RETOMANDO A AULA ANTERIOR

Livre

0
0
55
9 months ago
Preview
Full text

  

CURSO : ADMINISTRAđấO /UNAES/2016

PROCESSOS LOGÍSTICOS

  

AULAS 2.4

MOVIMENTAđấO DE CARGAS

SISTEMA INOVADOR DA KROTON

  

Com objetivo de atender aos novos desafios da Educação Superior, a

Kroton desenvolveu um sistema de ensino inovador, que está pautado

em três grandes alicerces:

  a) promoção da empregabilidade dos alunos;

  b) foco em qualidade e inovação e; c) oferta em escala.

AULAS INVERTIDAS

  São três tempos didático:

  a) Pré-aula;

  b) Aula e; c) Pós-aula.

  

Pensados para promover interação, aprendizado coletivo e uso

dos saberes (saber, fazer, ser e conviver) por meio da

problematização e da imersão em situações concretas da

realidade profissional.

  RETOMANDO A AULA ANTERIOR

  AULA 2.3: Movimentação de Cargas

  Ferroviário; 

  

Tipos de Modais

  • Rodoviário;
  • Fluvial;
  • Aéreo;

  Marítimo; 

  Dutoviário Para Inicio de Conversa.

  

Vantagens e desvantagens do modal Rodoviário

Vantagens

  Desvantagens

Acessibilidade, pois conseguem chegar Maior investimento do governo na

em quase todos os lugares do território infraestrutura das rodovias se comparada

brasileiro. aos outros modais.

Flexibilidade em organizar a rota. Alto custo de frete, por causa do impacto

direto que pedágios e alto valor do combustível geram.

Facilidade para contratar ou organizar o Maiores chances de a carga ser

transporte. extraviada, por causa de roubos e acidentes.

  

Maior possibilidade de controle no tempo Muito poluente, com forte impacto

de entrega confiável. ambiental.

  

Integra todos os estados brasileiros. Baixa capacidade de carga com limitação

de volume e peso.

  

Vantagens e desvantagens do modal Ferroviário

Vantagens

  Desvantagens Baixo custo, porque tem baixa incidência de taxas e utiliza combustíveis mais baratos.

  Baixa velocidade em que os trens trafegam nas vias férreas.

  Grande capacidade de carga. Rotas fixas e inalteráveis. Menor risco de acidentes e maior segurança no transporte da carga.

  Necessita de outros modais para finalizar o processo de transporte.

  

Modal aquaviário

AQUAVIÁRIO Fluvial ou Hidroviário Utilizando as hidrovias e rios navegáveis.

  Lacustre Transporte que se dá através de lagos.

  Marítimo Longa Distância Transporte no mar entre diferentes países e/ou continentes.

  Cabotagem Navegação entre portos de um mesmo país ou a distâncias pequenas, dentro das águas costeiras.

  

Modal Dutoviário

Oleoduto Transporte de produtos líquidos, exemplo: gasolina, álcool, Dutoviário nafta, GLP, diesel.

  Minerodutos Transporte de produtos sólidos, exemplo: sal-gema(Cloreto de Sódio, Potássio, Magnésio); ferro; concentração fosfático.

  Gasodutos Transporte de produtos líquidos, exemplo: gás natural. O Gasoduto Brasil-Bolívia (3.150 km de extensão) é um dos maiores do mundo.

  

Modal Aéreo

O transporte aéreo tem tido uma demanda crescente de usuários no segmento de cargas

com serviço regular, mesmo o seu frete ultrapassando o valor do rodoviário mais de três

vezes e quatorze vezes o do ferroviário.

A vantagem do modal aéreo está em sua velocidade sem paralelo, principalmente para

longas distâncias.

  

A capacidade do transporte aéreo foi sempre limitada pelas dimensões físicas dos

porões e pela capacidade de carga dos aviões. Estas restrições vão sendo amenizadas,

entretanto, à medida que aeronaves maiores entram em serviço. O transporte aéreo é

  

Modais de Transporte

representa o

  • A atividade de transporte

  elemento mais visível e importante do custo logístico na maior parte das empresas. cerca de 60% do

  • O frete costuma absorver gasto logístico .

  aproximando

  • Integra o sistema logístico,

  fornecedores e clientes geograficamente isolados e assim tornando-se um redutor de custos da cadeia de abastecimento.

  Unimodal

  Quando a unidade de carga é transportada

  

diretamente, utilizando um único veículo, em uma

única modalidade de transporte e com apenas um

contrato de transporte.

  É a forma mais simples de transporte.

  Multimodalidade operação integrada , atribuída ao

  • É uma

  operados de transporte multimodal (OTM) ou transitário de cargas, envolvendo mais de uma forma de transporte durante uma mesma viagem. Incluída em um só

  • Toda a Viagem conhecimento (bilhete) .

  operador é responsável por toda a

  • O

  operação , assumindo todos os riscos desde a origem até seu destino final.

  • É a integração logística perfeita de todos os

    modais.

  

Intermodalidade

Utilização seqüencial de duas ou mais formas de

transporte para completar um movimento coordenado de mercadorias e pessoas de uma origem a um destino final recorrendo em cada um deles a um conhecimento (bilhete) diferente .

  ARMAZENAGEM A armazenagem se define como:

  [...] denominação genérica e ampla, que inclui todas as atividades de um ponto destinado à e a

  guarda temporária

distribuição de materiais (depósitos, centros de distribuição

etc.).

  E estocagem como uma das atividades do fluxo de

materiais no armazém e ponto destinado à locação estática

  dos materiais. Dentro de um armazém, podem existir vários pontos de estocagem (MOURA, 1997).

MODELO NOVOS DE ARMAZEM

  A armazenagem tem passado

  por profundas transformações nos últimos anos.

  Essas mudanças se refletem na

  adoção de novos sistemas de

  aplicados à gestão

  informação

  da armazenagem, em sistemas automáticos de movimentação e separação de produtos e até mesmo na revisão do conceito do armazém como uma instalação com a principal finalidade de estocar produtos (FLEURY et al., 2000).

  

Como Endereçar seu Armazém

cidades identificam as moradias

  A forma como as aplica-se, de forma análoga, aos endereços dentro de um armaz ém : ruas, números de casas e edifícios, andares e números de apartamentos são perfeitos para identificar corredores (ruas), módulos (edifícios), nível (andar) e vão (apartamento).

  EVITAR!

Um princípio importante no conceito de endereçamento de armazéns é

o uso de letras evitar .

  

Estas são limitadas , confusas e não fazem uma referência direta de

localização em nossa mente.

  Por exemplo , se uma pessoa estiver na rua 4 e precisar direcionar-se até

a rua 14, imediatamente ela sabe que precisará deslocar-se dez ruas. Mas,

se estiver na rua “D” e precisar ir até a rua “O”, quantas ruas terá de deslocar-se? O cálculo fica muito mais demorado.

COMO FUNCIONA NA PRATICA

  Vamos “mergulhar” SITUAđấO DA REALIDADE PROFISSIONAL (SR):

  O QUE É MOVIMENTAđấO?

  MOVIMENTAđấO DE CARGAS COMPREENDE AS OPERAđỏES DE ELEVAđấO, TRANSPORTE E DESCARGA

DE OBJETOS OU MATERIAIS, QUE PODE SER

  EFETUADA MANUALMENTE OU COM RECURSO A SISTEMAS MECANICOS. Movimentação de carga Mecânica

  Permite que de um modo planejado e seguro, e com algum recurso , movimentar cargas de um determinado ponto a outro. Esta operação compreende como:

  • Elevação ou carregamento
  • Manobra livre ou movimentação
  • Assentamento ou descarga

  

O QUE DEVEMOS SABER PARA INCIAR UMA MOVIMENTAđấO DE CARGA

  • O QUE VAMOS MOVIMENTAR;
  • ONDE VAMOS TRABALHAR;
  • QUANDO VAI OCORRER;
  • COMO VAMOS PROCEDER; Ễ CUIDADOS DURANTE A MOVIMENTAđấO;
  • CARGA MAXIMA; • EQUIPAMENTOS UTILIZADO.

  PRINCIPAIS CUIDADOS NA MOVIMENTAđấO DE CARGAS

  A NR 11 É A NORMA DE SEGURANÇA, PARA OPERAđấO DE ELEVADORES QUINDASTES,

  TRANSPOTADORES INDUSTRIAIS E MAQUINAS TRANSPORTADORAS. OS EQUIPAMENTOS UTILIZADOS NA MOVIMENTAđấO DE MATERIAIS, DEVEM SER CALCULADOS E CONTRUIDOS DE MANEIRA A OFERECER, GARANTIA, SEGURANÇA E DEVEM SER CONSERVADOS EM PERFEITAS CONDIđỏES

DE TRABALHO

  OS CABOS DE AÇOS,

CORDAS, CORRENTE,

  ROLDANAS E GANCHOS, DEVERÃO SER

  INSPECIONADOS, PERMANENTEMENTE, E

SUBDTITUIDO AS PARTES DEFEITUOSAS.

  TODOS OS EQUIPAMENTOS DEVEM TER

  INDENTIFICAđấO DA

CARGA MAXIMA DE

  O OPERADOR

OS OPERADORES DEVEM:

  • TER TREINAMENTO

DADO PELA EMPRESA;

  • SER ABILITADO;
  • PORTAR CARTÃO DE INDENTIFICAđấO.

  Os equipamentos motorizados devem ter sinal sonoro (buzina).

  Os equipamentos transportadores industriais devem ser inspecionados, e receber manutenção Freqüentemente. Em locais fechados ou com pouca ventilação, a emissão de gases tóxicos, por maquinas transportadoras, devem ser controladas evitando limites acima do permitido.

  Modulação, Unitização, Acondicionamento de Cargas Objetivo:

Visa facilitar e padronizar a movimentação de materiais,

desde o seu fornecedor até o seu cliente final.

  

A administração do fluxo de materiais fica facilitada

necessitando menos tempo para carga e descarga.

  Modulação de Carga: Unitização Vantagens: A união de produtos em cargas de volumes unitários, possibilita a racionalização do espaço útil, maior agilidade e segurança em processos de desembarque e embarque.

  Portanto, as cargas unitizadas devem possuir o maior tamanho possível, compatível com os equipamentos de movimentação.

  Modulação de Cargas Tipos de Modulação: Modulação externa: Consiste em  assumir um padrão de carga próprio, fazendo com que os meios de transporte se adaptem a ela.

   Modulação Interna: É o oposto  da anterior, pois baseados nos meios externos de transporte, é que se faz a modulação.

  Vantagens da Modulação de Cargas Volume:

  

Utilização dos espaços verticais com liberação de área para a

produção e elevação da capacidade de armazenamento.

   Segurança:

Redução dos acidentes com pessoas que trabalham com

movimentação de cargas.

  • Economia de até 40% dos custos de movimentação de cargas.

   Custos:

   Proteção:

Melhor qualidade no acondicionamento das mercadorias e

redução das perdas.

  

Vantagens da Modulação de Cargas

Velocidade:

  

Redução do tempo de deslocamento e elevação da velocidade de

atendimento aos clientes.

   Racionalização:

Redução substancial dos custos de transporte pela redução

drástica do tempo de carga e descarga dos caminhões.

   Valorização:

Deslocamento dos operários para as atividades produtivas que

acrescentam valor ao produto.

  Modulação de Cargas: Embalagens UNIAP – Unidade de Apresentação (PRIMÁRIA) Contato direto com o produto e, portanto, deve haver  compatibilidade entre os materiais do produto e da embalagem.

  • Ex: Caixa de 1kg de sabão em pó.

  Embalagem do produto adquirido pelo cliente final.

  UNICOM – Unidade de Comercialização (SECUNDÁRIA) Envolve a unidade de apresentação é com a qual o produto se

  • apresenta ao cliente intermediário (ponto-de-venda, loja, …).

  Embalagem com várias UNIAP. 

Ex: Caixa de Papelão contendo 20 caixas de 1kg de sabão em

pó.

  Modulação de Cargas: Embalagens UNIMOV – Unidade de Movimentação (TERCEÁRIA) Múltiplo da embalagem de comercialização, para ser

  • movimentada racionalmente por equipamentos mecânicos.

  Embalagem com várias UNICOM, usada para transporte.  Ex: Paletes com 18 caixas de 20kg de sabão em pó armazenados em galpões de supermercados ou distribuidores.

  QUARTENÁRIA: Envolve uma quantidade de embalagens terciárias de um produto, facilitando assim a armazenagem e o transporte.

  QUINTENÁRIA: Unidade conteneirizada ou especial para envio a longa distância.

  PALETE ou PALLET Modulação de Carga: PALETIZAđấO (palletization) : Modulação de carga unitária sobre um palete para facilitar a movimentação mecânica com o uso de garfos de empilhadeira. e estocagem.

  PALETE ou PALLET Modulação de Carga: Palete cativo (captive pallet): Para uso confinado em instalação única.

  Palete de intercâmbio (exchange pallet):

De múltiplo uso para um grupo de embarcadores e recebedores.

  Palete reciclável (recycled pallet): Para voltar a ser utilizado é reparado ou refeito Palete retornável (returnable pallet):

Projetado para ser utilizado em mais de uma viagem (múltiplo

uso) Palete reutilizável (reusable pallet):

Normalmente feito de madeira, depois de passar por inspeções e

reparados voltam a ser utilizados

  FILME e PRÉ-LINGADO Modulação de Carga: Filme Stretch (PELBD - polietileno linear baixa densidade) Pré-lingagem (amarração ou cintamento) Envolvimento da carga por redes especiais ("slings") ou cintas com alças adequadas à movimentação por içamento.

  

Movimentação de Carga

Objetivo:

Na produção ou distribuição de um produto, três

elementos básicos do processo produtivo devem estar em

movimento: HOMEM, MÁQUINA e MATERIAL.

  Fonte: curso de movimentação de cargas do SENAI/FIEB

  Carrinho porta-pallet Walkie Low Lift Pallet Truck

  Outros nomes: Paleteira, Transpaleteira, Transpalete, Carrinho hidráulico, Jacaré hidráulico,

  Paleteira manual hidráulica Equipamentos de movimentação de cargas

  

Empilhadeira manual hidráulica

Equipamentos de movimentação de cargas

  Empilhadeira mecanizada Equipamentos de movimentação de cargas

  Modelos de Empilhadeiras e Carrinhos porta-pallet (mecanizados) Fonte: Clark Equipamentos

  Equipamentos de movimentação de cargas

  Comboio TRATOR

  Equipamentos de movimentação de cargas

  Esteira Transportadora Transportador Horizontal com Corrente Modular Plástica

  Transportador em Curva com Roletes Motorizados Equipamentos de movimentação de cargas

  

Monovia

Equipamentos de movimentação de cargas

  

Pórtico

Equipamentos de movimentação de cargas

  

Guindaste

Equipamentos de movimentação de cargas

  Movimentação de carga no trabalho Portuário

  • Os gases inflamáveis ou tóxicos devem ser depositados em lugares adequadamente ventilados e protegidos contra as intempéries,incidências dos raios solares e água do mar,longe de habitações e de qualquer fonte de ignição e calor que não esteja sob controle.

  patola) https://www.youtube.com/watch?v=m-vHAGUJNPQ Empilhadeiras (frontal, lateral, https://www.youtube.com/watch?v=-S9t2_3bqJw Equipamentos Vídeos Movimentações https://www.youtube.com/watch?v=g2eGzgBkIt8 https://www.youtube.com/watch?v=_gMPnV3wH10 https://www.youtube.com/watch?v=eaUe1E8z5bY7 Paleteira manual https://www.youtube.com/watch?v=Pl0N4SaP6n0 Carrinhos industriais https://www.youtube.com/watch?v=iigiAry4uUo https://www.youtube.com/watch?v=YxoLfMUH2cg Transpaleteira elétrica https://www.youtube.com/watch?v=U_mbuxzGpuU https://www.youtube.com/watch?v=knAgW3r3baY https://www.youtube.com/watch?v=EsreaVG_Oi8 Guindastes https://www.youtube.com/watch?v=wtS_KbCkIaw Talhas https://www.youtube.com/watch?v=4HjDrdh4r8E https://www.youtube.com/watch?v=pJpl-nVI9ww Ponte rolante https://www.youtube.com/watch?v=nzdooJJioPs https://www.youtube.com/watch?v=7MdFKsVaLh0 https://www.youtube.com/watch?v=rUhhaFaBYiA Transportadores de esteira https://www.youtube.com/watch?v=uVEWr7kukOU Monovia https://www.youtube.com/watch?v=wCHoIKwIOek https://www.youtube.com/watch?v=00Z38E1sdjU Ship Loader https://www.youtube.com/watch?v=IhDAO6lfDMk https://www.youtube.com/watch?v=g2EI-Fnu0rM https://www.youtube.com/watch?v=OBykUId5Ido

  

Dividir em grupos: Leitura e resolução de situações

relacionadas ao conteúdo.

  Se você quiser mais

algum esclarecimento

ou ajuda, não deixe de

fazer contato!

  FUI...

  

Adm.antoninosalvatierra@gmail.com

Novo documento

Tags

Documento similar

A Novel Synthesis Route of Mesoporous γ-Alumina from Polyoxohydroxide Aluminum
0
0
8
A Comparative Analysis of BaTiO
0
0
5
A new computational tool for the follow up of mechanized excavation of tunnels: the case study of the subway line 5-LILAC in São Paulo, Brazil
0
0
9
A fuzzy logic-based expert system for substrate selection for soil construction in land reclamation
0
0
7
A CONJUGAÇÃO DE VERBOS IRREGULARES POR CRIANÇAS FALANTES NATIVAS DE PORTUGUÊS BRASILEIRO: UM ESTUDO SOB O VIÉS DA FONOLOGIA E MORFOLOGIA LEXICAL
0
0
22
CONJUGATION OF IRREGULAR VERBS BY NATIVE BRAZILIAN PORTUGUESE SPEAKING CHILDREN: A STUDY IN THE LIGHT OF LEXICAL PHONOLOGY AND MORPHOLOGY
0
1
22
A AQUISIÇÃO DAS VOGAIS PRETÔNICAS EM PORTUGUÊS BRASILEIRO
0
0
32
Souza-Cardoso e Boccioni: movimentos analógicos em confronto Souza-Cardoso and Boccioni: A Comparison of Similar Movements
0
0
16
Souza-Cardoso and Boccioni: A Comparison of Similar Movements Souza-Cardoso e Boccioni: movimentos analógicos em confronto
0
0
16
A vanguarda florentina de Lacerba e Portugal Futurista: afinidades e divergências The Florentine Vanguard of Lacerba and Portugal Futurista: Affinities and Differences
0
0
19
The Florentine Vanguard of Lacerba and Portugal Futurista: Affinities and Differences A vanguarda florentina de Lacerba e Portugal Futurista: afinidades e divergências
0
0
19
A ironia como zona de confronto entre diferentes vozesdizeres em comentários do Facebook Irony as a Zone of Confrontation between Different VoicesVoicings in Facebook Comments
0
0
23
Irony as a Zone of Confrontation between Different VoicesVoicings in Facebook Comments A ironia como zona de confronto entre diferentes vozesdizeres em comentários do Facebook
0
0
26
Novos percursos da ciência: as modificações da divulgação científica no meio digital a partir de uma análise contrastiva New Paths for Science: A Contrastive Discourse Analysis of Modifications in Popularizing Science through Digital Media
0
0
23
New Paths for Science: A Contrastive Discourse Analysis of Modifications in Popularizing Science through Digital Media Novos percursos da ciência: as modificações da divulgação científica no meio digital a partir de uma análise contrastiva
0
0
28
Show more