O USO DE MAPAS CONCEITUAIS COMO PROPOSTA PARA A ORGANIZAÇÃO E REPRESENTAÇÃO DO CONHECIMENTO NOS ESTUDOS SOBRE MEMÓRIA NA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO :: Brapci ::

Livre

0
0
6
1 year ago
Preview
Full text

  XIV Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação (ENANCIB 2013)

  

GT 10: Informação e Memória

  Pôster

  

O USO DE MAPAS CONCEITUAIS COMO PROPOSTA PARA A ORGANIZAđấO

E REPRESENTAđấO DO CONHECIMENTO NOS ESTUDOS SOBRE MEMốRIA

NA CIÊNCIA DA INFORMAđấO

  Rafael Silva da Câmara

  • – UFPE Leilah Santiago Bufrem – UFPE

  Resumo

  Apresenta os resultados iniciais de uma pesquisa de campo que identifica os termos e conceitos relacionados ao conceito de Memória como objeto de estudo no âmbito da Ciência da Informação. Para tanto, utiliza a técnica de mapas conceituais como proposta para a organização e representação do conhecimento. Apoia-se na pesquisa exploratória inicial sobre o uso de mapas conceituais, sua origem, as finalidades e os aspectos a serem considerados para a sua construção. Reflete a relação dos mapas conceituais com a Organização e Representação do Conhecimento. Como metodologia, investiga as disciplinas dos programas de pós-graduação em Ciência da Informação e áreas correlatas no Brasil, identifica os termos e conceitos associados e contextualizados ao conceito de Memória presentes nestes programas e utilizada o software livre CmapTools na elaboração do mapa conceitual. Representa, por meio de um mapa conceitual, os resultados da investigação, em que mostra os termos e conceitos encontrados, as instituições de ensino em que foram localizadas, as áreas de conhecimento em que estão presentes e os tipos de cursos de pós-graduação Stricto Sensu ofertados. Conclui que os dados coletados e tabulados na pesquisa permitem a elaboração de outros tipos de Mapas Conceituais, sendo estes flexíveis na sua estrutura e finalidades quanto à análise, organização e representação do conhecimento.

  

Palavras-chave: Mapas Conceituais. Organização do Conhecimento. Representação do

Conhecimento. Memória. Disciplinas. Abstract

  Presents the initial results of a research field that identifies the terms and associated concepts and contextualised the concept of memory as an object of study in the field of Information Science. Uses the technique of concept mapping as a proposal for the organization and representation of knowledge. Relies on the initial exploratory research on the use of concept maps, its origin, its purpose and the aspects to be considered for its construction. Reflects the relationship of concept maps with the Organization and Representation of Knowledge. The methodology investigates the disciplines of graduate programs in Information Science and related areas in Brazil, identifies the concepts and terms associated and contextualized the concept of memory present in these programs and free software used in the preparation of the CmapTools concept map. Is through a concept map research results, which shows the terms and concepts found, the educational institutions in which they were located, the areas of knowledge that are present and the types of postgraduate courses offered Stricto Sensu. Concludes that the collected and tabulated data in the survey allow the development of other types of concept maps, which are flexible in its structure and purpose as the analysis, organization and knowledge representation.

  

Keywords: Concept Maps. Knowledge Organization. Knowledge Representation. Memory.

  1 INTRODUđấO A compreensão sobre como um conceito atua dentro de um domínio ou campo do conhecimento envolve aspectos como a aprendizagem e a sistematização de conceitos. As ligações entre os conceitos formam a estrutura cognitiva do que foi assimilado e podem ser apresentadas por meio de métodos e técnicas que visam à organização e representação da informação e do conhecimento.

  Este artigo é resultante de algumas reflexões para melhor compreensão do conceito de memória. Com a possibilidade de visualização das configurações contextuais entre conceitos relacionados à memória, utilizou-se o mapa conceitual como instrumento para organizar e representar o conhecimento. As reflexões iniciais foram complementadas por uma aplicação deste instrumento em pesquisa de campo que levanta as disciplinas dos programas brasileiros de pós-graduação em Ciência da Informação e áreas correlatas, que estudam o fenômeno da Memória, propondo-se que os mapas conceituais são úteis para a descrição e representação dos conceitos que norteiam os estudos sobre Memória no âmbito da Ciência da Informação.

  Para tanto, a pesquisa apresenta um primeiro modelo de mapa conceitual criado a partir da identificação da ocorrência e frequência dos outros termos e conceitos localizados nessas disciplinas associadas ou contextualizadas ao conceito de Memória. Quanto aos fins, trata-se de uma pesquisa aplicada, em que se exibe um modelo prático para a visualização do conhecimento, utilizando um software livre para a criação de mapas conceituais.

2 MAPAS CONCEITUAIS

  Apresentados e desenvolvidos por Joseph Novak e Gowin (1984) na Universidade de Cornell, nos Estados Unidos, os mapas conceituais foram criados com base nos estudos do norte-americano David Ausubel e sua Teoria da Aprendizagem Significativa (1980), que considera o conhecimento anterior do aprendiz como fator isolado mais importante na influência da aprendizagem. Sendo assim, entende-se que o ensinamento deve ser repassado ao aprendiz de acordo com o que ele já sabe antecipadamente, de modo que novos significados são desenvolvidos como construções que antecedem conceitos e proposições relevantes.

  De forma simplificada, os mapas conceituais são diagramas que apresentam as relações entre conceitos, também chamadas de proposições. Esses diagramas podem ser hierárquicos ou não. Os conceitos visualizados são utilizados principalmente para que possam ser compreendidos em um determinado campo do conhecimento. As proposições existentes raciocínio hierárquico, em que os conceitos mais gerais e inclusivos ocupam os altos níveis da hierarquia e são mais específicos, enquanto os conceitos menos inclusivos aparecem abaixo dos conceitos mais gerais.

  Lima (2004) afirma que os mapas conceituais são úteis na compilação das ideias geradas na análise de informações para estabelecer relacionamentos entre conceitos na formação de outros conceitos. Neste procedimento, faz-se um desenho em forma gráfica em que os principais conceitos estejam explicitados, para que em seguida sejam colocadas frases curtas de ligação entre esses conceitos, formando as proposições do mapa conceitual com significado lógico e coerente.

  Para tanto, é necessário que o criador do mapa conceitual tenha uma pergunta, uma dúvida ou um questionamento, para compreender qual é o tipo de conhecimento que ele quer representar no mapa conceitual. Diante desse questionamento, deve-se escolher um conjunto de conceitos para conectá-los com linhas, de acordo com as afinidades entre eles. Estas conexões são visualizadas por meio de frases ou verbos que mostrem a relação existente entre estes conceitos, de modo que formem uma proposição que expresse o significado da relação.

  

2.1 MAPAS CONCEITUAIS NA ORGANIZAđấO E REPRESENTAđấO DO

CONHECIMENTO

  Os instrumentos e técnicas de organização e representação do conhecimento são importantes para análises de uma dada realidade de conceitos presentes em um domínio. Neste contexto, os mapas conceituais, se bem utilizados, tornam-se poderosos na facilidade de entendimento das relações entre conceitos para um campo do conhecimento.

  O mapa conceitual tem sido utilizado em diversas áreas do conhecimento como técnica formal ou semi-formal de diagramação. Na área de educação, ciência política, lingüística e filosofia da ciência, essa técnica tem sido usada para apresentar visualmente a estrutura do conhecimento e suas formas de argumentação. (LIMA, p. 137, 2004).

  Os mapas conceituais podem apresentar diversas finalidades para a organização e representação do conhecimento. No ensino, eles podem ser um instrumento didático para facilitar o aprendizado do conteúdo sistematizado em conteúdo significativo. Na aprendizagem, podem complementar as anotações de conteúdo e servir de instrumento para avaliação do aproveitamento dos estudantes. Na análise de conteúdo, podem ser úteis nas Do mesmo modo, são relevantes para a análise de currículo, facilitando o diagnóstico, a visualização do conhecimento organizado e auxiliando no planejamento de conteúdos.

  Os mapas conceituais podem ser construídos para o conteúdo de uma aula, de uma disciplina, de um conjunto de disciplinas ou de um programa educacional inteiro que conduza à obtenção de um diploma profissional. Tudo depende da generalidade ou da especificidade dos conceitos, do nível de inclusividade dos conceitos que estão no mapa. Conceitos abrangentes, integradores, podem servir de base para o planejamento curricular de um determinado curso, enquanto conceitos mais específicos, pouco inclusivos, podem orientar a seleção de materiais e atividades instrucionais específicos. (MOREIRA, p. 26, 2006)

  É nestes últimos contextos de análise de conteúdo e de currículo que o mapa conceitual foi utilizado nesta pesquisa, considerando sua relevância para os ambientes acadêmicos como ferramenta que facilita a visualização, a organização e representação de novos conhecimentos sistematizados.

3 APLICABILIDADE DO MAPA CONCEITUAL COM OS DADOS EM ANÁLISE

  Durante o mês de maio de 2013, foram acessados os portais eletrônicos dos programas de pós-graduação cadastrados na Associação Nacional de Pesquisa e Pós-graduação em Ciência da Informação

  • – ANCIB e os recomendados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES, na área de Ciência da Informação, para levantar as disciplinas que trabalham com o conceito de Memória dentro desses programas.

  Além deste termo, foram coletados os outros termos e conceitos presentes no título para analisar aqueles que estão sendo associados ou contextualizados nos estudos sobre Memória no âmbito da Ciência da Informação. Identificadas as disciplinas, os programas de pós-graduação stricto sensu, as Instituições de Ensino Superior e a tabulação da ocorrência e frequência desses termos e conceitos nos títulos das disciplinas, os dados foram inseridos no CmapTools, um software livre para criação e análise de mapas conceituais.

  No total, foram identificados outros 23 conceitos associados ou contextualizados à Memória nas disciplinas que fazem uso deste termo nos seus títulos, distribuídos em programas de pós-graduação stricto sensu de 11 Instituições e em três áreas do conhecimento, ofertando cursos de mestrado e de doutorado. O mapa conceitual construído permite a visualização dos dados coletados e em análise, apresentado a seguir.

  

Figura 1 - Mapa conceitual dos programas de pós-graduação em Ciência da Informação

e áreas correlatas que estudam a Memória

  Fonte: Os autores (2013) Este mapa conceitual permite uma visualização prévia da concentração dos estudos sobre Memória nos programas de pós-graduação stricto sensu em Ciência da Informação e em

  áreas correlatas no Brasil. A pertinência deste instrumento encontra-se na representação dos conceitos e termos, associando-os aos programas de pós-graduação em que foram encontrados, as áreas de conhecimento destes programas, e os tipos de curso que ofertam.

4 CONSIDERAđỏES FINAIS

  Os mapas conceituais são instrumentos de finalidades flexíveis na Organização e Representação do Conhecimento. Podem ser utilizados em diversas situações para conectar ou relacionar conceitos presentes, dos mais simples aos mais complexos, pois apresentam uma estrtura dinâmica, refletindo a compreensão e o conhecimento de quem o foz e no momento em que o faz. Assim, não há um único modo de traçar um mapa conceitual.

  Os dados levantados e tabulados nesta pesquisa permitem mais de um tipo de análise a partir de mapas conceituais. Sendo assim, outras análises como a construção de proposições entre os conceitos encontrados nos títulos das disciplinas, serão realizadas como forma de ampliar os estudos, por se considerar que esta exige também uma análise documental e de presentes, bem como pela razão de se tratar de um levantamento inicial do corpus de pesquisa.

  Desse modo, considera-se o que foi apresentado como a possibilidade de visualização das configurações contextuais entre conceitos relacionados à memória com um exemplo prático de Representação do Conhecimento tendo como instrumento o mapa conceitual. Os aspectos considerados nesta técnica estão diretamente relacionados aos estudos e práticas de Organização do Conhecimento, que são importantes para compreender a dinâmica no processo de concepção de conceitos num dado fenômeno, independente do suporte no qual está inserido.

  

REFERÊNCIAS

  BERTI JUNIOR, Decio Wey; ANDRADE, Ilza Almeida de; CERVANTE, Brigida Maria Nogueira. Mapas Conceituais: uma ferramenta tecnológica aplicada a organização da informação e do conhecimento. In: Congresso Brasileiro de Biblioteconomia, Documentação e Ciência da Informação, 24., 2011, Alagoas. Anais... Alagoas: FEBAB, 2011.

  LIMA, Gercina Ângela Borém. Mapa Conceitual como ferramenta para organização do conhecimento em sistema de hipertextos e seus aspectos cognitivos. Perspectivas em Ciência

  da Informação, Belo Horizonte, v.9, n.2, 2004.

  MOREIRA, Marco Antonio. Mapas conceituais e aprendizagem significativa. Porto Alegre: UFRGS, 1997. MOREIRA, Marco Antonio. Mapas conceituais e diagramas v. Porto Alegre: UFRGS, 2006. TAVARES, Romero. Construindo mapas conceituais. Ciência & Cognição, Rio de Janeiro, v. 12, p. 72-85, dez. 2007.

Novo documento

Tags

Documento similar

AS TESES DA SEÇÃO DE OBRAS RARAS DA BIBLIOTECA DE CIÊNCIAS BIOMÉDICAS DA FIOCRUZ E A SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL
0
0
20
ACESSO LIVRE À INFORMAÇÃO CIENTÍFICA: OS REPOSITÓRIOS INSTITUCIONAIS PORTUGUESES DA ÁREA DA SAÚDE E ALGUMAS CONTRIBUIÇÕES PARA O BRASIL :: Brapci ::
0
0
18
A TRANSFORMAÇÃO DA INFORMAÇÃO EM CONHECIMENTO NA MEDICINA BRASILEIRA: O CASO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA :: Brapci ::
0
0
19
A REPRESENTAÇÃO DA INFORMAÇÃO NA SAÚDE COLETIVA: UMA ANÁLISE DE ASSUNTOS EM DISSERTAÇÕES :: Brapci ::
0
0
7
A REPRESENTAÇÃO DA INFORMAÇÃO EM PERIÓDICOS DA SAÚDE COLETIVA: UMA ANÁLISE DE ASSUNTO :: Brapci ::
0
0
7
A PESQUISA EM SAÚDE NO BRASIL E A NECESSIDADE DE INFORMAÇÃO OPORTUNA E SISTEMATIZADA
0
0
7
A ORGANIZAÇÃO DA INFORMAÇÃO NO ÂMBITO DA SAÚDE COLETIVA: UMA PROPOSTA MULTIDISCIPLINAR :: Brapci ::
0
0
20
2 PROTÓTIPO E INTERPRETAÇÃO DOS ARQUIVOS XML DO SciELO
0
0
22
TEMÁTICA "RESPONSABILIDADE SOCIAL" NA LITERATURA DA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO INDEXADA PELA BRAPCI :: Brapci ::
0
0
18
SOBRE NORMAS E ALGORITMOS: OS CRITÉRIOS DE VALIDADE DA CIÊNCIA E DA INFORMAÇÃO :: Brapci ::
0
0
20
2 A MIGRAÇÃO DE CONCEITOS
0
0
19
RESGATE DA MEMÓRIA GASTRONÔMICA DO POVOADO DA MASSAGUEIRA NO MUNICIPIO DE MARECHAL DEODORO EM ALAGOAS :: Brapci ::
0
0
15
RECONSTRUÇÃO DA MEMÓRIA INSTITUCIONAL: O LEGADO PATRIMONIAL DOS ARQUIVOS DA UFES :: Brapci ::
0
0
18
2 O ARQUIVO COMO ESPAÇO DE MEMÓRIA
0
0
15
OS IDEAIS DE PAUL OTLET E HENRI LA FONTAINE NO BRASIL: APONTAMENTOS SOBRE A INFLUÊNCIA DO INSTITUTO INTERNACIONAL DE BIBLIOGRAFIA NA CRIAÇÃO DO SERVIÇO DE BIBLIOGRAPHIA E DOCUMENTAÇÃO DA BIBLIOTECA NACIONAL :: Brapci ::
0
0
7
Show more