RETOMANDO A AULA ANTERIOR

Livre

0
0
50
9 months ago
Preview
Full text

  

CURSO : ADMINISTRAđấO /UNAES/2016

PROCESSOS LOGÍSTICOS

  

AULA 1.4:

DESAFIOS LOGÍSTICOS

  

Com objetivo de atender aos novos desafios da Educação Superior, a

Kroton desenvolveu um sistema de ensino inovador, que está pautado

em três grandes alicerces:

  a) promoção da empregabilidade dos alunos;

  b) foco em qualidade e inovação e; c) oferta em escala.

  São três tempos didático:

  a) Pré-aula;

  b) Aula e; c) Pós-aula.

  Pensados para promover interação, aprendizado coletivo e uso dos saberes (saber, fazer, ser e conviver) por meio da problematização e da imersão em situações concretas da realidade profissional.

  RETOMANDO A AULA ANTERIOR

  • • Como podemos reduzir as perdas de clientes através da

    agregação de valor na cadeia de operações logísticas?

  • • O que é agregar valor através da logística?

  • • O que é cadeia de valor?

    LOGÍSTICA E VALOR PARA O CLIENTE

  4

TEMA DE AULA 3 U1 – 1.3

  

LOGÍSTICA E VALOR PARA O CLIENTE

De maneira geral, é possível observar que a logística tem o

potencial de agregar valores e integrar os recursos,

maximizando os resultados .

  CLIENTE

  

Com Isso consegue explorar novas oportunidades de mercado e permanecer

  Como a MP: Armazenada? Como a MP: Transportada? Como o produto: Fabricado, Armazenado e Distribuído?

  Segundo Neves (2005), logística tem valor quando são considerados os oito Rs:

Right (Certo)

  1. Right Material

– Material Certo.

  2. Right Quantity – Quantidade Correta.

  3. Right Quality

– Qualidade Justa.

  4. Right Place – Lugar Certo.

  5. Right Time – Tempo Correto.

  6. Right Method – Método Adequado.

  7. Right Cost – Custo Justo.

  8. Right Impression – Boa Impressão.

  Liquido de impostos - fabrica p/distribuidor Preço de venda Fabrica Distribuidor Varejista Consumidor Transporte até o Distribuidor (Liquido de Impostos) Impostos sobre vendas ao distribuidor Preço de Venda Fabrica p/ o Distribuidor (CIF) Impostos sobre fretes Custo do Distribuidor Valor Total pago pelo Distribuidor Lucro do Distribuidor Imposto sobre venda ao Varejista Valor total pago pelo Varejista Preço de Venda do Distribuidor ao Varejista (FOB) Imposto sobre venda ao Consumidor Custo do Varejista Preço de venda do Varejista ao Consumidor Lucro do Varejista Custo do Consumidor

  Vamos “mergulhar” SITUAđấO DA REALIDADE PROFISSIONAL (SR):

  AULA 1.4: DESAFIOS LOGÍSTICOS

  DESAFIOS LOGÍSTICOS

  Você já deve ter ouvido a seguinte frase:

  “O maior de todos os desafios logísticos é, sem dúvida, a

infraestrutura!”.

  Este é um jargão comum para todo qualquer profissional da área de logística, pois muitas empresas, de âmbito nacional ou internacional, atendem mercados e produções nos quais a distância e a qualidade do sistema de movimentação não podem ser um fator limitador, para este tipo de desafio é necessário um sistema logístico bem desenvolvido que favoreça o desenvolvimento operacional da organização.

  Você concorda com esta afirmação? Nesta seção, Ira se tratar dos desafios logísticos (no âmbito de processos nacionais e internacionais), bem como cenários e tendências para a execução de atividades logísticas, e de que maneira o profissional de logística pode ser um diferencial estratégico para as organizações.

  A realidade da empresa Tudo Eletrônicos, onde o Senhor José, o diretor, tem experiência na área de vendas e, por esse motivo, a empresa vem crescendo rapidamente, mas seus conhecimentos em técnicas e metodologias inovadoras utilizadas na área de logística são limitados.

  A empresa nunca ofereceu treinamentos, muito menos profissionalização aos profissionais que atuam na área logística da empresa.

  Para Inicio de Conversa.

  

Crescendo muito e precisa se Reestruturar...

   Estoque de até 40 dias para todos os produtos;  Apresentando problemas de perda de capital em decorrência deste alto estoque;  Nenhum método de gestão de estoques ou previsão de demanda;  Compra e a aquisição de materiais ocorre por meio da opinião e do conhecimento do dono da empresa;  Processo de entrega é utilizado um sistema de antigo, formação de carga para liberar a distribuição ao cliente final;  Atrasos na Entrega de Mercadorias e perda de clientes.

  O QUE FAZER PELA EMPRESA

Com base nas informações da empresa, devemos responder ao

questionamento:

Quais são os desafios logísticos que limitam a capacidade de uma

empresa?

  O que os Autores e Grandes Gurus da Logística

  É possível perceber uma crescente preocupação das empresas com os Desafios Logísticos.

  Algumas ferramentas adotadas em quase todos os países industrializados, e sua utilização contribui para a otimização dos processos logísticos.

  Segundo Fleury, Wanke e Figueiredo (2003), surgiu a necessidade de utilizar um conjunto de métodos e técnicas, como:  Just in time (JIT); ENGENHARIA SIMULTÂNEA; (QFD), O Desdobramento de Função Qualidade; (Lean Manufacturing), Engenharia simultânea e produção enxuta.

  JUST IN TIME (JIT): é uma filosofia que visa à redução do estoque, produzindo somente a quantidade necessária no tempo necessário.

  QFD: ferramentas da qualidade que tem por objetivo o desenvolvimento de produtos que incorporem as reais necessidades do cliente em seus projetos de melhoria.

  ENGENHARIA SIMULTÂNEA: é o envolvimento da gestão da produção ainda no desenvolvimento do produto, buscando antever os processos e possíveis ocorrências. LEAN MANUFACTURING: ou produção enxuta, é uma filosofia operacional

  

Planejamento da Demanda:

  Praticamente todos os desafios da logística surgem devido à escassez de processos que visem ao entendimento do comportamento da demanda do mercado com relação aos itens comercializados pela organização.

  

Métodos de Aquisição de Materiais:

  Relaciona processo de identificação, seleção, negociação e avaliação de fornecedores.

  

Armazenagem:

  Os desafios logísticos envolvidos no processo de armazenagem podem ser divididos em dois pontos de vista: o estratégico (localização do armazém ou centro de distribuição) e operacional (planejamento e controle dos processos de estocagem, tecnologias de facilitação de estocagem, movimentação e atendimento dos pedidos pelo armazém).

  

Gestão de Estoques:

  O desafio de gerenciamento de estoques possibilita a agregação de valor quando o produto está disponível para o cliente no momento desejado, gerando um resultado favorável para os quesitos relacionados ao nível de serviço.

Transportes:

  

O desafio do transporte aborda desde a seleção correta do modal (tipo/modelo)

de transporte até o gerenciamento das rotas e frotas, pois o custo do transporte

é um dos maiores responsáveis pelo aumento no custo logístico, bem como a

relação direta desta atividade com o recebimento dos insumos e o nível de

  

Infraestrutura:

  Este desafio é um dos com maior grau de importância, pois problemas na infraestrutura logística prejudicam o fluxo de produtos entre os diversos pontos da cadeia logística.

  

Visibilidade das Informações:

  Informações, quando compartilhadas de forma integrada, em um ambiente colaborativo, para que todos os atores da cadeia logística visualizem o processo de atendimento de determinado pedido, é um desafio, mas também um grande diferencial estratégico.

Tecnologia da Informação:

  O tratamento das informações envolvidas no processo de planejamento das operações logísticas, aliada aos avanços da tecnologia, demandam do profissional de logística um foco nesta área, pois tecnologia e logística, quando associadas, se transformam em diferencial estratégico das empresas.

  

Gestão de Pessoas:

  Este desafio é iniciado com a seleção de profissionais, bem como a capacitação, motivação e, acima de tudo, no desenvolvimento de equipes multifuncionais comprometidas com os resultados desejados.

  

Tributação:

  Segundo o Portal Tributário (2015), o conceito de tributo engloba impostos, taxas de serviços públicos e contribuições de melhoria (decorrente de obras públicas), contribuições sociais e econômicas, encargos e tarifas tributárias (com características fiscais) e emolumentos a serem pagos pelo Poder Público em função de obtenção/transferência de bens e/ou serviços, diretos, específicos ou de concessão.

  O Brasil possui 92 tipos diferentes de tributos, sendo que pelo menos

  44 deles afetam os custos logísticos .

  

Globalização:

  É notória a possibilidade de comercializar qualquer produto ou serviço em nível mundial.

  Uma empresa de fast food que pretende vender seus produtos na Índia, não poderá ofertar alimentos à base de carne bovina, pois a “vaca” é sagrada para os moradores daquele país.

Exigências Legais, Sociais e Ambientais:

  Legislação é um conjunto de leis que organiza a vida de um país. No âmbito nacional, existem várias leis especificas (sendo nacionais, estaduais e/ou municipais) para a área logística, a exemplo da Lei nº 13.103, de 2 de março de 2015, que dispõe sobre o exercício da profissão de motorista, estabelecendo períodos de paradas e/ou troca de motorista em longos trajetos.

  UM PROFISSIONAL NA ÁREA DE LOGÍSTICA

  Segundo Fleury, Wanke e Figueiredo (2003), para ser um profissional de logística é necessário entender os processos de armazenagem, de produção e distribuição. Além disso, outras características necessárias são:

  Capacidade de organização e visão de projeto. Responsabilidade. Adaptabilidade e estar atento às inovações. Facilidade de coordenação de equipes. Habilidade em resolver situações adversas e criatividade. Habilidade em utilizar métodos matemáticos e matemática aplicada para a solução de problemas.

  • Habilidade para lidar com as pessoas.

  

Sistemas de Controle de Estoques

Just in time - introdução

  • Surgiu no Japão na década de 70, sendo aplicado posteriormente no Ocidente a partir dos anos 80
  • A Toyota foi a primeira empresa a introduzir o Sistema em linhas de montagem
  • Caracteriza-se por conciliar alta qualidade

  com preços competitivos

  

Expectativa que o Mercado Compre

  Empurra-se a produção até o depósito

  • – VENDER e VENDER

  

Puxar a produção com alinhamento a demanda. O MERCADO ESTA PEDINDO O

PRODUTO

Just in time ALTA COMPETITIVIDADE

  

Sistemas de Controle de Estoques

Just in time - filosofia

  • Redução de desperdícios no processo de

    manufatura
  • Sistema em que a demanda puxa a produção , ao contrário da comum abordagem, em que a produção empurra os estoques
  • A produção é definida de acordo com a

  necessidade de consumo , impedindo que se

  Sistemas de Controle de Estoques

Just in time - filosofia

  • Estimula o questionamento das normas estabelecidas
  • Procura máxima eficiência no processo

  produtivo para reduzir ao máximo os estoques

  • Não trabalha com a metodologia do Lote Econômico
  • Oferece a cada operário o poder de interferir

  no processo produtivo, quando reconhece falhas,

de modo a corrigi-las o mais rápido possível.

  

Sistemas de Controle de Estoques

Just in time - filosofia

  • Grande importância para a manutenção

  preventiva , feita pelos próprios operários, de

modo a diminuir as chances de paradas na

produção

  • Aplicação do conceito de melhoria contínua; as falhas são utilizadas como fontes de informações

  Sistemas de Controle de Estoques Just in time - objetivos

  a) minimização dos prazos de fabricação dos

  produtos finais

  b) redução contínua dos níveis de inventário

  c) redução dos tempos de preparação de

  máquina

  d) redução ao mínimo do tamanho dos lotes

  fabricados, buscando sempre o lote igual à unidade

  

e) liberação para a produção através do conceito

  de , ao invés de

  “puxar” estoques “empurrar ”, em antecipação à demanda

  f) flexibilidade da manufatura pela redução

  dos tamanhos dos lotes, tempos de preparação e tempo de processo

  Sistemas de Controle de Estoques

Just in time Ố LIMITAđỏES

  • R estrição à faixa do sistema produtivo e à

  instabilidade da demanda; risco de ruptura devido a minimização dos níveis de estoque

  

Sistemas de Controle de Estoques

Just in time : DESVANTAGENS podem causar grandes estragos:

  Pequenos imprevistos Como não há estoques, o atraso de um fornecedor pode deixar a fábrica parada por horas ou até dias.

  Como há poucos produtos prontos estocados, a empresa nunca está pronta para fazer uma grande entrega imediata.

  , a linha de Se a empresa ficar um tempo longo sem vender produção fica parada, com as máquinas e funcionários ociosos.

  

GESTÃO DE INVENTÁRIO

  

O Inventário Geral ou Periódico (anual), e o

Inventário Rotativo(qualquer momento)

  Existem dois tipos de inventario

  

Inventário Geral ou Periódico

Efetuados (ANUAL) ao final do exercício fiscal, eles

abrangem todos os itens de estoque de uma só vez .

  

Ou Seja é feito no final de cada período contábil, tem efeito

Vale para todos os itens fiscal

Representa uma oportunidade de corrigir qualquer imprecisão nos registros

  São operações de duração relativamente prolongada , que, por incluir quantidade elevada de itens, impossibilitam as reconciliações, análise das causas de divergências e consequentemente ajustes na profundidade.

  

Inventário Rotativo

Visa distribuir as contagens ao longo do ano, com maior frequência , concentrada a cada mês em menor quantidade de itens. Deve se reduzir a duração unitária da operação, melhora as condições de análise das causas de ajustes e visa o melhor controle.

  Abrange através de contagens programadas todos os itens

de várias categorias de estoque e matéria-prima, embalagens,

suprimentos; produtos em processo e produtos acabados.

  Finalidade: detectar e corrigir diferenças, reduzir e eliminar possíveis perdas e é realizado em um número reduzido de itens, realizado durante o período contábil.

  

Inventário ou Balanço (linguagem comercial) é o processo de

verificação dos estoques de produtos, mercadorias e materiais da empresa. Esta verificação é feita

  “in loco”, através da

contagem dos itens.

  

INVENTÁRIO FÍSICO

  

INVENTÁRIO FÍSICO

O inventário físico é uma contagem periódica dos materiais

existentes para efeito de comparação com os estoques

registrados e contabilizados em controle da empresa, a fim

de comprovar sua existência e exatidão.

  Desse modo os inventários visam confrontar a realidade física dos estoques , em determinado momento, com os

registros contábeis correspondentes nesse mesmo momento.

  Com sua realização , fica viável efetuar as conciliações necessárias e identificar as possíveis falhas de rotina ou de sistema, corrigindo-as.

  

INVENTÁRIO FÍSICO

Periodicamente a empresa deve efetuar contagens de seus itens de estoque e produtos em processo para verificar:

  1. Discrepâncias em valor , entre o estoque físico e o estoque contábil;

  2. Discrepâncias entre registros (sistema) e o físico (quantidade real na prateleira);

  

3. Apuração do valor total do estoque (contábil) para efeito

de balanços ou balancetes. Neste caso o inventário é

realizado próximo ao encerramento do ano fiscal.

Categorias de Estoque e Matéria-Prima

  Grupo 1 itens mais

  • Serão enquadrados os

  

significativos , os quais serão inventariados três

vezes ao ano ; por representarem maior valor em

estoque e serem estratégicos e imprescindíveis à

produção.

  • Grupo 2 Será constituído de itens de importância

  intermediária quanto ao valor do estoque, estratégia e manejo. Estes serão inventariados duas vezes ao ano.

  Grupo 3

será formado pelos demais itens.

  Será composto de muitos itens que representam pequeno valor de estoque. Os materiais deste grupo serão inventariados uma vez por ano .

  

Organização das equipes

1ª contagem (reconhecedores).

  

2ª contagem (revisores).

  Com antecedência de três semanas distribuir a lista de convocação para cada funcionário, com esclarecimentos e motivação para o bom andamento dos trabalhos.

  é costume usual uma preparação

  Para a realização do inventário físico

  prévia da equipe inventariante :

  a) arrumação física do estoque; b) corte das compras e vendas.

  A equipe inventariante deve receber as instruções e procedimentos para efetuarem as contagens.

  A arrumação física é verificar a existência de produtos

  fora do lugar ou o mesmo produto em lugares diferentes por falta de espaço.

  Já o corte de compras e vendas

  é a proibição de qualquer entrada e

  seja no estoque físico nos sistemas Compras e

  saída de mercadoria, ou Estoque e Vendas e Faturamento.

  As áreas e os itens a serem inventariados deverão ser arrumados

  da melhor forma possível:

  ·

  Agrupando os produtos iguais;

  ·

  Identificando todos os materiais

  com seus respectivos cartões; · Deixando os corredores livres e desimpedidos para facilitar a movimentação;

  ·

  Isolar os produtos

  que não devem ser inventariados; Deverá também ser providenciado com antecedência todo o equipamento necessário para a tomada do inventário;

  Arrumação Física

  • Balanças aferidas;

  • Balança contadora;

    Equipamentos de movimentação, etc.

  Como Organizar um Inventário Físico Periódico

  • – CHECK LIST
  • Passos para se organizar um bom Inventário Físico Periódico: Determinar com antecedência o time do inventário

      1. Relação das ações necessárias para a preparação e execução do inventário 2. Emissão de um memorando informando sobre a data do inventário Geral.

      3. Organograma de Responsabilidade no inventário. 4. Determinação das Áreas a Inventariar

      5. Pode-se ou não incluir um Layout dos Locais a Inventariar 6. Determinar os possíveis grupos de suporte

      7. Determinar o Grupo de Recepção das fichas de inventário 8. Determinar o time das balanças de pesagens.

      9. Determinar as equipes de contagem 10. Deve se determinar a data de corte de entradas e saídas do inventário

      11. Determinar os horários do inventário e regras gerais

      Cut-Off (análise das diferenças) um mapa com todos os detalhes dos três

    • Consiste em

      

    últimos documentos emitidos antes da contagem (notas

    fiscais, notas de entrada, requisições de materiais, devoluções de materiais).

    • É um dos procedimentos mais importantes do

      inventário ; se a sua organização não for bem feita, corre-se o risco de o inventário não corresponder à realidade.

    Recomendações e observações antes do inventário

      que haja movimentação de materiais na data da contagem;

    • Não se recomenda

      os fornecedores para que não sejam entregues materiais nesta data;

    • O depto de compras deve instruir

      com antecedência os suprimentos necessários à produção no dia do inventário;

    • O Depto de Produção deverá requisitar

      , em tempo hábil, os produtos acabados para o almoxarifado;

    • O Depto de Produção deverá transferir

      para que os produtos faturados e não entregues sejam isolados dos demais que serão inventariados.

    • A expedição deverá também ser instruída

    Atualização e registros de estoque

      dos itens

    • Todas as entradas e saídas e consequentemente saldos deverão estar obrigatoriamente atualizados até a data do inventário.

      , ou outra modalidade de controle de

    • O responsável pelo kardex

      estoque terá a incumbência de assegurar que todos os tipos de

      documentos utilizados

      para registrar o movimento foram considerados.

    • O almoxarifado ou os emitentes dos documentos que implicam

      movimentação do estoque deverão carimbar com

      “Antes do Inventário” os documentos emitidos 1 dia antes da data da contagem e da mesma forma serão identificados com

      “Depois do Inventário”; os documentos que registrarem

      o movimento de itens emitidos no dia seguinte ao inventário.

    • O saldo atualizado no kardex (relatório de estoque) será

      sublinhado indicando a quantidade disponível na data do inventário.

    • Este saldo será utilizado como estoque para fins de reconciliação

      com o inventário físico e eventual reajuste.

    Reconciliações e Ajustes

    • Os setores envolvidos nos controles de estoque deverão

      providenciar justificativas para as variações ocorridas entre o estoque contábil e o inventariado.

    • O Departamento de Controle de Estoque providenciará a

      valorização

      do inventário em um mapa chamado

      “Controle das

      Será assim efetuada a somatória dos Diferenças de Inventário”. valores contábil, físico, diferenças “a mais”, diferenças “a menos” e diferença global.

    • Dentro da política da empresa, os porcentuais de diferenças podem ser aceitos ou não.
    • Como regra geral para os itens classe A, não devem ser aceitos

      ajustes

      de inventários, procurando sempre justificar o motivo da diferença.

    • Após aprovado o ajuste do inventário, o Controle de Estoques emitirá relação autorizando os ajustes devidos.

      

    EXERCICIOS AULA 4

      Neste contexto, em que as mudanças no mercado influenciam no futuro de funções e cargos?

      

    a) As mudanças exigem que o profissional exerça uma carga horária menor e tenha um

    relacionamento interpessoal com os demais empregados da organização.

      

    b) As mudanças exigem que o profissional seja criativo e inovador, além de trabalhar uma carga

    maior de horas.

      

    c) As mudanças exigem que o profissional seja mais cuidadoso e exerça uma jornada maior de

    trabalho.

      

    d) As mudanças exigem que o profissional esteja sempre atualizado e busque novos

    conhecimentos.

      

    e) As mudanças exigem que o profissional corra mais riscos e dedique seu templo exclusivamente

    a produção.

      

    2. A frase "Se as empresas não garantem sua própria estabilidade, como vão garantir o emprego

    das pessoas". Significa que: a) o mundo corporativo é muito competitivo e que muitas empresas não sobreviverão.

      b) o mundo corporativo é muito competitivo e requer dos profissionais menor dedicação.

      

    c) no mundo corporativo não é muito competitivo e não requer uma qualificação mínima de

    empresas e profissionais.

      

    d) o mundo corporativo é muito competitivo e requer muita qualificação de empresas e

    profissionais.

      

    e) o mundo corporativo passa por um processo de turbulência e por Isso deve-se aguardar antes

    de tomar qualquer ação.

      

    3. Podemos afirmar que a realidade do mundo corporativo contemporâneo é de total estabilidade

    para as empresas e para os profissionais. Em relação a esta afirmação, responda:

    a) É verdadeira, pois tanto as empresas quanto os profissionais vivem uma situação de

    estabilidade.

      

    b) É falsa, porque tanto empresas quanto profissionais vivem um cenário extremamente

    instável e inseguro.

      

    c) É verdadeira com relação às empresas, que são organizações extremamente sólidas no mundo

    corporativo.

      d) É falsa, porquanto somente as empresas vivem um ambiente de instabilidade.

      e) É verdadeira porque a economia está muito bem e as empresas também.

      ANALISE EXERCÍCIOS CUSTOS LOGÍSTICOS MODELOS EXERCÍCIOS

      Dividir em grupos: Leitura e resolução de situações relacionadas ao conteúdo.

      Se você quiser mais

    algum esclarecimento

    ou ajuda, não deixe de

    fazer contato!

      FUI...

      

    Adm.antoninosalvatierra@gmail.com

Novo documento

Tags

Documento similar

A fuzzy logic-based expert system for substrate selection for soil construction in land reclamation
0
0
7
A CONJUGAÇÃO DE VERBOS IRREGULARES POR CRIANÇAS FALANTES NATIVAS DE PORTUGUÊS BRASILEIRO: UM ESTUDO SOB O VIÉS DA FONOLOGIA E MORFOLOGIA LEXICAL
0
0
22
CONJUGATION OF IRREGULAR VERBS BY NATIVE BRAZILIAN PORTUGUESE SPEAKING CHILDREN: A STUDY IN THE LIGHT OF LEXICAL PHONOLOGY AND MORPHOLOGY
0
1
22
A AQUISIÇÃO DAS VOGAIS PRETÔNICAS EM PORTUGUÊS BRASILEIRO
0
0
32
Souza-Cardoso e Boccioni: movimentos analógicos em confronto Souza-Cardoso and Boccioni: A Comparison of Similar Movements
0
0
16
Souza-Cardoso and Boccioni: A Comparison of Similar Movements Souza-Cardoso e Boccioni: movimentos analógicos em confronto
0
0
16
A vanguarda florentina de Lacerba e Portugal Futurista: afinidades e divergências The Florentine Vanguard of Lacerba and Portugal Futurista: Affinities and Differences
0
0
19
The Florentine Vanguard of Lacerba and Portugal Futurista: Affinities and Differences A vanguarda florentina de Lacerba e Portugal Futurista: afinidades e divergências
0
0
19
A ironia como zona de confronto entre diferentes vozesdizeres em comentários do Facebook Irony as a Zone of Confrontation between Different VoicesVoicings in Facebook Comments
0
0
23
Irony as a Zone of Confrontation between Different VoicesVoicings in Facebook Comments A ironia como zona de confronto entre diferentes vozesdizeres em comentários do Facebook
0
0
26
Novos percursos da ciência: as modificações da divulgação científica no meio digital a partir de uma análise contrastiva New Paths for Science: A Contrastive Discourse Analysis of Modifications in Popularizing Science through Digital Media
0
0
23
New Paths for Science: A Contrastive Discourse Analysis of Modifications in Popularizing Science through Digital Media Novos percursos da ciência: as modificações da divulgação científica no meio digital a partir de uma análise contrastiva
0
0
28
RETOMANDO A AULA ANTERIOR
0
0
55
RETOMANDO A AULA ANTERIOR
0
1
33
Exercicios AULA 5 Completo Just In Time e Inventarios Acuracia
0
0
7
Show more