A DIMENSÃO REGULATÓRIA DO ENADE NA AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR: SUAS IMPLICAÇÕES NA GESTÃO E NO CURRÍCULO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA UEG

0
0
141
2 months ago
Preview
Full text

ELAINE ABRAHÃO AMARAL

ELAINE ABRAHÃO AMARALA DIMENSấO REGULATốRIA DO ENADE NA AVALIAđấO DA EDUCAđấO SUPERIOR: SUAS IMPLICAđỏES NA GESTấO E NO GOIÂNIA-GO2013

CURRễCULO DO CURSO DE ADMINISTRAđấO DA UEG

GOIÂNIA-GO2013 PROGRAMA DE PốS-GRADUAđấO STRICTO SENSU EM EDUCAđấOELAINE ABRAHÃO AMARAL

A DIMENSấO REGULATốRIA DO ENADE NA AVALIAđấO DA EDUCAđấO SUPERIOR: SUAS IMPLICAđỏES NA GESTấO E NO CURRễCULO DO CURSO DE ADMINISTRAđấO DA UEG

  Tese apresentada ao Programa de Pós-GraduaçãoStricto Sensu em Educação da PontifíciaUniversidade Católica de Goiás como requisito parcial para a obtenção do título de Doutor emEducação, sob a orientação do(da) Professor(a) Dr.(a) Denise Silva Araújo. GOIÂNIA-GO2013 A485d A dimensão regulatória do Enade na avaliação da educação superior: suas implicações na gestão e no currículo do curso deadministração da UEG [manuscrito] / Elaine Abrahão Amaral.

Amor incondicional ao meu esposo Leovaz Sant’Ana do

  Amaral e aos meus filhos Rafael Abrahão Amaral e RyanAbrahão Amaral, que souberam compreender a minha dedicação a este trabalho em detrimento dos momentos delazer em família. Aos meus irmãos Cristiane, Cláudio e Simone, e primosDenise e Fabrício com quem posso contar nos momentos bons e difíceis da minha vida.

AGRADECIMENTOS

  Aos professores doutores José Maria Baldino, PauloVentura, Lucia Maria de Assis e Cristiano Alexandre dosSantos, pelas contribuições relevantes que me ajudaram aprimorar o meu trabalho de pesquisa.À Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (FAPEG) que viabilizou a realização desta pesquisa. Foram analisados os seguintesdocumentos da UEG: Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) (2010-2014); documentos relacionados à participação do curso nos Exame Nacional de Curso (ENC) e nosExames Nacionais de Desempenho dos Estudantes (Enades) (2006 e 2009).

APROFUNDAMENTO DA PESQUISA E DOS SABERES CIENTÍFICOS ................. 18

  O ano de 1985 marcou o meu ingresso no Bacharelado em Administração naFaculdade de Ciências Econômicas de Anápolis, atual Universidade Estadual de Goiás(UEG), com o intuito de compreender as dificuldades de se ingressar no mercado de trabalho, bem como a lógica que imperava na relação capital-trabalho dentro de um contexto decapitalismo selvagem. 3 O perfil profissional merece ser analisado no contexto da globalização , que se intensificou na década de 1990, aumentando a interdependência econômica dos mercados mundiais e influenciando no aparecimento de novas formas de trabalho e também na difusãode um novo perfil de trabalhador e de condições que poderiam servir para aumentar as chances de empregabilidade (MINARELLI, 1995).

XX”

  Porter (1989) preconizava, na década de 1980, que os sistemas educacionais deveriam preocupar-se com o desenvolvimento das habilidades voltadas às especificidadeslocais e que o Estado deveria fomentar projetos educacionais de pesquisa e treinamento direcionados ao aumento das vantagens competitivas direcionadas a consolidação dossistemas de produção. Frigotto (2000, p. 79) explicita seu entendimento do que seria o método dialético na perspectiva materialista histórica, assim: “a meu ver, a dialética materialista, ao mesmo tempouma postura, um método de investigação, [...] um tríplice movimento: de crítica, de construção do conhecimento ‘novo’ e da nova síntese no plano do conhecimento e da ação”.

Portanto, a opção neste estudo pelo método dialético se efetivou por este permitir ao pesquisador “conhecer e compreender o todo para que possa torná-lo claro e explicá-lo”

  Alves (1999, p. 95) analisa o conceito de toyotismo assim: Surgimento de uma nova lógica de produção de mercadorias, novos princípios de administração da produção capitalista, de gestão da força de trabalho, cujo valoruniversal é constituir uma nova hegemonia do capital na produção, através da captura da subjetividade operária pela lógica do capital. Em alguns documentos há indíciosde uma universidade mais voltada para a resolução dos problemas do Estado e, em Nessa perspectiva, a concepção da Universidade Estadual de Goiás (criada pela Lei nº 13.456, de 16 de abril de 1999) ilustra o modelo de produção de conhecimento atrelado aomodelo de desenvolvimento regional e ao modo de produção capitalista.

Entendo que o Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes, enquanto instrumento que “mede desempenhos de estudantes em escala nacional” na perspectiva

  Essa obrigatoriedade evoca pelo menos dois aspectos negativos: a) o caráter punitivo da avaliação, pois o não comparecimento do estudante ao exame o impede de receber odiploma e o registro de regularidade com o Enade no histórico escolar (Portaria 40 Art. 33-G), e; b) o caráter discriminatório do Enade, na medida em que os alunos irregulares não poderãose beneficiar de algumas oportunidades do mercado de trabalho, como por exemplo: participar de concursos na condição de estudantes de nível superior ou receber promoção de cargo portitulação.

NO CURRễCULO DO CURSO DE ADMINISTRAđấO DA UEG

  Neste estudo optei por submeter ainvestigação à consultoria ad hoc da Plataforma Brasil, para salvaguardar os sujeitos de situações constrangedoras e, também, para minimizar a ocorrência de fatores intervenientesque pudessem prejudicar a etapa de coleta de dados, a ponto de comprometerem os resultados esperados. Para garantir aos envolvidos que em todas as etapas da pesquisa seriam utilizados os procedimentos éticos preconizados pela Resolução nº196/96 e complementares do ConselhoNacional de Saúde (CNS), este trabalho foi cadastrado na plataforma Brasil, que de acordo com as informações disponibilizadas online constitui-se em uma “base nacional e unificada de registros de pesquisas envolvendo seres humanos para todo o sistema CEP/CONEP”.

CEP/CONEP”, que funcionou como um consultor ad hoc, revisando a metodologia, objetivos e outros dados do projeto

  Para garantir a confiabilidade e validade dos instrumentos de coleta de dados foram realizadas a pré-testagem dos instrumentos por uma comissão de avaliação, formada por umdoutor e três mestres, para avaliarem qualitativamente o grau de detalhamento e clareza dos instrumentos quanto à forma e vocabulário das questões e seus itens, para que pudessem seragregadas ou suprimidas questões e itens. Em 20 de novembro de 2004, o colegiado do curso aprovou a adequação da matriz à cursos de administração de todas as unidades universitárias da UEG, o que provocou mudança na forma de integralização do curso de administração da Unidade Universitária de CiênciasSocioeconômicas e Humanas de Anápolis (UNUCSEH) de cinco para quatro anos.

Figura 6

  Sob esse enfoque, percebe-se a intencionalidade das Diretrizes CurricularesNacionais e do Sistema de Avaliação do Ensino Superior, na orientação do processo de elaboração curricular, como uma forma de legitimação das políticas educacionais instituídaspara legitimar e atender as demandas do mercado no que concerne à formação de “cérebros de obra”. A Universidade Estadual de Goiás impôs a unificação das matrizes dos cursos de Administração de suas unidades universitária,ou seja, a matriz do curso de Anápolis, que era integralizada com cinco anos, passou a ser integralizada com quatro anos.

As questões 12 e 11 abordam o mesmo assunto; “Teorias Administrativas” e apresentam as seguintes características: são de múltipla escolha; de resposta múltipla; com

  Conforme demonstrado na matriz, o Curso de Administração da UEG estrutura o seu currículo de conformidade com os conteúdos de formação básica, profissional, de estudosquantitativos e suas tecnologias e de formação complementar, atendendo desta forma as indicações do art. A partir desses resultados pode-se questionar se o desempenho dos ingressantes e concluintes da UEG não sofreu a influência de variáveis sociais e econômicas eculturais, o que poderá ser apreciado no item 3.5 deste capítulo que discutirá o perfil socioeconômico e as impressões dos alunos da UEG que participaram dos Enades.

Cada vez mais o tema da avaliação institucional ganha importância na agenda de trabalho dos coordenadores de curso superiores, que ao se verem “pressionados” por variáveis

  Para as IES públicas e também para as IES privadas consideradas exitosas no processo avaliativo, a visibilidade alcançada por meio do rankeamento traz retornosinquestionáveis, via aumento do número de matrículas, investimentos na melhoria contínua das condições de oferta e no caso específico das particulares, a manutenção do financiamentoestudantil (FIES e PROUNI). Quando perguntei ao coordenador atual e aos ex-coordenadores, na roda de conversa, se tomando por base as condições de oferta do curso de administração, por ocasião dosEnades 2006 e 2009 o que teria sido preponderante para os resultados obtidos pelo curso da sua unidade universitária?

Essas falas demonstram que para os coordenadores a experiência profissional administrador”

  Considero igualmente importante destacar que a análise da matriz curricular do curso de Administração, da unidade universitária da UEG em Anápolis, demonstra umapreocupação com a formação de gestores para atuarem em um mercado de trabalho mutável, A de cinco foi o primeiro A com a turma de cinco anos. Os dados apresentados na Figura 9 (docentes com bom domínio de conteúdo e professores bem avaliados) demonstram que os docentes foram destaque positivo tanto em2006 quanto em 2009, o que reafirma a fala da gerência de graduação quando afirma que: “a unidade de Anápolis, antiga UNIANA, sempre foi um curso bem conduzido e a senhora teveexperiência agora com um nível e xcelente de corpo docente”.

CONSIDERAđỏES FINAIS

  Assim, depois de estudos exaustivos em livros, documentos e artigos, e da análise criteriosa das respostas obtidas nos questionários e nas rodas de conversa, esta investigaçãodemonstrou que as políticas públicas e a legislação educacional no período de 1993 a 2010 foram determinantes na prevalência do caráter regulatório da avaliação institucional. A noção de campo de Bourdieu (1983a) foi empregada para analisar a elaboração de políticas públicas em meio ao jogo de interesses comandado pelos setores hegemônicos que,apoiados por organismos financiadores estrangeiros, conseguem impor suas estratégias mercantilistas por meio da regulação e da consequente diminuição da autonomia dasinstituições educativas.

Um c urso com o “selo de qualidade” do MEC certamente contribui para o aumento

  No entanto, apesar da pesquisa documental e a análise das falas dos gestores terem evidenciado que as condições de oferta repercutiram positivamente nos excelentes resultadosobtidos pelo curso nos Enades 2006 e 2009, também houve evidências de que outras condições objetivas externas à instituição condicionaram o alto desempenho dos estudantes daunidade de Anápolis. Em se tratando de um curso ofertado dentro de uma instituição de ensino superior pública aqualidade esperada seria a preconizada no Documento Referência a CONAES (2014), ou seja, de cunho social, que supere a tradição elitista na formação de profissionais apenas paraatender os interesses do mercado de trabalho.

Sociedade. Campinas, v. 26, n. 92, p. 725-751, Especial - out. 2005. Disponível em: <http://www.cedes.unicamp.br>. Acesso em: 12 abr. 2012

  O consenso de Washington: a visão neoliberal dos problemas latinoamericanos, 1994. O diploma e o Cargo: relações entre o sistema de produção e o sistema de reprodução.

BRANDÃO, Zaia; LELLIS, Isabel. Elites acadêmicas e escolarização dos filhos. Educação e Sociedade. Campinas, v. 24, n. 83, 2003

  CONSTITUIđấO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL, 1988-texto constitucional de 5 de outubro de 1988 com as alterações adotadas pelas EmendasConstitucionais de n 1, de 1992 a 43 de 2004 e pelas Emendas Constitucionais de Revisão de n. Diário Oficial da União de 29 de dezembro de 2011 _13_enade_2012.pdf>.

Autoavaliação Institucional Orientações Gerais. Brasília: Inep, 2004. Disponível em <http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/roteiro.pdf>. Acesso em: 18 abr. 2011

  A globalização e o curso do capitalismo de fim-de-século. O desenvolvimento meandroso da educação brasileira entre o Estado e o mercado.

Educação & Sociedade. 100, v. 28, Número Especial, 2007, p. 809-829

  Secretaria de Estado de Gestão ePlanejamento; Superintendência de Estatísticas, Pesquisa e Informações Socioeconômicas - Goiânia: SEGPLAN, 2011a. T&D e a Mensuração de Resultados e o ROI de Treinamento Integrado ao BSC.

LIBÂNEO, José Carlos. Tendências pedagógicas na prática escolar. Revista da Associação Nacional de Educação. ANDE, 3, p. 11-19. 1983

  Trabalho, qualificação e competência profissional - das dimensões conceituais e políticas. As universidades e o governo federal.

MELLO, Sebastião Luiz de et. al. Perfil, formação, atuação e oportunidades de trabalho do administrador: pesquisa nacional. 5. ed. Brasília: CFA, 2011

  Universidades e Instituições Científicas no Rio de Janeiro, Brasília: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ), 1982, pp. Saberes e competências: o uso de tais noções na escola e na empresa.

RBPAE, v. 23, n. 1, p. 53-69, jan./abr. 2007

  Modelos para a produção, produção de modelos: gênese, lógica e difusão do modelo japonês de organização da produção. Em caso de recusa você não participará da pesquisa e não será penalizado(a) de forma alguma.

II-ROTEIRO DA ENTREVISTA SEMIESTRUTURADA COM OS COORDENADORES DE CURSO

  Você participou da construção do projeto político pedagógico e da matriz curricular doCurso de Administração que você coordena ou a sua gestão é posterior a implantação do projeto do curso? Na, sua opinião o que contribuiu para os resultados obtidos pelo seu curso nos ENADES 2006 e 2009?(PPC, quadro de professores, duração do curso, outros.) APÊNDICE B - TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO Você está sendo convidado(a) a participar, como voluntário(a), em uma pesquisa.

INFORMAđỏES SOBRE A PESQUISA:

EDUCAđấO SUPERIOR: SUAS IMPLICAđỏES NA GESTấO E NO CURRễCULO DO CURSO DE ADMINISTRAđấO DA UEG

  A pesquisadora assumirá a responsabilidade total pelas complicações e danos decorrentes dos riscos previstos e ainda, os sujeitos da pesquisa que vierem a sofrer qualquertipo de dano previsto ou não no termo de consentimento livre e esclarecido que seja resultante da sua participação, além do direito à assistência integral terão direito à indenização. Os dados para realização da pesquisa serão coletados por meio de entrevistas gravadas que serão realizadas com coordenadores de curso e professores das unidadesuniversitárias participantes da pesquisa, que aceitarem participar voluntariamente após serem esclarecidos dos riscos e benefícios do estudo e que assinarem o presente Termo deConsentimento Livre e Esclarecido.

Os riscos aos respondentes são controláveis e se relacionam com a possibilidade de

  Se durante a coleta das informações houver qualquer tipo de interrupção como, por exemplo; a entrada de pessoas não autorizadas no recinto da entrevistaou outras condições que coloquem em risco os respondentes, a pesquisadora se compromete a retomar as condições ideais para a coleta de dados. Ainda como forma de garantir o anonimato dos respondentes, os nomes dos sujeitos não aparecerão em nenhum documentoque porventura venha a ser produzido em decorrência da pesquisa (artigos, tese, papers ou outros de caráter científico), para tanto, a identificação dos respondentes será feita por meiode códigos.

Os benefícios decorrentes da pesquisa de uma forma geral relacionam-se com a

possibilidade de contribuir para um processo de Avaliação do Ensino Superior com um caráter menos meritocrático/regulatório e mais crítico/formativo. Para a Instituiçãoconcedente da pesquisa e para os respondentes os benefícios são os que se seguem: a) a instituição poderá valer-se das análises dos resultados para criar espaços internos de diálogocom todos os envolvidos com a avaliação institucional da UEG para refletirem sobre os seus instrumentos pedagógicos e assim, proporem melhorias para os cursos que forampesquisados; b) os respondentes poderão valer-se dos resultados da pesquisa para apresentarem sugestões de melhorias de suas próprias práticas pedagógicas e para o seuaprimoramento profissional. Goiânia, ______de ___________________de 2012____________________________________________________ Pesquisadora Responsável

CONSENTIMENTO DA PARTICIPAđấO DA PESSOA COMO SUJEITO

  Fui também informado que caso eu comprove que eu tive prejuízos ou danos por minha participação no estudo a pesquisadora assumirá a responsabilidade total pelascomplicações e danos decorrentes dos riscos previstos ou não no termo de consentimento livre e esclarecido e que neste caso, além do direito à assistência integral terei direito àindenização. Foi me garantido que não sou obrigado(a) a participar da pesquisa e que posso desistir a qualquer momento, sem qualquer penalidade.

Presenciamos a solicitação de consentimento, esclarecimentos sobre a pesquisa e aceite do sujeito em participar

APÊNDICE C - INSTRUMENTO PESQUISA DOCUMENTAL E ENTREVISTA COM A GERÊNCIA DADOS COLETADOS NA PESQUISA DOCUMENTAL E NA ENTREVISTA COM A GERÊNCIA DE GRADUAđấO DA UEG COMPARATIVO CONCEITO ENADE/ENC - CURSO DE ADMINISTRAđấO, BACHARELADO DA UNIDADE UNIVERSITÁRIA DA UEG EM ANÁPOLIS-GOIÁS ENC ENC ENC ENC ENC ENC ENC ENC ENADE ENADE CURSO / LOCALIZAđấO 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2006 2009

  tem o intuito de verificar o cenário da educação superior no Brasil e nomundo contemporâneo, no qual, se encontra em um processo acelerado de mudanças, influenciado principalmente por uma política neoliberal, a globalização da economia e porconseqüência a expansão de instituições de ensino superior por meio da iniciativa de provedores privados. Todavia, os coordenadoresconsideram que a repercussão da AI em sala de aula tem sido pequena, embora afete a vida dos professores, sobretudo nas IES privadas, já que os resultados dos exames passaram a justificar areestruturação dos quadros docentes, a reorganização curricular e a redefinição dos contratos de trabalho, que vêm se tornando mais flexíveis.

APÊNDICE E-FORMULÁRIOS DE AVALIAđấO DOS INSTRUMENTOS DE COLETA DE DADOS

  •Verificar dificuldades no preenchimento dos Questão 7•Avaliar o instrumento quanto: a) ao grau de detalhamento; b) quanto ao grau de clareza Questão 8 acordo com a legenda. APÊNDICE G Ố QUADRO COMPARATIVO DOS PROGRAMAS DE AVALIAđấO ANEXOS ANEXO A - SÍNTESE COMPARATIVA ENADE ANEXO B - MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAđấO EM 2009Figura 8- Matriz Curricular do Curso de Administração-(a partir de 2009) Fonte: UEG, 2011.

RECENT ACTIVITIES

Tags

Documento similar

A AVALIAÇÃO NACIONAL DA ALFABETIZAÇÃO NO CONTEXTO DO SISTEMA DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA E DO PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA: RESPONSABILIZAÇÃO E CONTROLE.
0
2
14
A DIMENSÃO DO CURSO DE GESTÃO DE ARQUIVO NA UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO
0
0
15
A DIMENSÃO CATEGÓRICA DO DOCUMENTO NA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO
0
0
26
A PROGRESSÃO CONTINUADA E SUAS IMPLICAÇÕES NA AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM
0
0
105
A EXPANSÃO DA SOJA NA MAPITOBA E SUAS IMPLICAÇÕES SOCIOECONOMICAS
0
0
45
UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA INTERVENTIVA NA SAÚDE E NA EDUCAÇÃO
0
0
84
RUBEN DE OLIVEIRA NASCIMENTO UM ESTUDO DA MEDIAÇÃO NA TEORIA DE LEV VIGOTSKI E SUAS IMPLICAÇÕES PARA A EDUCAÇÃO
0
0
416
SIMY DE ALMEIDA CORRÊA DESCENTRALIZAÇÀO DA GESTÃO AMBIENTAL NO ESTADO DO PARÁ E SUAS IMPLICAÇÕES NO LICENCIAMENTO AMBIENTAL (1988-2010)
0
0
147
A ORGANIZAÇÃO DO MEIO SOCIAL EDUCATIVO DA ATIVIDADE DE COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: IMPLICAÇÕES DA TEORIA HISTÓRICO-CULTURAL
0
0
125
AVALIAÇÃO DA MATURIDADE DA GESTÃO DO CONHECIMENTO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
0
0
391
PROPOSTA PARA A MODERNIZAÇÃO DO CURRÍCULO DO CURSO DE AGRONOMIA E DA ADMINISTRAÇÃO DESTAS ESCOLAS DE ENSINO SUPERIOR NO BRASIL
0
0
46
REFLEXÕES ACERCA DA GERAÇÃO DISTRIBUÍDA E SUAS IMPLICAÇÕES NO SISTEMA ELÉTRICO, NA SOCIEDADE E NO MEIO AMBIENTE
0
0
209
JOGOS COOPERATIVOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL E SUAS IMPLICAÇÕES PARA O ESPAÇO DA SALA DE AULA
0
0
181
EFEITO DO CICLO DE VIDA, DA DESCENTRALIZAÇÃO E DA DIMENSÃO ORGANIZACIONAL NA ADOPÇÃO DO BALANCED SCORECARD
0
0
49
CELSO DE OLIVEIRA SOUZA ORLEANS NA ECONOMIA DA COLONIZAÇÃO: A CULTURA DO FUMO NA REGIÃO DE ORLEANS E SUAS IMPLICAÇÕES SOCIAIS
0
0
104
Show more