UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS FACULDADE DE LETRAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS E LINGUÍSTICA LUCILA MARIA OLIVEIRA DA COSTA

0
0
116
2 months ago
Preview
Full text

Linguagem

  Dissertação apresentada ao Programa de PósGraduação em Letras e Lingüística daUniversidade Federal de Alagoas como requisito parcial para a obtenção do título demestre. O fazer texto : reflexões sobre o conceito de texto a partir Hjelmslev e da aquisição da linguagem / Lucila Maria Oliveira da Costa.

AGRADECIMENTOS

  Agradeço a minha família: meu pai Gerdson, minha mãe Marileide, minha irmã Beatriz e minha avó Luzia, que me deixaram a vontade para apenas estudar, sem me incomodar comoutras coisas de casa. E, agradeço especialmente, a professora Núbia Faria, que me ajudou a entender Hjelmslev, Saussure e De Lemos, além de me incentivar a não desistir da empreitada a que me pretendi.

RESUMO

  O conceito hjelmsleviano de texto, considerado ponto de origem para a reflexão sobre o texto na Linguística moderna (cf. BENTES & REZENDE, 2008), é marcado pelo que Badir (2005)chama de desespero de inseri-lo na Glossemática, sem haver a fuga aos pressupostos do estruturalismo. É justamente pensando na naturezadessa sujeito que a Aquisição de Linguagem, mais precisamente o Interacionismo, surgido das reflexões de De Lemos é convocado para integrar-se a Hjelmslev, iluminando, assimprincipalmente produções escritas de cunho enigmático, não explicáveis pela via daLingustica Textual, mas que podem ser consideradas textos, por serem atos regidos pelo esquema.

RESUMEN

  El concepto de texto de Hjelmslev, considerado el punto de origen para la reflexión sobre el texto en la Lingüística moderna (cf. Bentes & Rezende, 2008), es marcado por lo que Badir(2005) llama de desesperación de insertarlo en la Glosemática sin tener que escapar a los supuestos del estructuralismo. Es pensando en la naturaleza de este sujeto que la Adquisición del Lenguaje, más precisamente el Interaccionismo, que surgió delas reflexiones de De Lemos, es llamado a integrarse con Hjelmslev, iluminando, de esa manera, principalmente las producciones enigmáticas, no explicables por medio de laLingüística Textual, pero que pueden ser consideradas textos, ya que son actos regidos por el esquema.

LISTA DE FIGURAS

SUMÁRIO

  Figura A – Produção escrita de M. 38Figura 5 – Atividade de análise lingustica de JB ...........................................................102Figura 6 – Produção escrita de JB ..................................................................................103Figura 7 – Fragmento da produção escrita de E.

Hjelmslev e Interacionismo ...................................................................................................72

3.1 SAUSSURE, HALLIDAY E HJELMSLEV: A CONVOCAđấO INVOLUNTÁRIA DEUM SUJEITO ..........................................................................................................................74 3.2 A RELAđấO SUJEITO-TEXTO-LÍNGUA PENSADA VIA INTERACIONISMO................................................................................................................84 3.3 HEJMSLEV E INTERACIONISMO: UMA RELAđấO PROVÁVEL............................95 3.3.1 Hjelmslev ressignificado pelo Interacionismo: um meio de explicação para a escrita insólita......................................................................................................................................99CONSIDERAđỏES FINAIS...............................................................................................108 REFERÊNCIAS....................................................................................................................110ANEXOS ...............................................................................................................................114

INTRODUđấO

  Para isso, ela parte da tensão provocada no autor no momento em que ele, na tentativa de definir o que é o texto, o separa da sentença, afirmando que esta pertence à ordem de estudosgramaticais, enquanto o texto pertence à ordem de estudos semânticos-pragmáticos, chegando a dizer que o texto é “a unit of language in use” que pressupõe um sujeito falante que a colocaem uso. Assim, o sujeito adquire a escrita na relação com o texto e, logo, com a língua escrita, pois o texto se torna um representante dofuncionamento desta última, isto é, o texto é uma instância lingüístico-discursiva e a escrita um efeito desse funcionamento: Nossa hipótese é a de que a imersão em textos promove ou é determinante do processo de aquisição da escrita.

CONSIDERAđỏES FINAIS

  Ao fundir o que há de comum entre Hjelmslev e Interacionismo – resguardado todos os impasses que os marcam – foi possível delinear um quadro explicativo para a natureza dalíngua do/no sujeito em fase de aquisição de linguagem, especialmente, uma vez que todos – alfabetizados ou não – estão submetidos ao jogo do esquema. Assim sendo, chego ao final (?) deste trabalho sem, entretanto, dar uma resposta definitiva ao que é o texto – pois isso demanda assumir um ponto de vista –, mas, certamente,respondo ao que faz texto pela via de um Interacionismo hjelmsleviano ou de um Hjelmslev interacionista.

REFERÊNCIAS ABBAGNANO, N. Dicionário de filosofia. 5 ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007

  Cenas de aquisição da escrita: o sujeito e o trabalho com o texto. Ensayos Lingüísticos é uma coletânea de artigos de Hjelmslev, organizada pelo mesmo, a partir de artigos seus publicados em meios diversos.

ANEXOS

  Poema de Manuel Bandeira que serviu de base para a proposta de produção textual de M. Propostas de que serviram de mote para a produção textual de J.

Novo documento

RECENT ACTIVITIES

Tags

Documento similar

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CENTRO DE HUMANIDADES DEPARTAMENTO DE LETRAS VERNÁCULAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LINGUÍSTICA MARIA ERILAN COSTA SILVA
0
0
100
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA INSTITUTO DE LETRAS E LINGUÍSTICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO MESTRADO PROFISSIONAL LETRAS
0
0
242
SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA INSTITUTO DE LETRAS E LINGUÍSTICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO MESTRADO PROFISSIONAL EM LETRAS
0
0
143
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA INSTITUTO DE LETRAS E LINGUÍSTICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTUDOS LINGUÍSTICOS RAPHAEL MARCO OLIVEIRA CARNEIRO
0
0
281
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE LETRAS E COMUNICAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS ANTONIO SERGIO DA COSTA PINTO
0
0
143
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CENTRO DE LETRAS E ARTES PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS MESTRADO EM LINGUÍSTICA SUELI PINHEIRO DA SILVA
0
0
106
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE LETRAS E COMUNICAÇÃO FACULDADE DE LETRAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS MESTRADO PROFISSIONAL EM LETRAS
0
0
161
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE LETRAS E COMUNICAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS MESTRADO EM LINGUÍSTICA
0
0
132
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE LETRAS E COMUNICAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS MESTRADO EM LINGUÍSTICA
0
0
191
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE LETRAS E COMUNICAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS MESTRADO PROFISSIONAL EM LETRAS SAMARA DE OLIVEIRA MONTEIRO
0
0
101
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE LETRAS E COMUNICAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS CURSO DE MESTRADO EM LINGUÍSTICA
0
0
118
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE LETRAS E COMUNICAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS MESTRADO EM LINGUÍSTICA
0
0
122
INSTITUTO DE LETRAS E COMUNICAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS MESTRADO EM LINGUÍSTICA
0
0
174
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA INSTITUTO DE LETRAS E LINGUÍSTICA PROGRAMA DE MESTRADO PROFISSIONAL EM LETRAS
0
0
119
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA INSTITUTO DE LETRAS E LINGUÍSTICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTUDOS LINGUÍSTICOS MARCO AURÉLIO COSTA PONTES
0
0
146
Show more