CONSTRUÇÃO, CALIBRAÇÃO E ANÁLISE DE FUNCIONAMENTO DE LISÍMETROS DE PESAGEM CULTIVADOS COM CANA-DE-AÇÚCAR (Saccharum spp)

0
0
73
2 months ago
Preview
Full text

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS

  Ao Engº Agrônomo DrºJ osé Valdemir Costa, Coordenador do Departamento de Mecanização, Nutrição eDesenvolvimento e ao Técnico Agrícola Eraldo Pereira, Supervisor de Pesquisa e Aos meus pais Ilson Barboza Leão e Maria de Fátima, aos meus irmãos IlsonJunior, Ielson Leão, José Neto e Ilza Fernanda e a toda minha família pelo apoio, amor, e compreensão. A forma para determinação da2 evapotranspiração ETc somatório da diferença de massa ao longo de todo dia,apresentou excelente coeficiente de determin 1 ), podendo ser utilizada para determinar a ação quando comparados com a diferença de massas ao final do dia (ETc 1 apresentou valores final intermediária do seu ciclo obtida pela forma padrão ETcmenores do que a estimada pelo ETo-PM.

LISTA DE FIGURAS

  Tal problema pode ser solucionado com o manejo adequado de irrigação e a determinação da real necessidade hídrica das plantas,são fatores essenciais para a economia de água nos projetos de irrigação, visto que a mesma é um recurso natural um tanto escasso. Este trabalho tem como objetivos (a) Construção de dois lisímetros de pesagem, baseados em células de cargas e sistema de redução de massa, (b)Calibração dos lisímetros cultivados com cana-de-açúcar, por adição e retirada de massas em condições de campo, (c) Analisar o funcionamento dos lisímetros.

1.1 Cana-de-açúcar

  Do total da cana esmagada,276.007,1 mil toneladas (45,08%) foram destinadas à produção de açúcar, produzindo 34.636,9 mil toneladas e 336.204,1 mil toneladas (54,9992%) destinadas álcool, deste total, 7.652,3 milhões de litros são de álcool anidro e 18.213,76 bilhões de litros são de álcool hidratado (CONAB, 2009). Segundo Doorenbos eKassam (1979), a necessidade hídrica da cana-de-açúcar é de 1500 a 2500 mm por ciclo vegetativo e o manejo da irrigação deve ser feito de acordo com as tensões deágua no solo, recomendadas para cada período do ciclo fenológico.

1.2 Evapotranspiração

  Evapotranspiração é o processo simultâneo de transferência de água para a atmosfera por evaporação da água do solo, superfícies livres de água e água retidapelas plantas e pela transpiração das plantas (BURMAN et al., 1983). Define-se a ET o como sendo a quantidade de água que seria utilizada por uma extensa superfície vegetada com grama, comaltura entre 8 e 15 cm, em crescimento ativo, cobrindo totalmente a superfície do solo, com área foliar constante, com ampla área de bordadura e sem restriçãohídrica de água no solo.

1.3 Métodos de Determinação da Evapotranspiração

   Método Tanque classe A Segundo Doorenbos e Pruitt (1975), a evapotranspiração potencial pode ser obtida multiplicando o valor da altura de evaporação obtida no tanque Classe A, por um fator de proporcionalidade, denominado coeficiente de tanque (Kp) que depende do valor da velocidade do vento e umidade relativa observadas no período, assim como das condições de exposição do tangue. (4) sendo Kp (o coeficiente de tanque) obtido de uma tabela ou através da relação: (5) em que B é a bordadura (m), U a velocidade do vento (km/dia) e UR a umidade (6) em que L 1 é a leitura anterior, L 2 leitura atual, P a precipitação (mm) e H o excesso.

2.1 Descrição da área experimental

  O trabalho foi conduzido na Usina Coruripe, situada na faixa litorânea Sul deAlagoas, com coordenadas geográficas 09° 56‟ de latitude Sul; 36° 05‟ de longitudeOeste, a uma altitude média de 75 m acima do nível do mar no município deCoruripe Segundo a classificação de Koppen, o clima local é do tipo „As‟, isto é, clima tropical chuvoso com verão seco. Os lisímetros foram instalados numa área de irrigação de gotejamento subsuperficial (para manter a condição de cultivo da cana-de-açúcar irrigada), sendo 2 a área do experimento de 1.100,00 m (50,00 x 22,00 m), numa área experimental na Fazenda Capiatã da Usina Coruripe.

2.2 Construção e Instalação dos Lisímetros

  2.2.4 Estrutura das Caixas InternasO material utilizado na confecção das caixas internas (Figura 8) foi chapa ferro galvanizado coberta com tinta impermeável (cor alaranjada) e depoisemborrachada, para dar maior sustentação a caixa foi amarrada externamente com um vergalhão de 3/4”, cada caixa tem as seguintes dimensões 1,50 x 1,80 x 1,20metros de largura, comprimento e profundidade, respectivamente. 24 A segunda forma foi utilizada por Campheche (2002) consiste no somatório de todas as diferenças de massa calculadas em cada intervalo de integração ao longo de um dia, descontando apenas os valores de precipitações e irrigações.

2 A = área do lisímetro (,7 m )

  A terceira forma foi adotada por Cruz (2005) em trabalho de instalação, calibração e funcionamento de lisímetro de pesagem em Seropédica c (diurno) como sendo o período em que ocorre a maior percentagem de radiação solar líquida positiva. 26 Na análise do funcionamento dos lisímetros, foi adotado a primeira forma ET c1 (diferença de massa do conjunto solo-caixa no início do dia (0 h) e a massa obtida no final do dia (24 h)) como padrão, conforme metodologia utilizada por Medeiros;Sentelhas; Lima (2003).

3.1 Construção

  Resultado semelhante foi obtido por Miranda; Yorder; Sousa (1999), em trabalho com lisímetro de pesagem observou a variação decrescente de massa a partir doinicio do dia, estendendo-se até o fim da tarde, já durante a noite há pouca variação de massa, indicando saldo negativo ocorrendo pouca perdas de água. Dias com ocorrência de chuvas são fonte de erros para a determinação da evapotranspiração, principalmente com chuva contínua ao logo do dia, como seobserva na Figura 17 a impossibilidade de determinar a evapotranspiração, pois o lisímetro apresenta variação crescente de massa ao logo do dia.

2 Ven

  A Figura 20 apresenta a performance do lisímetro 2, nota-se que a ocorrência da precipitação dar-se na madrugada, não mais acontecendo durante o dia (Figura21), possibilitando a utilização dos dados para o calculo da evapotranspiração em termos que os mesmos não foram prejudicados na extração dos valores diários(considerando a variação entre 06:00h e 00:00h). Como demonstra a Figura 22 o comportamento da temperatura apresenta-se constante nas primeiras horas do dia, devido à alta nebulosidade e por ocorrência deprecipitação nas primeiras horas do dia.

3.2 Calibração

  O ensaio obteve linearidade excelente entre asvariações de peso padrão e mensurados, pois os coeficientes de determinação (r 84 84 96 108 120P e so P a d rã o (Kg) Peso Mesurado (Kg) Lisímetro 1 72 60 48 36 24 12 96 108120 72 2 60 48 36 24 12 y = 1,0037x + 2,9885 R² = 0,9962 Figura 24 – Resultado da calibração do lisímetro de pesagem 1. a umidade relativa do ar estava abaixo de 60% e a temperatura em torno 23°C com velocidade média do vento foi superior 2 m/s 1 , conforme análise do dia 06/10/2010 na Figura 29 e 30 observa-se que 3 Um id ad e R e lativ a d o A r ( % ) Tem p e ratu ra M é d ia d o Ar (T °C) HoraTemperatura Umidade 1 , 0 e 7,40 mm para ETc 2 e 0 e 8,88 mmd.

Novo documento

RECENT ACTIVITIES

Tags

Documento similar

THAMYRIS DA SILVA MEDEIROS UTILIZAÇÃO DE CANA-DE-AÇÚCAR (Saccharum officinarum) NA ALIMENTAÇÃO DE BOVINOS LEITEIROS EM PROPRIEDADE NO LITORAL DO CEARÁ
0
0
30
MARIANE DE SOUZA OLIVEIRA TOLERÂNCIA DE VARIEDADES DE CANA-DE-AÇÚCAR (Saccharum spp.) À TOXIDEZ POR ALUMÍNIO EM SOLUÇÃO
0
0
112
TICOS E DISPONIBILIDADE DE FÓSFORO EM SOLOS CULTIVADOS COM ARROZ INUNDADO
0
0
8
METAIS PESADOS EM LATOSSOLOS TRATADOS COM BIOSSÓLIDO E CULTIVADOS COM MILHO EM EXPERIMENTO DE LONGA DURAÇÃO
0
0
8
DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DE NEMATÓIDES FITOPARASITOS EM ÁREAS CULTIVADAS COM CANA-DE-AÇÚCAR
0
0
7
USO DE ESPECTROSCOPIA NO INFRAVERMELHO MÉDIO, CALIBRAÇÃO MULTIVARIADA E SELEÇÃO DE VARIÁVEIS NA QUANTIFICAÇÃO DE ADULTERANTES EM BIODIESEIS E SUAS MISTURAS COM DIESEL
0
0
104
POR UMA ANÁLISE DO DISCURSO LITERÁRIO: FUNCIONAMENTO DA AUTORIA EM OSCAR WILDE E CONSTRUÇÃO DE IMAGEM DE AUTOR
0
0
144
MARCOS VIEIRA DE FARIA METAIS PESADOS EM SOLO E PLANTA COM APLICAÇÃO DE SILICATOS EM CANA-DE-AÇÚCAR
0
0
71
JULIANA DO NASCIMENTO GOMIDES ATRIBUTOS FÍSICOS DE LATOSSOLO CULTIVADO COM CANA-DE-AÇÚCAR E ADUBADO COM DEJETOS DE ANIMAIS DE CRIAÇÃO INTENSIVA
0
0
95
SILAGEM DE CANA-DE-AÇÚCAR TRATADA COM INOCULANTES MICROBIANOS E SUAS MISTURAS
0
0
8
UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA “JÚLIO DE MESQUITA FILHO” FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRONÔMICAS CAMPUS DE BOTUCATU EFICÁCIA DA MISTURA DE GLIFOSATO A OUTROS MATURADORES NA CANA-DE-AÇÚCAR (Saccharum spp.)
0
0
101
UMA INVESTIGAÇÃO COM PROPOSTA DE MARCO LEGAL E DE POLÍTICA NACIONAL DE ELETRICIDADE GERADA COM BIOMASSA RESIDUAL DA CANA-DE-AÇÚCAR
0
0
124
MODELOS DE CALIBRAÇÃO MULTIVARIADA ASSOCIADOS À ESPECTROSCOPIA VIBRACIONAL PARA ANÁLISE DE MISTURAS DIESEL- ÓLEOS VEGETAIS
0
0
120
CONSTRUÇÃO, ACIONAMENTO, CONTROLE E ANÁLISE DE DESEMPENHO DINÂMICO DE UM MOTOR SÍNCRONO A RELUTÂNCIA JOSEMAR ALVES DOS SANTOS JUNIOR
0
0
154
UEM: CONDICOES DE PARTICIPACAO E REGRAS DE FUNCIONAMENTO ()
0
0
12
Show more