro sobre 5S.

    Programa 5S de Falconi

      O programa 5S, ao contrário do programa housekeeping, visa mudar a maneira de pensar das pessoas na direção de um melhor comportamento para toda a vida. O programa 5S não é somente um evento episódico de limpeza, mas uma nova maneira de conduzir a empresa com ganhos efetivos de produtividade. O 5S é um programa para todas as pessoas da empresa, do presidente aos operadores, para as áreas administrativas, de serviço, de manutenção e de manufatura. O programa deve ser liberado pela alta administração da empresa e é baseada em educação, treinamento e prática em grupo.

      Significado do 5S

      

    5S Produção Administração

      Identificação dos equipamentos, ferramentas Identificação de dados e SEIRI e materiais necessários nas oficinas e postos informações necessárias e (utilização) de trabalho. desnecessárias para decisões.

      Determinação do local de arquivo para pesquisa e Determinação do local específico ou lay-out

      SEITON utilização de dados a qualquer para os equipamentos serem localizados e

      (ordenação) momento. Deve-se estabelecer utilizados a qualquer momento. um prazo de 5 minutos para se localizar um dado.

      Eliminação de pó, sujeira e objetos Sempre atualização e SEISOH desnecessários e manutenção da limpeza renovação de dados para ter (limpeza) nos postos de trabalho. decisões corretas.

      Estabelecimento, preparação e Ações consistentes e repetitivas visando

      SEIKETSU implementação de informações arrumação, ordenação e limpeza e ainda

      (saúde e e dados de fácil entendimento manutenção de boas condições sanitárias e higiene) que serão muito úteis e práticas sem qualquer poluição. para decisões.

    Do 5S Japonês ao 10S Brasileiro - Um Resumo

      A utilização de ferramentas e métodos de gestão oriundos do Japão já foi muito maior do que é hoje, tanto no Brasil quanto em outras partes do mundo. Isto está acontecendo porque as metodologias de gestão evoluem, e com novas abordagens, produzem resultados melhores. Nas academias os professores freqüentemente conduzem pesquisas sobre métodos de gestão para suas teses de mestrado ou doutorado, que muito contribuem para a abertura das fronteiras do conhecimento. Os consultores ao realizarem seus trabalhos se deparam com situações novas, que exigem adaptações metodológicas. Os executivos e empresários buscam na prática combinações de ferramentas e técnicas que otimizem os resultados que precisam apresentar para garantir a sobrevivência de suas organizações. Domênico de Masi, o italiano revolucionário das idéias sobre ócio criativo e produtividade, já afirmou que a gestão é a área de conhecimento que, nos últimos anos, mais tem contribuído para o avanço da humanidade. O empresário Jorge Gerdau, certamente um dos homens de negócio que melhor compreende, utiliza e divulga a importância dos métodos de gestão, no lançamento do Compete-ES, se dirigiu à platéia presente no salão nobre do Palácio Anchieta, em Vitória no ES, composta em sua maioria de políticos, empresários, professores e executivos, alertando para a necessidade do uso adequado de metodologias para garantir o crescimento das organizações.É no mínimo prudente seguir o conselho de quem dirige um grupo empresarial que teve enorme crescimento nos últimos tempos, e já chega ao sétimo lugar no mundo em seu ramo. Estudos e pesquisas foram realizadas sobre o Quadro de Indicadores Balanceados, o “Balanced Scorecard” ( BSC), metodologia de gestão oriunda de Harvard que levou à fama os professores e consultores Robert Kaplan e David Norton. Foi identificado forte correlação do BSC com o Gerenciamento pelas Diretrizes, no Japão chamado de “Hoshin Kanri”. A Re-engenharia, de tanta repercussão no passado, não deixa de ser, no fundo, a técnica “Kaikaku” (inovação), que os japoneses utilizam complementarmente às melhorias “Kaizen” (sem investimentos) e “Kairyo” (com investimentos). “O Benchmark” pode ser entendido como um placar dos melhores resultados empresariais e o competitiva. Um conceito complementar utilizado no Japão é o de empréstimo de empregados para que aprendam em outras industrias, chamado “shukko”. Willian Conway com o seu GIQ- Gestão Integral da Qualidade talvez até sem saber aperfeiçoou o conceito dos 3 Mu : Muda (desperdício), Muri (insuficiência) e Mura (inconsistência). E no Brasil também já adotamos muito bem algumas técnicas gerenciais japonesas, que são muito bem aceitas. Uma é o “Shimboku”, outro o “Nomiai”. A técnica do “Shimboku” é uma ocasião de confraternização, quando os chefes aproveitam para iniciar conversas com os empregados sobre assuntos que normalmente não seriam abordados no trabalho. É equivalente aos nossos churrascos de fins de semana com o pessoal da empresa e familiares. A técnica do

      “Nomiai” é ainda mais difundida no Brasil: é a famosa “Happy-Hour”, quando os empregados podem até dizer aos chefes certas coisas que não teriam coragem de dizer no trabalho. O “Housekeeping” (limpeza) tem certamente muito a ver com o 5S japonês, que no entanto é muito mais do que aparenta numa leitura superficial. O Prof. Falconi nos conta que certa ocasião fez ao Mestre Ishikawa a famosa pergunta : como se começa a implantação da Gestão pela Qualidade Total? (“Total Quality Control”- TQC no Japão e TQM- Total Quality Management nos países de língua inglesa). A resposta do senhor Kaoru Ishikawa : algumas vezes, varrendo ! O famoso 5S japonês visa mudar a maneira de pensar e agir das pessoas na direção de um melhor comportamento para toda a vida, segundo o Prof. Falconi. È lógico então que seja evolutivo, devendo se adequar à realidade da cultura da organização ou do país onde será empregado. O 5S é um programa amplo, para todos em todas as organizações.Em português utilizamos a palavra Senso para manter a identificação original .

      o o

      Dessa maneira tínhamos: 1 .S) Seiri (Senso de Utilização), 2 .S) Seiton (Senso de Arrumação),

      o o o

      3 .S) Seisoh (Senso de Limpeza), 4 .S) Seiketsu (Senso de Saúde e Higiene ), 5 .) Shitsuke (Senso de Auto-Disciplina).

      o

      Na linha do aperfeiçoamento e complementação surgiram o 6 .) Shikari Yaro (Senso de

      o o

      Determinação e União), 7 .S) Shido (Senso de Treinamento) e 8 .) Setsuyaku (Senso de

      Pode-se interpretar os sensos como um conjunto conceitual que devidamente explorado produz grandes resultados. A seqüência padrão de implantação conduz a melhorias rápidas. A manutenção, com suas liturgias e ferramentas é um pouco mais difícil. Revendo o conjunto dos temas, a TQM

    • – Técnicas de Qualidade e Marketing Ltda – identificou o que ainda poderia ser acrescentado, à luz do estado da arte da gestão. Chegou-se a

      o

      conclusão que um tema muito importante, em moda atualmente, poderia ser o 10 .S: Senso de Responsabilidade Social. Na língua portuguesa tinha se, portanto chegado ao Programa 10S. Mas em japonês teria ainda que ser encontrada uma palavra que começasse com a letra S. Depois de muitas tentativas foi encontrada a resposta.

      o

      As palavras sugeridas para o 10 .S foram : Sekinin Shakai. Caso deva haver alguma correção,

      o ainda há tempo. Mas em bom português a Responsabilidade Social pode ser o 10 .

      mandamento para as empresas participarem na criação de um Brasil melhor.

      SEIRI

    RADAR 10S

      4,0 3,7

      SEKININ SHAKAI SEITON 3,0

      3,1 2,8 2,6 2,6

      2,0 2,3 3,7

      SHISEI RINRI SEISOH

      3,0 1,0

      3,1 2,5 0,0

      2,5 2,9 SETSUYAKU

      SEIKETSU 3,1 2,6

      2,8 SEIRI - Senso de Utilização

      2,6 SEITON - Senso de Ordenação

      3,0 SEISOH - Senso de Limpeza

      3,4 SEIKETSU - Senso de Saúde e Higiene

      3,1 SHITSUKE - Senso de Autodisciplina

      SHIDO SHITSUKE

      3,4 SHIKARI YARO

    • – Senso de Determinação e União

      situação anterior SHIDO

    • – Senso de Treinamento

      situação atual SETSUYAKU

    • – Senso de Economia e Combate aos

      SHIKARI YARO Desperdícios SHISEI RINRI

    • – Senso dos Princípios Morais e Éticos

      SEKININ SHAKAI

    • – Senso de Responsabilidade Social

    O Comprometimento da Alta Administração

      (Segundo a FCD) A qualidade de uma organização reflete sempre a qualidade da alta administração. A primeira evidência dessa qualidade manifesta-se nas condicões de trabalho e no comportamento dos empregados. Implantar o 5S por toda a organização é uma decisão que cabe somente à alta administração.

      O comprometimento da alta administração poderá se caracterizar pelas seguintes ações de ordem prática;  emitir documento reforçando a visão, crenças, estratégias, diretrizes e metas da organização e solicitando a cada empregado o seu comprometimento com o 5S;  demonstrar o seu próprio comprometimento com o Programa aplicando o 5S no seu escritório e solicitando que os demais níveis hierárquicos acima dos supervisores façam o mesmo;  permitir que o Comitê de Implantação do 5S documente a situação, antes e depois, para divulgação do exemplo;  dependendo da disponibilidade de recursos, ordenar a execução imediata de melhorias que venham sendo reinvidicadas há muito tempo pelos trabalhadores e sindicato;  dar outros exemplos de real comprometimento com o bem estar dos empregados, antes mesmo que se envolvam no programa formal de 5S .

      FLUXO DETALHADO PARA IMPLEMENTAR O 5S (Segundo I. Miyauchi) SUMÁRIO DAS AđỏES PRINCIPAIS RECURSOS PASSO FLUXO

      DURAđấO NECESSÁRIAS UTILIZADOS  Prioridade com a segurança  Por que é necessário implantar o 5S  Necessidade de participação de

       informações sobre 5S Comprometimento com 5S todos os empregados

      1.1 com o compromisso da pela alta administração  Necessidade de trabalho em alta administração equipe

       Criar escritório do 5S  Criação de concurso para poster, slogan e emblema 5S  Regulamento  Premiação Concurso para poster,

       Informações sobre 5S 6 meses 1.2 slogan e emblema do  Designação da comissão (divulgação do programa 5S  Divulgadora concurso)  Divulgação dos ganhadores  Definição dos 5S  Necessidade do 5S  Objetivo do 5S Educação e treinamento no  Apostila 5S  Estudo de casos do 5S

      1.3

      5S para todos os  Certificado de

       Procedimento para empregados conclusão do curso 5S brainstorming

       Métodos estatísticos Término da educação elementares  Diretrizes e politicas do

      1 Mês  Metas a atingir com o 5S Evento para lançamento do programa 5S  Explanação sobre sistema 5S programa 5S com

      1.4  Regulamentos do participação de todos os  Designação das pessoas programa 5S empregados responsáveis pelo programa 5S Início da implantação  Escritório do 5S

       Organizar reuniões para todas  Apostila 5S as áreas de trabalho  Metodologia de Brainstorming para

       Brainstorming para escolher 1.5 identificar os problemas solução de problemas problemas relativos aos 3S relativos aos 3S iniciais

       Sete ferramentas do  Escolher o problema mais critico controle de qualidade e definir um projeto  Estabelecer cronograma para

       Apostila 5S terminar o projeto em 6 meses  Estabelecer metas a serem  Metodologia de Estabelecimento de metas

      1.6 atingidas em 6 meses solução de problemas e cronogramas

       Obter consenso de todo o  Sete ferramentas do pessoal para o cronograma do controle de qualidade projeto

Novo documento