UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA - INSTITUTO DE FÍSICA PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO DO MESTRADO NACIONAL PROFISSIONAL EM ENSINO DE FÍSICA

Livre

0
0
162
8 months ago
Preview
Full text

  

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA - INSTITUTO DE FÍSICA

PROGRAMA DE PốS GRADUAđấO DO MESTRADO NACIONAL

PROFISSIONAL EM ENSINO DE FÍSICA

  

O USO DA EDUCAđấO A DISTÂNCIA COMO COMPLEMENTO AO ENSINO

PRESENCIAL NOS CURSOS DE FÍSICA DO ENSINO MÉDIO

  O USO DA EDUCAđấO A DISTÂNCIA COMO COMPLEMENTO AO ENSINO PRESENCIAL NOS CURSOS DE FÍSICA DO ENSINO MÉDIO MARCIO SERAFIM DE ALMEIDA

  Dissertação de Mestrado apresentada ao Programa de Pós-Graduação da Universidade de Brasília no Curso de Mestrado Nacional Profissional de Ensino de Física (MNPEF), como parte dos requisitos necessários à obtenção do título de Mestre em Ensino de Física.

  Orientadora: Profª. Drª. Eliana dos Reis Nunes

  

AGRADECIMENTOS

  Agradeço a minha orientadora, professora Eliana dos Reis Nunes pela experiência transmitida e sábias orientações. À coordenadora do curso do Mestrado, professora Maria de Fátima da Silva

  Verdeaux, pela liderança apresentada na implantação do Mestrado Nacional Profissional de Ensino de Física (MNPEF) e no seu funcionamento.

  Aos professores Vanessa Carvalho de Andrade e Ronni Geraldo Gomes de Amorim devido ao alto nível de discussão sobre teoria do eletromagnetismo. Aos professores Ademir Eugênio de Santana, pelo curso de potenciais termodinâmicos e Fábio Menezes de Souza Lima, pelo curso de teoria cinética dos gases.

  Aos professores Felippe Beaklini e José Eduardo Martins pelo excelente curso sobre Atividades Computacionais para o Ensino Médio e Fundamental. Ao professor de Física, Alexandro Messias, e a seus estudantes por acreditarem e participarem de forma voluntária na aplicação do projeto. Ao Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Tocantins (IFTO) –

  Campus Palmas por acreditar na formação de sua equipe, readequando a grade horária, ajuda no custeio e apoio total nessa fase da minha vida.

  Ao professor Madson Teles de Souza, diretor de Ensino a Distância (EaD) do

  IFTO, por permitir o uso da infraestrutura da plataforma virtual para execução desse projeto e colocar sua equipe à disposição.

  Ao professor Paulo Rodrigues da Costa Júnior pela ajuda e suporte com a configuração da plataforma virtual. Ao amigo e mestrando Francisco Romero pelas incontáveis conversas e debates em saguões de aeroportos, rodoviárias e restaurantes durante o período do mestrado.

  Agradeço aos amigos mestrandos: Luís Cláudio, Rendisley Aristóteles, Júlio

  

RESUMO

  ALMEIDA, M. S. O uso da Educação a Distância como complemento ao ensino

  

presencial nos cursos de física do ensino médio. 2015. 162 p. Dissertação de

Mestrado. Instituto de Física, Universidade de Brasília, 2015.

  Com base na sua prática de professor de Física no Ensino Médio, o pesquisador escreveu essa dissertação com o objetivo geral de contribuir com o curso de Física oferecendo aos professores uma estratégia de aprendizagem com um custo acessível, fácil, com boa receptividade pelos estudantes e que ofereça uma melhoria da qualidade do ensino. Como objetivo específico, desenvolveu um tópico do curso de Física do terceiro ano do Ensino Médio, em eletrodinâmica, na modalidade Educação a Distância, como complemento ao curso presencial no MOODLE e verificou a receptividade dos estudantes do curso de Física do terceiro ano do Ensino Médio quanto a essa metodologia. Esse trabalho foi aplicado numa escola estadual na cidade de Palmas, Estado do Tocantins em 2014, onde o professor regente ficou responsável pelo curso presencial, enquanto o pesquisador ateve-se ao trabalho no MOODLE. Coube ao pesquisador, definir junto ao professor regente, nas reuniões semanais, o que seriam oferecidos de material didático, vídeos, simulações e os questionários avaliativos inseridos no MOODLE que complementasse as aulas presenciais. Além dos questionários avaliativos sobre o

  

conteúdo do curso, foram utilizados questionários referentes à satisfação dos

estudantes na utilização da metodologia blended learning. Essa metodologia híbrida

de ensino que usa Educação a Distância como complemento ao ensino presencial

foi aprovada por 83% dos estudantes, enquanto 87% dos estudantes, que

participaram da aplicação do projeto, gostariam que essa metodologia se

estendesse as outras disciplinas. Menciona-se, também, como resultados: a

motivação dos estudantes em participarem das atividades no MOODLE para o

  

ABSTRACT

  ALMEIDA, M. S. The use of Distance Learnimg as a supplement to the

  

classroom teaching in the high school physical courses. 2015. 162 p. Master’s

Thesis. Institute of Physics, University of Brasilia, 2015.

  Based on his experience as a High School Physics teacher, the researcher wrote this dissertation aiming to contribute with the teaching of Physics. He proposes to his peers an affordable and easy to use learning strategy, which has a good receptiveness by the students and that offers an improvement in the teaching quality. As an specific objective, the researcher developed a topic of electrodynamics for the senior High School year, for Distance Learning using the MOODLE platform. It works as a supplement to the classroom and it seeks to verify the receptiveness of the students to that method, for the High School senior year of Physics. This work was applied in a state school in the city of Palmas, State of Tocantins, in 2014. The discipline teacher was in charge of the classroom while the researcher was in charge

  

of the Distance Learning tasks. During weekly meetings with the discipline teacher,

  the researcher was entrusted with determining which pedagogical material, videos, simulations and evaluation questionnaires available in the MOODLE were to be offered as a classroom supplement. Besides the evaluative questionnaires about the topic in focus, there were also questionnaires referring to the students' satisfaction about the use of the blended-learning method. That hybrid teaching methodology

  

which utilizes Distance Learning as a supplement to classroom teaching was

  approved by 83% of the students who participated in the implementation of the project while 87% of the same group would approve if such method would be used for other disciplines. It is also mentioned at the results: the students motivation in participating of the MOODLE activities to study Electrodynamics' contents, the flexibility of schedule, the easiness of access and the use of the technology which is

  

LISTA DE FIGURAS

  Figura 1 - Competência, Habilidade e Conhecimento................................................22 Figura 2 - Uso de LMS Gratuitos no Brasil.................................................................33 Figura 3 - Recursos e Atividades mais Utilizados em Cursos Online.........................33 Figura 4 - Benefícios para Aprendizagem...................................................................34 Figura 5 - Bloco de Administração..............................................................................35 Figura 6 - Elaboração de Atividades...........................................................................36 Figura 7 - Elaboração de Recursos............................................................................37 Figura 8 - Atividade Questionário – Tipos de Questões..............................................38 Figura 9 - Organização das Questões no Banco de Questões..................................39 Figura 10 - Tela de Apresentação do Projeto no MOODLE........................................44 Figura 11 - Primeira Semana de Treinamento e Revisão...........................................46 Figura 12 - Segunda Semana de Treinamento e Revisão..........................................47 Figura 13 - Primeira Semana de Aplicação.................................................................49 Figura 14: Segunda Semana de Aplicação.................................................................50 Figura 15 - Terceira Semana de Aplicação.................................................................52 Figura 16 - Quarta Semana de Aplicação...................................................................54 Figura 17 - Quinta Semana de Aplicação...................................................................55 Figura 18 - Opinião do Professor Regente sobre o Projeto de Mestrado..................66

  

LISTA DE GRÁFICOS

  

  

LISTA DE TABELAS

  Tabela 1 - Vygotsky Aplicado em AVA.........................................................................21 Tabela 2 - Competências Essenciais para Professores..............................................23 Tabela 3 - Competências Complementares para Professores...................................24 Tabela 4 - Competências Suplementares para Professores......................................25 Tabela 5 - Registros de Uso do MOODLE..................................................................32 Tabela 6 - Países que mais utilizam o MOODLE........................................................32 Tabela 7 - Notas Finais da Aplicação do Projeto........................................................56

  

LISTA DE SIGLAS E ABREVIATURAS

  ABED Associação Brasileira de Ensino a Distância AVA Ambiente Virtual de Aprendizagem CAPES Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior COPEL Companhia Paranaense de Energia EaD Ensino a Distância EM Ensino Médio ES Ensino Superior GNU General Public License GREF Grupo de Reelaboração do Ensino de Física

  IFTO Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Tocantins

  IF-UnB Instituto de Física – Universidade de Brasília

  INEP Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira

  LDB Lei de Diretrizes e Bases da Educação LMS Learning Management System MEC Ministério da Educação MNPEF Mestrado Nacional Profissional em Ensino de Física MOODLE

  

Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment

  PCCL Physics and Chemistry by Clear Learning

  PHP Hypertext Preprocessor

  PhET

  Physics Education Technology

  QA Questionários Avaliativos SEDUC-TO Secretaria de Educação do Tocantins SI Sistema Internacional de Unidades SQL Structured Query Language TIC Tecnologias da Informação e Comunicação UFES Universidade Federal do Espírito Santo

  

SUMÁRIO

  

  

  

  

  

  

  

  

  

  

  

  

  

  

  

  

  

  

  

  

  

  

  

  

  

  

  

  

  

  Esta investigação teve sua origem quando o pesquisador, atuando como professor de Física na rede estadual de ensino do Estado do Tocantins, se deparou com uma carga horária semanal de uma hora/aula nos primeiros e segundos anos e de duas horas/aulas nos terceiros anos do Ensino Médio (EM).

  O pesquisador considera essa carga horária insuficiente para desenvolver um trabalho efetivo em cobrir o conteúdo mínimo da disciplina de Física do EM. Então, passou a refletir sobre o uso de Ensino a Distância (EaD), por meio do Learning

  

Management System – Sistema de Gestão de Aprendizagem (LMS) MOODLE, do

  acrônimo Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment - Ambiente de Aprendizagem Dinâmico Modular Orientado a Objeto como complemento ao ensino presencial, mostrando-se uma ferramenta que oferece uma melhor qualidade de ensino aos estudantes, por meio de uma aprendizagem participativa e ativa.

  Nesse trabalho usa-se o termo MOODLE tanto para a plataforma MOODLE quanto para o LMS MOODLE. O primeiro contato do pesquisador com o MOODLE ocorreu no segundo semestre de 2011, onde atuou como tutor no curso de Capacitação em Orientação

  Pedagógica para Formação Inicial e Continuada de Professores oferecido pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFTO) – Campus Palmas. Recebeu treinamento para uso do MOODLE e ficou motivado em trabalhar com EaD devido as enormes possibilidades que se abriam a partir desse Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA).

  Para Rossini (2007), a EaD é uma das formas de democratizar o acesso ao conhecimento, podendo estender a aprendizagem ao longo da vida e, ainda, crescer de forma acentuada em todo o mundo devido ao desenvolvimento das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC). física, reorganizando os espaços e tempos, as mídias, as linguagens e os processos presenciais e digitais. (MORAN, 2012, p. 14)

  No primeiro semestre de 2014 foi ministrado no Programa de Pós-Graduação do Instituto de Física da Universidade de Brasília (IF-UnB) no MNPEF, a disciplina Atividades Computacionais para o Ensino Médio e Fundamental. Como parte da emenda foi apresentado o MOODLE e um dos critérios do processo de avaliação consistia na criação de um tópico de Física a ser ofertado nessa plataforma virtual. Essa disciplina está consoante com a proposta de aplicação da metodologia desse projeto e demostra a atualidade do tema que abrange a EaD como complemento ao ensino presencial.

  1.1 Objetivos

  Esse projeto é desenvolvido com os seguintes objetivos:

  Objetivo geral: contribuir com o curso de Física, oferecendo aos professores

  uma estratégia de aprendizagem acessível e fácil que ofereça uma melhoria da qualidade do ensino.

  Objetivos específicos:

  i. Desenvolver no MOODLE o tópico de eletrodinâmica do curso de Física do 3º ano do EM, na modalidade EaD como complemento ao curso presencial. ii. Verificar a receptividade dos estudantes do curso de Física do 3º ano do EM quanto a essa metodologia.

  1.2 Justificativa

  O MOODLE contém muitas Atividades para se compor avaliações automatizadas: questionários de múltipla escolha, dissertativos, resposta curta, entrega de trabalhos, chats, fóruns, wiki, etc. Como a composição da nota é automática, a carga de trabalho do professor no final do bimestre será reduzida, com menos correções de notas e fechamento de diários.

  Para finalizar, esse projeto poderá ser replicado por professores de outras disciplinas, desde que sejam treinados para o uso do MOODLE.

  No ano de 2013, o pesquisador concluiu o curso de pós-graduação Latu

  

Senso em Formação em Educação a Distância. Ainda em 2013 teve duas

  oportunidades de aplicar, empiricamente as ideias desse projeto de mestrado como

  

  professor no curso Técnico em Manutenção e Suporte em Informática oferecidos

  

  pelo IFTO, em parceria com a Rede E-Tec Brasil na disciplina de Rede de Computadores no primeiro semestre e na disciplina de Eletricidade no segundo semestre. Esses cursos continham carga horária presencial de 12 horas e de 48 horas em ambiente EaD, ambas disciplinas oferecidas por meio do MOODLE.

  Como resultados, obteve mais de 75% de aprovação e menos de 10% de desistência em ambos os cursos. Apareceram dificuldades com relação a participação dos estudantes nas ferramentas de interação online: nos chats, fóruns e com problemas recorrentes de acesso à internet nos polos das cidades pequenas.

  Inicialmente algumas questões foram instigadoras e motivadoras para a pesquisa: i. O uso da EaD, como complemento ao ensino presencial, facilita o trabalho para o professor fora da sala de aula, no que se refere a preparação das

  Tais questões deram sentido a presente investigação que apresenta como hipótese: Existe receptividade dos estudantes de Física do EM quando se usa uma Com essa hipótese em mente o pesquisador resolveu aplicar sua metodologia junto aos estudantes de uma turma do 3º ano do EM em um estabelecimento de ensino público na cidade de Palmas.

  Para apresentar os resultados desta investigação sobre o uso da plataforma MOODLE como complemento ao ensino presencial no EM, este trabalho foi organizado em seis capítulos, dois anexos e dois apêndices.

  O capítulo 1, que serve de Introdução, tem o objetivo de situar o leitor no contexto, bem como apresentar, de modo sucinto, os tópicos que serão desenvolvidos nesse trabalho.

  O capítulo 2 apresenta os estudos anteriores, a teoria de aprendizagem de Vygotsky aplicadas em AVA, as competências necessárias para professores, a definição de Educação a Distância, a legislação sobre EaD no Brasil, o conceito de

  blended learning e a diferença conceitual entre AVA e LMS.

  O capítulo 3 apresenta a plataforma MOODLE, um panorama do seu uso no Brasil e no mundo, bem como e a descrição dos seus recursos utilizados nessa pesquisa.

  O capítulo 4 descreve a aplicação da metodologia utilizada, sua localização e contextualização. O capítulo 5 apresenta uma descrição dos resultados obtidos com a aplicação

  O apêndice B apresenta o Produto Educional gerado a partir da proposta dessa dissertação. O anexo A contém o questionário 1 – perfil sócio-investigativo.

  E, por fim, o anexo B contém o questionário 2 – avaliação da plataforma colaborativa MOODLE.

  O pesquisador não encontrou em suas pesquisas, informações oficiais, estatísticas do Ministério da Educação ou trabalhos teóricos que relacionassem a metodologia blended learning, por meio do MOODLE, aplicados na Rede Pública em cursos de Física do EM.

  Rodrigues (2010) afirma que as pesquisas encontradas são, na maioria, trabalhos que relatam estudos de casos e o uso de determinadas ferramentas no intuito de resolver problemas específicos de caráter empírico, e ainda afirma que:

  muitos problemas decorrentes da adoção do sistema misto de ensino não foram ainda convenientemente estudados em uma dimensão teórica que busque incluir não apenas a mobilização dos dois espaços (o presencial e o online), mas também questões importantes como: a centralidade dos LMS, a conjunção de diferentes abordagens de ensino, a interação de variadas ferramentas e a adoção dos espaços de vida no processo de ensino- aprendizagem. (RODRIGUES, 2010, p. 5)

  Corroborando Rodrigues (2010), o pesquisador encontrou vários artigos e trabalhos acadêmicos, como os descritos a seguir, que se utilizam de determinadas ferramentas do MOODLE, como o wiki ou fórum, mas em um contexto pontual, específico.

  Menezes (2006) desenvolveu sua dissertação que tratava de blended

  

learning aplicado a um tópico de Física do EM, dinâmica, de uma escola pública na

  cidade de Niterói/RJ trabalhando com o AVA Teleduc. Teve como objetivo investigar os fundamentos, potencialidades e limitações do blended learning aplicados no EM. Para ele, essa abordagem pressupõe que os AVA permitem que os conteúdos sejam disponibilizados em vários formatos eletrônicos e que as interações colaborativas, pesquisa e desenvolvimento de projetos ocorram de forma mais intensa. Ainda, uma outra vantagem desses AVA está relacionada ao processo de acompanhamento da aprendizagem, onde o professor tem ao seu dispor os recursos computacionais que estudantes usariam o MOODLE somente como repositório de materiais didáticos e verificar se foi possível estabelecer interações efetivas através de participação em fóruns do MOODLE. Suas duas hipóteses foram verificadas e constatou que os estudantes buscavam no MOODLE um repositório de materiais pedagógicos e poucos tiveram uma participação efetiva na utilização dos fóruns.

  Richter (2013) em sua dissertação usou como base o MOODLE, mais especificamente, a ferramenta de Atividade wiki aplicada ao curso superior de Licenciatura em Ensino de Física na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Seu objetivo era investigar a interação colaborativa na problematização de situações-problema, mediadas tecnologicamente por hipermídias educacionais. Como resultado verificou que os estudantes se sentiram a vontade para interagir colaborativamente com seus colegas nas atividades de estudo com mediação das hipermídias educacionais, no ensino-aprendizagem de Física.

  Santana (2013) desenvolveu sua dissertação com o objetivo de investigar o uso do MOODLE como apoio ao ensino presencial no curso de Teorias de Aprendizagem do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física do Mestrado Profissional da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Sua metodologia foi aplicada para a construção de uma sala online para a disciplina e na adoção da metodologia de estudo de caso em uma perspectiva exploratória. Seus resultados encontraram ressonância na literatura e revelaram o envolvimento de todos no processo: professores e estudantes na utilização da sala online. Dessa forma, encontrou o delineamento de parâmetros para uma métrica educacional, envolvendo a integração de ambientes de aprendizagem baseados na internet como apoio ao ensino presencial.

  

Tabela 1 - Vygotsky Aplicado em AVA

  Teoria da Aprendizagem de Vygotsky AVA Os ambientes virtuais de aprendizagem podem rastrear a história, o perfil e o progresso do estudante, bem como estratégias e conteúdo personalizados,

  A aprendizagem é orientada à demanda. organizados segundo as prioridades de aprendizagem e relacionados a tarefas e projetos embutidos em um contexto de atividades significativas.

  Os ambientes virtuais de aprendizagem A aprendizagem é uma construção social podem capitalizar as dimensões social, mediada pelos atores sociais por meio comunicativa e colaborativa, de linguagem, signos e ferramentas. possibilitando o discurso mediado.

  Os ambientes virtuais de aprendizagem A aprendizagem é reflexiva, podem facilitar a reflexão, permitindo a internalizando do social para o individual. aprendizagem pela prática.

  A aprendizagem está incorporada em Os ambientes virtuais de aprendizagem ricos contextos culturais e sociais, onde podem facilitar a localização da o processo de construção do informação e oferecer ferramentas que conhecimento é socialmente distribuído otimizem o desempenho humano. entre as pessoas.

  Os ambientes virtuais de aprendizagem podem desafiar os aprendizes a A aprendizagem equivale a transferir refletirem sobre os princípios e conceitos conhecimentos entre diferentes áreas, aplicáveis a outros contextos, por meio descobrindo significados relacionais e da observação e análise de informações associados nos conceitos. organizadas visualmente e de padrões ou variáveis relativamente estáveis.

  Fonte: Menezes, C. S. (2006)

  Na metodologia híbrida entre o ensino presencial e EaD é evidente a importância da construção e manutenção das relações estabelecidas em ambos sempre aprendendo, é necessário ir além de simples mecanismos de treinamento para que, dessa forma, aumente o conhecimento e o capital intelectual.

  Para ser feito uso do conhecimento, é preciso aplicá-lo, isto é, transformado em ação e isso leva a habilidade que é a capacidade de utilizar conhecimento para agregar valor. Algumas habilidades relevantes são: capacidade de aprender e de reaprender por conta própria, de analisar, sintetizar e avaliar situações, de se comunicar, ter pensamento crítico, criatividade e inovação, de identificar e resolver conflitos, de tomar decisões, trabalhar em equipe, ter cultura de qualidade e de excelência, saber usar de maneira eficiente a tecnologia da informação, etc.

  Para que um indivíduo adquirira alguma habilidade, essa requer algumas atitudes que em última instância, remete ao conceito de competência. A figura mostra a estrutura de como se deve desenvolver as habilidades para se adquirir novas competências.

  

Figura 1 - Competência, Habilidade e Conhecimento

  1. As competências não são por elas mesmas saberes ou atitudes, mas mobilizam, integram e orquestram tais recursos;

  2. Essa mobilização só é pertinente em uma situação, sendo cada situação singular, mesmo que se possa tratá-la em analogia com outras, já encontradas;

  3. O exercício da competência passa por operações mentais complexas, subentendidas por esquemas de pensamento que permitem determinar e realizar uma ação relativamente adequada à situação;

  4. As competências constroem-se em formação, de uma situação de trabalho à outra.

  Almeida (2012), constatou que não existe um consenso entre os autores quanto às competências necessárias para um professor trabalhar em ambiente EaD. Ele procurou separar as competências citadas pelos autores pesquisados, conforme a quantidade de citações em seus trabalhos e procurou agrupá-las em tabelas separadas por: essenciais, complementares e suplementares.

  A tabela relaciona as competências essenciais para um professor desempenhar suas funções em EaD.

  

Tabela 2 - Competências Essenciais para Professores

  Competências do Perrenoud Chiavenato Tecchio O’Rourke

  Professor

  informar e comunicação e comunicação (oral envolver os comunicação colaboração e escrita) responsáveis usar conhecimento em utilizar novas conhecimento conhecimento da

  Essenciais

  informática / tecnologias tecnológico disciplina para ambiente virtual dar orientação conhecer os conhecimento dar feedback ao conteúdos a aprender a Competências do Professor

  Perrenoud Chiavenato Tecchio O’Rourke Essenciais

  envolver os estudantes em sua aprendizagem e seu trabalho conhecimento pleno das disciplinas ministradas planejamento trabalhar a partir dos erros e dos obstáculos à aprendizagem conhecimento das rotinas de trabalho familiarizar os estudantes com as convenções da disciplina trabalhar a partir da representação dos estudantes comprometimento e assiduidade definir tópicos apropriados e estimulantes para os estudantes construir e planejar dispositivos e sequências didáticas organização e planejamento moldar estratégias de aprendizagem eficazes para os estudantes suscitar o desejo de aprender Fonte: Almeida, M. S. (2012)

  A tabela mostra as competências complementares para que um professor possa desempenhar trabalhos em EaD.

  

Tabela 3 - Competências Complementares para Professores

  Competências do Professor

  Perrenoud Chiavenato Tecchio O’Rourke Complementares

  fazer balanços periódicos de competências e toma decisões de progressão raciocínio criativo e resolução de problemas liderança ajudar os estudantes a desenvolverem as suas competências na organização de conceitos Competências do Professor

  Perrenoud Chiavenato Tecchio O’Rourke Complementares

  saber explicitar as próprias práticas fomentar a capacidade dos estudantes atingirem objetivos de aprendizagem fornecer apoio integrado, trabalhar com os estudantes portadores de dificuldades resolução de problemas administrativos administrar sua própria formação contínua resolução de problemas acadêmicos Fonte: Almeida, M. S. (2012)

  E, por fim, a tabelaapresenta as competências suplementares para que um professor possa desempenhar seu trabalho em EaD.

  

Tabela 4 - Competências Suplementares para Professores

  Competências do Professor

  Perrenoud Chiavenato Tecchio O’Rourke Suplementares

  participar da administração da escola conhecimentos de

negócios globais relacionamentos interpessoais estabelecer elos de ligação acolher a formação dos colegas e participar dela empatia elaborar, negociar um projeto da instituição pró-atividade negociar um projeto de formação comum equilíbrio emocional Para Moran (2012), EaD é o processo de ensino-aprendizagem mediado por tecnologias, onde professores e estudantes estão separados espacial e/ou temporalmente. É ensino/aprendizagem onde professores e estudantes não estão normalmente juntos, fisicamente, mas podem estar conectados, interligados por tecnologias, principalmente as telemáticas, como a Internet. Mas também podem ser utilizados o correio, o rádio, a televisão, o vídeo, o CD-ROM, o telefone, o fax e tecnologias semelhantes. EaD pode ter ou não momentos presenciais, mas acontece fundamentalmente com professores e estudantes separados fisicamente no espaço e ou no tempo, mas juntos por meio das TIC.

  2.3.1 Legislação sobre EaD no Brasil A Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) nº 9.39

  

   de 20 de Dezembro de 1996, no Art. 80 diz:

  O Poder Público incentivará o desenvolvimento e a veiculação de programas de ensino a distância, em todos os níveis e modalidades de

ensino, e de educação continuada. (BRASIL, 1996)

  Essa Lei foi regulamentada pelo Decreto nº 5.62

  

   de 19 de Dezembro 2005, que mostra no Capítulo I – Das Disposições Gerais, no Art. 1º:

  Para os fins deste Decreto, caracteriza-se a educação a distância como modalidade educacional na qual a mediação didático-pedagógica nos processos de ensino e aprendizagem ocorre com a utilização de meios e tecnologias de informação e comunicação, com estudantes e professores desenvolvendo atividades educativas em lugares ou tempos diversos. (BRASIL, 2005)

  

  diz que:

  Educação a Distância é a modalidade educacional na qual estudantes e professores estão separados, física ou temporalmente e, por isso, faz-se necessária a utilização de meios e tecnologias de informação e comunicação. Essa modalidade é regulada por uma legislação específica e pode ser implantada na educação básica (educação de jovens e adultos, educação profissional técnica de nível médio) e na educação superior. (BRASIL, 2015)

  Essa definição não comenta sobre o uso de EaD na Educação Básica Regular. O portal também não expõe nenhuma informação sobre o uso de EaD auxiliado por algum tipo de LMS em escolas públicas de EM, mas, em contrapartida, conforme o gráfico a EaD já é praticada no Ensino Superior há mais de uma década.

  

Gráfico 1 - Matrículas no Ensino Superior Presencial e a Distância Fonte: INEP/MEC (2015) EM por meio de algum tipo de LMS.

  Essas informações mostram que a metodologia de ensino baseada em

  

blended learning está longe de ser uma prática efetiva adotada em escolas públicas

de EM.

  Cabe uma pergunta nesse contexto: Se o uso da EaD que já está em implantação há mais de 10 anos no Brasil no

  Ensino Superior, com resultados satisfatórios e sendo cada vez mais adotado nessas Instituições de Ensino, porque não adotar essa mesma metodologia no ensino básico regular e passar a ter uma maior possibilidade de oferecer um salto de qualidade ao aprendizado dos estudantes?

  Valente (2014) comenta que nos Estados Unidos e Canadá, o blended

  learning tem sido utilizado tanto no Ensino Básico quanto no Ensino Superior.

  Valente, em seu artigo, apresenta uma definição bastante completa de blended learning, utilizada por Staker & Horn.

  Eles definem blended learning como um programa de educação formal que mescla momentos em que o aluno estuda os conteúdos e instruções usando recursos online, e outros em que o ensino ocorre em uma sala de aula, podendo interagir com outros alunos e com o professor. Na parte realizada online o aluno dispõe de meios para controlar quando, onde, como e com quem vai estudar. Esses autores enfatizam o aspecto formal para diferenciar as situações de aprendizagem que acontecem informalmente. No caso do blended learning o conteúdo e as instruções devem ser elaborados especificamente para a disciplina em vez de usar qualquer material que o aluno acessa na internet. Além disso, a parte presencial deve necessariamente contar com a supervisão do professor, valorizar as interações interpessoais e ser complementar às atividades online, proporcionado um processo de ensino e de aprendizagem mais eficiente, interessante e personalizado. (VALENTE, 2014, p. 84) disciplinas totalmente online para complementar as disciplinas presenciais;

  Virtual enriquecido: a ênfase está nas disciplinas que o estudante realiza

  • online, sendo que ele pode realizar algumas atividades presencialmente como, por exemplo, experiências práticas, laboratórios ou mesmo uma disciplina presencial;

  Rodízio: proporciona ao estudante a chance de alternar ou circular por

  • diferentes modalidades de aprendizagem. Para Leonard & Delacey (2001), blended learning é uma abordagem pedagógica que combina a eficácia e as oportunidades de socialização da parte presencial com as oportunidades de aprendizado ativo, tecnologicamente potencializadas em um ambiente virtual. Os estudantes aprendem mais quando são adicionadas sessões online aos cursos presenciais, como também a interação e a satisfação aumentam.

  No entendimento de Moran (2015)

  Ensino híbrido significa misturado, mesclado, blended. Na educação acontecem vários tipos de mistura, blended ou educação híbrida: de saberes e valores, quando integramos várias áreas de conhecimento (no modelo disciplinar ou não); mistura de metodologias, com desafios, atividades, projetos, games, grupais e individuais, colaborativos e personalizados. Também falamos de tecnologias híbridas, que integram as atividades da sala de aula com as digitais, as presenciais com as virtuais.

  Híbrido também equivale a um currículo mais flexível, que planeje o que é básico e fundamental para todos e que permita, ao mesmo tempo, caminhos personalizados para atender às necessidades de cada estudante e a aprendizagem colaborativa, em grupo. Híbrido também acontece na articulação de processos mais formais e organizados de ensino e aprendizagem com os informais (redes sociais, educação aberta, educação livre). (MORAN, 2015)

  Para Rodrigues (2010), o blended learning surgiu no Brasil com projetos de EaD por radiodifusão na década de 1970. Essa modalidade só se desenvolveria de forma preponderante a partir da criação e disseminação das TIC com o uso maciço AVA e um LMS.

  Um AVA é um conceito abrangente que engloba todos os ambientes (formais e informais) de aprendizagem. Nessa visão, a própria internet, sob certas condições é um AVA. Um LMS trata de plataformas relativas a aprendizagem formal em um ambiente controlado e com uma finalidade específica (graduação, pós-graduação, cursos específicos, etc.) para um determinado público, mas que também não deixa de ser um AVA. O pesquisador concorda com Rodrigues (2010) onde diz que muitos autores confundem esses conceitos, usando-os como sinônimos e, dessa forma, dificultando o entendimento do domínio do assunto.

   versão 2.7, como a plataforma mais

  interessante, para a pesquisa, por motivos já listados anteriormente. A seguir apresenta-se uma descrição desse LMS com algumas características e atividades necessárias para a compreensão da metodologia utilizada na pesquisa.

  O ambiente virtual MOODLE disponibiliza diversas ferramentas que podem ajudar no desenvolvimento de aulas, disciplinas, cursos, etc., tanto presenciais como a distância. Também permite que se tenha informações sobre frequência, acessos e usos, além de possibilitar a comunicação síncrona e assíncrona entre os participantes ou estudantes.

  É um software livre, gratuito e disponibilizado por meio da licença General

  operacionais: Unix, Linux, Windows, Mac OS X, desde que os mesmos tenham instalados a linguagem de programação Hypertext Preprocessor (PHP) integrada uma base de dados de tipo Structured Query Language (SQL), como MySQL,

  

PostgreSQL , etc. É desenvolvido de forma colaborativa por uma comunidade virtual,

  em nível mundial, que reúne programadores, administradores de sistemas, professores, designers e usuários de todo o mundo. Encontra-se disponível em diversos idiomas, inclusive o português e para que se possa usá-lo, o usuário necessita de um computador com um navegador instalado, tipo Mozilla Firefox,

  

Microsoft Internet Explorer, Microsoft Edge, Google Chrome , etc., conectado à

Internet .

  O MOODLE procura cobrir três eixos básicos do processo de ensino- aprendizagem:

  Gerenciamento de conteúdo: organização de conteúdos a serem

  • disponibilizados aos estudantes no contexto de disciplinas/turmas, por meio
questionários e enquetes, atribuição de notas, cálculo de médias, etc. A tabelamostra o volume de uso do MOODLE e demonstra claramente que é empregado em larga escala em nível mundial.

  

Tabela 5 - Registros de Uso do MOODLE

  Sites Registrados 59.587 Países 221 Cursos 8.463.113 Usuários 77.025.777 Matrículas 195.279.525 Postagens nos fóruns 154.852.770 Recursos 77.155.923 Questões de questionário 349.520.538

  Fonte: Internet - traduzido pelo pesquisador mostra que o Brasil se encontra entre os países que contém mais bases instaladas do MOODLE no mundo.

  

Tabela 6 - Países que mais utilizam o MOODLE

  Países Registros Estados Unidos da América 8.337 Espanha 5.617 Brasil 3.827 Reino Unido e Irlanda do Norte 2.855 México 2.339 Alemanha 2.091 Colômbia 1.752 Itália 1.572 Áustria 1.453 A Associação Brasileira de Ensino a Distância (ABED), no Censo EaD – Relatório Analítico de Aprendizagem a Distância no Brasil (2013/2014, p. 248) mostra que entre os LMS gratuitos utilizados nas Instituições de Ensino conveniadas, o MOODLE domina a base de instalações, como apresentado na figura

  

Figura 2 - Uso de LMS Gratuitos no Brasil

Fonte: ABED - Censo EaD.BR 2013/2014

  Como principal ferramenta utilizada nos cursos online, tem-se que a Atividade Questionário, como mostrada na figura é uma das mais utilizadas, tanto na formulação de questões objetivas quanto nas questões dissertativas.

  

Figura 3 - Recursos e Atividades mais Utilizados

em Cursos Online cognitivas.

  Os professores podem estruturar suas disciplinas de três maneiras distintas, de acordo com o objetivo estabelecido:

  Após o administrador do MOODLE criar os cursos, cadastrar os professores e estudantes nas turmas, delegar as permissões de uso monta-se as disciplinas dentro do curso. Os professores têm a liberdade para modificar a estrutura da disciplina conforme seu planejamento ou de acordo com as normas da Instituição, para reproduzir um padrão de cursos e disciplinas já estalecido.

  • Semanal: o curso é disposto em semanas, com datas de início e fim;
  • Tópicos: cada assunto a ser discutido representa um tópico, sem limite de

  tempo pré-definido;

  

Figura 4 - Benefícios para Aprendizagem Fonte: ABED - Censo EaD.BR 2013/2014 professor gerenciar todo o trabalho envolvido no processo de uso do MOODLE relativo àquela disciplina: controle de acesso dos estudantes, controle de notas, elaboração do banco de questões, etc.

  

Figura 5 - Bloco de Administração

Fonte: tela do MOODLE

  

Figura 6 - Elaboração de Atividades

  

Figura 7 - Elaboração de Recursos usadas no MOODLE. Pode-se criar questionários com diferentes tipos de questões, conforme mostrado na figura juntando-as num Banco de Questões separados de acordo com a semana ou tópico, ou ainda, mantê-las todas juntas na disciplina do curso. Controla-se o número de tentativas de resolução do questionário, e cada uma das tentativas é corrigida imediatamente pelo computador.

  Os questionários podem ser construídos com as questões dispostas de forma aleatória e automática. Dessa forma, os estudantes terão o mesmo questionário com as questões dispostas de forma diferente quando apresentados na tela do MOODLE.

  

Figura 8 - Atividade Questionário – Tipos de Questões Essas características permitem uma variedade de abordagens e estratégias para o desenvolvimento do aprendizado, normalmente inviáveis no ensino presencial devido a todas as correções de testes, aplicados pelo professor serem manuais e trabalhosas, impedindo algumas vezes que os estudantes refaçam os seus testes manualmente.

  O Banco de Questões que se encontra no Bloco de Administração é uma coleção de questões criadas no MOODLE e podem ser organizadas em categorias, serem importadas de outras instalações do próprio MOODLE, ou até mesmo de outros LMS, mesmo que contidas em outros formatos de arquivos. Na figura tem- se um exemplo de como as questões estão armazenadas dentro de uma categoria.

  

Figura 9 - Organização das Questões no Banco de Questões A avaliação do desempenho dos estudantes é um aspecto muito importante em um LMS. São por meio de relatórios contidos no Bloco de Administração que o professor consegue controlar todos os tipos de avaliações criadas em sua disciplina.

  Pode-se fazer uma análise individual de cada estudante no Relatório de Atividades. Sabe-se a data e hora que o mesmo respondeu as questões propostas e o tempo que demorou para respondê-las.

  A forma de contabilizar a média final, chamada no MOODLE de Agregação das Notas, é totalmente flexível e automática. Permite-se criar uma fórmula específica ou utilizar uma das várias fórmulas já fornecidas, como: média aritmética simples, média ponderada, mediana, soma das notas, etc.

  Existem muito mais ferramentas de Atividades e Recursos no MOODLE, como as listadas na figura mas não é o objetivo dessa dissertação explicá-las. No

  

  site de documentação do MOODLpode-se obter mais informações sobre como usar essas ferramentas. As ferramentas de Atividade de interação como o fórum,

  

chat e wiki, não foram necessárias nesse projeto, pois os encontros presenciais

eram diários em sala de aula, minimizando suas necessidades de uso.

  O projeto foi aplicado numa turma de terceiro ano de uma escola estadual de Palmas/TO em 2014. A infraestrutura de informática do MOODLE foi cedida pelo IFTO – Campus Palmas, uma vez que já estava implantada e em uso.

  Basicamente, a infraestrutura necessária consiste em um computador que atuou como servidor do MOODLE, um laboratório de informática e acesso à internet. Os estudantes poderão acessar a página do curso por meio de computadores, tablets e smartfones, o que facilita o estudo e a execução das tarefas.

  O professor regente do curso na Escola Estadual ficou a cargo das aulas presenciais e coube ao pesquisador postar no MOODLE: material didático, vídeos, simuladores virtuais e os exercícios do Questionário Avaliativo (QA), referente ao assunto exposto em sala de aula em cada semana. Todo o conteúdo exposto no MOODLE era preparado e revisado na semana anterior à postagem e definido, de comum acordo, com o professor regente nas reuniões semanais.

  O livro didático adotado pela escola para o curso de Física foi o de Máximo e

  para que os estudantes conseguissem estabelecer a relação entre o ensino presencial e a EaD, e assim, sentirem-se confiantes quanto à metodologia.

  O conteúdo foi dividido por semanas, conforme calendário escolar. As últimas semanas do segundo bimestre foram usadas para um treinamento a fim de que os estudantes aprendessem e tirassem as dúvidas quanto ao uso da metodologia. No terceiro bimestre, fora coletados os dados que foram posteriormente tabulados e quantificados. No início do quarto bimestre finalizou-se o projeto.

  Como na escola selecionada são duas aulas semanais de Física no EM, o

  O professor regente teve um melhor controle da curva de aprendizado do

  • estudante, devido a prévia seleção do conteúdo disponível na internet, oriundos de fontes seguras, conceitualmente corretos que foram ofertados no MOODLE e do grau de dificuldade de exposição do assunto abordado. Teve também a vantagem de orientar a forma de como estudar, visto que foi possível expor aos estudantes quais eram as etapas, as datas, as avaliações semanais e trabalhar junto aos mesmos para que pudessem cumprir sua parte no processo de aprendizagem. O professor regente ainda teve a chance de motivar os estudantes a
  • frequentarem o MOODLE na segunda aula daquela semana e verificar o andamento das atividades. Não foi permitido aos estudantes realizarem o QA em outro período que não
  • fosse ao da semana referente ao conteúdo ministrado. Dessa forma, a responsabilidade do aprendizado passou a ser dividida entre todos os participantes do processo: professor regente, estudante, escola e pesquisador. Foram aplicados 2 questionários, adaptados do questionário elaborado por

  Menezes (2006), como forma de coletar os resultados da aplicação dessa metodologia.

  foi aplicado no início das atividades com o intuito de levantar as condições socioeconômicas dos estudantes.

  Tinha como o objetivo verificar se os estudantes poderiam realizar as atividades em suas casas, sem terem a necessidade de recorrerem, por exemplo, a lan houses, como apontou Menezes (2006).

  foi

  aplicado no final das atividades para verificar se os objetivos geral e específicos foram alcançados. aplicação e cada semana correspondeu a 1,00 ponto e cada questão 0,10 ponto, acumulando no máximo 5,00 pontos. Nessa escola, a nota máxima é de 10,00 pontos e a nota de corte é de 7,00 pontos.

  Inicialmente aplicou-se o projeto em uma turma de uma escola estadual na região central de Palmas, Tocantins no primeiro bimestre de 2014. A coordenadora aceitou a implantação da metodologia e o professor regente concordou em participar. Após quase dois meses desde a apresentação do projeto para os estudantes, o pesquisador sentiu-se compelido a trocar de escola por alguns motivos listados a seguir:

  No primeiro bimestre, na escola, houve trocas de professores e,

  • consequentemente, mudanças na grade horária, o que comprometeu “fixar” as semanas no MOODLE; A escola, assim como toda a rede estadual, entrou em greve e todas as
  • atividades planejadas foram suspensas. Quando as aulas retornaram, um mês após o início da greve, muitos estudantes da turma escolhida para a pesquisa tinham desistido ou trocado de escola, e com a entrada de novos estudantes nessa turma, praticamente todo o trabalho teve que ser recomeçado; A infraestrutura do laboratório de informática não ficou de acordo conforme o
  • combinado com a coordenação da escola: as manutenções dos computadores não ocorreu fazendo com que apenas cinco das vinte máquinas estivessem em condições de uso;

  Na escola a ser selecionada, o MOODLE já deveria estar em condição de

  • produção, minimizando ao máximo o tempo da apresentação da metodologia e a primeira semana de uso pelos estudantes. A escola teria que oferecer condições mínimas, como: acesso à internet,
  • datashow e um laboratório de informática em condições de uso, caso algum

  estudante participante precisasse usar os computadores do estabelecimento de ensino.

  4.2.1 Apresentação do Projeto A figura mostra o início da tela principal da página do curso, contendo a apresentação do projeto, o bloco de administração, etc. É por meio dessa tela que o estudante entra em contato com a parte de EaD da metodologia para a realização das atividades.

  

Figura 10 - Tela de Apresentação do Projeto no MOODLE

  4.2.2 Primeira Semana de Treinamento e Revisão

  Período: 17/06/2014 à 23/06/2014 Objetivo: apresentação e treinamento do MOODLE Conteúdo: sistemas de medidas e Sistema Internacional de Unidades (SI) Procedimentos e Recursos: devido ao fato do sinal da rede wireless

  fornecido pela escola ser fraco na sala de aula, passamos a usar a internet por meio de um aparelho celular configurado como roteador e o pesquisador passou a usar seu próprio datashow, pois nem sempre o datashow da escola estava à disposição.

  E ssa solução foi recorrente em todos os encontros em sala de aula.

  Registro da aula: o pesquisador reuniu-se com o professor regente e os

  estudantes na sala de aula, para apresentação do projeto, dos objetivos, da metodologia e do sistema de avaliação. Mostrou exemplos de como os materiais didáticos, os vídeos auxiliares e o primeiro QA estariam dispostos no MOODLE.

  A figuramostra o conteúdo trabalhado na primeira semana de treinamento.

  e o segundo

  

  material didático mostra uma tabela de símbolos e prefixo O primeiro vídeo de

  

  auxílio mostra uma revisão de sistemas de medidas e o SI e o segundo mostra

  

  

Figura 11 - Primeira Semana de Treinamento e Revisão

Fonte: tela do MOODLE

  

  Encaminhamento para próxima aula: continuação do treinamento do MOODLE.

  4.2.3 Segunda Semana de Treinamento e Revisão estudantes, em sala de aula, para esclarecimento de dúvidas.

  A figura mostra o conteúdo trabalhado na segunda semana de treinamento. O material didático contém o assunto força e campo elétrico do livro de Física 3: Eletromagnetismo do Grupo de Reelaboração do Ensino de Física

  

  (GREF O primeiro vídeo de auxílio mostra uma revisão de campo elétrico do

  

  curso Sei Mais Físi o segundo vídeo de auxílio mostra uma aula de campo

  

  elétrico do curso de Física Geral na Unicae o terceiro vídeo de auxílio mostra

  

  

  Encaminhamento para próxima aula: continuação do treinamento do MOODLE ao longo das férias.

  

Figura 12 - Segunda Semana de Treinamento e Revisão

  4.2.4 Primeira Semana de Aplicação

  Período: 20/08/2014 à 26/08/2014 Objetivo: iniciar a aplicação da metodologia do projeto Conteúdo: corrente elétrica Procedimentos e Recursos: acesso à internet, vídeos Registros da aula: aula expositiva pelo professor regente. Reunião com

  estudantes, em sala de aula, para esclarecimento de dúvidas quanto ao uso do MOODLE.

  A figuramostra o conteúdo trabalhado na primeira semana de aplicação. O material didático 1 contém o assunto sobre conceitos fundamentais e grandezas

  

   enquanto

  

  Instrumentos de Avaliação: QA - 1ª semana de aplicação com 10 exercícios

  proposto

  

  Encaminhamento para próxima aula: no último dia da semana será liberado o conteúdo sobre resistência elétrica e Lei de Ohm.

  4.2.5 Segunda Semana de Aplicação

  Período: 27/08/2014 à 02/09/2014

Figura 13 - Primeira Semana de Aplicação

  Fonte: tela do MOODLE com o objetivo de mantê-los motivados.

  A figuramostra o conteúdo trabalhado na segunda semana de aplicação.

   O segundo

  material didático do livro Física 3: Eletromagnetismo do GREF, aborda o conceito de

  

  resistência elétri O primeiro vídeo de auxílio mostra uma revisão sobre a 1ª Lei

  

  de Ohe o primeiro simulador trata de um objeto de aprendizagem do Physics

  

  

Figura 14: Segunda Semana de Aplicação

Fonte: Tela do MOODLE

  Encaminhamento para próxima aula: no último dia da semana será liberado o conteúdo sobre associação de resistores.

  4.2.6 Terceira Semana de Aplicação

  Período: 03/09/2014 à 16/09/2014 Objetivo: continuação da aplicação da metodologia do projeto Conteúdo: associação de resistores Procedimentos e Recursos: acesso à internet, vídeos, simuladores virtuais. Registros da aula: aula expositiva pelo professor regente, onde solicitou a

  pesquisador que estendesse o prazo de uma semana para quinze dias, devido a eventos ocorridos na escola que culminaram na falta de aulas de física naquela semana.

  A figuramostra o conteúdo trabalhado na terceira semana de aplicação. O

  

  primeiro material didático trata sobre associação de resistore O primeiro vídeo de

  

  auxílio mostra associações de resistores em séri enquanto o segundo vídeo de

  

  O primeiro simulador trata de um objeto de aprendizagem do PhET sobre a

  

  construção de circuitos elétricos simple O segundo simulador mostra um objeto de aprendizagem elaborado pelo Physics and Chemistry by Clear Learning (PCCL),

  

  de caráter qualitativo, sobre circuitos elétricos simples E, por fim, o terceiro simulador, também do PCCL, apresenta um objeto de aprendizagem sobre circuitos

  

  

Figura 15 - Terceira Semana de Aplicação

Fonte: tela do MOODLE

  Instrumentos de Avaliação: QA - 3ª semana de aplicação com 10 exercícios

  4.2.7 Quarta Semana de Aplicação

  Período: 17/09/2014 à 23/09/2014 Objetivo: continuação da aplicação da metodologia do projeto Conteúdo: potência elétrica e consumo de energia Procedimentos e Recursos: acesso à internet, vídeos, simuladores virtuais. Registros da aula: Aula expositiva pelo professor regente.

  A figuramostra o conteúdo trabalhado da quarta semana de aplicação. O primeiro material didático do livro Física 3: Eletromagnetismo do GREF trata sobre a

  

  potência nos aparelhos resistivo O segundo material didático leva a um site que apresenta de forma didática o conceito de potência elétrica para o cálculo do

  

  consumo de energia elétri enquanto o último material didático também

  

  

  e o simulador da Companhia Paranaense de Energia (COPEL) apresenta um programa que é executado no próprio site, para o cálculo da energia elétrica de uma

  

  Instrumentos de Avaliação: QA - 4ª semana de Aplicação com 10 exercícios

  

  Encaminhamento para próxima aula: o professor solicitou que fosse feito

  uma revisão de conteúdo visando a preparação para a prova bimestral que ocorreria no dia 29/09/2014. Conteúdo da prova definida por ele: corrente elétrica, Leis de Ohm, associação de resistores, potência elétrica e energia consumida.

  Período: 24/09/2014 à 30/09/2014 Objetivo: continuação da aplicação da metodologia do projeto Conteúdo: revisão sobre corrente elétrica, Leis de Ohm, associação de resistores, potência elétrica e energia elétrica consumida. Procedimentos e Recursos: acesso à internet, vídeos, simuladores virtuais.

  

Figura 16 - Quarta Semana de Aplicação Fonte: tela do MOODLE disposição dos estudantes, sendo postado apenas o QA.

  

Figura 17 - Quinta Semana de Aplicação

Fonte: tela do MOODLE

  Instrumentos de Avaliação: QA - 5ª semana de Aplicação com 10 exercícios

  

  Encaminhamento para próxima aula: após a semana de provas bimestrais,

  fez-se uma reunião para fazer o fechamento do projeto e passagem de notas da parte da avaliação do MOODLE.

  4.2.9 Sexta Semana de Aplicação e Apresentação de Resultados

  Período: 13/11/2014 à 20/11/2014 Objetivo: reunião para apresentação de resultados e finalização do projeto Conteúdo: não se aplica Procedimentos e Recursos: reunião com os estudantes, uso de datashow

  para apresentação das notas de todos os QA contendo a média bimestral parcial referente a aplicação do projeto.

  Registros da aula: apresentação do resultado do projeto e aplicação do segundo questionário.

  A tabela mostra a composição das notas de todos os questionários

  Tabela 7 - Notas Finais da Aplicação do Projeto Nesse capítulo apresentam-se os resultados referentes aos dados coletados nos dois questionários aplicados (Perfil Sócio-investigativo e Avaliação da Plataforma Colaborativa MOODLE), bem como a hipótese trabalhada.

  foi respondido por 25 dos 28 estudantes participantes, ou seja, por 90% dos estudantes.

  A primeira pergunta, mostrada no gráfico trata dos equipamentos ou recursos que os estudantes possuem em casa.

  

Gráfico 2 - Equipamentos ou Recursos dos Estudantes

  11 DVD, Blu Ray

  6 TV por Assinatura

  Site, Blog

  8 Telefone Fixo

  21 Redes Sociais

  15 Email

  Multifuncional, Impressora

  6

  14 Internet em Banda Larga

  17 Smartfone, Tablets

  18 Computadores Portáteis

  12 Computador Pessoal (PC Desktop)

  5

  10

  15

  20

  25 Observa-se, do gráfico que 81% dos estudantes têm cadastro em algum

  tipo de rede social, o que mostra ser esse um meio de comunicação a ser levado em consideração para comunicação com os estudantes, pois 65% têm smartfones ou projeto aplicado na cidade de Nova Iguaçú/RJ. Somente 4% dos participantes tinham acesso à internet em barga larga no ano de 2005, o que mostra claramente um avanço na infraestrutura de telecomunicações como um todo, que é de fundamental importância para o sucesso nesse tipo de projeto.

  A segunda pergunta, mostra que 100 dos estudantes reconhecem que o uso de recursos tecnológicos como cartões de crédito, terminais bancários, computadores, smartfones, etc., facilitam a vida das pessoas.

  Na terceira pergunta, mostrada no gráfico 92% dos estudantes acham fundamental esses recursos na sociedade moderna.

  

Gráfico 3 - Recursos Tecnológicos são Fundamentais na Sociedade

  8% Sim Não

  92% Verifica-se na quarta pergunta, conforme o gráfico que a maioria dos estudantes sabem que a escola possui como recursos educacionais o laboratório de informática, o datashow, a biblioteca e a TV.

  

Gráfico 4 - Recursos Educacionais da Escola

Câmera Filamdora Canal TV Escola Antena Parabólica

  Home Teater TV Datashow Sala de Leitura As próximas três perguntas tiveram suas respostas na forma discursiva, portanto o pesquisador optou por não transcrevê-las, somente constatou-se a quantidade de itens apontados pelos estudantes.

  A quinta pergunta questiona quais dos recursos educacionais da escola são os mais utilizados pelos professores, e por unanimidade, o datashow é apontado como o mais utilizado na prática pedagógica.

  Na sexta pergunta, pede-se para os estudantes elencarem quais os recursos tecnológicos mais usados pelo professor de física e a maioria aponta o livro didático, pincel, quadro branco, ou seja, aulas sem recursos midiáticos.

  A sétima pergunta mostra que as disciplinas da área de humanas são as que mais utilizam os recursos educacionais disponíveis na escola, seguido das disciplinas específicas da área de informática.

  É digno de comentários que as disciplinas da área de exatas: matemática, física e química não foram citadas pelos estudantes. É preciso repensar a prática de ensino dessas disciplinas, pois elas estão desconectadas da realidade dos estudantes e presas a uma metodologia que muitas vezes não oferece bons resultados, do ponto de vista de um aprendizado significativo.

  A oitava pergunta trata das fontes de pesquisas que os estudantes mais utilizam e no gráfico são apresentadas essas fontes.

  

Gráfico 5 - Fontes de Pesquisas

Teatro Cinema

  2 Muses, Universidades

  1 Vídeos e DVD´s

  7 Softwares Educacionais

  3

  88% disseram usar a internet e 58% usam livros para realizar trabalhos escolares, o que mostra a importância de orientar os estudantes na busca por fontes conceitualmente confiáveis. O MOODLE permite ao professor selecionar previamente essas fontes para garantir aos seus estudantes, pesquisas com material de qualidade.

  Tanto a nona pergunta quanto a décima primeira se mostraram irrelevantes

  

  Na décima pergunta foi questionado se a quantidade de estudantes da turma era adequada para uma sala de aula. A maioria dos estudantes não se queixou quanto a isso.

  A décima segunda pergunta trata da indicação das principais dificuldades que os estudantes encontram em sala de aula para compreensão dos assuntos abordados. Os estudantes relatam que a pequena carga horária das disciplinas (que são 13 no total) não permitem um aprofundamento dos temas estudados e que os professores utilizam poucos recursos midiáticos. Na prática, os professores se valem de quadro branco e material didático em seus trabalhos em sala de aula. Infelizmente, isso vem ao encontro com os dados coletados por Menezes (2006), que afirma:

  Quanto a alegação de que a maioria dos professores continuam optando em utilizar metodologias de ensino com o uso exclusivo dos recursos tradicionais como o quadro branco e o livro didático, representa um indício de que uma parcela significativa de professores não se preocupam em acompanhar o processo de inserção das novas TICs nas escolas. Muitos desses professores argumentam que não tem tempo para se aperfeiçoarem, tendo em vista as extensas jornadas de trabalho e a falta de incentivo das Secretarias de Educação (SEE), ao não concederem licenças remuneradas para participarem de cursos de capacitação. (MENEZES, 2006 p. 102)

  Percebe-se que mesmo depois de 10 anos, não houve avanço nessa questão crucial para oferecer um ensino mais condizente com a geração atual de estudantes. respondido por 23 do total de 28 estudantes participantes.

  Ao analisar as respostas à primeira pergunta, conforme apresentado no gráfico percebe-se que 83% dos estudantes aprovam essa metodologia híbrida de estudo e aprendizagem onde se usa a EaD como complemento ao ensino presencial.

  

Gráfico 6 - Conceito Atribuído pelos Estudantes à Metodologia Híbrida

  17% Excelente

  35% Bom Regular Insatisfatório Ruim

  48% Na segunda pergunta, referente a forma como o curso foi estruturado e as informações gerais dispostas no MOODLE. Constata-se que, para a maioria dos estudantes, esses fatores facilitaram o seu aprendizado, conforme mostrado no gráfico

  

Gráfico 7 - Clareza das Informações na Página do Curso

  13% Sim Não

  87% realizarem as atividades semanais contidas no MOODLE.

  

Gráfico 8 - Recursos mais Utilizados

  Chat Forum de Discussão

  Mensagens Simuladores Virtuais

  Vídeos Auxiliares Material Didático de Apoio

  2

  

4

  6

  8

  10

  12

  14

  16

  18 Os recursos: chat, fórum de discussão e mensagens foram desnecessários

  

  Na quarta pergunta foi solicitado aos estudantes que relatassem quais as maiores vantagens ao utilizar a plataforma de aprendizagem colaborativa a

  

  distância, como MOODLE. A seguir apresenta-se algumas resposta

  Podemos aprimorar nossos conhecimentos fora da escola e da sala de aula. Facilidade de acesso Interação com uma tecnologia não utilizados na sala de aula Instigar a busca do conhecimento As vezes o tempo da aula é muito pouco para ver o conteudo. Como o Moodle é via internet você poderia fazer a qualquer hora em qualquer lugar. Que podemos estudar em qualquer lugar mesmo não estando na escola. E complementa o conteúdo trabalhado em sala de aula. Poder ter acesso ao conteúdo, as atividades em qualquer lugar e horário do dia. com os devidos materiais auxiliadores. A praticidade. A facilidade para responder as atividades. Na sala quase não da tempo do professor passar atividade, pois sao poucas aulas para passar o conteúdo. O moodle facilitou muito Tendo mais tempo para aprender o conteúdo e tirar duvidas . Tempo de estudo flexível. Você faz a atividade no melhor horário disponível que vc tenha, de

acordo com os dias disponíveis da atividade.

O material de apoio foi muito útil e os questionários foi bom para a fixação do conteudo. É uma ferramenta ao qual nos dá um grande leque de pesquisa,, ou seja a internet. Propiciando aos usuários uma facilidade de ter vários conceitos, sobre um determinado assunto, e desenvolver sobre ele a sua resposta. Que podemos acessar qualquer hora.

  Ao analisar os comentários dos estudantes, observa-se o interesse pelo uso da metodologia híbrida e o quanto estavam motivados com o seu potencial de alcance e com as possibilidades oferecidas pela nova proposta.

  Já na quinta pergunta foi questionado qual a maior dificuldade enfrentada pelos estudantes no uso do MOODLE. 26% disseram que a conexão à internet, em suas casas é lenta. 22% comentaram que a maior dificuldade de acesso à plataforma é devido aos poucos computadores que a escola possui, 22% dos estudantes tiveram dificuldades de usar o MOODLE pelo fato de não terem muita experiência com o uso de computadores e de tempo para se adaptar a essa proposta de aprendizagem. Pode-se ver que as respostas referentes a quinta pergunta do questionário dois corrobora os dados da primeira questão do questionário um que trata também do acesso à internet de qualidade em suas casas.

  A sexta pergunta questionava os estudantes como se sentiram em usar o MOODLE sozinhos, sem a presença do professor ou dos colegas. Foram oferecidas três opções para selecionarem u

  

   43% responderam a opção “a”, 35% optaram pela opção “b” e somente 22% responderam a opção “c”. Esses dados sinalizam um avanço em relação ao trabalho de Menezes (2006), que mostrou que 46% sentiram estudante gastou durante a semana para o acesso ao MOODLE. 83% dos estudantes responderam que gastaram até uma hora de acesso semanal. Essa média de acesso se manteve de forma semelhante aos resultados obtidos por Menezes (2006, p. 106).

  

Gráfico 9 - Tempo de uso semanal do MOODLE

  17% 22% menos de 1 h

  1 h 2 h mais de 3 h

  61% Com relação a oitava pergunta, sua análise tornou-se desnecessária pelo fato de que, nesse projeto, não se usou os recursos: chat, fórum de discussão e mensagem, devido ao ambiente de blended learning.

  Na nona pergunta, como mostra o gráfico 87% dos estudantes responderam que consideram que a integração de vários recursos tecnológicos aplicados à educação facilita o processo de aprendizagem.

  

Gráfico 10 - Integração de Recursos Tecnológicos Aplicados à Educação

  13% Sim Não

  87%

  

Gráfico 11 - Interesse pelo Ensino Híbrido

13%

  Sim Não

  87%

  A décima segunda e décima terceira questões eram abertas para comentários dos estudantes, mas nem todos se prontificaram a responder. Na décima segunda pergunta os estudantes relataram os conselhos que dariam aos colegas quando usassem a plataforma MOODLE pela primeira vez. A

  

  seguir apresentam-se todos os relatos obtido Organize seu horário com a aplicação de uma hora na plataforma.

  Manter uma frequencia de acessos diarios para um bom estudo pela plataforma. Que organiza-se uma rotina de estudo.

Estude os conteudos disponiveis no moodle.

Presta atenção nos vídeos e conteúdos auxiliares. Faça antes de acabar o prazo... Que utilizasse pois ajuda o bastante. Fazer antes do prazo de entrega Ler os materiais de apoio. Que o mesmo aproveitasse ao máximo o progama Utilizar os materiais oferecidos Focar no que ele tem mais dificuldade, e buscar conhecimentos nas apostilas e vídeo aulas que ele dedicasse ao Moodle, pois realmente e uma ferramenta muito boa Pra ele se atentar as datas e prazos disponibilizados. Se dedicar e aproveitar essa oportunidade ímpar. Que se dedicasse, respondesse com sinceridade. Para que ele tivesse um bom aproveitamento de tá ferramenta. Faça com tempo e antecedência. Aproveite o conteúdo!

  

  perguntas anteriores. A seguir todos os relatos obtido

  Os questionários deveriam abrir sempre que fosse necessário e não uma vez só. A necessidade de um exercício de fixação antes do exercício valendo ponto. Acho que o site deve ser mais claro e que na sala o professor poderia falar mais de algumas questões. programa ótimo! O curso exigiu um nível ótimo de conhecimento do estudante e mostrou, para aqueles que tem dificuldades, é necessário estudar mais Algumas alterações poderiam ser feitas na parte do chat para que os estudantes também pudessem conversar entre si de forma instantânea.

  A partir dos relatos contidos nas duas últimas perguntas é possível constatar a participação ativa dos estudantes no projeto. Eles acreditam que essa metodologia pode trazer benefícios concretos para a construção de seu aprendizado.

  O professor regente da turma enviou um e-mail para o pesquisador mostrando sua opinião sobre a aplicação do projeto, conforme a seguir:

  

Figura 18 - Opinião do Professor Regente sobre o Projeto de Mestrado

  Por meio desse e-mail, fica claro o potencial e a importância dessa metologia

  Apresentou-se nesse trabalho uma sequência didática abordando os conteúdos de eletrodinâmica, conforme proposto no primeiro objetivo específico. Trabalhou-se com esse conteúdo pois o mesmo está de acordo com o calendário escolar da Secretaria de Educação do Tocantins (SEDUC-TO) e foi ministrado pelos professores de Física no período da inserção desse projeto.

  Por ser uma metodologia nova de ensino e aprendizagem no Ensino Médio (EM) foi necessária uma adaptação dos estudantes, do professor regente e também da escola. Uma vez que essa mudança não é tecnológica e sim metodológica. É importante frisar que qualquer estabelecimento de ensino, que optar por essa metodologia híbrida, deverá ser preparado, bem como seus professores e estudantes.

  Para o bom andamento de projetos que envolvam educação e informática por meio das Tecnologias de Comunicação e Informação (TIC), também é necessário que se leve em consideração a infraestrutura: internet de alta velocidade, salas de aula equipadas, laboratórios de informática e computadores nas casas dos estudantes. Ainda, no ano de 2015, o Brasil apresenta disparidade dos estudantes ao acesso à educação e a tecnologia, devido aos altos custos de serviços e equipamentos de informática, condições geográficas adversas, entre outros aspectos.

  A Educação a Distância (EaD) vem sendo usada há mais de uma década no Ensino Superior (ES). A LDB prevê o uso da EaD no EM, mas conforme as estatísticas oficiais do MEC (apresentadas no capítulo 2), não se tem relatos de sua implementação. Aparenta ser uma incongruência do sistema educacional brasileiro a não utilização da EaD no EM regular concomitante ao ensino presencial, pois pode expor o estudante do EM a uma mudança metodológica brusca ao ele adentrar no ES. Esse despreparo do estudante pode causar uma dificuldade a mais na

  

resultados, quanto à receptividade dos estudantes a essa metodologia: a

flexibilidade de horários, a facilidade de acesso, a busca por conhecimento, a

praticidade, o uso de tecnologia por meio do MOODLE, entre outros.

  A partir da análise dos dois questionários aplicados, acompanhado de um e- mail da opinião do professor regente, verifica-se:

  1. A empolgação dos estudantes que participariam do projeto;

  2. A reclamação dos demais estudantes das outras turmas que não teriam essa oportunidade;

  3. O maior comprometimento dos estudantes participantes em realizar as atividades;

  Assim, corrobora-se a hipótese dessa investigação onde se afirma que existe receptividade dos estudantes de Física do EM quando se usa uma metodologia de ensino baseada em blended learning.

  Para o pesquisador, os questionários avaliativos utilizados na aplicação do projeto, compostos por 60 questões, além de servirem para a análise de dados, mostraram-se motivadores para utilização da plataforma, pois participaram da composição da média bimestral da turma. Se o projeto não tivesse esse caráter avaliativo, acredita-se que a participação dos estudantes seria menor.

  A partir do exposto acima, percebe-se que a interação entre todos os agentes envolvidos no projeto, vem ao encontro com a teoria de aprendizagem de Vygotsky, que diz que o individuo se desenvolve a partir da sua interação com o seu meio sociocultural, onde transformando o meio, o homem transforma a si mesmo.

  Também, nessa metodologia híbrida, o professor assume o papel de orientador, facilitador do processo de aprendizado dos estudantes, fator relevante para Vygotsky, levando-os a passar de um nível de alta dependência em relação a sua aprendizagem para serem os responsáveis na aquisição de seus próprios

  O pesquisador enxerga que o presente Produto Educacional possa ser reproduzido e/ou adaptado a outros conteúdos por professores de Física que pretendam experimentar o uso da EaD como complemento ao ensino presencial.

  O pesquisador também acredita que para desenvolver projetos que envolvam o uso híbrido entre o ensino presencial e EaD, são necessários conhecimentos que envolvam áreas distintas que compõem a base de projetos dessa natureza. A psicologia da educação, por meio de teorias de aprendizagem, conduz uma melhor forma de transmitir conhecimentos. A gestão de pessoas utiliza conhecimentos de competências para trabalhar a construção e manutenção dos relacionamentos presenciais e virtuais. O conhecimento sobre legislação em EaD no Brasil é o norteador para que possamos desenvolver projetos factíveis com esse tipo de metodologia. A informática é onde está a via de comunicação, portanto seu conhecimento se torna indispensável.

  Por fim, contemplando o objetivo geral desse projeto, o MOODLE em um cenário de blended learning mostra-se um excelente recurso para complementar os cursos presenciais, contribuindo assim, para manter os estudantes motivados e a estudarem Física.

  Mesmo o pesquisador acreditando no potencial da metodologia do ensino híbrido, faz-se necessário:

  1. Uma quantidade maior de aplicações em outros ambientes educacionais para que se possa caracterizar seus resultados de forma mais generalista. 2. É preciso mais pesquisas em nível de mestrado e doutorado que abarquem a metodologia de ensino baseada na EaD, por meio de blended learning, para que se possa, de fato, implantar novas práticas de ensino híbrido nas escolas

  5. Também acredita-se que esse estudo possa servir como um projeto-piloto para as Secretarias de Educação implementarem um processo de mudança na forma de trabalhar uma nova relação de ensino-aprendizagem no EM.

  

REFERÊNCIAS

  ABED. Relatório analítico de aprendizagem a distância no Brasil. Censo EaD.BR 2013/2014. Disponível em: Acesso em: 13 abr. 2015 ABEGG, I; BASTOS, F. P.; MULLER, F. M.. Ensino-aprendizagem colaborativo

  mediado pelo wiki do Moodle. Educ. rev. [online]. 2010, n.38, pp. 205-218 ALMEIDA, M. S. Competências do Tutor em Ensino a Distância. Palmas, 2012.

  Monografia (Especialização em Formação em Ensino a Distância). Programa de Pós-Graduação em Formação em Educação a Distância, UNIP – Universidade Paulista BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação: Lei nº 9.394/96 – 24 dez. 1996.

  Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, 1996.

  Disponível em: Acesso em: 02 set. 2015.

  o

  ______. Decreto nº 5.622: Regulamenta o art. 80 da Lei n 9.394, de 20 de

dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional.

  

  Brasília, 2005. Disponível em

   Acesso em: 02 set. 2015

  ______. Ministério da Educação. Portal do MEC. Brasília, 2015. Disponível em: Acesso em: 02 set. 2015 CHIAVENATO, I. Administração geral e pública, Rio de Janeiro: Elsevier, 2006 COÊLHO, M. F. O. Fundamentos de física. Manaus: Centro de Educação Tecnológica do Amazonas, 2010. Disponível em:

   Acesso em: 12 abr. 2015

  Dicionário Aulete Digital. Competência. Disponível em: Acesso em: 25 abr. 2015 GREF – Grupo de Reelaboração do Ensino de Física. Física 3: eletromagnetismo.

  São Paulo: edusp, 2000.

  INEP/MEC - Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira.

  Censo Escolar da Educação Básica 2013 – Resumo Técnico. Disponível em:

  

   Acesso em: 25 abr. 2015

  LEONARD. D. A.; DELACEY. B. J. Designing hybrid online/in-class learning

  programs for adults. Disponível em:

   Acesso em: 26 abr. 2015 MÁXIMO, A.; ALVARENGA, B. Curso de física. vol: 3. 1ª ed. São Paulo: Scipione, 2011 MENEZES, C. S. Estudo exploratório sobre o uso de ambientes colaborativos virtuais de aprendizagem no ensino básico de física. Rio de Janeiro, 2006. Dissertação (Mestrado em Ensino de Física). Coordenadoria do Programa de Pós- Graduação em Ensino de Ciências e Matemática, Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca – CEFET/RJ.

  MORAES, M. J. Aplicação de recursos de ambiente virtual de aprendizagem em

  

curso de biologia do ensino médio. São Paulo, 2011. Dissertação (Mestrado em

  Ensino de Ciências). Instituto de Física, Instituto de Química e Instituto de Biociências e a Faculdade de Educação da USP MORAN, J. M. Educação híbrida com metodologias ativas e tecnologias

  

digitais. 2015. Disponível em: Acesso em: 27 abr.

  2015 ______. Desafios da educação a distância no Brasil. 2012. Disponível em: . Acesso em: 09 mai. 2015 RICHTER, S. S. Interação colaborativa em hipermídia educacional no ensino-

  aprendizagem de física. Rio Grande do Sul, 2013. Dissertação (Mestrado em

  Ensino de Física). Programa de Pós-Graduação em Educação, Área de Concentração Práticas Escolares e Políticas Públicas da UFSM - Universidade Federal de Santa Maria.

  RODRIGUES, L. A. Uma nova proposta para o conceito de blended learning. Disponível em: . Acesso em:

  SANTANA, A. L. A utilização da plataforma moodle para o apoio ao ensino

  presencial: um estudo exploratório em uma disciplina em nível de pós-

graduação. Espirito Santo, 2013. Dissertação (Mestrado em Educação). Programa

  de Pós-Graduação em Educação do Centro de Educação da Universidade Federal do Espírito Santo – UFES. SANTOS, K. V. Fundamentos de eletricidade. Manaus: Centro de Educação Tecnológica do Amazonas, 2011. Disponível em:

   Acesso em: 12 abr. 2015

  Todos pela Educação. Anuário brasileiro da educação básica 2014. Disponível em:

   Acesso em: 25 abr. 2015

  VALENTE, J. A. Blended learning e as mudanças no ensino superior: a

  

Proposta da Sala de Aula Invertida. Educ. rev. [online]. 2014, n.spe 4/2014, p. 79-

  97. Disponível em:

   Acesso: em 09 mai. 2015

  APÊNDICE A EXERCÍCIOS DOS QUESTIONÁRIOS AVALIATIVOS Esse apêndice contém todos os exercícios que foram utilizados para compor os questionários avaliativos, tanto das duas semanas de treinamento e revisão quando das cinco semanas de aplicação.

  Primeira Semana de Treinamento e Revisão

Exercício 1

Exercício 2

Exercício 3

  Exercício 4 Exercício 5

  Segunda Semana de Treinamento e Revisão Exercício 1

  Exercício 2 Exercício 3

  Exercício 4 Exercício 5

  Primeira Semana de Aplicação

  Exercício 2 Exercício 3 Exercício 4

  Exercício 5

  Exercício 7 Exercício 8 Exercício 9

  Segunda Semana de Aplicação Exercício 1 Exercício 2 Exercício 3

  Exercício 4 Exercício 5

  Exercício 6 Exercício 7

  Exercício 8 Exercício 9 Exercício 10 Terceira Semana de Aplicação

  Exercício 1 Exercício 2

  Exercício 3 Exercício 4

  Exercício 5 Exercício 6

  Exercício 7 Exercício 8

  Exercício 9 Exercício 10

  Quarta Semana de Aplicação Exercício 1 Exercício 2

  Exercício 3 Exercício 4 Exercício 5

  Exercício 6 Exercício 7 Exercício 8

  Exercício 9 Exercício 10

  Quinta Semana de Aplicação - Revisão Exercício 1 Exercício 2

  Exercício 3 Exercício 4 Exercício 5

  Exercício 6 Exercício 7

  Exercício 8 Exercício 9 Exercício 10

  APÊNDICE B PRODUTO EDUCACIONAL

  

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA - INSTITUTO DE FÍSICA

MESTRADO NACIONAL PROFISSIONAL EM ENSINO DE FÍSICA

  

Produto Educacional

O USO DA EDUCAđấO A DISTÂNCIA COMO COMPLEMENTO AO ENSINO

PRESENCIAL NOS CURSOS DE FÍSICA DO ENSINO MÉDIO

  

SUMÁRIO

  

  

APRESENTAđấO

  Este caderno corresponde a um Produto Educacional versando sobre o tema do Uso do Ensino a Distância como Complemento ao Ensino Presencial

  

  Este Material foi desenvolvido a partir de uma investigação educacional realizada no ano de 2014 na Rede Estadual de Ensino de Palmas/TO e constitui o produto de pesquisa desenvolvido no Mestrado Nacional Profissional em Ensino de Física (MNPEF) da Universidade de Brasília.

  Como resultado desse processo, o pesquisador apresenta este Caderno de acordo com as atividades desenvolvidas ao longo de sua pesquisa. Ressalta que é preponderante um treinamento, tanto para professores quanto para os estudantes no uso da plataforma MOODLE.

  Não é intenção do pesquisador mostrar como se implanta o MOODLE, bem como esgotar todas as suas possibilidades, pois fugiria da proposta do projeto. Somente faz-se uma pequena apresentação das Atividades e Recursos que foram utilizados nesse projeto.

  Cabe ao professor utilizar esse Produto Educacional como referência. O professor deve promover as mudanças necessárias conforme a sua realidade, pois essa unidade de ensino adapta-se a qualquer tópico de Ensino de Física em qualquer ano. Podendo ainda, ser usado como modelo para aplicação em outras disciplinas.

  O pesquisador também acredita que esse estudo possa servir de projeto- piloto para as Secretarias de Educação implementarem um processo de mudança, como forma de se trabalhar uma nova relação de ensino-aprendizagem.

  O autor

  

CONTEXTUALIZAđấO

  Esse projeto foi aplicado numa turma de terceiro ano do curso de Física de uma escola estadual em Palmas/TO, no ano de 2014. A infraestrutura de informática da plataforma MOODLE foi cedida pelo Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Tocantins (IFTO) – Campus Palmas, uma vez que já estava implantada e em uso.

  O professor regente do curso na Escola Estadual ficou responsável pelas aulas presenciais e coube ao pesquisador postar na plataforma MOODLE: material didático, vídeos, simuladores virtuais e os exercícios do Questionário Avaliativo (QA), referente ao assunto exposto em sala de aula em cada semana. Todo o conteúdo exposto no MOODLE era preparado e revisado na semana anterior a postagem e definido, de comum acordo com o professor regente, nas reuniões semanais.

  O livro didático adotado pela escola para o curso de Física foi o de Máximo e

  para que os estudantes conseguissem estabelecer a relação entre o ensino presencial e a EaD, e assim, sentirem-se confiantes quanto à metodologia.

  O conteúdo foi dividido por semanas, conforme calendário escolar. As últimas semanas do segundo bimestre foram usadas para um treinamento a fim de que os estudantes aprendessem e tirassem as dúvidas quanto ao uso da metodologia. No terceiro bimestre coletou-se os dados que foram posteriormente tabulados e quantificados. No início do quarto bimestre finalizou-se o projeto.

  Como na escola selecionada são 2 aulas semanais de Física no Ensino Médio (EM), o projeto desenvolveu-se com a seguinte estrutura:

  Durante a semana, na primeira aula, o professor regente ministrou o conteúdo

  • por meio de uma aula presencial. Os estudantes tinham que acessar o MOODLE e verificar o material didático disponível, simuladores e vídeos que complementavam o conteúdo exposto em sala de aula. Após respondiam os exercícios contidos no QA. O professor ainda tinha a chance de motivar os estudantes a frequentarem a
  • plataforma MOODLE na segunda aula daquela semana e verificar o andamento das atividades da semana. Não foi permitido ao estudante realizar o QA em outro período que não fosse
  • ao da semana referente ao conteúdo ministrado. Dessa forma, a responsabilidade do aprendizado passou a ser dividida entre todos os participantes do processo: professor, estudante, escola e pesquisador.

  

MOODLE

  que podem ajudar no desenvolvimento de aulas, disciplinas, cursos, etc., tanto presenciais como a distância. Também permite que se tenha informações sobre frequência, acessos e usos, além de possibilitar a comunicação síncrona e assíncrona entre os participantes ou estudantes.

  É um software livre, gratuito e disponibilizado por meio da licença General

  operacionais: Unix, Linux, Windows, Mac OS X, desde que os mesmos tenham instalados a linguagem de programação Hypertext Preprocessor (PHP) integrada uma base de dados de tipo Structured Query Language (SQL), como MySQL, PostgreSQL, etc. É desenvolvido de forma colaborativa por uma comunidade virtual, em nível mundial, que reúne programadores, administradores de sistemas, professores, designers e usuários de todo o mundo. Encontra-se disponível em diversos idiomas, inclusive o português e para que se possa usá-lo, o usuário necessita de um computador com um navegador instalado, tipo Mozilla Firefox,

  Microsoft Internet Explorer, Microsoft Edge, Google Chrome

  , etc. conectado à Internet. O MOODLE procura cobrir três eixos básicos do processo de ensino- aprendizagem:

  Gerenciamento de conteúdo: organização de conteúdos a serem

  • disponibilizados aos estudantes no contexto de disciplinas/turmas, por meio das ferramentas de atividades e recursos;

  Interação entre professor/estudante e estudante/estudante: diversas

  • ferramentas para comunicação e/ou interação entre todos os usuários por meio de fórum, bate-papo, mensagem instantânea, etc.;

  Acompanhamento e avaliação: definição, recepção e avaliação de tarefas,

  • questionários e enquetes, atribuição de notas, cálculo de médias, etc. O quadro mostra o volume de uso da plataforma MOODLE e demonstra claramente que é empregado em larga escala em nível mundial.

  

Quadro 1: Registros de Uso do MOODLE

  Sites Registrados 59.587 Países 221 Cursos 8.463.113 Usuários 77.025.777 Matrículas 195.279.525 Postagens nos fóruns 154.852.770 Recursos 77.155.923 Questões de questionário 349.520.538

  Fonte: Internet - traduzido pelo pesquisado mostra que o Brasil se encontra entre os países que contém mais bases instaladas do MOODLE no mundo.

  

Quadro 2: Países que mais utilizam o MOODLE

  Países Registros Estados Unidos da América 8.337 Espanha 5.617 Brasil 3.827 Reino Unido e Irlanda do Norte 2.855 México 2.339 Alemanha 2.091 Colômbia 1.752 Itália 1.572 Austria 1.453

  Fonte: Internet - traduzido pelo pesquisado MOODLE no Brasil

  

Quadro 3: Uso de LMS Gratuitos no Brasil

Fonte: ABED - Censo EaD.BR 2013/2014

  Como principal ferramenta utilizada nos cursos online, tem-se que a Atividade Questionário, como mostrado no quadro é uma das mais utilizadas, tanto na formulação de questões objetivas quanto nas questões dissertativas.

  

Quadro 4: Recursos e Atividades mais Utilizados

em Cursos online

Fonte: ABED - Censo EaD.BR 2013/2014

  Construindo uma Disciplina no MOODLE

  Após o administrador da plataforma MOODLE criar os cursos, cadastrar os professores e estudantes nas turmas, delegar as permissões de uso monta-se as disciplinas dentro do curso. Os professores têm a liberdade para modificar a estrutura da disciplina conforme seu planejamento ou de acordo com as normas da Instituição, para reproduzir um padrão de cursos e disciplinas já estalecido.

  Os professores podem estruturar suas disciplinas de três maneiras distintas, de acordo com o objetivo estabelecido:

  • Semanal: o curso é disposto em semanas, com datas de início e fim;
  • Tópicos: cada assunto a ser discutido representa um tópico, sem limite de

  tempo pré-definido;

  • Social: o tema é articulado em torno de um fórum publicado na página principal.

  Independente da maneira escolhida para a estrutura da disciplina, sempre se usam os mesmos componentes básicos de gerenciamento e construção: Bloco de Administração, Atividades e Recursos.

  

Quadro 5: Benefícios para Aprendizagem

Fonte: ABED - Censo EaD.BR 2013/2014

  

Tela 1: Bloco de Administração

  A tela mostra a janela da componente de elaboração de Atividades. Sem dúvida, uma das partes do processo que mais será usada pelos professores na elaboração de suas disciplinas. Nela encontra-se o acesso para a criação dos questionários, fórum, chat, tarefas, wiki, etc.

  

Tela 2: Elaboração de Atividades

  

Tela 3: Elaboração de Recursos questões, conforme mostrado na tela juntando-as num Banco de Questões separados de acordo com a semana ou tópico, ou ainda, mantê-las todas juntas na disciplina do curso. Controla-se o número de tentativas de resolução do questionário, e cada uma das tentativas é corrigida imediatamente pelo computador.

  Os questionários podem ser construídos com as questões dispostas de forma aleatória e automática. Dessa forma, os estudantes terão o mesmo questionário com as questões dispostas de forma diferente quando apresentados na tela do MOODLE.

  

Tela 4: Atividade Questionário – Tipos de Questões

  Bloco de Administração - Banco de Questões

  O Banco de Questões que se encontra no Bloco de Administração é uma coleção de questões criadas no MOODLE e podem ser organizadas em categorias, podendo ser importadas de outras instalações do próprio MOODLE ou até mesmo de outros LMS, mesmo que contidas em outros formatos de arquivos. Na figura tem-se um exemplo de como as questões estão armazenadas dentro de uma categoria.

  

Tela 5: Organização das Questões no Banco de Questões

Bloco de Administração - Relatório de Notas

  A avaliação do desempenho dos estudantes é um aspecto muito importante em um LMS. São por meio de relatórios contidos no Bloco de Administração que o professor consegue controlar todos os tipos de avaliações criadas em sua disciplina.

  Pode-se fazer uma análise individual de cada estudante no Relatório de

  Tela 6: Exemplo de Relatório de Notas Existem muito mais ferramentas de Atividades e Recursos no MOODLE, como as listadas na tela mas não é o objetivo dessa dissertação explicá-las. No

  

  site de documentação do MOODLpode-se obter mais informações sobre como usar essas ferramentas. As ferramentas de Atividade de interação como o fórum,

  

chat e wiki, não foram necessárias nesse projeto, pois os encontros presenciais

eram diários em sala de aula, minimizando suas necessidades de uso.

  

APRESENTAđấO DO PROJETO

  A tela mostra o início da tela principal da página do curso, contendo a apresentação do projeto, o bloco de administração, etc. É por meio dessa tela que o estudante entra em contato com a parte EaD da metodologia para a realização das atividades.

  

Tela 7: Apresentação do Projeto no MOODLE

  Procedimentos e Recursos: devido ao fato do sinal da rede wireless

  fornecido pela escola ser fraco na sala de aula, passamos a usar a internet por meio de um aparelho celular configurado como roteador e o pesquisador passou a usar seu próprio datashow, pois nem sempre o equipamento da escola estava à disposição. Essa solução foi recorrente em todos os encontros em sala de aula.

  Registro da aula: o pesquisador reuniu-se com o professor regente e os

  estudantes na sala de aula, para apresentação do projeto, dos objetivos, da metodologia e do sistema de avaliação. Mostrou exemplos de como os materiais didáticos, os vídeos auxiliares e o primeiro QA estariam dispostos na plataforma MOODLE.

  A telamostra o conteúdo trabalhado na primeira semana de treinamento. O

  

  primeiro material didático contém a revisão de sistemas de medidas e o segundo

  

  material didático mostra uma tabela de símbolos e prefixo O primeiro vídeo de

  

  auxílio mostra uma revisão de sistemas de medidas e o SI e o segundo mostra

  

  

Tela 8: Primeira Semana de Treinamento e Revisão

  Instrumentos de Avaliação: QA – Revisão 1 com 5 exercícios propostos.

  Exercício 1 Exercício 2 Exercício 3 Exercício 4

  

Exercício 5

Encaminhamento para próxima aula: continuação do treinamento da plataforma MOODLE.

  Segunda Semana de Treinamento e Revisão Período: 24/06/2014 à 30/06/2014 Objetivo: continuação da apresentação e treinamento do MOODLE Conteúdo: força elétrica e campo elétrico Procedimentos e Recursos: acesso à internet, vídeos, simuladores virtuais.

  Registros da aula: aula expositiva pelo professor regente. Reunião com estudantes, em sala de aula, para esclarecimento de dúvidas.

  A telamostra o conteúdo trabalhado na segunda semana de treinamento. O material didático contém o assunto força e campo elétrico do livro de Física 3:

   O

  primeiro vídeo de auxílio mostra uma revisão de campo elétrico do curso Sei Mais

   o segundo vídeo de auxílio mostra uma aula de campo elétrico do curso de

  e o terceiro vídeo de auxílio mostra um professor inglês

  

  Instrumentos de Avaliação: QA – Revisão 2 com 5 exercícios propostos.

  Exercício 1 Tela 9: Segunda Semana de Treinamento e Revisão

  Exercício 2 Exercício 3

  Exercício 4 Exercício 5

  Encaminhamento para próxima aula: continuação do treinamento da plataforma MOODLE ao longo das férias.

  Primeira Semana de Aplicação Período: 20/08/2014 à 26/08/2014 Objetivo: iniciar a aplicação da metodologia do projeto Conteúdo: corrente elétrica Procedimentos e Recursos: acesso à internet, vídeos Registros da aula: aula expositiva pelo professor regente. Reunião com

  estudantes, em sala de aula, para esclarecimento de dúvidas quanto ao uso do MOODLE.

  A telamostra o conteúdo trabalhado na primeira semana de aplicação. O material didático 1 contém o assunto sobre conceitos fundamentais e grandezas

  

   enquanto

  

  

Instrumentos de Avaliação: QA - 1ª semana de aplicação com 10 exercícios.

  Exercício 1 Tela 10: Primeira Semana de Aplicação

  Exercício 2 Exercício 3 Exercício 4 Exercício 5

  Exercício 6 Exercício 7

  

Exercício 8

Exercício 9

  

Exercício 10

Encaminhamento para próxima aula: no último dia da semana será liberado o conteúdo sobre resistência elétrica e Lei de Ohm.

  Conteúdo: resistência elétrica e Lei de Ohm Procedimentos e Recursos: acesso à internet, vídeos, simuladores virtuais. Registros da aula: aula expositiva pelo professor regente. Em visita a turma,

  na sala de aula, o pesquisador agradeceu a participação e empenho dos estudantes, com o objetivo de mantê-los motivados.

  A telamostra o conteúdo trabalhado na segunda semana de aplicação. O

  

  primeiro material didático trata de resistência elétrica e Lei de Ohm O segundo material didático do livro Física 3: Eletromagnetismo do Grupo de Reelaboração do

   O primeiro

  

  vídeo de auxílio mostra uma revisão sobre a 1ª Lei de Ohe o primeiro simulador trata de um objeto de aprendizagem do Physics Education Technology (PhET)

  

  

Tela 11: Segunda Semana de Aplicação

  Instrumentos de Avaliação: QA - 2ª semana de aplicação com 10 exercícios propostos.

  

Exercício 1

Exercício 2

Exercício 3

  Exercício 4 Exercício 5

  Exercício 6 Exercício 7 Exercício 8

  

Exercício 9

Exercício 10

  Terceira Semana de Aplicação Período: 03/09/2014 à 16/09/2014 Objetivo: continuação da aplicação da metodologia do projeto Conteúdo: associação de resistores Procedimentos e Recursos: acesso à internet, vídeos, simuladores virtuais. Registros da aula: aula expositiva pelo professor regente, onde solicitou ao

  pesquisador que estendesse o prazo de uma semana para quinze dias, devido a eventos ocorridos na escola que culminaram na falta de aulas de física naquela semana.

  A tela mostra o conteúdo trabalhado na terceira semana de aplicação. O

  

  primeiro material didático trata sobre associação de resistore O primeiro vídeo de

  

  auxílio mostra associações de resistores em séri enquanto o segundo vídeo de

  

  O primeiro simulador trata de um objeto de aprendizagem do PhET sobre a

  

  construção de circuitos elétricos simple O segundo simulador mostra um objeto de aprendizagem elaborado pelo Physics and Chemistry by Clear Learning (PCCL),

  

  de caráter qualitativo, sobre circuitos elétricos simples E, por fim, o terceiro simulador, também do PCCL, apresenta um objeto de aprendizagem sobre circuitos

  

  Instrumentos de Avaliação: QA - 3ª semana de aplicação com 10 exercícios

Tela 12: Terceira Semana de Aplicação

  Exercício 1 Exercício 2 Exercício 3

  Exercício 4 Exercício 5

  Exercício 6 Exercício 7

  Exercício 8 Exercício 9

  

Exercício 10

Encaminhamento para próxima aula: no último dia da semana será liberado o conteúdo referente a potência e consumo de energia.

  Quarta Semana de Aplicação Período: 17/09/2014 à 23/09/2014 Objetivo: continuação da aplicação da metodologia do projeto

  

  potência nos aparelhos resistivo O segundo material didático leva a um site que apresenta de forma didática o conceito de potência elétrica para o cálculo do

  

  consumo de energia elétri enquanto o último material didático também

  

  

  e o simulador da Companhia Paranaense de Energia (COPEL) apresenta um programa que é executado no próprio site, para o cálculo da energia elétrica de uma

  

  

Tela 13: Quarta Semana de Aplicação

  

Instrumentos de Avaliação: QA - 4ª semana de Aplicação com 10 exercícios

propostos.

  

Exercício 1

Exercício 2

  Exercício 3 Exercício 4

  Exercício 5 Exercício 6 Exercício 7

  Exercício 8 Exercício 9

  

Exercício 10

Encaminhamento para próxima aula: o professor solicitou que fosse feito

  uma revisão de conteúdo visando a preparação para a prova bimestral que ocorreria no dia 29/09/2014. Conteúdo da prova definida por ele: corrente elétrica, Leis de Ohm, associação de resistores, potência elétrica e energia elétrica consumida.

  Quinta Semana de Aplicação e Revisão Período: 24/09/2014 à 30/09/2014 Objetivo: continuação da aplicação da metodologia do projeto Conteúdo: revisão sobre corrente elétrica, Leis de Ohm, associação de resistores, potência elétrica e energia consumida. Procedimentos e Recursos: acesso à internet, vídeos, simuladores virtuais. Registros da aula: aula expositiva do professor regente que pediu ao

  pesquisador para que fizesse uma revisão de conteúdo, visando a preparação para a prova bimestral que ocorreu no dia 29/09/2014.

  A tela mostra o conteúdo trabalhado na quinta semana de aplicação contendo somente o questionário de avaliação. Nessa semana não foi postado nenhum tipo de material de auxílio, pois os materiais anteriores continuavam a disposição dos estudantes sendo postado apenas o QA.

  Instrumentos de Avaliação: QA - 5ª semana de Aplicação com 10 exercícios propostos.

  

Exercício 1

Exercício 2

  Exercício 3 Exercício 4

  Exercício 5 Exercício 6 Exercício 7

  Exercício 8 Exercício 9

  

Exercício 10

Encaminhamento para próxima aula: após a semana de provas bimestrais,

  fez-se uma reunião para fazer o fechamento do projeto e passagem de notas da parte da avaliação do MOODLE.

  Procedimentos e Recursos: reunião com os estudantes, uso de datashow

  para apresentação das notas de todos os QA contendo a média bimestral parcial referente a aplicação do projeto.

  Registros da aula: apresentação do resultado do projeto e aplicação do segundo questionário.

  A telamostra a composição de notas de todos os questionários avaliativos aplicados na execução do projeto, acompanhado da média final. Conforme combinado com o professor regente, a nota das atividades realizadas na plataforma MOODLE somariam 50% da média final e os outros 50% corresponderiam a nota da prova bimestral, realizada de forma presencial.

  Instrumentos de Avaliação: não se aplica nessa semana. Encaminhamento para próxima aula: final da aplicação do projeto.

  Tela 15: Notas Finais da Aplicação do Projeto

  

REFERÊNCIAS

  ABED. Relatório analítico de aprendizagem a distância no Brasil. Censo EaD.BR 2013/2014. Disponível em: Acesso em: 13 abr. 2015

MOODLE. Disponível em: Acesso em: 12 mai.

  2015

  Ferramentas do LMS MOODLE. Disponível em:

   Acesso em: 12 mai. 2015 MÁXIMO, A.; ALVARENGA, B. Curso de física. vol 3. São Paulo: Scipione, 2011

  ANEXO 1 QUESTIONÁRIO 1: PERFIL SÓCIO-INVESTIGATIVO

  

ANEXO 2

QUESTIONÁRIO 2: AVALIAđấO DA PLATAFORMA COLABORATIVA MOODLE

Novo documento

Tags

Documento similar

Departamento de Linguística, Português e Línguas Clássicas – LIP Programa de Pós-Graduação em Linguística - PPGL O uso de recursos semióticos em videoclipes: novas perspectivas
0
0
117
UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, CONTABILIDADE E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO E DOCUMENTAÇÃO (FACE) PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO (PPGA) Daniel Mendes Pinto
0
0
231
O USO DE ORGANIZADORES PRÉVIOS ELABORADOS COM TRECHOS DE TEXTOS HISTÓRICOS ORIGINAIS COMO RECURSO DE ENSINO
0
0
109
O USO DE NANOESFERAS DE ALBUMINA NA TERAPIA FOTODINÂMICA E MAGNETOHIPERTERMIA DO TUMOR DE EHRLICH
0
0
126
UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOÉTICA MARCELLO VIEIRA LASNEAUX
0
0
134
O USO DE ESTRATÉGIAS DE COMUNICAÇÃO (EC) EM TAREFAS ORAIS EM LÍNGUA INGLESA (LI) GIOVANA MARINHO FERREIRA
0
0
163
O USO DE CANÇÕES COMO FERRAMENTA PEDAGÓGICA PARA O ENSINO CRÍTICO EM LÍNGUA ESTRANGEIRA: UMA EXPERIÊNCIA NAS AULAS DE INGLÊS SIMONE LIMA GOMES
0
0
190
O USO DE ALGORITMOS E DE SISTEMAS PARAMÉTRICOS NA CONCEPÇÃO ARQUITETÔNICA DE PEQUENAS RESIDÊNCIAS
0
0
147
O USO DAS LINGUAGENS AUDIOVISUAIS NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA PERSPECTIVA CURRICULAR HELENA NARCISO DA SILVA
0
0
125
O USO DA RESSONÂNCIA MAGNÉTICA NO ESTADIAMENTO DO CÂNCER DE BOCA
0
0
88
O USO DA PALAVRA EM NATHALIE SARRAUTE
0
0
157
MÁRCIA MARIA SILVA DE LIMA O USO DA INFORMAÇÃO CONTÁBIL NO SETOR SUCROALCOOLEIRO: Um Estudo nas Indústrias de Alagoas
0
0
107
O USO DA GAMIFICAÇÃO COMO ESTRATÉGIA DIDÁTICA NA CAPACITAÇÃO DE PROFESSORES PARA O USO DE SOFTWARES EDUCATIVOS
0
0
94
O uso da folksonomia na organização e recuperação da informação fotográfica: o caso do acervo da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura - CONTAG ALESSANDRA DOS SANTOS ARAÚJO
0
0
106
O USO DA ESTIMULAÇÃO MAGNÉTICA TRANSCRANIANA DE BAIXA FREQUÊNCIA NO TRATAMENTO DA DEPRESSÃO NO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DE BRASÍLIA Achados preliminares
0
0
5
Show more