BRUNA SALAMI DINÂMICA DO COMPONENTE ARBÓREO EM UM FRAGMENTO DE FLORESTA OMBRÓFILA MISTA MONTANA EM LAGES, SC

0
0
61
2 months ago
Preview
Full text

BRUNA SALAMI DINÂMICA DO COMPONENTE ARBÓREO EM UM FRAGMENTO DE FLORESTA OMBRÓFILA MISTA MONTANA EM LAGES, SC

  BRUNA SALAMI DINÂMICA DO COMPONENTE ARBÓREO EM UM FRAGMENTO DE FLORESTA OMBRÓFILA MISTA MONTANA EM LAGES, SCDissertação apresentada como requisito parcial para obtenção do título de Mestreno Curso de Pós-Graduação em Engenharia Florestal do Centro deCiências Agroveterinárias da Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC. Título CDD: 634.9 Ficha catalográfica elaborada pela Biblioteca Setorial do CAV/UDESC – 20.ed.

BRUNA SALAMI

MONTANA EM LAGES, SC

  O presente estudo teve como principal objetivo avaliar a dinâmica da comunidade de espécies arbóreas, em um fragmento de FlorestaOmbrófila Mista Montana, no Município de Lages, SC, ao longo de um período de quatro anos (2008-2012). A estruturação espacial das taxas de dinâmica foi avaliadapor meio de correlogramas de I de Moran e a influência dos fatores ambientais verificada através de árvores de regressão.

2 Dióxido de carbono

CTC Capacidade de troca catiônicaCTS Climácicas Tolerantes ao SombreamentoDAP Diâmetro na altura do peitoFOM Floresta Ombrófila MistaGPS Sistema de Posicionamento Global ha Hectare IBGE Instituto Brasileiro de Geografia EstatísticaInd Indivíduos m Metrom

2 Metro quadrado

  mm Milímetro o C Graus CelsiusP PioneirasSB Soma de bases trocáveisSC Santa Catarina V Soma de base SUMÁRIO 1 INTRODUđấO GERAL ......................................................... 20 2.4.1 Caracterização da área de estudo ...........................................

1 INTRODUđấO GERAL

  A exploração intensiva de madeiras de grande valor econômico, de espécies como Araucaria angustifolia (pinheiro- brasileiro), Ocotea porosa (Mez) L. Tendo em vista a necessidade de recuperação e conservação dos remanescentes de Floresta com Araucária, estudos sobre a ecologia decomunidades de espécies arbóreas nestes ambientes se tornam essenciais para subsidiar qualquer estratégia de intervenção.

MONTANA EM LAGES, SANTA CATARINA

  2.1 RESUMOO presente estudo teve como principal objetivo avaliar a dinâmica de populações de espécies arbóreas, em um fragmento de FlorestaOmbrófila Mista Montana, no Município de Lages, Santa Catarina (SC), ao longo de um período de quatro anos (2008-2012). A existência de associação significativa entre as guildas de regeneração e os padrões de dinâmica foi verificada pormeio de testes de qui-quadrado, aplicados a tabelas de contingência.

2.4.1 Caracterização da área de estudo

  No período de 2008 a 2012, as taxas de mortalidade e de recrutamento foram respectivamente de 1,23%.ano e 1,77%.ano , o que resultou num aumento de 1.841 a 1.882 ind.ha , representando uma mudança líquida positiva de 2,18%. A taxa de ganho em área basal, de 2,93% ano , foi aproximadamente três vezes superior à taxa de perda, de 0,97% ano , resultando em um incremento de 36,17 m .ha para 2 -1 39,17 m .ha , que representou uma mudança líquida positiva de 6,67%.

2 O padrão observado de estruturação do componente arbóreo

  Figueiredo-Filho (2010), analisando a dinâmica de 11 áreas de FOM, distribuídas et al.nos três estados do Sul do Brasil, verificaram que, de modo geral, ocorreu incremento em área basal, com a taxa de mortalidade variandoentre 1 a 2%, e a taxa de ingresso com uma média de quase 3% ao ano. As proporções do número de indivíduos e de espécies nas guildas de regeneração não se alteraram significativamente entre os anosde avaliação (Tabela 2.5), sendo que a maioria dos indivíduos e espécies pertenceram ao grupo das Clímax Exigentes em Luz, seguida, em menorproporção, por Clímax Tolerantes a Sombra e, finalmente, as Pioneiras.

3 ESTRUTURAđấO ESPACIAL E

  Arelação entre as taxas de dinâmica foi verificada por meio de testes de correlação, as distribuições das taxas em classes de frequência foramexaminadas por meio de histogramas, a estruturação espacial foi avaliada por meio de correlogramas de I de Moran e a influência dosfatores ambientais analisada por meio de árvores de regressão. A dinâmica florestal ocorreu de formaespacialmente aleatória na área de estudo, a taxa de ganho em área basal foi maior nos locais com menores valores de cobertura do dossel(<80,63%) e a taxa de rotatividade em área basal foi maior nos locais com maiores valores de soma de base do solo (≥61,77%).

3.4.2 Amostragem da vegetação

  A comunidade arbórea, com diâmetro na altura do peito (DAP) maior ou igual a 5 cm, foi amostrada no ano de 2008, em 50 parcelas 2 permanentes de 10x20 m (20 m ), totalizando 1 ha de área amostrada. Assim, foi incorporado os novos indivíduos que atingiram a classe de di âmetro estipulada (DAP ≥ 5 cm), que foram identificados, medidos e plaqueteados.

3.4.3 Caracterização ambiental

  A base de dados foi composta pelos dados de caracterização topográfica, dos solos e da cobertura do dossel conduzida por Higuchi et al . Foi realizado um levantamento topográfico em cada parcela, com auxílio de trena, bússola, clinômetro eGPS, a partir do qual foram definidas três variáveis topográficas calculadas segundo metodologia sugerida por Oliveira-Filho et al.

3.4.4 Análise dos dados

  As taxas de rotavidade para número de individuos e área basal, que indicam a velocidade da dinâmica, foram, respectivamente, de 1,45%.ano e Tabela 3.1 – Taxas médias de dinâmica (n=50) de uma comunidade de espécies arbóreas em um fragmento de Floresta Ombrofila Mista, em Lages, SC. Além disso, observa-se ausência de correlação significativa (p > 0,05) entre as taxas de recrutamento eganho em área basal, entre as taxas de mortalidade e recrutamento e entre as taxas de perda e de ganho em área basal, o que indica ausênciade associação entre as mesmas, sugerindo que ocorrem de forma independente no fragmento.

4 CONCLUSÃO GERAL

  Também foi possívelobservar a estabilidade florística na área, devido à baixa substituição de espécies e manutenção da participação das guildas de regeneração nosdiferentes anos, sugerindo, assim, que o fragmento encontra-se próximo ao seu clímax florístico-sucessional. Desta forma, informações sobre as taxas de dinâmica, tendências das populações em um contexto de guildas de regeneração,além da estruturação espacial, são muito importantes para que se possa verificar como o componente arbóreo está se comportando ao longo dotempo.

RECENT ACTIVITIES

Tags

Documento similar

DINÂMICA ESTRUTURAL EM UM FRAGMENTO DE FLORESTA ESTACIONAL SEMIDECIDUIFÓLIA EM LAVRAS, MG, BRASIL.
0
6
8
ESTRUTURA VERTICAL DO COMPONENTE ARBÓREO EM FASE DE REGENERAÇÃO DE UM TRECHO DE FLORESTA DECIDUAL, SC
0
0
11
ESTRUTURA DO COMPONENTE ARBÓREO EM 15 HA DE PARCELAS PERMANENTES DE FLORESTA DENSA DE TERRA FIRME NA AMAZÔNIA CENTRAL
0
0
13
RIQUEZA DE ESPÉCIES DE SUB-BOSQUE DE UM FRAGMENTO DE FLORESTA OMBRÓFILA MISTA EM TIJUCAS DO SUL, PR
0
0
10
MODIFICAÇÕES FLORÍSTICO-ESTRUTURAIS DE UM REMANESCENTE DE FLORESTA OMBRÓFILA MISTA MONTANA NO PERÍODO ENTRE 1979 E 2000
0
0
21
FLORÍSTICA E CLASSIFICAÇÃO DA REGENERAÇÃO NATURAL EM FLORESTA OMBRÓFILA MISTA NA FLORESTA NACIONAL DE SÃO FRANCISCO DE PAULA, RS
0
0
13
RELAÇÕES FLORÍSTICAS E FITOSSOCIOLOGIA DE UMA FLORESTA OMBRÓFILA MISTA MONTANA SECUNDÁRIA EM LAGES, SANTA CATARINA FLORISTICS RELATIONS AND PHYTOSOCIOLOGY OF A SECONDARY MONTANE ARAUCARIA FOREST FRAGMENT IN LAGES, SANTA CATARINA STATE Ana Carolina da Silv
0
0
14
AVALIAÇÃO ESTACIONAL DA DEPOSIÇÃO DE SERAPILHEIRA EM UMA FLORESTA OMBRÓFILA MISTA LOCALIZADA NO SUL DO ESTADO DO PARANÁ
0
0
8
DINÂMICA DE POPULAÇÕES DE ESPÉCIES ARBÓREAS EM UM FRAGMENTO DE FLORESTA OMBRÓFILA MISTA MONTANA EM LAGES, SANTA CATARINA THE DYNAMICS OF TREE SPECIES POPULATION IN A MONTANE ARAUCARIA FOREST FRAGMENT IN LAGES, SANTA CATARINA STATE Bruna Salami1 Pedro Higu
0
0
12
ATRIBUTOS FUNCIONAIS DE ESPÉCIES ARBÓREAS EM UM FRAGMENTO DE FLORESTA OMBRÓFILA MISTA EM LAGES - SC FUNCTIONAL TRAITS OF TREE SPECIES IN A FRAGMENT OF ARAUCARIA FOREST IN LAGES, SANTA CATARINA STATE Francieli de Fátima Missio1 Ana Carolina da Silva2 Pedro
0
0
10
ELEMENTOS DA PAISAGEM COMO FONTE DE HETEROGENEIDADE FLORÍSTICO- ESTRUTURAL DO COMPONENTE ARBÓREO EM ÁREA DE FLORESTA OMBRÓFILA MISTA LANDSCAPE ELEMENTS AS A SOURCE OF FLORISTIC-STRUCTURAL HETEROGENEITY OF THE TREE COMPONENT IN AN AREA OF OMBROPHILOUS MIXE
0
0
13
DEMOGRAFIA DO COMPONENTE ARBÓREO EM UMA FLORESTA OMBRÓFILA MISTA ALTO-MONTANA SUJEITA A PERTURBAÇÕES ANTRÓPICAS CRÔNICAS
0
0
9
DESMATAMENTO EM FLORESTA OMBRÓFILA MISTA NA REGIÃO SERRANA DE SANTA CATARINA
0
0
12
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA INSTITUTO DE BIOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECOLOGIA E CONSERVAÇÃO DE RECURSOS NATURAIS FLORÍSTICA, ESTRUTURA E ASPECTOS ECOLÓGICOS DO ESTRATO ARBÓREO E REGENERATIVO DE UM FRAGMENTO DE FLORESTA SEMIDECIDUAL EM ITU
0
0
46
ABELHAS VISITANTES FLORAIS EM UM FRAGMENTO DE FLORESTA ESTACIONAL SEMIDECIDUAL EM UBERLÂNDIA-MG Isabel Farias Aidar
0
0
81
Show more