PARA SABER MAIS: FONTES DE INFORMAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Livre

0
0
180
7 months ago
Preview
Full text

  

Autorização concedida ao Repositório Institucional da Universidade de Brasília (RIUnB) pelo

autor para disponibilizar a obra, com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative

Commons 3.0, que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho, desde que seja citado o

autor e licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação desta.

  

Authorization granted to the Institutional Repository of the University of Brasília (RIUnB) by

the author to provide the work with the following conditions: available under Creative

Commons 3.0 License, which allows you to copy, distribute and transmit the work provided

that the author and licensor is mentioned. Can not use for commercial purposes or to adaptation. Referência: CUNHA, Murilo Bastos da. Para saber mais: fontes de informação em ciência e tecnologia.

  Brasília: Briquet de Lemos/ Livros, 2001. 168 p.

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

  

Murilo Bastos da Cunha

Para saber mais:

fontes de informação em

ciência e tecnologia

  

© M urilo Bastos da Cunha 2001

Direito s autorais d esta ed ição adquiridos por Lemos Info rm ação e Co m unicação Ltd a.

  

Tod os os direitos reservados. De acordo com a lei n ."9 610, de 19/ 2/ 1998,

nenhum a parte d este livro pode ser fotoco piad a, gravada, reproduzida ou

armazenada num sistem a de recuperação de informaçõ es ou transmitid a

sob qualquer forma ou por qualquer meio, digital, eletrô nico ou m ecânico ,

sem o prévio co nsentim ento da editora.

  

Revisão: Maria Lucia Vilar de Lemos

Capa: Formatos Design e Info rm ática Ltda.

  

D ad o s in tern ac io n ais d e C atalo g aç ão na Pu b licaç ão (CIP)

(D ep artam e n to N acio nal d o Liv ro , Bib lio te c a N acio nal, R), Brasil)

C 972p C u n h a, M u rilo Basto s da.

  Para saber m ais : fo n tes d e in fo rm ação em c iê n c ia e tecno lo g ia / M u rilo Basto s da C u n h a. - Brasília : Briq u et d e Lem o s / Liv ro s, 2001.

  168 p . ; 2 2 ,S cm

  ISBN 85- 85637-17-X

1. Liv ro s d e referência - Bib lio g rafia. 2. C iê n c ia - Bi­ b lio g rafia. 3. Tec n o lo g ia - Bib lio g rafia. 1. Títu lo .

  C D D - 0 1 1.02

2001

  

Briquet de Lemo s / Livros

Lemo s Info rm ação e Co m unicação Ltda.

SRTS - Quadra 701 - Blo co K - Sala 831

Ed ifício Embassy Tow er

  

Brasília, D F 70540-000

Telefo nes (61) 322 98 06/ 313 6923

Fax (61) 323 17 25

  SUMÁRIO

  Intro d ução , vii

  1 Fo ntes primárias, 1 Congressos e co nferências, 1 Legislação , 5 Nomes e marcas co m erciais, 5 Normas técnicas, 6

  Patentes, 12 Periódicos, 16 Pro jeto s e pesquisas em and am ento , 29 Relató rio s técnico s, 30

  Teses e d issertaçõ es, 31 Trad uçõ es, 33

  2 Fo ntes secundárias, 35 Bases de dados e banco s de dados, 35 Biblio grafias e índ ices, 36 Biografias, 45 Catálo go s de biblio tecas, 51 Centro s de pesquisa e laborató rio s, 54 D icio nário s e enciclo pédias, 55 Dicio nário s bilíngües e m ultilíngües, 63 Feiras e expo siçõ es, 69 Film es e vídeos, 70 Fo ntes histó ricas, 70 Livros, 88 M anuais, 95 Internet, 98 M useus, herbário s, arquivos e co leçõ es científicas, 105 Prêmios e honrarias, 108

  Red ação técnica e meto d olo gia científica, 111 Siglas e abreviaturas, 121

  Tabelas, unidades, medidas e estatística, 124

  3 Fo ntes terciárias, 126 Bibliografias de bibliografias, 126 Biblio tecas e centro s de info rmação, 127 VI PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM CIÊN C IA E TEC N O LO G IA

  D iretó rio s, 129 Financiam ento e fo m ento à pesquisa, 139

  Guias biblio gráfico s, 142 Revisões da literatura, 148

  índ ice, 149

  INTRODUđấO P

  IC T

  mó ria co letiv a, isto é, co nhecer os d esco brim ento s de seus colegas para po-

  IC T. Portanto , todo pesquisador deveria possuir essa m e­

  Os países desenvolvidos co ntinuam a increm entar o inv estim ento na pes­ quisa científica e tecno ló gica. Entretanto , aqui caberia uma ind agação a res­ p eito da paternid ad e dos d esco brim ento s, tend o em vista, por exemplo , que m uitas revistas técnicas russas são auto m aticam ente traduzidas pelos no rte- am ericano s e vice-versa. E possível dizer que o patrim ô nio do saber co nsti­ tui um dos recursos mais im p o rtantes da hum anid ad e e que, por extensão , o progresso da ciência pode ser uma reflexão coletiva fundada em uma m em ó ­ ria co letiva, que está baseada, cada vez mais intensam ente, na transferência internacio nal da

  

IC T

produzida por uma nação.

  ampliando, cada vez m ais, o que Jean-Jacques Servan Schreiber cham o u de ‘fosso tecno ló g ico ’ . Pod e-se afirmar, então , que existe uma relação entre o crescim ento do pro­ d uto interno bruto e a quantid ad e de

  Entre os fato res que d istinguem os países desenvolvidos dos em d esen­ vo lvim ento (agora em ergentes) está o acesso à info rmação . Realm ente, os países desenvolvidos po ssuem acesso mais rápido à

  não ser fácil, ela g eralm ente provê benefício s palpáveis para quem se esfo rça por utilizá-la em sua plenitud e.

  e que tenha a necessária p aciência, energia e perspicácia, terá uma vantagem so ­ bre aqueles que não possuam as habilid ad es necessárias ou que sejam pre­ guiço so s para utilizá-las. Portanto , apesar de o uso da

  or que se deve fazer uso regular de artigos de perió d ico s, p atentes, ba­ ses de dados, índ ices e o utras fo ntes de info rm ação científica e tecno ­ lógica

  IC T ,

  po rtanto , pode funcio nar co m o uma valiosa fo nte de insp iração e serend ipid ad e para o aluno, pro fissio nal, professor ou pesquisador. As fo ntes impressas e eletrô nicas nem sempre são as primeiras esco lhas quand o se busca d eterm inad o dado. Ás vezes é mais fácil indagar a um co le­ ga, valend o -se assim do d eno m inad o ‘co légio invisível’ . Entretanto , o p rati­ cante de ciência e tecno lo gia que souber utilizar as fo ntes de

  IC T ,

  ajud a a evitar a d uplicação de trabalho s previamen­ te realizados. Essa ação pode redundar na eco no m ia de tem p o e de recursos m ateriais, hum ano s e financeiro s. A lém disso, e talvez o mais im p o rtante, pode servir de m anancial de idéias ou para o d esenvo lvimento de uma idéia. A

  IC T

  A premissa básica d este livro é que o uso regular e efetivo das fo ntes apropriadas, impressas ou eletrô nicas, é a chave para se alcançar o sucesso na pesquisa e d esenvo lvimento , co m o tam bém em quaisquer ativi­ dades ligadas à ciência e tecno lo gia. O uso efetivo da

  ( IC T )?

IC T,

  VIU PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

  der, ev entualm ente, explo rá-lo s e ap erfeiço á-lo s, e, p rincip alm ente, evitar a d uplicid ad e de esforços.

  As fo ntes de

  IC T possuem características co m uns. As principais são:

  a) fo rm ato : aparecem em d iferentes fo rm ato s, incluind o p erió d ico s, re­ lató rio s técnico s, m anuais e p atentes. A lguns, co m o as p atentes, são mais co m uns nas áreas tecno ló gicas;

  b) universalidade: cientistas e engenheiro s, dispersos pelas várias regi­ ões do globo, utilizam em seus trabalho s as m esm as fó rm ulas, tabelas e medid as. Essa característica faz co m que a m eto d o lo gia e os resultad o s de d eterm inad a pesquisa sejam co m p reend id o s por esp ecialistas de to d o s os países; c) acum ulação dos co nhecim ento s: d iferentem ente de o utras d iscip li­ nas, a ciência e a tecno lo gia são co nstruíd as co m info rm açõ es co letad as ao lo ngo do tem p o ; assim, o cientista ou engenheiro não precisa reinventar uma info rm ação básica que já se enco ntra disponível nas diversas fo ntes de info r­ mação.

  C o m o o co nceito de fo nte de info rm ação ou d o cum ento é m uito amplo , pois pode abranger m anuscrito s e publicaçõ es impressas, além de o bjeto s, co m o amo stras m inerais, obras de arte ou peças m useo ló gicas, esta obra restringe-se à análise das fo ntes que co nfirm em qualquer co nhecim ento e que p erm itam ser incluíd as num a d eterm inad a co m p ilação biblio gráfica. As fo ntes selecio nad as foram lim itad as às formais e sem ifo rm ais. N o te-se, po­ rém, que as info rm ais, d eco rrentes, entre o utro s, de co ntato s pesso ais, car­ tas, co m unicaçõ es orais e mensagens eletrô nicas, que precederam histo rica­ m ente as fo ntes fo rmais, ainda são m uito im p o rtantes. Estim a-se que o co ­ légio invisível dos cientistas e pesquisadores co ntinua a ter papel p red o m i­ nante e que cerca de 50 a 80% das info rm açõ es provêm d este tipo de fo nte.

  O volume da aum ento u de tal mo d o que se fala m uito em crise ou

  IC T

  explo são da info rm ação , fenô m eno p articularm ente sensível no cam p o dos perió d ico s primários, cujo núm ero , que era de 10 no fim do século XV III e de 100 por volta de 1800, chego u a 10 000 em 1900 e em to rno de 100 000 em 1970. Deve-se esse aum ento quase exp o nencial, p rincip alm ente, a fato ­ res co m o :

  a) o acúm ulo de novos co nhecim ento s, p rincip alm ente após a Segund a Guerra M und ial;

  b) a diversificação de áreas de co nhecim ento s;

  c) as m ito ses nos ramos da ciência, provocando o surgim ento de novas d isciplinas científicas; d) o aum ento do núm ero de usuários e a d iversificação de seus interes­ ses; IN TRO D UÇ Ã O

  IX

  e) os fenô m eno s de rep etição e d up licação de pesquisas;

  f) interesses extracientífico s, tais co m o a necessid ad e pro fissio nal de p ublicar (a famosa sínd ro m e de p u b l i s h o r p e r i s h (publique ou d esap areça). C o m o ad vento da Internet, esse fenô m eno fico u mais visível. C o nstata- se a existência de m ais de 40 m ilhõ es de páginas ( h o m e p a g e s ) , nem sempre to talm ente ind exad as pelos m ecanism o s de busca.

  D e aco rd o co m Gro gan,' os d o cum ento s ou fo ntes de info rm ação podem ser divididos em três catego rias: a) d o cum ento s primários: co ntêm , p rincip alm ente, novas info rm açõ es ou novas interp retaçõ es de idéias e/ ou fato s aco ntecid o s; alguns po d em ter o asp ecto de registro de o bservaçõ es (co m o , por exemplo , os relatório s de ex­ p ed içõ es científicas) ou podem ser d escritivo s (co m o a literatura co m erci­ al);

  b) d o cum ento s secund ário s: co ntêm info rm açõ es sobre d o cum ento s pri­ mário s e são arranjad o s segundo um plano d efinitivo ; são, na verdade, os organizado res dos d o cum ento s primários e guiam o leito r para eles;

  c) d o cum ento s terciário s: têm co m o função principal ajud ar o leito r na pesquisa de fo ntes primárias e secund árias, sendo que, na m aio ria, não tra­ z em nen h u m c o n h e c im en to ou assu nto co m o um to d o , isto é, são sinalizad o res de lo calização ou ind icad o res sobre os d o cum ento s primários ou secund ário s, além de info rm ação factual; este livro é um exem p lo de d o cum ento terciário .

  Esta obra ad o ta o arranjo da tipologia proposta por Gro gan. Seu o bjetiv o principal é servir de guia para estud antes universitário s, professores e pes­ quisad o res, das diversas áreas da ciência e tecno lo gia, se o rientarem na vasta literatura esp ecializad a. As ciências bio m éd icas não foram incluíd as. Pro cu­ ro u-se incluir, de forma seletiva, as principais fo ntes - sejam d o cum ento s im presso s, d o cum ento s eletrô nico s, instituiçõ es ou sítio s da Internet. Por­ tanto , não ho uve intenção de fazer um estud o exaustivo. O esco po fo i o de analisar aquelas fo ntes gerais que pudessem ser úteis para um mais largo esp ectro de usuários. N ão se incluíram fo ntes m uito esp ecíficas ou de inte­ resse restrito a uma área de co nhecim ento . A análise das fo ntes term ino u em d ezem bro de 2000, e o o bjetiv o foi incluir, tanto quanto possível, o m áxim o de d o cum ento s surgidos até essa d ata. Fo ntes mais antigas foram incluíd as quand o co nsid erad as clássicas e úteis para o usuário brasileiro.

  Para análise das obras impressas, foram co nsultad o s os acervos das bib li­ o tecas da Universidade de Brasília, do Instituto de Ensino Superior de Brasília, do Institu to Brasileiro de Info rm ação em C iência e Tecno lo gia, da Casa

  S c i e n c e a n d t e c h n o lo g y : a n in t r o d u c t io n t o t h e lit e r a t u r e .

  Lo nd o n: Clive Bingley, 1970, p. 14-15.

1 GROGAN, Denis.

  X PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

  Tho m as Jefferso n, da Universidade de São Paulo, da Universid ade Estad ual de Cam p inas, do Instituto de Pesquisa Tecno ló gica de São Paulo, e da Univer­ sity o f M ichigan (A nn Arbor, EU A ).

  Tanto quanto po ssível, fo ram incluíd o s os end ereço s eletrô nico s na Internet, que foram co nferid o s antes de esta obra ir para o prelo. Entretanto , tend o em vista a vo latilid ad e desses end ereço s, é provável que alguns não estejam funcio nand o e/ ou hajam sido transferid o s para o utro s sítio s. Em razão disso, o autor, de forma antecip ad a, so licita a co labo ração dos leito res para a co rreção das m ud anças que forem d etectad as.

  M u r i l o B a s t o s d a C u n h a D ep artam en to d e C iê n c ia d a In fo rm aç ão e D o c u m en taç ão U niv ersid ad e d e Brasília

  1 FO N T ES PRIM Á RIA S C O N G R ES S O S E C O N FER ÊN C IA S

  A ap resentação de trabalho s em evento s científico s (co nferências, co n­ gressos, enco ntro s, sem inários, painéis, w o r k s h o p s , etc.) tem sido um dos mais im p o rtantes meio s de d issem inação de ICT. As info rm açõ es podem ser co m unicad as mais rapid am ente por m eio desses trabalho s do que em arti­ gos de perió d ico s que, m uitas vezes, d emo ram meses para serem p ublica­ dos. O utras vantagens que a apresentação de trabalho s em evento s o ferece são:

  a) em geral, a avaliação prévia do trabalho por parte da co m issão respec­ tiva é m eno s rígida; é necessário , porém, que o auto r tenha algo de novo ou im p o rtante que possa despertar a atenção dos p articip antes;

  b) po ssibilid ad e de receber rápida retro alim entação por parte dos p arti­ cip antes, bem co m o co m entário s e críticas após a ap resentação do trabalho ; c) po ssibilid ad e de estreitar a co m unicação info rm al, facilitand o o in­ gresso no co légio invisível a partir de co ntato s co m esp ecialistas que estão trabalhand o co m o m esm o assunto.

  O âm bito geo gráfico dos congressos e co nferências é dos mais variados. Podem ser internacio nais, regionais, nacio nais, estad uais, lo cais ou m esm o de uma instituição esp ecífica. O núm ero de evento s tem crescid o bastante e existem inúm eras instituiçõ es especializad as em sua organização.

  Ind ep end entem ente de seus fo rm ato s, essas reuniões geram grande nú­ m ero de d o cum ento s dos mais diversos tipos, a saber: a) antes do evento : são feito s anúncio s, so licitação de trabalho s, divulga­

  ção de programas preliminares em revistas gerais ou esp ecíficas, bem co m o na Internet, o nde são cada vez mais co muns páginas de evento s científico s; b) d urante o evento: d istribuem -se resumos e pré-p ublicaçõ es ( p r e p r i n t s ) dos trabalho s aos particip antes e, em reuniões mais bem o rganizadas, nessa o casião , os respectivos anais ( p r o c e e d i n g s ) . Os anais podem ser publicados na forma impressa, em d isquetes e em ced erro m . Tam bém co stum am ser vendidas as gravações (sonoras e visuais) dos debates e sessões;

  c) após o evento : os trabalho s apresentado s, d ebates, perguntas e respos­ tas, m uitas vezes são publicados co m o anais, mo no grafias ou m esm o em fascículo s esp eciais de periódicos científico s.

  2 PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

  Há empresas que cuid am da organização de co ngresso s, co nferências e o utro s evento s. Poucas, po rém, se preo cupam co m a co rreta o rganização dos trabalho s d iscutid o s nesses evento s, por isso, d o cum ento s im p o rtantes não têm a divulgação que m erecem . Essa ação , de forma co ntínua e sistem ática, trará eno rm es benefício s uma vez que, devido a pro blemas financeiro s e de tem p o , cientistas e engenheiro s não podem co m p arecer à m aio ria dessas reuniões. E m ister m encio nar que o co légio invisível atinge so m ente os pro­ fissionais co m m aio r exp eriência, e que os mais jovens sentem d ificuld ad es em aco m p anhar a evo lução da literatura esp ecífica divulgada em co ngres­ sos.

  

Bib liografia

  1 SC IEN C E and engineering co nference pro ceed ings: a guide to so urces for id entificatio n and verificatio n. Chicago : A m erican Library A sso ciatio n, 1995. 84 p.

  ISBN 0-8389-7790-1 f Guia biblio gráfico que analisa 62 fo ntes

  que ind exam anais e trabalho s apresentado s em co ngresso s nas áreas de ci­ ência e tecno lo gia, exceto m ed icina.

  

Princip ais fontes de inf orm ação

  

2 BA N CO d e e v e n to s , H B as e d e d ad o s s o ­

b re e v e n to s , re aliz ad o s e f u tu ro s , n o B rasil e n o e xte rio r. A b u s ca p o d e s e r

f e ita p o r tip o , d a ta d e re al iz ação , l o cal e áre a te m á ti ca .

  3 BiBLIO G RA PH IC guide to co nference p ublicatio ns. Bo sto n: G .K . Hall, 1975- . A nual.

ISSN 0360-2729

11 Relacio na as publicaçõ es de co ngresso s

  catalo gad as pela New York Public Library/ Research Library e Library o f C o n- gress. Inclui dados catalo gráfico s co m p leto s. O arranjo é tip o catálo go d ici­ onário , isto é, num a única ordem alfabética estão incluíd as entrad as pelo título do evento , ed ito res, séries e cabeçalho s de assunto s.

4 B r a s i l . C o m i s s ã o N a c i o n a l d e E n e r g i a N u c l e a r . C e n t r o d e

  

IN FO RM A đỏ ES N u c l e a r e s . C a t á l o g o c o le t iv o d e c o n fe r ê n c ia s e m c iê n c i a e

t e c n o lo g ia . Rio de Janeiro : C N EN -C IN , 1983- . A nual. Tam bém em ced er-

  rom. A nais: catálo go co letivo nacio nal de anais de even­ tos. H C o nhecid o co m o C C C , abrange o acervo de cerca de 200 biblio tecas brasileiras, co m mais de 50 000 referências de anais de congressos, simpósios, co nferências e enco ntro s. A rranjo por título , lo cal e assunto s.

  5 C A LEN D Á RIO de eventos em ciência e tecno logia. Brasília: CN Pq/ IBICT, v. 1-17, 1981-1997.

  11 Relacio na in­

  fo rm açõ es so bre co ng resso s, sem inário s, sim p ó sio s, enco ntro s, curso s,

  

w o r k s h o p s , feiras e expo siçõ es no M erco sul. C o ntinuação do perió d ico E v e n ­

t o s e m p o l í t i c a c i e n t í f i c a e t e c n o ló g ic a . Publicado em papel até 1997. Na C O N G RESSO S E C O N FERÊN C IA S

  3 Internet, é possível pesquisar pelo no m e do evento , cid ad e e estad o , institui­

  ção organizadora, d ata, área de co nhecim ento (segundo a classificação de áreas do e assunto.

  C N Pq )

  6 C O N FER EN C E papers index. Bethesda: Cambridge Scientific A bstracts, v. 1 - , 1 9 7 3 - . Bim estral.

  ISSN 0 1 6 2 - 7 0 4 X . Tam bém em linha (no serviço de

  buscas D ialo g) e fita m agnética. 11 Internacio nal, indexa trabalho s apresen­ tad o s em reuniões de todas as áreas. Títu lo anterio r: C u r r e n t p r o g r a m s o f t h e

  W o r ld M e e t i n g s I n f o r m a t i o n C e n t e r .

  7 D IR EC T O RY o f published proceedings. Harrison: InterD o k, v. 1 - , 1965- . A perio d icid ad e varia co nfo rm e a seção.

ISSN 0093-5816 (PC E); 0012-

  3293 ( SEM T ); 0012-3707 (S S H ). Tam bém em linha (no serviço de buscas D ialo g ). H Ind exa anais de congressos. São três seçõ es: PC E ( P o llu t io n c o n t r o l

  

a n d e c o lo g y ) ; SEM T ( S c i e n c e , e n g in e e r in g , m e d i c in e a n d t e c h n o lo g y ) ; SSH ( S o ­

c i a l s c i e n c e s a n d h u m a n i t i e s ) . Sup lem ento acum ulad o anual. A rranjo cro no ­

  ló gico . Cad a verbete inclui: no m e do evento , lugar, patrocinador, ed ito ra ou d istribuid o ra, end ereço e dados para aquisição . índ ices de patro cinad o res e de assunto s.

8 EN G IN EERIN G

  co nference index. New York: Engineering Info rm atio n, 1985- . A nual. H Subp ro d uto do E n g in e e r in g in d e x , é uma biblio grafia inter­ nacio nal de trabalho s apresentado s em congressos na área de engenharia.

  D ivid e-se em seis partes tem áticas. índ ices de auto res, afiliação dos auto res, p ro m o to r do evento , título do evento e assunto s.

  9 EV EN TLIN E. A msterd am: Elsevier, 1997- . M ensal. H Em ced erro m. Base de dados de evento s internacio nais (co nferências, feiras, co ngresso s e sim p ó sio s). Cad a atualização mensal inclui cerca de 3 000 evento s. A cesso pelo tipo de evento , país, região, cidade, data de realização, título e assunto .

  10 FO RT H C O M IN G internatio nal scientific and technical co nferences. Lo nd o n: A slib, 1971- . A nual co m suplem ento s quad rim estrais.

  ISSN 0046-

  4866 11 A rranjo cro no ló gico . Info rma d ata, no m e, lo cal e end ereço do even­ to. índ ices de assunto s, geo gráfico e instituição organizadora.

  IN D EX

  11 o f co nference pro ceed ings. Bo sto n Spa: British Library D o cu­

  ISSN

  m ent Supply C entre, 1964- . M ensal co m acum ulação anual. 0959- 4906 H Lista de trabalho s apresentado s em evento s e anais recebid o s pela British Library. Os verbetes estão relacio nad os numa única ordem alfabética dos no m es dos evento s e cabeçalho s de assunto s, extraído s do título original do m aterial indexado. So b cada cabeçalho de assunto , as entrad as estão pela d ata do evento . Os trabalho s indexados podem ser adquiridos no D o cum ent Supply C entre da British Library. Existe índ ice acum ulad o para 1964-1988.

12 IN D EX to s ci e n ti f i c & te ch n i ca l p ro ce e d in g s (IS T P). P h il ad e l p h ia:

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

4 Institute for Scientific Info rm atio n, v. 1- , 1978- . M ensal.

ISSN 0149-8088.

  Tam bém em ced erro m . 11 Internacio nal, anualm ente indexa cerca de 3 000 anais de evento s. Inclui índ ices de auto res, assunto s, p atro cinad o r do ev en­ to, geo gráfico (lo cal do evento ) e título do trabalho . Excelente fo nte, pois ind exa, co m meses de anteced ência, trabalho s apresentado s em congressos que, p o sterio rm ente, poderão ser transfo rmad o s em artigos de perió d ico s.

  13 congress calendar. Brussels: Unio n o f Internatio nal

  IN TERN A TIO N A L

  A sso ciatio ns, 1961- . Trim estral. 0538-6349 11 Info rm açõ es sobre co n­

  ISSN

  gressos internacio nais. É dividido em duas partes: geo gráfica e cro no ló gica, índ ices das o rganizaçõ es promotoras dos eventos e assunto s.

  14 in p rint. A rlingto n: Pro ceed ings in Print, 19 6 4 - .

  PRO C EED IN G S

  Bim estral. 0032-9568 H Títu lo anterio rm ente publicad o pela Sp ecial

  ISSN

  Libraries A sso ciatio n e que, inicialm ente, se restringia engenharia

  (EUA ) à

  aero espacial. Ind exa anais de congressos publicad o s em ciência, tecno lo gia e m ed icina. Índ ice acum ulad o anual. A rranjo alfabético pelo título do even­ to ; co m índ ices de patro cinad o res, autores co rporativos, ed ito res e assunto s.

  15 m eetings. San Diego : Scientific M eetings Publicatio ns,

  SC IEN TIFIC 1 957- . Trim estral.

  ISSN 0487-8965 11 Ind exa os eventos nacio nais e regionais a serem realizados nos EUA . A rranjo cro no ló gico co m índ ice de assunto s.

  16 W O R L D co nvention dates; event planner’s guide. Hempstead : Hend ri­ ckson Publishing Company, v. 1- , 1982- . M ensal. H C o m co bertura inter­ nacio nal, info rm a os lugares, datas e patro cinad o res de co nvençõ es co ngres­ sos, feiras e enco ntro s co m erciais.

  17 m eetings: United States and Canad a. New York: M acm illan

  W O R L D Reference Library, v. 1 - , 1963- . Trim estral. 0043-8693.

  ISSN W O R L D

  m eetings: o utsid e the United States and Canad a. New York: M acm illan Reference Library, 1968- . Trimestral. 0043-8677 H Uma das principais

  ISSN

  p ublicaçõ es sobre co ngresso s, divide-se em duas séries: a) evento s realizados nos EUA e Canad á; b) evento s em o utros países. Cad a fascículo atualiza o anterior, acum uland o info rm açõ es relativas aos trim estres dos dois ano s sub­ seqüentes à data do fascículo que está sendo lançad o . A rranjo cro no ló gico por evento , co m índ ices de data do evento , de assunto s, prazo para entrega dos trabalho s, lo cal de realização e p atro cinad o r do evento.

  18 of internatio nal congress pro ceed ings. 2nd ed. Brussels:

  YEA RBO O K

  Unio n of Internatio nal A sso ciatio ns, 1970. Irregular 0084-3806 H Inclui

  ISSN

  dados biblio gráfico s de cerca de 8 500 anais de evento s internacio nais reali­ zados por mais de 1 500 organismos internacio nais de 1962 a 1969.

  LEGISLA Ç Ã O

  índ ice num érico das leis e d ecreto s. Não inclui índ ice de assunto s.

  

m e n to d o s p e d id o s , f o rm u l ário e l e trô n ico , as cl as s if icaçõ e s i n te rn acio n ais

d e p ro d u to s e s e rv iço s (N IC E), le g is l ação , p e rg u n tas m ais f re q ü e n te s , e tc.

  

2 2 I n s t i t u t o N a c i o n a l d a P r o p r i e d a d e I n d u s t r i a l (i n p i ). w w w .

in p i.g o v .b r/ E n d e re ço : P raça M a u á , 7 , 6 .° an d ar, R io d e Jan e iro , RJ 2 0 0 8 1 - 2 4 0 .

  dos produtores e de cerca de 5 7 0 0 0 produtos na área de quím ica. Divid e-se em duas partes: 1) lista alfabética dos fabricantes, inclusive info rm açõ es so bre os seus pro d uto s; 2) seção de produtos co m breve d escrição de cada item .

  11 Lista internacio nal

  ISBN 1 - 8 9 0 - 5 9 5 0 3 - 9 . Tam bém em ced erro m .

  1 0 2 3 p.

  21 A SH , M ichael; A SH , Irene. C h e m i c a l m a n u fa c t u r e r s d ir e c t o r y o f t r a d e

n a m e p r o d u c t s , 1 9 9 7 - 1 9 9 8 . New York: Synopse Info rm atio n Reso urces, 1 9 9 7 .

  O no m e co m ercial ou marca co m ercial é o no m e, expressão ou forma gráfica que individualiza e id entifica uma em presa, um pro d uto ou uma linha de produtos. O registro de no mes e marcas co m erciais é co ntro lad o pelo Instituto N acio nal da Propriedade Ind ustrial (IN PI).

  

N O M ES E M A R C A S C O M ER C IA IS

  2 ) decreto s federais (p. 2 5 3 - 4 7 3 ) .

  5 L EG IS L A Ç Ã O

  em o rdem cro no ló gica inversa (as mais recentes vêm prim eiro );

  1) leis básicas (p. 1 - 2 5 2 ) ,

  D ivid e-se em duas partes:

  11 C o letânea, co m texto co m ­ pleto, das principais leis e d ecreto s federais relativos à ciência e tecno lo gia.

  

1 9 9 8 . 4 8 0

p.

  20 . -----------. L e g i s l a ç ã o b á s i c a d e c iê n c i a e t e c n o lo g ia . Brasília: M i­ nistério da C iência e Tecno lo gia,

  19 B r a s i l . M i n i s t é r i o d a C i ê n c i a e T e c n o l o g i a . Legislação , www. mct.gov.br/ legis/ Default.htm K Sítio o nde se enco ntram texto s co m p leto s de leis, d ecreto s, medidas provisórias, portarias e pareceres da Co nsulto ria Juríd ica do m inistério relativos às atividades de ciência e tecno lo gia. Os prin­ cipais assunto s co berto s são: incentivo s fiscais, info rm ática e auto m ação , amparo à pesquisa, bio ssegurança, ciências do mar, atividades esp aciais, ati­ vidades nucleares, propriedade intelectual, propriedade ind ustrial, d ireito s auto rais, tratad o s e acordos internacio nais, o rganização ad m inistrativa do setor, carreiras de ciência e tecno lo gia.

  mas que é im p o rtante quand o é preciso co nhecer normas juríd icas que afe­ tam de algum m o d o a gerência da pesquisa, co m o , por exemplo : im p o rtação de equip am ento s científico s, reagentes, segurança nos labo rató rio s ou ex­ po rtação / importação de amo stras bioló gicas ou esp écim es da fauna e flora.

  IC T, a legislação é um tipo de d o cum ento po uco utilizad o ,

  Na área de

11 In f o rm a, n o sítio o f icial, n o ite m m arcas , o f lu xo g ram a d e p ro ce s s a­

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

  6 2 3

  IN TERN A TIO N A L brands and their co m p anies. D etro it: G ale, 1995— 1996.

  ISSN 1050-8376 H Provê info rm açõ es sobre cerca de 75 000 no m es

  co m erciais de produtos m anufaturad o s fora dos EUA . Cad a entrad a inclui o no m e co m ercial e breve d escrição do produto, no m es de co m p anhias fabri­ cantes, im po rtad o res e d istribuid o res, e có d igo de id entificação do produto. Um a mesma marca co m ercial que seja co m ercializad a em mais de um país é indexada uma vez única seguida dos no mes das co m p anhias que co m erciali­ zam , d istribuem ou im po rtam o produto nos diversos países. Inclui cerca de 22 000 no m es e end ereço s de fabricantes e d istribuid o res. Cham av a-se, até a segunda ed ição , I n t e r n a t i o n a l t r a d e n a m e s d ir e c t o r y .

  24 T RA D E nam e dictionary. D etro it: G ale, 1976- . Irregular.

  ISSN 0272-

  8818

11 Co m cerca de 250 000 entrad as, é um guia dos no m es co m erciais e EUA .

  de produtos fabricad os nos Cad a verbete inclui o no m e co m ercial, d es­ crição do produto, no m e do fabricante ou d istribuid o r e có d igo de classifica­ ção do produto. Inclui cerca de 44 000 no m es e end ereço s de fabricantes e distribuid o res.

  25 (Trad emark electro nic search

  U N ITED STA TES PA TEN T O f f i c e . TESS

  system). tess.uspto.gov/ H Base de dados, produzida pelo serviço no rte-

  URL:

  am ericano de p atentes, sobre marcas registradas. C o ntém o registro biblio ­ gráfico de 28 m ilhõ es de marcas p end entes e registradas nos EUA . A busca pode ser feita de modo simples ou avançado. Perm ite acesso ao d icio nário de term o s indexados.

  2 6 W e b s e e k S i s t e m a d e C o n s u l t a pa r a a P r o p r i e d a d e I n d u s t r i a l .

   End ereço : L & D So ftw are, Avenida Erasm o Braga,

  

2 7 7 , sala 1 1 0 9 , Rio de Janeiro , RJ 2 0 0 2 0 - 0 0 0 11 Empresa esp ecializad a na

  auto m ação do co ntro le de marca e p atentes. Possui banco de dados sobre marcas e no m es co m erciais. Para acesso, requer cad astram ento prévio.

  

N O R M A S T ÉC N IC A S

  N o rma técnica é um d o cum ento que ind ica regras, linhas básicas ou ca­ racterísticas m ínim as que d eterm inad o produto, processo ou serviço deve seguir. A norma técnica p erm ite, assim, uma perfeita o rd enação das ativid a­ des e a o btenção de resultados sem elhantes e padronizados. Trata-se de d o ­ cum ento de caráter universal, simples e eficiente, que, d evid am ente utiliza­ do, faz co m que um m esm o produto possa ser ad o tad o em d iferentes países.

  Utiliza-se a norma técnica para: a) racio nalizar pro cesso s, elim inand o d esperd ício de tem po , m atéria-prim a e m ão -d e-o bra; b) assegurar a qualid a­ de do pro d uto o ferecid o ao mercad o ; c) co nseguir aum ento nas vendas; d) increm entar a venda de produtos em o utros m ercad o s; e) reduzir a troca e a d ev o lução de p ro d uto s; f) rev erter o p ro d uto , p ro cesso ou serv iço em N O RM A S TÉC N IC A S

  7

  p atrim ô nio tecno ló gico , ind ustrial e co m ercial para o país, ao se relacio nar co m o m ercad o internacio nal; g) reforçar o prestígio de serviços prestados; h) aum entar o prestígio de uma d eterm inad a m arca; i) garantir a saúde e a segurança.

  A legislação brasileira reco nhece as no rm as, esp ecificaçõ es, m éto d o s de ensaio , normas de term ino lo gia e demais d o cum ento s aprovados pela A sso ­ ciação Brasileira de Normas Técnicas (A BN T). Na falta de no rmas brasileiras para d eterm inad o s assunto s é co m um a utilização das normas da O rganiza­

  ção Internacio nal de N o rm alização ( ISO ) , da British Standards Institutio n

  

( BSl) , do D eutsches Institut für N o rmung (D IN ) ou m esm o do A m erican

N atio nal Standards Institute (A N SI, antigo USA SI e A SA ).

  No Brasil as normas técnicas são de responsabilidade da A BN T, (Avenida Treze de M aio , 13, 28.° andar, Rio de Janeiro , RJ 20031-000) e do Instituto

  N acio nal de M etro lo gia, N o rmalização e Qualid ad e Ind ustrial (IN M ETRO ) (A venida Nossa Senho ra das Graças, 50, Bairro Xerém , D uque de Caxias, RJ

  25250-020). Em nível internacio nal, as normas são co o rd enad as pela ISO .

  As normas elaboradas pela são produzidas por co m issõ es formadas

  A BN T

  por vários fabricantes, co nsum id o res e profissionais de instituiçõ es técnico - científicas, que se reúnem p erio d icam ente para d iscutir or. diversos aspecto s de um có d igo de no rmalização . A aprovação de uma norma d em o ra, em m éd ia, um ano e m eio e só aco ntece quand o há acordo entre todas as partes envolvidas. A está organizada na forma de co m itês, send o cada um

  A BN T

  responsável pela no rm alização de d eterm inad o seto r produtivo. Os co m itês são integrad o s por co m issõ es de estud o s, que se propõem a elabo rar normas esp ecíficas. O co nselho técnico dos co m itês convida para fazer parte das co m issõ es de estud o produtores de insumo s básico s, m atérias-p rim as, bens e serviços do setor, além de co nsumid o res e profissionais técnico s da inicia­ tiva privada e de órgãos governamentais.

  Biblio g rafias co rrentes e bases de dados so bre no rmas técnicas

  27 C O N TR O LE eletrô nico de normas para W ind o w s (C EN W IN ). Rio de

  11 Janeiro : A BN T, v. 1 - , 1995- . Bim estral. Em d isquete. Inclui as normas

  técnicas da A BN T, vigentes e histó ricas. N ão faz referência a p ro jeto s de nor­ mas. Busca por assunto e núm ero da norma. 28 plus. Englew o o d : Info rm atio n H and ling Serv ice, 1990- .

  D O D ISS Bim estral. Em ced erro m.

11 Inclui texto integral das normas e esp ecificaçõ es técnicas m ilitares am ericanas. Busca por assunto e núm ero da no rma.

  29 IN D EX and d irecto ry o f ind ustrial stand ard s. Englew o o d : Glo bal Engineering D o cum ents, 1983. 5 v.

  ISBN 0-898-47008-0 H índ ice das princi­

  pais normas internacio nais bem co m o das nacio nais da A lem anha, Canad á, EUA , Japão e Reino Unido.

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

  8 PERIN O RM .

  30 Berlín: Beuth Verlag, 1989- . M ensal. Em ced erro m . H

  (C EN , C EN ELEC ,

  Banco de dados que indexa normas técnicas internacio nais

  IEC , IS O ), (A FN O R, BSI, D IN ), (JIS)

  euro péias japo nesas e no rte-am ericanas (A STM , IEEE U L). e Busca por assunto e núm ero da no rma.

  

31 T a r g e t E n g e n h a r i a e C o n s u l t o r i a , B a n co

d e d ad o s q u e p e rm i te , m e d i a n te a s s in atu ra, a b u s ca d e n o rm as té cn i ca s d a

A BN T p e lo n ú m e ro d a n o rm a e p o r p al av ras - ch av e co n s ta n te s d o tí tu l o d a

n o rm a . C o m e rci a l i z a ta m b é m có p ias d e n o rm as b ras ile iras .

  32 W O R LD W ID E stand ard s service (W W P ). Englew o o d : Info rm atio n Hand ling Service, bim estral. Em ced erro m . 11 Inclui texto integral das no r­ mas técnicas estrangeiras, internacio nais e da indústria no rte-am ericana. Bus­ ca por assunto e núm ero da norma nas línguas inglesa, francesa ou alem ã.

  Institu içõ es brasileiras 33 A s s o c i a ç ã o B r a s i l e i r a d e N o rm a s T é c n i c a s . C a t á l o g o a b n t 1995. Rio de Janeiro : A BN T, 1995. 360 p. H Relacio na as no rmas da A BN T, 110 âm bito de seus diversos co m itês esp ecializad o s. A rranjo em três partes: a) assunto s, co m acesso por m eio de palavras-chave; b) no rm as por tipo, o rdem alfabética e por núm ero ; c) co rrespo nd ência entre a num eração

  

N BR, do Sistem a N acio nal de M etro lo gia, N o rm alização e Q ualid ad e Ind us­

  trial (S IN M ET RO ), e a da A BN T. O acesso em linha p erm ite a busca por pala­ vra-chave ou núm ero . E possível tam bém a co mpra em linha de no rmas selecio nad as.

  

3 4 B r a s i l . C o m i s s ã o N a c i o n a l d e E n e r g i a N u c l e a r . C e n t r o d e

  

IN FO RM A đỏ ES N u c l e a r e s . C a tá l o g o d e n o rm as té cn i ca s . R io d e Jan e iro :

C N EN /C IN . B a s e d e d a d o s ,

i n tro .h tm H B as e d e d ad o s d e n o rm as té cn i ca s d a C N EN . R e q u e r cre d e n ci a ­

m e n to p ara co n s u l ta.

  35 I P T . C I ­ n s t i t u t o d e e s q u i s a s e c n o l ó g i c a s e n t r o d e n f o r m a

ç ã o T e c n o l ó g i c a (C IT EC ). URL: 2 0 0 .1 8 .1 0 6 .1 0 7 / n c i te c / n o rm a s 3 .h tm l E n ­

d e re ço : IPT /C IT EC , C id a d e U n iv e rs itária, S ão Pau lo , SP 0 5 5 0 8 - 9 0 1 H O IPT/

C IT EC a te n d e , m e d i a n te p a g am e n to , ao s e to r p ro d u tiv o , p ú b l ico e p riv ad o ,

p o r m e io d o d e s e n v o l v im e n to e d a o f e rta d e s e rv iço s e p ro d u to s i n f o rm a -

cio n ais . R e ú n e i m p o rta n te ace rv o d e liv ro s, p e rió d ico s , n o rm as té cn i ca s e

catál o g o s d e p ro d u to s in d u s triais . A ce s s a b ases d e d ad o s n acio n ais e i n te r­

n acio n ais . Po ssu i u m a d as m ais co m p l e ta s co l e çõ e s d e n o rm as té cn i ca s d a

  

A BN T, A N SI, A SM E, A STM , BSI, D IN e IEEE. Pro v ê , e n tre o u tro s , s e rv iço s d e

có p ia d e n o rm as té cn i ca s , p e sq u is a e m b as e d e d ad o s d e n o rm as té cn i ca s ,

p re p ara re s p o s tas té cn i ca s e b u s cas b ib lio g ráf icas ci e n tí f i ca s , te cn o l ó g i ca s e in d u s triais . N ORM A S TÉC N IC A S

  9 3 6

  Institu içõ es de o utro s países A lemanha

  

4 4 A m e r i c a n S o c i e t y o f H e a t i n g , R e f r i g e r a t i n c a n d A i r - C o n -

D ITIO N IN C EN G IN EERS (A SH RA E). URL: 2 0 4 . 7 .1 84.20/S T A N D A R D S /stand a. h tm

  EUA .

4 3 A m e r i c a n N u c l e a r S O C IET Y (A N S). 11 N o r­

m as n o rte - a m e ri ca n a s so b re te cn o l o g ia n u cle ar.

  e w ebsto re.ansi.o rg / sho p p er_lo o kup .asp II Sítio da in stitu ição reg ula­ m entad o ra da no rm alização nos

  4 2 A m e r i c a n N a t i o n a l S t a n d a r d s I n s t i t u t e ( a n s i ) . . o rg /

  41 A LUM IN U M A SSO CIA TIO N . H Normas relativas aos mais diversos asp ecto s do alumínio .

  Estad o s Unid o s da A m érica

  instituição regulamentad o ra da no rm alização na A lem anha. A busca é feita por palavra-chave no sítio www2.beuth.de/ .

  11 Sítio da

  40 D EU T S C H ES IN ST IT U T FÜ R N O RM U N G (D IN ).

  11 O rganism o internacio nal de no rm alização nas áreas de redes e serviços de teleco m unicaçõ es.

  I n s t i t u t o N a c i o n a l d e M e t r o l o g i a , N o r m a l i z a ç ã o e Q u a l i ­ d a d e

  3 9 U n i ã o I n t e r n a c i o n a l d e T e l e c o m u n i c a ç õ e s ( I T U ) . . int/

  H Or­ ganism o internacio nal de no rm alização nas áreas da eletro técnica.

   I n t e r n a c i o n a l ( i e c ) .

  3 8 C o m i s s ã o E l e t r o t é c n i c a

  H Criad a em 1947, é uma fed eração dos organismos nacio nais, de 130 países, ligados à no rmalização .

  3 7 O r g a n i z a ç ã o I n t e r n a c i o n a l d e N o r m a l i z a ç ã o ( i s o ) . www. iso .ch

  Instituiçõ es internacio nais

  

Po s su i u m a b as e d e d ad o s s o b re re g u l am e n to s té cn i co s f e d e rais : l e g is l ação ,

p o rtarias d o IN M ETRO e re s o l u çõ e s d o C o n s e l h o N acio n al d e M e tro l o g ia,

N o rm a l i z a çã o e Q u al id ad e In d u s trial (C O N M ET RO ).

   IN D U STRIA L (IN M ET RO ). E n d e re ço : A v e n id a N o s ­

sa S e n h o ra d as G ra ça s , 5 0 , B airro X e ré m , D u q u e d e C a x i a s , RJ 2 5 2 5 0 - 0 2 0 . U

Ó rg ã o o f icial b ras ile iro q u e cu id a d a n o rm a l i z a çã o e q u al id ad e in d u s trial .

11 N o rm as n o rte - a m e ri ca n a s re lativ as a ca l e f a çã o , co n s e rv a çã o d e e n e rg ia, re f rig e ração e a r- co n d icio n ad o .

  1 0 PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

4 5 A m e r i c a n S o c i e t y o f A g r i c u l t u r a l E n g i n e e r s ( a s a e ). w w w .

  asae.org/ standards/ If Normas relativas à tecno lo gia agrícola.

  

4 6 A m e r i c a n S o c i e t y o f M e c h a n i c a l E n g i n e e r s ( a s m e ) . w w w .

  asme.org/ codes/ 11 Cód igo s e normas relativas a p ro jeto , fabricação e instala­ ção nas áreas da engenharia m ecânica.

  

4 7 A m e r i c a n S o c i e t y f o r T e s t i n g a n d M a t e r i a l s ( a s t m ). w w w .

  astm.org/ 11 Normas relativas a testes e m ateriais utilizad o s na ind ústria. C licand o no bo tão sto re’ possível fazer busca sobre as no rmas e d e­

  ‘ A STM é mais p ublicaçõ es da entid ad e.

  4 8 A STM stand ard s. Philad elp hia: A m erican So ciety for Testing and

  ISSN 0 5 1 7 - 5 0 1 1 . Tam bém em ced erro m . 11 Títu lo

  1 9 3 9 - M aterials, . A nual.

  clássico que co ntém uma das maiores co m p ilaçõ es de normas relativas a testes e m ateriais.

  4 9 A s s o c i a t i o n f o r I n f o r m a t i o n a n d I m a g e M a n a g e m e n t ( a i i m ).

   11 Normas sobre escaneam en- to, m icro film agem , arm azenam ento e recuperação de imagens e d o cum en­ tos d igitais, bem co m o sobre o g erenciam ento eletrô nico da info rm ação .

  5 0 I n s t i t u t e o f E l e c t r i c a l a n d E l e c t r o n i c s E n g i n e e r s ( i e e e ). URL:

  11 stand ard s.ieee.o rg/ Normas de engenharia elétrica e eletrô nica.

  51 I n s t r u m e n t S o c i e t y o f A m e r i c a ( i s a ).

  ber_home/ 11 Normas relativas a medidas e co ntro les na área de auto m ação ind ustrial, usinas elétricas, info rm ática, telem etria e teleco m unicaçõ es.

  

52 N E M A ( ).

a t i o n a l l e c t r i c a l a n u f a c t u r e r s s s o c i a t i o n n e m a

   11 Normas relativas à pro dução de aparelhos e eq ui­ pam ento s elétrico s.

  

53 N a t i o n a l F i r e P r e v e n t i o n A s s o c i a t i o n ( n f p a ).

co des/ index.html 11 Cód igo s e normas relativos a incênd io s e sua prevenção.

  5 4 N a t i o n a l I n s t i t u t e o f S t a n d a r d s a n d T e c h n o l o g y ( n i s t ). URL:

  Techno lo gy Service. ts.nist.gov/ ts U A gência que provê medid as e pa­ drões para as diversas áreas ind ustriais.

55 N a t i o n a l H i g h w a y T r a f f i c S a f e t y A d m i n i s t r a t i o n ( n h t s a ).

  Safety Standards, Normas relati­ vas à engenharia rodoviária, segurança e transpo rte rodoviário.

  

5 6 S o c i e t y o f A u t o m o t i v e E n g i n e e r s ( s a e ).

11 Normas relativas à indústria auto m o bilística.

  

5 7 S o c i e t y o f M o t i o n p i c t u r e a n d T e l e v i s i o n E n g i n e e r s ( s m p t e ) . N O RM A S TÉC N IC A S

  11

  org.br/ II Fo rnece có pia de suas no rmas. Para maiores info rm açõ es, ver item 3 3 .

  6 5

  35.

  11 Fo rnece có pias de no rm as, m ed iante pagam ento , de diversas o rganizaçõ es no rm alizad o ras, brasileiras e estrangeiras. Para maiores d etalhes, ver item

  200.18.106.107/ ncitec/ no rm as3.htm

   I n f o r m a ­ ç ã o T e c n o l ó g i c a (IPT / C IT EC ). URL:

  64 I n s t i t u t o d e P e s q u i s a s T e c n o l ó g i c a s . C e n t r o d e

  D o cum ents. U RL: End ereço : 15 Inverness W ay East; Englew o o d, CO 8 0 1 5 0 , USA H Um dos maiores provedores mundiais de info r­ m ação , na área de no rmas técnicas internacio nais e nacio nais. As có pias po­ d em ser ad quirid as em escritó rio s lo calizad o s em diversos países.

  

6 2 D O C U M EN T E n g i n e e r i n g (D EC O ) . Co m ercializa

có pias de no rmas técnicas de vários organismos no rmalizado res. 6 3 I n f o r m a t i o n H a n d l i n g S e r v i c e s ( i h s ) . G l o b a l E n g i n e e ri n g

  

6 1 A s s o c i a ç ã o B r a s i l e i r a d e N o r m a s T é c n i c a s ( a b n t ).

  11 Normas relativas à tecno lo gia de cinem a e televisão.

  Existem diversos provedores de có pias de normas técnicas. O fo rneci­ m ento , geralm ente, é feito m ed iante pagam ento pelo usuário. A lém desses provedores, as diversas instituiçõ es normalizado ras tam bém co m ercializam suas normas e das de o utras entid ad es.

   I n s t i t u t i o n ( b s i ) . 11 Sítio da agência reguladora de no rm alização do Reino Unido.

A ce s s o a có p ias d e n o rm as té cn i ca s

  60 B r i t i s h S t a n d a r d s

  

R e i n o U n i d o

  fr/ 11 Sítio da agência reguladora de no rm alização na França.

  

Fra n ça

5 9 A s s o c i a t i o n F r a n ç a i s e d e N o r m a l i s a t i o n ( a f n o r ).

  htm 11 Im p o rtante o rganização no rte-am ericana que cuid a da avaliação e teste da qualid ad e de equip am ento s e aparelhos.

  

5 8 U n d e r w r i t e r ’ s L a b o r a t o r i e s ( u l ). .

  I n t e r n e t D i s t r i b u t i o n C e n t e r . T h e D o c u m e n t C e n te r, w w w .

d o c u m e n t- c e n te r.c o m H C o m e rci a l i z a có p ias d e n o rm as té cn i ca s d e d iv er­

so s o rg an is m o s n o rm al iz ad o re s .

  

1 2 PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

6 6 p t i P u b l i c a ç õ e s T é c n i c a s I n t e r n a c i o n a i s , E n ­ d e re ço : R u a P e ixo to G o m id e , 209, S ão Pau lo , SP 01409-901

  11 T rad icio n al

f o rn e ce d o r d e n o rm as té cn i ca s . Po ssu i o s e rv iço S ab e n o rm as , q u e p o s sib ilita

o m o n i to ra m e n to , co n s u l ta e co m p ra d e n o rm as n acio n ais e in te rn a ci o n a i s .

  

PA T EN T ES

  Segund o a O rganização M und ial da Propriedade Intelectual (O M P l), pa­ tente é um

  d o c u m en to exp ed id o p o r u m ó rg ão g o v ernam ental q u e d escrev e a inv en ção e cria u m a situ aç ão leg al na q u al a inv en ção p aten tead a p o d e, n o rm alm e n te , ser exp lo rad a (fab ricad a, im p o rtad a, v end id a e u sad a) co m a au to riz aç ão d o titular.

  A ssim, a p atente co ntém a d escrição pública de um invento , feita de forma a d efend er direito s de propriedade do titular. A o m esm o tem p o , essa p atente participa de um sistem a de p atentes, internacio nal e nacio nal, que estabelece os deveres do invento r de uma tecno lo gia e os direito s dos co m ­ pradores dessa tecno lo gia patentead a.

  O Brasil foi o quarto assinante do A cordo ou Co nv enção de Paris que estabeleceu, em 20 de m arço de 1883, o Sistem a Internacio nal de Patentes. Essa co nvenção veio dar p ro teção aos privilégios de invenção dos m o d elo s e desenhos industriais, marcas de indústria e co m ércio e no me co m ercial. A inda não existe uma ‘p atente m und ial’; uma p atente só ad quire validade em o u­ tro país se o invento r registrá-la no órgão nacio nal co m p etente.

  Segund o Leand ro M. Oliveira,

  a p ro p ried ad e ind u strial tem p o r o b jetiv o a p ro teç ão d as inv en çõ es d o s m o d elo s d e u tilid ad e, d o s d esenh o s o u m o d elo s ind u striais, d as m arcas, b em c o m o a rep ressão relativ a à c o n c essão d e p aten tes, q u an to às in v en çõ es e ao s m o d elo s

d e u tilid ad e, c o n c essão d o s reg istro s e d esen h o ind u strial e d e m arca. [...] A s­

sim , a lei d e p ro p ried ad e ind u strial trata d o s b en s im ateriais ap licáv eis em m ate ­ riais in d u strializ áv eis.1

  As p atentes brasileiras são registradas no Instituto N acio nal da Pro prie­ dade Ind ustrial (IN PI), e m ed iante esse registro o Estad o garante ao invento r o d ireito de exclusividade de uso ou venda da p atente d urante certo núm ero de ano s. A ssim, a co m unid ad e o btém p rim eiram ente a invenção por um preço e, após a expiração do prazo de garantia do registro, a p atente cai em d o m ínio público , po dendo ser utilizada g ratuitam ente. Os registros co nce­ didos e o aco m p anham ento dos processos de registro em and am ento são divulgados na R e v is t a d a p r o p r i e d a d e in d u s t r ia l, publicada pelo

IN PI.

1 O L IV EIRA , Leand ro da M o tta. D ireito da propriedade industrial. C o r r e io b r a z il i e n s e , Brasília,

  19 jul. 1999, D ireito & justiça, p. 6

PA TEN TES

  13

  M arca registrada refere-se ao no m e e sím bo lo utilizad o s no co m ércio de bens para ind icar a fo nte ou o rigem desses bens. Os no m es co m erciais tam ­ bém são protegidos por lei, e nesse caso são d eno m inad o s ‘m arcas’ . Seu re­ gistro é bastante sim ilar ao das patentes.

  C o m o o Brasil é um grande im po rtad o r de tecno lo gia, é preciso que as empresas verifiquem co m antecip ação se as p atentes estrangeiras que lhes interessam já estão em d o m ínio público , a fim de assim evitar o d esperd ício de divisas co m o pagam ento indevido pelo uso de co nhecim ento s não mais sujeito s às restrições das leis de patentes. Nesse caso, as fontes mais indicadas são: para p atentes no rte-am ericanas, a O f f i c i a l g a z e t t e ; alem ãs, o G e r m a n

  

p a t e n t r e p o r t ; inglesas, o O f f i c i a l j o u r n a l ( p a t e n t s ) . A lguns perió d ico s de re­

sumo s, co m o o C h e m i c a l a b s t r a c t s , incluem seçõ es sobre p atentes.

  G uias biblio g ráfico s

  6 7 A U G ER ,

  Peter (ed.) I n f o r m a t i o n s o u r c e s in p a t e n t s . Lo nd o n: Bowker-

  ISBN 0 - 8 6 2 9 1 - 9 0 6 - 1

  11 Excelente guia biblio gráfico sobre p atentes. Descreve as fo ntes sobre p atentes e mo stra co m o utilizá-las.

  1 9 9 2 . 1 8 7 Saur, p.

  

6 8 K A SE, Francis J. F o r e ig n p a t e n t s : a n in t r o d u c t i o n t o o f f i c i a l p a t e n t

l it e r a t u r e . D o bbs Ferry: O ceana, 1 9 7 2 . 3 5 8 p.

  ISBN 0 - 3 7 9 - 0 0 0 0 9 - 1 H Ind icad o

  para advogados e técnico s que d esejem co nhecer mais sobre p atentes em diversos países. A rranjo alfabético por países. Em cada país inclui o no m e e end ereço do órgão o ficial de registro de p atentes e análise das principais fo ntes de info rm ação . Por estar d esatualizad o , serve para fins histó rico s.

  6 9 W H ER R Y , Tim o thy Lee. P at e n t s e a r c h in g f o r lib r a r ia n s a n d in v e n t o r s .

  C hicag o : A m erican Library A sso ciatio n, 1 9 9 5 . 8 9 p.

  11 ISBN 0 - 8 3 8 9 - 0 6 4 1 - 9 M anual p rático que ensina a fazer busca de info rm açõ es sobre p atentes nor­ te-am ericanas. Em ap ênd ice, listas de biblio tecas dos d epo sitárias de

  EUA p atentes, m arcas e d o cum ento s sobre p atentes. índ ice de assunto s.

  Fo ntes brasileiras

  7 0

  I N P I . C D ­ n s t i t u t o a c i o n a l d a r o p r i e d a d e n d u s t r i a l e n t r o d e o

I T ( ) .

c u m e n t a ç ã o e n f o r m a ç ã o e c n o l ó g i c a c e d i n Banco de dados.

   f E co m p o sto pelas seguintes bases de da­ dos: pedidos de p atentes e banco de patentes do

  IN PI. Para realizar buscas é necessário o p reenchim ento de formulário e pagamento de taxa.

  

7 1 da propriedade ind ustrial. Rio de Janeiro : Instituto N acio nal

REV ISTA

  ISSN 0 1 0 0 - 7 2 4 6 H Órgão

  1 - 1 9 7 2 - da Propriedade Ind ustrial, v. , . Sem anal.

  o ficial so bre os registros brasileiro s co nced id o s na área de propriedade in­ d ustrial. “ Publica todos os seus ato s, despachos e d ecisõ es relativos ao siste-

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

  14

  ma de propriedade ind ustrial no Brasil, co m p reend end o m arcas e p atentes, bem co m o os referentes a co ntrato s de transferência de tecno lo gia e assun­ tos co rrelato s, além dos que dizem respeito ao registro de programas de co m ­ p utad o r co m o d ireito auto ral” (exp ed iente). D ivid e-se em : p atentes (seção

  I) e marcas (seção

II). Inclui dados estatístico s sobre p atentes co nced id as,

  pedidos e registros de d esenhos ind ustriais, licenças de usos de m arcas, de pedidos de publicação e registros de marcas e programas de co m p utad o r.

  

Fo n tes de outros países

C H EM IC A L A BSTRA C T S . C h e m i ca l p a te n ts p lu s. U RL: cas w e b .

  72 e r v i c e

  

ca s .o rg / ch e m p a tp l u s / 11 A ce s s o a p a te n te s d o s EUA co n ce d i d a s a p artir d e

a té o p re s e n te . E n e ce s s ária s e n h a d e a ce s s o ao s s e rv iço s , s e n d o q u e

  1973 m u ito s são p ag o s.

  73 D EM ET ER ’ S G EN O M E. Plant variety p ro tectio n d atabase. U RL: ars- geno m e.co rnell.ed u/

11 Base de dados so bre p ro p ried ad e in telectu al de geno mas de plantas.

  EU RO PEA N PA TEN T O FFIC E. P a te n t d a ta b a s e . w w w .e u ro p e an - p ate n t-

  74

  

o f f ice.o rg / 1I B as e d e d ad o s s o b re p a te n te s e u ro p é ias . É n e ce s s ária s e n h a d e

a ce s s o ao s is te m a.

  75 Intellectu al pro perty netw o rk IBM . (IP N ). ibm .htm l

11 Base de dados co m texto co m p leto de p atentes dos EU A , Euro p a, Japão e da W o rld Intellectual Property O ffice (W IPO ).

  IN TERN A TIO N A L

  76 p atent classificatio n. 4th ed. Geneva: W o rld Intellec- tual Property O rganizatio n; M unchen: C . Heym anns Verlag, 1984. 9 v.

  ISBN

  3-452-19413-2 11 Tem por o bjetiv o prover um m ecanism o eficaz para a ava­ liação de pedidos de p atentes co nced id as pelas agências nacio nais e, ao m es­ m o tem p o , facilitar a recuperação dos d o cum ento s relativos a p atentes.

  77 IN V EN TO RS world magazine. URL: easyw eb.easynet.co.uk/ ~ro bo dyne/ inventors-w orld/ H Perió dico , ed itad o no Reino Unid o , so bre p atentes e in­ vençõ es.

  78 M iC RO PA TEN T W E B SERV IC ES, M icro - p atent USA , 250 Dodge A venue, East Haven 06512, USA U Serviço privado de info rm açõ es sobre p atentes e marcas co m erciais. Po ssibilita acesso a p aten­ tes por m eio de palavras-chave ou pelo seu núm ero de classificação .

  79 O FFIC IA L gazette patents. W ashingto n, D C : U .S . Go v ernm ent Printing O ffice, 1872- . Sem anal.

ISSN 0098-1133

  11 Perió dico o ficial da agência no r­

  te-am ericana de patentes (U .S . Patent O ffice). Publica no tícias, jDedidos de p atenteam ento , d ecisõ es legais e resumos das p atentes co nced id as no p erío ­

PA TEN TES

  15

  80 PA TEN T abstracts of Japan d atabase, 11 índ ice b i­ blio gráfico co rrente de p atentes japo nesas preparado pelo Japanese Patent O ffice, órgão o ficial de p atentes do Japão.

  8 1 PA T EN TC A FE.C O M .

   H Banco de da­ dos que provê acesso a bases de dados sobre propriedade intelectual. M uitas bases de dados necessitam senha e pagam ento para serem utilizad as.

  

8 2 Q PA T-W W . H Base de dados de texto co m p leto sobre

p atentes dos EUA co nced id as a partir de 1974. A cesso m ed iante assinatura.

8 3 SO U RC E translatio n o p tim izatio n’s, H Base de

  dados que p erm ite a busca de p atentes pelo sistem a de classificação . A cesso m ed iante assinatura.

  8 4 U K P O , n i t e d i n g d o m a t e n t f f i c e Sítio do

  órgão o ficial do Reino Unid o sobre p atentes, marcas co m erciais e direitos auto rais.

  

8 5 U n i t e d S t a t e s P a t e n t O f f i c e a n d T r a d e m a r k . W e b p a t e n t

d a t a b a s e s ,

11 O Patent and Trad emark O ffice

  U .S. (U SPTO )

  o ferece acesso gratuito às referências biblio gráficas e texto s co m p leto s das p atentes no rte-am ericanas, aprovadas após 1,° de janeiro de 1976, indexadas em sua base de dados. Existem duas seçõ es da base de dados que, apesar de co nterem as mesm as info rm açõ es sobre p atentes, têm d iferentes o pçõ es de busca. A seção B i b l i o g r a p h i c d a t a b a s e (U RL: 128.109.179.23/ access/ search- bo o l.htm l) p erm ite uma rápida busca da página principal da p atente inclu­ sive os dados biblio gráfico s, o resumo e breve d escrição do co nteúd o da pa­ tente. A segunda seção, F u ll- t e x t d a t a b a s e (U RL: 164.195.100.ll/ netahtm l/ search-bo o l.htm l), p erm ite buscas mais elabo radas em texto co m p leto . In­ clui, além dos dados biblio gráfico s, o no m e do inventor, título da p atente, resumo , d escrição co m p leta da invenção e dados sobre seu registro.

  8 6 W

   I

  • - o r l d n t e l l e c t u a l P r o p e r t y O r g a n i z a t i o n ( w i p o ) / O r g a n i z a ç ã o M u n d i a l d a P r o p r i e d a d e

   I n t e l e c t u a l ( o m p i ) .

  m ain.htm l End ereço : 34, C hem in des C o lo m bettes, 1121 G enebra 20, Suí­ ça H O rganism o internacio nal, integrad o por cerca de 140 países, cujo o b je­ tivo é promover a p ro teção da propriedade intelectual por m eio de tratad o s, tanto sobre d ireito s auto rais quanto a propriedade ind ustrial.

  W O R L D

  87 p atent index. Lo nd o n: Derw ent Publicatio ns, 1963- . Sem a­

  ISSN

  nal. 0308-4620 11 Tam bém em linha (Dialo g, O rbit e Q uestel). Base de dados que indexa cerca de 10 m ilhõ es de p atentes registradas em mais de 25 países. A lém dos dados biblio gráfico s e resumo, perm ite o acesso a gráfico s, d esenho s e diagramas (desde 1988) e fórmulas quím icas (desde 1992).

  

8 8 W O R LD p a te n t in f o rm a ti o n ; i n te rn atio n al j o u rn al f o r p a te n t d o cu -

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

  16

  m entatio n, classificatio n & statistics. Lo nd o n: Pergamon Press, 1979- . Tri­ m estral.

  ISSN 0172-2190 H Perió dico p ublicad o pela Co m unid ad e Euro p éia

  e O rganização Internacio nal da Propriedade Intelectual. Títu lo im p o rtante para quem trabalha co m info rm ação sobre p atentes. Inclui artigos so bre d o ­ cum entação , classificação e estatística de p atentes.

  

Patentes esp ecializadas

B í O TEC H N O LO G Y

  11

  89 patents. Sítio da N atio nal A gricultural Library (N A L), inclui no tícias e info rm açõ es EUA . sobre co m o p atentear invençõ es na área de bio tecno lo gia nos

  90 SO FT W A RE PA TEN T IN STIT U TE

  ( SP !), S ítio co m in f o r­

m a çõ e s s o b re os m ais d iv erso s as p e cto s re l acio n ad o s co m o p a te n te a m e n to

d e p ro g ram as d e co m p u tad o r.

  

A cesso a cóp ias de p aten tes

  Có p ias de d o cum ento s de p atentes podem ser adquiridas nas seguintes o rganizações:

  91 C H EM IC A L A BSTRA CTS S e r v i c e . D o cum ent Delivery Service. End e­ reço: 2540 O lentangy River Road, Co lum bus, OH 43210-0012, USA

  II Provê cópias de patentes indexadas no C h e m i c a l a b s t r a c t s .

  92 D ER W EN T PUBLICA TIO N S LIM IT ED . End ereço : 12 Ro chd ale Ho use,

  W C l X 8R P,

  Theo bald s Road , Lo ndo n United Kingdo m 11 Ed ito ra do W o r ld

  

p a t e n t in d e x , fo rnece cópias de p atentes indexadas nesta p ublicação . O usu­

  ário ligado à rede de universidades públicas tem acesso , via Internet, ao sis­

  

(D II) (U RL:

  tem a Derw ent Innovations Index dii.derw ent.com/ ). A busca pode ser feita, em bases de dados, desde 1963, por assunto , inventor, d etento r da p atente, número s da p atente ou da classificação internacio nal de p atentes.

  93 I n s t i t u t o N a c i o n a l d a P r o p r i e d a d e

   I n d u s t r i a l ( i n p i ). Banco

  de p atentes. End ereço : Praça M auá, 7, 4.° andar, Rio de Janeiro , RJ 20081- 240 H Possui excelente acervo de p atentes d epo sitad as em vários países.

  I n s t i t u t o d e P e s q u i s a s T e c n o l ó g i c a s ( i p t) . o s s u i

  94 P um dos m e­ lho res acervos brasileiro s relacio nad os co m p atentes. Ver item 35.

  

PER IÓ D IC O S

  As p ublicaçõ es periódicas co nstituem um dos mais eficientes m eio s de registro e divulgação de pesquisas, estudos o riginais e o utro s tipo s de traba­ lho intelectual. São, po rtanto , fo ntes de info rm ação indispensáveis de o rien­ tação e pesquisa biblio gráfica em todos os cam po s de atividade hum ana. E o PERIÓ D IC O S

  17

  tipo de p ublicação primária co nsiderada a mais atualizad a e im p o rtante nas áreas de ciência e tecno lo gia. Seu núm ero é crescente e algumas estim ativas afirm am existirem mais de 100 000 título s d iferentes. Podem ser título s ge­ rais, co m o N a t u r e e S c ie n c e , que co brem os mais diversos assunto s, e tam ­ bém título s esp ecífico s de uma subárea, co m o o Jo u r n a l o f z o o lo g y .

  As expressõ es perió d ico , p ublicação seriada, revista técnica, revista cien­ tífica e p ublicação perió d ica são usadas ind istintam ente para d esignar um tip o de d o cum ento que tem as seguintes características:

  a) perio d icid ad e: intervalo de tem p o entre a p ublicação de dois fascícu­ los sucessivo s, ou a freqüência prefixada para o ap arecim ento dos fascículo s; b) p ublicação em partes sucessivas: o bed ecem geralm ente a uma siste­ m atização , isto é, subdivid em-se por ano, volume ou to m o , núm ero , fascícu­ lo ou cad erno ;

  c) co ntinuid ad e de publicação ind efinid a;

  d) variedade de assuntos e autores: podem ser gerais (que tratam de m ui­ to s assunto s) e esp ecializad o s (que tratam de um assunto geral ou um ramo esp ecífico de d eterm inad o assunto ). Podem trazer artigos variados sobre di­ versos assunto s ou sobre aspecto s diversos de um m esm o assunto , em geral, de variados auto res.

  A o p erió d ico é atribuíd o um núm ero único internacio nal, o

  ISSN (Inter­

  natio nal Stand ard Serial N um ber), que evita ambigüid ad es ou pro blemas derivados de título s ho m ô nim o s. Aos título s no rte-am ericano s tam bém é ap o sto um có d igo de id entificação individual, d eno m inad o C O D EN , criado pela A m erican So ciety for Testing and M aterials (A STM ).

  M ais de 50% dos título s de periódicos são publicad o s na língua inglesa. M uito s perió d ico s brasileiro s, em algumas áreas, co m o a m atem ática e a física, dão preferência a artigos escrito s nessa língua. E claro que a impor­ tância do inglês varia entre as áreas. Um asp ecto a se observar é que não são m uito s os perió d ico s brasileiro s co berto s pelos serviços internacio nais de índ ices e resum o s, talvez porque o co nteúd o dos artigos não seja cientifica­ m ente satisfató rio , ou porque a divulgação dos perió d ico s seja insuficiente, ou po rque, se em po rtuguês, a língua seja um em p ecilho para a co m unid ad e internacio nal. É cada vez m aior o núm ero de brasileiro s que divulgam seus exp erim ento s em revistas estrangeiras, p referencialm ente em inglês.

  C o m a evo lução da info rm ática, m uito s título s passaram a ser p ublica­ dos tam bém em ced erro m . A lém disso, é crescente o núm ero de título s que tam bém são acessíveis em linha - os cham ad o s periódicos eletrô nico s (e-

  

j o u r n a l s ou e l e c t r o n i c j o u r n a l s ). Nos último s anos têm surgido título s que

são ed itad o s unicam ente na forma digital.

  Biblio g rafias ou d iretó rio s de p erió d ico s Biblio grafias ou d iretó rio s de periódicos são fo ntes ind ispensáveis nas bi-

18 PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

  PU BLISH ER’ S

  Inclui se­ çõ es co m arranjo s geo gráfico , num érico e alfabético . 101 T H E SERIA LS directory: an internatio nal reference bo o k. 4th ed. Bir­

  ção , end ereço , número s de telefo ne, fax e telex, prefixo do ISSN .

  3-598- 1606-8. Tam bém em ced erro m . 11 Inclui dados sobre 351 000 ed ito ras de p erió d ico s e seriados de 210 países. Cad a verbete inclui no m e da organiza­

  ISBN

  0000-1716,

  ISSN

  ISBN Agency, 1997. 3 v.

  directory. New Pro vidence: Bowker; Berlin: Internatio nal

  

ISBN

  internatio nal

  blio tecas, p rincip alm ente para quem necessita info rmar-se sobre d eterm i­ nado periódico. Prestam grande auxílio no trabalho de selecio nar, ad quirir e registrar o acervo de perió d ico s, e tam bém servem para id entificá-lo s, já que fo rnecem info rm açõ es valiosas e geralm ente co m p letas, co m o : título , subtí­ tulo , m ud anças de título , ed ito r responsável, ed ito r co m ercial e seu end ere­ ço, preço da assinatura e dos fascículo s, perio d icid ad e, sup lem ento s, índ ices e

  ISSN s.

  ISSN

  99 PERIO D IC A L title abbreviatio ns. D etro it: G ale, 1969- . Irregular.

  principais título s de periódicos de diversas áreas. A rranjo por grandes assun­ to s. N o início , intro d ução , lista básica dos título s de perió d ico s ind icad a para cad a tipo de biblio teca e lista básica dos principais índ ices e biblio gra­ fias co rrentes que co brem a área tem ática. Útil para o d esenvo lvim ento de co leçõ es e o serviço de referência. A 10.a ed ição foi publicad a em 1998.

  ISSN 0000-0914 11 Biblio grafia ano tad a dos

  98 K A T Z , Bill; K A T Z , Linda Sternberg. M a g a z i n e s f o r l i b r a r i e s : f o r t h e g e n e r a l r e a d e r a n d s c h o o l , j u n i o r c o l l e g e , u n i v e r s i t y a n d p u b l i c l i b r a r i e s . New York: Bowker, 1969- . Irregular.

  URL: revistas.ibict.br/ H A penas periódicos brasileiros.

  97 . D iretó rio eletrô nico das revistas em ciência e tecno lo gia.

   I n i cia l m e n te im p re s s a so b o títu l o I S S N p u b l i c a ç õ e s p e r i ó d i c a s b r a s i l e i r a s (B ras ília: IBIC T , 1983. 409 p .) , e s ta

b as e d e d ad o s re g is tra o s títu l o s d e p e rió d ico s b ras ile iro s q u e p o s s u e m ISSN .

   I n f o r m a ç ã o e m C i ê n c i a e T e c n o l o g i a (IBIC T ). B ase ISSN .

  96 I n s t i t u t o B r a s i l e i r o d e

  95 D IREC T O RY o f scientific serials p ublicatio ns o f Latin A m erica, the C aribbean, Spain and Portugal. M éxico ; Universidad N acio nal A utó no m a de M éxico . U RL: biblio w eb.d gsca.unam .m x 11 Base de dados que inclui d iretó rio dos periódicos científico s publicados na A m érica Latina, C aribe, Espanha e Portugal.

  0737-7843 U Relacio na mais de 130 000 abreviaturas de título s de perió d ico s e das mais im p o rtantes mo no grafias seriadas. G eralm ente é publicad o em três volumes: v. 1: lista alfabética das abreviaturas; v. 2: lista dos título s por extenso co m respectivas abreviaturas; v. 3: novas abreviaturas. A 12.a ed ição foi publicad a em 2000. 100 PERIÓ D IC O S 19 m ing ham : EBSC O Publishing, 1990. 3 v.

  ISSN 0886-4179. Tam bém em ced erro m 1066-7490).

11 Biblio grafia co ntend o cerca de 123 000 títu ­

  (ISSN

  lo s de perió d ico s regulares e irregulares. A rranjo por grandes assuntos e d en­ tro de cada assunto em ordem alfabética. Ultim o volume co m índ ices de título s, título s cessad o s, Classificação D ecim al de Dewey, Classifica­

  ISSN ,

  ção da Library o f Co ngress, Classificação da N atio nal Library of M ed icine, C lassificação D ecim al Universal e abreviaturas do sistem a C O D EN .

  1 0 2 STA N DA RD periodical directory. New York: O xbrid ge, 1963- . A nual.

  ISSN 0085-6630. Tam bém em ced erro m.

  11 Internacio nal, co m info rm açõ es

  sobre mais de 85 000 título s de periódicos. Inclui título co m p leto , end ereço, título s anterio res,

  ISSN , perio d icid ad e, circulação e m éto d o s de impressão.

  A rranjo alfabético por cabeçalho s de assunto s. índ ices de título s.

  1 0 3 U LR IC H ’ S internatio nal periodicals directory. New York: Bowker, 1932- . A nual.

  ISSN 0000-0175. Tam bém em ced erro m, base de dados e em

  11

  linha em E o d iretó rio mais co m p leto , arrolando cer­ ca de 140 000 título s de 130 países. A rranjado por grandes assunto s. D e cada p erió d ico inclui: título , subtítulo , língua principal do texto , abreviatura do título , perio d icid ad e, preço, no m e e end ereço do editor, C O D EN , ISSN , m u­ d anças de título , existência de fo rm ato eletrô nico . Inclui os título s inter­ rompidos. Para acesso pela Internet, é necessário pagar assinatura anual.

  

1 0 4 list of scientific periodicals published in the years 1900—1960.

  W O R L D

  Ed ited by Peter Brow n and George Burden Stratto n. 4th ed. W ashingto n, Butterw orths/ Books on D em and , 1963-1965. 3 v. H Biblio grafia mais

  D C :

  co m p leta dos título s publicad o s entre 1900 e 1960. A tualizad a, em 1980, pela W o r ld lis t o f s c i e n t i f i c p e r i o d ic a ls ; n e w p e r i o d i c a l t it le s . Os verbetes in­ cluem título , abreviaturas mais co nhecid as, data do primeiro fascículo , data do térm ino da p ublicação , biblio tecas inglesas que po ssuem a co leção.

  C atálo g o s co letiv o s de p erió d ico s Os catálo go s co letivo s de periódicos info rm am quais biblio tecas possu­ em d eterm inad o s título s, quais os existentes em cada biblio teca e quais pos­ suem d eterm inad o fascículo . Tam bém servem de fo nte de referência para que as biblio tecas p lanejem as aquisiçõ es de modo co o perativo , visando ao m elho r ap ro veitam ento dos recursos financeiro s numa região ou estado. Em geral, as info rm açõ es são apresentadas em ordem alfabética de título s, co m ind icação do editor, lo cal de publicação , data do primeiro fascículo ou volu­ m e, m ud anças de título e as biblio tecas possuidoras dos título s referidos.

  Esses catálo go s, pela riqueza de suas info rm açõ es, são co nsid erad o s ver­ dadeiras biblio grafias de periódicos. São imprescind íveis para a lo calização de d eterm inad o fascículo , po ssibilitand o , assim, o pedido de cópia do artigo

  2 0 PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA C O M U T ).

  via co m utaçao biblio gráfica (no Brasil, via Há tam bém empresas que co m ercializam serviços de acesso eletrô nico a artigos de perió d ico .

  1 0 5 I n s t i t u t o B r a s i l e i r o d e I n f o r m a ç ã o e m C i ê n c i a e T e c n o l o ­

g i a (IB IC T ). C a tá l o g o co l e ti v o n a ci o n a l d e p u b l i ca çõ e s s e riad as (C C N ).

H B as e d e d ad o s q u e in f o rm a q u al

b ib l io te ca b ras ile ira p o ssu i d e te rm i n a d o títu l o , v o l u m e o u f as cícu l o d e u m

p e rió d ico . E f o rm ad o co m d ad o s f o rn e cid o s p o r u m a re d e d e i m p o rta n te s

b ib l io te cas q u e , d e f o rm a co o p e rativ a, f o rn e ce m in f o rm açõ e s s o b re os p e ri­

ó d ico s d e seu s ace rv o s . A có p ia d e artig o s p o d e s e r s o l icitad a v ia C O M U T . 1 0 6 N EW

  seriais titles: a unio n list o f seriais held by libraries in the United

  D C : States and Canad a. W ashingto n, Library of Co ngress, 1953- . M ensal.

  ISSN 0028-6680. A cum ulaçõ es sem estrais e anuais.

  11 Inclui dados biblio g rá­

  fico s de novos título s, alteraçõ es e interrupçõ es de título s de perió d ico s. In­ forma as principais biblio tecas dos EUA e Canad á que possuem os título s. Internacio nal, serve para ind icar sobre a p ublicação de título s novos em to ­ das as áreas.

  Sum ário s co rrentes de p erió d ico s O sumário é a lista, co lo cad a no início ou fim de um fascículo de p erió ­ dico , que relacio na todos os artigos e demais elem ento s que co m p õ em esse fascículo . As vezes é d eno m inad o (erro neam ente) índ ice. N ele enco ntram - se, para cada artigo, o título , a auto ria, a paginação e às vezes uma sino pse.

  As páginas de sumários de vários periódicos podem ser reunidas em p ublica­ çõ es dedicadas a tal fim , co m o é o caso das séries do C u r r e n t c o n t e n t s (item

  108). Na Internet, nos sítios de ed ito ras, co m erciais ou não, enco ntram -se co m freqüência páginas de sumários de perió d ico s por elas publicad o s, se­ jam em papel ou eletrô nico s. A lgumas ed ito ras p erm item acesso ao sum á­ rio, o utras exigem que o co nsulente seja assinante do título e possua senha de acesso.

  

1 0 7 C H EM IC A L titles. Co lum bus: C hem ical A bstracts Service, v. 1 - ,

1960- . Q uinzenal.

  ISSN 0009-2711 H Inclui sumários de cerca de 800 título s

  dos periódicos mais im p o rtantes das áreas de quím ica pura, aplicada e eng e­ nharia quím ica. Divide-se em três partes: índ ice de palavras-chave extraíd as do título do artigo ind exad o ; 2) sumários por o rdem alfabética dos título s de perió d ico s; 3) índ ice de autores.

  

1 0 8 C U R R EN T co ntents. Philadelphia: Institute o f Scientific Info rm atio n,

  v. 1- , 1958- . Sem anal. Tam bém em ced erro m , base de dados e em linha (co m a d eno m inação de C u r r e n t c o n t e n t s c o n n e c t ) . H Reproduz os sumários dos principais perió d ico s, de diversas áreas, m uito s dos quais são ind exad o s pelo S c ie n c e c i t a t i o n in d e x ou pelo S o c i a l s c i e n c e s c i t a t i o n in d e x . As seçõ es PERIÓ D IC O S 2 1

  publicad as são: A g r ic u lt u r e , b io lo g y & e n v ir o n m e n t a l s c i e n c e s , 1970- .

ISSN 0092-6361.

  Fo ntes de info rm ação so bre p erió d ico s eletrô nico s 109 BO O KS and perio d icals o nline: a directory of o nline p ublicatio ns. W a­ shingto n, D C : Library Techno lo gy A lliance, 1999. 1865 p.

  1524-2439. Tam bém em linha, m ed iante pagamento, no K C o m novo título , atualiza obra publicad a em 1997. Divid e-se em duas partes. Na prim eira, sobre perió d ico s eletrô nico s, inclui os dados básico s de 3 900 títu ­ los (sítio na W eb, perio d icid ad e, ed ito ra, end ereço ). A segunda parte co bre

  ISSN

  110 D IR EC TO R Y of scholarly electro nic jo urnals and acad em ic discussio n lists. W ashing to n, D C : A sso ciatio n of Research Libraries, 2000. 1102 p.

  título anterior, e em que bases de dados está d isponível. No final do vo lume, existe lista alfabética dos título s antigo s que rem ete para a d eno m inação atual.

  ISSN ,

  info rm a os livros e perió d ico s disponíveis em linha. A ed ição de 1999 incluiu cerca de 97 000 p ublicaçõ es. Cad a verbete, em ordem alfabética, info rm a o título do d o cum ento , país onde é publicado ,

  ISSN 0951-838X 1Í Publicad o desde 1987, co m co bertura internacio nal,

  1;

  para visualizar o texto da página do artigo. Para que essa visualização seja feita co m sucesso, requer-se o programa A dobe A cro bat instalad o no co m ­ putador. Có p ia dele pode ser o btid a, gratuitam ente, em

  ISSN 0090-0508; A rt s a n d h u m a n it ie s , 1979- .

  PD F

  Em m uito s sistem as de perió d ico s eletrô nico s é utilizad o o fo rm ato

  Tam bém surgem título s de periódicos que são publicad o s so m ente em forma d igital. C o m eçam a aparecer empresas que criaram eno rm es bases de dados de texto co m p leto e vendem cópias de artigos ou que p erm item a im p o rtação ( d o w n l o a d ) de arquivo que co ntenha o artigo. Esta é uma área que tend e a se m o d ificar rapid am ente.

  Perió d ico s eletrô nico s Perió dico eletrô nico ou digital é a publicação ed itad a em intervalo s regu­ lares e distribuíd a na forma eletrô nica ou digital. C o m o advento da Internet, surgiu a po ssibilid ad e de co nsultar na W eb os perió d ico s técnico -científico s arm azenad o s na forma eletrô nica. Cad a vez mais, além da forma trad icio nal im pressa, os principais título s passam tam bém a o ferecer o acesso em linha a seus texto s co m p leto s. A lgumas ed ito ras p erm item , m ed iante assinatura, o acesso ao seu acervo d igital. O utras p erm item o acesso em linha para os assinantes do título em papel, co brand o ou não por esse novo serviço.

  ISSN 0163-2574; S o c i a l a n d b e h a v i o r a l s c i e n c e s , 1974- .

  ISSN 0011-3409; P h y s ic a l, c h e m i c a l Ó e a r t h s c i e n c e s , 1979- .

  ISSN 1079-1450; L i f e s c i e n c e s , 1 958- .

  

ISSN 0891-3358; E n g in e e r in g , c o m p u t in g & t e c lm o lo g y , 1970- .

  ISSN 0163-3155; C l i n i c a i m e d i c in e , 1972- .

ISBN 0-9630277-5-

  2 2 PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

lis tas a ca d ê m i ca s d e d is cu s s ão e fo i co m p il ad a p o r D ian e K o v acs [w w w .

n 2h 2.co m / K O V A C S ],

  Princip ais sistem as de p erió d ico s eletrô nico s 111 Esta ed ito ra co m ercializa,

  A C A D EM IC PR ESS.

  para redes e co nsó rcio s de b ib lio tecas, o

  ID EA L (Internatio nal D ig ital

  Electro nic A ccess Library), sistema que p erm ite acesso ao texto co m p leto dos seus título s de perió d ico s. Q ualquer usuário pode pesquisar o sumário dos periódicos e o resumo dos artigos sem custo ; o acesso ao artigo integral é perm itid o aos possuidores de senha.

  112 B l a c k w e l l E l e c t r o n i c J o u r n a l N a v i g a t o r ( e j n ). u r l : n av i- gato r.blackw ell.co .uk H Esta editora co m ercializa este sistem a, que p erm ite acesso ao texto co m p leto de seus perió d ico s, inclusive os sumários e os resu­ mo s dos artigos. Para o acesso é necessário possuir senha.

  113 EBSCO IN FO RM A TIO N S e r v i c e , H Provê, m ed iante as­ sinatura, acesso ao texto co m p leto de mais de 4 500 título s de perió d ico s.

  ELEC T R IC L i b r a r y .

  114 H Sistem a que provê acesso a artigos de perió d ico s, livros, fo to grafias, mapas, no tícias e programas de rá­ dio e televisão. A busca é gratuita, mas não o acesso ao d o cum ento . A estra­ tégia de busca, co m os termo s em inglês, pode ser feita em linguagem natu ­ ral (frase co m um ) ou co m a utilização de operadores bo o leano s.

  115 U Serviço da Engineering Info r­ EN G IN EERIN G V iLLA G E. m atio n ínco rp o ratio n que, m ed iante assinatura, provê acesso a texto co m ­ pleto de perió d ico s, serviço de alerta e normas técnicas das diversas áreas da engenharia. Funcio nand o co m o um verdadeiro porta! da Internet, o assi­ nante pode, aind a, fazer indagaçõ es a esp ecialistas, atualizar-se sobre as no ­ vas tend ências da engenharia, acessar diversas bases de dados (d entre elas o

  

E n g i n e e r in g in d e x ou Co m p end ex), receber artigos de perió d ico s via co rreio

eletrô nico e participar de grupos/ listas de discussão.

  116 highw ire.stanford.edu/ e tam bém no intl.

  H iG H W IRE PR ESS. URL:

  highwire.org/

11 A Highw ire Press é uma unid ad e da Stanfo rd University

  Libraries. Tem por o bjetiv o trabalhar em co njunto co m o utras ed ito ras uni­ versitárias na pro mo ção da literatura acad êm ica de alta qualid ade. A lguns título s disponíveis são líd eres em suas áreas, co m o o P r o c e e d in g s o f t h e N a t i o n a l A c ad e m y o f S c ie n c e s . A cesso gratuito a vários título s.

  IN FO RM A TIO N Q U ES T .

  117

  11 O Info rm atio n

  Q uest (IQ ) vinculado à Ro w eCo m , antiga Daw so n, é uma das grandes em ­ presas que co m ercializam assinaturas de periódicos. Este sistem a p erm ite, m ed iante co ntrato , o acesso ao texto co m p leto de m ilhares de título s de PERIÓ D IC O S

  23

  perió d ico s, de diversas áreas tem áticas. Possui sistem a de alerta que info rma ao usuário a p ublicação de novos artigos de seu interesse.

  118

  IN G EN TA .CO M . 11 Empresa estabelecid a em 1998,

  m ed iante co nvênio co m a University o f Bath (Reino Unid o ), que co mercializa o acesso a artigos de perió d ico s eletrô nico s de diversas edito ras.

  IN STIT U T E O F PH YSIC S.

  119 11 Intro d uzid o em janeiro de 1996, o Institute o f Physics Electro nic Jo urnal é um serviço que provê aos assinantes institucio nais o acesso ao texto co m p leto dos seus p eri­ ó d ico s, geralm ente antes de serem publicad o s na forma im pressa. Q uem , ind ivid ualm ente, tiver assinaturas de revistas do instituto tam bém pode uti­ lizar esse serviço.

  120 K LU W ER O N LIN E, 11 Ed ito ra que fo rnece, por assinatura, acesso ao texto co m p leto de cerca de 400 título s de perió d ico s. 121 LiNK. 11 Mais de 410 título s de periódicos de diversas áreas, publicad o s pela editora Springer, estão disponíveis na for­ ma de texto co m p leto .

  122 M CB U N IV ERSITY P r e s s . Ed ito ra que fo rnece, m e­ d iante p agam ento , acesso ao texto co m p leto de perió d ico s de diversas áreas. 123 O n l i n e C o m p u t e r L i b r a r y C e n t e r ( o c l c ). menu/ eco.htm 11 Inaugurado em 1997, o Electro nic Co llectio ns O nline (EC O ) do O C LC p erm ite acesso a cerca de 3 000 título s de perió d ico s eletrô nico s. O valor do co ntrato de d ireito de acesso baseia-se no núm ero de assinaturas e núm ero de usuários sim ultâneo s.

  124 OVID. 11 Sistem a, intro d uzid o em 1988, que p erm ite acesso a bases de dados biblio gráfico s e a periódicos eletrô nico s das áreas de ciência, tecno lo gia e m ed icina. Possui serviço de alerta que info rm a novos artigos sobre d eterm inad o s tó pico s e bases de dados sobre diversos assunto s.

  125 P r o g r a m a d e B i b l i o t e c a E l e t r ô n i c a ( p r o b e ). 11 C o nsó rcio brasileiro , iniciad o em m aio de 1999, que congrega as universid a­ des públicas do estado de São Paulo e o Centro Latino -A m ericano e do Caribe de Info rm ação em C iências da Saúd e (BIR EM E). O o bjetiv o é fazer assinatu­ ras de perió d ico s eletrô nico s e o ferecer acesso ao texto co m p leto de artigos.

  PR O JEC T M U SE: SCH O LA RLY JO URN A LS O . U RL:

  126 n l i n e m use.jhu.ed u 11 C riad o em 1996 pela Hopkins Press e M ilto n Eisenho w er Library, da Jo hns

  (EU A ), M U SE

  Hopkins University p ro jeto tem por o bjetiv o o ferecer acesso

  o

  ao texto co m p leto de perió d ico s nas áreas de ciências so ciais, hum anid ad es e m atem ática publicad o s por ed ito ras universitárias. O acesso ao sum ário do p erió d ico é gratuito , porém o acesso ao artigo é feito m ed iante assinatura.

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

  24 1 2 7 S C IEN C E D i r e c T .

  11 Sistem a da Elsev ier

  Science que, m ed iante assinatura, po ssibilita acesso ao texto co m p leto de quase 1 100 título s de periódicos publicad o s por essa ed ito ra em 16 áreas da ciência, tecno lo gia e m ed icina.

  1 2 8 S E L O ( ) . c i e n t i f i c l e c t r o n i c i b r a r y n l i n e s c i e l o

  11 Pro jeto do C entro Latino -A m ericano e do C aribe de Info rm ação em C iên ­

  (BIR EM E),

  cias da Saúd e que provê acesso gratuito ao texto co m p leto de perió d ico s brasileiro s, de diversas áreas. A cesso por assunto , auto r ou título .

  129 S W ET S . K Criad a no final de 1997, a Sw etsnet o ferece acesso , m ed iante assinatura, a cerca de 3 200 título s de perió d ico s eletrô nico s das mais diversas áreas.

  1 3 0 UM I

  Pro quest. Sistem a co m ercializad o pela Univer-

  (U M l), à

  sity M icro film s Internatio nal que proporciona acesso referência e texto co m p leto de artigos de periódicos de grandes áreas tem áticas. E usado por várias instituiçõ es brasileiras, via Internet, em rede lo cal ou intranet.

  

1 3 1 U N C O V ER W e b : a cu rre n t aw are n e s s an d d o cu m e n t d e liv e ry S erv ice.

U RL: u n cw e b .carl .o rg / 11 Pro v ê ace s s o ao te x to co m p l e to d e m ais d e 1 8 0 0 0

títu l o s d e p e rió d ico s p u b l icad o s a p artir d e 1 9 8 8 . A b u s ca d e re f e rê n cias

b ib l io g ráf icas é g rátis , m as n ão a có p ia d e artig o s . Po ssu i s e rv iço d e al e rta

p ag o — U n C o v e r R e v e al — so b re n o v o s artig o s d e tó p ico s s e l e cio n ad o s .

  

Princip ais títulos de p eriód icos

T ítulo s gerais

  132 scientist. Triangle Park: Sigma Xi, v. 1,1913-. M ensal.

  A M ERICA N

  ISSN

  0003-0996.

  11 C o bre todos os ramos da

  ciência. Inclui artigos de pesquisas o riginais, bem co m o co m entário s sobre a profissão do cientista, problemas ed ucacio nais e so ciais da ciência.

  

1 3 3 A N A IS da A cad emia Brasileira de C iências. Rio de Janeiro : A cad em ia

  ISSN 0001-3765 É uma das

  11 Brasileira de C iências, v. 1 - , 192 9 - . Trim estral.

  mais antigas revistas científicas brasileiras. Títu lo s anterio res: R e v is t a d a S o ­

  

c i e d a d e B r a s i l e i r a d e S c i e n c i a s (1917-1919) e R e v is t a d e s c i e n c i a s (1920-

  1928). Seu o bjetiv o é publicar resultados o riginais de pesquisas realizadas nos ramos abrangidos pelas seçõ es da acad em ia. Publica artigos em inglês, português ou francês. A lguns fascículo s tem ático s já fo ram publicad o s.

  

1 3 4 o f the New York A cademy o f Sciences. New York: New York

A N N A LS

  A cademy o f Sciences, v. 1 - , 1823-. Irregular. 0077-8923.

  ISSN

11 Publica fascículo s tem ático s sobre diversos aspectos da ciência e tecno lo gia.

  

1 3 5 C IÊN C IA e cultura. São Paulo: So cied ad e Brasileira para o Progresso PERIÓ D IC O S

  25

  da C iência, v. 1 - , 1949- . M ensal.

  ISSN 0009-6725 K Um dos mais im p o rtan­

  tes título s brasileiro s, publica artigos originais de auto res nacio nais e estran­ geiros sobre todas as áreas científicas. Desd e agosto de 1991, passou a p ubli­ car os artigos em língua inglesa. Inclui no ticiário , artigos gerais, artigos de revisão, relatório s técnico s e o bituário .

  136

  IM PA CT o f science on society. Paris: U N ESC O ; Lo nd o n: Taylor & Fran- cis, v. 1 - , 1950- . Trim estral.

  ISSN 0019-2872 11 Inclui artigos sobre os efeito s da tecno logia na sociedade moderna. Os fascículo s geralm ente são tem ático s. N A TU RE.

  ISSN

  137 Lo nd o n: M acm illan, v. 1 - , 1869- . Sem anal. 0028- 0836. H Inclui breves artigos sobre pesquisas em and am ento e trabalho s o riginais mais extenso s, discussõ es sobre p o líticas públicas e evento s. Inclui recensõ es de livros novos. Publica-se toda quinta- feira, sendo co nsid erad a uma das revistas científicas mais im p o rtantes. Inú­ meras pesquisas de grande im po rtância foram divulgadas pela primeira vez

  N a t u r e , DN A .

  na co m o , por exemplo , o fam o so trabalho sobre a estrutura do 138 N EW scientist. Lo nd o n: Reed Business Info rm atio n, v. 1 - , 1956- . Sem anal.

  ISSN 0262-4079. Internacio nal, sem anal,

  é uma das mais renomad as revistas científicas. Inclui no ticiário so bre pro­ blem as científico s e tecno ló gico s, p o lítica científica e progressos im p o rtan­ tes recentes. C o bre d iferentes áreas, co m artigos o riginais, co m entário s crí­ tico s sobre novos livros, film es, museus, evento s e anúncio s de empresas nas áreas de ciência e tecno lo gia. O assinante pode ter acesso ao sumário e texto co m p leto dos artigos via Internet.

  

1 3 9 PH ILO SO PH IC A L transactio ns of the Royal Society. Series A : M athe-

  m atical, physical and engineering sciences; series B: Bio lo gical sciences. Lo nd o n: Royal Society, v. 1 - , 1 6 6 5 - . M ensal.

  ISSN 1 3 6 4 - 5 0 3 A (series A ); 0 9 6 2 - 8 4 3 6 (series

B) 1 0 mais antigo perió d ico que se publica sem interrup ­

  ção desde o século

  XV II. Divulga trabalho s originais nas áreas de ciências e engenharia.

  140 PRO C EED IN G S of the N atio nal A cademy of Sciences of the United States o f A m erica. W ashingto n, D C : N atio nal A cademy o f Sciences, v. 1 - , 1903- . Q uinzenal.

  ISSN 0027-8424. H Um dos título s mais

  citad o s em âm bito mund ial. Publica relatórios de pesquisas, co m entário s e trabalho s apresentad o s em evento s organizados pela acad em ia, co m ênfase nas áreas de ciências físicas, ciências sociais e m atem ática.

  Títu lo s de d ivulgação científica 141 C IÊN C IA ho je. Rio de Janeiro : So cied ad e Brasileira para o Progresso da Ciência, v. 1- , 1982- . Mensal.

  ISSN 0101-8515. PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

26 Ricam ente ilustrad a divulga dados que podem co ntribuir para fo rm ar o p i­

  nião e para um m elho r co nhecim ento da Terra, da natureza e da so cied ad e em que vivemos. No sítio da revista, po d em-se enco ntrar cad erno s esp eciais para crianças: C i ê n c i a h o j e d as c r ia n ç a s . Inclui sem ­ pre artigos sobre ciência e tecno lo gia no Brasil, bem co m o no ticiário so bre a pro d ução científica e tecno ló gica das universidades brasileiras.

  D lSC O V ER.

  142 New York: W alt Disney M agazine, v. 1 - , 1980- . M ensal.

  ISSN

  0274-7529 11 Excelente apresentação gráfica. C o m ampla co bertura, inclui quase sempre artigos sobre m ed icina, psico lo gia, info rm ática e bio lo ­ gia. As novas invençõ es e tecno logias tam bém são co m entad as.

  G .

  ISSN 143 a l i l e u São Paulo: Glo bo , v. 1 - , 1990- . M ensal. 1415-9856.

  De 1990 a 1998 teve o título G l o b o c i ê n c i a . Farta­ m ente ilustrad a, inclui artigos sobre as diversas áreas da ciência e tecno lo gia. Seçõ es regulares sobre astro no m ia, info rm ática, recensõ es de livros, vídeos e programas de televisão , problemas m atem ático s.

  144 JO RN A L da ciência. Rio de Janeiro: So cied ad e Brasileira para o Progres­ so da C iência, v. 1 - , 1987- . Q uinzenal.

  ISSN 1414-655X H “A co m p anha de

  perto a p o lítica científica do país e procura estim ular o d ebate aberto dos principais pro blemas de ciência e tecno lo g ia” (exp ed iente). Inclui no ticiá­ rio sobre os pro blemas técnico -científico s, artigos assinado s, info rm açõ es sobre evento s, curso s, co ncurso s públicos e lançam ento s de livros e revistas.

  JO RN A L

  145 da ciência e-m ail. Rio de Janeiro : So cied ad e Brasileira para o

  11 Progresso da C iência, v. 1- , 1998- . Diário. Bo letim no ticio so eletrô nico

  que inclui breves no tícias sobre os assuntos co rrentes das áreas de ciência e tecno lo gia no Brasil. E enviado gratuitam ente aos que se cad astrarem no end ereço eletrô nico

  146 PO PU LA R Science. New York: Tim es M irror M agazine, v. 1 - , 1 8 7 2 - . M ensal.

  ISSN 0 1 6 1 - 7 3 7 0 H Fartam ente ilustrada, inclui no ticiário e artigos sobre os mais variados temas científico s e tecno ló gico s.

  147 L a REC H ER C H E. Paris: So cieté d’ Éd iteurs Scientifiques, v. 1- , 1970—

  ISSN

  . M ensal. 0029-5671. Bastante ilustrad a, de cu ­ nho internacio nal, publica no tícias e artigos gerais, artigos de revisão e recensõ es de livros e obras de referência sobre as mais diversas áreas da ciên­ cia e tecno lo gia. Tam bém publica fascículo s tem ático s.

  148 S C IEN C E et vie. Paris: Excelsio r, v. 1 - , 1913- . M ensal.

  ISSN 0036-

  8369 11 Ricam ente ilustrada, publica no tícias e artigos sobre variados temas científico s e tecno ló gico s. Inclui recensõ es de livros. 149 S C IEN C E m ag az in e . W as h in g to n , D C : A m e rican S o cie ty f o r th e A d v an - PERIÓ D IC O S

  27

  ISSN cem ent o f Science, v. 1, 1880- . Sem anal. 0036-8075. www. sciencem ag.

  org/ H A brange desde breves artigos técnico s a ensaio s gerais sobre todas as áreas da ciência. Inclui resenhas sobre livros novos, no tícias e revisões bibli­ o gráficas. Publicação o ficial da A m erican So ciety fo r the A d vancem ent of

  Science.

  

1 5 0 T H E S c i e n c e s . New York: New York A cademy o f Sciences, v. 1 - ,

1 9 6 0 - . Bim ensal.

  ISSN 0 0 3 6 - 8 6 1 X H Tem por o bjetiv o “ co m unicar o m elho r

  da ciência e refletir sobre a ciência nas maneiras mais amplas possíveis” (ex­ p ed iente). C o m figuras e foto grafias co lo rid as, aborda diversos asp ecto s da ciência e tecno lo gia. Inclui artigos gerais, de revisão e recensõ es de livros.

  

1 5 1 SC IEN T IFIC A m erican. W ashingto n, D C : Scientific A m erican, v. 1 - ,

1845- . M ensal.

  ISSN 0036-8733.

  11 Inclui artigo s, escrito s

  por cientistas de d estaque, sobre o estad o atual e a histó ria da ciência. Inclui seçõ es sobre o cientista amador, novas d esco bertas científicas e jogos m ate­ m ático s. índ ices acumulad o s: S c i e n t i f i c A m e r i c a n c u m u la t iv e in d e x 1 9 4 8 -

  1 9 7 8 (1979,

  ISBN 0-89454-002-5) e S c i e n t i f i c A m e r i c a n c u m u la t iv e in d e x

1 9 7 8 - 1 9 8 8 (1989). Há versão francesa: P o u r la S c ie n c e . Em

  ro chester.ed u/ Scientific_A merican/ podem ser co nsultad o s os volumes rela­ tivos ao período 1845-1859, juntam ente co m um índ ice em linha.

  SU PERIN TERESSA N T E.

  ISSN 152 São Paulo: A bril, v. 1 - , 1987- . M ensal. U RL:

  0104-1789. superinteressante.co m.br/ 11 M uito ilustrad a, co m artigos, em linguagem acessível. Tem seçõ es sobre astro no m ia, testes m atem ático s, novos produtos tecno ló gico s, no tícias sobre a Internet e ced erro ns, recensõ es de livros e frases/ pensamentos relativos à ciência e tecno lo gia. Em 1997 foi publicad o um ced erro m , para o período 1987-1997, co m o texto co m p leto dos artigo s, m ais de 2 000 im agens e 1 600 gráfico s.

  C o m u tação biblio g ráfica Por co m utação biblio gráfica entend em -se p ro ced im ento s repro gráfico s, de qualquer tipo, entre o utro s a cópia xero gráfica, m icro fo rm a, fac-sím ile, co rreio eletrô nico e arquivo eletrô nico , que p erm item aos usuários de uma biblio teca ter acesso ao acervo de o utra biblio teca, p articip ante de uma rede.

  Este serviço co stum a ser pago. A lém disso, existem empresas co m fins lucra­ tivos, que prestam serviço sem elhante, às vezes sem muita d em o ra. A seguir, algumas instituiçõ es im p o rtantes que prestam esse serviço.

  Institu içõ es de o utro s países

  1 5 3 BRITISH LIBRA RY. D O C U M EN T SU PPLY C EN T R E,

  

  LS 23

  brazil/ english/ index.htm. End ereço : Bo sto n Spa, W etherby, Yorkshire

  7BQ ,

  United Kingdom 11 Um dos maiores forneced o res de cópias de artigos

28 PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

  Provê cópias de artigos de perió d ico s, livros esgo tad o s, teses e d isserta­ ções (indexadas no D is s e r t a t io n a b s t r a c t s ) . A ceita cartão de créd ito .

  

áre as d o c o n h e ci m e n to , e n g l o b an d o to d o s os tip o s d e s u p o rte d e i n f o rm a ­

çã o q u e d is p o n h am d e catál o g o s p ara id e n ti f i ca çã o , l o ca l i z a çã o e s o l i ci ta çã o

d e seu s ite n s . O C O M U T co o rd e n a u m a re d e d e c e n te n a s d e b ib l io te cas b ra ­

sileiras q u e f o rn e ce m f o to có p ias . S ão u tiliz ad o s cu p o n s p ró p rio s p ara p ag a­

m e n to d o se rv iço . O s d o cu m e n to s s ão e n v iad o s p e lo co rre io , p o r f ax o u co r­

  000 11 P ro m o v e , d e s d e 1979, o ace s s o ao d o cu m e n to p rim ário e m to d as as

  I n s t i t u t o B r a s i l e i r o d e I n f o r m a ç ã o e m C i ê n c i a e T e c n o l o g i a .

P r o g r a m a d e C o m u t a ç ã o B i b l i o g r á f i c a ( c o m u t ). i b i ct.b r:8 2 /

c c n / E n d e re ço : SA S, Q u ad ra 5, L o te 6 , B l o co H , 4.° an d ar, B ras ília, D F 70070-

  159

  22294-900 11 Provê cópia de artigos de p erió d ico s, tra­ balho s publicad o s em anais de congressos e relatório s técnico s na área de energia nuclear. O serviço é cobrado.

  RJ

  . Rua General Severiano, 90, Rio de Janeiro ,

  1 5 8 C o m i s s ã o N a c i o n a l d e E n e r g i a N u c l e a r . C e n t r o d e I n f o r m a ­ ç õ e s N U C LEA RES (C IN )

  End ereço : Rua Bo tucatu, 862, Vila C lem entino , São Paulo, S P 04023-080 U Fo rnece, m ed iante pagamento, fo to có pias de artigos de perió d ico s co nstan­ tes do seu acervo. Os pedidos que não puderem ser atend id o s lo calm ente poderão ser encam inhad o s a o utras biblio tecas do Brasil ou do exterior.

  1 5 7 C e n t r o L a t i n o - A m e r i c a n o e d o C a r i b e d e I n f o r m a ç ã o e m C i ­

ê n c i a s DA SA Ú D E (BIR EM E). Biblio teca Virtual em Saúd e,

  Instituiçõ es brasileiras

  científico s publicad o s em qualquer país, além de trabalho s apresentad o s em co ngresso s, teses e d issertaçõ es do Reino Unido. No Brasil, os interessad o s po d em ad quirir os cupo ns de pagamento do serviço na rep resentação do Co nselho Britânico (SC N , Quadra 4, Blo co B, Sala 202, Ed ifício Varig, Brasília, D F 70710-926, ).

  154 IN FO RM A TIO N ON D EM A N D ([G D ).

  ho use. End ereço : 300 Z eeb Road, A nn A rbor, M I 48106-1346,

  1 5 6 U n i v e r s i t y M i c r o f i l m s I n t e r n a t i o n a l ( u m i ). A rticle Clearing-

  

PA 19104, USA 11 Produtor do S c ie n c e c í t a t í o n in d e x . Fo rnece cópia dos d o cu­

m ento s ind exad o s em suas bases de dados. A ceita cartão de créd ito .

  So lutio n. U RL: ids.isinet.com/ End ereço : 3501 M arket Street, Philad elp hia,

  IN S T IT U T E FO R S C IEN T IFIC IN FO RM A T IO N (IS I). ISI D o cu m ent

  1 5 5

  H Fo rnece cópia de d o cum ento s sobre to d o s os as­ sunto s e de diversos tipos. Utiliza os acervos das biblio tecas e agências go ­ v ernam entais am ericanas e estrangeiras.

  USA

  22102,

  VA

  End ereço : 8000 W aterp ark Drive, M cLean,

  USA 11 PRO JETO S E PESQ UISA S EM A N DA M EN TO

  29

  reio eletrô nico . A so licitaçao de cópia deve ser feita junto a uma biblio teca p articip ante do C O M U T. 160 R e d e d e B i b l i o t e c a s d a Á r e a d e E n g e n h a r i a ( r e b a e ) . . sc.usp.br/ rebae/ H Criada em 1994, tem por objetivo facilitar e agilizar o acesso à info rm ação e ao d o cum ento para os usuários da área de engenharia, por m eio de serviços co o perativo s entre as biblio tecas p articip antes. Os serviços o ferecid o s incluem o em p réstim o entre biblio tecas, co m utação biblio gráfi­ ca e lev antam ento s biblio gráfico s.

  

PR O JET O S E PES Q U IS A S EM A N D A M EN T O

  Este é o tipo de info rm ação prioritária para o d esenvo lvimento , tend o em vista que p erm ite evitar a d up licação de pesquisas e assim promover a reo rientação de recursos para seto res que, embora im p o rtantes para o país, carecem de investigaçõ es em núm ero suficiente.

  Há eno rm es d ificuld ad es para a co leta de dados sobre pesquisa em and a­ m ento . Em geral os cientistas relutam em responder questio nário s. A lgumas universidades p ublicam , de forma regular, no tícias sobre pesquisas que ali estejam sendo realizadas.

  

1 6 1 B r a s i l . C o n s e l h o N a c i o n a l d e D e s e n v o l v i m e n t o C i e n t í f i c o

E T EC N O LÓ G IC O . D ir e t ó r io d o s g r u p o s d e p e s q u i s a n o B r a s il. Brasília: C N Pq ,

  1994. 8 v. Tam bém em : K Inclui pesquisas em and a­ m ento e pesquisadores vinculado s a universidades, instituiçõ es isoladas de ensino superior, instituto s e centro s de pesquisa e d esenvo lvim ento de em ­

  V . 3 : presas estatais. 1: tabulaçõ es básicas; v. 2: índ ices; v. ciências agrárias; v.

  4: ciências bio ló gicas; v. 5: ciências da saúde; v. 6: ciências exatas e da terra; v. 7: engenharias e co m p utação ; v. 8: ciências hum anas e so ciais. Títu lo da ed ição anterio r: C a d a s t r o g e r a l d e p e s q u i s a s 7 6 /8 0 : p r o j e t o s - a t i v i d a d e s

  C N Pq ,

  (Brasília: 1981. 503 p .). O acesso pela Internet p erm ite busca nas bases de dados de grupos de pesquisa, pesquisad o res, linhas de pesquisa e assunto s. Existe a ed ição 4.0, lançad a em julho de 2000 (em : gpesq3/ dgp4).

  

1 6 2 . ------------- . Sistem a de currículo Lattes.

ind ex.htm 11 Para maiores d etalhes ver item 233.

1 6 3 . M C T . P la n o p lu r ia n u a l

i n i s t é r i o d a i ê n c i a e e c n o l o g i a

d e c i ê n c i a e t e c n o lo g ia d o g o v e r n o f e d e r a l , PP A 1 9 9 6 /9 9 . Brasília: M inistério da

  C iência e Tecno lo gia, 1997. 142 p. Tam bém em: PPA _96-99.htm H D o cum ento o ficial, co m info rm açõ es sobre os pro jeto s, órgãos responsáveis e recursos financeiro s alocados.

  164 FED ERA L research in progress (FED R IP). Springfield: N atio nal Techni-

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

  30

  cal Info rm atio n Service, 1983- . Em linha (no Dialog) e em ced erro m . URL: gre.ntis.gov/ fedrip.htm

11 Base de dados sobre pesquisas em and am ento fi­

  nanciad as pelo governo dos EUA em ciências físicas e bio ló gicas e eng enha­ ria. Su bstitu i as ativid ad es exercid as até 1981 pelo antigo Sm ithso nian Science Info rm atio n Exchange (S S IE). Cad a verbete inclui dados so bre o p ro jeto , agência financiad o ra, datas de início e térm ino previsto, resumo, instituição e pesquisadores responsáveis. É necessário possuir senha para o acesso via Internet.

  165 G O V ERN M EN T repo rt anno uncem ents. 11 Indexa os relató rio s de pes­ quisas em and am ento financiad as por agências go vernam entais no rte-am e- ricanas. Para maiores d etalhes ver item 169.

  

R ELA T Ó R IO S T ÉC N IC O S

  Relató rio técnico é o tipo de d o cum ento que apresenta os resultados de pro jeto s técnico -científico s, bem co m o de testes efetuad o s para co m p ro va­ ção e avaliação. Sinô nim o de info rme científico e/ ou técnico . Os relatório s técnico s geralm ente são preparados em linguagem co ncisa e se co ncentram no co nteúd o permitind o , assim, que o leito r possa aco m p anhar o pro cesso e fazer desenvo lvimento s a partir dessa leitura.

  

Fo n te de referência

166 A u g e r , Charles Peter. I n fo r m a t i o n s o u r c e s in g r e y lit e r a t u r e . 4th ed.

  Lo nd o n: Bow ker-Saur, 1998. 177 p.

ISBN 1-85739-194-2

  11 Excelente guia b i­

  blio gráfico sobre relatórios técnico s e literatura co m ercial. A borda os asp ec­ tos da aquisição , co ntro le biblio gráfico , catalo gação e ind exação , bem co m o o acesso a esse tipo de d o cum ento . Info rma a situação dos relatório s técnico s em diversas áreas. índ ices de auto res, título s e assuntos.

  

Principais fontes

  167 B r i t i s h reports, translatio ns and theses: a current aw areness biblio - graphy. Bo sto n Spa: British Library D o cum ent Supply C entre, v. 1 - , 1981- . M ensal.

  ISSN 0144-7556 11 Periódico que indexa relatórios técnico s, teses e

  traduçõ es produzidas por órgãos governamentais, empresas, universidades e sociedades científicas do Reino Unido. C o m índ ices de auto res, núm ero de relatório e assuntos.

  168 D iC TIO N A RY o f reports series codes. 3rd ed. D etro it: G ale, 1986. 647

  ISBN

  p. 0-8103-2147-5 11 D icio nário co m mais de 25 500 códigos alfanum é­ ricos utilizad o s para id entificar relatório s técnico s de agências go vernam en­ tais e empresas no rte-am ericanas. A rranjo pelo có d igo do relató rio e auto r corporativo. T ESES E D ISSERTA Ç Õ ES

  31

  Langley technical reports server.

  Esse d o cum ento é divulgado após a expo sição feita pelo aluno, perante banca examinad ora, ter sido por esta aceita em sessão pública realizada numa faculd ad e ou universidade. E um tipo de d o cum ento im p o rtante, pois, ge­ ralm ente, é o co ro am ento de pesquisa feita d urante anos.

  ( d i s s e r t a t i o n ) para o trabalho de co nclusão do d o utorado e tese ( t h e s i s ) para o mestrado.

  Tese e d issertação são tipos de d o cum ento que apresentam uma p esqui­ sa o riginal sobre d eterm inad o tem a. O bserve-se que a term ino lo gia brasilei­ ra é o co ntrário da no rte-am ericana. Nos EUA utiliza-se o term o d issertação

  

T ES ES E D IS S ER T A Ç Õ ES

  A rranjo tem ático e co m índ ices de auto res (co rpo rativo ou pesso al), assunto s e núm ero de co ntrato .

  dos EUA .

  (D O D )

  171 T EC H N IC A L abstract bulletin (TA B). A lexandria: D efense Technical Info rm atio n Center, 1953. Q uinzenal, co m acum ulaçõ es trim estrais e anu­ ais. 11 índ ice dos relatório s técnico s produzidos por e para o D ep artam ento de D efesa

  nas áreas de aero náutica, astro no m ia, astro física, info rm ática, engenharia elétrica, engenharia eletrô ­ nica, m atem ática e física.

  NA SA ,

  techreports.larc.nasa.gov/ ltrs/ ltrs.html 11 Base de dados sobre re­ lató rio s técnico s e p r e p r in t s preparados pela

  U RL:

  Langley Research C enter (LA R C ).

  169

  1 7 0 NA SA .

  A cesso pela Internet requer assinatu­ ra de co ntrato .

  Technical Info rm atio n Service (N T IS ).

  (1954-1971); G o v e r n m e n t r e p o r t s a n n o u n c e m e n t s e G o v e r n m e n t r e p o r t s in d e x (1971-75). A rranjo segundo classificação por grandes áreas tem áticas. índ i­ ces: auto r corporativo, assunto s, auto r pessoal, co ntrato go vernam ental, nú­ mero do relatório . O texto dos relatórios pode ser ad quirid o no N atio nal

  

B i b lio g r a p h y o f t e c h n i c a l r e p o r t s (1949-1954); U .S . g o v e r n m e n t r e s e a r c h a n d

d e v e l o p m e n t r e p o r t s e U . S . g o v e r n m e n t r e s e a r c h a n d d e v e l o p m e n t r e p o r t s in d e x

  Formado pela união do G o v e r n m e n t r e p o r t s in d e x e G o v e r n m e n t r e p o r t s a n n o u n c e m e n t s . Título s anterio res: B i b l i o g r a p h y o f s c i e n t i f i c a n d in d u s t r i a l r e p o r t s (1946-1949);

  EUA .

  exaustivo e co rrente de mais de 2 milhõ es de relatório s de pesquisa e d esen­ vo lvim ento feito s desde 1964 para o governo dos

  ISSN 1064-0479). URL: grc.ntis.gov/ ntisdb.htm U índ ice

  ced erro m (1980- ,

  ISSN 0097-9007. Tam bém em linha e

  reports anno uneem ent and index. Springfield: National Technical Info rm atio n Service, 1975- . Q uinzenal. índ ice acumulad o anu­ al: G o v e r n m e n t r e p o r t s a n n u a l in d e x .

  G O V ERN M EN T

  As teses de do utorado e as d issertaçõ es de m estrad o , d efend idas no Bra­ sil, ainda são po uco divulgadas. Prim eiram ente, devido à reduzida tiragem , quase sempre custead a pelo próprio pesquisador, e tam bém pela falta de um m ais amplo co ntro le biblio gráfico . M uitas universidades publicam seus ca­

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

  32

  tálogos de teses e d issertaçõ es impressas e/ ou em ced erro m . A lgumas tam ­ bém divulgam info rm açõ es p ertinentes em bases de dados na Internet.

  D estaque-se o esfo rço do

  IBICT e das universidades no sentid o de m elho ­

  rar a qualid ade e o núm ero de registros da base de dados T e s e s b r a s i l e i r a s (ver item 177).

  

G uias b ib liográficos

REY N O LD S,

  172 M ichael M. G u i d e t o t h e s e s a n d d is s e r t a t io n s : a n in t e r n a ­

  ISBN t i o n a l b i b lio g r a p h y o f b ib lio g r a p h ie s . Pho enix: Oryx Press, 1985. 263 p.

  0-89774-149-8 H Biblio grafia internacio nal retro spectiva de biblio grafias de teses e d issertaçõ es. Os verbetes estão arranjad o s por catego rias de grandes assunto s. índ ices de instituiçõ es universitárias, auto res e assunto s.

  

Bib liografias e índ ices correntes

  173 B r a s i l . M i n i s t é r i o d a E d u c a ç ã o e C u l t u r a . C a t á l o g o d e b a n c o

  

d e t e s e s . Brasília: M EC , 1976-1982. v. 1-5 11 Indexa teses de m estrad o , d o uto ­

rado, livre-d o cência e pós-doutorado, d efend idas em instituiçõ es brasileiras.

  A rranjo por grandes áreas de assuntos. Inclui resumos. índ ices de auto res, o rientad o res e áreas e subáreas do co nhecim ento . Interro m p id o em 1982 quand o foi publicad o o últim o volume (v. 5).

  174 C O M PREH EN SIV E d issertatio n index. A nn A rbor: University M icro ­ films, 1861-1972, 1973-1982, 1 9 8 3 - 1 9 8 7 ,1 9 8 8 - . A nual. 1961-1972 em 37 v., 1973-1982 em 38 v., 1983-1987 em 22 v., 1988-1992 em 5 v.; 1993- , ainda em publicação . 11 índ ice das teses de m estrad o , de todas as áreas, d e­

  EUA fendidas nos e em alguns o utros países.

  175 D ISSERTA TIO N abstracts internatio nal (D A I). A nn A rbor: University M icro film s Internatio nal, 1938- , v. 1- . M ensal.

  ISSN 0419-4209 (Seção A ),

  0419-4217 (Seção B ), 1042-7279 (Seção C ). Tam bém em linha (S T N , Dialo g,

  

O C L C , D ataStar e O v id ) e em ced erro m .

  D issertatio ns.htm l 11 Título s anterio res: M i c r o film a b s t r a c t s (1938-1951) e

  

D is s e r t a t io n a b s t r a c t s (1952-1967). Indexa as teses de d o uto rad o d efend i­

  das em universidades dos EUA e de outros países. Publica-se d esd e 1966 em duas seções:

A: H u m an it ie s a n d s o c ia l scien c es - ,

  B: P h y s ic a l s c ie n c e s a n d e n g in e e ­

r in g . Em 1977 foi incluída a seção C : W o r ld w id e . A rranjo por grandes assun­

  to s. índ ice de auto res e assuntos (palavras-chave dos título s). Vende cópias

  

UM I,

das teses no end ereço eletrô nico da que aceita cartão de créd ito .

  176

  IN D EX to theses w ith abstracts. Lo nd o n: A slib, v. 1 - , 1950- . Trim es­

  ISSN

  tral. 0073-6066 11 índ ice, co m resumo, das teses defend idas em univer­ sidades e instituto s p o litécnico s do Reino Unido . A rranjo tem ático por gran­ des cabeçalho s de assunto s. índ ices de auto res e assunto s. TRA D U Ç Õ ES

  33

  177 I n s t i t u t o B r a s i l e i r o d e I n f o r m a ç ã o em C i ê n c i a e T e c n o l o g i a .

  

T e s e s b r a s i l e i r a s . Em ced erro m e na Internet:

  11 Inicialm ente publicada co m o periódico, sob o título ín d i c e d e t e s e s (Brasília, v. 1 - , 1987- ). Ind exa d issertaçõ es de mestrad o e teses de do utorado d efen­ didas em universidades brasileiras. As referências incluem : no m e do autor, título e d emais elem ento s biblio gráfico s, sigla da universidade onde a tese foi d efend id a, ano, o rientad o r, agência financiad o ra e o núm ero do processo na agência. Buscas por assunto , tese, auto r e lo cal da d efesa. Có p ias podem ser pedidas ao seto r de co m utação das biblio tecas ligadas ao C O M U T.

  

1 7 8 des thèses de d o cto rat so utenues d evant les universités

IN VEN TA IRE

  françaises. Paris: Université Paris I, Biblio thèque de la So rbo nne, D irectio n des Biblio thèques, des M usées et de l’info rm atio n Scientifique et Technique, v. 1 - , 1 9 8 2 - . A nual. 11 Títu lo anterio r: C a t a l o g u e d e s t h è s e s d e d o c t o r a t s o u ­

  

t e n u e s d e v a n t le s u n iv e r s it é s f r a n ç a i s e s ( 1 8 8 4 - 1 9 8 0 ) . Biblio grafia co rrente

das teses de d o uto rad o d efend idas em universidades francesas.

  

1 7 9 des thèses de d o cto rat so utenues d evant les universités

RÉPER TO IRE

  de langue française. Q uébec: Université Laval, Centre de Documentation,

1 9 7 0 — . Irregular. Biblio grafia das teses em francês d efend idas no Canad á.

  C atálo g o s co letiv o s de teses

  1 8 0 A s s o c i a ç ã o P a u l i s t a d e B i b l i o t e c á r i o s . C a t á l o g o d e t e s e s em

t e c n o lo g ia d o e s t a d o d e S ã o P au lo ( d e 1 9 0 0 a 1 9 7 3 ) . São Paulo: A sso ciação

Paulista de Biblio tecário s; Rio de Janeiro : p.

  11 Referências

  IBBD , 1 9 7 4 . 2 0 6

  de 7 5 1 teses, d efend id as no período ind icad o , lo calizadas em 5 0 biblio tecas do estad o . A rranjo seqüencial num érico . índ ices de palavras-chave do título , auto res, siglas e cro no ló gico de data de defesa das teses.

  

1 8 1 A s s o c i a ç ã o P r o f i s s i o n a l d e B i b l i o t e c á r i o s d o e s t a d o d a

B a h i a . G r u p o d e T r a b a l h o e m I n f o r m a ç ã o e D o c u m e n t a ç ã o T e c ­

n o l ó g i c a . T e s e s e m c i ê n c i a s e t e c n o lo g ia . 2 . e d . S alv ad o r: 1 9 8 6 . 1 5 8 p . 11 In ­

cl u i 8 1 9 te s e s e x i s te n te s e m b ib l io te cas d a B ah ia. A rran j o p elo s o b re n o m e

d e au to r. í n d i ce d e as s u n to s e d e b ib l io te cas d e p o s itárias .

  TR A D U Ç Õ ES Trad ução é a transpo sição do texto de um id io ma para outro. A barreira lingüística m uitas vezes im ped e o acesso à info rm ação . E co m um enco ntrar­ mo s um artigo que julgamo s ó tim o para nosso trabalho e não podermos co nsultá-lo , esp ecialm ente se for numa língua mais d ifícil para os brasilei­ ros, co m o , por exemplo , russo, chinês ou japo nês. A barreira lingüística tam ­ bém é um grande o bstáculo para o co nhecim ento m undial dos resultados das pesquisas, e a utilização de traduçõ es é o m elho r m eio para superá-la.

34 PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

  ISBN

  8264 U Tam bém em base de dados. índ ice das traduçõ es técnicas existentes so bre diversos assunto s. Títu lo anterio r: W o r ld t r an s in d e x . Feito co m a co la­ bo ração de mais de 200 organizações de to d o o m undo , que enviam de for­ ma regular referências de traduçõ es feitas e que possam ser ind exad as nessa base de dados, que possui mais de 380 000 referências de trad uçõ es.

  ISSN 0259-

  186 W O R LD translation index (W T I) . D elft: Internatio nal Translatio n C en­ ter, v. 1— , 1978- . Dez números por ano, co m acum ulação anual.

  b) seletivas de artigos de um p erió d ico ; c) de artigos selecio nad o s de pequeno núm ero de revistas de d eterm inad o assunto . Ar­ ranjo em ordem alfabética dos perió d ico s traduzidos para o inglês. 185 S i n d i c a t o N a c i o n a l d o s T r a d u t o r e s ( s i n t r a ) . ong. org/ tradut.html U Info rm a os preços básico s de trad uçõ es e traz no ticiário sobre trad uçõ es. Inclui cad astro de traduto res, em que se pode fazer a busca dos pro fissio nais pelos diversos idiomas (texto o riginal e traduzid o ) e pelo estad o da resid ência do profissional.

  t o - c o v e r t r a n s l a t i o n s ) ;

  0-712-32073-3 11 Lista de traduções: a) de periódicos na to talidad e (cover-

  O trabalho de trad ução é caro e, para ser satisfató rio , é preciso que o tra­ d uto r d o m ine a líng ua-fo nte e a língua-alvo, além de co nhecer a term ino lo ­ gia dos assunto s esp ecializad o s. A ntes de enco m end ar um trabalho de tra­ d ução é reco mend ável co nstatar se não há o utra trad ução do m esm o d o cu­ m ento num a língua acessível para o usuário. Por exem plo , algumas revistas científicas russas são traduzidas na íntegra para o inglês. Estim a-se que seja significativo o núm ero de traduçõ es feitas no Brasil, p rincip alm ente na área técnica. Inexistem , po rém, registros de âm bito nacio nal dessas trad uçõ es.

  182 IN D EX translatio num : an internatio nal biblio graphy o f translatio ns. Paris: U N ESC O , v. 1 - , 1 949- . A nual.

  JO URN A LS

  184

  straat 101, D elft, N etherland s (Países Baixos) 11 O rganism o internacio nal que realiza o co ntro le biblio gráfico de trad uçõ es de artigos e o utro s d o cu­ m ento s técnico s e científico s. Publica o W o r ld t r a n s la t io n in d e x . Vende có p i­ as das trad uçõ es d epo sitad as no centro .

  IN TERN A TIO N A L TRA N SLA TIO N C EN T ER (IT C ). End ereço : D o elen-

  dados, 11 Inclui in­ fo rm açõ es sobre traduçõ es de mais de um m ilhão de livros feitas em mais de 80 países m em bro s da U N ESC O . A rranjo alfabético por países, e, d entro de cada país, pela C D U . índ ice de auto res. O fo rm ato em base de dados possui mais de 500 000 referências a livros traduzid o s. A ed ição impressa cesso u em 1998, e a ed ição em ced erro m teve início em 1994. O acesso via Internet perm ite a busca por palavras-chave, línguas da obra original e da tradução . 183

  ISSN 1020-1386. Em ced erro m e base de

  in translatio n. 5th ed. Bo sto n Spa: British Library D o cu- m ent Supply C entre; D elft: Internatio nal Translatio n Center, 1991. 286 p.

2 FONTES SECUNDÁRIAS

  

BA S ES D E D A D O S E BA N C O S D E D A D O S

  Base de dados é a expressão utilizad a para ind icar a co leção de dados que serve de supo rte a um sistem a de recuperação de info rm açõ es. As bases de dados, reunidas, fo rm am os banco s de dados. Os principais tipo s de bases de dados são: biblio gráficas, que incluem referências biblio gráficas e resumos; e textuais, que incluem texto s co m p leto s de artigos de perió d ico s, jo rnais ou o utras mo d alid ades de d o cum ento s.

  

Bases de dados

1 8 7 B r a s i l . S e c r e t a r i a E s p e c i a l d e I n f o r m á t i c a . D ir e t ó r io d e b a s e s

d e d a d o s . Brasília: Secretaria Esp ecial de Info rm ática, 1986. 493 p. 11 Co bre

  instituiçõ es públicas fed erais. A rranjo em o rdem alfabética de m inistério s e, por últim o , órgãos vinculados à Presid ência da Rep ública. índ ice de entid a­ des (p. 4 - 5 ) e assunto s (p. 6 - 7 ). Desatualizad a, mas serve co m o fo nte histó ­ rica das bases de dados preparadas por agências go vernam entais fed erais.

  1 8 8 D iR EC T O R Y of d atabases. D etro it: G ale, 1 9 9 9 . 2 v.

  ISSN 1 0 6 6 - 8 9 3 4 .

  Tam bém em fita m ag nética, ced erro m e em linha (O rbit e Q uestel). 11 For­ mad a pela fusão dos título s C o m p u t e r r e a d a b l e d a t a b a s e s , D ir e c t o r y o f o n lin e

  

d a t a b a s e s e D ir e c t o r y o f p o r t a b l e d a t a b a s e s . Internacio nal, info rma sobre cerca

  de 12 5 0 0 bases de dados biblio gráficas, textuais e num éricas, disponíveis em d istribuid o res ou serviços em linha. Info rm a no m e co m p leto da base, produtor, assunto s e tipo s de d o cum ento s ind exad o s e serviços em linha disponíveis. V. 1: lista de bases de dados em linha; v. 2 : lista de bases de da­ dos em ced erro m , d isquete, fita m agnética e produtos de acesso em lo te. índ ices: 1) geo gráfico : em o rdem alfabética por países, co m os pro d uto res e serviços em linha; 2 ) assunto s; 3 ) o no m ástico das bases de dados. A cesso via Internet, m ed iante assinatura anual, em

  G A LE 189 guide to Internet d atabases. 6th ed. D etro it: G ale, 1999. 980 p.

  ISBN

  11

  0-7876-2665-1 D iretó rio de cerca de 5 000 bases de dados, de diversas áreas tem áticas, disponíveis na Internet. índ ice de assunto s.

  I n s t i t u t o B r a s i l e i r o d e I n f o r m a ç ã o e m C i ê n c i a e T e c n o l o g i a .

  190

  

35 PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

36 Bases de dados em ciência e tecno lo gia. bases.ibict.br 11 So m ente as

  URL:

  brasileiras. A cesso por assunto (existe um índ ice de assunto s), pelo no m e ou sigla da instituição , pelo no m e ou sigla da base de dados.

  191 O ’ LEA RY, M ick. O n lin e 1 0 0 . W ilto n: Pem berto n Press, 1995. 233 p.

  

ISBN 0-910-96514-5 U D iretó rio das 100 bases de dados mais im p o rtantes

  em diversas áreas. Cad a verbete inclui uma intro d ução sobre a base de d a­ dos, co m and o s utilizad o s na estratégia de busca e info rm açõ es sobre o pro­ d uto r e distribuidor. 192 U n i v e rs i d a d e F e d e r a l d o R i o G r a n d e d o S u l . S i s te m a d e B i­

  

b l i o t e c a s . B a n c o s e b a s e s d e d a d o s o n - lin e e e m C D - R O M : d ir e t ó r io d e i n s t i ­

t u iç õ e s d e e n s in o s u p e r io r . Porto A legre: U FRG S, 1974. 52 p. H A brange 107

  instituiçõ es brasileiras. índ ices de assunto s, bases e banco s de dados em linha, bases de dados em ced erro m ou d isquete, e instituiçõ es.

  Banco s de dados 193 D IA LO G . URL: pho enix.d ialo g.co m / End ereço : D ialo g Info rm atio n Services, 3460 Hillview A venue, Paio A lto, CA 94304, USA H Um dos maio res banco s de dados, que hospeda cerca de 400 bases de dados sobre inúm ero s assunto s. O acesso requer assinatura de co ntrato . Provê co nsulta a referênci­ as biblio g ráficas, m uitas co m resumo s, e tam bém có pia de d o cum ento s indexados na m aio ria de suas bases de dados.

  194 Firs tSE A R C H . 11 Banco de dados,

  (O C L C ), 8 5

  operado pelo O nline Co m p uter Library C enter que possui bases de dados sobre diversos assunto s. A cesso ao texto co m p leto de inúm ero s periódicos e jo rnais eletrô nico s.

  195 Q U EST EL . End ereço : 8000 W estp ark Drive, Suite 400, M cLean, 22102 H Banco de dados, internacio nal, co m ênfase na

  VA USA área tecno ló gica.

  S c i e n t i f i c & T e c h n i c a l I n f o r m a t i o n N e t w o r k ( s t n I n te rn a ­

  196

  

ti o n a l ). e s tn w e b .e as .o rg / If E n d e re ço : c /

o C h e m i ca l A b s tracts S e rv ice , O l e n tan g y R iv e r D riv e , C o l u m b u s , OH

  2540

  USA B a n co d e d ad o s , co m ce rca d e b as e s , co m ê n f as e n a

  43210-0012 H 200

  

áre a te cn o l ó g i ca , e s p e ci a l m e n te e m q u ím ica e e n g e n h aria q u í m i ca . A ce s s o

p ag o . U m a d e su as b ase s d e d ad o s m ais i m p o rta n te é o C h e m i c a l a b s t r a c t s .

  BIBLIO G R A FIA S E ÍN D IC ES A biblio grafia é uma lista de referências biblio gráficas relativas aos diver­ sos tipos de fo ntes de info rm ação sobre d eterm inad o assunto ou pessoa. Em geral, é organizada por o rdem alfabética ou cro no ló gica de auto res. Em ter- BIBLIO G RA FIA S E ÍN D IC ES

  37

  mos de co bertura, pode ser exaustiva ou seletiva, podendo trazer apenas a referência biblio gráfica ou incluir ano taçõ es sobre o item analisado.

  O s índ ices, tam bém d eno m inad o s biblio g rafias co rrentes, em geral ind exam novos livros e artigos de perió d ico s. Podem incluir resumos ( a b s -

  

t r ac t s ) e são publicad o s co m freqüência variada e de mo d o regular. A lguns

  índ ices fazem a análise de periódicos selecio nad o s em d eterm inad a área de assunto , o utro s pro curam incluir o m áxim o de título s de perió d ico s. C o m o uso cada vez m aio r do co mputad o r, m uito s índ ices passaram tam bém a ser ed itad o s em forma d igital, estand o disponíveis em ced erro m e/ ou co m aces­ so em linha pela Internet. O acesso pela Internet requer, em m uito s caso s, o p agam ento prévio ou a o btenção de senha para co nectar-se à base de dados.

  

Bib liografias retrospectivas

  C o m o ind ica o ad jetivo , relacio nam apenas d o cum ento s publicad o s em ano s anterio res à data em que foram co m p ilad as, não estand o entre seus o bjetiv o s a atualid ad e ou novidade desses d o cum ento s. Por isso m esm o , as biblio grafias retro spectivas se publicam em geral no fo rm ato de d o cum en­ tos não -p erió d ico s.

  197 Theo d o re. A w o r ld b ib lio g r a p h y o f b i b l i o g r a p h i e s a n d o f

  BESTERM A N ,

b i b l i o g r a p h i c a l c a t a lo g u e s , c a le n d a r s , a b s t r a c t s , d ig e s t s , in d e x e s a n d t h e lik e .

  4th ed. Lausanne: So cietas Bibliographica, 1965-1966. 5 v. 0-874-71294-

  ISBN

  7 H Biblio grafia internacio nal de bibliografias publicad as em 50 id io m as. E co nsid erad a a mais im p o rtante obra no gênero. Co bre até 1964, co m cerca de 200 000 referências. A rranjo alfabético por cabeçalho s de assunto s e d en­ tro destes por o rd em alfabética de países, co m as referências em o rdem cro ­ no ló gica. Há reimpressão, co m o separatas, de várias seçõ es de assunto s, feita pela Row man and Littlefield . Foi atualizad a por A .F. To o mey (ver item 721).

  198 RO YA L S O C IET Y . C a t a l o g u e o f s c i e n t í f i c p a p e r s 1 8 0 0 - 1 9 0 0 . Lo nd o n: Clay, 1867-1902; Cam brid ge: Cam brid ge University Press, 1914-1925. 19 v. 199 . C a t a l o g u e o f s c i e n t i f i c p a p e r s 1 8 0 0 - 1 9 0 0 : S u b j e c t in d e x . Cam brid ge: Cam brid ge University Press, 1908-1914. 3 v. em 4 11 E um índ i­ ce dos auto res e assunto s dos artigos publicad o s em cerca de 1 500 perió d i­ co s publicad o s no século

  XIX . A rranjo alfabético por autor, indexa artigos de perió d ico s e anais de congressos. índ ice de assunto s co m p lem enta a obra.

  Existe reimpressão feita em 1965, pela Jo hnso n Reprint.

  

Bib liografias e índices correntes

  Biblio grafias e índ ices co rrentes são listas, publicadas p erio d icam ente, que relacio nam d o cum ento s e/ ou fo ntes de info rm ação à medida que vão send o publicad o s ou divulgados.

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

  38

  200 A BSTRA C TS in new techno lo gy and eng ineering (A N T E). Lo nd o n: Bow ker-Saur, v. 1- , 1997- . M ensal.

  ISSN 1367-9899. Tam bém em ced erro m ,

  base de dados e em linha (D ialo g). H Publicada de 1962 a 1980 co m o título de B r it is h t e c h n o lo g y in d e x (BT I) e de 1981 a 1996 co m o C u r r e n t t e c h n o lo g y

  

in d e x (C T l ). Ind exa cerca de 350 periódicos ingleses e no rte-am ericano s nas

  áreas de engenharia e novas tecno lo gias (tecno lo gia da info rm ação , co m p u­ tação , eletrô nica, m eio am biente, bio tecno lo gia, energia e tecno lo gia m éd i­ ca). A rranjo alfabético por cabeçalho s de assunto s. índ ices de auto res, as­ sunto s e fo ntes ind exad as. A partir de 1993 passou a incluir resumo s. Sup le­ m ento anual acum ulad o de assunto s e auto res. 201 A G RIN D EX. Ro m e: Food and A gricultural O rganizatio n of the United N atio ns, v. 1—, 1975. M ensal. 0254-8801. Tam bém em linha e cederrom.H

  ISSN

  índ ice internacio nal, que co bre os d iferentes asp ecto s da agricultura, inclu ­ sive silvicultura, zo o tecnia, aqüicultura e pesca, engenharia flo restal e nutri­ ção hum ana. A literatura analisada é p ublicad a em 135 países e inclui rela­ tó rio s técnico s, teses, artigos de perió d ico s, trabalho s apresentad o s em co n­ gressos e livros. E dividida em grandes assunto s, co m índ ices de auto res pes­ soais, auto res co rporativos, catego rias de assunto s e geo gráfico .

  202 APPLIED Science and techno lo gy ind ex. New York: W ilso n, v. 1 - , 1958- . M ensal co m acum ulação anual.

  ISSN 0003-6986. Tam bém em fita

  m ag nética, base de dados, via Internet e ced erro m (ISSN 1063-8695)

  11 Ar­

  ranjo alfabético por cabeçalho s de assunto s. Ind exa cerca de 400 título s de p erió d ico s de língua inglesa em ciência e tecno lo gia. Os fascículo s m ensais são acum ulad o s num único volume no final do ano. A partir de 1991 passou a ind exar info rm açõ es sobre produtos em seção separada. No perío d o de

  1913-1958 foi publicad o co m o I n d u s t r ia l ar t s in d e x .

  BIBLIO G RA FIA

  203 brasileira de agricultura. Brasília: Co o rd enação de In­

  ISSN

  fo rm ação e D o cum entação A grícola, v. 1 - , 1 9 7 5 - . Irregular. 0100-6800

  11 Inclui livros, artigos de perió d ico s, relatório s técnico s e d em ais d o cum en­ tos relativos a todas as áreas da agricultura e pecuária brasileiras. C o m índ i­ ces de assunto s, auto res pessoais, auto res co rporativos e p ublicaçõ es seria­ das co m referências biblio gráficas indexadas no fascículo .

  204 BIBLIO G RA FIA brasileira de energia nuclear (BIBEN ). Rio de Janeiro :

  ISSN

  Co m issão N acio nal de Energia Nuclear, v. 1 - , 1972- . Irregular. 0102- (C IN /C N EN ). 3500 11 Biblio grafia feita pelo C entro de Info rm açõ es N ucleares Ind exa a pro dução do Brasil nas áreas de energia nuclear e co rrelatas, que é

  à

  INIS

  inco rpo rad a base de dados A to m ind ex. A rranjo por assunto , segundo

  IN IS, classificação do co m índ ices de auto res, de entid ad es e de relató rio s. BIBLIO G RA FIA

  IBIC T ,

  205 brasileira de engenharia. Rio de Janeiro : v. 1-9, 1970-1979. Suspensa.

ISSN 0100-0705

  11 Em 1968-1969 foi p ublicad a co m o BIBLIO G RA FIA S E ÍN D IC ES

  39

  título d e B i b l i o g r a f i a b r a s i l e i r a d e t e c n o lo g ia . Ind exa os periódicos brasileiro s de engenharia. O últim o volume publicad o (v. 9) refere-se aos anos de 1978— 1979. Referências d ispostas em seqüência num érica. índ ices de palavras- chave do título e auto res.

  206 BIBLIO G RA FIA brasileira de física. Rio de Janeiro :

  IBIC T, C entro Brasi­ leiro de Pesquisas Físicas, v. 1, 1961/ 1967-1979. Suspensa.

  ISSN 0067-6640 H A té 1960 era publicad a co m o B i b l i o g r a f i a b r a s i l e i r a d e m a t e m á t i c a e f í s i c a .

  Inclui artigos de p erió d ico s, relatório s técnico s e teses. índ ices de assunto s e auto res. O últim o volume p ublicad o refere-se ao período de 1978-1979. 207 brasileira de m atem ática. Brasília: v .1-8, 1961-

  BIBLIO G RA FIA

  IBIC T, 1979. Suspensa.

  ISSN 0067-6667 11 Publicada no período de 1950-1960 co m o

B i b l i o g r a f i a b r a s i l e i r a d e m a t e m á t i c a e f ís ic a . Inclui os trabalho s feito s por

  brasileiros publicados em fontes nacio nais ou estrangeiras. A rranjo seqüencial num érico das referências. índ ice de palavras-chave dos título s e de auto res. 208 BIBLIO G RA FIA brasileira de quím ica. Rio de Janeiro : Instituto N acio ­ nal de Tecno lo g ia, v. 1-5, 1980/ 1984-1985. Suspensa. 11 C o ntinuação da B i ­

  

b l i o g r a f i a b r a s i l e i r a d e q u í m i c a e q u í m i c a t e c n o ló g ic a (v. 1-10, 1970-1979) e

  da B i b l i o g r a f i a b r a s i l e i r a d e q u í m i c a (v. 1-3, 1950-1960). A,>ola as referênci­ as aco m p anhad as de resumos. Inclui índ ices de auto res e de assunto s. 209 BiBLIO G RA PH IC guide to technology. Bo sto n: G .K . Hall, 1 9 7 5 - . A nu­ al.

  

ISSN 0 3 6 0 - 2 7 6 1 11 Biblio grafia co rrente das obras de engenharia catalo ga­

das pela Library of Co ngress e New York Public Library/ Research Library.

  A rranjo alfabético . 210 o f agriculture. Pho enix: Oryx Press, 1970- . M ensal.

  BiBLIO G RA PH Y

  0006-1530. Tam bém em linha (D ialo g), ced erro m e fita m ag nética, na

  ISSN

  Internet em H Um dos mais co m p leto s índ ices da literatura agríco la, que se baseia nos acervos da N atio nal U .S. A gricultural Library e o utras biblio tecas co o p erantes. A base de dados

  (N A L)

  cham a-se (A gricultural O nline A ccess). Internacio nal, indexa cerca

  A GRÍCOLA

  de 2 000 título s de perió d ico s, co m mais de três m ilhõ es de registros. Divi- d e-se em nove seçõ es, co m índ ice de auto res co rporativos, auto res pessoais e assunto s. Inclui artigos de perió d ico s, livros, teses, p atentes, programas de co m p utad o r e relatório s técnico s sobre todos os aspectos da agricultura.

  211 abstracts. Philadelphia: Bio sciences Info rm atio n Service,

  BlO LO G IC A L

  1926- . Q uinzenal. 0006-3169. Tam bém em fita m ag nética, em linha

  ISSN

  (co m o no m e de e cederrom 1058-4129). Publi­

BIO SIS) (ISSN

  cação de resumos que ind exa, anualm ente, cerca de 560 000 d o cum ento s da literatura de biolo gia e áreas afins, oriundos de 94 países. Cerca de 6 500 título s de perió d ico s são ind exad o s, além de anais de evento s, livros e obras de referência. Co nsid erad a a bibliografia mais im p o rtante das ciências bio -

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

  40

  ló gicas. Cad a verbete co ntém título do d o cum ento , auto r e afiliação , refe­ rência biblio gráfica do perió d ico , língua do d o cum ento e resumo em inglês, índ ices de auto res, bio ssistem ático e assunto s, co m acum ulação sem estral. Há excelente guia sobre a utilização da obra: B I O S I S s e a r c h g u i d e . Philadelphia: Bio lo gical A bstracts, 1995. Várias paginações.

ISBN 0-916246-30-2.

  212 CA B abstracts. Lo nd o n: Co m m o nw ealth A gricultural Bureau (C A B), v. 1 - , 1972- . Tam bém em linha (Dialo g) e ced erro m H C o nju nto de índ ices co rrentes e bases de dados que co brem a literatura das diversas áreas da agri­ cultura e bio lo gia, inclusiv e m ed icina v eterinária, eng enharia flo restal, bio tecno lo gia, genética, m icro bio lo gía e nutrição . Ind exa cerca de 10 000 título s de perió d ico s, além de livros, anais de evento s, teses, relatório s técni­ cos e o utro s tipo s de d o cum ento s publicad o s em mais de 100 países.

  

2 1 3 C H EM IC A L abstracts. Co lum bus: C hem ical A bstracts Service, v. 1 - ,

1 907- . Sem anal.

  ISSN 0009-2258. Em linha (sob as d eno m inaçõ es de CA , CA Search, CA S O nline e C H EM C O N no D ialo g , O rb it e ST N ) e ced erro m .

  

11 O m aio r e o mais im p o rtante índ ice na área de quím ica. No

  seu primeiro vo lume, de 1907, publico u 11 847 resumos e, em 1996, atingiu 706 629 itens indexado s num to tal de 164 230 páginas im pressas. Co bre artigos de perió d ico s, anais de evento s, teses, relatório s técnico s, livros, pa­ tentes (inclusive brasileiras). É dividido em 80 seçõ es. Existem tam bém ín­ d ices acum ulad o s, publicad o s em diversos períodos.

  

2 1 4 ELEC T R IC A L an d e l e ctro n i cs a b s tra cts . L o n d o n : IN S PEC / In stitu te of

E l e ctri ca l an d E l e ctro n i c E n g in e e rs , v . l - , 1 8 9 8 - . M e n s al . ISSN 0 0 3 6 - 8 1 0 5 11

A b ran g e to d o s os as p e cto s d as e n g e n h arias e l é trica e e l e trô n i ca . O m a te ri a l

in d e xad o , d e â m b i to in te rn a ci o n a l , in clu i artig o s d e p e rió d ico s , liv ro s , re l a­

tó rio s té cn ico s , te s e s e an ais d e e v e n to s . O s re s u m o s e s tão o rg an iz ad o s s e g u n ­

d o e s q u e m a d e cl a s s if ica çã o p ró p rio . C a d a f as cícu l o in cl u i ín d ice s d e as s u n ­

to s , a u to re s , liv ro s e au to re s co rp o rativ o s . ín d ice s a cu m u l a d o s s e m e s trais .

2 1 5 EN G IN EERIN G

  1 - , ind ex monthly. New York: Engineering Ind ex, v.

  1884- . M ensal co m acum ulaçõ es anuais.

  ISSN 0742-1974. Tam bém em ce­

  derrom, em linha (Dialo g, O rbit) e base de ciados (C o m p end ex).

11 Biblio grafia co rrente de engenharia que ind exa cerca de 3 600 título s de

  perió d ico s. A m elho r bibliografia co rrente na área, ind exand o artigos de pe­ rió d ico s, livros, relatório s técnico s e anais de evento s. C o m arranjo alfabéti­ co por assunto s, inclui resumos. Sup lem ento acum ulad o anual de assunto s e auto res. Há subprodutos do E n g in e e r in g in d e x que podem ser assinados sep arad am ente: C o m p e n d e x a e r o s p a c e e n g in e e r in g , C o m p e n d e x c h e m i c a l

  

e n g in e e r in g e C o m p e n d e x e l e c t r i c a l a n d C o m p u t e r e n g in e e r in g . Para o bter m e­

  lhores resultados nas buscas no E n g in e e r in g in d e x reco m end a-se co nsultar antes o vocabulário co ntro lad o E n g in e e r in g in d e x t h e s au r u s (3rd ed. Hoboken,

  N J:

  ISBN Engineering Info rm atio n, 1998. 903 p. 8-87394-193-4). BIBLIO G RA FIA S E ÍN D IC ES

  41

2 1 6 science ind ex. New York: W ilso n, v. 1 - , 1 9 7 8 - . M ensal

  G EN ERA L

  co m acum ulação anual. Tam bém em linha, fita m agnética ISSN 0 1 6 2 - 1 9 6 3 . e cederro m. 11 Tend o co m o o bjetivo atend er ao estud ante universitário, indexa cerca de 1 5 0 título s de perió d ico s, em língua inglesa, de ciência e tecno lo gia.

  A lguns perió d ico s são tam bém indexados pelo A p p lie d s c i e n c e a n d t e c h n o lo g y

  

in d e x (ver item 2 0 2 ) . A rranjo alfabético por cabeçalho s de assunto s. C o m

índ ice esp ecífico para recensõ es de livros científico s.

  2 1 7 1 - , 1 9 7 5 — .

  G U ID E to m icro fo rm s in print. New Providence: Saur, v.

  A nual.

  ISSN 0 1 6 4 - 0 7 4 7 H Inco rpo ro u o I n t e r n a t i o n a l m ic r o f o r m s in p r in t . Re­

  lacio na, em o rd em alfabética, livros, perió d ico s, jo rnais, p ublicaçõ es gover­ nam entais e outros tipos de d o cum ento s que estão disponíveis em micro filme. Inclui índ ices de auto r e título e assunto s.

  

2 1 8 bibliography. Stuttgart: Info rm atio nszentrum Raum und Bau,

  ICO N DA

  v. 1 - , 1 9 8 9 - . Tam bém em linha e ced erro m K Biblio grafia ISSN 0 9 3 6 - 2 í 9 3 . internacio nal feita pelo Internatio nal Co uncil for Build ing Research, Stud ies and D o cum entatio n ( C IB), co m a co labo ração de o rganismos de 1 4 países.

  As referências, co m resumos, co brem cerca de 8 0 0 título s de periódicos, além de livros, anais de evento s e relatório s técnico s. Ind exa to do s os asp ecto s da co nstrução , engenharia civil, arquitetura e p lanejam ento urbano.

  

2 1 9 ato m ind ex. Viena: Internatio nal A to m ic Energy Agency, v. 1 - ,

IN IS

  

1 9 7 0 - . Q uinzenal. Tam bém em ced erro m e em linha 11

ISSN 0 0 0 4 - 7 1 3 9 .

  Biblio grafia co rrente, internacio nal, feita pela A gência Internacio nal de Ener­ gia A tô m ica co m a co o p eração de países-m em bro s. Co bre energia atô m ica e áreas afins. índ ices de auto res pesso ais, auto res co rporativos, assunto s, co n­ ferências por d ata, co nferências por no m e de lugar, relatório s, no rmas técni­ cas e núm ero s de p atentes. N o Brasil, a agência é representad a pela C o m is­ 2 0 4 ) . são N acio nal de Energia N uclear (ver item

  

2 2 0 M O N T H LY catalo g o f the United States go vernm ent publicatio ns. W a­

shingto n, D C: G o v ernm ent Printing O ffice, 1 9 5 1 - . M ensal.

  ISSN 0 3 6 2 - 6 8 3 0 .

  Tam bém em ced erro m e em linha (D ialo g). lo cato rs/ cg p / ind ex.htm l 11 T ítu lo anterio r: U n i t e d S t a t e s g o v e r n m e n t

  

p u b l i c a t i o n s m o n t h ly c a t a lo g . Catálo go das publicaçõ es o ficiais das diversas

  áreas do governo no rte-am ericano . Inclui info rm açõ es biblio gráficas co m ­ pletas bem co m o o preço e o núm ero de co ntro le dos d o cum ento s o ficiais ( S u D o c n u m b e r ) . O acesso pela Internet perm ite buscas pela palavra-chave, título e núm ero do d o cum ento .

  2 2 1 PA SCA L. Nancy: Centre N atio nal de la Recherche Scientifique, Institut

  1 - 1 9 9 5 -

  de l’ Info rm atio n Scientifiq u e et Techniq ue, v. , . M ensal. Em ced erro m e em linha no s banco s de dados:

  IN IST [, D ialo g

  [

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

  42

  e Q uestel (), entre o utro s. 11 É sucessor dos título s publicad o s em forma impressa: B u lle t in s ig n a l é t i q u e ( 1 9 5 6 - 1 9 8 4 ) e P a s c a l

  

e x p lo r e , P a s c a l f o l i o e P a s c a l t h e m a ( 1 9 8 5 - 1 9 9 5 ) . Base de dados de ciências,

  tecno lo gia e m ed icina, co m mais de 12 m ilhõ es de itens, co m resumo s, in­ ternacio nal, co m ênfase na literatura francesa. Ind exa livros, teses e disser­ taçõ es, relatórios técnico s, anais de congressos e artigos de perió d ico s. Cad a verbete inclui referência biblio gráfica, resumo e d escrito res de assunto s em francês, inglês e espanhol. Cópias dos d o cum ento s ind exad o s podem ser ad quirid as, via Internet, m ed iante abertura prévia de uma co nta no

IN IST.

  2 2 2 PERIO D IC A : index of Latin A merican science journals. M éxico : Univer-

  ISSN 0 1 8 5 - 1 0 0 4 .

  1 9 7 8 - sidad N acio nal A utó no m a de M éxico , . Trim estral.

  Em linha, com atualização diária em: H A brange cerca de 1 3 0 0 periódicos latino -am ericano s de ciência e tecno lo gia. A cesso pela Internet no sítio da D irecció n General de Biblio tecas da Universidad N acio ­ nal A utó no m a de M éxico . A í selecio nar ‘catálo go s en línea’ , em seguida ‘Perio d ica’ . Buscas por autor, título do perió d ico e palavras-chave.

  

2 2 3 PH YSICS ab s tracts . L o n d o n : IN S PEC /In stitu tio n o f E l e ctrical E n g in e e rs ,

1 8 9 8 - . Q u in z e n al . ISSN 0 0 3 6 - 8 0 9 1 . T í tu l o al te rn ativ o : I N S P E C S e c t i o n A .

T a m b é m e m l in h a co m o p arte d a b as e d e d ad o s IN SPEC II V ariaçõ e s d o tí tu ­

lo : S c i e n c e a b s t r a c t s : p h y s ic s a n d e l e c t r i c a l e n g in e e r in g ( 1 8 9 8 - 1 9 0 2 ) ; P h y s ic s

a b s t r a c t s ( S c i e n c e a b s t r a c t s , S e r ie s A ( 1 9 4 1 - ). P u b l icad o p elo IN S PEC /IEE

q u e e d ita o u tro s ín d ice s : E l e c t r i c a l Ó e le c t r o n ic s a b s t r a c t s e C o m p u t e r ó

In d e xa to d o s o s as s u n to s d e f ís ica. I n te rn a cio n a l , in clu i c o n t r o l a b s t r a c t s .

artig o s d e p e rió d ico s , re lató rio s té cn i co s , liv ro s, te s e s , p a te n te s e an ais d e

e v e n to s . A rran j o s e g u n d o cl as s if icação p ró p ria. ín d ice s d e a s s u n to s , au to re s

e s u b s id iário (co n g re s s o s e d e m ais e v e n to s , re s e n h as d e liv ro s e a u to re s

co rp o ra ti v o s ). E x i s te u m a tab e la d e cl as s if icação q u e f acil ita a u ti l i z a çã o

d o s ín d ice s e b ases d e d ad o s d o IN SPEC : C l a s s i f i c a t i o n 1 9 9 5 : a c l a s s i f i c a t i o n

s c h e m e f o r t h e I N S P E C d a t a b a s e (L o n d o n : I n s titu ti o n o f E l e ctri ca l E n g i n e e rs , 1 9 9 5 . 1 3 6 p. ISBN 0 - 8 5 2 9 6 - 9 6 5 - 1 ) .

  2 2 4 S C IEN C E

  c itatio n ind ex. Philad elp hia: In stitu te fo r Sc ie n tific Info rm atio n, v. 1, 1 9 6 1 - . Bim estral co m acum ulação anual, índ ice.

  ISSN 0 0 3 6 - 8 2 7 X .

  Tam bém disponível em ced erro m, em linha (Dialo g, O rbit) e base de dados 11 Biblio grafia m ultid iscip linar que indexa cerca de 3 8 0 0 títu ­ lo s de periódicos de ciência e tecno lo gia. A obra provê uma série de índ ices que p o ssibilitam : a) aco m p anhar as obras de d eterm inad o auto r; b) m ed ir a freqüência e o im p acto dos título s de perió d ico s; c) verificar quem está ci­ tand o d eterm inad a obra de d eterm inad o auto r; d) aco m p anhar as pesquisas de d eterm inad a instituição ; e) lo calizar os principais d o cum ento s sobre um assunto . Divide-se em quatro partes: 1) ‘C itatio n ind ex’ : mais ad equad o quand o já se co nhece um auto r-chave ou im p o rtante que seja p ertinente ao BIBLIO G RA FIA S E ÍN D IC ES

  43

  tem a da pesquisa biblio gráfica. É um índ ice alfabético que relacio na os no ­ mes dos auto res cujas obras foram citad as no período abrangido pelo índ ice, po ssibilitand o , assim, que se id entifiquem os auto res que estejam escreven­ do so bre o m esm o assunto . 2) ‘ So urce ind ex’ : arranjad o pelo so breno m e dos auto res, co ntém as d escriçõ es biblio gráficas dos artigos dos auto res que cita­ ram os itens relacio nad o s na parte d eno minad a ‘citatio n ind ex’ . 3) ‘Permu- term su bject ind ex’ : serve para se co nhecer a produção biblio gráfica co rren­ te sobre d eterm inad o assunto . Reco m end a-se seu uso quand o não se co nhe­ ce um auto r atual de reno m e (citante), quand o se usa o ‘so urce ind ex’ ou um auto r clássico (citad o ), quand o se usa o ‘citatio n ind ex’ . E, de fato , um índ ice de assunto s elabo rad o a partir das palavras significativas presentes nos título s dos artigos indexados. 4) ‘Co rp o rate ind ex’ : utilizad o para id en­ tificar as instituiçõ es onde os auto res realizam as pesquisas. Usuários liga­ dos às redes info rm áticas das universidades públicas brasileiras têm auto ri­ zação , desde m arço de 1999, para acessar a base de dados do S c ie n c e c it a t io n

  in d e x ho spedada na Fund ação de A mparo à Pesquisa do Estad o de São Paulo

  em w ebo fscience.fap esp . br. O banco de dados W eb o f Science é

  (FA PESP),

  co m p o sto por três bases de dados: S o c i a l s c ie n c e s c i t a t i o n in d e x (indexa mais de 1 700 periódicos de ciências so ciais, desde 1973; sem analm ente são in­ cluíd o s cerca de 2 900 registro s); A r t s a n d h u m a n it ie s c i t a t i o n in d e x (indexa cerca de 1 100 perió d ico s de artes e hum anid ad es, desde 1974; sem anal­ m ente são incluíd os cerca de 2 700 registro s), e S c ie n c e c it a t io n ín d e x (indexa cerca de 5 600 perió d ico s de ciência e engenharia, desde 1973; sem analm en­ te são incluíd o s cerca de 16 000 registros).

  Para realizar uma busca no W eb o f Science, siga estas instruçõ es: 1) In ício 1.1) entre no end ereço eletrô nico w ebofscience.fapesp.br/

  1.2) clique em ‘full search’ 1.3) selecio ne a base em que pretende p esquisar— S c ie n c e c i t a t i o n in d e x ,

  S o c i a l s c i e n c e s c i t a t i o n in d e x e/ ou A r t s a n d h u m a n i t i e s c i t a t i o n in d e x

  clicand o no quad rículo à esquerda do no m e da base de dados 1.4) selecio ne ‘general search’ 1.5) selecio ne o período de tem p o no qual d eseja pesquisar.

  2) Busca po r auto r 2.1) C liq ue no cam po de auto r (‘autho r field ’) e d igite o no m e d esejado . Pode-se fazer buscas por mais de um auto r separando os no m es co m a n d , o r ou n o t . Entretanto , observe o seguinte: a) busque pelo no m e do auto r (ou no m es de auto res) d igitand o p rim ei­ ram ente o últim o so breno m e seguido das iniciais do no m e e do primeiro so breno m e. Para recuperar todos os artigos de um auto r existente no banco de dados, utilize um asterisco (*) no lugar da letra do no m e. Por exemplo :

  s ilv a e * irá recuperar todos os registros do auto r que tenha so breno m e S ilv a

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

  44

  e a letra E co m o primeira inicial, ind ep end entem ente da presença ou ausên­ cia da letra do primeiro so breno me; b) para enco ntrar as d iferentes formas co m o um so breno m e de auto r que escreve em caracteres não -latino s é transliterad o para caracteres latino s, u ti­ lize o sinal de interro gação (tam bém d eno m inad o truncam ento , curmga ou

  w i l d c a r d ) no lugar das letras sobre as quais tenha dúvida. Por exem p lo : d o s t o ie ? s k ? irá recuperar todos os registros em que o no m e do auto r esteja

  grafado Dostoiew sky, Dosto ievski ou Dostoievsky;

  c) para pesquisar no m es de auto res que tenham hífens ou ap ó stro fo s, remova a po ntuação e faça a estratégia de busca co m o se fosse um co nju nto único de letras. Por exemplo : 0 ’B r ia n se transfo rm a em o b r i a n ; S a lg a d o - L a b o u r i a u se transfo rma em s a l g a d o l a b o u r i a u .

  2.2) C lique no bo tão ‘search’ . Os registros recuperados serão m o strad o s. E im p o rtante saber que existe um lim ite de 500 registros que serão recup e­ rados em cada sessão.

  3) Busca por tó p ico esp ecífico 3.1) busca por título : esse tipo de busca co bre o título co m p leto do arti­ go. Títu lo s de artigos publicad o s em id io mas d iferentes do inglês são trad u­ zidos para o inglês. M arque o quad rículo ‘title o nly’ para que a busca seja feita apenas nos título s dos d o cum ento s;

  3.2) resumos ( a b s t r a c t s ): são incluíd os sempre que estiverem presentes na p ublicação o riginal. E possível fazer buscas nas palavras do texto co m p le­ to do resumo, que tam bém pode ser exibid o , impresso e im po rtad o . O S o c i a l

  s c i e n c e s c i t a t i o n in d e x inclui resumos de cerca de 60% dos d o cum ento s

  indexado s e o S c i e n c e c i t a t i o n in d e x , em to rno de 70% ; 3.3) palavras-chave ( k e y w o r d s ) : são os termo s sugeridos pelos auto res e que, segundo eles, representam o co nteúd o de seu artigo. O pro d uto r do

  W eb o f Science gera um d icio nário de palavras-chave a partir dos term o s extraído s dos título s, resumos e lista de cabeçalho s de assunto s.

  4) O p erad o res bo o leano s Os operadores bo o leano s ( a n d , o r , n o t ) são usados para co m binar pala­ vras e frases co m a finalid ad e de increm entar a precisão da busca e produzir resultad o s mais eficazes. Exemplo s:

  • internatio nal ad o ptio n a n d health - esta estratégia de busca p ro cura­ rá os term o s ‘internatio nal ad o p tio n’ e ‘health’ . A mbos devem aparecer em algum lugar do registro para serem co nsid erad o s aptos para a recup eração ;
  • aids or hiv or acquired im m uno d eficiency - esta busca procurará cada um dos term o s ou frases. Um registro será co nsid erad o quand o tiver algum desses term o s. Use or quand o estiver procurando sinô nim o s ou o utro term o intercam biável mais apropriado, tal ação m axim izará o resultad o final;

  • suicid e n o t physician assisted - esta busca procurará pela palavra ‘sui­ cid e’ e excluirá todos os registros que tenham a expressão ‘physician assisted ’ .
  • schizo phreni? - buscará s c h i z o p h r e n i a
  • neand ert?al - buscará n e a n d e r t h a l ou n e a n d e r t a l .
  • psycho lo g* - buscará p s y c h o l o g y , p s y c h o l o g i c a l , p s y c h o l o g i s t , etc.

  8) Im p ressão

  Bio grafia é o tipo de d o cum ento ou fo nte de info rm ação que relata a vida e a ativid ad e de alguém. A lém de breves no tas bio gráficas, geralm ente en­ co ntrad as nas enciclo p éd ias, existem obras esp ecializad as em co m p ilar in-

  

BIO G R A FIA S

  11) Para sair do W eb of Science clique no bo tão ‘lo g o ff’ .

  Para m ud ar de base de dados clique no íco ne ‘ho m e’ que está no to p o da p ágina. Se d esejar co m eçar uma nova sessão, apagando os resultad o s previa­ m ente m arcad o s, selecio ne ‘new sessio n’ . Se d esejar m anter os resultados m arcad o s, selecio ne ‘full search’ para co m eçar uma nova sessão.

  9.1) selecio ne as o pçõ es mo stradas abaixo da página ‘marked list’; 9.2) clique em ‘save to file’ para salvar em arquivo; 9.3) e s p e cif iq u e o d e s tin o , o n o m e d o arq u iv o e cl iq u e e m ‘ O K ’ .

  8.1) Selecio ne as o pçõ es mo stradas abaixo da página ‘marked list’ ; 8.2) clique em ‘fo rm at for p rinting’ ; 8.3) use as opções de impressão do seu programa navegador ( W e b b r o w s e r ) para im p rim ir as páginas d esejadas.

  ção.

  BIO G RA FIA S

  7.2) clique em ‘subm it, previous 10’ ou ‘next 10’ para enviar os título s selecio nad o s para a lista de título s marcad os; 7.3) term inad a a busca, clique em ‘marked list’ no to p o da página para m o strar a lista de itens marcad os e para as o pçõ es de im pressão e im p o rta­

  O s lim ites podem ser língua ou tipo de d o cum ento . Para tanto , vá ao final da página de busca e selecio ne os parâmetro s d esejad o s. 7) M arcan d o os registros e fazend o a im p o rtação ( d o w n lo a d in g ) 7.1) M arque o quad rículo à esquerda dos título s resultantes da busca, para salvá-los para im pressão ou im p o rtação mais tarde. Caso d eseje todos os título s marque no quad rículo ‘mark all’;

  6 ) L im itan d o as b uscas

  ou s c h i z o p h r e n i c .

  O sinal de interro gação (?) pode ser usado para representar um caractere sim ples. O sím bo lo asterisco (*) pode ser utilizad o para representar qual­ quer núm ero de caracteres que devam ser truncad o s. Exem plo s:

  5) Sím b olos de tru n cam en to

  45

9) Im p o rtação

10) T roca de b ase de dados, co m eçar um a nova sessão e desligar

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

  46

  fo rm açõ es bio gráficas. Podem ter um esco po universal ou possuir certas li­ m itaçõ es, co m o , por exemplo , geo gráficas, co ntend o biografias de p erso nali­ dades de certa lo calid ad e, ou incluir so m ente dados sobre pessoas já faleci­ das, ou m esm o esp ecialistas de um único grupo pro fissio nal.

  As fo ntes biográficas são as que info rm am os dados fund am entais (tais co m o quem é, o nd e nasceu, o que fez, o nde estud o u, o que p ublico u, quais suas co ntribuiçõ es mais im p o rtantes) de pessoas do passado ou do p resente. Essas fo ntes basicam ente se dividem em duas classes: os d icio nário s bio grá­ fico s, que se encarregam de reco lher dados sobre pessoas do passado e os d iretó rio s, que se o cupam da info rm ação relativa a pessoas do p resente. Por­ tanto , as fo ntes de info rm ação biográfica podem ter caráter retro spectivo ou atual (ou co rrente).

  E im enso o núm ero de biografias individuais que podem ser lo calizad as nos catálo go s das biblio tecas sob o no m e do biografado. Na Internet, cada vez mais, é possível enco ntrar info rm açõ es bio gráficas de cientistas do pas­ sado e do presente. Inúm ero s pesquisadores atuais m antêm páginas pesso ­ ais na W eb, inclusive co m dados curriculares.

  Fo ntes de referência

  BIO G RA PH Y

  225 index, a quarterly index to bio graphical m aterial in books

  ISSN

  and magazines. New York: W ilso n, v. 1 - , 1947- . Trim estral. 0006-

  

(ISSN H

  3053. Tam bém em ced erro m 1063-3286) índ ice de diversos tipo s de d o cum ento s bio gráfico s, publicad o s em inglês. A nalisa cerca de 2 700 títu ­ los de perió d ico s, novos livros que co ntenham biografias individuais ou co ­ letivas, obras de ficção co m co nteúd o bio gráfico , e o bituário s. D ivid e-se em duas partes: índ ice de no m es: verbetes em ordem alfabética do no m e do biografado , co m as datas de nascim ento e m o rte, nacio nalid ad e, pro fissão e referências biblio gráficas; índ ice alfabético das profissões dos biografado s. Volume anual acum ula as entrad as publicad as nos diversos fascículo s.

  226 Paul A. (ed .).

  PELLET IER , P r o m i n e n t s c i e n t i s t s : a n i n d e x t o c o l l e c t i v e b i o g r a p h i e s .

  ISBN

  3rd ed. New York: N eal-Schum an, 1994. 353 p. 1-555-70114- 0 11 índ ice, o no m ástico e de assunto s, de mais de 10 000 cientistas de todas as áreas. Cad a verbete info rma a fo nte onde o bio grafado foi incluíd o . A lista das obras indexadas está nas páginas xi-xxxv. Em anexo, lista dos cientistas classificad o s por área de especialização . 227 RO G ER, Sm ith. B i o g r a p h i e s o f s c i e n t i s t s : a n a n n o t a t e d b i b l i o g r a p h y .

  ISBN

  Lanham : Scarecro w Press; Pasadena: Salem Press, 1998. 294 p. 0-810-

  11

  83384-0 Arrola 736 livros e d o cum ento s publicad o s em inglês. A maioria X X . das obras citad as foi publicad a em meados do século O prim eiro cap ítu­ lo trata de obras bio gráficas gerais que co brem diversas d iscip linas; os cap í­ BIO GRA FIA S

  47

  e co sm o lo gia, quím ica, ciências da terra, ciências bio ló gicas, m atem ática, ciências m éd icas e física). Cad a cap ítulo co m eça co m uma análise das obras co letivas para, depois, abordar as obras relacio nad as co m a vida de d eterm i­ nado cientista. Inclui biografias e auto bio grafias.

  

Princip ais fontes b iográficas

  228 A BBO T, David (ed .) B i o g r a p h i c a l d i c t i o n a r y o f s c i e n t i s t s . New York: P Bed rick Books, 1984-85. 6 v. H Inclui dados bio gráfico s resumidos sobre os mais im p o rtantes quím ico s (v. 5), astrô no m o s (v. 3), engenheiro s e inv ento ­ res (v. 1), m atem ático s (v. 2), biólogos (v. 4) e físico s (v. 6). Cad a volume possui índ ice alfabético de assunto s.

  229 A M ERICA N men and w omen o f science. 20th ed. New York: Bowker, 1998. 8 v. índ ice.

  ISBN 0-8352-3748-6 (co leção ). Tam bém em ced erro m 11

  O bra clássica ed itad a desde 1906. Inclui dados bio gráfico s de 119 618 cien­ tistas e engenheiro s co ntem p o râneo s dos EUA e Canad á. Em cada verbete co nstam breve bio grafia, área de esp ecialização , fo rm ação p ro fissio nal, car­ go atual, interesse de pesquisa, prêmios e ho nrarias, end ereço pro fissio nal. O últim o vo lume co ntém índ ices de assunto s e geográfico. 230 ASIMOV, Isaac. A s i m o v ' s b i o g r a p h i c a l e n c y c l o p e d i a o f s c i e n c e a n d t e c h ­ n o l o g y : t h e l i v e s a n d a c h i e v e m e n t s o f 1 , 5 1 0 g r e a t s c i e n t i s t s f r o m a n c i e n t t i m e s t o t h e p r e s e n t c h r o n o l o g i c a l l y a r r a n g e d . 2nd ed. Garden City: Doubleday, 1982.

  941 p. ISBN 0-385-17771-2 11 D estinad a a leigos e estud antes, inclui 1 510 bio grafias resumidas sobre cientistas famosos. A rranjo cro no ló gico e d eta­ lhad o índ ice tem ático (p. 901-941). 231 BIO G RA PH IC A L d ictio nary o f scientists. Ed ited by Roy Porter. 2nd ed. New York: O xfo rd University Press, 1994. 891 p.

  ISBN 0-19-521083-2 11 Em

  o rd em alfabética, co m extensas biografias dos cientistas, pesquisad o res e ind ustriais mais fam o so s. Nas páginas iniciais foram incluíd o s resumo s crí­ tico s da histó ria da astro no m ia, bio lo gia, quím ica, engenharia, geo lo gia, m a­ tem ática e física. Em anexo, lista dos ganhadores dos prêmios N o bel de quí­ m ica, m ed icina e física. Glo ssário de termo s técnico s. índ ice alfabético de no m es e assunto s.

  232 BIO G RA PH Y and genealogy m aster index. Tam bém em linha (D ialo g ). H Base de dados co m cerca de 12 m ilhõ es de registros bio grá­ fico s. As info rm açõ es são extraídas de diversas fo ntes bio gráficas e co brem d iferentes assunto s e países. A busca pode ser feita pelo no m e ou profissão do biografado . Não há pad ro nização no estilo dos verbetes, de m o d o que, na estratégia de busca, devem ser incluíd as as diversas variações po rventura existentes do no m e do biografado. O acesso é auto rizad o m ed iante co ntra­ to.

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

  48 2 3 3

  B r a s i l . C o n s e l h o N a c i o n a l d e D e s e n v o l v i m e n t o C i e n t í f i c o

E TEC N O LÓ G IC O (C N Pq ). Sistem a de currículo Lattes,

  ind ex.htm 11 Versão eletrô nica do antigo banco de currículo s do Re­ C N Pq . sulta da integração de esfo rços entre C N Pq , M inistério da C iência e Tecno lo ­ gia, Financiad o ra de Estud o s e Pro jeto s (FIN EP) e Co o rd enação de A p erfei­ ço am ento de Pessoal de Nível Superio r (C A PES), para criar um único instru­ m ento de co leta de dados curriculares no País. O sistem a p erm ite que o cientista inclua seu currículo, faça busca por auto res, assunto s, instituiçõ es, grupos de pesquisa e co nsulte dados estatístico s sobre pro d ução científica.

  

2 3 4 D A IN TIT H , Jo hn; M IT C H ELL, Sarah; T O O T IFL, Elizabeth; C jER T S EN ,

  Derek. B i o g r a p h i c a l e n c y c lo p e d ia o f s c i e n t is t s . 2nd ed. Philadelphia: Institute

  ISBN

  11

  of Physics Publishing, 1994. 2 v. 0-750-30287-9 (co leção ) A primeira ed ição foi publicad a em 1981. Inclui biografias de cerca de 2 000 cientistas da A ntiguid ad e até o presente. Enfase na ciência básica. índ ices de no m es e assunto s. Em anexo , crono logia das d esco bertas e invençõ es dividida em cada ano por grandes áreas. Histó ria das grandes instituiçõ es de ciência e tecno lo gia. Biblio grafia ano tad a dos principais livros científico s.

  

2 3 5 D A Y, Lance; Ian. B i o g r a p h i c a l d ic t io n a r y o f t h e h is t o r y o f

M c N E IL ,

t e c h n o lo g y . New York: Ro utled ge, 1996. 844 p. 0-415-06042-7 H Ênfase

  ISBN

  em biografado s anglo -am ericano s dos século s e mas inclui cientistas

  XIX

  XX ,

  e engenheiro s famosos da A ntiguidad e e da Idade M éd ia. Verbetes, co m arranjo alfabético , que incluem datas de nascim ento e m o rte, dados fam ili­ ares, fo rm ação , co ntribuição para a ciência e tecno lo gia e biblio grafia das principais obras do e sobre o biografado.

  G ILLES PIE,

  236 Charles Co ulsto n. D ic t i o n a r y o f s c i e n t i f i c b i o g r a p h y . New

  

ISBN U

  York: Scribner, 1990. 18 v. 0-684-19178-4 Excelente d icio nário so bre mais de 5 000 cientistas do passado. Cad a verbete é bem d o cum entad o e escrito por esp ecialista. índ ice bem -d etalhad o que inclui entrad as para teo ­ rias, invençõ es, instrum ento s, o rganizaçõ es e cientistas. Existe ed ição abre­ viada ( C o n c i s e d ic t io n a r y o f s c i e n t i f i c b io g r a p h y ) publicad a em 1981. 237 G RO LIER library of science biographies. Danbury: Gro lier Ed ucatio nal, 1997. 10 v.

  ISBN 07172-7626-0 (co leção ) H Excelente d icio nário so bre os ci­

  entistas mais im p o rtantes. Cad a verbete inclui dados bio gráfico s básico s e info rm açõ es sobre as d esco bertas e invençõ es do biografado . Retrato do ci­ entista em m uito s verbetes. A o final de cada vo lume foi incluíd a biblio grafia das principais fo ntes sobre o biografado ; lista de termo s técnico s e índ ice alfabético de no m es e assunto s. O volume 10 inclui cro no lo gia histó rica dos principais evento s científico s da A ntiguid ad e até 1996 (p. 215-262).

  

2 3 8 H U TCH IN SO N d ictio n ary o f s cie n tis ts . N ew Y ork : R an d o m H o u s e , 1 9 9 7 .

  

5 5 2 p . ISBN 0 - 3 7 5 - 7 0 0 5 7 - 9 11 T raz , n o in ício , d e ta l h a d a e v o l u ção h i s tó ri ca d a BIO GRA FIA S

  49

  astro no m ia, bio lo gia, quím ica, engenharia, geologia, m atem ática e física. Cerca de 1 800 biografias de cientistas famosos, na maioria do século

  XX,

  co m gráficos e retrato s. Em anexo, crono logia dos principais evento s cientí­ fico s, e relação dos prêmios Nobel de quím ica, m ed icina e física. 239

  IN TERN A TIO N A L w ho’s who in engineering. Cambrid ge: Melrose Press,

  1984- . Irregular K Inclui milhares de breves biografias de engenheiro s de diversos países. 240 LA RO U SSE d ictio nary o f scientists. Ed ited by Hazel Muir. New York: Laro usse Kingfisher C ham bers, 1994. 595 p.

  ISBN 0-752-30002-4 U Inclui

  cerca de 2 200 breves biografias de cientistas im p o rtantes até 1993. Enfase na vida pro fissio nal do biografado. índ ice de no m es e assunto s. 241 M c G r a w - H i l l modern scientists and engineers. New York: M cGraw -

  1 9 8 0 . 3

  ISBN 0 - 0 7 - 0 4 5 2 6 6 - 0 H 1 1 4 0

  Hill, v. Excelente fo nte que inclui bio ­ 1 9 2 0 1 9 7 8 . grafias de cientistas e engenheiro s. Co bre o período de a Em cada verbete foi incluíd o retrato do biografado. Ed ição anterio r: M c G r a w -

  1 9 6 6 - 1 9 6 8 , 2 H i l l m o d e r n m e n o f s c i e n c e , v.

  242 M c G r a y n e , Sharo n Bertsch. M u lh e r e s q u e g a n h a r a m o p r ê m io N o b e l

  

e m c i ê n c i a s ; s u a s v id as , lu t a s e n o t á v e is d e s c o b e r t a s . Trad, de M aiza F. Rocha

e Renata Brant de Carvalho. Rio de Janeiro : M arco Z ero , 1994. 410 p.

  ISBN

  85-279-0179-4 H Trad ução de N o b e l p r i z e w o m e n in s c i e n c e : t h e ir liv e s ,

s t r u g g le s , a n d m o m e n t o u s d is c o v e r ie s (Secaucus: Carol Publicatio ns, 1993.

419p .)

11 D e 1901 até2001 apenas nove mulheres ganharam o prêmio N obel

  em ciências. A obra analisa as razões dessa disparidade e exam ina a vida das cientistas ganhadoras desse prêmio. Em 1998 foi publicad a a segunda ed i­ ção do o riginal no rte-am ericano .

  

2 4 3 M ILLA R, David. C a m b r i d g e d ic t io n a r y o f s c i e n t is t s . New York: CanV

brid ge University Press, 1 9 9 6 . 3 8 7 p.

  ISBN 0 - 5 2 1 - 5 6 1 8 5 - X 11 Ed ição revista e

  ampliad a da obra C h a m b e r s c o n c i s e d ic t io n a r y o f s c i e n t is t s publicad a em 1 9 8 9 . C o m cerca de 1 3 0 0 breves biografias de cientistas já falecid o s. 244 N O BEL prize w inners: an H .W . W ilso n biographical dictionary. New York: W ilso n, 1987. 1165 p. ISBN 0-8242-0756-4.

  

2 4 5 1 9 8 7 - 1 9 9 1 . 1 9 9 2 .

  

N O BEL prize w inners supplement New York: W ilso n,

1 4 3 p.

  ISBN 0 - 8 2 4 2 - 0 8 3 4 - X 11 C o ntém biografias dos ganhadores do prêmio

  N o bel. A rranjo alfabético pelo so breno me do premiado. Inclui biografia d e­ talhad a, retrato , biblio grafia das principais obras publicad as e referências biblio gráficas sobre o biografado. Lista dos premiados em ordem cro no ló gi­ ca pela catego ria do prêmio. O suplem ento inclui dados bio gráfico s dos ga­

  1 9 8 7 - 1 9 9 1 .

  nhado res do prêmio N obel no período de

  50 PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA tw entieth-century scientists. D etro it: G ale, 1995. v.

  246 NOTABLE

  4 ISBN 0-8103-9181-3 (co leção ).

247 NOTABLE tw entieth-centu ry scientists: su p p lem ent. D etro it: G ale,

1998. 617 p. ISBN 0-7877-2766-6 H Inclu i cerca d e

  1 300 extensas b io g rafias

  

d e cientistas d o século XX, d o s quais 75 são d e regiõ es fo ra da A m érica d o

N o rte. C ad a v erbete traz o s p rincip ais d ad o s b io g ráfico s, a im p o rtância da

o bra realizad a, os p rincip ais d o cu m ento s p ro d uzid o s e b ib lio g rafia so bre o

bio g rafad o . índ ices das áreas d e esp ecializ ação , sexo d o bio g rafad o , n acio n a­

lid ad e, e assunto s. O su p lem ento inclu i 250 v erbetes ad icio nais.

248 POGGENDORF, Jo han Christian. B io g r ap h is c h - lit e r ar is c h e s H an dw ö r­

te r bu c h z u r G e s c h ic h t e de r ex akte n W is s e n s c haft e n . Leipzig: Barth, 1863—

  1904, Verlag C hem ie, 1925-1940. 11 v., índ ice. (Reim pressão .) H Fo nte clás­ sica so bre m atem ático s, astrô no m o s, q u ím ico s, físico s, m ineralo g istas, geólogos e o utro s cientistas. D e abrangência m und ial, cada verbete inclui breve biografia e a bibliografia das obras do biografado. Co m p lem entad a pelo B io g r ap h is c h - lit e r ar is c h e s H an dw ö rt erbu c h de r e x akt e n N at u r w is s e n ­

  

s c h aft e n , u n t er M itw irku n g der A kade m ie n de r W is s e n s c haft e n (A kademie-

Verlag, 1955-1973).

  quem em ciência e tecno lo gia no estad o de São Paulo; p o rta­

  249 QUEM é

  dores de título de doutor, equiv alente ou superior. Ed itad o por Shig eo W atanabe. São Paulo: A cad em ia de C iências, v. em H

  19 7 6 - 1 9 7 8 . 2 4.

  D iretó rio de pesquisadores de ciências exatas e naturais. A rranjo pelo

  900 so breno m e, co m índ ice de assuntos.

  Bernard June H. W h o ’s w ho o f N o b e l

  250 SCHLESINGER, S.; SCHLESSINGER, p riz e w in n ers 1 9 0 1 - 1 995. 3rd ed. Pho enix: Oryx, 1996. 251 p.

ISBN 0-897-

  74-899-9 11 Biografia dos ganhadores do prêmio N obel de 1886 a 1995. Ar­ ranjo alfabético pela catego ria dos prêmio s, e d entro da catego ria em o rdem cro no ló gica. Inclui breve biografia, principais p ublicaçõ es, referências bibli­ ográficas sobre o pesquisado r e co m entário sobre a im p o rtância das p esqui­ sas efetuad as pelo cientista. índ ices: a) o no m ástico ; b) instituição a que está vinculad o ; c) nacio nalid ad e; d) religião.

  251 W H O ’ S who in science and engineering, 1998-1999. 4th ed. New Pro vidence: W h o ’s W ho/ Reed Reference Publishing, 1997. 1638 p. Bienal.

  

ISSN 1063-5599 H Primeira edição: 1992. Fo nte co rrente sobre mais de 31

  000 personalidades m und iais, de cerca de 125 países, de engenharia, bio lo ­ gia, m atem ática, info rm ática, física e ciências so ciais. Cad a verbete inclui dados bio gráfico s, bibliografia seletiva das obras publicad as pelo biografado , principais d esco bertas e p atentes. índ ices geo gráfico e de profissões.

  

252 W H O ’S who in science in Europe: a biographical guide in science,

  technology, agriculture and m ed icine. 9th ed. Lo nd o n: Carterm ill Interna- C A TÁ LO G O S D E BIBLIO TEC A S

  51 tio nal, 1995. 2 v.

  ISBN

  1-561-59132-7

11 Publicada desde 1967. Inclui bio gra­

  

253 W H O ’S who in technology. 7th ed. D etro it: G ale, 1995. 1701 p. Bienal.

  ISBN 0-890-93520-3 (co leção ) H Ed ição fac-sim ilar do catálo go em fichas da biblio teca da Royal So ciety, do Reino Unido . Inclui obras raras únicas.

  6. ed. São Paulo: Uni­ versidade de São Paulo, 1999. Ced erro m H Co bre os acervos de livros, teses e publicaçõ es seriadas das universidades de São Paulo (U SP), Estad ual de C am ­ pinas (UNICA MP) e Estad ual Paulista (UN ESP). Inclui cerca de 991 000 refe­ rências a título s de livros e a 50 000 título s de periódicos.

  C at álo g o c o le t iv o de liv ros, teses e p u b lic aç õ e s se r iadas .

  B i b l i o t e c a s .

  . S i s t e m a s d e

  P a u l i s t a s

  E s t a d u a i s

  U n i v e r s i d a d e s

  Excelente para a histó ria da ciência. 256

  Co m p iled by A lan J. Clark. Frederick: University Publishing o f A merica, 1982. 5 v.

  ISBN

  B o o k c at alo g u e o f the library o f the R o y al S oc iety .

  fias de mais de 60 000 cientistas de 36 países europeus, co m exceção dos países da antiga União So viética e professores e pesquisadores apo sentad o s. Em duas partes: 1) lista alfabética dos biografado s pelo so breno m e; 2) ar­ ranjo geo gráfico por países e, d entro de cada país, por d isciplina. Cad a ver­ b ete inclui info rm açõ es bio gráficas, principais publicaçõ es e interesses de pesquisa.

  2 5 4 R e d e BIBLIODA TA ver item 506.

  Catálo g o de biblio teca é o co njunto de registros que descrevem os d o cu­ m ento s (itens) p ertencentes a um acervo ou a vários acervos. Esses registros são elabo rad o s de acordo co m no rmas ou regras previam ente d eterm inad as para que seja possível a recuperação desses m esm o s d o cum ento s. Pode ser co nsultad o na forma trad icio nal impressa ou pela Internet. É de extrem a utilid ad e, pois por ele po d e-se verificar a existência de d eterm inad o item num a biblio teca; co nferir dados catalo gráfico s; id entificar e so licitar cópia de parte do d o cum ento ; so licitar em p réstim o entre biblio tecas (isto é, a bi­ b lio teca que atend e ao usuário so licita o em p réstim o à biblio teca po ssuid o ­ ra do d o cu m ento ).

  

C A T Á LO G O S D E B IB L IO T EC A S

  0877-5901. Tam bém em linha e ced erro m . H In­ clui biografias de 25 000 cientistas e engenheiro s que trabalham em cerca de 1000 áreas d iferentes dos EUA, Canad á e M éxico . Cad a verbete inclui o no m e do bio grafad o , d ata e lo cal de nascim ento , fo rm ação pro fissio nal, empregos, asso ciaçõ es a que p ertence, principal área de esp ecialid ad e, principais p ubli­ caçõ es, p atentes registradas, end ereço s pessoal e pro fissio nal. índ ices geo ­ gráfico , de instituição empregadora e áreas de especialid ad e.

  ISSN

  0-8103-7467-6;

  255 ROYAL SOCIETY.

  52 PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA 257 W O RLD C A T OCLC O nline Unio n Catalo g, H C atálo g o co letivo , co ntend o mais de 43 m ilhõ es de registros de 34 000 b iblio tecas, de mais de 60 países, disponível no serviço em linha do O nline Co m p uter Library C enter (O C LC ). Acessível so m ente por interm éd io das biblio tecas co o perantes que po ssuem co ntrato co m o O CLC. Funcio na quase co m o um catálo go m un­ dial das biblio tecas, incluind o d o cum ento s antigo s e recentes.

  C atálo g o s em linha C o m o advento da Internet, m uitas biblio tecas passaram a co lo car seus catálo go s em linha à d isposição do público em geral (p ro ced im ento co nhe­ cid o , em inglês, pela sigla OPA C (de o n lin e p u b lic ac c e s s c at alo g , isto é, catá­ lo go em linha de acesso p úblico ). Em geral, esse tipo de acesso p erm ite a co nsulta por autor, título ou assunto. M uitas vezes, após a id entificação do d o cum ento d esejad o , é possível so licitar có pia de parte d ele ou m esm o seu em p réstim o entre biblio tecas.

  Esses catálo g o s eletrô nico s, po r utilizarem d iferentes pro gram as de auto m ação de biblio tecas, possuem variadas formas de acesso e, alguns, têm estratégias de buscas avançadas e co m p lexas, que p erm item aum entar a pre­ cisão dos resultad o s por m eio da co m binação de termo s de busca.

  Bib lio tecas de o utro s países 258 O nline catalog. catalog.loc.gov/ 1I A maior

LIBRARY OF CONGRESS. URL:

  biblio teca do m und o po ssibilita co nsulta ao seu catálo go em linha, acesso a co leçõ es d igitais, mapas, foto grafias e filmes. Nas buscas não se deve utilizar a letra cê ced ilha nem acento s. 259 e w o r k u b l i c i b r a r y c i e n c e n d u s t r y a n d u s i n e s s

  

N Y P L . S , I B

LIBRARY. URL: catnyp .nyp l.o rg/ 11A N ew York Pu b lic Library p o ssui excelen te

acerv o relacio nad o à ciência e tecno lo g ia. N este sítio é p erm itid a a b u sca po r

auto r, títu lo , assu nto e p alavras livres.

  Bib lio tecas d o Brasil

  a c i o n a l

  260 BIBLIO T EC A N , H Catálo go das diversas co leçõ es da Biblio teca N acio nal. C lica-se em ‘biblio teca virtual’ , em seguida, ‘acervo geral’ e esco lhe-se o catálo go em que se d eseja pesquisar. 261 o n t i f í c i a n i v e r s i d a d e a t ó l i c a d o r i o d e j a n e i r o i s t e m a

  

P U C . S

D E BIBLIOTECA S, 11 C atálo g o em linha

das b ib lio tecas da PUC-RIO. O ferece d iv ersas o p çõ es d e b u sca: p alav ras, co m

o p erad o res b o o leano s, auto res, assu nto s e séries.

  262 . br/

  UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA. BIBLIOTECA CENTRAL,

  11 Na página principal, clicar no bo tão ‘pesquisa o n-line’ . O sistem a o ferece CA TÁ LO G O S D E BIBLIO TEC A S

  53 três formas de pesquisa: 1) fácil: o nd e basta preencher os campo s d isp o ní­ veis co m as palavras d esejadas sem usar operadores bo o leano s, podendo ser utilizad o mais de um cam po de busca ou mais de um term o em cada cam po ; 2) estruturad a: p erm ite o uso de operadores bo o leano s e dos campo s biblio ­ gráfico s por m eio de uma seleção ; exibem -se todos os cam po s e operadores que podem ser utilizad o s, devendo o usuário selecio nar o cam po o nd e d ese­ ja que o term o seja enco ntrad o e o o perador bo o leano que fará a co nexão d esejad a co m o term o seguinte; livre: p erm ite a utilização de todos os

  3)

  o perado res, cam po s biblio gráfico s e caracteres esp eciais. N este tipo de bus­ ca o usuário precisa estar familiarizad o co m os cam po s biblio gráfico s e os operadores.

  n i v e r s i d a d e d e ã o a u l o i s t e m a n t e g r a d o d e i b l i o t e 2 6 3 U S P . S

  I B ­ c a s

  . D ed alu s: b an c o d e d ad o s b ib lio g ráfico s d a USP. e

dedalus.usp.br:4500/ ALEPH/ POR/ USP/ DEDALUS/ START 11 C atálo g o co letiv o das

b ib lio tecas co m p o nentes d o sistem a d e b ib lio tecas USP (SIBI).

  

264 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. SISTEMA DE BIBLIOTECA S.

f C atálo g o de livros e teses das b ib lio tecas da UNICAMP.

C lic a-se no b o tão ‘p esquisa base acerv o s (livro s e te se s)’ .

  

265 UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA. COORDENADORIA-GERAL DE BI­

BLIOTECA S. H C atálo g o em linha, d eno m inad o A thena,

d e 22 b ib lio tecas da U N ESP. Para acessar clica-se no b o tão ‘A th en a’ , em

seg u id a, em ‘catálo g o s’ e selecio na-se a co leção d esejad a. n i v e r s i d a d e e d e r a l d e i n a s e r a i s i s t e m a d e i b l i o t e

  

2 6 6 U F M G . S B ­

c a s

  . H C atálo g o d o Sistem a d e Bib lio tecas da UFMG. Perm ite b u sca sim p les o u co m o p erad o res bo o leano s. n i v e r s i d a d e e d e r a l d o i o d e a n e i r o i s t e m a d e i b l i o t e

  

2 6 7 U F R J . S B ­

c a s

  E INFORMAđấO. URL: fenix.ufrj.br:4505/ A LEPH e www. minerva. ufrj.br/ H Catálo g o em linha, d eno m inad o M inerva, das biblio tecas da UFRJ. n i v e r s i d a d e e d e r a l d o i o r a n d e d o u l i b l i o t e c a e n

  

2 6 8 U F R G S . B C ­

t r a l .

  URL: o belix.ufrgs.br:4505/ A LEPH H C atálo g o em linha das b ib lio tecas da UFRGS. n i v e r s i d a d e e d e r a l d e a n t a a t a r i n a i b l i o t e c a e n t r a l

2 6 9 U F S C . B C .

  

URL: aspro01.npd.ufsc.br/ bu/ pergamum/ pbasbi.hts Catálo go em linha, d e­

H no m inad o Pergamum, do sistem a integrad o de biblio tecas da UFSC.

  Bib lio tecas d ig itais ou virtuais Biblio teca digital ou virtual é a que armazena d o cum ento s e info rm a­

  çõ es na fo rm a d ig ital, isto é, co m o d íg ito s arm azenad o s em sistem a auto m atizad o , em geral em rede, que pode ser co nsultad o pelos usuários por

  54 PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA m eio de term inais rem o to s. Esse tipo de biblio teca o ferece aos usuário s o acesso em linha não so m ente a catálo go s, mas tam bém a grande variedade de recursos eletrô nico s existentes na própria biblio teca ou fora d ela, co m o , por exemplo , índ ices e resumo s, bases e banco s de dados, bases de dados de imagens.

  M uitas bib lio tecas p o ssuem acervo s d ig itais nas áreas de ciência e tecno lo gia e p erm item o acesso ao sumário dos perió d ico s que recebe. A lgu­ mas p erm item , tam bém , pesquisas em bases de dados biblio gráfico s e de texto s co m p leto s de d o cum ento s.

  

Bib lio tecas digitais de outros países

270 EDINBURGH ENGINEERING VIRTUAL LIBRARY. Sítio

  da biblio teca digital da universidade de Ed im burgo (Escó cia). C o ntém um m anancial de info rm açõ es e apo ntado res para sítio s relevantes na Internet. Foi criada em agosto de 1995 co m o o bjetiv o de facilitar o rápido acesso à info rm ação de engenharia. eels.lub.lu.se/ Sítio de co n­

  271 ENGINEERING E-LlBRARY, SWEDEN. URL:

  11

  só rcio de seis biblio tecas suecas de engenharia — Sw edish Universities of Techno lo gy Libraries —•, co m po nteiro s ou hipervínculo s ( lin ks ) para cente­ nas de sítio s que arm azenam info rm açõ es sobre as diversas áreas da eng e­ nharia.

  

Bib lio tecas d igitais do Brasil

272 B i b l i o t e c a V i r t u a l A n í s i o T e i x e i r a ,

  xeira/ 11 Inclui a produção intelectual, co rresp o nd ência, d ep o im ento s e d o ­ cum ento s relacio nad os co m o grande ed ucad o r brasileiro.

  i b l i o t e c a i r t u a l a r l o s h a g a s 2 7 3 B

  V C C .

info rm açõ es so bre a vida e a p ro d ução cien tífic a de C arlo s C hag as e so bre a

d o ença de C hag as. i b i b l i o t e c a i r t u a l i l b e r t o r e y r e u r l pro ssiga.bvgf.fgf.

  274 B

  V G F . : org.br/ H Info rm açõ es sobre a obra de G ilberto Freyre. i b l i o t e c a i r t u a l e i t e o p e s

  2 7 5 B

  V L L , Pro ­

jeto d o CNPq/ Prossiga e d o C en tro Brasileiro d e Pesquisas Físicas (CBPF).

  

Traz info rm açõ es so bre a vid a d o físico Jo sé Leite Lo p es, sua p ro d u ção in te ­

lectu al nas áreas d e física, p o lítica cien tífic a e histó ria d a física.

  

C EN T R O S D E PES Q U IS A E LA BO R A T Ó R IO S

  Os centro s de pesquisa e labo rató rio s são instituiçõ es im p o rtantes nas áreas científicas e tecno ló gicas. Q uase todos estão vinculados a universida-

  55

  D IC IO N Á RIO S E EN C IC LO PÉD IA S

  des, órgãos go vernam entais ou instituiçõ es privadas; vários deles realizam testes e ensaio s em áreas esp ecíficas.

  m e r i c a n o c i e t y f o r e s t i n g a n d a t e r i a l s

  276 A S T M . In t e r n at io n al Philadelphia: 1993-. A nual. 1071-

  direc to ry o f testin g labo rat o ries. ASTM,

  ISSN

  6769 11 D iretó rio internacio nal de laborató rio s que realizam testes, em bora a ênfase seja nos EUA e Canad á. A rranjo geo gráfico por países, vindo, p rim ei­ ram ente, os EUA e Canad á e, a seguir, os o utro s. índ ice de assunto s.

  2 7 7 C a t á l o g o B r a s i l e i r o d e S e r v i ç o s T é c n i c o s L a b o r a t o r i a i s .

  São

Paulo : A sso ciação Brasileira d e Po lím ero s; São Jo sé d o s C am p o s: In stitu to

  1993. 119

  11

  

d e Fo m ento e C o o rd enação Ind u strial, p. Labo rató rio s q u e exe­

cu tam análises, ensaio s e testes. In icialm en te, em o rd em alfab ética, o índ ice

d o s serv iço s, seg uid o d o índ ice de serv iço s e entid ad es p restad o ras, em o r­

d em alfab ética po r região , rem etend o para a página o nd e estão os d ad o s da

entid ad e. N a terceira p arte, as entid ad es, em o rd em alfab ética, co m d ad o s

cad astrais, tais co m o : end ereço , telefo ne e info rm açõ es so bre o labo rató rio .

n s t i t u t o a c i o n a l d e e t r o l o g i a o r m a l i z a ç ã o e u a l i

  278

  I N M , N Q ­ d a d e

  IN DUSTRIA L. R ede bras ileira de labo rató rio s de en saio s. Duque de Caxias:

  1992. 92 p. 11 Labo rató rio s que realizam ensaio s das característi­

  INMETRO,

  cas ou d esem p enho de produtos, processos ind ustriais e serviços. A rranjo p o r c o d ific aç ão nu m érica seq ü en cial, co m índ ices d o s lab o rató rio s cred enciad o s e dos produtos ensaiados.

  

D IC IO N Á R IO S E EN C IC L O PÉD IA S

  Os dicio nários e enciclo péd ias são im po rtantes fontes de info rm ação para assunto s já co nso lid ad o s. O d icio nário é a obra de referência que dá info r­ m açõ es sobre as palavras e sua grafia, pro núncia, significad o , etim o lo gia, sino ním ia e anto ním ia. D efine term o s científico s e técnico s de fo rma sim p lificad a e, às vezes, dá breves ind icaçõ es sobre as ap licaçõ es dos co ncei­ to s que expressam.

  A enciclo p éd ia é uma obra, em um ou vários vo lumes, que traz info rm a­ çõ es sobre todos ou sobre alguns ramos do co nhecim ento . N o primeiro caso, é d eno m inad a enciclo p éd ia científica geral e, no segundo, enciclo p éd ia ci­ entífica esp ecializad a. Em geral, apresenta-se na forma de v erbetes o rd ena­ dos alfabética ou sistem aticam ente. A enciclo p éd ia tam bém pode ser ap e­ nas sobre d eterm inad o ramo do co nhecim ento . C o m um ente é organizada em o rd em alfabética co m o co nteúd o dividido em diversos volumes. Em geral inclui ilustraçõ es, gráficos e tabelas. Os verbetes ou artigos são escrito s por esp ecialistas e, m uitas vezes, trazem biblio grafia das obras mais impor­ tantes so bre o tem a de que tratam . Desd e o final dos anos 80, algumas enci­ clo péd ias passaram a ser ed itad as na forma de ced erro m . A partir do final

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

  56 dos anos 90, o co nteúd o de algumas enciclo p éd ias co m eço u a ser oferecido na Internet. 279 ACADEMIC Press d ictio nary o f science and techno lo gy. New York: A cad em ic Press, 1992. 2432 p.

  ISBN 0-12-200400-0. Tam bém em cederrom

  (1995;

  ISBN 0-12-200401-9). Excelente di­

  cio nário , co m cerca de 133 000 verbetes de 130 áreas de ciências e engenha­ ria. D efiniçõ es do term o , áreas em que é utilizad o , etim o lo gia e, em muitos caso s, biblio grafia básica. O acesso via Internet é p rático e rápido. 280 Neil. D ic t io n ary o f sc ien c e. New York: Do rling Kindersley,

  ARDLEY, 1994. 192 p.

  ISBN 1 -564-58349-X 11 Ind icad o para co nsultas rápidas. Verbetes co m pequenas d efiniçõ es. Ilustrado.

  281 Denis W illiam s Geo rge; D .R.

  BALLENTYNE, LOVETT, D ic t io n ary o f

n am e d e ffe c t s an d law s in c hem istry , phy sic s, an d m at h e m at ic s . 4th ed. New

  York: Chap m an & Hall, 1980. 346 p. 0-412-22380-5

  11 Ed itad a desde

  ISBN

  1958, d efine e explica a o rigem de cerca de 1 500 verbetes relativos a leis, regras, reaçõ es, fórmulas, teo rem as, efeito s e demais ap licaçõ es ligadas a no ­ mes esp ecífico s de ciência e tecno lo gia. Em anexo, lista de unid ad es cientí­ ficas.

  282 BARNHART, Ro bert K. H o u g hto n M ifflin dic tio n ary o f s c ie n c e . Bo sto n: Ho ughto n M ifflin, 1988. 766 p.

  ISBN 0-395-48367-0 H D icio nário ind icad o para o público em geral e estud antes de graduação.

  Patricia.

  

283 BARNES-SVARNEY, T h e N ew Y ork P u blic L ib rary s c ie n c e desk

  New York: M acm illan, 1995. 668 p. 0-02-860403-2 11 Reúne referen c e.

  ISBN dados sobre as principais info rm açõ es d emand ad as em ciência e tecno lo gia.

  Divide-se em 14 áreas: medidas científicas, símbo lo s e sinais científico s, tem ­ po, bio lo gia, corpo hum ano e ciência bio m éd ica, quím ica, física, astro no ­ m ia, g eo ciências, m eteo ro lo gia, m eio am biente, info rm ática, engenharia e o utro s recursos científico s. Biblio grafia seletiva no final de cada área. Índ ice de assunto s. 284 BRAGONIER, R.; FiSHER,

  D. W h at ’s w hat: a v isu al g lossary o f the p hy sic al w orld. Maplew ood: Ham m o nd , 1990. 581 p.

  ISBN 0-843-73322-5 H Inclui

  m ilhares de ilustraçõ es relativas a o bjeto s físico s. A rranjo por grandes cate­ gorias de assunto s. 285 R.P D ic tio n ary o f s c ie n t ific lit erac y . New York: Jo hn W iley,

  BRENNAN,

  1992. 334 p. 0-471-53214-2 H C o m cerca de 700 verbetes, aborda os

  ISBN

  principais tem as científico s. Ind icad a para o leito r leigo “que d eseja enten­ der a term ino lo gia científica, que agora faz parte da vida co tid iana” (p refá­ cio ).

  D IC IO N Á RIO S E EN C IC LO PÉD IA S

  57 286 d ictio nary of Science and technology. Ed ited by Peter M.

CA MBRIDGE

B. W alker. New York: Cam brid ge University Press, 1990. 1024 p. ISBN 0-521-

  39441-4 H Excelente d icio nário geral, que inclui cerca de 45 000 verbetes de 100 áreas. 287

  CA RNEGIE LIBRARY OF PITTSBURGH. SCIENCE AND TECHNOLOGY

  2nd ed. D etro it: G ale, DEPARTMENT. S c ie n c e an d tec hn o lo g y desk referen c e. 1997. 825 p.

  ISBN 0-8103-9376-7 H Tem por o bjetiv o dar, aos biblio tecário s

  de referência e o utro s usuários, info rm açõ es rápidas sobre co nsultas típicas ou que d em and em m uito tem po , em ciência e tecno lo gia. As 1 700 co nsul­ tas foram selecionadas pelo d epartamento de ciência e tecno logia da Carnegie Library o f Pittsburgh e para todas são m encio nad as as m elho res fo ntes para a respo sta. Inclui d ezenas de figuras e tabelas. No final, biblio grafia das fo n­ tes utilizad as para as respostas, além de índ ice de assunto s. 288 CIÊNCIA ilustrada. São Paulo: A bril Cultural, 1981-1984. 11 v. 11 Obra voltada para a divulgação científica, co m arranjo sistem ático pelos diversos ramos da ciência. índ ice geral no final do últim o volume. 289 science dictionary. 3rd ed. New York: Oxford University Press,

  CONCISE

  1996. 794 p. 0-19-280033-7 K C o m cerca de 7 800 verbetes, é um bo m

  ISBN

  d icio nário geral de ciências, co m d efiniçõ es claras e co ncisas. Em anexo : tabelas, escala do tem p o geo ló gico e classificação das plantas e anim ais. 290 DICIONÁRIO das ciências. Petrópolis: Vozes; Cam p inas: Ed ito ra da UNICAMP, 1995. 556 p.

  ISBN 85-326-8883-3 H Trad ução de L e dic t io n n air e

des sc ie n c e s (Paris: H achette). C o m 1 025 verbetes, “ d estina-se à d ifusão da

  cultura científica. A ssim sendo, tem um o bjetiv o principal: explicar os ter­ mos científico s (e não recensear co m o faria uma enciclo p éd ia), evitar as palavras eso téricas (e não conservar uma linguagem herm ética reservada so m ente aos cientistas), ir do simples ao co mplexo . [...] Todas as d efiniçõ es fo ram co ncebid as de m o d o que nenhum a palavra co m p licad a ou não d efini­ da em o utro verbete interrompa a leitura” (Prefácio ).

  291 DICIONÁRIO de ciências. Porto Alegre: Glo bo , 1971. 624 p. H A obra foi “ planejad a visando auxiliar ginasiano s e co leg iais” (p refácio ). A rranjo alfabético , co m verbetes breves. Ilustraçõ es em preto -e-branco . A lguns ver­ betes são bio gráfico s.

  292 o f science. Ed ited by Peter Lafferty and Julian Row e.

  DICTIONARY

  New York: Sim o n & Schuster, 1994. 678 p. 0-133-04718-0 H Inclui cer­

  ISBN ca de 5 000 verbetes, em ordem alfabética, co m ênfase na área de info rm ática.

  293 técnico -científico ilustrad o . Lisbo a: Plátano Ed ito ra,

  DICIONÁRIO

  1982. 395 p. H D e forma sintética a obra “apresenta os significad o s de cerca de 700 vo cábulo s mais co rrentem ente utilizad o s nos m últiplo s d o mínio s da

  58 PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA ciência e da técnica, co m particular incid ência nos que se relacio nam co m astro no m ia, bo tânica, física, geologia, m atem ática, zoologia, m eteo ro lo gia, m ineralo gia e quím ica, entre o utras” (no ta intro d utó ria). Em anexo , inclui fo rm ulário s, tabelas de elem ento s quím ico s, tabelas de co nstantes e unid a­ des de medidas. 294 da ciência. São Paulo: G lo bo M u ltim íd ia, 1998.

  ENCICLOPÉDIA

  Ced erro m. 85-250-1671-1 11 Tradução e ad aptação de

  ISBN D orlin g K in dersley

e n c y c lo p e dia o f Sc ien ce, enciclo p éd ia interativa m ultim íd ia. M ais de 80 000

v erbetes, 800 vídeos, 600 ilustraçõ es e anim açõ es.

  295 ENCICLOPÉDIA de tecno lo gia. Rio de Janeiro : Renes, 1972. 4 v. 11 Tra­ d ução da obra alemã W ie fu n kt io n ie r t das? , publicad a em 1963. A rranjo por grandes áreas da tecno lo gia. índ ice remissivo geral no últim o volume.

  296 técnica universal. Porto A legre: Ed ito ra G lo bo , 1959—

  ENCICLOPÉDIA

  1971. 10 v. 11 C o m longos verbetes, m uito s de auto ria de esp ecialistas brasi­ leiro s. Co bre, em volumes tem ático s, as diversas áreas da engenharia. C o m índ ice de assunto s no final de cada volume. 297 ENCICLOPÉDIA tecno ló g ica Planetarium . São Paulo: Planetarium ,

  1974. 7 v. I Trad ução de obra publicad a na Itália em 1973. N o início de m uito s verbetes inclui os termo s em inglês, francês e alem ão . Bastante ilus­ trada. índ ices dos verbetes e geral no últim o volume. 298 ENCYCLOPAEDIA britannica. II A pesar de não ser uma enciclo p éd ia esp ecífica de ciência e tecno lo gia, possui centenas de verbetes que abordam esses assunto s. A versão digital é co nstantem ente atualizad a. 299 ENCYCLOPEDIA o f applied physics. Ed ited by Geo rge L. Trigg. New

  York: Publishers, 1991-1999. 23 v., mais vo lume de índ ice. 3-527-

  VCH

  ISBN

  26841-3 (co leção ) H O bra m o num ental que co nto u co m centenas de co la­ bo rad o res de diversos países. A rtigos longos, elabo rado s por esp ecialistas, co m biblio grafia seletiva no final. Ind icad a para físico s, engenheiro s e estu­ d antes das diversas áreas da física aplicada ou naquelas em que o supo rte da física seja necessário , co m o astro no m ia, g eo ciências, biolo gia e m ed icina, índ ice alfabético de assunto s em volume separado.

  300 ENCYCLOPEDIA of chem ical technology. 4th ecl. New York: Jo hn W iley, 1991-1998. 25 v. mais 2 volumes de índ ice.

  ISBN 0-471-52669-X. Tam bém

  em ced erro m 11 O bra clássica de eng enharia q u ím ica. Prim eira ed ição publicad a de 1949 a 1956. Tam bém co nhecid a pelo no m e dos primeiros ed ito res: Kirk-O thm er. Lo ngo s verbetes assinados por esp ecialistas de diver­ sos países, co m bibliografia no final. Volume esp ecífico para índ ice de as­ sunto s e do núm ero de registro no C h e m ic al ab s t r ac t s . Existe versão co n­ densada. D IC IO N Á RIO S E EN C IC LO PÉD IA S

  59

  301 ENCYCLOPEDIA

  of materials science and engineering. Cam brid ge:

  MIT Press, 1986. 8 v.

  ISBN

  0-262-02233-8 11 Cerca de 1 800 longos v erbetes, escri­ to s por 1 400 esp ecialistas de mais de 20 países. Incluem biblio grafia. A rran­ jo em 44 tem as, co bre os diversos aspectos dos m ateriais utilizad o s na ciên­ cia e engenharia. índ ice no últim o volume. Volumes sup lem entares de atu ­ alização (v. 1, 1988; v. 2, 1990), em ordem alfabética e índ ice de assunto s.

  302 ENCYCLOPEDIA o f physical science and technology. 2nd ed. Ed ited by Rup ert A. M eyers. Orland o : A cad em ic Press, 1992. 18 v.

ISBN 0-12-18138-

  3. Tam bém em ced erro m (1995,

ISBN 0-12-0002000-0)

  11 Excelente fo nte,

  co bre, co m tratam ento acad êm ico , todas as áreas das ciências físicas, m ate­ m ática e engenharia. Os verbetes são longos e foram preparados por 750 esp ecialistas. índ ice geral no últim o volume co m cerca de 70 000 entrad as.

  303 ENCYCLOPEDIA o f polymer science and engineering. 2nd ed. New York: Jo hn W iley, 1985-1989. 17 v. mais um volume de índ ice.

ISBN 0-471-89540-

  internatio nale des sciences et des techniques. Paris: Laro usse, 1969-1975. 11 v. 11 Inclui longos verbetes co m m uitas ilustraçõ es. A rranjo alfabético , co m m uitas remissivas.

  FLO OD, W alter Edgar.

  7 (v. 1) H Enciclo p éd ia sobre po límero s, abordando desde os asp ecto s cientí­ fico s até suas ap licaçõ es nas diversas áreas da engenharia. Os verbetes são lo ngo s, redigidos por esp ecialistas, e incluem biblio grafia. Há vo lume p ubli­ cad o em 1990 co m índ ice de todos os verbetes. Volumes co m atualizaçõ es, d eno m inad o s S u p p le m e n t v o lu m es, são publicad o s desde 1989.

  304

  cas, ciências físicas, engenharia, tecno lo gia e ciências da saúde. Os verbetes incluem ilustraçõ es. Ind icad a para o p úblico em geral.

  ISBN

0-7876-4370-X H Arrola cerca de 2 000 verbetes relativos às ciências bio ló gi­

  308 GA LE encyclo ped ia of science. 2nd ed. D etro it: G ale, 2000. 6 v.

  0-837-17541-0 H Ed itada desde 1960, inclui lista alfabética dos elem ento s de uma palavra (raízes, prefixos e sufixo s) que entraram na fo rm ação de termo s científico s e técnico s. Inclui d efinição de cada elem ento e exp licação de co m o fo i usado na palavra.

  ISBN

  W estp o rt: Greenw ood Press, 1982. 220 p.

  S c ie n t ific w ords: their st ru c t u re an d m ean in g .

  307

  305 E

  ISBN 0 -0 8 0 - 3 6 2 1 2 - 5 11 Im p o rtante fo nte so bre m ed id as e instrum entação , co m ênfase nas áreas de tecno lo gia avançada.

  

m easu rem en t ó in st ru m en tat io n . New York: Pergamon Press/ Elsevier Science,

1994. 4 3 4 p.

  K.T.V. (ed .) C o n c is e e n c y c lo p e d ia o f

  GRATTAN,

  L.;

  FiN KELSTEIN ,

  ENCYCLOPÉDIE

  ISBN 0-19-503651-4 H

  IA NI, Cesare. D ic tio n ary o f the p h y s ic al s c ie n c e s : term s, fo rm u las, d at a. New York: O xfo rd University Press, 1987. 365 p.

  m i l

  Bo m d icio nário que inclui termo s nas áreas de física, quím ica, geo lo gia e astro no m ia. Em anexo , 70 tabelas. 306

  60 PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

  co nd ensad a da E n c y c lo p edia o f c h e m ic al tec hn o log y (ver item 300), publicad a em 27 volumes. Excelente enciclo p éd ia de engenharia quím ica, co m a m es­ ma qualid ad e da obra original. 315 LAROUSSE d ictionary o f science and technology. Ed ited by Peter M.

  11 A ntes publicad o co m o

  

E n c y c lo p e dic dic tio n ary o f sc ie n c e (1988), traz cerca de 5 000 verbetes cur­

  to s, escrito s em linguagem clara e não -técnica. Cerca de 150 ilustraçõ es co ­ loridas. 314

  KIRK-OTHMER co ncise encyclo ped ia o f chem ical techno logy. 4th ed.

  New York: W iley -Interscience, 1999. 2196 p.

  ISBN

  0-471-29698-8

  11 Versão

  B. Walker. New York: Larousse Kingfisher C ham bers, 1995. 1236 p.

  

309 GROLIER stud ent encyclopedia of science, technology and the enviro n­

m ent. Danbury: Grolier, 1996. 11 v.

  ISBN

  0- 752-30010-5

  lo de C h am b e r s t e c h n ic al dic tio n ary . Inclui cerca de 49 000 verbetes curto s e 500 ilustraçõ es. M uito s verbetes possuem referências cruzadas.

  316 M CGRA W -HILL

  co ncise encyclo ped ia o f science and techno logy. 4th ed. New York: M cGraw -H ill, 1998. 2318 p.

  ISBN

  0-07-052659-1

  11 Versão

  co nd ensad a, em um vo lume, da M c G r aw - H ill e n c y c lo p e dia o f s c ie n c e an d

  ILLUSTRATED d ictionary of science. Ed ited by M ichael Allaby. New York: Facts on File, 1995. 256 p.

  313

  Excelente e atual, co m d ezenas de ilustraçõ es em preto -e-branco . A rranjo alfabético pelo term o mais co nhecid o . D o ter­ mo técnico é feita remissiva para o mais co m um . A dota o Sistem a Internaci­ onal de Unid ad es. Em anexo, unidades do sistem a m étrico , lista dos g anha­ dores do prêmio N o bel, auto res de d esco bertas e invençõ es científicas e tecno ló gicas.

  ISBN 0-304-34483-4 H

  ISBN 0-717-27517-5 H Verbetes breves e

  escrito s em linguagem não -técnica. M uitas ilustraçõ es co lo rid as. Ind icad a para o público em geral.

  310 HARRISON,

  Percy;

  W A ITES, Gillian.

  T h e C as s e ll dic t io n ary o f s c ien c e.

  Lo nd o n: Cassell Bo o k'

  1997. 503 p.

  C o m verbetes breves, info rm a em que área o term o é utilizad o . Inclui remissivas no texto co m palavras em letras m aiúsculas, para facilitar a leitura e a pesquisa pelo leitor. C o m 17 anexo s, entre os quais unidades de medid as, tabela perió d ica dos elem ento s, am ino ácid o s, co eficientes e integrais, alfabeto grego.

  H

  

311 HUNT, Cand id a; DlXON, Bernard. E n c y c lo p e dic dic t io n ary o f s c ie n c e .

  New York: Facts on File, 1988. 256 p.

  ISBN 0-8160-2021-3 H Ind icad o para

  alunos de graduação, inclui breves verbetes sobre quím ica, física, m eio am ­ biente e m ed icina.

  312

  HUTCHINSON d ictio nary of science. 2nd ed. Oxfo rd : H elico n, 1998.

  718 p.

  ISBN

  1-85986-243-8

ISBN 0-816-03253-X

11 Excelente obra, publicad a inicialm ente em 1944, co m o títu ­

  D IC IO N Á RIO S E EN C IC LO PÉD IA S

  61

  

te c hn o lo g y (ver item 320). Inclui 7 800 verbetes, m uito s dos quais são ilus­

  trados co m foto grafias, mapas, gráfico s, diagramas e d esenhos. Utiliza os sistem as de medidas no rte-am ericano e internacio nal. Em anexo , no tação m atem ática, co nstantes fund am entais, diagrama de eras geo ló gicas, 1 200 bio grafias de cientistas. índ ice alfabético de no m es e assunto s, co m muitas remissivas. 317 M c G ra w - H ill dictionary of engineering. Ed ited by Sybil P. Parker. 6th ed. New York: M cG raw -H ill/ 1997. 582 p.

  ISBN 0-070-52435-1 H D efine

  16 700 termo s básico s da área de engenharia. Em cada verbete é incluíd a a subárea onde o term o é empregado. Em anexo, sistem a imperial (inglês) de m ed id as, sistem a m étrico , sistem a internacio nal de unid ad es, co nstantes e variáveis m atem áticas, integrais e trigo no m etria usadas na engenharia.

  318 d ictionary of scientific and technical terms. Ed ited

  M CGRA W -HILL

  by Sybil P Parker. 5 th ed. New York: M cGraw -Hill, 1994. 2194 p. 0-070-

  ISBN

  42333-4 11 Arrola 105 100 verbetes de 102 áreas científicas e tecno ló gicas, id entificand o os campo s em que são prim ariam ente utilizad as. É ind icad o para estud antes e profissionais de todas as áreas técnico -científicas. Inclui cerca de 3 000 ilustraçõ es em preto -e-branco . A rranjo alfabético letra por letra, co m m uitas remissivas. Em anexos, sistema m étrico e de medid as, tabela perió d ica dos elem ento s, símbolos m atem ático s e físico s, siglas de entid ad es em ciência e tecno lo gia, lista de abreviaturas, símbo lo s e esque­ mas eletrô nico s, classificação bio ló gica, no tas biográficas de cientistas fa­ mosos.

  319 MCGRA W-HILL encyclo p ed ia o f eng ineering. 2nd ed. New York: M cGraw -H ill, 1993. 1414 p.

  ISBN 0-070-51392-9 11 C o ntém cerca de 700 verbetes relativos às principais áreas da engenharia e tecno lo gias.

  320 encyclo ped ia of science and technology. 8th ed. New

  M CGRA W -HILL

  York: M cGraw -H ill, 1997. 20 v. 0-07-911504-7 (co leção ) U Publicada

  ISBN d esde 1960, é co nsiderada a m elho r enciclo p éd ia de ciência e tecno lo gia.

  C o nto u co m a co labo ração de mais de 3 500 esp ecialistas, send o 19 ganha­ dores de prêmio N obel. Co m tratam ento aprofundado, inclui mais de 13 m il ilustraçõ es co lo ridas. A maioria dos verbetes traz biblio grafia. O índ ice, em volume separado, co ntém mais de 170 000 entrad as. A partir de setem ­ bro de 1999, está disponível na Internet (, co m atu­ alização d iária. Existe ed ição em ced erro m co m hipervínculo s para sítio s da

  Internet: M c G r aw - H ill m u lt im e dia e n c y c lo p edia o f sc ie n c e an d tec hn o log y . 321 encyclo ped ia of science. New York: M acm illan Library

  MACMILLAN

  Reference/ Simo n & Schuster M acm illan, 1997. 12 v. 0-028-64556-1 H

  ISBN

  Ed ição anterio r publicad a em 1991. Esta ed ição foi atualizad a e revista. Os primeiros seis volumes co brem ciências bio ló gicas, ciências físicas, ciências

  62 PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA da terra e ciências espaciais; os seis volumes subseqüentes, ciências ap lica­ das. survey o f science. Ed ited by Frank Magill. Englew ood 322 MA GILL’ S N . C liffs: Salem Press, 1990-1992. 17 v.

  ISBN 0-89356-606-3 Earth sciences; 0-

  89356-612-8 Life sciences; 0-89356-618-7 Physical sciences. Tam bém em ced erro m (Peabody: EBSCO Publishing, 1994.

  ISBN 1-882-24801-5) 11 Série

  co m p o sta de diversos assunto s: E art h sc ien c e s (5 v., 1990); L ife s c ien c es (6 v., 1991) e P hy sic al sc ien c e s (6 v., 1992). Cad a série co ntém artigo s, em forma de ensaio s, co m extensas bibliografias. Glo ssário s de term o s técnico s e índ i­ ce de assunto s. O ced erro m inclui o texto co m p leto das diversas seçõ es; o acesso é facilitad o por um programa de recuperação da info rm ação bastante amigável.

  

323 NEW Penguin dictionary of science. Ed ited by Mike Clugston. Lo ndo n:

Penguin Book, 1998. 845 p.

  ISBN 0-14-051271-3 1í C o m um novo título (ver

  item 324) a obra co ntinua incluind o termo s de m atem ática, física e qu ím i­ ca, além de o utras áreas co m o a bio lo gia hum ana, bio q uím ica, bio lo gia m o lecular e g enética. Inclui cerca de 300 figuras. Os verbetes são curto s e info rm am em que áreas científicas são ad o tad o s; trazem tam bém m uitas remissivas. Em anexo, fórmulas, co nstantes físicas e m atem áticas, tabela perió d ica dos elem ento s e classificação dos organismos vivos. d ictionary o f science. 7th ed. Ed ited by E. B. Uvarov; A lan

  324 PENGUIN

  Isaacs. New York: Penguin, 1993. 511 p. 0-14-051156-3 II Ed itad a desde

  ISBN

  1943. Inclui cerca de 5 000 verbetes curto s sobre m atem ática, astro no m ia, física e quím ica. Existe trad ução portuguesa da terceira ed ição inglesa de 1964: Lisbo a: Publicaçõ es Euro p a-A m érica, 1972. 500 D ic io n ár io de c iê n c ia. p. Inclui figuras em preto -e-branco . Em anexo, fato res de co nversão dos d i­ versos sistem as de medid as, co nstantes físicas e tabela perió d ica dos ele­ mento s. materiais encyclo ped ia. Bo ca Rato n: Press, 1996. 12

  325 POLYMERIC CRC

  v. 0-8493-2470-X. Tam bém em ced erro m (1996. 0-8493-2651-6)

  ISBN

  ISBN

  11 Inclui 1 160 verbetes preparados por mais de 1 800 esp ecialistas de diversos

  países. Co bre os aspectos dos polímeros relacio nad os co m suas sínteses, pro­ priedades e aplicaçõ es. Os verbetes são longos e incluem biblio grafia. C o m índ ices de auto res e assuntos no volume 12.

  326 M ichel; Nayla.

  SERRES, FAROVKI, L e trésor: dic t io n n air e de s s c ien c es.

  Paris: Flam m ario n, 1997. 1092 p. 2-08-035108-7 Em o rdem alfabéti­

  ISBN

  11

  ca, co bre diversas áreas da ciência, abo rdando seus m éto d o s, o bjeto s, resul­ tad o s, teo rias e hip ó teses. No início de cada verbete inclui remissivas para o utro s assunto s. Extenso índ ice geral de assunto s (p. 1047-1084) e índ ice D IC IO N Á RIO S BILÍN G ÜES E M ULTILÍN GÜES

  63 327 SPEC K, G .E. D ic io n ár io c ie n t ífic o e ilu str ado . Rio de Janeiro : Reco rd , 1969. 319 p. 11 Trad ução brasileira de A publica­

  c o m p ac t Sc ien c e dic tio n ary , do em 1960. A rranjo alfabético e verbetes curto s.

  328

  VAN NOSTRAND’ S scientific encyclo ped ia. 8th ed. Ed ited by Douglas M . Co nsid ine. New York: Van Nostrand Reinho ld , 1995. 2 v.

ISBN 0-442-

  01864-9. Tam bém em cederrom (ISBN 0-471-29323-7) H Ed itad a desde 1938, co m cerca de 7 300 verbetes curto s, é uma excelente enciclo p éd ia que co bre to d o s os cam po s da ciência e tecno lo gia. Inclui 2 450 ilustraçõ es. C o m m ui­ tas referências cruzadas. Não inclui biografias. índ ice geral no segundo volu­ m e. A versão em ced erro m , editada em 1999, traz atualizaçõ es e co ntém um excelente programa de busca da info rmação.

  329 Franco ; Osw aldo. D ic io n ár io de n ov os term os de

  VlDOSSICH, FURLAN,

c iê n c ias e tec n o lo g ias: loc u ç õe s, sig las, c ru z am en to s, em p r é s t im o s e ac r ô n im o s .

  São Paulo: Pioneira, Publicado desde

  1996. 360 p. ISBN 8-522-10026-811 1958,

  é um d icio nário clássico , co m abordagem histó rica, que inclui verbetes so ­ bre as leis e os efeito s nas áreas de quím ica, física e m atem ática. Info rm a em que área o term o é utilizado. 330 Rudi. New York: Facts VOLTI, T h e F ac ts on F ile e n c y c lo p e dia o f Scien c e. on File, 1999. 3 v. 0-8160-3123-1 Em ordem alfabética, inclui os ter­

  ISBN H

  mos científico s e tecno ló gico s pelas acep çõ es co m uns. C o m num ero sas re­ ferências cruzadas para os no m es técnico s ou científico s. Inclui diâgramas, fo to grafias, tabelas e verbetes bio gráfico s de cientistas mais im p o rtantes. End ereço s eletrô nico s são acrescentad o s em algumas entrad as.

  (URLS)

  331 W lLEY encyclo ped ia o f electrical and electro nics engineering. New York: W iley -Interscience, 1999. 24 v.

  ISBN 0-471-13946-7 H Funcio na co m o

  m anual e guia de engenharia elétrica e da co m p utação . Inclui os últim o s avanço s em sem ico nd uto res, co m p utad o res, co m unicaçõ es e redes. Verbe­ tes claro s, co m uma intro d ução sobre cada tó p ico e os asp ecto s técnico s úteis para as áreas acad êm icas e ind ustriais. Biblio grafia no final do verbete.

  

D IC IO N Á R IO S B IL ÍN G Ü ES E M U L T IL ÍN G Ü ES

  Os d icio nário s especializad o s ou de termo s técnico s bilíngües ou m ulti- língües (ou poliglotas) o ferecem ao usuário de uma língua os vocábulos equi­ valentes em o utra(s) língua (s), além d e, co m o qualquer o utro d icio nário , servirem para d irim ir dúvidas o rto gráficas. São cada vez mais úteis, tend o em vista a crescente glo balização das pesquisas científicas e a necessid ad e que o pesquisad o r tem de ler e se co m unicar em o utras línguas. São inúm e­ ros, co brind o desde a ciência e tecno lo gia em geral até áreas m uito esp ecífi­ cas. N ão é pro pó sito desta obra m encio ná-lo s to d o s. Há ed ito ras esp eciali­ zadas, em vários países, na ed ição desse tipo de obra de referência.

  64 PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA Existem tam bém d icio nários eletrô nico s, disponíveis na Internet, que facilitam a tarefa de quem precisa traduzir algum texto .

  Ing lês-A lem ão / A Iem ão -Ing lês 332 Lo uis; Leo n. G e r m an - E n g lis h s c ie n c e dic t io n ary .

  D E VRIES, JACOLER,

  4th ed. New York: M cGraw -H ill, 1978. 628 p. 0-07-016602-1

  11 Ed itad o

  ISBN desde 1950, é excelente, co m cerca de 65 000 termo s científico s.

  333 DORIAN, A ngelo Francis. D ic t ion ary o f sc ien c e an d tec hn olog y : E n g lis h - G erm an . 3rd ed. A m sterd am : Elsevier, 1981. 1119 p.

  ISBN 0-444-41999-7 H Excelente. M encio na as áreas do co nhecim ento em que o vo cábulo é usado.

  334 . D o r ian ’s dic tion ary o f sc ien c e an d tec hn olog y : G e r m an - E n g lis h . A m sterd am : Elsevier, 1989. 1402 p.

  ISBN 0-828-89275-X H Excelente. C erca de 100 000 term o s científico s, das áreas de ciências, tecno lo gia e m ed icina.

  335 Richard. 5th ed. New ERNST, D ic tio n ar y o f en g in eerin g an d tec hn o lo g y . York: Oxfo rd University Press, 1985-1989. 2 v.

  ISBN 0-19-520820-X (v. 1), 0- (v.

  11 C o m cerca de verbetes é um dos d icio nário s

  19-520485-9 2) 157 000

  clássico s alem ão —inglês (v. ) e ing lês-alem ão (v. . D e cad a vo cábulo info r­

  

1 2 )

ma o gênero, áreas em que é utilizado e os equivalentes em inglês ou alemão .

  336 FLACK, Heinz K.; MOLLERKE, Georg. Illu s t r at e d en g in eerin g d ic t io n ­

ary ; B ildw ö rte rbu c h M as c hin e n bau u n d E le kt r o t e c hn ik. Berlin: Springer, 1997.

486 p.

  ISBN 3-540-62441 -4 K Divide-se em duas partes. Na primeira (p. 1 -

  296), m o stra, co m auxílio de ilustraçõ es, os term o s técnico s de engenharia em ing lês-alem ão e alem ão -inglês. Na segunda (p. 297-443), tam bém co m ilustraçõ es, inclui os termo s técnico s de m aquinaria. Em anexo , verbos e frases co m uns usadas nas diversas áreas da engenharia.

  337 WA LTHER, R. D ic t io n ary o f tec hn o lo g y . 5th ed. New York: Elsevier, 1985. 2. v.

  ISBN 0-444-99591-9 (Eng lish-G erm an) e 0-444-99590-0 (G erm an-

11 English) C o bre todas as áreas de ciências, engenharia e pro d ução ind ustri­ al. Cad a volume inclui cerca de 100 000 termo s.

  Inglês-Â rabe/ Á rabe-Inglês 338 DICTIONARY o f sciences and techno lo gy: Eng lish-A rabic, A rab ic- English. 2nd ed. Beirut: Seven A rabian M arkets, 1978. 152 p. 11 Preparado por esp ecialistas no rte-am ericano s, ingleses e do m und o árabe, co m ênfase na ind ústria petro lífera.

  Ing lês-Esp anho l/ Esp anho l-Ing lês

  D ic c io n ar io e n c ic lo p é d ic o de térm in o s té c n ic o s in - 339 COLLA Z O, Jav ier L. D IC IO N Á RIO S BILÍN G ÜES E M ULTILÍN GÜES

  65

  g l é s - e s p a n o l , e s p a n o l - i n g l é s . New York: M cGraw -H ill, 1980. 3 v.

ISBN 0-07-

  079162-7 11 C o m cerca de 10 000 entrad as, mo stra as d efiniçõ es do term o e as áreas do co nhecim ento onde é empregado. Divid e-se em três vo lumes: v.

  1-2, inglês—esp anho l; v. 3, esp anho l-inglês.

  R O U T L E D G E Spanish technical dictionary. D iccio nario técnico inglês.

  340 Lo nd o n: Ro utled ge, v.

  11 esp anho l-ing lês; v.

  1997. 2

  ISBN 0-415-11274-5 V 1: 2: ing lês-esp anho l. Para cada term o info rm a a área em que é empregado.

  Ing lês-Francês/ Francês-Ing lês 341 D O RIA N , A ngelo Francis. D o r i a n ’s d ic t io n a r y o f s c i e n c e a n d t e c h n o lo g y :

  

E n g l i s h - F r e n c h . A msterd am: Elsevier, p. H

1993. 1586

ISBN 0-828-89275-X

  Excelente. Inclui cerca de 150 000 termo s de mais de 100 d iferentes assun­ to s, m encio nand o as áreas em que o term o é utilizad o , e breve d efinição .

  

342 ROUTLEDGE French technical dictionary. D ictio nnaire techniq ue

anglais. Lo nd o n: Ro utled ge, 1994. 2 v.

  ISBN 0-415-05 6 7 0-5. Tam bém em

  ced erro m . H V 1: francês-ing lês; v. 2: ing lês-francês. Cerca de 100 000 ter­ mos do inglês utilizad o s nos EUA, Reino Unid o e Canad á; e do francês da França, Canad á, Suíça e Bélgica. Info rm a a área em que o term o é utilizad o .

  Ing lês-Jap o nês/ Jap o nês-Ing lês Lo uise W atanabe. Ja p a n e s e - E n g l i s h , E n g l i s h - ] a p a n e s e g lo s s ar y

  343 TUNG,

o f s c i e n t i f i c a n d t e c h n i c a l t e r m s . New York: Jo hn W iley, 1993. 1146 p. 0-

  ISBN

  471-57463-5 H Inclui cerca de 13 000 term o s de 120 áreas da ciência e tecno lo gia. Info rm a em que área o term o é utilizado.

  Ing lês-Russo / Russo -Ing lês

  

344 A LFO RD, M .H .T.; A LFO RD , V.L. R u s s i a n - E n g l i s h s c i e n t i f i c a n d

t e c h n i c a l d ic t io n a r y . Oxfo rd : Pergamon Press, 1970. 2 v. ISBN 0-08-012227-2

  11 C o ntém cerca de 100 000 termo s técnico s de

  94 campo s esp ecializad o s de

  ciência e tecno lo gia. V. 1: A -O ; v. 2: P-Z . Para cada term o é info rm ad a a área em que é utilizado. 345 C a r p o v i c h , Eugene A .; Vera V. R u s s i a n - E n g l i s h s c i e n c e

  

CARPOVICH,

a n d e n g in e e r in g d ic t io n a r y . M t. Vernon: Technical D ictio naries, 1988. 676 p.

  0-911-48405-1 11 Traz termo s de todas as áreas das ciências puras e

  ISBN

  aplicadas e dos diversos ramos da engenharia. Inclui termo s de agricultura, eco no m ia e d ireito . Cerca de 100 000 verbetes.

  

346 CHAKALOV, G. E ls e v ie r ' s d ic t io n a r y o f s c i e n c e a n d t e c h n o lo g y , E n g l i s h -

R u s s ia n . A m sterd am : Elsevier Science, 1996. 1134

ISBN 04-448-1955 -X

  11 p. Excelente e atual.

  

6 6 PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

B.V.

  

347 KU Z N ETSO V , R m s ian - E n g lis h dic t io n ary o f s c ie n t ific an d t e c h n ic al

u sag e. New York: Pergamon Press, 1992. 656 p.

  ISBN 0-785-99085-2 11 Em 1980 foi ed itad o co m o R u s s ian - E n g lis h p o ly t e c hn ic al dic tio n ary (Pergam o n).

  Excelente. Inclui cerca de 30 000 term o s. 348 Paul. 2nd ed. A m s­ M A C URA , E ls e v ie r ’s R u s s ian - E n g lis h dic tio n ary . terd am: Elsevier, 1999.4 v. 0-444-82483-9 (co leção ) 11 C erca de 240 000

  ISBN term o s, nas áreas de ciências, hum anid ad es, ciências so ciais e tecno lo gia.

  349 M ALYAVSKAYA, G reta; SHVEYEVA , N atalia. R u s s ian - E n g lis h dic t io n ary

  

o f s c ie n t ific an d en g in eerin g term s: a g u ide to u sag e. New York: Begell Ho use,

1999. 1222 p.

  ISBN 1-56700-128-9 11 Excelente para termo s novos técnico s e científico s. Traz acep çõ es técnicas e populares no co ntexto da língua russa.

  350 M ikhail; Claud ia.

  Z IM M ERM A N ,

  V ED EN EEV A , R u s s ian - E n g lis h t ran s­

  3rd ed. New York: lat o r ’s dic tio n ary : a g u id e to s c ie n t ific an d t e c h n ic al u sag e. Jo hn W iley; Moscow : Nauka Publishers, 1992. 735 p. 0-471-93316-3 11

  ISBN

  Excelente. Inclui cerca de 9 000 termo s mais recentes das áreas científicas e tecno ló gicas.

  Po rtuguês-A lem ão / A Iem ão -Po rtuguês

  

351 A U M Ü LLER, A dalberto. Novo d ic io n ár io t é c n ic o q u ím ic o ale m ão —p o r ­

tu g u ês. 3. ed. Rio de Janeiro : Kosmos, 1958. 1032 p. 11 Inclui cerca de 30 000

  term o s técnico s de diversas áreas das ciências e tecno lo gia. Para cad a term o info rm a em quais áreas é utilizado.

  Richard.

  

352 ER SN T, D ic io n ár io da t éc n ic a in du str ial; t o m an do em c o n s i­

d e r aç ão as m ais m o dern as t éc n ic as e p ro c esso s. ed. São Paulo:

  2. EPU, 1986. 2 v. Ed itad a desde Cerca de term o s. V. alem ão -p o rtug uês; v. 11 1963. 60 000 1: p o rtuguês-alem ão . Ind ica se o term o ad o tad o em Portugal ou no Brasil. 2: é

  353 H O EPN ER, Lutz; FRA N Z KE, Lutz. E ls e v ie r ’s dic t io n ary o f s c ie n c e an d

tec hn o log y : G e r m an - P o r t u g u e s e . A msterd am: Elsevier Science, 1996. 616 p.

  ISBN 04-448-2 5177-7 H Excelente.

  354 M artin. D ic io n ár io t ec n o ló g ic o p ortu g u ês; ale m ão - p o r t u g u ê s ,

PA BST,

  

p o r t u g u ê s - ale m ão . Essen: W. Girard et, 1971. 550 p. 3-7736-5520-7 11

  ISBN A lem ão -p o rtuguês (p. 9-295) e p o rtug uês-alem ão (p. 299-550).

  Po rtuguês-Inglês/ Inglês-Po rtuguês 355 Luiz M end es.

  A N TA S, D ic io n ár io de term os té c n ic o s p o r t u g u ê s - in g lê s .

  5. ed. São Paulo: Traço, 1991. 948 p. 85-7119-011-9 H Info rm a em que

  ISBN áreas das diversas ciências o term o é utilizado.

  

356 ARAÚJO, A v elino d e Pina. D ic io n ár io t é c n ic o de P in a. São Paulo : D IC IO N Á RIO S BILÍN G ÜES E M ULTILÍN GÜES

  67 M cGraw -H íll do Brasil, 1978. 2 v. H Vem sendo ed itad o há mais de 30 anos, co m atualizaçõ es co nstantes. Inclui cerca de 75 000 termo s. V. 1: ing lês- po rtuguês; v. 2: p o rtuguês-inglês. 357 FURSTENA U, Eugênio. 19. ed. Por­ D ic io n ário téc n ic o in g lê s - p o r t u g u ê s . to A legre: Glo bo , 1995. 2 v. H Ed itad o desde 1946, vem aco m p anhand o a evo lução da ciência e tecno lo gia. M ais de 100 000 term o s, m encio nand o a área a que p ertencem . Em alguns verbetes, figuras, foto grafias e esquemas. 358 SELL, Lew is L. E n g lis h- P or tu g u ese c o m p rehen siv e t e c h n ic ald ic t io n ar y . São Paulo: M cGraw -Hill do Brasil, 1975. 1168 p. H Ed itad o desde 1953, é um dos mais co m p leto s d icio nários técnico s bilíngües (500 000 term o s).

  359 TA V A RES, Jo aquim Farinha dos Santo s. D ic io n ár io V erbo de in g lês té c ­

  

n ic o e c ie n t ífic o . Lisbo a: Ed ito rial Verbo, 1994. 871 p. 11 Excelente, esp ecial­

  m ente em m ed icina. Inclui radicais latino s e gregos, co m breves exp licaçõ es, bem co m o os plurais das bases latinas e gregas de uso técnico e científico . Em cada verbete info rma em que áreas os termo s são utilizad o s.

  

Po rtu g u ês-Italian o / Italian o -Po rtu g u ês

  360 TRA IA N O , Ro mo lo ; C lU C C I, Do natella; BA RO N E, Catarina. D ic io n á­

  

rio t éc n ic o p o r t u g u ê s - it alian o . Rio de Janeiro : C entro di Stud i C a’ Ro m ana,

  1983. 2 v. H V .l: p o rtug uês-italiano ; v. 2: italiano -p o rtug uês. Co bre as diver­ sas áreas da ciência e tecno lo gia.

  

Portn g u ês-Po lo n ês/ Po lo n ês-Po rtu g u ês

  361 D e BLO C H , Richard. S lo w n ik tec hn ic z n y p o ls ko - p o r t u g als ki; d ic io n á­

  

rio t é c n ic o p o lo n ê s - p o r t u g u ê s . W arszaw a: W ydaw n N auko w o -Techniczne,

1967. 426 p. 11 Inclui termo s técnico s das diversas áreas da engenharia.

  

Português-R usso/R usso—Português

  362 M A TVEEV,

  V.S.; A SRYA NTZ , K.G. D ic io n ár io p o lit é c n ic o r u s so - p o r t u -

  

g u ês. 3. ed. M o sco u: Língua Russa, 1986. 568 p. 11 A primeira ed ição é de

  1978. Inclui cerca de 36 000 termo s simples e co m p o sto s. “No pro cesso de o rganização do d icio nário os autores deram preferência, em primeiro lugar, à term ino lo gia dos novos ramos da ciência e da técnica em rápido d esenvo l­ v im ento ” (p refácio ). Usa um sistema de abreviaturas referentes a diversos ramos das áreas técnico -científicas.

  

M ultilíngiies

  363 BUECKEN , Francisco J. V o c abu lário t éc n ic o p ort u g u ês, in g lês, fr an c ê s e

  

ale m ão . São Paulo: M elho ram ento s, 1986. 600 p. H Publicado desde 1946,

  68 PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA inclui cerca de 55 000 verbetes. Na primeira parte, term o s em po rtuguês e os equiv alentes em inglês, francês e alem ão ; na segunda parte, term o s em in­ glês, francês e alem ão e seus co rrespo nd entes em português. 364 José Luiz de. M i c h a e l i s t e c lv . d i c i o n á r i o t é c n i c o m u l t í l í n g i i e .

  LU C C A ,

  São Paulo: M elho ram ento s, 1996. 1266 p. 85-06-01990-7 11 N um único

  ISBN

  vo lume inclui cerca de “ 20 000 termo s d istribuíd o s em 43 áreas do co nheci­ m ento . Cad a term o é traduzid o do inglês para cinco línguas: francês, esp a­ nho l, italiano , alem ão e po rtuguês, resultante co m isso em 120 000 term o s. O d icio nário está organizado em duas partes: lista alfabética de term o s e índ ices remissivo s” (p refácio ). t a . 365 M ED EIR O S, M anuel Francisco da Silva de. D i c i o n á r i o t é c n i c o p o l i g l o ­ Lisbo a: Go m es & Rodrigues, 1953. 8 v.

  11 Inclui 68 193 term o s técnico s

  na língua portuguesa e seus equivalentes em : esp anho l, francês, italiano , inglês e alemão. de termo s técnico s em quatro línguas. ed. São Pau­

  366

  V O C A BULÁ RIO 3.

  lo: Ed ito rial Ind ustrial Teco , 1974. 2 v. 1 Inclui cerca de 28 000 term o s em p o rtuguês, inglês, italiano e alem ão . Em fo lhas so ltas co m num eração seqüencial dos term o s. índ ice alfabético em quatro línguas.

  D icio nário s eletrô nico s C o m o advento da Internet, estão surgindo d icio nário s em linha esp e­ cializad o s numa ampla gama de assunto s. Em alguns sítio s da Internet é possível enco ntrar d icio nário s m ultilíngües, d icio nário s esp ecializad o s, en­ ciclo p éd ias, tesauro s, vocabulários o rto gráfico s e gram áticas. C o m o o esp a­ ço digital é tão d inâm ico to rna-se necessário pesquisar, co nstantem ente, nos m ecanism o s de buscas, para id entificar novos título s d isponíveis. Em alguns m ecanism o s de busca, co m o o Cad ê?, já existe item esp ecífico para d icio ná­ rios no d iretó rio de assunto s, facilitand o , assim, o trabalho do usuário. A l­ guns sítios p o ssibilitam a trad ução auto m ática. Entretanto , é preciso ter cu i­ dado co m a qualid ade do texto traduzid o , p rincip alm ente quand o se estão utilizand o o riginais de d o cum ento s técnico -científico s.

  a b e l i s h

3 6 7 A LTA VISTA . B F . URL: b ab elfish.altav ista.d ig ital, com/ H Tra­

d u ção au to m ática do alem ão , chinês, co reano , esp anho l, francês, italiano ,

jap o nês e p o rtug uês para o inglês e v ice-v ersa. E tam b ém ru sso -in g lês, ale­

m ão —francês e francês—alem ão . e m o t o r a d u ç ã o H Tra­

  368 A SSIST EN T E R D E T ,

  d ução auto m ática de frases e palavras do inglês para o po rtuguês. Em co ns­ trução.

  369 C A D Ê: REFERÊN C IA : D IC IO N Á RIO S,

  11 Lis­ FEIRA S E EXPO SIÇ Õ ES

  69

  te sítio que p o ssibilita a trad ução em mais de 20 línguas. Inclui d icio nários de rimas e pro núncia. 375 A W EB 0F ON -LIN E DICTIONARIES. H Exce­ lente sítio . Inclui hipervínculo s co m mais de 800 d icio nário s de 160 línguas. É um dos d icio nário s eletrô nico s em linha mais utilizad o s na Internet.

  

378 TRA DE SHOW CENTRAL, w w 2.tscentral.co m / U Fo rnece info rm ação

d e âm b ito internacio nal so bre feiras, exp o siçõ es e d em ais neg ó cio s. A cesso

p elo no m e d o ev ento , tip o de ev ento , tip o d e neg ó cio , p aís, cid ad e e d ata de

realização .

  4395 H D iretó rio de feiras co m erciais, co nvençõ es e evento s similares reali­ zados em cerca de 60 países. C o m índ ices de evento s, geo gráfico e assunto s.

  ISSN 1046-

  htm H D iretó rio sobre feiras e o utros tipos de evento s realizados no âm bito do M erco sul (Brasil, A rgentina, Paraguai e Uruguai). O acesso pode ser feito pelo tipo de evento ou pela área de negócio. 377 TRA DE shows w orldw ide. D etro it: G ale, 1990- . A nual.

  MERCOSUL SEARCH BUSINESS, .

  (co m o , por exemplo , congressos e sem inários) e é co m um a necessid ad e de se inscrever para poder ter acesso ao recinto dos estand es. 376

  As feiras e expo siçõ es são bastante freqüentad as, esp ecialm ente nas áre­ as técnicas ligadas à engenharia. Nelas divulgam-se novos equip am ento s, pro cesso s, produtos e serviços. Podem ser de cunho geral ou restritas a uma área técnica esp ecífica. M uitas vezes fazem parte de evento s profissionais

  

FEIR A S E E X PO S IÇ Õ ES

  t ! H Excelen­

  

370 D ic io n á r io U n iv e rs a l d a L ín g u a P o r tu g u e s a O n -L in e . w w w .

p riberam . pt/ DLPO/ H C o n tém m ais de 95 000 v erbetes, d e fácil uso , que

co nsig nam o sig nificad o e a etim o lo g ia. Po ssui seção co m palavras co rrelatas

  e

  374 R

  373 ONE LOOK DICTIONARIES. 11 Inclui mais de três m ilhõ es de term o s extraído s de 620 d icio nário s.

  

372 L.OGOS DiCTIONARY. H D icio ­

nário au to m ático de 13 id io m as d iferentes, entre eles o p o rtug uês (d e Po rtu­

g al), latim , esp anho l e esp eranto . Po ssui m ais d e sete m ilhõ es d e entrad as.

  nha, grátis, hospedada na Electric Library. Cerca de 14 000 verbetes sobre diversos assunto s. A busca pode ser feita por palavra-chave, e a navegação por qualquer seção , ou m ed iante hipervínculo s co m artigos e fotografias.

  n C YC LO PED IA .C O M . Enciclo p éd ia em li­

  371 E

  (q u e c o n têm id éias sem elh an tes). D isp o nív el em p o rtug uês de Po rtugal.

SEA RCH -I

  70 PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

  

379 U n i ã o B r a s i l e i r a d o s P r o m o t o r e s d e F e i r a s . End ereço : Rua Oscar

Freire, 379, co njunto 11, São Paulo, SP 01426-001.

  

FIL M ES E V ÍD EO S

  Os filmes e vídeos cada vez mais são utilizad o s nas diversas áreas da ciência e tecno lo gia, esp ecialm ente nas atividades relacio nad as co m o ensi­ no. N ão é um tipo de d o cum ento de fácil aquisição , pois geralm ente não entram no circuito co m ercial de vendas. Sua divulgação mais co m um é por m eio de anúncio s publicad o s em revistas esp ecializad as ou por o casião de feiras e expo siçõ es técnicas.

  

380 AAAS science film catalo g. W ashing to n, D C : A m erican A sso ciatio n

for the A d v ancem ent o f Science, 1975. 398 p.

  ISBN 08-352-20860-5 H A rrola

  os film es científico s e filmes relacio nad os co m o estud o e ensino de ciências produzidos nos EUA . 381 FILM ES e vídeos em ciência e tecno lo gia. Brasília: Instituto Brasileiro de Info rm ação em C iência e Tecno lo gia, 1990. 615 p. H “A p ublicação se propõe a registrar a grande atividade dos produtores nacio nais de film es e vídeos em ciência e tecno lo g ia” (apresentação , p. 5). O arranjo é por grandes assunto s segundo a classificação de áreas científicas ad o tad a pelo C N Pq . Ar­ rola 1811 itens, co m as seguintes info rm açõ es: título , dados sobre a pro d u­ to ra, id io m a, tipo de m íd ia, duração , sinopse e d etento r do título . Inclui índ ices de assunto s e diretores. 382 IN D EX to vo catio nal and technical ed ucatio n (m ultim ed ia). 4th ed. Lo s A ngeles: N atio nal Info rm atio n C enter for Ed ucatio nal M ed ia

  (N IC EM ),

  University of So uthern Califó rnia, 1981. 871 p. 08-932-0039-5 H Bibli­

  ISBN

  ografia dos filmes e m ateriais audiovisuais das áreas tecno ló gicas e artes in­ dustriais. 383

  IN VEN TA RIO de cine y video sobre ciência y tecno lo gia. M ad rid : Insti­

  tuto de C o o p eració n Ibero am ericana, D irecció n de Co o p eració n C ientífi- co -Técnica, 1983-1986. 3 v.

  ISBN 84-723-2189-4 ( v. 1-2) e 84-505-3876-9 (v.

  3) 1 O primeiro volume co bre as áreas de m ed icina. Inclui tam bém um d iretó rio de recursos audiovisuais espanhóis nas áreas de ciência e tecno lo gia.

  

FO N T ES H IS T Ó R IC A S

  A histó ria da ciência e da tecno lo gia tem tid o um d inâm ico crescim ento desde a Segund a Guerra M und ial. To rno u-se respeitável e transfo rm o u-se numa área interd iscip linar por excelência. Talvez mais do que qualquer o u­ tra d iscip lina, a histó ria da ciência serve co m o p o nte entre a cap acid ad e hum ana de entend er seu mundo físico , co nstruind o m elho res e mais efici- FO N TES H ISTÓ RIC A S

  71 entes m áquinas e, ao m esm o tem po , enfatizand o os significad o s so ciais e culturais da ciência.

  A cervos sobre histó ria da ciência existem num a grande variedade de ins­ tituiçõ es: universid ad es, museus de ciência e tecno lo gia, organismos gover­ nam entais, arquivos, biblio tecas e fund açõ es. As so cied ad es científicas e as­ so ciaçõ es pro fissio nais nas áreas de engenharia e m ed icina tam bém guar­ dam co leçõ es de valor.

  

Fo n tes de referência

384 BLA CKW ELL, Richard J. (co m p .) A b i b l i o g r a p h y o f t h e p h i l o s o p h y o f

s c i e n c e , 1 9 4 5 - 1 9 8 1 . W estp o rt: Greenw ood Press, 1983. 585 p.

ISBN 0-313-

  23124-9

  vros, artigos de perió d ico s, trabalho s de congressos de fo ntes sobre histó ria da ciência publicad o s no período de 1945-1981. N ão possui índ ice de as­ sunto s.

  385 BU D D , R o b ert; W A RN ER, D eb o rah Jean ; JO H N STO N , Step hen. I n s t r u m e n t s o f s c i e n c e : a n h i s t o r i c a l e n c y c l o p e d i a . New York: Garland , 1998. 709 p.

  ISBN 0-8153-1561-9 H Publicada em asso ciação co m o Science M useum

  de Lo nd res e a Sm ithso nian Institutio n, de W ashing to n, D C. Excelente para a histó ria dos instrum ento s científico s, da A ntiguid ad e até os dias atuais. Os v erbetes, m uito s ilustrad o s, fo ram escrito s por esp ecialistas e incluem bib li­ ografia seletiva sobre o tó pico . C o m d etalhad o índ ice de assunto s.

  386 BYNUM, W .F.; BRO W N E,

  E. J.; PO RTER, Roy. D i c t i o n a r y o f t h e h i s t o r y o f s c i e n c e . Princeto n: Princeto n University Press, 1981. 494 p.

  Geo rge Sarto n (1884-1956), reco nhecid o co m o criad o r e líd er da d isci­ plina, pro vavelmente foi o responsável pela aceitação da histó ria da ciência no m eio acad êm ico . Programas de pó s-graduação e pesquisa em histó ria da ciência são agora o ferecid o s em vários países e tam bém no Brasil.

11 Cerca de 7 000 itens, arranjado s em 47 tó p ico s, relacio nand o li­

ISBN 0-691-

  408-10764-2 H Excelente obra sobre os asp ecto s so ciais da histó ria da ciên­ cia e da m ed icina. Inclui d escriçõ es das principais biblio tecas e arquivos, índ ices de assunto s, auto res e de instituiçõ es.

  388 DURBIN,

  Paul T. D i c t i o n a r y o f c o n c e p t s i n t h e p h i l o s o p h y o f s c i e n c e .

  New York: Greenw o o d Press, 1988. 362 p.

  ISBN

  0-313-22979-1. (Reference so urces for the so cial sciences and hum anities, n. 6) H Cerca de 100 verbetes so bre os principais co nceito s de histó ria da ciência.

  ISBN 0-

  387 C O RSI, Pietro ; W EIN D LIN G , Paul. I n f o r m a t i o n s o u r c e s i n t h e h i s t o r y o f s c i e n c e a n d m e d i c i n e . Bo sto n: Butterw o rth Scientific, 1983. 531 p.

  08287-1; 0-691-02384 (bro chura) 11 C o ntand o co m a co labo ração de mais de 100 esp ecialistas, inclui cerca de 700 verbetes co m as principais realiza­ çõ es e idéias científicas do O cid ente. M uito s dos verbetes trazem biblio gra­ fia e remissivas. índ ices de assunto s e de biografias.

  72 PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA m e d i c i n e . New York: The Free Press, 1984. 735 p. 389 DURBIN, Paul T. (ed.) A g u i d e t o t h e c u l t u r e o f s c i e n c e , t e c h n o l o g y a n d

  ISBN 0-02-907890-3 H Fo n­

  tes sobre cultura científica, inclusive filoso fia e so cio lo gia da m ed icina, ci­ ência, tecno lo gia, e p o lítica científica. Cad a ensaio inclui biblio grafia sobre obras clássicas em cada tem a, co m avaliação crítica do título co m entad o .

  390 of the history o f science, techno lo gy and m ed icine

  ENCYCLOPAEDIA

  in no n-W estem cultures. Ed ited by Helaine Selin. Bo sto n: Kluw er A cad em ic, 1997. 1117 p. 0-792-34066-3 If Inclui, em o rdem alfabético -tem ática,

  ISBNN

  cerca de 600 ensaio s sobre a histó ria da ciência, tecno lo gia e m ed icina nas culturas não -o cid entais. Cad a verbete foi preparado por esp ecialistas e in­ clui biblio grafia. índ ice de assuntos. 391 FRANCIS. Nancy: Centre N atio nale de la Recherche Scientifique, Insti- tu t de 1’Info rm atio n Scientifique et Technique, 1984-. M ensal. Em cederrom e em linha nos banco s de dados:

  INIST

  o rbit.co m ] e [ Internacio nal, co bre as ciênci­

  RLG

  11

  as hum anas e so ciais, incluind o histó ria da ciência que antes era o b jeto da publicação F r a n c i s 5 2 2 : h i s t o i r e d e s s c i e n c e s e t d e s t e c h n i q u e s (1947-1994). 392 Ro bert Mortimer. H i s t o r i c a l c a t a l o g u e o f s c i e n t i s t s a n d

s c i e n t i f i c b o o k s : f r o m t h e e a r l i e s t t i m e s t o t h e c l o s e o f t h e n i n e t e e n t h c e n t u r y .

  GA SCOIGNE, New York: Garland , 1984. 1177 p.

  ISBN 0-8240-8959-6. (Garland reference

  library o f the hum anities, v. 495) 11 Bibliografia das obras científicas publicadas até o final do século

  XIX.

  393 HISTORY o f science society. URL: d epts.w ashington.edu/ lissexec/ 11 Página da History o f Science Society. Dados sobre cursos de pó s-grad uação , biblio grafia, ensino da d isciplina, programas de d isciplinas, p ublicaçõ es e evento s patro cinad o s pela sociedade.

  394

  ISIS cum ulative bibliography. Lo nd o n: M ansell, v. 1 - , 1971- . Irregu­

  lar 11 Biblio grafia, produzida pela History o f Science So ciety e Sm ithso nian I s i s .

  Institutio n, de d o cum ento s publicad o s no perió d ico Já foram ed itad o s o ito volumes que co brem os períodos de 1913-1965 (v. 1-4), 1966-1975 (v. 5-6) e 1976-1985 (v. 7 - 8 ); 1986-1995 (v. 9- 12). Todas as ciências foram incluíd as. índ ice de assunto s, co m exceção do período 1976—1985 que tam ­ bém incluiu índ ice de autores. R e f e r e n c e b o o k s f o r t h e h i s t o r i a n o f s c i e n c e : a h a n d l i s t . 395 JAYAWARDENE, S.A .

  Lo nd o n: Science M useum , 1982. 229 p. (Science M useum Library. O ccasio nal p ublicatio n, 2).

  ISBN 0-901805-14-9 H Cerca de 1 000 obras de

  referência de histó ria da ciência, co m o guias, m anuais, biblio grafias, histó ri­ as, listas de teses e periódicos. Três partes: histó ria da ciência e suas fo ntes; histó ria e assuntos afins; obras gerais de referência. índ ices de autores/ títu­ FO N TES H ISTÓ RIC A S

  73 396 JAYAWARDENE, S.A. S c ie n t ific rev o lu tio n : an an n o t at e d biblio g r ap hy . W est Cornw all: Lo cust Hill Press, p.

  ISBN H Biblio ­ 1996. 383 0 - 933- 95171-X

  grafia ano tad a dos auto res e evento s científico s mais im p o rtantes para a histó ria da ciência.

  397 M A RTIN S, Ro berto de A ndrade. Sources for the study of science, m ed i­ cine and techno lo gy in Portugal and Brazil. N u n c iu s: an n ali di sto ria della

  

sc ien z a, v. 11, n . 2, p. 655-667,1996. Também em

  ram -r54.htm H Pro jeto sobre fo ntes para o estud o da ciência, m ed icina e técnica em Portugal e Brasil, do século

  XV até 1900, que levou à organização

  de um co njunto de bases de dados info rm atizad as co m 40 000 registros de fo ntes primárias e secundárias (trabalhos publicad o s, m anuscrito s e mapas).

  398 N EU, Jo hn. The history o f science. v. 15, 1967, p. 77 6 -

  L ibrary tren ds,

  792 11 Biblio grafia de livros e principais artigos de perió d ico s sobre histó ria da ciência e da tecno lo gia. 399 RED E Ibero am ericana de Biblio grafia e D o cum entação em Histó ria das C iências, da M ed icina e da Tecno lo gia,

  11 Criad a em 1998, visa a facilitar o intercâm bio de info rm açõ es nas áreas ind icad as, referentes aos países da A mérica Latina e península Ibérica. 400 RO THEN BERG, M arc. T h e history o f sc ien c e an d tec hn olog y in the U n it ed

  

S t at e s : a c r it ic al an d s elec tiv e b ib lio g rap hy . New York: Garland , 1982-1993. 2

v.

  

ISBN 0-8240-9278-3 (v. 1); 0-8240-8349-0 (v. 2) 11 Guia biblio gráfico que

  analisa as principais fo ntes de info rm ação sobre a histó ria da ciência e da tecno lo gia nos EUA. Inclui livros, artigos de periódicos e teses. C o bre o perí­ odo de 1940-1990. Seis partes: biblio grafias e estud o s gerais; tem as esp eci­ ais (por exemplo : evo lução e so cied ad es científicas); ciências físicas; ciênci­ as bio ló gicas; ciências so ciais; tecno lo gia e agricultura. índ ices de auto res e assunto s.

  401 ROYAL SO CIETY. C at alo g u e o f sc ien tific pap ers 1 8 0 0 - 1 9 0 0 . Cambridge: Cam brid ge University Press, 1867-1902. 19 v. 11 índ ice de auto res e assunto s dos artigos de cerca de 1 500 perió d ico s, publicad o s no período de 1800—

  1900. Reim presso em 1965 pela Jo hnso n Reprint. 402 RUSSO , Franço is. E le m e n t s d e b ib lio g r ap h ie de 1’his t o ir e des s c ie n c e s e t

  

des t e c hn iq u e s . 2e éd. Paris: H erm ann, 1969. 214 p. 11 O bra bastante co m p le­

  ta so bre histó ria da ciência e da tecno lo gia. A nalisa fo ntes primárias, m uitas delas ano tad as; nas fo ntes secund árias, deu ênfase aos artigos de periódicos. Inclui, em muitas obras, a lo calização nos acervos das biblio tecas parisienses. 403 SA RTON , Geo rge. A g u id e to the histo ry o f s c ien c e. New York: Ronald Press, 1952. 316 p. H A pesar de d esatualizad a, é uma obra clássica. Divide-se em duas partes: 1) ensaio s intro d utó rio s (p. 3-66): três ensaio s basead o s em

  74 PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA co nferências feitas pelo auto r no University Co llege (Lo nd o n) em 1948; 2) biblio grafia: a) histó ria, b) ciência, c) histó ria da ciência, d) o rganizaçõ es

  (ensino , instituto s, museus, biblio tecas, co ngresso s internacio nais, p rêm i­ o s). C o m índ ice o no m ástico . 404 o c i e d a d e r a s i l e i r a d e i s t ó r i a d a i ê n c i a End ereço : Rua G e­ S B H C . neral Bruce, 586, Rio de Janeiro , RJ 20921-030 H Fund ad a em d ezem bro de 1983, congrega pesquisadores e d em ais interessad o s na histó ria da ciência e tecno lo gia. Publica a R ev is t a da S o c ie d ad e B r as ile ir a de H is t ó r ia da C iê n c ia (v. 1 - , 1 9 8 5 - ) . 405

  • n i v e r s i d a d e s t a d u a l d e a m p i n a s e n t r o d e ó g i c a p i s

  U E C . C L , E w. htm . TEM O LO G IA E H ISTÓ RIA DA C IÊN C IA ,

  End ereço : Caixa Postal 6133, Cam p inas, 13081-970 11 Im p lantad o em

  SP

  1977, tem co m o o bjetivo principal desenvolver atividades nas áreas ind icad as, e pesquisas interd iscip linares. Organiza regularm ente enco ntro s científico s e m antém biblio teca esp ecializad a. Publica

  M an u sc rito , rev ista in t e r n ac io ­

n al de filo s o fia (v. 1 - , 19 7 7 - ) (ver item 414); C ade r n o s de his t ó r ia e filo s o fia

da c iê n c ia (v. 1 - , 1980-) e a série de livros C LE.

  406 .

  I n s t i t u t o d e F í s i c a . D e p a r t a m e n t o d e R a i o s C ó s m i c o s

e C r o n o l o g i a . G ru p o d e H i s tó r i a e T e o r i a d a C iê n c ia ,

unicam p .br/ ~g hte/ End ereço : C aixa Po stal 6059, C am p in as, SP 13081-970

  

11 G ru p o , criad o em 1991, q ue realiza p esquisas relativ as a: 1) fu n d am en to s,

m eto d o lo g ia e histó ria das ciên cias, esp ecialm ente nas áreas d e c iên cias físi­

cas e b io ló g icas; 2) histó ria d as ciên cias, m ed icina e técn ica em Po rtug al e

no Brasil. Po ssui b ase d e d ad o s b ib lio g ráfico s so bre histó ria d a c iê n c ia,

tecno lo g ia e m ed icina no Brasil e Po rtugal (ver item 397).

  Princip ais p erió d ico s 407 BRITISH jo urnal o f the history o f Science: Cam brid g e: Cam brid g e University Press, British So ciety of the History o f Science, v. 1 - , 1962- . Trim estral.

  ISSN 0007-0874 H Um dos principais perió d ico s da área. Inclui artigos o riginais e recensõ es de livros novos.

  408 C A D ERN O S de histó ria e filo so fia da ciência. Cam p inas: UN ICA M P, C entro de Ló gica, Ep istem o lo gia e Histó ria da C iência, v. 1 - , 1980- . Se­ m estral. 0101-3224 H Publica artigos e no tas o riginais, trad ução de tex­

  ISSN

  tos ligados à reflexão filo só fica, m eto d o lo gia e histó ria da ciência. Inclui resenhas e no tícias sobre evento s na área. 409 filoso fia e histó ria das ciências em revista. Porto A legre:

EPIST EM E:

  Universid ade Federal do Rio Grand e do Sul, Grup o Interd iscip linar em Filo ­ sofia e História da Ciência, v. 1 - , 1996-. Semestral. 1413-5736. .

  ISSN

  75

  FO N TES H ISTÓ RIC A S

  ufrgs.br/ episteme/ H Excelente perió d ico que inclui artigos de brasileiro s e estrangeiro s sobre variados aspecto s da histó ria da ciência. 410 G U ID E to the histo ry of science. Philadelphia: University o f Pennsyl­ vania, D ep artm ent o f History and So ciology of Science, v. 1 - , 1980- Trienal.

  

ISSN 1077-257X11 Co nhecid o tam bém co m o Isis g u id e to the history o f sc ien c e

  é um perió d ico que analisa a biblio grafia co rrente sobre d iretó rio s, biblio ­ grafia, perió d ico s e o utro s tipos de d o cum ento s relacio nad os co m a History o f Science So ciety e co m a histó ria da ciência e m ed icina. 411 H ISTÓ RIA , ciências, saúde - M anguinho s. Rio de Janeiro : Fund ação Osw aldo Cruz, v. 1 - , 1994- . Q uad rim estral.

  ISSN 0104-5970.

  br/ hscience/ 11 Perió dico ed itad o pela Casa de Osw aldo Cruz, unid ad e da Fund ação Osw aldo Cruz voltada para a d o cum entação e pesquisa em histó ­ ria das ciências e da saúde. Publica texto s inéd ito s em po rtuguês, inglês, francês e espanhol nas seguintes seçõ es: a) análise: trabalho s de pesquisa ou o p inião ; b) no ta de pesquisa: texto s curto s que tratam de pesquisa em and a­ m ento ; c) d ep o im ento : entrevistas co m pessoas cujas histó rias de vida ou realizaçõ es pro fissio nais sejam relevantes para o co nhecim ento das ciências e da saúde; d) im agens: ensaio s formados por imagens (fo to grafias, gravuras e d esenho s) aco m p anhad as de texto d escritivo ou analítico ; e) fo ntes: d o cu­ m ento s, acervos ou co leçõ es relevantes para os pesquisadores que atuam na área; f) d ebate: tem as propostos pela ed ito ria ou por co labo rad o res, d ebati­ dos por esp ecialistas; g) livros redes: resenhas e análises críticas de obras

  &

  publicad as e assunto s co ncernentes ao fluxo de info rm ação via redes de co m ­ putad o res e banco s de dados info rm atizad o s; h) teses: sumário s de teses pré-d efend id as; i) cartas: o piniõ es e sugestõ es do leito res. 412 H ISTO RY o f science: review of literature and research. Cam brid ge: Science History Publicatio ns, v. 1 - , 1962- . Trim estral.

  ISSN 0073-2753 11

  O ferece análises, revisões e avaliação de tó pico s da histó ria da ciência, m ed i­ cina e tecno lo gia. Inclui artigos, revisões da literatura e recensõ es de livros. 413

  ISIS: internatio nal review devoted to the histo ry o f science and its cultural influences. Chicag o : University of C hicag o Press, v. 1 - , 1913- .

  Trim estral.

  ISSN 0021-1753 11 Co nsid erad o um dos principais perió d ico s so­

  bre histó ria da ciência. Foi fundado, em 1913, por Geo rge Sarto n. Publica artigos sobre as diversas áreas da ciência e tecno lo gia. Inclui ensaio s, artigos de revisão, recensõ es de livros (separados por grandes tó p ico s) e o bituário s. 414 M A N USCRITO : revista internacio nal de filoso fia. Cam p inas: UNICAMP, C entro de Ló gica, Ep istem o lo gia e Histó ria da C iência, v. 1- , 1977- . Se­ m estral.

  ISSN 0100-6045 H Publica artigos o riginais nas áreas de histó ria da filo so fia, filoso fia da linguagem e filoso fia da ciência.

  76 PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA 415 e r R io d e Jan eiro : M u seu d e A stro n o m ia e C iê n c ias A fin s,

  P SPIC ILLU M .

  v. 1 - , 1987- .

  ISSN 0102-9495 11 Pu b lic a artig o s so b re v ário s asp e c to s d a h istó ria d a c iê n c ia.

  416 REV ISTA da So cied ad e Brasileira de Histó ria da C iência. Rio de Janei­ ro: v. 1- , 1985— . Sem estral.

  ISSN 0103-7188 H Publica artigos, trad uçõ es e resenhas sobre os d iferentes aspecto s da histó ria da ciência.

  417 REV U E d ’histo ire des sciences. Paris: Presses Universitaires de France, v. 1 - , 1 9 4 7 - .Trim estral.

  ISSN 0151-4105 11 D e cunho internacio nal, publica artigos, d o cum ento s histó rico s e recensõ es de livros.

  418 SC IEN C E & techno logy alm anac. Pho enix: Oryx, v. 1 - , 1999- . Anual 11 Tem por o bjetiv o mo strar os principais evento s co rrentes e info rm açõ es ta­ bulares relacio nad os co m as diversas áreas da ciência e tecno lo gia. Em cinco seçõ es: d isciplina por d isciplina; ciência, tecno lo gia e so cied ad e; pessoas e prêmio s; ciência e tecno lo gia no m undo ; histó ria da ciência e tecno lo gia.

  419 in co ntext. Cam brid ge: Cam brid ge University Press, v. 1 - ,

  SC IEN C E

  1986- . Trim estral. 0269-8897 H Publica artigos de ep istem o lo gia, so ci­

  ISSN

  o lo gia e histó ria do co nhecim ento . Interd iscip linar. Publica fascículo s tem ático s. 420 SO C IA L stud ies of science. Lo nd o n: Sage Publicatio ns, v. 1 - , 1971- . Bim estral.

  ISSN 0306-3127 H Internacio nal. A borda os asp ecto s so ciais da

  ciência e tecno lo gia. M ultid isciplinar, aceita co labo raçõ es da ciência p o líti­ ca, so cio lo gia, eco no m ia, histó ria, filo so fia, psico lo gia, antro p o lo gia so cial, d ireito e ed ucação . Inclui artigos gerais, artigos co m o bituário s, artigos de revisão da literatura e recensõ es de livros.

  421 STU D IES in history and philosophy of science. Oxford: Elsevier Science, v. 1- , 1970- . Trimestral.

  ISSN 0039-3681 U Tem por o bjetiv o integrar os estud o s de histó ria, filosofia e sociologia das ciências. Internacio nal.

  422 TEC H N O LO G Y and culture: devoted to the study o f the d evelo p m ent of techno lo gy and its relatio ns w ith so ciety and culture. Chicag o : University of Chicag o Press, So ciety for the History of Technology, v. 1 - , 1960- . Tri­ mestral.

  ISSN 0040-165X 11 A rtigos e recensõ es de livros sobre diversos asp ec­

  tos histó rico s da tecno lo gia. O fascículo publicad o em abril de cada ano inclui a bibliografia anotada C u r r e n t b i b l i o g r a p h y i n t h e h i s t o r y o f t e c h n o l o g y .

  

H istó ria d a c iê n c ia e te c n o lo g ia em o u tro s p aíse s

  423 A SIM O V , Isaac. A s i m o v ’ s c h r o n o l o g y o f s c i e n c e a n d d i s c o v e r y . New York: Harper Co llins, 1994. 790 p. 0-0627-70113-4 H D estinad o ao grande

  ISBN

  publico , mo stra a evo lução histó rica da ciência desde seus primó rd io s. Rela- FO N TES H ISTÓ RIC A S

  77 cio na os d esco brim ento s aos co ntexto s so ciais e culturais. índ ice de assun­ tos.

  424 BA RBOSA , Luiz Hild ebrand o Ho rta. H is t ó r ia da c iê n c ia. Rio de Janei­ ro:

  IBBD, 1963. 240 p. 11 D e forma sucinta, alcança desde os primórdios da

  ciência até o século

XIX. índ ice de autores e assuntos.

425 BEN N ETT, Stuart. H istory o f c o n t r o l en g in eerin g : 1 8 0 0 - 1 9 3 0 . Lo ndo n: Institute o f Electrical Engineers, 1992. 224 p.

ISBN 086-341047-2.

  426 BERLO W , Law rence H. T h e referen c e g u id e to fam o u s en g in eerin g lan d­ m arks o f t he w orld. Pho enix: Oryx Press, 1998. 250 p.

  ISBN 0-89774-966-9 II

  Provê, de forma co ncisa, dados co m foto grafias e ilustraçõ es das grandes obras da engenharia m und ial: m auso léus, grandes ed ifício s, estrad as, barra­ gens, túneis, castelo s, tem plo s, igrejas e várias outras estruturas. Inclui lista das 10 barragens mais altas, das 20 po ntes mais extensas e dos 20 prédios mais alto s. Glo ssário e biblio grafia seletiva. índ ice de assunto s. 427 BIBLIOGRA PHIES o f the histo ry o f science and technology. New York: Garland , v. 1 - , 1982- . Irregular H Excelente série de bibliografias. Publicadas: v. 1: de David H. DeVorkin

  H istory o f m o d e m as t ro n o m y an d ast ro p hy sic s,

  (1982); v. 2 e 17:

  H istory o f s c ie n c e an d tec hn o lo g y in t he U n it ed S t at es : a

c r it ic al an d sele c t iv e b ib lio g r ap hy , de M arc Ro thenberg (1982); v. 3: H ist ory

o f t he e ar t h s c ie n c e s , de Roy Porter (1983); v. 4: H istory o f m odern p hy sic s : an

in t e r n at io n al b ib lio g r ap h y , de Step hen G. Brush (1983); v. 5: H isto ry o f

c h e m ic al tec hn olog y : an an n o t at e d biblio g rap hy , de Ro bert P M ulthauf (1984);

  v. 6: H istory o f m at h e m at ic s fro m an tiqu it y to the p resen t : a s e le c t iv e b ib lio ­

  

g rap hy , de Jo seph W. D auben (1985); v. 7: H istory o f g e o p hy s ic s an d m e t e o ­

rolog y : an an n o t at e d b ib lio g r ap h y , de Step hen G. Brush e H elm ut Land sberg

  (1985); v. 8: H isto ry o f c las s ic al p hy sic s : a s e le c t e d an n o t at e d b ib lio g r ap h y , de Ro d erick W eis Ho m e e Mark J. G ittins (1984); v. 9: H istory o f m odern g e o g r a­

  

phy : an an n o t at e d b ib lio g r ap hy , de Gary S. D unbar (1985); v. 10: H isto ry o f

t he h e alt h c ar e sc ie n c e s an d h e alt h c are, 1 7 0 0 - 1 9 8 0 : a sele c t iv e an n o t at e d

b ib lio g r ap h y , de Jo nathan Erlen (1984); v. 11: M ediev al s c ien c e an d tec hn olog y :

a s e le c t iv e an n o t at e d biblio g r ap hy , de Claud ia Kren (1985); v. 12: H istory o f

m e t al m in in g an d m etallu rg y : an an n o t at e d b ib lio g r ah y , de Peter M . M olloy

  (1986); v. 13: B ro n z e ag e , G reek, an d R o m an tec hn o log y : a s e le c t , an n o t at e d

  

b ib lio g r ap h y , de Jo hn Peter O leso n (1986); v. 14: H istory o f c iv il en g in eerin g

sin c e 1 6 0 0 : an an n o t at e d bib lio g r ap hy , de Darw in H. Stap leto n e Roger L.

  Shum aker (1986); v. 15: H istory o f biolo g y : a selec t, an n o t at e d b ib lio g r ap hy , de Jud ith A. O v erm ier (1989); v. 16: H isto ry o f e n g in e e r in g s c ie n c e s : an

  

an n o t at e d b ib lio g r ap h y , de David E Channell (1989); v. 17: H istory o f sc ien c e

an d te c hn o lo g y in t he U n it ed S t at e s ; t. 2, de M arc Ro thenberg (1982); v. 18:

H istory o f e le c t r ic al tec hn olog y : an an n o t at e d b ib lio g rap hy , de Bernard S. Finn

  (1991); v. 20: H istory o f ag ric u lt u ral sc ie n c e an d tec hn o log y : an in t e r n at io n al

  78 PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

  

an n o t at e d b ib lio g r ap hy , de R. Douglas Hurt e Mary Ellen H urt (1994); v. 24:

H istory o f n at u ral history : an an n o t at e d biblio g rap hy , de Gavin Bridson (1994);

  v. 25: de Grego ry J.

  H istory o f p harm ac y : a s e le c t e d an n o t at e d b ib lio g r ap h y , Higby e Elaine C . Stro ud (1995).

  428 BRUN O , Leonard C. S c ie n c e an d te c hn o lo g y first . D etro it: G ale, 1996. 636 p.

  ISBN 0-7876-0256-6 H Cro no lo gia histó rica dos primeiro s e im p o rtan­

  tes evento s ocorridos em agricultura, astro no m ia, bio lo gia, quím ica, co m u ­ nicaçõ es, info rm ática, geo ciências, energia, m atem ática, m ed icina, física e transpo rtes. A rranjo por grandes áreas tem áticas. M inucio so índ ice (p. 539— 636).

  429 BRUSH , Step hen G. H ist ory o f m o d e m sc ien c e: a g u ide to the s e c o n d

s c ie n t ific rev olu tion , 1 8 0 0 - 1 9 5 0 . A mes: Iow a State University Press, 1988.

  544 p.

  ISBN 0-8138-0883-9 (The Iowa State University Press series in the

  histo ry o f techno lo gy and science) 11 Obra bem -d o cum entad a so bre o p erío ­ do indicado. 430 BUN CH , Bryan; HELLEM A N S, A lexander. T h e t im e t ab le o f tec hn o lo g y :

a c hron olog y o f the m os t im p or tan t p e o p le an d ev en ts in the history o f techn olog y .

New York: Sim o n & Schuster, 1993. 490 p.

  ISBN 0-671-76918-9 H Os evento s

  e personalidades m encio nad o s referem -se às áreas de arquitetura e co nstru­ ção, co m unicação e transporte, alimento s e agricultura, m ateriais e tecno logia m éd ica, ferram entas e m ecanism o s. índ ices o no m ástico e de assunto s.

  431 CH A SSO T, A ttico . A c iê n c ia at rav és dos te m p o s. São Paulo: M o d erna, 1994. 191 p.

  ISBN 85-16-01095-3 H Dividida em 12 cap ítulo s é uma obra

  para ser lida “ por pessoas que queiram fazer sua iniciação na histó ria da ciência” (p. 9). Boa intro d ução sobre histó ria da ciência, desde os primórdios no Egito até o final do século

XX. Glo ssário (p. 182-187) de term o s mais im p o rtantes.

  432 CO H EN , Bernard. New York: M acm illan, 1978-1989.

  A lbu m o f sc ien c e .

  5 v.

ISBN 0-684-19074-5

11 Ind icad a para leigos e alunos de grad uação, é uma

  obra bem -ilustrad a de histó ria da ciência. Sua função principal é m o strar a evo lução histó rica do uso de ilustraçõ es pela ciência e sobre ela. Três tipo s de ilustraçõ es estão presentes: os recursos visuais criados e usados pelos ci­ entistas em suas pesquisas, co m o mapas e diagramas; figuras que m o stram instrum ento s científico s, labo rató rio s e cientistas no am biente de trabalho ; o retrato do cientista e da ciência vistos pelos m eio s de co m unicação de massa. 433 DA M PIER, W illiam C ecil. Trad ução , no tas e co m ­ H ist ó ria da c iê n c ia. plem ento s biblio gráfico s feito s por José Reis. 2. ed. São Paulo: IBRASA, 1986. 239 p. 11 Ed ição o riginal (quarta) publicad a em 1946: A

  s ho r t e r histo ry o f

  A primeira ed ição brasileira foi publicad a co m o s c ien c e.

  P equ en a h is t ó r ia da FO N TES H ISTÓ RIC A S

  79

  

c iê n c ia. Divid e-se em 11 cap ítulo s e aborda, de forma co nd ensad a, a histó ria

  da ciência desde suas origens até meados dos anos 40. índ ice alfabético de no mes.

  M aurice. Paris: Presses Uni- 434 DAUMAS, H is t o ir e g é n é r ale des t ec hn iqu es. versitaires de France, 1962-1979. 2 v. I Obra clássica que co nto u co m a co labo ração de 20 esp ecialistas franceses. O v. 1 trata das so cied ad es prim i­ tivas até a Idade M éd ia no O cid ente (século até 1350); o v. 2 aborda os

  V século s e e a evo lução histó rica da engenharia e artes decorativas.

XV XVI

  M uitas ilustraçõ es em p reto -e-branco . índ ices de no m es e assunto s. Existe ed ição em língua inglesa em três volumes: A history o f tec hn olog y & in v en tion . New York: Crow n Publishers, 1969-1979. 435 DE CA MP, L. Sprague; DE CA MP, Catherine. A his t ó r ia da c iê n c ia n os

  

E s t ad o s U n ido s. São Paulo: C ultrix, 1969. 210 p. U Trad ução de T h e story o f

Sc ien c e in A m eric a (1967). Chega até meados dos anos 60. Divid e-se em

  quatro partes: 1) a ciência chega aos EUA; 2) as ciências físicas; 3) as ciências bio ló gicas; 4) as ciências aplicadas. N ão inclui índ ice. 436 DERRY, T.K.; W ILLIA MS, Trevor I. A shor t histo ry o f tec hn o log y : from t he e ar lie s t tim es to A.D. 1 9 0 0 . New York: Dover, 1993. 782 p.

ISBN 0-4862-

  7472-1 H O bra clássica, publicada desde 1960. Em duas partes: na primeira (cap. 1—9), trata da histó ria da tecno lo gia desde o início até 1750; na segun­ da p arte (cap. 10-25), trata da Revo lução Ind ustrial até 1900. C o ntém m a­ pas e ilustraçõ es em p reto -e-branco . Em anexo (p. 713-749), tabela da evo­ lução cro no ló gica dos evento s histó rico s. índ ice de assunto s. Trad ução em espanhol: H is t o r ia de la t ec n o lo g ia. M éxico : Siglo Veintiuno , 1978. 2 v.).

  437 DUA RTE, M arcelo . O liv ro das in v en ç õ es. São Paulo: Co m p anhia das Letras, 1998. 421 p. 85-7164-710-0 11 Em ordem alfabética, em lingua­

  ISBN

  gem simples e verbetes curto s, info rma sobre as principais invençõ es, m á­ quinas, tecno lo gias e marcas famosas. M encio na os principais inventores brasileiro s.

  

438 DUCA SSÉ, Pierre. H is t o ir e des t ec hn iqu es. 7e éd. Paris: Presses Uni-

  versitaires de France, 1968. 127 p. (Q ue sais-je, 126) 11 M anual co nciso , pu­ b licad o d esd e 1946, que ap resenta a ev o lução da tecno lo g ia d esd e os primórdios até meado s do século

XX. Não inclui índ ice. Trad ução , do origi­

  nal de 1958, em espanhol: H ist o ria de las t éc n ic as. Bueno s A ires: Eud eba, 1960. 77 p. 439 Ruy. H is t ó r ia da t é c n ic a e da t ec n o lo g ia: tex to s b ás ic o s . São

  GAMA, Paulo: Q ueiro z, Ed ito ra da Universidade de São Paulo, 1985. 268 p. T.A .

  ISBN

  85-85008-42-3 11 C o letânea de traduções de 13 texto s. Os mais antigo s, do final do século

  XVIII, foram escrito s por Jo han Bakman.

  80 PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

  M ilest o n es in s c ie n c e an d tec hn o lo g y : a

ready re fe r en c e g u ide to disc o v eries, in v en tio n s, an d fac t s . 2nd ed. Pho enix:

  ISBN 0-8018-5868-2 11 “ Este livro foi escrito co m o uma intro d ução

  para o leito r leigo e estud ante universitário, para prover um grande quad ro que uma pessoa ed ucad a precisa ter sobre a histó ria da ciência e tecno lo g ia” (p refácio ). A borda a evo lução histó rica da ciência e tecno lo gia até o final dos anos 90. Inclui excelente biblio grafia e end ereço s eletrô nico s.

  445 MOUNT,

  Ellis;

  LIST,

  Barbara A .

  Oryx, 1994. 206 p.

  ISBN 0-87196-477-5 11 Ind icad a

  ISBN

  0-897-74671-6

  H

  Primeira ed ição : 1988. Cro no lo gia histó rica de 1 250 d esco bertas e invençõ es. Em cad a verbete, info rm a o lu­ gar o nde ocorreu a invenção ou d esco berta, no ta explicativa sobre o inv ento e biblio grafia. índ ices o no m ástico , cro no ló gico , geo gráfico e de assunto s.

  446 RONA N, Co lin A. H is t ó r ia ilu st rada da c iê n c ia. Rio de Janeiro : Jorge Z ahar, 1987. 4 v.

  ISBN 85-71 10-379-9 H Trad ução da o bra ing lesa T h e

C am b r id g e illu s t r at e d history o f t he w o rld s c ie n c e (1983) p ublicad a em um

  para leigos, co m ilustrações, analisa em ordem crono lógica os principais even­ tos nas áreas de ciência e tecno lo gia. 444 M cC LELLA N , James E.; DO RN , Harold. S c ien c e an d tec hn olog y in w o rld

hist ory : an in t ro du c tio n . Baltim o re: Jo hns Hopkins University Press, 1999.

404 p.

  New York: Facts on File, 1988. 2 v.

  440 GRA N T, Edward (ed.) A so u rc e b o o k in m e d ie v al s c ien c e. Cam brid ge: Harvard University Press, 1974. 864 p.

  Breves biografias dos auto res clássico s e índ ice o no m ástico e de assunto s.

  ISBN 674-82360-5 f Trad ução para o

  inglês de 190 texto s científico s desde os enciclo p ed istas latino s do século

  III

  até os cientistas do século

  X V . Cerca de m etad e desses texto s foram aqui

  traduzidos pela primeira vez, a partir do grego e do latim . Divid e-se em duas partes: início e final da Idade M éd ia. Inclui texto s de m atem ática, física, astro no m ia, quím ica, geologia, geo grafia, o ceano grafia, biolo gia e m ed icina.

  

441 GREA T events from history: science and techno lo gy series. Englew o o d

C liffs: Salem Press, 1991. 5 v.

  H istory o f s c ie n c e an d tec hn o lo g y : a n arrat iv e c hron olog y .

  ISBN 0-89356-637-3 H A rranjo cro no ló gico .

  Inclui uma síntese histórica dos 457 principais eventos de ciência e tecno logia. 442 HELLEM A N S, A lexander; BUN CH , Bryan. T h e t im e t ab le o f s c ie n c e : a

c hro n o lo g y o f t he m os t im p o rt an t p e o p le an d ev en ts in the histo ry o f sc ien c e .

  New York: Sim o n & Schuster, 1993. 490 p.

  ISBN 0-671-76918-9 11 Publicada

  d esd e 1988. Em forma de cro no lo gia, divide-se em nove perío d o s, co m a histó ria de cerca de 10 000 evento s científico s im p o rtantes. Em cad a p erío ­ do d escreve os co ntexto s geo gráfico , cultural e p o lítico nos quais os evento s o correram.

  443 M A CO RIN I, Edgardo.

  volume de 543 páginas. N esta tradução , o o riginal foi dividido em quatro FO N TES H ISTÓ RIC A S

  81 da Renascença à Revo lução C ientífica; v. 4: a ciência nos século s

ISBN 0-88275-

  

( S c ien c e sin c e B aby lon . New Haven: Yale University Press, 1961. 149 p.) Existe

uma segunda ed ição aum entad a (New Haven: Yale University Press, 1975.

  São Paulo: D ifusão

  René (ed.) H ist ó ria g e r al das c iê n c ias .

  O N ,

  452 T a t

  9) H “ To m and o a ciência co m o entid ad e mensurável, tentarei desenvolver um cálculo da m ão -d e-o bra da literatura, do talento e dos gastos referentes a ela em escala nacio nal ou internacio nal” (prefácio o riginal). Esta trad ução inclui um prefácio esp ecial para a ed ição brasileira, m o strand o a po sição do Brasil no cenário internacio nal, por m eio da co ntagem biblio m étrica dos trabalho s científico s e técnico s, dos auto res, revistas e citaçõ es.

  , b i g S c i e n c e a n d b e y o n d . New York: Co lum bia University Press, 1986. 301 p.

  O d e s e n v o l v i m e n t o d a c i ê n c i a . Rio de Janeiro : Livros Técnico s e C ientífico s, 1976. 77 p. Trad ução brasileira do o riginal L i t t l e S c i e n c e , b i g S c i e n c e (New York: Co lum bia University Press, 1963. 119 p .). Existe uma segunda ed ição revista, publicad a em 1986 ( L i t t l e S c i e n c e

  451 .

  215 p.) H Tem por o bjetiv o atrair a atenção do leito r para os asp ecto s hum anístico s da ciência. Traça a evo lução histó rica desde os babilô nio s até o futuro pró ximo , exam inand o tanto s campo s de ap licação quanto possível, a fim de que os hum anistas d escubram as interfaces da ciência co m as d isci­ plinas a que se d ed icam.

  Itatiaia, 1976. 189 p. Trad ução brasileira da primeira ed ição am ericana

  XIX e XX.

  de 1991, em Aguas de Lind ó ia, SR A borda o período que “se inicia co m a Revo lução Francesa e estend e-se até a Primeira Grand e G uerra” (p refácio ). 450 SOLLA PRIC E, Derek de. A c iê n c ia des de a B ab ilô n ia. Belo Ho rizo nte:

  VII Co ló quio de História da C iência, o co rrid o em o utubro

  apresentad o s no

  ISSN 0103-3147 U Inclui os 25 trabalho s

  449 SÉCULO XIX: o nascim ento da ciência co ntem p o rânea. Ed itad o por Fátim a R.R. Évora. Cam p inas: UNICA MP, C entro de Ló gica, Ep istem o lo gia e Histó ria da C iência, 1992. 439 p.

  172-7. (C arn eg ie In stitu tio n o f W ash in g to n , p u b licatio n n. 376) ! Reim pressão de obra clássica de histó ria da ciência. Versão co nd ensad a em dois volumes: H istory o f Sc ien c e. N o rto n, 1970. A rranjo por grandes períodos histó rico s.

  arranjo alfabético por países, descreve a situação da ciência e tecno lo gia em nível nacio nal. Ed itad a desde 1983. 448 SA RTON , Geo rge. In tr o du c tío n to the histo ry o f Sc ien c e. H untingto n: Krieger, 1975. ( C o p y rig ht original de 1927-1948). 3 v. em 5.

  ISBN 0-810-39704-8 H Co m

  

447 RO PER, Christo p her; SlLVA , Jorge (ed.) S c ien c e an d te c hn o log y in L at in

A m eric a. 3 rd ed. Lo nd o n: Lo ngm an, 1995. 363 p.

  índ ice o no m ástico e de assunto s no final de cada volume. Ilustraçõ es em p reto -e-branco . D estina-se ao público em geral.

ISBN 0-231-04957-

  82 PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA Euro péia do Livro, 1959-1980. 7 v. 11 Trad ução do original H is t o ir e g é n é r ale

  

des sc ien c e s. 1957-1964. 3 v. em 4. O obra clássica, elabo rada por uma eq ui­

  pe de esp ecialistas sob a direção de René Tato n. Cad a to m o aborda um perí­ odo histó rico que inclui cap ítulo s escrito s por esp ecialistas. Inclui figuras, foto grafias em preto -e-branco e, no final de cada cap ítulo , biblio grafia reco ­ mend ad a. No final do volume 7, índ ices de assunto s e o no m ástico .

  453 TURN ER, Gerard L. S c íe n t ific In stru m en ts 1 5 0 0 - 1 9 0 0 : an ín trodu c t io n .

  Berkeley: University o f Califó rnia Press, 1988. 144 p.

  ISBN 0-520-21728-4 11

  Interessante abordagem da evolução dos instrum ento s científico s desde o século

  XVI até o século

  XIX. Ênfase em instrum ento s desenvolvidos na A le­

  m anha, França e Reino Unido. Os verbetes co ntêm d escriçõ es d etalhad as de cada instrum ento . Inclui ilustraçõ es, algumas delas co lo ridas.

  USH ER, A bbo tt Payson. C am ­ 454 U m a his t ó r ia das in v en ç õ es m e c ân ic as .

  pinas: Papirus, 1994. 560 p. 11 Obra clássica publicad a o riginalm ente em in­ glês: A New York: Dover, p.

  ISBN

history o f m e c h an ic al in v en t ion s. 1988. 450

  

04 -8 6 2 - 5 593X. A nalisa a im p o rtância da inovação tecno ló gica em relação

aos aspecto s culturais e eco nô m ico s do m und o o cid ental.

  H istó ria da ciência e tecno lo g ia no Brasil

  

455 A LFO N SO -GO LDFA RB, Ana M aria; M a i a , Carlo s A. H is t ó r ia da c iê n ­

c ia: o m ap a do c o n he c im e n t o . Rio de Janeiro : Expressão e C ultura; São Paulo:

  Ed ito ra USP, 1996. 968 p. (Série A mérica 500 ano s, v. 2). ISBN 85-208-196-X

  11 Im p o rtante obra sobre a histó ria da ciência na A mérica Latina, co m ênfase no co ntexto brasileiro. 456 A Z EV ED O , Fernand o de (ed.) As 2. ed. Rio de Ja­ c iê n c ias n o B rasil. neiro : Ed ito ra UFRJ, 1994. 2. v.

  ISBN 85-7108-067-4 (co leção ) H O bra clássica cuja primeira ed ição foi publicada em 1955 (São Paulo: M elho ram ento s).

  Inclui cap ítulo s, escrito s por renomados esp ecialistas, sobre a evo lução his­ tó rica das diversas áreas das ciências no Brasil. Vale d estacar a síntese histó ­ rica feita por Fernand o de A zevedo no v. 1 (p. 7-40).

  Fernando . C o n fr o n t o s e c o n t r as t e s r e g io n ais da c iê n c ia e

  457 BA RROS,

te c n o lo g ia n o B rasil. Brasília: Paralelo 15, Ed ito ra Universid ade de Brasília,

  p. Trata das desigualdades regionais do d e­

  1999. 137

  ISBN 85-86315-25-7 11

  senvo lvim ento científico e tecno ló gico brasileiro . A borda o co nceito de re­ gião e da pro blem ática regional, o papel do Estad o e do p lanejam ento , esp e­ cialm ente as formas de intervenção no to cante à questão regional. D ep o is,

  “apresenta um quadro geral, a partir da sistem atização de dados secund ári­ os, das diferenças regionais da nossa base científico -técnica, apo ntand o , mais uma vez, a sua excessiva co ncentração no Sud este e Sul do Brasil. [...] Final­ m ente, mostra o encam inham ento dado à questão pela França e União Eu- FO N TES H ISTÓ RIC A S

  83 ro péia, co m o tam bém as tend ências e as perspectivas atuais da p o lítica cien­ tífica e tecno ló g ica brasileira, em nível regio nal” (apresentação , p. 9—10). 458 CA VA LCA NTI, A ntô nio M ano el de Siqueira. 10 0 an o s de de sen v o lv i­

  Rio de Janeiro : Universid ade Federal do Rio m en t o da e n g e n h aria n o B rasil. de Janeiro , CO PPE, 1980. 57 p. 11 Síntese histó rica, de 1880 a 1980. C o m enta tam bém a histó ria do C lube de Engenharia do Rio de Janeiro . Sem biblio ­ grafia. Sem índ ice.

  459 CIEN TISTA S do Brasil: d ep o im ento s. Ed itad o por Vera M aria de Car­ valho e Vera Rita da C o sta. São Paulo: So cied ad e Brasileira para o Progresso da C iência, 1998. 852 p. 11 A presentação de Ennio C and o tti. C o m breve histó ria (p. x-xii) da So cied ad e Brasileira para o Progresso da C iência, Sérgio Ferreira. Traz perfis bio gráfico s dos principais cientistas e pesquisad o res bra­ sileiro s, co ntem p o râneo s ou de passado recente. M uitas das biografias fo ­ ram anterio rm ente publicad as na seção ‘Perfis’ da C iê n c ia h o je . No final do vo lum e, fo to s relacio nad as co m a histó ria da So cied ad e. Sem índ ice.

  460 CO LA PSO da ciência & tecno lo gia no Brasil. Ed itad o por A na M aria Fernand es e Fernand a A nto nia Fo nseca So bral. Rio de Janeiro : Relum e D u- mará, 1994. 150 p.

  ISBN 85-85427-59-0 H C inco ensaio s: E v o lu ç ão ou c o lap s o

da c iê n c ia e te c n o lo g ia n o B rasil, de Ivan Ro cha; S is t e m as e at o r e s da c iê n c ia

e t e c n o lo g ia n o B r as il, de Brasilmar Ferreira N unes; L im it e s e p o t e n c ialid ad e s

da b as e t é c n ic o - c ie n t ífic a, de Fernand a A. da Fo nseca So bral e M ichelangelo

C N P q ,

  G .S. Trigueiro ; E s p le n d o r e m is ér ia do s p ro g ram as in s t it u c io n ais do de Benício Viero Schm id t e Ronald o Co nd e Aguiar. Sem índ ice. 461 C O N TRIBUIđỏ ES para a histó ria da engenharia no Brasil. Organizado por M ilto n Vargas. São Paulo: Universid ade de São Paulo, Esco la Po litécni­ ca, 1994. 445 p. 11 São 14 cap ítulo s, escrito s por professores da Esco la Poli­ técnica da Universid ade de São Paulo. Foi incluíd o um cap ítulo de auto ria de M ilto n Vargas sobre os cem anos da Esco la Po litécnica. Sem índ ice. 462 C O UTIN H O , Luciano (co o rd .) Estud o s da co m p etitiv id ad e da ind ús­ tria brasileira (EC IB). H A série de estud o s, elabo rad o s em 1993, disponível na Internet, é formada por 85 d o cum ento s, divididos em quatro grupos: análise da ind ústria, análise dos fato res sistêm ico s, no tas técnicas e relatório final. 463 FERN A N DES, A na Maria. A SB P C .

  c o n st ru ç ão da c iê n c ia n o B r as il e a Brasília: CN Pq, Ed ito ra UnB, 1990. 292 p.

  ISBN 85-230-0291-X 11 Trad ução de

  tese de d o uto rad o d efend id a, em 1987, na O xfo rd University: T h e s c ie n t ific

  

c o m m u n it y an d the st at e in B raz il: the role o f the B r az ilian S o c iety fo r the

  A nalisa as relações da SBPC co m o Esta­ A dv an c e m e n t o f S c ien c e, 1 9 4 8 - 1 9 8 0 . do e a so cied ad e civil, co m particular referência ao regime m ilitar de 1964.

  Inclui lista dos m em bro s das d iretorias da SBPC até 1985. índ ice o no m ástico .

  84

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

  464 FERREIRA , Moacyr Co sta. O estu do das c iê n c ias n o B ras il: resu m o h is t ó ­

  

ric o do desen v o lv im en to c ie n t ífic o n o B r as il e su a lig aç ão c o m a t e c n o lo g ia e a

  São Paulo: EDICON , 1989. 372 p. H A borda em quinze cap ítulo s, as áreas ar t e . de m ed icina (cap. 4 - 5 ) , engenharia (cap. 6 - 7 ), bio lo gia (cap. 8 - 9 ) , ciências geo ló gicas (cap. 10), quím ica (cap. 11), ciências agrícolas (cap. 12), ind ús­ tria e tecno lo gia (cap. 13-14) e artes (cap. 15). Inclui índ ice.

  465 e r r i M ário Guim arães; MOTOYA MA , Sho zo . H is t ó r ia das c iê n c ias

  F ,

n o B rasil. São Paulo: EPU, Ed ito ra da Universid ade de São Paulo, 1979-1981.

  3 v. 11 A nálise feita por esp ecialistas de 35 ramos científico s. “ Cad a trabalho é uma entid ad e ind ep end ente, co m características próprias, as quais refle­ tem as características pessoais de seu au to r” (prefácio , v. 1, p. xi). índ ice o no m ástico no final de cada volume.

  466 u n d a ç ã o e t ú l i o a r g a s e n t r o d e e s q u i s a e o c u m e n

  F G V . C P D ­

t a ç ã o d e i s t ó r i a o n t e m p o r â n e a d o r a s i l c p d o c H is t ó r ia da c i­

H C B ( ).

  Rio de Janeiro : FIN EP, 1984. 208 H ê n c ia n o B rasil: ac erv o de de p o im e n t o s .

  p.

  Resum o de entrevistas feitas co m 69 cientistas brasileiro s de diversas áreas. 467 HA M BURGER, A mélia Im p ério ; D A N TES, M aria A mélia M .; PA TTY,

  M ichel; PETITJEA N , Patrick (ed.) A c iê n c ia n as r elaç õ es B r as il- F r an ç a ( 1 8 5 0 -

  1 9 5 0 ) . São Paulo: Ed ito ra da Universid ade de São Paulo, 1996. 359

  ISBN p.

  85-314-0351-0

11 C o m 16 cap ítulo s, escrito s por esp ecialistas brasileiro s e

  franceses, trata dos cem anos de co labo ração entre os dois países em diversas áreas da ciência. Sem índ ice. s é c u l o . Porto A legre: To m o Ed ito rial, 1996. 192 p. U H istó ria, desde a criação 468 HA SSEN , M aria de N azareth Agra. E s c o l a d e E n g e n h a ri a / U F R G S : u m da esco la, em 1896, até meados dos anos 90. Inclui d ezenas de fo to grafias e lista dos graduados, em ordem cro no ló gica, de 1899 até 1995, bem co m o dos mestres e d o uto res, de 1972 a 1996. Sem índ ice. 469 I n s t i t u t o d e P e s q u is a s T e c n o l ó g i c a s .

  ip t : 100 an o s d e tec n o lo g ia.

  São Paulo: IPT, 1999. 191 p.

ISBN 85-09-00-X

  11 Co m d ezenas de fo to s e figu­

  ras co loridas. “A primeira parte trata das origens do Instituto co m o G abinete de Resistência dos M ateriais da Esco la Po litécnica até sua transfo rm ação em Labo rató rio de Ensaio s de M ateriais. [...] A segunda parte ap resenta a histó ria e as principais realizaçõ es do

  IPT desde a décad a de 30 até os dias de

  ho je. [...] Na terceira parte enco ntra-se um relato da co ntribuição do

  IPT à engenharia e à ind ústria, em 13 áreas” (apresentação , p. 5-6). Sem índ ice.

  470 LO PES, José Leite. C iê n c ia e lib er d ad e : e s c rit o s so br e c iê n c ia e e d u c a­

  

ç ão n o B rasil. Rio d e Janeiro : Ed ito ra UFRJ, C entro Brasileiro de Pesquisas

Físicas, 1998.284 p.

  ISBN 85-7108-212-X H Reunião de 21 trabalho s, de gran­

  de valor histó rico , publicad o s em d iferentes ép o cas, sobre a universidade e o papel da ciência no Brasil. Sem índ ice. FO N TES H ISTÓ RIC A S

  85 471 M EIS, Leo po ld o de; LETA, Jacqueline. O p e r fil da c iê n c ia br as ile ir a. Rio d e Janeiro: Ed itora UFRJ, 1996.103 p.

  ISBN 85-7108-189-1 11 Estud o quan-

  titativ o do p o nto de vista da presença de pesquisadores brasileiro s na litera­ tura ind exad a no S c ie n c e c it at io n in dex . Foram analisado s o crescim ento da pro d ução científica, sua d istribuição no país, seu im p acto , a co labo ração internacio nal, os perió d ico s onde os brasileiro s publicam e o núm ero de ci­ entistas. C o ncluem , após análise ciento m étrica, que a qualid ad e dos traba­ lho s nacio nais é sem elhante à méd ia internacio nal.

  Regina Lúcia de Moraes.

  

472 M OREL, C iê n c ia e E stado , p o lít ic a c ie n t ífic a

  São Paulo: Q ueiro z, p. “ C iência e cientistas d ei­

  n o B rasil. T.A . 1979. 162 H

  xam de ser vistos co m o entid ad es isoladas, autô no m as, ind ep end entes da so cied ad e, para serem cada vez mais encarado s co m o instituiçõ es integran­ tes dos mo d erno s sistem as so cietário s. [...] A auto ra do presente estud o [...] procura desvendar a co nstituição da ciência no Brasil e a cristalização de uma po lítica científica do Estad o , nas últim as d écad as” (prefácio de Bárbara Freitag, p. xv e xxii). Em cinco cap ítulo s. No primeiro, trata do m arco teó ri­ co ; no segundo, da p o lítica científica; no terceiro , da ciência subdesenvo lvi­ da; no quarto , de um estud o de caso: a po lítica nuclear; no quinto , as co nclu­ sões. índ ice o no m ástico .

  473 M O TO YA M A , Sho z o ; H A M BURG ER, A m élia Im p ério ; N A GA M IN I, M arild a. FAPESP: São Paulo: u m a h is t ó r ia de p o lít ic a c ie n t ífic a e t e c n o ló g ic a.

  

FA PESP, 1999. 2 v. H Em bo ra centrad a na Fund ação de A mparo à Pesquisa do

  Estad o de São Paulo, analisa a evo lução histó rica da ciência e tecno lo gia no Brasil. Partindo do asp ecto m und ial, p o lítico e científico , focaliza a histó ria da FAPESP nos pano ramas nacio nal e estad ual, bem co m o os papéis d esem ­ penhado s nessa evo lução pelas universidades e centro s de pesquisa. No se­ gundo vo lume, d o cum ento s im p o rtantes para a histó ria da instituição .

  474 (org-) T ec n olog ia e in d u s t r ializ aç ão n o B ras il: u m a p e r sp ec t iv a

his t ó r ic a. São Paulo: Ed ito ra da Universidade Estad ual Paulista, 1994. 450 p.

  

ISBN 85-7139-073-8 11 Estud o histó rico , abo rdando áreas ind ustriais no p erí­

  o d o co m p reend id o entre 1880 e 1980. Divide-se em três partes: 1) ind ústria da co nstrução civil; 2) ind ústrias no Brasil, siderurgia, energia elétrica, quí­ m ica e as novas tecno lo gias; 3) ind ústrias em São Paulo, m etal-m ecânica, bio tecno lo gia e info rm ática. Sem índ ice. Biblio grafia no final dos cap ítulo s.

  475 i ê n c i a s f i n s

  M U SEU D E A STR O N O M IA E C A . A rqu iv o do C o n s e lh o de

F is c aliz aç ão das E x p e diç õ e s A rtístic as e C ie n t ífic as n o B r as il: in v en tário an a­

lít ic o . Rio de Janeiro : MA ST, 1988. 285 p. 11 Inventário de cerca de 11 000

  d o cum ento s, do período 1933-1968, sobre insp eçõ es e co ntro le de exped i­ çõ es artísticas e científicas. Arrola d o cum ento s o ficiais e relatório s das exp e­ d içõ es. Inclui índ ices de assunto s, d estino da exped ição , d estino da exp o rta­ ção , d o cum entação ad m inistrativa, o no m ástico e o rigem do exped icio nário .

  86 PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

  NA GA MINI, Marilda. A c o n t r ib u iç ão da E s c o la P o lit é c n ic a da U SP n a 476

t e c n o lo g ia e in d u s t r ializ aç ão do B rasil. São Paulo: Universid ade de São Pau­

  lo, Faculd ad e de Filo so fia, Letras e C iências Hum anas, 1994. 473 p. (D isser­ tação de mestrad o ) K D iscute as formas de co ntribuição , no períod o de 1880 até 1990, da Esco la Po litécnica ao processo de ind ustrialização , por m eio da q u alificação de recurso s hum ano s e do d esenv o lv im ento de p esquisa tecno ló g ica. Em anexo, resumo dos anuários da esco la, de 1900 a 1947. 477 Erno I. E s b o ç o h is t ó r ic o da A c ad e m ia B r as ile ir a de C iê n c i­

PA ULIN YI,

  

as . Brasília: 1981. 40 p. (Co leção : Estud o s de p o lítica científica e

C N Pq ,

  tecno ló g ica, v. 1)

  

478 P o n t i f í c i a U n i v e r s i d a d e C a t ó l i c a d e S ã o P a u l o . Pro g ram a d e

Estu d o s P ó s-G rad u ad o s e m H istó ria d a C iê n c ia . En d e re ç o : Ru a M arq u ê s d e

Paran ag u á, 111, São Pau lo , SP 01303-050 H Pro g ram a c riad o e m 2000, q u e

v isa à fo rm aç ão d e p esq u isad o res e d o c e n te s e m h istó ria d a c iê n c ia.

  479 S C H W A R T Z M A N , Sim o n (co o rd .) Estad o atual e papel futuro da ci­ ência e tecno lo gia no Brasil. U Texto s de 42 relatório s sobre as diversas áreas de ciência e tecno lo gia.

  480 ; PaIM, A ntônio . F o r m aç ão da c o m u n idade c ie n t ífic a n o B rasil.

  FI N E P ,

  São Paulo: Ed ito ra N acio nal; Rio de Janeiro : 1979. 481 p. H Estud o basead o , em grande parte, em entrevistas feitas co m pesquisad o res (lista co m no tas bio gráficas nas p. 449-462). Inclui cro no lo gia da ciência brasilei­ ra, de 1500 até 1945. índ ice o no mástico . Ed ição em inglês: A s p ac e fo r s c ie n c e :

  

the de v elo p m en t o f the s c ie n t ific c om m u n ity in B raz il. University Park: Pennsyl­

vania State University Press, 1991. 286 p.

IS BN 02-71-00740-0).

  481 ; CA STRO , Maria Helena de Magalhães. Science and technology.

  In: BRA Z IL: a co untry study. 5th ed. W ashing to n, D C : Library o f Co ngress, Federal Research Division, 1998. Chap. 6, p. 413-462. (Area hand bo ok series.

ISSN 1057-5294).

  ISBN 0-8444-0854-9 11 Breve estud o histó rico , co m ênfase no período de 1968 a 1997.

  N acio nal de História da C iência e Tecno lo gia. Evento pro­

  482 SEMINÁRIO

  movido pela So cied ad e Brasileira de Histó ria da C iência. Foram p ublicad o s anais dos seguintes sem inários: Belo H o rizo nte (Belo H o rizo nte:

  

4.": 1995,

  São Paulo, Nova Stella, s.d. p .); Rio de Janeiro (Rio

  FAPEMIG; 333 6.°: 1997,

  de Janeiro : So cied ad e Brasileira de Histó ria da C iência, p .). Inclu ­

  1997. 546 em trabalho s sobre a histó ria da ciência e tecno lo gia no Brasil.

  S T EPA N ,

  483 Nancy. G ê n e s e e ev o lu ç ão d a c iê n c ia b r as ile ir a. Rio de Janei­ ro: A rtenova, Fund ação Osw aldo Cruz, 1976. 188 p. H Trad ução de B eg in n in g s Descreve d etalhad am ente a criação , em 1900, e o d e­ o f B r az ilian s c ien c e. senvo lvim ento do Instituto Osw aldo Cruz, do Rio de Janeiro , bem co m o o FO N TES H ISTÓ RIC A S

  87 início da pesquisa em saúde pública no Brasil. A borda as im p licaçõ es p o líti­ cas das açõ es do instituto e as questõ es p o líticas da ciência no Brasil. 484

  e a co leção da revista C i ê n c i a e c u lt u r a , da

  III, m o stram o s os aspecto s julgados mais

  co nsid erad o significativo para co m p reend er o trânsito , p rincip alm ente da engenharia civil brasileira, para a tecno lo gia, no período da Rep ública Velha até o Estad o Novo [...] Na parte

  II, d estaca-se o que foi

  d e-se em três partes: 1) da técnica à engenharia na Co lô nia e no Im p ério ; 2) a engenharia na República Velha até o pós-guerra; 3) a tecno lo gia no perío ­ do apó s-guerra. C ad a cap ítulo foi redigid o por esp ecialistas do C entro Interunid ad es de Histó ria da C iência e da Tecno lo gia da Universid ade de São Paulo. Na parte I, o o bjetiv o dos o ito cap ítulo s foi "exp licar o trânsito das técnicas medievais e renascentistas, em co njunto co m as técnicas ind í­ genas e africanas, prevalentes na Co lô nia, para a engenharia em mo ld es m o ­ d erno s, aqui instituíd a d urante o Império. Na parte

  ISBN 85-7139-072-XH Divi­

  São Paulo: Ed ito ra da Universidade Estad ual Paulista, C entro Estad ual de Ed ucação Tecno ló gica Paula So uza, 1994. 412 p.

  487 V A RGA S, M ilto n (org.) H is t ó r ia d a t é c n ic a e d a t e c n o lo g ia n o B r a s il.

  II Plano Básico de D esenvo lvim ento C ientífico e Tecno ló g ico ” (apresentação , p. 7).

  de D esenv o lv im ento e o

  II Plano N acio nal

  e

  I

  para o segundo período, os auto res co nsid eraram , além da citad a revista, tam bém o

  SBPC ;

  C N Pq

  T EL ES, Pedro Carlo s da Silva. H is t ó r ia d a e n g e n h a r ia n o B r a s il. 2. ed.

  1981. 97 p. 11A obra “ tem por o bjetiv o co nfro ntar o discurso o ficial e o discurso da co m unid ad e científica em dois períodos recentes da histó ria brasileira — o primeiro, situ­ ado entre 1949 e 1955, e o segundo, entre 1973 e 1976. Para o primeiro , os auto res to m aram co m o fo ntes de dados os relatório s anuais do

  n o B r a s il: h i s t ó r i a e i d e o lo g ia 1 9 4 9 - 1 9 7 6 . Brasília: C N Pq ,

  Luiz W erneck da. C i ê n c i a e t e c n o lo g ia

  SlLVA ,

  V icto r V incent;

  V A LLA ,

  11 H istó ria d a esc o la, d esd e 1892 até o in íc io d a d é c a­ d a d e 1990. Ilu straç õ e s e b ib lio g rafia. Se m ín d ic e . 486

  

n i c a : c e m a n o s d e t e c n o lo g ia b r a s i l e i r a . São Pau lo : G rifo P ro je to s H istó ric o s e

Ed ito riais, 1994. 175 p.

  485 U n i v e r s i d a d e d e SAo P a u l o . E s c o l a P o l i t é c n i c a . E s c o la P o lit é c -

  Em cada vo lum e, índ ice o no m ástico . Figuras, desenhos e foto s em preto -e-branco . Em alguns cap í­ tulo s enco ntram -se, no final, no tas biográficas (‘alguns no m es ilustres’ ). Re­ ferências biblio gráficas no final dos cap ítulo s. O bra im p o rtante. “Não é livro técnico , so m ente acessível a engenheiro s; é um livro de cultura geral, abran­ gend o um asp ecto po uco co nhecid o da nossa histó ria” (prefácio , v. 2).

  Esta ed ição aborda no v. 2 o século XX.

  ao XIX.

  XVI

  Rio de Janeiro : Clavero, 1994. 2 v. 11 A primeira ed ição , de 1984 (Rio de Ja­ neiro : Livros Técnico s e C ientífico s), co bria, num único vo lume, do século

  significativo s da lenta e d ifícil abso rção de tecno lo gias avançadas a partir da

  88 PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA 488 V lG O R e ino v ação na p esquisa brasileira: resultad o s de p ro jeto s tem ático s em São Paulo. Ed itad o por Francisco Ro m eu Land i. São Paulo: FA PESP, 1998. 171 p.

  ISBN 85-86956-01-5 II “ O livro o ferece ao leito r uma

  amo stra significativa do que ho je se está pesquisand o em São Paulo, em que cam po s e co m que resultados, por m eio de reportagens sobre duas d ezenas dos chamad o s pro jeto s tem ático s de pesquisa, financiad o s pela FA PESP” (pre­ fácio ) . A brange bo tânica, agro no mia, saúde, bio lo gia, m ed icina, ciências hu­ m anas, m eteo ro lo gia, ciências da terra, m eio am biente, física e quím ica. Não inclui índ ices. 489 VlTA L r a Osw aldo.

  B Z IL , C o n t r ib u iç ão p ar a a h is t ó r ia da c iê n c ia n o

  Cam p anha: Casa de Vital Brazil, 1989. 132 p. K C o letânea dos p rinci­ B rasil. pais artigo s do autor, esp ecialm ente os relacio nad o s co m a so ro terap ia antio fíd ica e a histó ria do Instituto Butantan.

  LIV RO S Livro é o d o cum ento formado pela reunião de folhas ou cad erno s, geral­ m ente impresso s, co nstituind o uma unid ad e biblio gráfica, co m mais de 48 páginas. Na área científica ou tecno ló g ica, no rm alm ente serve para o ferecer ao leito r um co njunto de co nhecim ento s co nso lid ad os sobre uma esp eciali­ dade ou um estud o aprofundado de um tem a restrito.

  Info rm açõ es sobre livros e tratados técnico -científico s podem ser o b ti­ l e i r a , item 492), bibliografias co rrentes sobre livros ( B o o k s i n p r i n t , item 494, das, por exemplo , em bibliografias nacio nais (no Brasil, a B i b l i o g r a f i a b r a s i ­ por exem p lo ), bibliografias e índ ices esp ecializad o s, catálo go s em linha de acesso público (da Library o f Co ngress, item 505, e Biblio teca N acio nal do Rio de Janeiro , item 260) e tam bém , na Internet, nos sítio s de livrarias ele­ trô nicas. O bserve-se que, em ciência e tecno lo gia, os livros e tratad o s po­ d em to rnar-se rapid am ente o bso leto s. A ssim, no caso de obra traduzida para C o p y ri g h t da obra original para evitar a aquisição ou a co nsulta a uma fo nte o português, é necessário verificar, no verso da página de rosto, a d ata do d esatualizada.

  Livros novos 490 A MERICA N reference books annual. Littleto n: Libraries Unlim ited , v. 1—, 1970- . A nual.

ISSN 0065-9959

11 C o m ênfase em título s na língua ingle­

  sa publicad o s e/ ou d istribuídos nos EUA e Canad á. Inclui recensõ es críticas de obras de referência sobre todos os assunto s. A rranjo por assunto s e tipo de obra de referência. Inclui índ ices de auto res, título s e assunto s. 491 bo o k guide. Lo nd o n: A slib, 1992- . M ensal. 0001-2521

  ASLIB

  ISSN

  11 No período de 1935-1991 foi publicad o sob o título A s lib b o o k list. Co m

  ênfase em título s em inglês, incluí co m entário s crítico s sobre novos livros LIVRO S

  89 técnico s e científico s publicad o s. A rranjo pela Classificação D ecim al Uni­ versal. índ ice de assunto s. 492 BIBLIOGRA FIA brasileira. Rio de Janeiro : Biblio teca N acio nal, v. 1 - , 1983- . Irregular.

  ISSN 0102-3144 H Ind exa as obras brasileiras depositadas

  na Biblio teca N acio nal. A rranjo pela Classificação D ecim al de Dewey. Para o período anterio r a 1983, co nsultar: B o le t im b ib lio g r áfic o da B ib lio t e c a N a­ (1951-1967 e 1973-1982 (1968-1972).

  c io n al ) , B ib lio g r afia br as ile ir a m en sal

  E tam bém possível acessar o catálo go em linha da Biblio teca N acio nal em para o bter info rm açõ es so­ bre livros incorporados ao acervo após 1982.

  

493 BO OK review ind ex. D etro it: G ale, v. 1 - , 1 9 6 5 - . Três número s por

ano, co m acum ulação anual.

  ISSN 0524-0581 11 Co brind o todas as áreas,

  indexa recensõ es sobre livros, obras de referência, livros sonoros (em fita m ag nética) e na forma eletrô nica, publicadas em mais de 600 título s de periódicos. 494 BOOKS ill print. New York: Bowker, 1947- . A nual, em 10 v.

  ISSN 0068-

  0214. Tam bém em base de dados, ced erro m ( B o o ks in p rin t on disc ) e em linha (Dialo g, OCLC e Ovid ). URL: booksinprint.com/ bip/ 11 Excelente fo nte para a lo calização de livros publicados e/ ou distribuíd os nos EUA. Inclui da­ dos biblio gráfico s e preço. Em cada ano são publicad o s dez volumes: v. 1-5 (auto res), v. 6 - 8 (título s), v. 9 (obras esgo tadas) e v. 10 (ed ito ras e d istribui­ d o ras). Tam bém são publicados título s co m p lem entares: S u b je c t g u ide to

  

b o o ks in p rin t (1957- ), F or thc om in g b o o ks , p ap e r b o u n d b o o ks in p rin t an d

s c ie n t ific an d t e c h n ic al b o o ks an d s erials in prin t. O acesso pela Internet per­

  m ite busca por palavra-chave, autor, título , núm ero do

  ISBN e assunto . Os título s selecio nad o s podem ser adquiridos em linha.

  495 CA TÁ LOGO brasileiro de publicaçõ es. São Paulo: N o bel, 1980- . Se­ m anal. Em ced erro m e Internet. H Serviço iniciad o em 1980, que relacio na os livros ed itad o s por ed ito ras co m erciais. A atualização é feita, via Internet, por m eio da transferência de arquivos para o usuário. As co nsultas podem ser feitas por título , autor, assunto , preço, ed ito ra,

  ISBN, co leção ou série, e status (novidade, esgotado, no prelo ou no catálo go ).

496 CD-ROMS in print: an internatio nal guide to CD-ROM, CD-I, 3DO,

  m ultim ed ia laser-disc and electro nic pro d ucts. D etro it: G ale,

  MMCD, C D 32,

  . A nual. H Internacio nal, arrola ced erro ns, m ultim íd ia,

  1 9 8 7 -

ISSN 0891-8198

  d isco s a laser e livros eletrô nico s. A ed ição de incluiu

  2000 (1 4 .a) 13 000

  título s. Co bre as áreas de co m ércio e ind ústria, ciência e tecno lo gia, jogos e diversões culturais, histó ria e ed ucação . Cad a verbete info rma o título , tipo da m íd ia, data de co bertura da info rm ação , língua prepo nd erante, título an­ terior, esp ecificação do equip am ento e programas necessário s, preço, fre­

  90 PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA qüência de publieaçao , produtos e d istribuid o res. índ ices geo gráfico , tipo de m íd ia, livros eletrô nico s, nível de clientela-alv o e assunto s. 497 PO W ELL, Russell H.; PO W ELL JUN IO R, Jam es R. C o r e list o f b o o ks an d jo u rn als in s c ie n c e an d tec hn o lo g y . Pho enix: Oryx Press, 1987. 134 p.

  ISSN 0098-342-X

  d istribuíd os nos EUA no período ind icad o . A rranjo por cabeçalho s de assun­ tos da Library o f Congress. Para as obras atuais, ver B o o ks in p rin t (item

  494). 502 SCIEN CE books and films. W ashing to n, DC: A m erican A sso ciatio n

  for the A d vancem ent o f Science, v.

  

1 -

  ,

  1 9 6 5 - , nove núm ero s por ano.

  H Biblio grafia co rrente e ano tad a de livros novos sobre ciência e tecno lo gia. Ênfase nas obras em língua inglesa. Inclui análises de programas de co mputad o r. Títu lo anterio r: AAAS sc ie n c e boo ks .

  6 v.

  

503 SC IEN TIFIC & technical books & serials in print. New Pro vid ence:

Bowker/ Reed Reference Publishing, 1 9 7 8 - . A nual.

  ISSN 0000-054X . Tam ­

  bém em ced erro m f C o m referências extraídas do B o o ks in p rin t (item 494) e U lric h’s (item

  103),

  é uma biblio grafia, co m cerca de

  550 000

  registro s, de livros e seriados técnico -científico s, em sua maioria em inglês, ed itad o s e/ ou d istribuíd os nos EUA. O programa de acesso ao ced erro m provê diversos po n­ tos de acesso e estratégias de busca. A rranjo por cabeçalho s de assunto s da

  ISBN 0-8352-1437-0 H Inclui mais de 220 000 título s publicad o s e/ ou

  New York: Bowker, 1982.

  ISBN 0-

89774-275-3 H Biblio grafia ano tad a de livros e perió d ico s para biblio tecas

  ISSN 0028-6869 K

  universitárias.

  498 CUM ULA TIVE bo o k index. New York: W ilso n, v.

  1 - , 1 8 9 8 - .

  M ensal co m acum ulação anual.

  ISSN 0 0 1 1-300X

  11 Tam bém em linha e ced erro m 11 Biblio grafia co rrente, internacio nal, de livros publicad o s na língua inglesa. A rranjo por autor, assunto e título . Nos verbetes de auto res enco ntram -se os dados biblio gráfico s co m p leto s da obra.

  

499 NEW technical books: a selective list o f d escriptive anno tatio ns. New

York: New York Public Library, v. 1— , 1 9 1 5 - . Bim estral.

  Biblio grafia dos livros de ciência e tecno lo gia, em inglês, recebid o s pela New York Public Library. A rranjo pela Classificação D ecim al de Dewey. índ ices de assunto s e auto res. Im p o rtante pelas avaliaçõ es críticas feitas so bre cada obra.

  501 PURE and applied science books, 1876-1982.

  500 PUBLISH ER’ S trade list annual; a buying and reference guide to books

  and related products. New York: Bowker, v.

  1 -

  ,

  1 8 7 2 - . A nual.

  ISSN 0079- 7855 11

  A rranjo alfabético de ed ito ras. Relacio na os livros por elas publicad o s no período.

  Library o f Congress. LIVRO S

  91

  C atálo g o s coletivos de livros

  Catálo g o co letiv o é uni instrum ento de id entificação e lo calização de d o cum ento s de diversos tipos em mais de um acervo. A presenta-se, em ge­ ral, na forma de um catálo go , m antid o em uma biblio teca ou centro de in­ fo rm ação , que co ntém registros que mo stram os lugares que po ssuem um dado d o cum ento . Podem apresentar-se em fichas, na forma im pressa, em ced erro m e tam bém em sistem as info rm atizad o s co m acesso pela Internet.

  São im p o rtantes para id entificar, por exemplo , o nd e enco ntrar d eterm inad o livro, d etalhes sobre as diversas ed içõ es de um título e fo rnecer info rm açõ es sobre trad uçõ es existentes de uma obra.

  Após a id entificação da lo calização do item d esejad o , é possível so licitar sua có pia ou em p réstim o . Para tanto , o usuário deverá procurar o seto r de co m utação de sua biblio teca que fará os co ntato s necessário s para co ncreti­ zar essa transação . E im p o rtante atentar para os asp ecto s relativos aos d irei­ tos auto rais, pois a lei respectiva restringe a có pia de livros na íntegra.

  504 O C LC ver W o rld cat (ver item 257). 505 s t a d o s n i d o s i b r a r y o n g

  E U . L O F C R ESS. T h e n at io n alu n io n c atalo g :

  W ashing to n, D C: Library of Co ngress, 1956- . M ensal co m acum ula­ boo ks . çõ es quad rim estrais, anuais e qüinqüenais, Catálo g o das obras catalo gad as pela Library of Congress e biblio tecas que co ntribuem para o programa de catalo gação co o perativa. A rranjo pelos no m es dos auto ­ res. Em 1983 passou a ser publicado em micro fichas e, em 1988, em cederrom.

  Desd e 1996, está na Internet.

  506 R ED E Biblio d ata. 11 Red e co o rd enad a pela Fun­ d ação G etúlio Vargas que tem por finalid ad e desenvolver e m anter uma m eto d o lo gia para catalo gação co o perativa, co m p artilhand o recursos e co n­ tribuind o para o ap erfeiço am ento dos serviços de d o cum entação e info rm a­ ção das instituiçõ es brasileiras particip antes. Em meado s de 2000 co ntava co m mais de 60 instituiçõ es e seu catálo go co letiv o reunia, ap ro xim ad am en­ te, 1 300 000 título s dos acervos das biblio tecas p articip antes, so m ente para as quais o acesso está disponível.

  

Recensões e resenhas de livros

  A ntes de co mprar um livro é co nv eniente co nsultar fo ntes que p erm itam co nhecer suas características e qualid ades. Essas fo ntes são as que incluem recensõ es — às vezes chamad as resenhas — de livros. A recensão é uma análise crítica de um d o cum ento , que aborda, de forma resumid a, seus as­ p ecto s positivos e negativos.

  Para lo calizar uma recensão ou resenha é útil co nhecer o autor, título ou data de publicação do livro. Numa bibliografia ou índ ice co rrente, as recensões

  92 PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

  

( b o o k rev iew s) geralm ente aparecem sob o no m e do auto r do livro co m enta­

do.

  Ressalte-se que, algumas vezes, a recensão de um livro altam ente esp eci­ alizado pode aparecer meses depois de sua p ublicação . Po rtanto , é aco nse­ lhável tentar lo calizar info rm açõ es sobre a obra em índ ices publicad o s em meses anterio res ou no ano posterior. A lém disso, m uitas recensõ es sobre livros novos aparecem em seçõ es esp ecíficas de revistas esp ecializad as.

  BO O K review d igest. New York: W ilso n, v. . M ensal co m 507 1 - , 1 9 0 5 -

  acum ulação anual.

  ISSN Tam bém em ced erro m (ISSN 0006-7326. 1076-7045)

  K Inclu i extrato s de resenhas so bre livros de to d as as áreas em ing lês, publicad as em cerca de título s de perió d ico s dos EUA , Reino Unid o e

90 Canad á. Os v erbetes, em ordem alfabética do so breno m e do auto r ou título

  da o bra, incluem o autor, título , paginação, preço, ano de p ublicação , ed ito ­ ra, C lassificação D ecim al de Dewey, cabeçalho de assunto ,

  ISBN e no tas d es­

  critivas. Existe índ ice acum ulad o relativo ao período 190 5 -1 9 7 4 .

  

508 BO OK review ind ex. D etro it: G ale, v. 1 - , 1 9 6 5 - . Três vezes por ano,

co m acum ulação anual.

ISSN 0524-0581

  11 Ind exa resenhas de livros, ed ita­ dos em inglês, publicad as em cerca de 470 perió d ico s de diversas áreas. Ar­ ranjo pelo so breno m e dos auto res, co m índ ice de título s. Existe índ ice acu­ m ulad o relativo ao período 1965-1 9 8 4 (10 v., ISBN 08103-0577-1).

  C H O IC E: current review for acad em ic libraries. M id d leto w n: A sso ­ 509

  ciatio n o f Co llege & Research Libraries, v. , . O nze núm ero s por

  1 - 1 9 6 4 - ano.

  ISSN Tam bém em linha e ced erro m. 0009-4978.

  11 Publicação co m recensõ es críticas sobre livros novos, de nível univ ersitá­ rio, em inglês. A lguns núm ero s incluem recensõ es de obras de referência, perió d ico s e bases de dados. O acesso, via Internet, m ed iante assinatura, envia por co rreio eletrô nico no tificaçõ es de novas recensõ es de assunto s se­ lecio nad o s.

  M A LINOW SKY, Harold. S c ie n c e an d t ec hn o log y an n u al r e feren c e rev iew . 510 Pho enix: Oryx Press, 1989-91. 3 v.

  ISBN 0-89774-48-X , v. 1; 0-89774-527-2, v.

2; 0-89774-608-2 ,v. 3 H Recensõ es críticas de livros de referência, em inglês,

  de ciência, engenharia, agricultura e m ed icina. A rranjo por grandes assunto s e o rdem alfabética do título do livro.

  TECHN ICA L bo o k review index. Pittsburgh: JAAD Publishing C o m p a­ 511

  ny, v. . M ensal.

  ISSN C o ntinuação do 1 - , 1 9 7 7 - 0040-0890 H T e c hn ic al b o o k

  publicado pela Special Libraries A sso ciatio n d urante

  rev iew in dex 1935—1976.

  Ind exa resenhas de livros técnico s e científico s, publicad as em cerca de

  50

  título s de perió d ico s, nas áreas de ciências puras, ciências bio ló gicas, m ed i­ cina, agricultura e tecno lo gia. LIVRO S

  93 R eim pressões de livros Reim pressão é uma nova tiragem que se faz de uma o bra, sem sofrer o texto qualquer em end a ou m o d ificação . Q uand o uma tiragem de um d eter­ m inad o livro é esgo tad a, geralm ente to rna-se d ifícil co nseguir um exemplar. As vezes, o título é enco ntrad o em livrarias que co m ercializam livros usados, deno minadas sebos ou alfarrabistas. Entretanto , obras esgotadas são reimpres­ sas devido à im p o rtância do seu co nteúd o e porque ainda têm co mprad ores. Essas reimpressõ es m uitas vezes são feitas em ed içõ es fac-sim ilares, isto é, são repro d uções exatas de ed ição anterior. A ssim, antes de se tentar ad quirir uma cópia - às vezes mais cara - de uma ed ição esgo tad a, é im p o rtante verificar se o título foi reimpresso.

  512 D a v

  IS, A nn S. G u ide to reprin t s: an in t e r n at io n al bib lio g r ap h y o fs c h o - Kent: Guid e to Rep rints, 1994. 950 p.

  ISBN 0-918-08620-0 11 larly rep rin t s.

  Biblio grafia de livros, perió d ico s e o utros m ateriais reimpressos.

  

Livrarias eletrô nicas

  Livros, ced erro ns, DVDs, discos de áudio, programas de co mputad o r, jo ­ gos eletrô nico s e o utro s produtos info rm acio nais e de entretenim ento po­ d em ser ad quirid os em livrarias eletrô nicas. A aquisição geralm ente é paga co m cartão de créd ito . A remessa do m aterial é feita por co rreio trad icio nal ou serviço de entrega rápida e a maioria das livrarias co bra taxas de envio. É co m um a livraria info rm ar ao cliente, por m eio de m ensagem eletrô nica, d etalhes sobre os custo s envolvidos na aquisição do m aterial, taxas de cor­ reio e prazo m éd io de entrega do pedido. Se a enco m end a houver sido d es­ pachada por m eio de uma grande transpo rtad o ra, o cliente poderá m o nito rar no s sítio s dessas empresas o and am ento de seu pedido. Por existir m uita variação de preço entre as livrarias eletrô nicas, é im p o rtante co m p arar os preços dos itens a serem adquiridos bem co m o os valores das taxas de rem es­ sa da enco m end a.

  As m elho res livrarias eletrô nicas possuem em seus sítio s m ecanism o s de busca que po ssibilitam a pesquisa do item desejado pelo autor, título e, muitas vezes, tam bém pelo assunto . Várias delas o ferecem serviço de no tificação co rrente, isto é, info rm am a chegada de novos título s de d eterm inad o s auto ­ res e/ ou assunto s e tam bém podem incluir resenhas, publicad as em livros e jo rnais, sobre o livro que o cliente d eseja.

  

Livrarias eletrô n icas de outros países

  513 A LIBRIS. 11 Co m ercializa livros raros e usados, co m ênfase na língua inglesa. 514 AMAZON. URL: Uma das pioneiras no co m ércio

  94 PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA eletrô nico de livros, está lo calizada nos EUA. Possui excelente esto que, co m ênfase na língua inglesa e é bastante ágil na entrega da co m p ra. Possui filiais na A lem anha, para livros alemães:

  110

  Reino Unid o , para livros ingleses: na França, para título s franceses: www. am azo n.fr e no Japão , para título s japo neses: 515 BA RNES & N O BLE. URL: H Grand e cad eia de livrarias dos EUA que, a partir de 1997, passou a realizar vendas pela Internet. Excelente esto que, co m ênfase na língua inglesa.

  516 BOL. Uma das maiores livrarias eletrô nicas do Reino Unido. Grand e esto que, co m ênfase na língua inglesa. 517 CRISOL, Grand e cadeia de livrarias da Espanha. Tam ­ bém co m ercializa livros raros e usados. 518 FNAC. Possui mais de 700 000 títulos de livros, cederrons e DVDs. C o m ênfase na língua francesa.

  Livrarias eletrô nicas do Brasil 519

  LIV RA RIA C a N U TO .

  Boa para livros e ced erro ns técnico -científico s estrangeiros. Possui serviço de no tificação co rrente. 520 LIV RA RIA C u l t u r a , H Excelente esto que, com ênfase em livros publicad o s na língua portuguesa. 521 LIV RA RIA S

  a r a i v a , H Excelente esto que,

  co m ênfase na língua po rtuguesa. Tam bém co m ercializa d isco s m usicais, programas de co mputad o r, fitas

  VHS

  e DVDs. 522 SICILIA NO VIRTUA L, 11 Excelente esto que. Vende vídeos, DVDs e discos musicais.

  523 SUBMA RINO, 11 A ntiga Bo o knet, é uma das pioneiras 110 co m ércio eletrô nico de livros. Excelente esto que. Enfase na língua portuguesa. Vende discos m usicais, vídeos, DVDs e brinqued o s.

  Livros eletrô nico s Livros publicados por ed ito ras co m erciais 11 a forma eletrô nica ou digital podem ser adquiridos na Internet.

GUTEN BERG PRO JECT

  524

  (Pro jeto G utenberg ). Uma das iniciativas pioneiras de livro eletrô nico , tend o sido im p lem entad a em 1971 por M ichael Hart na University o f Illino is. Permite a im p o rtação do texto integral de milhares de obras, p rincip alm ente literárias.

MA NUA IS

  95 525 NETLIBRARY.

  11 Uma das primeiras em presas a

  realizar a co m ercialização de livros eletrô nico s. Possui acervo nas m ais diver­ sas áreas, co m ênfase na língua inglesa. A lguns título s são de acesso gratuito.

  

M A N U A IS

  M anual é o tipo de livro que inclui no çõ es básicas de uma ciência, de uma técnica ou de uma arte. Esses livros são usados co m o texto s básico s para o estud o pelos aluno s ou para co nsulta pelo pesquisador. São bastante co m uns em labo rató rio s o nd e, geralm ente, são co nsultad o s para se verificar, por exem plo , o valor de uma co nstante física ou a expressão co rreta de uma fórmula.

  

Bib liografia sob re m anuais

526 COMPOSITE index for CRC handbooks. 3rd ed. Boca Rato n: CRC, 1990.

  3 v.

  ISBN 0-8493-0284-6. Tam bém em ced erro m (1992.

ISBN 0-849-30290-0)

  527 POW ELL, Russel H. H an d b o o ks an d t ab le s in sc ie n c e an d tec hn o lo g y . 3rd ed. Pho enix: Oryx Press, 1994. 384 p.

  científicas, para cada uma das quais são apresentadas tabelas, gráfico s e ilus­ traçõ es mais utilizadas. 530

  H índ ices de auto res e assuntos dos mais de 300 m anuais publicad o s pela

  0-7201-1665-1 11 O bra bási­ ca para to do s os pesquisado res. Divid e-se em duas partes: a prim eira, lista alfabética das unid ad es; a segunda, quantid ad es e co nstantes. A tualização

  ISBN

  New York: M ansell, 1983. 313 p.

  Q u an t it ie s an d u n its o f m easu rem en t : a dic t io n ary an d h an d b o o k.

  DRA Z IL, J.V.

  

ISBN 0-028-60403-2 H Obra dividida em 10 cap ítulo s representand o 10 áreas

  ISBN 0-89774-534-5 H Primeira

  529 BARNES-SVARNEY, Patricia (ed .) T h e N ew Y ork P u blic L ib rary sc ie n c e

de s k re fe r en c e. New York: Sto neso ng Press, Sim o n & Schuster, 1995. 668 p.

  São Paulo: íco ne Ed ito ra, 1985. 411 p. 11 “ Este manual agrupa a m atéria ind ustrial em o rdem rigo ro sam ente alfabética, desde as digressões de caráter quím ico até as mais simples fó rm ulas, cruzand o referências, etc .” (prefácio , p. 7).

  N ov íssim o r e c e it u ár io in du str ial; e n c ic lo p é d ia de fó r ­ m u las e r e c e it as p ar a p eq u en as , m édias e g r an d e s in dú str ias.

  A RGENTIERI, R.

  

CRC nas áreas de m atem ática, física, quím ica, bio lo gia, ciências m éd icas,

engenharia e co m p utação . Sup lem ento anual iniciad o em 1991.

  

Princip ais m anuais

  ed ição : 1979. Biblio grafia de mais de 3 600 m anuais das áreas de astro no ­ m ia, física, quím ica, geologia, biolo gia e engenharia.

  528

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

  96 531 ESBA CH , Ovid W allace; SO UD ERS, M o tt. H an d b o o k o f e n g in eerin g 3rd ed. New York: Jo hn W iley, 1975.1562 p.

  ISBN 0-471-24553- fu n dam e n t als .

  4

11 O bra clássica ed itad a desde 1936. Divid e-se em 16 cap ítulo s o nd e são

  apresentadas fó rm ulas, d efiniçõ es, equaçõ es e sím bo lo s da m atem ática, físi­ ca, quím ica e dos diversos ramos da engenharia. Cad a cap ítulo é dividido em seçõ es; ao final de cada seção é apresentada uma biblio grafia. Inclui um d etalhad o índ ice (p. 1509-1562).

  532 FA RA GO, Francis T. H an d b o o k o f d im e n s io n al m e as u r e m e n t s . 3rd ed. New York: Ind ustrial Press, 1994. 580 p.

  ISBN 0-831-13053-9 H M anual ind i­

  cad o para a engenharia de produção. C o ntém ilustraçõ es, diagramas e bre­ ves d escriçõ es so bre instrum ento s de m ed ição . Inclui índ ice.

  533 FA BRICIO , Heitor. 2. ed. São Paulo: Hemus,

M an u al do en g en heiro c iv il.

1982. 501 p. H O auto r reuniu, “em 14 partes divididas por assunto e d ispos­ tas numa certa o rd em d id ática que pode ser útil para os estud antes, as mais variadas ap licaçõ es: de m atem ática, física, m ecânica, resistência dos m ateri­ ais nas co nstruçõ es co m uns, em treliça e em cim ento armado , de instalaçõ es hid ráulicas, civis e agríco las” (prefácio , p. v). N ão inclui índ ice.

  534 HA NDBOOK o f chemistry and physics: a ready reference bo o k o f chem i­ cal and physical data. Bo ca Rato n: CRC, v. 1, 1913- . A nual.

ISSN 0363-3055

  H C o ntém tabelas, co nstantes e info rm açõ es úteis nas áreas de física e q u í­ m ica. Inclui seçõ es tais co m o elem ento s, pesos atô m ico s, co m p o sto s o rgâni­ cos e co nstantes físicas. Inclui info rm ação sobre saúde e segurança em lab o ­ ratório s. Em anexo , tabelas e co nstantes m atem áticas.Excelente índ ice de assunto s. E tam bém co nhecid o co m o CRC h a n d b o o k o f c h e m i s t r y a n d p h y s i c s . a n d p h y s i c s C R C n e t b a s e 1 9 Em 1999 foi lançad a uma versão em ced erro m (CRC h a n d b o o k o f c h e m i s t r y 99.

  ISBN 0-8493-9720-0) que facilito u a busca de term o s e tabelas p erm itind o , agora, a im p o rtação para arquivos do usuário.

  535 H ESSLER, Sanfo rd I. T h e W iley e n g in e e r ’s desk refe r en c e. 2nd ed. New York: Jo hn W iley, 1998. 690 p.

  ISBN 0-471-16827-0 11 Ed itad a desde 1984,

  co ntém tabelas, fó rmulas, co nstantes, medid as e o utras info rm açõ es úteis no d ia-a-d ia do engenheiro . Foi pro jetad a em um único vo lume para facili­ tar a co nsulta. Inclui as áreas de m atem ática, m ecânica, m ateriais, estru tu ­ ras, m ecânica dos fluidos, term o d inâm ica, eletricid ad e, eletrô nica, co ntro le, eco no m ia e estatística, energia, d esenho técnico , engenharia de o p eraçõ es, índ ice de assunto s.

  536 H lC KS, Tyler G .; H lC KS, S. David (ed.) S t an dard h an d b o o k o f e n g in eer­ 3rd ed. New York: M cGraw -H ill, 1996. 1600 p.

  ISBN 0-070- in g c alc u lat io n s .

  53916-2

11 Ed itad a desde 1972, m o stra, de forma d id ática, passo a passo, os

  p ro ced im ento s para calcular pro blemas de engenharia. O arranjo é por gran­ des ramos da engenharia.

MA NUA IS

  97 537 H O D G ES, Elaine R.S. G u ild h an d b o o k o f s c ie n t ific illu st rat io n . New York: Van N o strand Reinho ld , 1988. 640 p.

  ISBN 0-442-23681-6 H Excelente

  fo nte so bre a ilustração científica nas áreas de ciência, engenharia e m ed ici­ na. Divid e-se em cinco partes: 1) intro d ução geral; 2) técnicas utilizad as na p reparação de ilustraçõ es; 3) uso de ilustraçõ es em diversas áreas científicas; 4) ilustraçõ es mais so fisticad as; 5) co m ercialização e d ireito s auto rais. índ i­ ces de ilustrad o res e assunto s.

  538 INSTRUMENTA TION reference book. Ed ited by B.E. N o lting. 2nd ed. Oxford: Butterw o rth-Heinem ann, 1995. Paginação por capítulos.

  ISBN 0-7506- 2056-0 11 Ed itad a desde 1988, co bre os diversos asp ecto s da instrum entação .

  Divid e-se em cinco partes: 1) medidas m ecânicas; 2) medidas de tem p era­ tura e co m p o sição quím ica; 3) medidas elétricas e de rad iação ; 4) sistem as de instrum entação ; 5) fórmulas, quantid ad es e unidades utilizad as em m a­ tem ática, física e estatística. índ ice de assunto s.

  539 MA NUA L do engenheiro , enciclo p éd ia das ciências e artes do enge­ nheiro e do arquiteto . 8. ed. Porto A legre: Glo bo , 1979. 7 v. 11 O bra clássica ed itad a desde 1939. A borda as diversas áreas da engenharia, inclusive seus aspecto s práticos. Cad a cap ítulo foi elaborado por especialista brasileiro. Co m índ ice de assunto s em cada volume.

  540 M ERCK ind ex, an encyclo ped ia of chem icals, drugs and bio lo gicals. 12th ed. W hiteho u se Statio n: M erck & Company, 1996. 1741 p.

ISBN 0-911- 910-12-3.

  ISSN : 0076-6518. Tam bém em ced erro m (1998.

ISBN 0-412-82910-

  X ). 11 O bra clássica feita, p rim ariam ente, para atend er às necessid ad es do quím ico , bio quím ico , farm acêutico e pro fissio nais de o u­ tras áreas científicas. A lém dos dados básico s sobre drogas e pro d uto s quí­ m ico s e bio ló gico s, traz bibliografia sobre cada verbete analisado. Inclui tam ­ bém o núm ero de registro no C hem ical A bstracts Service e diversos anexos co m tabelas e símbolos. índ ices o no m ástico e fórmulas. A versão em cederrom atualiza a obra e p erm ite acesso em linha para novas atualizaçõ es.

  541 PERRY’ S chem ical engineering hand bo ok. Ed ited by Ro bert H. Perry and W. Jam es O. M alo ney Green. 7th ed. New York: M cGraw -H ill, 1997. Várias paginações.

  ISBN 0-070-49841-5 11 Obra clássica, ed itad a desde 1934,

  que co nto u co m a co labo ração de 160 esp ecialistas. Inclui info rm açõ es bási­ cas so bre os diversos asp ecto s da engenharia quím ica. Divid e-se em 30 se­ çõ es. índ ice geral.

  542 SO UD ERS, M o tt.

  C ad e r n e t a do en g en heiro: um m an u al p r át ic o do s fu n ­

  São Paulo: H em us, 1980.428 p. U Trad ução da ed i­ d am e n t o s da en g e n haria. ção em inglês: (New York: Jo hn W iley ). E um m anu­

  T h e e n g in e e r ’s c o m p an y

  al dos fund am ento s de engenharia, para co nsulta rápida. Inclui co nceito s básico s, d efiniçõ es, equaçõ es e fórmulas de m atem ática e física que tenham

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

  98 aplicaçõ es na engenharia. índ ice. Em anexo, os sím bo lo s principais info r­ m and o em que cap ítulo s os m esm o s foram tratad o s.

  

IN T ER N ET

  A partir de 1996, co m a expansão da Internet e o surgim ento da W o rld W id e W eb (W W W ) e do pioneiro programa navegador (o M o saic), o

  brow ser

  usuário dessa im ensa rede passou a ter a po ssibilid ad e de acessar m ilhares de info rm açõ es dispersas em páginas iniciais Entretanto , um novo

  ( h o m e p ag e s ) .

  pro blema surgiu: co m o id entificar uma página inicial d entre as milhares exis­ tentes? A nterio rm ente, co m o uso de a busca era mais fácil, porém

  g o p hers,

  lenta e ted io sa, pois esse m ecanism o utilizava uma estrutura hierárquica. A vantagem do era que o m esm o apresentava ao usuário final um co n­

  g o p he r

  ju nto de info rm açõ es o rganizadas. Os o utro s m ecanism o s de acesso , tais co m o A rchie, Verônica e Jughead , eram extrem am ente rud im entares se co m ­ parados co m um catálo go de biblio teca. Porém, co m a explo são da W W W , tivemo s uma avalanche de info rm açõ es, similar a um d epó sito de d o cum en­ tos não -classificad o s. A ssim, esse problema criad o pela tecno lo gia gerou uma p ergunta d esafiante: co m o co nverter uma m o ntanha de info rm açõ es d igi­ tais, to talm ente d eso rganizadas, em algo parecid o co m uma biblio teca? Vale a pena m encio nar aqui que o term o ‘surfar’ talvez tenha sido inicialm ente aplicad o co m justa razão. O ‘surfar’ era um enfo que típ ico para, naquele m o m ento , enco ntrar algo na rede, porque representava uma busca sem es­ trutura e cam inho s d efinid o s. O usuário acessava uma d eterm inad a página co nhecid a e, a partir de hipervínculo s ia ‘navegand o ’ até enco ntrar a

  ( lin ks ) ,

  info rm ação d esejad a. Era uma ação que, a princípio , poderia ser até d iv erti­ da, mas co nsum ia m uito tem p o e, para o usuário brasileiro , um recurso es­ casso tend o em vista as co ngestio nad as e lentas ligaçõ es telefô nicas.

  A ssim, o surgimento dos diretórios eletrô nico s, tam bém co nhecid o s co m o m ecanism o s ou mo to res de busca abriu uma nova p ersp ec­

  ( searc h en g in e s ) ,

  tiva para m elho rar a qualid ade da info rm ação recuperada na Internet. Eles funcio nam co m o um repo sitório eletrô nico de info rm açõ es.

  D esd e a intro d ução do Yaho o , o núm ero de d iretó rio s eletrô nico s, lo calizad o res, buscad o res ou m ecanism o s de busca tem crescid o bastante. Sim ilares a uma co leção de referência de uma biblio teca, quand o se necessi­ ta de uma d eterm inad a info rm ação , m uitas vezes é necessária a co nsulta de diversas fo ntes de referências, assim, tam bém é co m um se fazer a m esm a pesquisa em diversos m ecanism o s de busca para se o bter uma respo sta ad e­ quad a, mais atualizad a ou de m elho r qualidade.

  

G uias da In tern et de outros países

  543 H A RLEY H ahn Internet & W eb yellow pages. Berkeley: O sbo rne M cGraw -H ill, 1995- . A nual.

  ISSN 1091-0204 11 Inclui cerca de 5 000 sítio s

  99 IN TERN ET da Internet. A rranjo alfabético por grandes cabeçalho s de assunto s. índ ices de assunto s e título s dos sítios. 544 NET guide: your co m p lete guide to the Internet and o nline services. New York: D ell, 1997. 716 p.

ISBN 0-440-22390-3

  11 Publicada d esd e 1995, a

  o bra é dividida em 14 grandes assunto s. E um d iretó rio dos sítio s mais im ­ p o rtantes na Internet. Cad a entrad a traz o no m e da página, o seu end ereço eletrô nico (URL) e um breve resumo. índ ice de assuntos.

  545 RO BIN SO N , Cherri; JA CKSON JR ., Earl; DA VIS, Sco tt.

  O ffic ial E x c ite

  Fo sterC ity : ID G Bo o k s, 1999. 885 p.

  ISBN 0-7645-3145- In t e r n e t y e llo w p ag e s .

X. Tam bém em ced erro m H D iretó rio de sítios da Internet. Inclui uns 2 000

  verbetes, co m arranjo por grandes assunto s. Em cada verbete são incluíd o s o no m e do sítio , end ereço eletrô nico (URL) e breve análise do seu co nteúd o , índ ice único de assuntos e no m es dos sítio s.

  M areia Layto n; Audrey. Q u e s o ffic ia l In t ern et

  546 TURNER, SEYBOLD, y ellow p ag e s . Carm el: Q ue Co rp o ratio n, p.

  1999. 1179 ISBN 0 - 7 8 9 7 - 2 152-X.

  Tam bém em ced erro m H Diretó rio da Internet, co m ênfase em sítio s na lín­ gua inglesa. A rranjo por cabeçalho s de assunto s. Cad a verbete inclui o no m e do sítio , end ereço eletrô nico e análise crítica do co nteúd o . índ ices de

  (URL) assunto s e título s das páginas.

  G uias da Internet do Brasil 547 de site e e-m ail. São Paulo: Ed ito ra de Catálo go s A tlanta,

  ANUÁRIO p. Inclui ced erro m H Na primeira parte (p. 1999. 543 ISBN 85-87329-01-4.

  inclui os end ereço s de sítio s brasileiros na arranjo é alfa­

  1 7 - 5 2 3 ) , W W W . O

  bético por grandes assunto s, e d entro de cada assunto existe uma nova clas­ sificação alfabética por assunto s meno res. N ão incluí no tas explicativas so­ bre os sítio s arrolados. A segunda parte (p. relacio na alfabetica­

  5 25-543)

  m ente os co rreio s eletrô nico s de empresas brasileiras. Não inclui índ ices. O ced erro m co ntém a publicação em forma digital.

  548 REVISTA da W eb São Paulo: Ed ito ra A bril, v. 1 - , 1999- . M ensal.

  ISSN

  1517-1337 H Lançad a em o utubro de 1999, inclui artigos sobre sítio s novos, co m entário s sobre os melho res sítios de d eterm inad o assunto e instruçõ es de co m o o tim izar a navegação na Internet. E de cunho geral, porém inclui artigos sobre áreas científicas e tecno ló gicas.

  549 VlBERTI, Gustavo. In te rn et: p ág in as am ar e las . 2. ed. Rio de Janeiro: A xcel Books do Brasil, 1997. 534 p.

  ISBN 85-7323-027-4 H Prim eiro cad astro

  p ublicad o sobre a Internet brasileira. A rranjo em ordem alfabética por gran­ des cabeçalho s de assunto . Inclui end ereços de 5 600 sítios e um pequeno co m entário . índ ices de assuntos e das páginas iniciais por o rdem alfabética.

  100 PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA Listas de discussão 550 GUIA das listas de discussão (Listas. BR). URL: listas.actech.co m .br/ H

  Biblio grafia das listas brasileiras de d iscussão sobre diversos assunto s. A ces­ so pela palavra-chave do tem a.

  551 LlSZT: the mailing list directory. 11 Biblio grafia inter­ nacio nal. C o ntém cerca de 90 000 listas de d iscussão sobre variados tem as. Busca por palavra-chave.

  552 RED E de Tecno lo gia do Rio de Janeiro (Red etec). L is t as de dis c u s s ão . 11 Bibliografia de listas de d iscussão nas áreas de ciência e tecno lo gia.

  M ecanism o s ou ferram entas de busca Existem centenas de m ecanism o s de busca e esse núm ero tend e a au­ m entar cada vez mais. A baixo relacio nam -se os end ereço s dos p rincipais ser­ viços de busca de info rm açõ es na rede, úteis para pesquisar ou enco ntrar fo ntes e pessoas. E fund am ental reservar algum tem p o para pesquisar, pois nem sempre se é bem suced id o na primeira tentativ a. Vale a pena usar mais de um m ecanism o , d iretó rio ou ferram enta de busca para procurar algo, pois eles possuem d iferentes critério s para organizar e apresentar as info rm açõ es. To d o s os m ecanism o s m encio nad o s apresentarão um cam p o ou janela onde deverá ser d igitad o o assunto sobre o qual se d eseja enco ntrar info rm açõ es e, ao lado, um pequeno bo tão que deve ser clicad o , para enviar a so licitação .

  Há m ecanism o s que fazem a procura de d eterm inad o term o em diversos m ecanism o s de busca. São os d eno m inad o s m etabuscad o res que, no rm al­ m ente, trazem resultados mais amplos do que a busca num único m ecanis­ mo. Os mais co nhecid o s são o W ebcraw ler, nos EUA, e o M iner, no Brasil.

  Buscar uma info rm ação esp ecífica, m esm o no mais poderoso m ecanis­ m o de busca, m uitas vezes produz um resultado que, nem sem pre, é esp ecí­ fico e preciso. A razão disso é que cada m ecanism o trabalha de forma d ife­ rente, criand o , por co nseguinte, um certo grau de d ificuld ad e. As d efiniçõ es que se seguem poderão ser úteis na m o ntagem de estratégias de busca nos diversos m ecanism o s de busca: busca bo o leana u m tip o d e b u sc a q u e p e rm ite a u tili­

  ( B o o lean s e ar c h) :

z aç ão d o s o p erad o res b o o le an o s E (A ND, + o u & ) , NÂO (N O T,o u !), OU (O R)

o u PRÓXIMO (NEAR o u ~ ) n o se n tid o d e in c lu ir o u e x c lu ir d o c u m e n to s o u

arq u iv o s q u e c o n te n h am d ete rm in ad as p alav ras o u te rm o s;

  busca d ifusa busca de grafias alternativas de palavras fa­

  ( fu z z y s e ar c h ) :

  zend o co m binaçõ es m esm o quand o as palavras estão grafadas errad am ente; busca po r co nceito ( c o n c e p t s e ar c h ) : uma busca de d o cum ento s que não

IN TERN ET

  101 co ntenham uma palavra esp ecífica porém que esteja relacio nad a co nceitual- m ente co m essa palavra; busca po r frase ( p h r a s e s e a r c h ): busca por d o cum ento s que co ntenham uma frase ou sentença exata ou esp ecífica; busca po r palavra-chave ( k e y w o r d s e a r c h ): estratégia de busca que re­ quer que o resultad o final co ntenha uma ou mais palavras esp ecificad as; busca p o r p ro xim id ad e ( p r o x im it y s e a r c h ): busca por d o cum ento s que co ntenham certas palavras perto de o utras;

  índ ice ( i n d e x ) : o ‘catálo g o ’ de resultados da busca criad o pelo m ecanis­ m o de busca quand o analisa sítio s da w eb; relev ância ( r e l e v a n c e ) : valor ou p o rcentagem de qualid ad e info rm ativa dos d o cum ento s recuperad o s de acordo co m os termo s de busca esp ecifica­ dos previam ente.

  Princip ais o p eraçõ es utilizad as em alguns m ecanism o s de b u sca1

  M e can is m o d e b u sca O p eraçõ es d e b u sca B o o lean a T ru n cam e n to * Frases B u sca sim p les B u sca av an çad a A ltaV ista + (an d ), - (n o t) A ND, O R, N O T À d ireita d o te rm o ‘l o cu ção ou exp ressão ’ Inf oseek + (an d ), - (n o t) A ND, O R, N O T ‘lo cu ção ou exp ressão ’ Y ahoo + (an d ), - (n o t) N ão utiliz a À d ireita d o te rm o ‘l o cu ção ou exp ressão ’ W eb craw ler A ND, O R, N O T em até 2 5 p alavras e n tre p arên teses ‘ lo cu ção ou exp ressão ’ C ad ê

  E (A N D ) , O U (O R) ‘l o cu ção ou exp ressão ’ R ad ar

  • (A N D ) , - (N O T) ‘lo cu ção ou

  exp ressão ’ S urf + (A N D ) , - (N O T) À d ireita d o te rm o ‘lo cu ção ou exp ressão ’ * N ão d ev erá h av er esp aço s e n tre os te rm o s d a e s tratég ia d e b u sca.

1 N ah ü Z , Fern an d a. W o rld W id e W e b : asp e cto s te ó rico s d o s m ecan ism o s d e b u sca. In fo r m a­ ç ã o Ó s o c ie d ad e , v. 9 , n . 2 , p . 2 4 3 - 2 5 4 , ju l./ d ez . 1 9 9 9 .

  102 PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

  

M ecanism os de b usca de outros países

  553 lBLINK. Realiza buscas em diversos m ecanism o s de busca: pesquisa páginas iniciais, grupos de no tícias e no ticiário em geral.

  554

  37COM . URL: 37.com/ f Realiza buscas em 37 m ecanism o s d iferen­ tes. Bo m para pesquisar sítios mais populares, jogos e cartõ es postais.

  555 ALTAVISTA. de busca criad o pela D i­ gital Equip m ent, possui info rmaçõ es sobre mais de 30 m ilhõ es de páginas iniciais. Buscas por termo s livres e buscas co m p lexas, inclusive bo o leanas.

  r

5 5 6 A CH IEPLEX. URL: archie.emnet.eo .uk/ H Excelente índ ice para bus­

car info rm açõ es sobre arquivos FTP. i t

  

557 DiRECT H . H Excelen te para enco ntrar info r­

m açõ es relativ as a em p resas.

558 DlTTO.COM . H Excelen te para p ro curar figuras e grá­

fico s na Internet.

559 EGOSURF. 11 Excelen te para enco ntrar p esso as e

end ereço s d e co rreio eletrô nico .

  560 EXC ITE, H Indexa mais de um m ilhão de d o cum en­ tos da rede, além de incluir no ticiário e anúncio s cla Usenet. Inclui o pção para m o ntar a estratégia de busca utilizand o co nceito s ou palavras-chave.

  

561 FA ST SEARCH. O ferece um a eno rm e base

d e d ad o s, co m atu aliz açõ es co nstantes. Seu tem p o d e resp o sta é m u ito b o m .

  562 11 índ ice im p o rtante para enco n­ FORUM ON E. trar info rm açõ es sobre foros de d iscussão na Internet.

  563 FTP SEARCH. URL: ftp search.ntnu .no e ftp search.lyco s.co m / 11 A estra- tégia de busca é lida e os parâmetros são fo rmatad o s para, então , co m eçar a busca no m ecanism o de busca sobre FTP lo calizad o na universidade no rue­ guesa de ciência e tecno lo gia em Tro nd heim .

  564 GALAXY. H M uito bom para pesquisa nas áreas de d i­ reito, co m ércio , m ed icina e ciências em geral. 565 H Excelente para lo calizar sítio s em GERTRUDES. países de língua portuguesa (A ngola, Brasil, C abo Verde, G aliza, G uiné- Bissau, M o çam bique, Portugal, São To m é e Príncipe, Tim o r). 566 H Info rm a os sítio s mais populares sobre GOOGLE. um tem a esp ecífico baseado na relevância do co nteúd o . A estratégia de bus­ ca pode ser em português ou em outros nove idiomas.

IN TERN ET

  103 567 H O T B O T , H Excelente para recuperar info rm a­ çõ es so bre pessoas e instituiçõ es.

  568 I n F i n d . 11 M etabuscador, faz pesquisa rápida nos mais im p o rtantes m ecanism o s de busca (W ebCraw ler, Yahoo, Lyco s, A ltaVista,

  I N FO S EE K e Excite).

  569 I N FO S E E K . 11 Um dos m ais p o p ulares d iretó rio s da Internet. Perm ite busca tam bém por m eio de frases.

  570 JA Y D E .C O M . Busca por catego rias tem áticas: artes, co m ércio , co m p utad o res, Internet, obras de referência e ciências. A estraté­ gia de busca é por palavras-chave.

  571 L O O K S M A R T . 11 D esenv o lv id o p ela rev ista

  

R e a d e r ’s d ig e s t , em 1996. D iferente da maioria dos índ ices da Internet, faz

  uma seleção prévia dos sítio s incluíd o s no diretó rio . Por isso a quantid ad e de info rm ação recuperada é m eno r do que co m o utro s índ ices, po rém, so m ente são incluíd o s sítio s que sejam pro fissio nais, info rmativo s e ligados à fam ília.

  572 L Y C O S , Desenvo lvid o na Carneg ie M ello n Univer­ sity. Por ser um dos d iretó rio s mais co m p leto s (mais de 40 m ilhõ es de pági­ nas) é um dos mais utilizad o s na Internet. O ferece diversas o pçõ es de busca e os itens recuperado s são relacio nad os por o rd em de relevância.

  573 META CRA W LER. H O ferece busca sim ultânea em diversos índ ices. 574 N ETG U ID E. Inclui avaliação dos sítios da W eb e sugere evento s e sítio s que d evem ser visitados. 575 N O R T H E R N L I G H T , H Excelente, co m atuali­ zaçõ es co nstantes. Possui serviço de no tificação co rrente que info rm a ao usuário sobre novas páginas iniciais de d eterm inad o assunto .

  576 O LÉ! Espana. URL: buscad o r.terra.es/ 11 So b a forma de d iretó rio s, é o m ais popular m ecanism o de busca espanhol. 577

  SERVIDOR DE APONTADORES PORTUGUESES (SA PO),

   11 Excelente para enco ntrar info rm açõ es so bre pesquisad o res, centro s de pes­ quisas e universidades de Portugal.

  578 W EBCRA W LER. URL: w ebcraw ler.com/ H M etabuscad o r. D iretó rio de rápida recuperação e grande facilid ad e de uso. 579 Y A H O O ! 11 Um dos mais populares índ ices da Internet. C o nsulta por grandes catego rias de assunto s ou por term o s livres.

  580 YA HOO! Espaíía. URL: es.yaho o .co m/ 11 Perm ite enco ntrar sítio s lo cali­

  104 PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

  

M ecan ism o s de b usca d o Brasil

581 A CHEI, H Perm ite b u sca po r d iretó rio e p o r p ala­

vras.

  582 A O N DE? H Perm ite busca por frase ou palavras iso la­ das.

  a 830 000

583 BO O K M RKS. Po ssui m ais d e p ág i­

nas b rasileiras ind exad as. N a b u sca, igno rar os acento s g ráfico s e o cê-c ed i-

llia.

  584 CADÊ?

11 Um dos mais po pulares m ecanism o s de busca do Brasil. Possui tam bém busca avançada.

  585 EN CO N TREI, H Perm ite busca por d iretó rio e por palavras.

  

586 GLOBA LMEDIA . 11 Bu sca p o r d iretó rio e p a­

lavras.

  587 Permite busca por d iretó rio e por

  GUIA W EB. H palavras. Em co nstrução .

  588 r a s i l H Perm ite busca por d iretó rio e por

  L Y C O S B , palavras.

  589 MlNER. URL: miner.bol.com.br/ index.htm

  11 M etabuscad o r que faz pes­

  quisa em diversos m ecanism o s brasileiro s e estrangeiro s. No m esm o sítio existe bo tão para o M etam iner, que faz busca sim ultânea em quatro s m eca­ nism os brasileiro s e cinco estrangeiros. 590 Permite busca por d iretó rio e por

  NAVEGAđấO,

  11 palavras. p i

  

591 N ETSC O O . URL: m etab u scad o r.netsco p io .co m .b r/ 11 Perm ite b usca

po r d iretó rio e po r p alavras.

  592 Perm ite busca por d iretó rio e por p ala­

  ONDEIR H vras.

  593 RADAR UOL. H C o m diversas o pçõ es de busca, pesquisa em sítios no Brasil ou no exterior. Tam bém o ferece busca avança­ da.

  a d i x 594 R .

11 Inaugurado em setem bro de 1999, foi o

  primeiro m ecanism o de busca brasileiro a o ferecer serviço de divulgação per­ sonalizad a (o usuário recebe mensagens sobre novas páginas do seu interes­ se). Perm ite buscar páginas de música MP3, im agens, no tícias e núm ero s telefô nico s. M U SEU S, H ERBÁ RIO S, A RQ UIVO S E C O LEÇ Õ ES C IEN TÍFIC A S

  105 595 STA RM e d i a . H Buscas por d iretó rio e palavras. 596 SURFTRA DE. Aos poucos está se esp ecializan­ do em assunto s ligados a negó cios.

  597 TODOBR. 11 Inaugurado em no vem bro de 1999, fo i desenvolvido no D ep artam ento de C iência da C o m p utação da Universi­ dade Federal de M inas Gerais. Possui recurso para restringir a busca por estad o da União , co m todas as palavras, algumas delas ou frase exata. Tam ­ bém pode co nsid erar na busca os acento s gráficos da língua portuguesa.

  598

  VA I & V e m

  . Perm ite busca por d iretó rio e por palavras.

  599 W E B D O G . U Realiza pesquisas sim ultâneas

  (m etabuscas) em 24 m ecanism o s de busca em português e mais 17 em lín­ guas estrangeiras. Inclui o Buscó pio , um cad astro de m ecanism o s de busca. 600 YA H O O ! B r a s i l . URL: br.yahoo.com/

  K

  Perm ite busca por d iretó rio e avançada. 601 Z EEK. 11 M antid o pela Starm ed ia, o ferece busca por d iretó rio ou por palavras.

  

Portais

  602 PROSSIGA, 11 “ É um portal de info rm açõ ls brasileiras em C & T, que se integra ao co njunto de serviços de info rm ação , co m unica­ ção e ed ucação à d istância do Programa Prossiga do CNPq [...] co nstituíd o por um banco de dados de lo calizad ores de info rm açõ es que d irecio na seus usuários para os [...] site s brasileiro s que tratam das atividades de ciência e tecno lo gia, desenvolvidas em instituiçõ es de pesquisa, instituto s de tecnologia e universidades de to d o o país. Estabelece um retrato [...] amplo e verticali- zado so bre o estad o de d eterm inad a área ou questão ” (Prossiga. O que é, p.

  1). Possui ainda biblio tecas digitais sobre cientistas brasileiro s e end ereço s d e instituiçõ es brasileiras nas áreas de ciência e tecno lo gia (ver item 731). 603 SCICENTRAL. 11 C o ntém excelentes info rm açõ es so bre os diversos asp ecto s das ciências e da tecno lo g ia enco ntrad o s na Internet. Iniciad o em 1997, provê acesso a mais de 50 000 hipervínculo s a artigos de perió d ico s, jo rnais, serviços no ticio so s e m ecanism o s de busca.

  

M U S EU S , H ER B Á R IO S , A R Q U IV O S E C O L E Ç Õ E S C IEN T ÍFI C A S

Bib liografias

  604

  BIBLIOGRAFIA

  so bre museus e museo lo gia. 2. ed. São Paulo: Universi-

  106 PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA dade de São Paulo, Co m issão de Patrimô nio Cultural, 1997. 183 p. H Prim ei­ ra ed ição : 1995. São 1 108 referências, de âm bito internacio nal, sobre m u­ seus e museo lo gia disponíveis em biblio tecas de São Paulo. índ ice de assun- 605 museo lo gical bibliography. Biblio graphie muséo lo gi-

  INTERNATIONAL

  que internatio nale. Paris: Internatio nal C o u ncil on M useum s

  UNESCO;

(ICOM ), D o cum entatio n Center, 1967- . A nual. Tam bém em ced erro m . H

  Ind icad a para pro fissio nais da área de museus, co leçõ es científicas, universi­ dades e centro s de pesquisa. Ind exa cerca de 200 título s de perió d ico s e séries. 606 WOODHEA D, Peter; STA NSFIELD, Geoffrey. K ey g u ide to in fo r m at io n

  2nd ed. Lo nd o n: M ansell, 1994. 224 p. 0- so u rc e s in m u seu m stu dies.

  ISBN

  7201-2151-5 11 Ed itad o desde 1989. Divid e-se em três partes: 1) evo lução histó rica dos museus e a literatura primária utilizad a na área; 2) análise das fo ntes secundárias mais im p o rtantes; 3) principais instituiçõ es nacio nais e internacio nais relativas a museus. Excelente índ ice alfabético de auto res, co mpilad o res, ed ito res, título s, assunto s e o rganizaçõ es.

  Fo ntes histó ricas 607 Maria Margaret. O B r asil de s c o bre a p e s q u is a c ie n t ífic a: os m u ­

  LOPES, seu s e as c iê n c ias n atu rais n o séc u lo X I X . São Paulo: H ucitec, 1997. 369 p.

  85-271-0425-3 H Excelente o bra, co m ênfase no M useu N acio nal do

  ISBN Rio de Janeiro. índ ice o no m ástico .

  M useus, herbário s, arquivos e co leçõ es científicas de o utro s países 608 THE ASTC directory. W ashingto n, DC: A ssociation of Science-Techno lo - gy C enters (A STC), 199 0 - . A nual H Lista internacio nal de museus de ciência e tecno lo gia.

  609 CLEEVELY, R .j. Woríd fKiíüeontoíogy c o lle c t io n s . Lo ud o n: British M useum , M ansell, 1983. 365 p. f A rranjo alfabético pelo no m e da co leção , inclusive data de criação e notas biográficas do criad o r ou fund ad o r do acer­ vo. índ ice de instituiçõ es, co leçõ es e assunto s.

  610 Victo r J. New York: Greenw o o d DANILOV, A m e r ic a’s sc ie n c e m u seu m s. Press, 1990. 483 p. 0-313-25865-1 11 Em ordem alfabética, inclui o en­

  ISBN

  d ereço e info rm açõ es sobre as co leçõ es de 587 museus científico s dos EUA. índ ice alfabético único de assunto s e instituiçõ es.

  611 . U n iv ersity an d c o lle g e m u seu m s, g alle r ie s an d r e lat e d fac ilit ie s :

  

a desc rip tiv e direc tory . W estp o rt: Greenw ood Press, 1996. 692 p. 0-313-

  ISBN

  28613-2 11 Inclui no m e, end ereço e dados básico s de 708 m useus, galerias de M U SEU S, H ERBÁ RIO S, A RQ UIVO S E C O LEÇ Õ ES C IEN TÍFIC A S

  107 arte, aquário s e jardins bo tânico s ligados a faculd ad es e universidades dos

  EUA. A rranjo pela tipo lo gia da instituição . índ ice alfabético de assunto s.

  612 Kenneth; N icho lls, A nn. T h e d i r e c t o r y o f w o r l d m u s e u m s

a n d l i v i n g d i s p l a y s . 3rd ed. Lo nd o n: M acm illan, 1985. 1064 p. 11 Inclui info r­

HUDSON, m açõ es sobre cerca de 35 000 museus, jardins zo o ló gico s, aquário s, jardins bo tânico s e fazendas histó ricas. O critério de inclusão foi a abertura regular para o público em geral. Em cada verbete foram íncluíd o s o no m e da o rgani­ zação , end ereço e breve d escrição da co leção . A rranjo alfabético por países e, d entro de cada país, pela ordem alfabética da cid ad e. N ão inclui índ ice.

  613 ÍNDEX herbario rum: a guide to the lo catio ns and co ntents of the world p ublic herbaria. Utrecht: Internatio nal Bureau for Plant Taxo no m y and N o m enclature o f the Internatio nal A sso ciatio n for Plant Taxonomy, 1990. 2 partes. ISBN 0-8932-7358-9 11 Ed itad o desde 1964, relacio na mais de 1 500 herbário s e co leçõ es de diversos países. A primeira parte inclui o no m e do herbário, end ereço, data de fundação, número de espécies, d escrição das prin­ cipais co leçõ es, áreas de pesquisa e publicaçõ es. índ ice das principais co le­ çõ es e esp ecialistas. Na segunda parte, lista dos co lecio nad o res, em ordem alfabética, co m dados básico s sobre suas co leçõ es. W o r l d d i r e c t o r y o f m i ­ n e r a l c o l l e c t i o n s . 614 In te r n a ti o n a l M i n e r a lo g ic a l A s s o c ia tio n .

  2nd ed. Co p enhagen: Geo lo gical M useum , 1977. 250 p. 11 Primeira ed ição : 1974. A brange 32 países. Cad a verbete inclui o no m e da co leção (na língua original e em inglês), end ereço , no m e do responsável, d etalhes do acervo, catálo go s e ho rário de funcio nam ento .

  615 o f the world. 7 th ed. M unich: Saur, 1999. 750 p. 3-

  MUSEUMS

  ISBN

  598-20606-2 H Cerca de 24 000 museus de 182 países: no m e, end ereço , tipo de m useu, ano de fund ação e breve no ta sobre o acervo e instalaçõ es. A rran­ jo alfabético por países e, d entro de cada país, por ordem alfabética de cid a­ des. Inclui três índ ices alfabético s: no mes dos museus, pessoas e assunto s.

  616 TH E OFFICIAL museum directory. New York: Bowker, 1961- . A nual.

  0090-6700 H A rranjo alfabético por estad o no rte-am ericano e d entro do

  ISSN

  estad o por o rdem alfabética de cidade. Dado s básico s de cerca de 8 000 aq u ário s, jard ins b o tânico s, m useus (d e arte, histó rico s, cien tífico s e tecno ló gico s) e zo o ló gico s dos índ ice de instituiçõ es, pessoas, institui­ EUA. çõ es por catego ria e co leçõ es. Organizado sob os auspícios da A m erican A sso­ ciatio n o f M useum s. A 29.“ ed ição , publicad a em 2000, tem dois volumes.

  M useus, herbário s, arquivos e co leçõ es científicas do Brasil 617 Ana M aria Ribeiro de; A driana Xavier Go uveia

ANDRADE, OLIVEIRA,

  de; LUZ, M arco A ndré Ballo usier A ncora da. G u i a d e i n s t i t u i ç õ e s e a r q u i v o s

  108 PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA ro: M useu de A stro no m ia e C iências A fins, 1991. 202 p. H A presenta dados histó rico s sobre cada uma das instituiçõ es. 618 CARRAZONI, M aria Elisa. G u ia dos m u seu s do B rasil. 2. ed . Rio de Ja­ neiro: Expressão e Cultura, 1978. 167 p. 11 A primeira ed ição , de 1972, é de auto ria de Fernand a de Cam argo A lmeida. A rranjo alfabético por estad o , inclui museus m antid o s por organismos públicos e privados. Info rm a o no m e e end ereço na maioria dos verbetes. 619 SANTOS, Fausto Henrique dos; MOURA , Fernand o de M enezes de; FERNA NDES, Neusa. C at álo g o dos m u seu s do B rasil.

  3. ed. Rio de Janeiro :

  A sso ciação Brasileira de M useo lo gia, 1989. 68 p. H A segunda ed ição foi publicad a em 1984. A rranjo alfabético por cidades.

  n i v e r s i d a d e d e ã o a u l o o m i s s ã o d e a t r i m ô n i o u l t u

6 2 0 U S P . C P C ­

r a l

  . G u ia de m u seu s bras ile ir o s . São Paulo: Ed ito ra da Universid ade de São

  Paulo, Imprensa O ficial do Estad o , 2000. 498 p. (Uspiana Brasil 500 ano s) f Excelente obra, co m arranjo alfabético por estad o e, d entro do estad o , por o rdem alfabética dos m unicípio s. Arrola 529 museus, co m end ereço , área, acervo , e info rm açõ es so bre biblio teca, arquivo , instalaçõ es, ativid ad es esp ecializad as e ho rário de funcio nam ento . Ilustrado. índ ice.

  P R ÊM IO S E H O N RA RIA S Prêmios e ho nrarias são co m uns em quase todas as áreas científicas e tecno ló gicas. A lguns, co m o o prêmio N o bel, são co m entad o s em jo rnais e no ticiário s televisivos; o utro s, entretanto , são co nhecid o s so m ente por esp e­ cialistas de uma área. Existem às centenas e a lo calização de info rm ação sobre eles nem sempre é fácil. Vale a pena m encio nar que as fo ntes de info r­ m ação existentes não são co m p letas e, m uitas vezes, enfatizam d eterm ina­ dos países ou regiões. De forma crescente, info rm açõ es sobre prêmio s e ho n­ rarias passam a ser inseridas na Internet.

  Prêmio s e ho nrarias de o utro s países 621 honors and prizes. 17th ed. D etro it: G ale, 2000. 2 v.

  AWARDS,

  ISSN

  0196-6316. Tam bém em fita m agnética e ced erro m H Ed itad o desde 1969, abarca 17 000 prêmios e honrarias co nced id o s em mais de 100 países. A rran­ jo em o rd em alfabética das o rganizaçõ es pro mo to ras. V. 1: o rganizaçõ es dos e Canad á; v. 2: organizações internacio nais e estrangeiras. Cad a vo lume

  EUA inclui índ ices de instituiçõ es, prêmios e assunto s. o u n d a t i o n 622 N O BEL F . The o fficial w ebsite o f the N o bel Fo und atio n.

  H C o ntém lista dos laureados co m prêmio N o bel desde 1901. Inclui d o cum ento s e info rm açõ es sobre o prêmio e os premiado s.

  109

  PRÊM IO S E HONRA RIA S

623 W ORLD d ictio nary o f aw ards and prizes. Lo nd o n: Euro p a Publicatio ns,

1979. 386 p. ISBN 0-905118-32-4 H Info rm açõ es so bre cerca d e 2 000 p rêm i­

o s, nacio nais e internacio nais, d e 62 p aíses. Em o rd em alfab ética, p elo no m e

d o p rêm io na líng ua o rig inal, co m trad u ção em ing lês q u and o necessário .

Info rm a os no m es d o s p rem iad o s. índ ices: 1) alfab ético d o s p rêm io s, co m

entrad as na líng ua o rig inal e ing lês; 2) assu nto s; 3) g eo g ráfico p o r p aíses.

  

Prêm io s e ho nrarias d o Brasil

a

  

6 2 4 FU N D A Ç Ã O M O IN H O S N TISTA .

reço : A v enid a M aria C o elh o A guiar, 2 1 5 , b lo co A, 7 .° and ar, São Paulo , SP

0 5 8 0 4 - 9 0 5 11

  Fund ad a em 1955, tem co m o o b jetiv o a p ro m o ção da ciên cia,

letras e artes no Brasil, m ed iante p rêm io s anu ais d eno m inad o s M o in h o

San tista e M o inho San tista para Jo v ens. 625 I n s t i t u t o N a m i J a f e t p a r a o P r o g r e s s o d a C i ê n c i a e C u l t u r a .

En d e re ç o : R u a A g o stin h o G o m e s, 1455, São Pau lo , SP 04206-000 H Fu n d ad o

e m 1961, e m m e m ó ria d o in d u strial p ro fesso r N am i Ja f e t, c o n c e d e p rêm io s

e b o lsas d e e stu d o s, an u alm e n te . e l i p p e

  

626 M EDA LH A C A RN EIRO F . End ereço : C o m issão N acio nal de Ener­

gia N u clear (CN EN ). M ed alha C arneiro Felip p e. Rua G eneral Sev eriano , 90,

Rio d e Janeiro , RJ 22294-900 H Institu íd a p elo D ecreto Fed eral n .° 7 0 280, de

14 d e m arço d e 1972, anu alm ente co nced id a pela CNEN. D estina-se a d istin­

g uir p erso nalid ad es po r trabalho s realizad o s no cam p o da p esquisa c ie n tífi­

ca o u tecno ló g ica relacio nad a co m o d esenv o lv im ento d e ap licaçõ es p acífi­

cas da energ ia nuclear.

  

6 2 7 P r ê m i o A l m i r a n t e Á l v a r o A l b e r t o p a r a C i ê n c i a e T e c n o l o ­

g i a . . En d e re ç o : C o n se lh o N ac io n al

d e D e se n v o lv im e n to C ie n tíf ic o e T e c n o ló g ic o (C N Pq ), Prê m io A lm iran te

Á lv aro A lb erto , SEPN, Q u ad ra 507, Blo c o B, Brasília, DF 7 0 7 4 0 - 9 0 1 11 In stitu ­

íd o p elo D e c re to n .° 85 8 8 0 , d e 8 d e ab ril d e 1981, te m p o r “ o b je tiv o o re c o ­

n h e c im e n to e e stím u lo a p esq u isad o res e c ie n tistas b rasileiro s q u e p restem

re lev an te c o n trib u iç ão no s c am p o s d a c iê n c ia e te c n o lo g ia ” . U m d o s p rê m i­

o s m ais im p o rtan te s d o País, e stá n o â m b ito d o M in isté rio d a C iê n c ia e

T e c n o lo g ia, sen d o g e ren c iad o p elo C N P q . È en tre g u e , em sessão so len e, p elo

p re sid e n te d a R e p ú b lic a. r ê m i o r i c o a n n u c c i e n d e s

  628 P É

  V M ,

erico .h tm H Institu íd o , em m arço d e 1988, ,pela fam ília d e Érico V annu cci

M end es, tem po r o b jetiv o p rem iar p esso as q ue tenham realizad o estud o s e

p esquisas so bre a cu ltu ra brasileira, no sentid o da p reserv ação d a m em ó ria

cu ltu ral das m ino rias étnicas e so ciais. C ab e ao CN Pq, à SBPC e ao M inistério

da C u ltu ra a d iv ulg ação d o s p rem iad o s. É co nced id o p elo CNPq.

  1 1 0 PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA r e d e r i c o e n e z e s e i g a

  629 PRÊM IO F D E M V . End ereço : Prêm io Fred erico

d e M enez es Veiga, EMBRAPA, SAIN, Parque Rural, A v enid a W -3 N o rte, Ed ifí­

cio sed e da EMBRAPA, Brasília, DF 70779-900 H C o n ced id o an u alm en te p ela

EMBRAPA, d esd e 1975, àq u eles q u e se d estacaram no cam p o da p esq u isa

ag ro p ecuária. n v e n t o

  

630 PR ÊM IO I BRA SILEIR O . End ereço : Serv iço Estad u al d e A ssis­

tência ao s Inv ento res, A v enid a Pro fesso r A lm eid a Prad o , 532, Préd io d o IPT,

C id ad e U niv ersitária, São Paulo , SP 05508-901 H D estin ad o a p rem iar o es­

fo rço de p esquisad o res vo ltad o s para o d esenv o lv im ento tecn o ló g ico e d i­

vulgar a tecno lo g ia criad a no p aís. C o nced id o p ela Secretaria d e C iê n c ia e

Tecno lo g ia d o estad o de São Paulo.

  

6 3 1 P r ê m i o J o s é R e i s d e D i v u l g a ç ã o C i e n t í f i c a ,

p rem io s/ p -jo se.h tm

  11 Fo i in stitu íd o p elo CN Pq, em 1978, c o m o h o m e n ag e m

ao p ro fesso r Jo sé R eis, p io n eiro d a d iv u lg ação c ie n tíf ic a n o Brasil. C o n c e d i­

d o a n u alm e n te a q u e m te n h a c o n trib u íd o p ara to rn ar a c iê n c ia , a te c n o lo g ia

e a p esq u isa c o n h e c id as d o p ú b lic o , p ela d iv u lg ação d as ativ id ad e s d e p e s­

q u isa e d o s av an ç o s c ie n tífic o s e te c n o ló g ic o s no s m e io s d e c o m u n ic aç ão .

o v e m

  

632 PR ÊM IO J C IEN TISTA , H In stitu í­

d o em 1981, é co nced id o p elo CN Pq. D estinasse a estim u lar aq u eles q u e se

d ed icam a p esquisas cien tíficas no Brasil. E um a p arceria entre CN Pq, G ru p o

G erd au e Fu nd ação Ro b erto M arinho . o i n h o a n t i s t a

  

633 PR ÊM IO M S .

p ag ina.htm . End ereço : Fu nd ação M o inho San tista, A v enid a M aria C o elh o

A guiar 215, Blo co D , 5.° and ar, São Paulo , SP 05804-903 H C riad a em 1955, a

Fu nd ação tem p o r o b jetiv o p ro m o v er o av anço d a ciên c ia, letras e artes no

  Brasil, o uto rg and o , anu alm ente, o p rêm io M o in h o San tista.

634 - P - r ê m i o N a c i o n a l d e P ó s c r a d u a ç ã o o p p a b e q . u r l : abeq .o rg .

br/ o p p abeq.htm l 11 C o nced id o pela A sso ciação Brasileira de Eng enharia Q u í­

m ica, co m p atro cínio da em p resa OPP. Tem po r o b jetiv o incentiv ar os m e ­

lho res p ro jeto s de p ó s-g rad uação em eng enharia q u ím ica. u n h a En d e re ç o : Prêm io O c ta c ílio C u n h a , C o ­ 6 3 5 PR ÊM IO O C TA C ÍLIO C .

m issão N ac io n al d e En erg ia N u c le ar (CN EN ), Ru a G e n e ral Se v e rian o , 9 0 ,

R io d e Jan e iro , RJ 2 2 2 9 4 - 9 0 0 H In stitu íd o em 1981 e an u a lm e n te c o n c e d id o

p ela CNEN. C o n te m p la e n tid ad e s q u e te n h am c o n trib u íd o p ara o p ro g resso

e d ifu são d a en erg ia n u c le ar p ara o b e m -e star d a so c ie d ad e b rasileira.

  PRÊM IO PETRO BRA S DE TECN O LO GIA DE D U TO S. 636

co m .br/ p ro d ut.htm 11 C o nced id o ao s univ ersitário s q u e façam p esqu isa q u e

v isem a au m entar a co nfiab ilid ad e e a vid a útil d o s d uto s e red uzir o s cu sto s

e risco s co m o transp o rte d e p ro d uto s p etro q u ím ico s.

  111

  REDA ÇÀ O TÉC N IC A E M ETO D O LO G IA C IEN TÍFIC A 6 3 7 PRÊM IO RH O DIA -A BEQ . URL: abeq.o rg .br/ rho d ia.htm l H C o nced id o

p ela A sso ciação Brasileira de Eng enharia Q u ím ica co m o p atro cínio da em ­

p resa Rho d ia. Tem po r o b jetiv o incentiv ar o ap rim o ram ento da fo rm ação

d o s p ro fissio nais da área de eng enharia q u ím ica.

  

R ED A Ç Ã O T ÉC N IC A E M ET O D O L O G IA C IE N T Í FI C A

Escrev er um artig o o u trab alho c ien tífic o requ er a hab ilid ad e de saber

lo calizar, av aliar e o rg anizar a info rm ação , co m o tam b ém o co n h ecim en to

d as co nv ençõ es d e estilo e co m p o sição . A busca b ib lio g ráfica d ev e ser u tili­

zad a p elo estu d ante o u p esqu isad o r para lo caliz ar info rm ação nas b ib lio te ­

cas. A co m u n icação dos resultad o s de um a p esquisa seg ue no rm as e p ad rõ es

co nv encio nais. Existem m anu ais d e m eto d o lo g ia cien tífic a o nd e são d escri­

tas as d iv ersas fases de um a p esqu isa, m aneiras d e analisar e d escrev er os

d ad o s e, m u itas vezes, fo rm as de citação das fo ntes d e info rm ação co nsu lta-

  

A lg um as univ ersid ad es (co m o a Univ ersid ad e Fed eral do Paraná e a U n i­

v ersid ad e Estad u al Paulista) e asso ciaçõ es cien tíficas p o ssuem no rm as esp e­

cíficas d e co m o p rep arar um artig o c ien tífic o , trab alho d e co nclu são de cu r­

so o u tese.

  

A spectos da m etod o lo gia cien tíf ica

CA STRO ,

638 C láu d io d e M o ura. A p r át ic a da p e s q u is a. São Paulo : M akro n

  

Bo o ks, 1977. 156 p. H A p esar d e ab rang ente, enfatiz a os asp ecto s da m eto d o ­

lo g ia c ien tífic a. O cap ítu lo inicial trata da natu rez a d o p ro cesso c ien tífic o e

da p esquisa. O seg und o cap ítu lo abo rd a, so b um a p ersp ectiv a neo p o sitiv ista,

o uso da ling u ag em . A esco lha d o tem a, co m suas d ificu ld ad es e im p licaçõ es

m eto d o ló g icas d eco rrentes, é abo rd ad a no terceiro cap ítu lo . O q u arto cap í­

tu lo d iscu te os d ad o s, am o strag em e os lim ites d o tratam en to q u antitativ o .

N o q u into cap ítu lo , são d iscu tid as as d iversas fases d e um a p esqu isa. E, fi­

n alm en te, o s p ro blem as relativ o s ao g eren ciam ento d e um p ro jeto de p es­

quisa. índ ice.

639 CERV O , A m ad o Luiz; BERVIA N, Ped ro A lcino . M e t o d o lo g ia c ie n t ífic a .

4. ed . São Paulo : M akro n Bo o ks, 1996. 209 p. ISBN 85-346-0521-1 H Ed itad a

d esd e 1972, d iv id e-se em d uas p artes. Na p rim eira (cap . 1 - 3 ) , trata da n atu ­

reza d o c o n h ec im en to c ien tífic o e tip o s d e p esqu isa; na seg und a (cap . 4 - 6 )

abo rd a co m o esco lher o assunto ; fo rm u lação d o p ro blem a; co leta, análise e

interp retação d o s d ad o s e a estrutura d o trab alho cien tífico . índ ice.

640 D EM O , Ped ro . M e t o d o lo g ia c ie n t ífic a em c iê n c ias s o c iais . 3. ed . São

Paulo : A tlas, 1995. 293 p. ISBN 85-224-1241-3 11 Tem d uas p artes. N a p rim ei­

ra trata d as q u estõ es g erais, o nd e so bressai a p ersp ectiv a da so cio lo g ia do

c o n h ec im en to na d em arcação cien tífic a, na b usca da relativ iz ação da c iên ­

  112

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

cia e na d iscu ssão da neu tralid ad e c ien tífic a. A seg und a p arte d estaca as

abo rd ag ens, co m o : o em p irism o , o p o sitiv ism o , a d ialética, o sistem ism o e o

estru tu ralism o . Biblio g rafia no final d o v o lum e.

641 G lL, A ntô nio C arlo s. M é t o d o s e t é c n ic as d e p e s q u is a s o c ial. 5. ed . São

  11 Paulo : A tlas, 1999. 206 p. ISBN 8 5 - 2 2 4 - 2 2 7 0 - 2 Liv ro in tro d u tó rio e

ab rang ente que inclu i exercício s e trab alho s p rático s. Trata d o m éto d o c ie n ­

tífico , fo rm u lação d o p ro blem a, co nstru ção da p esqu isa, o p eracio naliz ação

das v ariáv eis, am o strag em , testes d e hip ó teses, u tiliz ação d e d o cu m en to s,

análise e interp retação d o s d ad o s e co n fecção d o relató rio . N ão inclu i índ ice.

  642 KO CH E, Jo sé C arlo s. F u n d am e n t o s d e m e t o d o lo g ia c ie n t ífic a : t e o r ia da

c iê n c ia e p r á t ic a d e p e s q u is a. 15. ed . Petró p o lis: Vo zes, 1994. 180 p. ISBN 85-

  11

326-1804-9 Trata da p rática da p esqu isa, seu p lanejam ento , d esenv o lv i­

m en to e ap resentação de resultad o s. D iv id e-se em d uas p artes: teo ria da

ciência e a p rática da p esquisa. Na p rim eira p arte, abo rd a o c o n h ec im e n to

c ien tífic o , ciência e m éto d o , leis e teo rias; na seg und a, d iscu te p ro blem as,

hip ó teses e v ariáv eis, fluxo g ram a da p esquisa c ien tífic a, a estru tu ra e ap re­

sen tação d o s relató rio s d e p esquisa e referências b ib lio g ráficas.

  

643 LAKA TOS, Eva M aria; M A RCON I, M arina d e A nd rad e. F u n d am e n t o s de

m e t o d o lo g ia c ie n t ífic a . 3. ed . São Paulo : A tlas, 1991. 270 p. ISBN 85-224-

0714-2 H Liv ro -texto q ue enfo ca os p ro ced im ento s d id ático s, asp ecto s do

c o n h ec im en to c ien tífic o , técnicas de p esquisa e d o s trab alho s esco lares e

c ien tífic o s. D iv id e-se em 11 cap ítu lo s. O cap ítu lo 3 abo rd a a c iên cia e c o ­

n h ec im en to c ien tífic o ; o cap ítu lo 5, os fato s, leis e teo rias; o cap ítu lo 6, as

hip ó teses; cap ítu lo 7, as variáv eis; cap ítu lo 8, a p esqu isa. Índ ice.

  

6 4 4 M O URA , M aria Lucia Seid l; FERREIRA , M aria C ristin a; PA IN E, Patrí­

cia A nn. M an u al d e e la b o r a ç ã o d e p r o je t o s d e p e s q u is a. Rio d e Janeiro : Ed ito ­

ra da UERJ, 1998. 134 p. ISBN 8 5 - 8 5 8 8 1 - 3 9 - 9 11 D iv id e-se em d uas p artes. A

p rim eira trata das etap as para o d esenv o lv im ento de p ro jeto s de p esq u isa; a

seg und a abo rd a a red ação d e p ro jeto s e de d issertaçõ es. A ênfase é na p ri­

m eira p arte (m eto d o lo g ia c ien tífic a). N ão inclu i índ ice.

  O LIVEIRA ,

645 Silv io Luiz d e. T r at ad o d e m e t o d o lo g ia c ie n t ífic a : p r o je t o s

d e p e s q u is a, T G I, T C C , m o n o g r afias , d is s e r t aç õ e s e t e s e s . São Paulo : Pio neira,

  

1997. 320 p. ISBN 85-221-0070-5 U Excelen te m anu al. Inicia m o strand o a

d ife re n ç a e n tre c iê n c ia e te c n o lo g ia. A seg u ir ab o rd a o s asp e c to s d a

m eto d o lo g ia c ien tífic a, co m o : os co m p o nentes, a ló g ica e a classificação das

c iên cias; a teo ria d o co n h ecim en to , o m éto d o c ien tífic o e a natu rez a d o c o ­

nhecim en to . Na terceira p arte, trata das abo rd ag ens utiliz ad as na p esqu isa,

os o b jetiv o s e as fases d a p esquisa. A ú ltim a p arte ensina co m o p lanejar e

ap resentar m o no g rafias, d issertaçõ es e teses. Inclu i no rm as da ISO , em in­

g lês, so bre p u b licação de resum o s e d o cu m ento s (p. 2 8 6 - 3 1 1 ) . ín d ice.

  113

  REDA đấ O TÉC N IC A E M ETO D O LO G IA C IEN TễFIC A

t u d o s . 4. ed . São Paulo : A tlas, 1996. 177 p. ISBN 85-224-1465-3 H “ O p rim ei­

6 4 6 R.UIZ , Jo ão Á lvaro . M e t o d o l o g i a c i e n t í f i c a : g u i a p a r a e f i c i ê n c i a n o s e s ­

ro cap ítu lo [...] ap resenta o p ro blem a d a eco no m ia e da efic iên cia na vid a de

estu d o , e o seg und o co m p reend e as técn icas da leitu ra velo z e efic ie n te , da

arte d e su b linhar co m intelig ência e d e elabo rar resum o s e esq u em as. [...]

N o terceiro cap ítu lo abo rd am o s o tem a da elab o ração d e trab alho s d e p es­

q uisa p rincip alm ente da p esquisa b ib lio g ráfica” (intro d u ção , p. 13). A se­

g und a p arte, a m ais extensa, trata d a natu rez a d o m éto d o c ien tífic o . ín d ice.

  

A sp ecto s téc n ic o s d e elab o ração d e texto s c ie n tífic o s

A NDRA DE, p r e p a r a r t r a b a l h o s p a r a c u r s o s d e p ó s - g r a d u a ç ã o : n o ç õ e s p r á t i c a s . 647 M aria M arg arid a d e. Co m o 2. ed . São Paulo : A tlas, 1997. 118 p. ISBN

85-224-1715-6 H O o b jetiv o é “ reunir alg um as no çõ es d e m eto d o lo g ia d o s

trabalho s científico s m ais so licitad o s no s curso s d e p ó s-g rad uação , b em co m o

ap resentar as características d o s p rincip ais ev ento s e reu niõ es d e caráter c i­

e n tífic o ” (p refácio , p. 8). Enfatiz a a elab o ração d e trab alho s d e p ó s-g rad ua-

ção , co m o : resenhas, artig o s, relató rio s, sem inário s, m o no g rafias e teses. Sem

índ ice. t r a b a l h o s d e g r a d u a ç ã o .

648 . I n t r o d u ç ã o à m e t o d o l o g i a d o t r a b a l h o c i e n t í f i c o : e l a b o r a ç ã o d e

  ISBN 2. ed . São Paulo : A tlas, 1997. 151 p. 85-224-

1672-9 11 O o b jetiv o é “ intro d u z ir o aluno na p rática da m eto d o lo g ia c ie n tí­

fic a, p elo d o m ínio d as técnicas q ue v isam facilitar o b o m d esem p enho no s

trab alho s d o s curso s d e g rad u ação ” (p refácio , p. 11). D iv id e-se em d uas par­

tes. A p rim eira enfatiz a a im p o rtância da leitu ra, as técnicas para elab o ração

d o s trabalho s d e g rad uação , as técnicas d e p esquisa b ib lio g ráfica e no rm as

para red ação e elab o ração d e sem inário s. A segund a p arte abo rd a o s m é to ­

d o s e técnicas d e p esquisa d e cam p o e relató rio d e p esqu isa. índ ice.

e n g e n h e i r o s , c i e n t i s t a s e e s t u d a n t e s . 2. ed . São Paulo : T.A . Q u eiro z , 1986. 218

649 BA RRA SS, Ro b ert. O s c i e n t i s t a s p r e c i s a m e s c r e v e r : g u i a d e r e d a ç ã o p a r a

p. ISBN 85-85008-52-0 H Su g estõ es p ráticas so bre o em p reg o d a ling u ag em e

red ação téc n ic a. Inclu i exem p lo s de u tiliz ação d e g ráfico s, tab elas e d ese­

nho s. Em anexo , as no rm as d a ABNT so bre o p rep aro d e o rig inais para p u bli­

cação .

  6 5 0 BA RRO S, P r o j e t o d e p e s q u i s a : p r o p o s t a s m e t o d o l ó g i c a s . A id il d e Jesus Paes d e; LEH FELD , N eid e A p arecid a d e So uza.

  5. ed . Petró p o lis: V o zes, 1997.

  102 p. ISBN 8 5 -3 2 6 - 0 0 1 8 - 2 11 M anu al p rático d iv id id o em seis cap ítu lo s: c o ­

n h ec im en to c ien tífic o ; p esquisa c ien tífic a; o p ro jeto d e p esq u isa; co leta d e

d ad o s; interp retação d o s d ad o s e o relató rio d e p esqu isa. N ão inclu i índ ice.

  651 BA STO S, Lília d a Ro cha; PA IXÃ O, Lyra; FERN A NDES, Lu cia M o nteiro ;

  114

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

s as , t e s e s , d is s e r t aç õ e s e m o n o g r a fia s . 4. ed . Rio de Janeiro : LT C Liv ro s T é c n i­

co s e C ie n tífic o s, 1998. 96 p. ISBN 85-216-1081-5 H “A p lica-se ao p lan eja­

m en to d e p ro jeto s e à elab o ração de m o no g rafias e relató rio s d e p esqu isas

cien tíficas em g eral, em bo ra fo caliz and o , p articu larm ente, teses e d isserta­

ç õ e s” (ap resentação ). Em c in co p artes: estru tu ra d o p ro jeto d e p esq u isa,

estru tu ra d a d issertação e d a tese, estrutura da m o no g rafia, u n ifo rm iz ação

red acio nal e u nifo rm iz ação g ráfica. Em anexo : glo ssário d e term o s b ásico s

em p esquisa (p. 9 0 - 9 4 ) . índ ice.

  BEA UD,

652 M ichel. A ríe d a t es e: c o m o fa z e r e r e d ig ir u m a t e s e d e m e s t r ad o ,

u m a m o n o g r afia o u q u alq u e r o u t r o t r ab alh o u n iv e r s it ár io . 2. ed . Rio d e Jan e i­

ro: Bertrand Brasil, 1997. 176 p. ISBN 85-286-0569-8 H Trad u ção da o bra

francesa L a r t d e la t h è s e (1994). G u ia p rático e ab rang ente q u e, em 30 cap í­

tu lo s, analisa as d iferentes etap as d e p rep aração d e um a tese. São d iscu tid as

a esco lha d o assunto , a d efinição d a q u estão central, o o b jetiv o e a o rg aniz a­

ção da p esqu isa, o p lano d e red ação , o tam anho , a estru tu ra e o fo rm ato do

texto , c itaçõ es, o rg aniz ação da b ib lio g rafia, no tas, fig uras, anexo s e o p rep a­

ro d o ritual da d efesa. Em cad a etap a, o au to r abo rd a as p o ssív eis d ificu ld a­

d es a serem enfrentad as. N ão inclu i índ ice.

  

653 C H IZ Z O TTI, A nto nio . 2. ed .

  P e s q u is a e m c iê n c ias s o c iais e h u m an as .

  

São Paulo : C o rtez , 1995. 164 p. ISBN 85-249-0444-5 11 Perm ite ao leito r c o m ­

p reend er os fu nd am ento s ep istem o ló g ico s, m o rfo ló g ico s e técn ico s d a p es­

q uisa e d efinir o alcance e os lim ites d e cad a tip o d e inv estig ação . Em d uas

p artes: 1) p esquisa exp erim ental: o s m éto d o s e suas lim itaçõ es, fases, a c o le ­

ta e análise d e d ad o s q u antitativ o s; 2) p esquisa q u alitativ a: seus asp ecto s

m eto d o ló g ico s, a co leta d e d ad o s q u alitativ o s, o uso de d o cu m en to s e a b i­

blio g rafia b ásica, as b ib lio tecas e arquiv o s b rasileiro s m ais im p o rtantes.

  CO STA ,

654 A nto nio Fernand o G o m es d a. G u ia p ar a e la b o r a ç ã o d e r e la t ó ­

rio s d e p e s q u is a- m o n o g r afias : t r ab alh o s d e in ic ia ç ã o c ie n t ífic a , d is s e r t aç õ e s ,

t e s e s e e d it o r a ç ã o d e liv ro s. 2. ed . Rio d e Janeiro : U n itec , 1998. 260 p. ISBN

85-86743-01-1 11 O bra d id ática, co m d ez enas d e exem p lo s p rático s. In clu i,

em anexo , as no rm as da ABNT e exem p lo s d e ro teiro de aula, critério s para

av aliação de relató rio s de p esqu isa, fo lha d e exam e de d issertação e g lo ssário

de term o s técnico s. N ão inclu i índ ice.

  

655 D ’ ONOFR.10, Salv ato re. São Pau­

M e t o d o lo g ia d o t r a b a lh o in t e le c t u al.

lo : A tlas, 1999. 120 p. ISBN 85-224-2069-6 11 D iv id e-se em d uas p artes. A

p rim eira (cap . 1-3) trata d o co n h ecim en to e sua tip o lo g ia, a q u estão do

m éto d o e d o p ro cesso de elab o ração d e um a p esqu isa. A seg und a (cap . 4 - 7 )

co m enta as p artes d o trab alho c ien tífic o , a c itação b ib lio g ráfica, o s tip o s d e

trab alho e m eto d o lo g ias ap licad as ao estu d o da literatu ra. N ão inclu i índ ice.

  115

  RED A ÇÀ O TÉC N IC A E M ETO D O LO G IA C IEN TÍFIC A

1996. 170 p. ISBN 85-273-0079-6 H Trad ução d o o rig inal italiano C o m e si fa

u n a t e s i d i lau r e a p u blicad o em 1977. Existe o utra trad u ção em p o rtug uês

p u blicad a em 1995: C o m o s e f a z u m a t e s e e m c iê n c ias h u m an as . 6. ed . Lis­

b o a: Ed ito rial Presença, 1995. 235 p. C o m eça d isco rrend o so bre o q ue é e

para q u e serve um a tese, co m enta os tip o s d e teses existen tes, exp lica co m o

faz er a p esquisa e o ficha m en to da d o cu m en tação , os p ro blem as d e red ação

e a red ação d efinitiv a da tese. C o n clu i co m duas o bserv açõ es: “ fazer um a

tese sig nifica d iv ertir-se e a tese é co m o p o rco : nad a se d esp erd iça” (p. 169).

  FEITO SA ,

657 Vera C ristina. R e d a ç ã o d e t e x t o s c ie n t ífic o s . 3. ed . C am p i­

nas: Pap irus, 1997. 155 p. ISBN 85-308-0176-8 ! Em seis cap ítu lo s, a auto ra

m o stra as hab ilid ad es necessárias para se o b ter o d o m ínio da ling u ag em es­

crita. N o s três p rim eiro s abo rd a as fases d e p rep aração e o rg aniz ação das

info rm açõ es para o texto ; no q u arto , a red ação d o texto , co m entand o so bre o

te x to p rincip al, fig uras, tab elas, quad ro s, anexo s, referências, títu lo s, resu­

m o s e índ ice. N o ú ltim o cap ítu lo , trata da rev isão d o rascu nho . Inclu i vário s

anexo s, entre eles um relativ o à revisão ling ü ística.

  658 GA LLIA NO,

A. G u ilherm e. O m é t o d o c ie n t ífic o : t e o r ia e p r á t ic a . São Paulo : H arbra, 1986. 200 p. ISBN 85-294-0087-9 11 D iv id e-se em d uas p artes.

  

A p rim eira (p. 3 - 4 5 ) enfo ca a c o n c eitu ação de elem ento s d e m eto d o lo g ia,

o nd e são ap resentad o s os fu nd am ento s d o co n h ecim en to até cheg ar à id en­

tific aç ão d as p rincip ais características d o m éto d o c ien tífic o e seus p ro ced i­

m ento s. Na seg und a p arte (p. 4 9 - 1 6 6 ) , a m ais extensa, é v ista a p rática

m eto d o ló g ica, o nd e são m o strad as as técnicas para se o b ter efic iên cia no s

estu d o s e na le itu ra, o arran jo d a d o c u m en taç ão p esso al, a red ação e

estru tu ração d o m aterial e, fin alm en te, a p rep aração para p u blicação . Em

anexo , fo ram inclu íd o s o p ro jeto PN B-66 da ABNT so bre referências b ib lio ­

g ráficas e um glo ssário de term o s de m eto d o lo g ia. índ ice.

659 G lL, A n tô nio C arlo s. C o m o e la b o r a r p r o je t o s d e p e s q u is a. 3. ed . São

Paulo : A tlas, 1996. 159 p. ISBN 8 5 - 2 2 4 - 0 7 2 4 - X 11 D e caráter p rático , d iv id e-se

em 14 cap ítu lo s. Prim eiro , ap resenta os elem ento s necessário s para a elab o ­

ração d e p ro jeto s d e p esqu isa. Em seg uid a, as co nd içõ es para a o rg aniz ação

d e c o n h ecim en to s d isp erso s. Inclu i um interessante cap ítu lo so bre co m o

calcu lar o tem p o e o cu sto d o p ro jeto .

  

660 H UBN ER, M aria M artha. G u ia p ar a e la b o r a ç ã o d e m o n o g r afias e p r o j e ­

t o s d e d is s e r t a ç ã o d e m e s t r ad o e d o u t o r ad o . São Paulo : Pio neira; M ackenz ie,

  

1998. 76 p. ISBN 85-221-0149-3 11 A p resenta, nu m a fo rm a sin tética e sim ­

p les, sug estõ es p ráticas para a elab o ração d e m o no g rafias, d issertaçõ es e te ­

ses. A bo rd a as fases do p ré-texto ; d ecisõ es so bre o p ap el, d atilo g rafia, m ar­

g ens e p ag inação ; ap resentação e d efesa. N ão inclu i índ ice.

  

661 LAKA TOS, Eva M aria; M A RCON I, M arina de A nd rad e. M e t o d o lo g ia do

  116

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

t r a b a lh o c ie n t ífic o . 4. ed. São Paulo : A tlas, 1995. 214 p. ISBN 85-224-0859-9

  

11 Em seis cap ítu lo s, tem o p ro p ó sito de m o strar, co m exem p lo s, a estru tu ra

da co m u n icação c ien tífic a, d esd e as ativ id ad es d iscentes até trab alho s de

m aio r rigo r m eto d o ló g ico . Na p arte de p esquisa b ib lio g ráfica, ap resenta a

red ação d e fichas, resum o s, p rep aração d e sem inário s, análise de texto s, in ­

fo rm e s, c o m u n ic aç ão c ie n tíf ic a e m o n o g rafia. Fo c aliz a a re d aç ão d e

c u r r ic u lu m v it ae , p esquisa, p ro jeto s e relató rio s finais. O ú ltim o cap ítu lo é

so bre referências b ib lio g ráficas. Excelen te índ ice d e assu nto s (p. 2 0 3 - 2 1 4 ) .

  

662 PA RRA F i l h o , D o m ing o s; S a n t o s , Jo ão A lm eid a. M o n o g r afia e a p r e ­

s e n t a ç ã o d e t r ab alh o s c ie n t ífic o s . 2. ed. São Paulo : Terra, 1997. 106 p. ISBN

85-85741-04-X H M o stra, su cin tam en te, co m o elab o rar resum o s e fichas de

leitu ra, a estru tu ra do p ro jeto d e p esqu isa, asp ecto s g ráfico s e d e estru tu ra

d e um a m o no g rafia, tab elas, g ráfico s e referenciação b ib lio g ráfica. N ão in ­

clui índ ice.

  663 RUD IO , Franz V icto r. In t r o d u ç ão a o p r o je t o d e p e s q u is a c ie n t ífic a .

  24.

ed . Petró p o lis: Vo zes, 1999. 144 p. ISBN 85-326-0027-1 11 “ Se d estina aos

p rincip iantes, isto é, ao s que estão se iniciand o no estu d o de m éto d o s e

técnicas d e p esquisa c ie n tífic a” (intro d u ção , p. 7). Em o ito cap ítu lo s, ab o r­

da o p ro blem a m eto d o ló g ico da p esqu isa, o p ro jeto da p esqu isa, tip o s de

p esq u isa, a d efinição d o p ro blem a, hip ó teses, co leta, análise e in terp retação

d e d ad o s. Em anexo , m o d elo d e p ro jeto de p esquisa.

  664 SA LOMON, D élcio V ieira. C o m o fa z e r u m a m o n o g r afia. 9. ed . São Pau­

lo : M artins Fo ntes, 1999. 412 p. ISBN 85-336-1011-4 H O bra clássica ed itad a

d esd e 1971. Tem três p artes: 1) m éto d o s d e estud o , d e leitu ra, co m o fazer

resum o s; 2) fo rm as de trabalho cien tífico ; 3) co m o elabo rar um a m o no g rafia.

  Em anexo , a no rm a NBR 6023 da ABNT so bre referências b ib lio g ráficas. 665 SEVERIN O , A nto nio Jo aq u im .

  M e t o d o lo g ia d o t r a b a lh o c ie n t ífic o .

  20.

ed . São Paulo : C o rtez , 1996. 272 p. ISBN 85-249-0050-4 11 Ed itad a d esd e

1975, d iv id e-se em sete cap ítu lo s: 1) a o rg aniz ação da vida de estu d o s na

univ ersid ad e; 2) a d o cu m en tação co m o m éto d o d e estu d o p esso al; 3) le itu ­

ra, análise e interp retação de texto s; 4) realização d e um sem inário ; 5) ela­

b o ração d e um a m o no g rafia cien tífic a; 6) o bserv açõ es m eto d o ló g icas refe­

rentes ao s trabalho s de p ó s-g rad uação ; 7) p ré-req u isito s ló g ico s d o trab alho

c ien tífic o . Em anexo , a) extensa biblio g rafia (p. 1 63-254) so bre rev istas, d i­

cio nário s esp ecializ ad o s, b iblio g rafias e ed ito ras b rasileiras; b) b ib lio g rafia

co m entad a so bre m eto d o lo g ia cien tífic a. Índ ice.

  666 TA CHIZ A W A , Takeshy; M EN D ES, G ild ásio . C o m o fa z e r m o n o g r afia p r á ­

t ic a. 4. ed . Rio d e Janeiro : Fu nd ação G etú lio Vargas, 1999. 106 p. ISBN 85-

  

225-0260-9 H Em 10 cap ítu lo s, abo rd a, de fo rm a sin tétic a, d esd e o p lan eja­

m en to da m o no g rafia até a fase d e ed ição . Em ap ênd ice, glo ssário d o s ter­

  117

  RED A đấ O TÉC N IC A E M ETO D O LO G IA C IEN TễFIC A 6 6 7 TRA LD I, M aria C ristina; D lA S, Reinald o . M o n o g r afia p as s o a p as s o .

  ISBN 8 5 - 8 6 4 9 1 - 2 3 - 3 H

C am p in as: Ed ito ra A línea, 1998. 95 p. C o n tém três

p artes: estru tu ra da m o no g rafia, asp ecto s gerais da ap resentação da m o n o ­

grafia e critério s para elab o ração das referências b ib lio g ráficas. A bo rd a a

referenciação d e d o cu m ento s eletrô nico s (p. 9 1 - 9 2 ) . N ão inclu i índ ice.

  

6 6 8 VlCTO RIA N O , Ben ed icto A .D .; GA RCIA , C arla C . P r o d u z in d o m o n o ­

( T C C ) .

g r a fia : t r a b a lh o d e c o n c lu s ão d e c u r s o São Paulo : Publisher, 1996. 67 p.

  ISBN 85-85938-05-6 11 O bra p rática que abo rd a, nu m a fo rm a sin tética, d esd e

a esco lha d o tem a, p assand o p ela o rg aniz ação técn ica da ap resentação g ráfi­

ca d o texto , até a ap resentação p ú blica do trabalho . N ão inclu i índ ice.

  

A sp ecto s red acio nais

669 A NDRA DE, M aria M argarid a d e; H EN RIQ UES, A nto nio . L ín g u a p o r t u ­

g u e s a: n o ç õ e s b ás ic as p ar a c u r s o s s u p e r io r e s . 5. ed . São Paulo : A tlas, 1996.

  

205 p. ISBN 85-224-1460-2 11 O o b jetiv o “ é o ferecer ao alu no d e q u alq u er

cu rso sup erio r o s c o n h ecim en to s ind isp ensáv eis para um bo m d esem p enho

nas co m u nicaçõ es esc ritas” (p refácio , p. 11). D iv id e-se em três p artes: 1)

intro d u ção à teo ria da co m u n icação ; 2) técnicas de leitu ra e interp retação

d e texto ; 3) técnicas d e exp ressão escrita, abo rd and o o léxico , estru tu ras da

frase, o p arágrafo , fo rm as d e co m p o sição d o texto e tip o s d e red ação . N os

anexo s, trata d as regras e d ificu ld ad es g ram aticais. N ão inclu i índ ice.

  BLIKSTEIN ,

670 Izid o ro . T é c n ic as d e c o m u n ic aç ão e s c r it a. 17. ed . São Pau­

  ISBN

lo : Á tica, 1999. 95 p. 85-08-02395-2 H Pequeno e p rático m anu al que

m o stra as p artes q u e “ co m p õ em o m ecanism o e fu n cio n am en to d a c o m u n i­

cação , d em o nstrand o q u e escrev er bem não é escrev er b o n ito o u d ifícil, m as

co m u nicar-se efic az m en te” (c o n trac ap a). D estaq u e para o cap ítu lo 4 (p. 60—

8 8), q u e abo rd a a im p o rtância d o uso d e tab elas, figuras e g ráfico s para atra­

ir a aten ção d o leito r. N ão inclu i índ ice.

  CÂ MARA JUN IO R,

671 Jo aq u im M atto so . M an u al d e e x p r e s s ão o r a l e e s c r i­

t a. 16. ed . Petró p o lis: Vo zes, 1998. 164 p. ISBN 85-326-0323-8 H O bra clássi­

ca, ed itad a d esd e 1961, d iv id id a em d uas p artes co m 18 cap ítu lo s. N a pri­

m eira (cap . 1 - 5 ) , trata da bo a ling u ag em , a elo cu ção e a exp ressão o ral. Na

seg und a p arte, abo rd a o p lano d e um a red ação , a estru tu ra da frase, o rto g ra­

fia, fo rm as e reg ências v erbais. N ão inclu i índ ice.

  672 CA RM O N ETO , D io nísio . M e t o d o lo g ia c ie n t ífic a p ar a p r in c ip ian t e s .

  3.

ed . Salv ad o r: A m erican W o rld Univ ersity Press, 1996. 560 p. 11 “ Liv ro -texto

q u e fo rnece as regras d e co m u nicação de um a fo rm a ló g ica, seq ü encial e

o rd enad a. Pretend e atend er a um a d em and a de p esso as q u e d esejam escre­

ver co m p recisão , rigo r e e stilo ” (ap resentação , p. 21). Em 25 cap ítu lo s ap re­

senta m eto d o lo g ia d e co m o estud ar e escrev er texto s de d iv erso s tip o s —

  118

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

artig o s para jo rnal, ensaio s, resenhas, resum o s, teses, e tc . — e co m o ap re­

sentar e p u blicar um trab alho cien tífico . Inclu i g lo ssário (p. 543—552) de

term o s técnico s em m eto d o lo g ia cien tífic a. N ão inclu i índ ice.

  FA ULSTICH ,

673 Enild e L. C o m o ler, e n t e n d e r e r e d ig ir u m t e x t o . 9. ed.

Petró p o lis: Vo zes, 1998. 117 p. ISBN 8 5 - 3 2 6 - 0 6 0 8 - 3 U Tem po r o b jetiv o info r­

m ar ao leito r “ c o m o ler um te x to téc n ic o , en ten d er as id éias d o texto ,

extrap o lá-las e red igir co m seg u rança” (intro d u ção , p. 10). Na p rim eira p ar­

te, abo rd a a in ten ção de ler, o texto e enten d im en to , as palavras e v o cábu lo s

co m o unid ad es essenciais d o texto , p ro d ução d o texto (a d issertação ). Na

seg und a p arte, trata da sintaxe d e co nstru ção , a vírgula no c o n tex to sin té ti­

co , crase e tem as para red ação . N ão inclui índ ice.

  

674 GA RCIA , Luiz. M an u al d e r e d aç ão e e s t ilo . 24. ed . São Paulo : G lo b o ,

1997. 246 p. ISBN 85-250-1099-5 11 A p resenta-se “ co m o um o rientad o r e fic i­

ente e p rático para to d o s aq ueles q u e q uerem ap rend er a escrev er co m co rre­

ção g ram atical e clarez a” (co ntracap a). São cinco cap ítu lo s: 1) trata d o tra­

b alh o d o rep ó rter antes d e co m eçar a escrev er; 2) abo rd a o estilo ; 3) analisa

os p ad rõ es e co nv ençõ es de ed ito ração ; 4) co m enta as regras g ram aticais

relativ as ao uso de acento s, crase, verbo s, co nco rd ância, p rep o sição , artig o s,

p ro no m es e p o ntu ação ; 5) abo rd a os asp ecto s ético s da ativ id ad e jo rnalística.

Em anexo : exp ressõ es que se p restam a erro s e tro p eço s d iv erso s, erro s c o ­

m u ns em texto s, uso de palavras estrang eiras, exp ressõ es ju ríd icas, term o s

d e p sicanálise e p siqu iatria. índ ice.

675 GA RCIA , O th o n M o acyr. C o m u n ic aç ão e m p r o s a m o d e r n a: ap r e n d e r a

esc rev er, ap r e n d e r a p en sar. 17. ed . Rio d e Janeiro : Fu nd ação G e tú lio Vargas,

  

1995. 522 p. ISBN 85-225-0191-2 11 O bra clássica so bre o uso da líng ua p o rtu ­

g uesa, ed itad a d esd e 1967. Tem o p ro p ó sito d e “ ensinar a p ensar, vale d izer,

a enco ntrar id éias, a co o rd ená-las, a co ncatená-las e a exp ressá-las d e m an ei­

ra e fic az ” (p. ix). A p rim eira p arte abo rd a os asp ecto s g ram aticais, co m o :

frase, v o cabulário , p arágrafo , erro s co m u ns, estilo s e arg u m entação . A se­

gund a trata da red ação técnica e da p rep aração de o rig inais. Inclu i cin co

cap ítu lo s co m exercício s p rático s (p. 4 2 3 - 4 9 8 ) . índ ice. 6 7 6 KURY, A d riano da G am a. P ara f a l a r e e s c r e v e r m e lh o r o p o r t u g u ê s .

  2.

ed . Rio d e Janeiro : N o va Fro nteira, 1989. 275 p. ISBN 8 5 - 2 0 9 - 0 5 3 4 - X 11 Seu

p rincip al o b jetiv o “ é lev ar o leito r ao cam inho da bo a red ação na m o d alid a­

de cu lta da líng u a” (p o sfácio , p. 2 7 3 ) . A bo rd a, co m m u ito hum o r, as d ificu l­

d ad es relativ as a o rto g rafia, crase, p o ntu ação , tem p o s v erbais, reg ência ver­

b al, estrang eirism o s e estilo .

  

677 MANUAL d e estilo A bril: co m o escrev er b em para no ssas rev istas. Rio

de Janeiro : N o va Fro nteira, 1990. 93 p. ISBN 85-209-0200-8 11 Tem po r o b je ­

tiv o “ facilitar o trab alho ro tineiro d o s jo rnalistas da A bril e seus co lab o rad o ­

  119

  RED A ÇÁ O TÉC N IC A E M ETO D O LO G IA C IEN TÍFIC A

res” (p. 15). D iv id e-se em c in c o p artes: 1) trata d e no rm as gerais d e red ação ;

2) abo rd a o estilo e a ed ição d e texto ; 3) trata da g rafia; 4) analisa as d úv id as

m ais co m u ns; 5) co m enta o s no m es g eo g ráfico s. Em anexo , tab ela d e c o n ­

v ersão d e m ed id as d e área, co m p rim en to e cap acid ad e. N ão inclu i índ ice.

  M A RQ UES,

678 M ário O só rio . E s c r e v e r é p r e c is o : o p r in c íp io d a p e s q u is a. 2.

ed . Iju í: Ed ito ra U n iju í, 1997. 163 p. ISBN 85-85-866-36-5 H É um a intro d u ­

ç ão “ so bre o ato d e escrev er po r o nd e se inicia e co nd u z o p esq u isar” (carta

ao leito r, p. 9). D iv id e-se em c in co p artes: a q u estão é co m eçar; nav egar é

p reciso ; a m ág ica av entu ra d o escrev er; a o bra d o escrev er no p érip lo de seu

enco ntro co m o leito r; escrita e p esquisa na univ ersid ad e. índ ices o no m ástico

e d e assunto s.

  M A RTIN S,

679 D ileta Silv eira; Z lLBERKN O P, Lubia Scliar. P o rt u g u ês in s ­

t r u m e n t al. 19. ed . Po rto A legre: Sagra Luz z ato , 1998. 450 p. ISBN 85-241-

0370-1 H O bra clássica, ed itad a d esd e 1977. N a p rim eira p arte, abo rd a os

asp ecto s referentes à co m u nicação , estilo , p arágrafo , frase e d iscurso . Na se­

g und a trata da co rresp o nd ência e red ação técn ica inclu siv e co n c eito s, m o ­

d elo s e exercício s co m d iverso s tip o s de d o cu m ento s b em co m o no rm aliz a­

ção d atilo g ráfica e b ib lio g ráfica. Na últim a p arte ap resenta no çõ es g ram ati­

cais, co m inúm ero s exercício s. N ão inclu i índ ice.

  

680 M A RTIN S FILH O , Ed uard o Lo p es. M an u al d e r e d aç ão e e s t ilo d e O Es­

tad o d e S. Paulo . 3. ed . São Paulo : O Estad o d e S. Paulo , 1997. 400 p. ISBN

85-16-01669-2 11 Tem po r o b jetiv o “ expo r, d e m o d o o rd enad o e sistem atiz a­

d o , as no rm as ed ito riais e d e estilo ad o tad as p elo E s t a d o ” (p refácio , p. 9).

D iv id e-se em c in c o cap ítu lo s: 1) trata das no rm as internas e d e estilo ; 2)

abo rd a o uso d a crase; 3) co m enta os erro s m ais co m u ns na líng ua p o rtu g u e­

sa, co m exp licação su cinta so bre a m aneira de se ev itar cad a u m d eles e

o u tro s sem elh an tes; 4) esclarece a p ro núncia d e centenas d e p alav ras, esp e­

c ialm en te no q u e se refere à acen tu ação ; 5) ap resenta a grafia co rreta de

palavras e exp ressõ es. Em anexo , tabelas de m ed id as. N ão inclu i índ ice.

  

681 NEY, Jo ão Luiz. G u ia d e r e d aç ão . Rio de Janeiro : Nova Fro nteira, 1995.

  

359 p. ISBN 85-209-0628-1 H Este livro “ é para o s q ue d esejam fo rm ar-se e

ap erfeiço ar-se em escrev er co m o b jetiv id ad e e lev eza. [...] trata co m p ro fu n­

d id ad e o s tem as básico s q ue no rteiam a estru tu ração fraseo ló g ica d o p ensa­

m e n to ” (o relha). D iv id e-se em cin co cap ítu lo s: 1) ap resenta sug estõ es de

co m o red igir; 2 - 3 ) abo rd a os v ício s que d ificu ltam a co m p reensão d o texto ;

4) trata d o s erro s m ais co m u ns de ling u ag em ; 5) ap resenta um v o cabu lário

d e term o s q ue p o d em su scitar d úv id as. N ão inclu i índ ice.

  N O V O

682 m anu al d e red ação . 7. ed . São Paulo : Fo lha de S. Paulo , 1998.

  

331 p. 11 Ed itad o d esd e 1984, fo i o p rim eiro m anual d e red ação a ter d iv ulga­

ção p ú blica no Brasil. D iv id e-se em q u atro cap ítu lo s: 1) reúne os p rincíp io s

  1Z U PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A ÇA O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

ed ito riais d o jo rnal F o lh a d e S. P au lo ; 2) inclu i reco m end açõ es so bre a co leta

d e fato s para escrev er um a m atéria; 3) co m enta o s asp ecto s g ram aticais e er­

ro s fre q ü e n te s; 4) “ co m p reen d e o p rep aro e a d isp o siç ão d o m ate rial

jo rn alístico no c o n ju n to d as p ág inas” (p. 121). D iv erso s anexo s: term o s ju rí­

d ico s, atlas, fuso s ho rário s, info rm açõ es básicas so bre p aíses, g entílico s de

estad o s e b rasileiro s, transliteração de no m es estrang eiro s, m ed id as, siglas e

estrang eirism o s. ín d ice o no m ástico e d e assunto s (p. 2 7 5 - 3 3 1 ) .

683 REY, Luís. P lan e jar e r e d ig ir t r ab alh o s c ie n t ífic o s . 2. ed . São Paulo :

  ISBN

Ed gard Blücher, 1993. 318 p. 85-212-0095-1 U O bra clássica e b em c o m ­

p leta. Na p rim eira p arte, d iscu te o co n h ec im en to c ien tífic o , o s o b jetiv o s da

p esq u isa, a m eto d o lo g ia da inv estig ação , as técn icas estatísticas para análise

d e d ad o s, o p ro jeto d e p esq u isa, o fin an c iam en to e suas fo n te s, uso d e

m icro co m p u tad o res em p esquisa. Na segund a e últim a p arte, ap resenta, co m

ênfase nas ciências bio ló g icas e m éd icas, os asp ecto s relacio nad o s à red ação ,

p rep aração d e o rig inais, referências b ib lio g ráficas, m anu scrito para p u b lica­

ção , co rreção de pro vas tip o g ráficas e ap resentação o ral d e trab alho s c ie n tí­

fico s. Em anexo , lista d e sím bo lo s e abrev iaturas, abrev iaturas para títu lo s d e

p erió d ico s. índ ice.

  

A sp ecto s de no rm aliz ação e referen ciação b ib lio g ráfic a

684 CYRANKA, Lúcia Furtad o de M end o nça; SOUZ A , V ânia Pinheiro .

  O r i­ 3. ed . Ju iz d e Fo ra: Ed i­ e n t aç õ e s p ar a n o r m aliz aç ão d e t r ab alh o s ac ad ê m ic o s .

to ra da Univ ersid ad e Fed eral de Ju iz de Fo ra, 1998. 81 p. ISBN 85-85252-24-

3 11 Peq ueno m anu al q ue inclu i exem p lo s p rático s. Inicia co m os tip o s d e

trab alho s acad êm ico s. “ Em seg uid a, ap resenta os seus elem en to s co m p o ­

n entes e um a o rientação so bre a co m p o sição d e cad a um d eles. A o final, as

p rincip ais no rm as da A BNT” (ap resentação , p. 12). N ão inclu i índ ice.

  FRANÇA ,

685 Júnia Lessa; VA SCONCELLOS, A na C ristina d e; BO RGES, Stella

M aris; MA GA LHÃ ES, M aria H elena de A nd rad e. M an u al p ar a n o r m aliz aç ão

d e p u b lic aç õ e s t é c n ic o - c ie n t ífic as . 4. ed . Belo H o riz o nte: Ed ito ra UFM G, 1999.

  

213 p. ISBN 85-7041-153-7 H Tem po r o b jetiv o au xiliar na p ad ro niz ação da

ap resentação d e d o cu m ento s té c n ic o -c ien tífic o s, esp ecialm ente relató rio s,

d issertaçõ es, teses e artig o s. Esta ed ição inclu iu , no cap ítu lo 15, no rm as para

referenciação d e d o cu m ento s eletrô nico s e da In tern et. Em anexo , reco m en ­

d açõ es so bre ap resentação d e o rig inais; registro s d o s d ireito s au to rais d e p u­

b licaçõ es; ISSN e ISBN; co ncessão d e p atentes; no rm as da ABNT so bre d o cu ­

m en tação ; abrev iaturas d o s m eses.

  M A CED O ,

686 N eusa D ias d e. In ic ia ç ão à p e s q u is a b ib l i o g r á f i c a : g u ia do

e s t u d an t e p ar a a fu n d a m e n t a ç ã o d o t r ab alh o d e p e s q u is a. São Paulo : Ed içõ es

  

Lo y o la, 1994. 69 p. ISBN 85-15-01132-8 H “ Esta p u b licação tem o o b jetiv o

  121

  SIGLA S E A BREVIA TURA S

d e servir d e instru m ento d e cap acitação , não só ao esco lar e ao univ ersitário ,

m as tam b ém ao s p ró p rio s elem ento s que irão instruir os estu d antes nas li­

d es d e p esquisa b ib lio g ráfica” (ap resentação d o p ro blem a, p. 9 ) . A bo rd a, em

c in c o cap ítu lo s, o p lanejam ento da p esquisa b ib lio g ráfica e as técn icas e

no rm as d o cu m entárias na realiz ação do trab alho d e p esquisa. N ão inclu i

índ ice.

  687 SA N TO S, G ild enir C aro lino ; PA SSO S, Ro sem ary.

  M an u al d e o r g an iz a­

ç ã o d e r e fe r ê n c ias e c it a ç õ e s b ib lio g r áfic as p ar a d o c u m e n t o s im p r e s s o s e e le t r ô ­

n ic o s . C am p in as: A uto res A sso ciad o s, Ed ito ra da U n icam p , 2 0 0 0 . 92 p. ISBN

8 5 - 8 5 7 0 1 - 7 3 - 0

  11 Seg u nd o os auto res este m anu al visa p rincip alm ente a “le­

var p ro fesso res e aluno s ao en ten d im en to o b jetiv o das no rm as d e elab o ração

d e referências b ib lio g ráficas, atend end o ao s p ad rõ es técn ico s estab elecid o s

p ela A sso ciação Brasileira de N o rm as Téc n ic as (A BN T)” . C o nsid eram im p o r­

tan te, tam b ém , q ue as no v as tecno lo g ias, co m o a In te rn e t (W W W , g o p h e r ,

  

FTP, co rreio eletrô nico , e tc .), ced erro m , e tc ., exig em , em term o s d e d escri­

ção b ib lio g ráfica, os m esm o s cuid ad o s dos sup o rtes co nv encio nais. Exc elen ­

te o b ra, co m p acta e d id ática, ap resenta sug estõ es para a no rm aliz ação dos

d o cu m en to s im p resso s trad icio nais e tam b ém para o s no v o s sup o rtes eletrô ­

nico s surgid o s ap ó s a im p lantação da In tern et. G lo ssário e índ ice tem ático .

688 SOUZ A , Francisco das C hag as.

  E s c r e v e n d o e n o r m aliz an d o t r ab alh o s Flo rianó p o lis: Ed ito ra cla U niv ersid ad e a c a d ê m ic o s : u m g u ia m e t o d o ló g ic o .

Fed eral d e Santa C atarin a, 1997. 126 p. ISBN 8 5 - 3 2 8 - 0 1 03-X H “A p rim eira

p arte (cap . 1 - 4 ) fam iliariz a o leito r co m as fo ntes d e info rm ação no rm al­

m en te d isp o nív eis e acessív eis no am b iente univ ersitário ; a seg und a p arte

(cap . 5 - 8 ) , fo rnece o rientaçõ es so bre o p ro cesso de p ro d ução in telectu al da

p ro d u ção d o trab alho ; a terceira p arte (cap . 9 - 1 0 ) , está reservad a às o rien ta­

çõ es so bre as fo rm as de co m u nicação (ap resentação fo rm al d o trab alho in te ­

lectu al) seg und o no rm as aceitas n ac io n alm en te” (o relha). índ ice de assu n­

to s.

  

S IG LA S E A BR EV IA T U R A S

C o m o v o lum e eno rm e d e d o cu m ento s necessário s à lo caliz ação de um a

info rm ação , é im p o rtante red uzir os texto s para se o b ter um a leitu ra m ais

ráp id a. A ssim , os auto res são co m p elid o s a usar o u criar siglas e abrev iaturas.

  Sig la é a d en o m inação abrev iad a, co nstitu íd a pela seq ü ência d e letras

iniciais das palavras o u d e alg um as p alavras e, ev entu alm ente, po r núm ero s

q u e co m p õ em a d eno m inação co m p leta. A brev iatura é a rep resentação de

um a palavra po r m eio de alg um as d e suas sílabas ou letras.

  As siglas e abrev iaturas são utiliz ad as, cad a vez m ais, em to d as as áreas

p ro fissio nais. A ssim , é im p o rtante co nsu ltar fo ntes nacio nais e estrang eiras

d e caráter g eral, co m o tam b ém o bras d e áreas esp ecializ ad as.

  122

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA C o m o ad v ento da In tern et surgiram fo ntes d e info rm ação so bre siglas,

esp ecialm ente em áreas tem áticas b em esp ecíficas. M u itas d essas fo ntes p o ­

d em ser co nsu ltad as d iretam ente na red e.

  ACRONYM

689 Find er. H Base d e d ad o s in tern a­

cio nal, co m m ais d e 160 000 siglas e abrev iaturas, nas áreas d e tecno lo g ia.

  

690 A C R O N Y M S , initialism s & ab brev iatio ns d ictio nary . D etro it: G ale,

1960- . Irregular.

  ISSN 0270-4404. Tam b ém em ced erro m Á T ítu lo anterio r:

A c r o n y m s a n d in it ialis m s d ic t io n ar y . G u ia alfab ético , cu ja 27.a ed ição (2000)

co ntém cerca d e 500 000 abrev iaturas, siglas e acrô nim o s. In tern acio n al,

co m ênfase no co n tex to no rte-am ericano . A tualiz ad o c o n stan tem en te.

  A NTA S,

691 Luiz M end es. D ic io n ár io d e s ig las e ab r e v ia t u r a s . São Paulo :

Traço Ed ito ra, 1985. 567 p. 11 O bra clássica. A rranjo alfab ético , é excelen te

d icio nário das siglas e abrev iaturas m ais u tilizad as no Brasil, até 1985.

  

6 9 2 a r Ro bert K. N ew York:

B N HA KT, T h e B ar n h ar t ab b r e v iat io n s d ic t io n ar y .

Jo hn W iley , 1995. 4 3 4 p. ISBN 0 - 4 7 1 - 5 7 1 4 6 - 6 11 D icio nário d e siglas e abrev i­

atu ras, internacio nal. Em d uas p artes: 1) lista d as siglas e ab rev iatu ras; 2)

siglas e abrev iaturas so b a fo rm a reversa, isto é, po r extenso .

  

693 D E SOLA , Ralp h; STA HL, D ean; KERCH ELICH , Karen. A b b r e v iat io n s

d ic t io n ar y . 9tli ed. Bo ca Rato n: CRC, 1995. 1349 p. ISBN 0-8493-8944-5 H

  

D ic io n ário c lássic o , in te rn ac io n al, co m m ais d e 270 000 ab rev iatu ras,

acrô nim o s, co ntraçõ es e siglas de d iv ersas áreas. A p esar de não ser esp eci­

aliz ad o em ciência e tecno lo g ia, inclu i m ilhares d e entrad as d essas áreas.

  Em p re s a B r a s i l e i r a d e P e s q u is a A g r o p e c u á r ia . D e p a r ta m e n to 694 DE INFORMAđấO E DOCUMENTA đấ O.

  S ig las ag r o p e c u ár ias b r as ile ir as . Brasília: EMBRAPA,

11 R e lac io n a

  1977. 308 p. 1 591 sig las b rasileiras n as áreas d e ag ri­

c u ltu ra, e c o n o m ia ru ral e refo rm a ag rária. D e satu aliz ad o , serv in d o p o rém

p ara até m e ad o s d a d écad a d e 1970.

695 I n s t i t u t o B r a s i l e i r o d e In f o r m a ç ã o em C i ê n c ia e T e c n o l o g i a .

  S ig las b r as ile ir as . 2. ed . Brasília: IBICT, 1975. 577 p.

  11 C e rc a d e 17 000 sig las

u sad as n as m ais d iv ersas áreas, e m arran jo alfab é tic o . In c lu i o e n d e re ç o e

te le fo n e d a in stitu iç ão , alé m d o n o m e c o m p le to . D e satu aliz ad o .

  

696 . S ig las d e e n t id ad e s b r as ile ir as . Rio d e Janeiro : IBICT, 1979.

904 p. H Relacio na 5 436 institu iç õ es, co m end ereço , telefo n e e no m e c o m ­

p leto . C o m p lem en ta S ig las b r as ile ir as (item 695) p u blicad a em 1975.

  IN TERN A TION A L

697 en cy clo p ed ia o f ab b rev iatio n s and acro ny m s o f

o rg aniz atio ns. 3. ed. N ew York: Saur, 1990-1994. 10 v. ISBN 3-598-22160-6

(co leção ) H O bra m o nu m ental, p ublicad a antes co m o W o r ld g u id e to ab b r e v ia­

t io n s ( 1 9 7 0 - 1 9 7 2 ) . Inclu i cerca de 600 000 abrev iaturas d e asso ciaçõ es, fu n- SIGLA S E A BREVIA TURA S

  123

  

d açõ es, institu iç õ es d e ensino e p esqu isa, ó rgão s g o v ernam entais. In tern ac i­

o nal, inclu i o no m e co m p leto e as abrev iaturas da língua e p aís d a in stitu i­

ção .

  698

  IN TERN A TIONA L en cy clo p ed ia o f ab b rev iatio n s and acro ny m s in

science and techno lo gy. C o m p iled by M ichael Peschke. M ü nchen: Saur, 1996-

2000. 17 v. ISBN 3-598-22970-4 (co leção ) 11 In icialm en te prevista para ter

o ito v o lum es, co m o crescim ento d o nú m ero d e siglas e abrev iaturas, cheg o u

a d ez essete v o lum es. Inclu i v erbetes para term o s da ciência e tecno lo g ia em

33 líng uas (inclusiv e o p o rtug uês).

  

699 KELLER, H arald ; E r b , Uw e. D ic t io n ar y o f e n g in e e r in g ac r o n y m s an d

a b b r e v ia t io n s . 2nd ed . N ew York: N eal-Sch u m an, 1994. 878 p. ISBN 1-55570-

  

129-9 H C erca d e 70 000 siglas e abrev iaturas u tilizad as nas d iv ersas áreas da

eng enharia. Em d uas p artes: 1) inclu i as d efiniçõ es d as abrev iaturas; 2) lista

das abrev iaturas d o s títu lo s d e p erió d ico s utiliz ad o s na eng enharia.

700 M lLEA , A nto nino Paolo. D ic io n ár io d e s ig las e ab r e v iat u r as n ac io n ais

e e s t r an g e ir as . São Paulo : N ova Ép o ca Ed ito rial, 1986. 443 p. 11 O bra clássi­

ca, p u blicad a d esd e 1958, é excelente d icio nário para as siglas e abrev iaturas

utiliz ad as no Brasil até a m etad e d o s ano s 80. Em três p artes: siglas nacio ­

nais (p. 7 - 3 3 1 ) , siglas internacio nais (p. 33 5 -4 1 9 ) e info rm açõ es d e co n h e­

cim en to s gerais (p. 4 2 0 - 4 4 3 ) .

  

701 M URITH , Jean; BOCA BEILLE, Jean-M arc. D ic t io n n air e d e s s ig le s s c ie n -

t ifiq u e s , t e c h n iq u e s e t é c o n o m iq u e s . 2e éd. Paris: Techniq u e et D o cu m entatio n

Lav o isier, 1987. 471 p. ISBN 2-85206-384-0 II Inclu i sigla, no m e co m p leto da

in stitu iç ão e end ereço . C erca d e 26 000 entrad as, de cu nho internacio nal,

nas áreas d e c iên cia, tecno lo g ia, ag ricu ltu ra, ciências so ciais e m ed icina.

  

702 O XFO RD d ictio nary o f abbrev iatio ns. 2nd ed . N ew York: M arket H o use

Bo o ks, 1998. 397 p. ISBN 0-19-280073-6 II Internacio nal, relacio na, em o r­

d em alfab ética, siglas, abrev iaturas e fo rm as híbrid as. Em anexo , sím bo lo s

g ráfico s usad o s em c iên cia, m ú sica e m eteo ro lo g ia.

  703 PUGH, Eric. P u g h ’s d ic t io n ar y o f ac r o n y m s a n d a b b r e v ia t io n s . 5th ed.

  

C h icag o : A m erican Library A sso ciatio n, 1987. 366 p. ISBN 0-83-892044-6 11

C erca d e 20 000 entrad as, inclu i siglas e abrev iaturas m ais co m u ns u tiliz a­

d as nas áreas de tecno lo g ia, ad m inistração e ciência da info rm ação .

704 STEDM A N ’S abbrev.: abbrev iatio ns, acro nym s & sym bo ls. 2nd ed . Balti­

m o re: Lip p in co tt W illiam s & W ilkins, 1999. 822 p. ISBN 0-683-40459-8 H

  

Ed itad a d esd e 1992, co m arranjo alfab ético d e siglas e abrev iaturas, m en c i­

o na em cad a entrad a as d iv ersas acep çõ es po r extenso de cad a term o .

  124

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

T A B ELA S , U N ID A D ES , M ED ID A S E ES T A T ÍS T IC A

  A s tab elas co m d ad o s m atem ático s, físico s, q u ím ico s, físico -q u ím ico s e

b io ló g ico s são reg ularm ente p ublicad as em d o cu m en to s esp ecializ ad o s. R e­

cup erar tais d ad o s a p artir d esses d o cu m ento s é ted io so e d em o rad o . C o m o

co n seq ü ên cia, surgiram fo ntes d e info rm ação que faz em co m p ilaçõ es de

d ad o s nu m érico s, tab elas, unid ad es de m ed id as e d e estatística das d iv ersas

áreas cien tíficas. Essas fo ntes, g eralm ente, são elabo rad as po r esp ecialistas

da área, red und and o , assim , em co m p ilaçõ es q ue p o ssuem eno rm e valo r q u a­

litativ o .

  

Bib liografias

705 CODATA. In v e n t o r y o f d a t a s o u r c e s in s c ie n c e a n d t e c h n o lo g y . Paris:

UN ESCO, 1983. 2 2 9 p. ISBN 9 - 2 3 1-02048-X 1 Lista d e 652 fo ntes d e d ad o s

cien tífico s e tecno ló g ico s existen tes em 9 4 p aíses. Índ ices d e o rg aniz açõ es,

no m es p esso ais e d e assunto s. E atu aliz ad a po r m eio d o C O D A T A b u lle t in

  (O xfo rd , Perg am o n Press, v. 1 - , 1 9 8 4 - ). 7 0 6 PO W ELL, F.

  C . S t a t is t ic a l t ab le s fo r t h e s o c ial, b io lo g ic al, a n d p h y s ic al

s c ie n c e s . N ew York: C am brid g e Univ ersity Press, 1983. 96 p. ISBN 0-521-24141 -

3; 0-521-28473-2 (b ro chu ra) H Biblio g rafia ano tad a d e cerca d e 3 400 tab e ­

las co ntid as em liv ro s, artig o s d e p erió d ico s e relató rio s nas áreas citad as.

  

Princip ais fontes de inf orm ação

7 0 7 GlECK, Kurt. M an u al d e fó r m u las t é c n ic as . 4. ed . São Paulo : H em u s,

  1998.

  Sem p ag inação . ISBN 8 5 - 2 8 9 - 0 4 1 7 - 2 11 Trad u ção da 2 9 .“ ed ição alem ã

( T e c h n is c h e F o r m e ls am m lu n g ) . Inclu i as p rincip ais fó rm u las m atem átic as,

físicas e das d iv ersas áreas da eng enharia, co m índ ice d e assu nto s. Existe

v ersão , na líng ua ing lesa, em ced erro m ( E le c t r o n ic d e c k ’s e n g in e e r in g f o r ­

m u las . N ew York: M cG raw -H ill, 1995).

  7 0 8 HORVATH, A ll L.

  C o n v e r s io n t ab le s o f u n it s fo r s c ie n c e an d e n g in e e r in g .

  N ew York: Elsev ier, 1986. 147 p. ISBN 0-444-01150-1

  11 Tab elas d e unid ad es

d e co nv ersão para as áreas de m ecânica, term o d inâm ica, ó p tica, eletric id a­

d e, m ag netism o , acú stica e rad iação . Em d uas p artes: 1) d efiniçõ es, u nid a­

d es de co nv ersão e co nstan tes físicas fu nd am entais; 2) fato res d e co nv ersão

e unid ad es utiliz ad as em d iversas áreas. índ ice de assunto s.

  HOW A TSON , J.D . E n g in e e r in g t ab le s an d 709 A .M .; LUN D, PG .; TO D D ,

d a t a . 2nd ed . Lo nd o n: C h ap m an and H all, 1991. 181 p. ISBN 0-442-31368-3

11 O bra básica para estu d antes de eng enharia. Inclu i as p rincip ais tab elas, fó rm ulas e d ad o s nu m érico s utiliz ad o s na área.

  7 1 0 JERRA RD, H .G .; M C N EILL, D .B.

  D ic t io n ar y o f s c ie n t ific u n it s: in c lu d in g

  125

  TA BELA S, UN ID A D ES, M ED ID A S E ESTA TÍSTIC A

d im e n s io n le s s n u m b e r s an d s c ale s . 5th ed . N ew York: C h ap m an & H all, 1992.

  244 p.

  ISBN 0-412-46720-8 11 Ed itad a d esd e 1963, pro vê d efiniçõ es e referên­

cias histó ricas d e cerca d e 950 unid ad es, nú m ero s e escalas cien tífic as u tili­

zad as na ciên cia, eng enharia e m ed icina.

  JO H N STO N E,

711 W illiam D . F o r g o o d m e as u r e : t h e m o s t c o m p le t e g u id e to

in t e r n at io n al w e ig ht s a n d m e as u r e s an d t h e ir m e t r ic e q u iv ale n t s . Linco lnw o o d :

NTC Pu b licatio n, 1998. 328 p. ISBN 0-844-20851-5 H Ed itad a d esd e 1975.

  

Em o ito p artes: 1) ev o lução histó rica das m ed id as; 2) m ed id as d e su p erfície;

3) unid ad es de cap acid ad e e v o lum e; 4) peso s e m assa; 5) sistem a m étrico ; 6

e 7) m ed id as d iv ersas; 8) unid ad es elétricas. índ ices das unid ad es e de as­

sunto s.

  

712 KAYE, G eo rg e W .C .; LA BY, T.H . T ab le s o f p h y s i c a l a n d c h e m i c a l

c o n s t an t s an d s o m e m a t h e m a t ic a l fu n c t io n s . 16th ed . N ew York: Lo ng m an,

  

1995. 611 p. ISBN 0-582-22629-5 H O bra clássica q u e inclu i tab elas e co n s­

tantes u tilizad as na física e q u ím ica. Faz referência às fo ntes o rig inais de

o nd e as tab elas e co nstan tes fo ram extraíd as. a

  

713 L N D O LT, H ans H eirich; BORN STEIN , R. N u m e r ic al d at a an d fu n c t io n ­

a l r e l a t i o n s h i p s in s c i e n c e a n d t e c h n o lo g y , n e w s e r i e s /Z a h l e n w e r t e u n d

F u n k t io n e n au s N a t u r w is s e n s c h aft e n u n d T e c h n ik, n e u e S e r ie . N ew York:

  

Sp ringer-V erlag, 1 9 6 1 - . H O bra clássica co n ten d o tab elas de d ad o s nu m éri­

co s utiliz ad o s em astro no m ia, física, q u ím ica, g eo ciências e eng enharia. A

sexta ed ição é intitu lad a N u m e r ic al d a t a a n d fu n c t io n a l r e la t io n s h ip s in

p h y s ic s , c h e m is t r y , as t r o n o m y , g e o p h y s ic s , a n d te c hn o lo g y .

  7 1 4 LO RD , Jo hn. S iz e s : t h e illu s t r at e d e n c y c lo p e d ia. N ew York: H arp er 0 - 0 6 - 2 7 3 2 2 8 - 5 11 C o llin s, 1995. 374 p.

  ISBN C o m centenas d e ilu straçõ es e

tab elas, o ferece um a visão curio sa da p ro p o rção e da m ed id a das co isas, ind o

d e lençó is a lixas, d e estrelas a grav atas, d e líqu id o s a d ino ssau ro s. A rranjo

alfab ético e, em cad a v erb ete, são fo rnecid o s os valo res das m ed id as das

co isas. Interessante d ev id o ao fato de inclu ir d ad o s q u an titativ o s so bre as­

sunto s v ariad o s, m u ito s d eles, d ifíceis de serem enco ntrad o s.

  RO SSIN I,

715 F.D. F u n d am e n t al m e as u r e s an d c o n s t an t s fo r s c ie n c e an d

t e c h n o lo g y . C lev eland : CRC Press, 1974. 132 p. 11 Info rm açõ es so bre as p rinci­

p ais u n id ad es, m ed id as e c o n stan te s u tiliz ad as nas áreas d e c iê n c ia e

tecno lo g ia.

  

716 Z W IL L IN G ER , D aniel (ed .) C R C s t an d ar d m a t h e m a t ic a l t ab le s an d

fo r m u lae . 30th ed . Bo ca Rato n: C R C Press, 1996. 812 p.

ISBN 0-849-32479-3.

  ISBN

Tam b ém em ced erro m (1997. 0-849-39702-2) 11 O bra clássica q u e in ­

clu i fó rm ulas, tabelas nu m éricas, lo g aritm o s, tabelas trig o no m étricas e eq u a­

  çõ es d iferenciais u tiliz ad as nas áreas cien tíficas e tecno ló g icas.

  

3

FO N TES TERCIÁ RIA S

A s d eno m inad as fo ntes terciárias são um tip o d e d o cu m en to q u e ap re­

senta um a síntese o u um a co nso lid ação d e info rm açõ es. Trata-se, p o rtanto ,

d e um a literatura que resulta da transfo rm ação — co nso lid ação o u ‘reem p aco -

tam e n to ’ — da info rm ação d isp o nív el, p rim ária o u secu nd ária, d e m o d o a

co rresp o nd er às necessid ad es d o s usuário s.

  

B IB LIO G R A FIA S D E B IB LIO G R A FIA S

As b iblio g rafias q u e relacio nam biblio g rafias são d eno m inad as b ib lio g ra­

fias d e b iblio g rafias o u guias de biblio g rafias. A p rim eira d elas fo i p u blicad a

po r A nto ine Teissier, em 1686, em G eneb ra (Su íç a). A b ib lio g rafia d e b ib li­

o g rafias encam inha o usuário às biblio g rafias o nd e p o d e enco ntrar guias ad e­

q uad o s ao tem a q ue d eseja p esquisar.

  BA SSECH ES, b i b l i o g r a p h y o f B r a z i l i a n b i b l i o g r a p h i e s . / U m a b i b l i o g r a f i a d a s b i b l i o g r a f i a s b r a s i l e i r a s . 717 Bruno . A D etro it: Blaine Ethrid g e Bo o ks, 1978.

185 p. ISBN 0-87917-064-6 H São 2 488 referências d e liv ro s, p artes d e livro s

e artig o s d e p erió d ico s p u blicad as no Brasil e no exterio r so bre assu nto s b ra­

sileiro s. índ ices o no m ástico e d e assunto s^ Prefácio em ing lês e p o rtug u ês.

  BESTERM A N , w o r l d b i b l i o g r a p h y o f b i b l i o g r a p h i e s a n d o f

b i b l i o g r a p h i c a l c a t a l o g u e s , c a l e n d a r s , a b s t r a c t s , d i g e s t s , i n d e x e s a n d t h e l i k e .

718 Theo d o re. A

4th ed . Lausanne: So cietas Biblio g rap hica, 1965-1966. 5 v. ISBN 0-874-71294-

7 H Para m aio res d etalhes ver item 197.

  7 1 9 BiBLIOGRA PHIC ind ex: a su b je c t list o f b iblio g rap hies in Eng lish and

fo reig n lang uag es. N ew York: W ilso n , v. 1 - , 1 9 3 7 - . Ed ita-se em abril, ag o sto

e d ez em b ro , co m acu m u lação anual no ú ltim o fascícu lo . ISSN 0 0 0 6 - 1 2 5 5 11

A rro la b iblio g rafias so bre d iversas áreas, o rig inalm ente p u blicad as em in ­

g lês, alem ão e líng uas latinas, q ue relacio nam m ais d e 50 itens e q u e ap are­

ceram em liv ro s, e cerca d e 2 850 p erió d ico s ind exad o s pela ed ito ra W ilso n .

A rranjo po r cab eçalho s d e assunto s, co m m u itas rem issiv as, inclu siv e para

cad a v erb ete o s d ad o s co m p leto s da referência b ib lio g ráfica ind exad a.

  REIS, B i b l i o g r a f i a d a s b i b l i o g r a f i a s b r a s i l e i r a s . 720 A ntô nio Sim õ es d o s.

  

Rio d e Janeiro : In stitu to N acio nal d o Liv ro , 1942. 186 p. 11 Fo n te p io neira no

  127

  BIBLIO TEC A S E C EN TRO S D E IN FO RM A đấ O

Brasil. A p esar d e d esatu aliz ad a, aind a é útil para recup erar info rm açõ es so ­

bre biblio g rafias antig as. A rranjo cro no ló g ico , abarca b iblio g rafias p ublicad as

d e 1741 a 1941. Índ ices de assu nto s e o no m ástico .

  TO O M EY, w o r l d b i b l i o g r a p h y o f b i b l i o g r a p h i e s , 1 9 6 4 - 1 9 7 4 . 721 A .F. A

To to w a: Ro w m an and Littlefield , 1977. 2 v. 11 A tu aliz ação da o bra d e Bester-

m an (ver itens 197 e 718). A fo nte básica d e co leta fo i o acerv o da Library o f

C o ng ress.

  TRA CER

722 b u llet. W ashing to n, DC: Library o f C o ng ress, Sc ien c e and

Techno lo g y D iv isio n, v. 1 - , 1 9 7 2 - . Irreg ular

  11 Bib lio g rafia so bre o s m ais

v ariad o s assunto s d e ciência e tecno lo g ia. D e fo rm a sim p les, é um a excelen ­

te fo n te d e in fo rm ação que inclu i liv ro s, m anu ais, enciclo p éd ias, d icio nári­

o s, b ib lio g rafias, p u blicaçõ es o ficiais e o rg aniz açõ es relacio nad as co m a área

d e cad a nú m ero tem ático . Existe um índ ice d e assunto s dos d iv erso s n ú m e­

s e r v i c e s r e v i e w ,

ro s p u blicad o s até 1987: CON RA D, E. LC T r a c e r b u l l e t : an ind ex. R e f e r e n c e

v. 16, n. 3, p. 4 9 - 5 6 , 1988.

  

BIB L IO T E C A S E C EN T R O S D E IN FO R M A Ç Ã O

A s b ib lio tecas e centro s de info rm ação e d o cu m entação , trad icio nalm ente,

têm sid o um d o s g rand es resp o nsáv eis p ela aq u isição , arm az enam ento , p re­

serv ação e d issem inação da literatu ra téc n ic o -c ien tífic a. Essa literatu ra, p o ­

rém , tem tid o eno rm e crescim ento , é cara e nem sem p re p o ssui bo a c o b ertu ­

ra p o r p arte d o s índ ices co rrentes. A ssim , é necessário q u e as b ib lio tecas

lan cem m ão , cad a vez m ais, d o s acerv o s d e o utras b ib lio tecas para atend er

às necessid ad es da m aio ria d e seus usuário s. O ad v ento d as b ib lio tecas d ig i­

tais o u v irtuais fará co m q ue esse co m p artilham ento d e co leçõ es seja ap ri­

m o rad o e agilizad o , p o rém , em m u ito s assunto s, o acesso a d o cu m ento s m ais

antig o s aind a será um a p rática co m u m e necessária. Po rtanto , é im p o rtante

co nsu ltar fo ntes q ue info rm em o end ereço , o acerv o e o s p ro d uto s e serv iço s

fo rnecid o s pelas b ib lio tecas. Ver tam b ém a seção C atálo g o s de b ib lio tecas

(p .

  51).

  

Bib lio te c as e centro s d e in fo rm ação d e o u tro s p aíses

7 2 3 A MERICA N library d irecto ry: a classified list o f libraries in th e U nited

States and C an ad a, w itli p erso nnel and statistical d ata. N ew York: Bow ker/

Reed Reference Publishing , v. 1 - , 1 9 0 8 - . A nual. ISSN 0065 -9 1 0 X . Tam b ém

em linha e ced erro m H O bra clássica, p u blicad a d esd e 1908, inclu i info rm a­

çõ es so bre m ais de 38 000 b ib lio tecas p úblicas, univ ersitárias, esp ecializ ad as,

g o v ernam entais, co nsó rcio s, sistem as d e b ib lio tecas e agências/ o rganizaçõ es

lig ad as à b ib lio teco n o m ia, lo caliz ad as no s EUA, C anad á e M éxico . C ad a b i­

b lio teca é relacio nad a alfab eticam en te p o r estad o e m u nicíp io , inclu siv e en ­

d ereço , telefo n e, q uad ro d e p esso al, estatísticas e d ad o s o rçam entário s. In-

  128

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

clui info rm açõ es so bre red es, co nsó rcio s e sistem as d e info rm açao . A tu aliz a­

da anu alm ente. índ ices de institu içõ es e pesso as.

  

7 2 4 A SH , Lee. S u b je c t c o lle c t io n s . 7 th ed. N ew York: Bow ker, 1993. 2 v.

  

ISBN 0-8352-3141-0 11 D iretó rio d as co leçõ es esp eciais, so bre d iv erso s assu n­

to s, existen tes nas facu ld ad es, univ ersid ad es, b ib lio tecas p ú blicas, b ib lio te ­

cas esp ecializ ad as e m useus d o s EUA e C anad á. 725 DiRECTO RY o f sp ecial libraries and info rm atio n centers. D etro it: G ale,

  1 9 6 3 - . A nual. 3 v. ISSN 0 7 3 1-633X H Inclui d ad o s so bre m ais d e 23 m il b ib li­

o tecas, centro s de info rm ação , centro s de d o cu m en tação , red es, co nsó rcio s

e ag ências ligad as à info rm ação esp ecializ ad a, co m ênfase no s EUA e C an a­

d á. A p artir d e 1993, p asso u a inclu ir d ad o s so bre o utras 1 100 b ib lio tecas d e

130 p aíses. D iv id id o em d uas p artes: d iretó rio e índ ices (g eo g ráfico e d e p esso as).

  7 2 6 D iREC TO RY o f u n iv ersity lib raries in Eu ro p e. Lo n d o n : Eu ro p a

Pu b licatio ns, 2 0 0 0 . 413 p. ISBN 1 - 8 5 7 4 3 - 0 7 1 - 9 11 C o m cerca d e 4 00 0 v erbe­

tes, inclu i b ib lio tecas d e 800 univ ersid ad es euro p éias. A rranjo alfab ético po r

p aís, co m end ereço co m p leto da b ib lio teca, end ereço s eletrô nico s (URLs),

d ad o s so bre o acerv o , p ro d uto s e serviço s.

  INFORMA TION

727 ind ustrv d irecto ry. D etro it: G ale, 1 9 9 1 - . A nual. ISSN

n c y c lo p a e d ia

1051-6239 H Títu lo anterio r: E o f In fo r m a t io n s y s t e m s a n d s e r v íc e s .

  

Im p o rtante fo nte de end ereço s e pro duto s/ serviço s d e centro s d e info rm a­

ção , b ib lio tecas esp ecializ ad as, bases d e d ad o s, red es e sistem as de in fo rm a­

ção . Internacio nal, co m ênfase, p o rém , nas em p resas n o rte-am erican as. ín ­

d ice de em p resas, serviço s e p ro d uto s.

  

7 2 8 W O RLD guid e to libraries. 14th ed. M ü n ch en : Saur, 1999. 2 v. ISBN 3-

598-20725-5 11 D iretó rio de 43 570 b ib lio tecas, d e to d o s os tip o s, em 196

p aíses. Em cad a v erbete inclu i no m e, end ereço , nú m ero s d e telefo ne e fax,

d ad o s so bre o acervo . ín d ice alfab ético p elo no m e das b ib lio tecas. A rranjo

alfab ético po r p aíses e, em cad a p aís, po r o rd em alfab ética d o no m e d a ins­

titu ição . índ ice alfab ético d e institu içõ es no final d o seg und o v o lum e.

  7 2 9 W O RLD guid e to sp ecial libraries. 4th ed . M ü n ch en : Saur, 1998. 2 v.

  ISBN 3-598-22249-1 11 D iretó rio d e cerca de 42 000 b ib lio tecas esp ecializ ad as,

co m acerv o acim a de 3 000 v o lum es, em 183 p aíses. A rranjo alfab ético po r

cab eçalho s de assunto s, d entro de cad a assu nto po r o rd em alfab ética d e país

e, em cad a p aís, po r o rd em alfab ética d o no m e d a b ib lio teca. C ad a v erb ete

info rm a no m e, end ereço , p esso al, acervo , p o lítica de em p réstim o e c o m u ta­

ção b ib lio g ráfica, co nexão co m busca em linha. índ ice alfab ético d as b ib lio ­

tecas no final d o seg und o vo lum e.

  129

  D IRETÓ RIO S

Bib lio tecas e centros de inf orm ação do Brasil

r a s i l i n i s t é r i o d a i ê n c i a e e c n o l o g i a o m i t ê e s t o r

  7 3 0 B . M C T . C G

d a n t e r n e t r u p o d e r a b a l h o d e i b l i o t e c a s i r t u a i s Bib lio te c as

  I . G T B V .

v irtu ais, 11 G ru p o c riad o e m 1997, c o m

o o b je tiv o d e e stim u lar o d ese n v o lv im en to d e b ib lio te c as d ig itais n o Brasil.

  

N a p ág in a in ic ial, in fo rm a as b ib lio te c as b rasileiras q u e e stão in c lu íd as na

In te rn e t c o m h ip e rv ín c u lo p ara cad a u m a d elas. Po ssu i tam b é m u m a b ase

d e d ad o s c o m d o c u m e n to s so b re o assu n to e c o o rd en a lista d e d iscu ssão . o n s e l h o a c i o n a l d e e s e n v o l v i m e n t o i e n t í f i c o

  7 3 1 . C N D C

E TEC N O LÓ G IC O . Pro gram a Pro ssiga, End ereço : Rua Lauro

M ü ller, 4 5 5 , Sala 4 1 1 , Rio de Janeiro , RJ 2 2 2 9 0 - 1 6 0 11 O sítio p o ssui d uas

seçõ es d ed icad as a b iblio tecas: 1) biblio tecas virtuais tem áticas

br/ bvtem aticas/ ] nas áreas d e estud o s cu ltu rais, p o líticas p ú blicas em c iê n ­

cia e tecno lo g ia, energ ia, eco no m ia, ó p tica, referência para p esquisa em c i­

ência e tecno lo g ia, ed u cação à d istância, d ireito , saúd e rep ro d utiv a e c iê n c i­

as so ciais; 2) b ib lio tecas v irtuais d e p esquisad o res brasileiro s im p o rtantes

  

[ br/ bvpesquisad o res/ ], a saber: A nísio Teixeira, Jo sé Leite

Lo p es, G ilb erto Freyre, C arlo s C hag as e O sw ald o C ru z (ver item 6 0 2 ) . n s t i t u t o r a s i l e i r o d e n f o r m a ç ã o e m i ê n c i a e e c n o l o g i a

  732

  I B I C T .

  

Q u e m in fo r m a n o B r as il: g u ia d e b ib lio t e c a s , c e n t r o s e s e r v iç o s d e d o c u m e n t a­

ç ã o e in fo r m aç ão . Brasília: IBICT, 1987. 195 p. H A brang e d iferentes áreas do

c o n h ecim en to . u n d a ç ã o n s t i t u t o r a s i l e i r o d e e o g r a f i a e s t a t í s t i c a

  7 3 3 F I B G E .

  

G u ia d as b ib lio t e c a s b r as ile ir as . 2. ed . Rio d e Janeiro : IBGE/ INL, 1979. 1018 p.

  

H A rranjo g eo g ráfico po r reg iõ es, e em cad a região em o rd em alfab ética de

estad o s e m u nicíp io s. Relacio na as b ib lio tecas d e to d o s o s tip o s q u e p o ssu­

em acerv o sup erio r a 300 v o lum es. índ ices po r tip o s de b ib lio tecas (u niv ersi­

tárias, p. 7 2 3 -7 3 8 ; esp ecializad as, p. 9 0 1-917) . A pesar de d esatualizad a, aind a

é um a das p o ucas fo ntes co m co b ertu ra tão ab rang ente.

  

D IR ET Ó R IO S

D iretó rio s, cad astro s o u catálo g o s são listas d e p esso as o u o rg aniz açõ es,

g eralm ente em o rd em alfab ética ou classificad a, fo rnecend o o end ereço e

o utro s d ad o s das p esso as físicas e, para as p esso as juríd icas, o end ereço , no m e

d o s d irig entes, p ro d uto s e serv iço s o fertad o s e o utras info rm açõ es sim ilares.

  Po d em inclu ir lista de assunto s, lo caliz ação g eo g ráfica o u p ro d uto s. A lém

d as p u blicaçõ es im p ressas, é p o ssível usar os m ecanism o s d e b usca para lo ­

caliz ar na In tern et um no m e e/ ou end ereço d e um p esquisad o r, d e um a o r­

g aniz ação , p ro d uto o u serviço .

  130

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

Bib lio g rafias

D IREC TO RIES

  

734 in p rint. 18th ed . D etro it: G ale, 1999. 2 v. ISBN 0-7876-

3014-4 11 Em d o is v o lum es: 1) agrup ad as alfab etic am en te, po r g rand es as­

sunto s, as referências biblio g ráficas so bre d iretó rio s p ublicad o s no s EUA. Cad a

v erbete d escrev e o d iretó rio , a ling uag em d o texto , freq ü ência d e p u b licação

e q u e tip o s d e d ad o s são inclu íd o s; 2) índ ices d e assu nto s, títu lo s e fo rm ato s

d o s d iretó rio s (p ap el, ced erro m , em linha, d isq u ete e fita m ag n ética).

  D IREC TO RY

735 o f technical and sc ien tific d irecto ries: a w o rld b ib lio ­

grap hic guid e to m ed ical, ag ricultural, ind u strial, and natural science d irecto ­

ries. 5th ed . Harlo w : Lo ng m an, 1988. 280 p. ISBN 0-582-00602-3 K Ed itad a

d esd e 1969, é um a b ib lio g rafia d e cerca de 1 400 d iretó rio s d as áreas d e c iê n ­

cia, m ed icina, ag ricultura e eng enharia. T ítu lo anterio r: D ir e c t o r y o f s c ie n t ific

d ir e c t o r ie s . A rranjo g eo g ráfico po r co n tin en tes, e, em seguid a po r g rand es

assu nto s. Índ ices d e auto res e títu lo s.

  G U ID E

736 to A m erican d irecto ries: a guid e to the m ajo r b u siness, ed u ­

c atio n al, sc ien tific , technical & p ro fessio nal d irecto ries o f the U.S. w ith m a­

jo r fo reig n d irecto ries inclu d ed . N ew York: To d d Pu b licatio ns, 1999. 465 p.

  ISBN 0 - 9 1 5-34467-X II Info rm açõ es su cintas so bre cerca d e 10 000 d iretó rio s.

A rranjo alfab ético po r assunto , d escrev end o o títu lo ind exad o , a freq ü ência

e fo rm ato s d isp o nív eis. Enfase no s d iretó rio s n o rte-am erican o s.

  737 INTERNA TIONA L d irecto ries ill p rint. D etro it: G ale, 1 9 9 8 - . Bienal.

  ISSN 0 8 9 9 - 2 5 5X

  11 Biblio g rafia d o s d iretó rio s p u blicad o s fo ra d o s EUA o u d e

esco p o internacio nal. A rranjo alfab ético po r grand es assu nto s. ín d ices g eo ­

g ráfico , d e assu nto s, títu lo s e p alav ras-chav e.

  

D iretó rio s d e asso ciaçõ es e so cied ad es c ie n tífic as

D IRECTO RY

738 o f eng ineering so cieties and related o rg aniz atio ns. N ew

York: A m erican A sso ciatio n o f Eng ineering So c ieties, 1 9 5 6 - . Bienal. ISSN

  

1067-9014 H D iretó rio d as asso ciaçõ es d o s EUA e C anad á lig ad as à eng en ha­

ria e áreas afins. A 15.a ed ição fo i p u blicad a em 1996.

  EN CYCLO PEDIA

739 o f asso ciatio ns: n atio n al o rg aniz atio ns o f th e US.

D etro it: G ale, v. 1 - , 1 9 5 6 - . A nual. 3 v. ISSN 0071-0202 H Tam b ém em base

de d ad o s e ced erro m . (1995. ISSN 1070-2318) 11 Ed itad a há m ais d e 40 ano s,

  

é a fo nte básica para info rm açõ es so bre as asso ciaçõ es no rte-am erican as.

  

Inclu i m ais d e 23 000 entrad as info rm and o o s p rincip ais d ad o s so bre o s d i­

verso s tip o s d e asso ciaçõ es, tais co m o : p ro fissio nais, co m erciais, sin d icato s,

g ru p o s re lig io so s, g ru p o s p o lític o s e e sp o rtiv o s. ín d ic e s g e o g ráfic o e

o no m ástico . n s t i t u t o r a s i l e i r o d e n f o r m a ç ã o e m i ê n c i a e e c n o l o g i a

  7 4 0

  I B I C T .

  131

  D IRETÓ RIO S

A p o ntad o res d e info rm ação em ciência e tecno lo g ia (IC N ET): A sso ciaçõ es.

H In icialm en te ed itad o so b fo rm a im p ressa ( G u ia d as

s o c ie d a d e s e as s o c ia ç õ e s c ie n t ífic a s e t e c n o ló g ic as d o B r as il. Brasília: IBICT,

  

1984. 294 p .), é um a base d e d ad o s d e acesso p ú blico co m info rm açõ es so ­

bre m ais d e 1 000 entid ad es brasileiras. A b u sca p o d e ser feita p elo no m e o u

sigla da institu ição , assu nto (índ ice de áreas d o c o n h ec im e n to ), cid ad e e

unid ad e da Fed eração .

  741

  INTERNA TIONA L ency clo p ed ia o f learned so cieties and acad em ies.

W estp o rt: G reenw o o d Press, 1993. 377 p. ISBN 0-313-27646-3 H Em o rd em

alfab ética po r p aíses, inclu i info rm açõ es d etalhad as so bre as p rincip ais so ci­

ed ad es e acad em ias de âm b ito nacio nal. N a p arte relativ a ao Brasil, fo i ana­

lisad a a A cad em ia Brasileira d e C iên cias (p. 4 7 - 5 0 ) . Em anexo : 1) in stitu i­

çõ es d e âm b ito intern acio n al; 2) cro no lo g ia d e criação das in stitu iç õ es. ín ­

d ice d e assunto s e o no m ástico . o c i e d a d e r a s i l e i r a p a r a o r o g r e s s o d a i ê n c i a

  

7 4 2 S B P C . SBPC net:

cad erno d e end ereço s, H Exc elen te cad as­

tro eletrô n ico co m info rm açõ es so bre os p rincip ais end ereço s d e ciência e

tecno lo g ia, brasileiro s e internacio nais. Inclu i d ad o s so bre univ ersid ad es, aca­

d em ias e so cied ad es cien tífic as, institu içõ es d e p esq u isa, m íd ia e m u seu s de

ciência. o f W A TERLO O . UN IVERSITY LiBRA RY. Scho larly so ciety

  7 4 3 U N IV ER SITY

p ro ject. H C o n tém excelentes in ­

fo rm açõ es so bre so cied ad es acad êm icas e cien tífic as. A estratég ia d e b usca

p o d e ser feita p elo no m e da o rg anização , d ata d e fu nd ação , sigla, área g eo ­

g ráfica o u líng ua.

  

7 4 4 W O RLD guid e to sc ien tific asso ciatio ns and learned so cieties. 7th ed.

M ü n ch en : Saur, 1998. 529 p. ISBN 3-598-205891-3 11 D iretó rio d e 17 100

so cied ad es c ien tífic as, cu ltu rais e tecno ló g icas, nacio nais e intern acio n ais,

d e 168 p aíses. C ad a v erb ete inclu i no m e e end ereço da o rg aniz ação , área d e

ativ id ad e, d ata de fu nd ação , no m es d o s d irig entes, p u blicaçõ es m ais im p o r­

tan tes, nú m ero s de telefo ne e fax. A rranjo alfab ético p o r p aíses. ín d ices de

assu nto s, asso ciaçõ es e p u blicaçõ es.

  

745 YEA RBOOK o f internatio nal o rg aniz atio ns. A nnuaire d es o rg anisatio ns

internatio nales. Brussels: U nio n o f Internatio nal A sso ciatio ns; N ew Pro vi-

d en c e: Bo w ker, 1999. 4 v. ISBN 3 - 5 9 8 - 2 3 3 3 2 - 9 (c o le ç ão ). Tam b ém em

ced erro m ll Info rm açõ es d etalhad as so bre m ais d e 32 000 o rg aniz açõ es inter­

nacio nais de 225 p aíses, inclusiv e em baixad as e ag ências g o v ernam entais.

Em q u atro v o lum es. V. 1 (p artes 1 - 2 ) : em o rd em alfab ética as institu iç õ es

co m os d ad o s b ásico s: no m e, end ereço , m em b ro s da d ireto ria, telefo n e, fax e

co rreio eletrô n ico ; v. 2: arranjo g eo g ráfico , po r p aíses; v. 3: índ ice d e assun-

  132

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

to s, co m cerca d e 4 300 cab eçalho s de assu nto s; v. 4: b ib lio g rafia d e cerca de

15 000 fo ntes d e info rm ação so bre o rg anizaçõ es internacio nais, co m índ ices

d e au to res, títu lo s e assunto s.

  

D iretó rio s d e centro s e in stitu iç õ es d e p esqu isa

D lREC TO RY

746 o f A m erican research and techno lo g y . N ew York: Bow ker,

1 9 8 6 - . A nual. ISSN 0886-0076. Tam b ém em ced erro m 11 Exc elen te fo n te

so bre in stitu iç õ es d e p esquisa d o s EUA . índ ices g eo g ráfico , o n o m ástico e d e

assu nto s. Pu b licad o no p erío d o d e 1927-1 9 8 5 co m o In d u s t r ia l r e s e ar c h

la b o r a t o r ie s in t h e U n it e d S t at e s .

  7 4 7 D lRECTO RY o f Euro p ean research and d ev elo p m ent. Lo nd o n: Bo w ker-

Saur, 1 9 9 5 - . Irregular. Tam b ém em ced erro m H C ad astro d e 21 070 o rg ani­

z açõ es, d e 39 p aíses euro p eu s, relacio nad as co m p esquisa e d esenv o lv im en­

to . Em c in c o seçõ es: em p resas co m erciais, ensino sup erio r e ho sp itais, ó r­

gão s g o v ernam entais, co nsu lto ria, institu iç õ es filantró p icas o u sem fins lu ­

crativ o s. Em cad a seção o arranjo é alfab ético po r o rg aniz açõ es. C ad a v erb e­

te inclu i no m e da in stitu iç ão , end ereço , end ereço eletrô nico , no m es d a d ire­

to ria, nú m ero d e fu ncio nário s env o lv id o s co m p esquisa e d esenv o lv im ento ,

d ata da criação , no m e das subsid iárias, verba para p esquisa e d esenv o lv i­

m ento , có d ig o s d e p ro d uto s o u serv iço s, áreas d e p esqu isa, no m e d o s p rin ci­

pais p esqu isad o res. ín d ices: das o rg aniz açõ es, g eo g ráfico e d e áreas d e p es­

quisa.

  EN GIN EERIN G

748 research centres: a w orld d irecto ry o f o rg aniz atio ns and

p ro g ram m es. 4th ed . Lo nd o n: C artem ill In tern atio n al, 1995. 652 p. ISBN 1-

56159-129-7 U C ad astro internacio nal d e 6 500 centro s d e p esquisa nas áre­

as d e eng enharia. A rranjo alfab ético po r p aíses e, d entro d e cad a p aís, po r

o rd em alfab ética d as in stitu içõ es. C ad a v erb ete inclu i no m e d a o rg aniz ação ,

end ereço , telefo ne, end ereço eletrô nico , no m es da d ireto ria, in stalaçõ es d o s

lab o rató rio s, p rincip ais ativ id ad es, p u blicaçõ es e clien tes m ais im p o rtantes,

  índ ices d as in stitu iç õ es e assunto s.

749 EUROPEA N research ce n tre s: a d irecto ry o f sc ie n tific , in d u strial,

ag ricu ltu ral, and b io m ed ical labo rato ries. Harlo w : Lo ng m an , 1 9 8 2 - . Irreg u ­

lar 11 Info rm açõ es d etalhad as so bre m ais d e 18 000 o rg aniz açõ es c ien tífic as,

técn icas, ag ríco las e m éd icas d o s p aíses euro p eus (exclu siv e os p erten cen tes

  

à antig a U nião So v iética). A rranjo g eo g ráfico po r p aíses e, d entro d e cad a

p aís, p ela o rd em alfab ética das institu içõ es. C ad a v erbete inclu i no m e da

o rg anização , sigla, end ereço , telefo ne, d ep artam ento s/ d iv isõ es, eq u ip e d e p es­

q u isad o res, o rçam en to anu al, p u blicaçõ es ed itad as e p rincip ais clien tes. ín ­ d ices de institu iç õ es e assunto s. A 10.a ed ição (1994) tem d o is v o lum es.

7 5 0 EUROPEA N so u rc es o f sc ie n tific and te c h n ic a l in fo rm atio n . 12th ed . D IRETÓ RIO S

  133 Harlo w : Lo ng m an , 1996. 420 p.

  ISBN 1-59210-2 11 Pu b licad o d esd e 1957, é

um d iretó rio q ue inclu i cerca d e 1 500 institu içõ es euro p éias (p aíses da C o ­

m u nid ad e Euro p éia e d o leste eu ro p eu ), ligad as à ciência e tecno lo g ia. A r­

ranjo p o r grand es assu nto s e, d entro de cad a assu nto , em o rd em alfab ética

d e p aíses. T ítu lo anterio r: G u id e to E u r o p e an s o u r c e s o f t e c h n ic al in fo r m at io n .

  Ind ices d e institu iç õ es e assunto s. 751

  G O V ER N M EN T research d irecto ry. 9th ed. D etro it: G ale, 1996. 1038 p.

  ISSN 0882-3766 11 Publicad o d esd e 1985, abrang e cerca

d e 4 200 centro s e p ro gram as d e p esquisa d o s go v erno s fed erais d o s EU A e

ISBN 0-810-34941-8.

  G U ID ES to w orld science and techno lo g y . Harlo w : Lo ng m an, 1982—

1996. 13 v. H O bras q u e analisam o d esenv o lv im ento c ien tífic o e tecno ló g ico ,

a p o lítica cien tífica e as o rg aniz açõ es cien tíficas e tecno ló g icas d e d iverso s

p aíses. Títu lo s p ublicad o s: S c ie n c e an d t e c h n o lo g y in A fr ic a (1989,

  ISBN 0 - 5 8 2 0 1 8 9 2 - 7 ) ; S c ie n c e a n d t e c h n o lo g y in t h e U n it e d K in g d o m (1991,

  C ad a v erbete inclui no m e, end ereço , te le ­

fo ne, fax, d ireto ria, p rincip ais p ro d uto s e serv iço s, p u blicaçõ es. índ ices d e

ativ id ad es d o s in stitu to s, seto res de atu ação , assunto s e g eo g ráfico .

  IN S T IT U T O S d e p esquisa tecno ló g ica ind ustrial afiliad o s à A BIPT I: per­

fil, p ro d u to s e serv iço s. Brasília: In stitu to Brasileiro d e Info rm ação em C iê n ­

cia e Tecno lo g ia, 1993. 148 p. A tualiz ad o p elo sítio no

b o tão ‘p erfil d o s asso ciad o s’ 11 Perfil de 44 institu to s d e p esquisa tecno ló g ica

ind u strial m em b ro s da A sso ciação Brasileira de In stitu içõ es d e Pesquisa

Tecno ló g ica Ind ustrial (A B IPT I).

  753

  

A rranjo alfab ético po r p aíses, co m d escrição de asp ecto s g eo g ráfico s, d em o ­

g ráfico s, p o lítico s e eco nô m ico s de cad a u m , seguid a d e info rm açõ es so bre

as o rg aniz açõ es ligad as à p esqu isa, agrup ad as po r g rand es assu nto s. índ ices

d as o rg aniz açõ es e assunto s.

  ISBN 0-582-90057-3). Este ú ltim o v o lum e (363 p.)

tev e co m o ed ito res C h risto p her Ro p er e Jo rg e Silv a (ver tam b ém item 447).

  ISBN 0-582-90053-0); S c ie n c e an d t ec hn o lo g y in L a t in A m e r ic a (1983,

  U SSR (1988,

  ISBN 0-582-90061-1); S c ie n c e a n d t e c h n o lo g y in t h e

  ISBN 0-582-90051-4); S c ie n c e an d t e c h n o lo g y in t h e U n it e d S t at e s o f A m e r ic a (1986,

  ISBN 0-582-90052-2); S c ie n c e a n d t e c h n o lo g y in S c a n d in av ia (1989,

  ISBN 0-

582-00086-6); S c ie n c e an d t e c h n o lo g y in A u s t r alia, A n t ar c t ic a, a n d t h e P ac ific

  S c ie n c e an d t e c h n o lo g y in t h e M id d le E as t (1982,

  ISBN 0-582-03684-4);

  

C an ad á. A rranjo pelo s p o d eres fed erais dos EU A . A p arte d o C anad á está no

final d o v o lum e. índ ices d e assu nto s, g eo g ráfico e de institu içõ es. 752

  ISBN 0-582-00084-X ); S c ie n c e an d t e c h n o lo g y in In d ia (1990,

  ISBN 0-5 8205439-7); S c ie n c e an d t e c h n o lo g y in F r an c e a n d B e lg iu m (1988,

  ISBN

05 82-90054- 9); S c ie n c e a n d t e c h n o lo g y in t h e F e d e r al R e p u b lic o f G e r m an y

(1990,

  ISBN

0-582-900565); S c ie n c e a n d t e c h n o lo g y in E as t e r n E u r o p e (1988,

  ISBN 0-582-90060-3); S c ie n c e a n d t e c h n o lo g y in C h in a (1984,

  Is lan d s (1989,

  ISBN 0- 582-06469-4); S c ie n c e an d t e c h n o lo g y in Jap an (1991,

  134

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA 7 5 4

  INTERNA TIONA L research centers d irecto ry. D etro it: G ale, 1 9 8 2 - .

A nual. ISSN 0278-2731 H Info rm a so bre 8 200 centro s d e p esquisa lig ad o s a

u niv ersid ad es, ó rgão s g o v ernam entais, institu iç õ es sem fins lucrativ o s e em ­

p resas em m ais d e 125 p aíses, exceto os EUA. A rranjo g eo g ráfico po r p aíses,

d entro d e cad a p aís, em o rd em alfab ética d o cen tro d e p esqu isa. ín d ices de

assu nto s e g eo g ráfico .

  755 LIFE sciences o rg aniz atio ns and ag encies d irecto ry. Ed ited by Brig itte

T. D arnay and M arg aret Labash Yo ung. D etro it: G ale, 1988. 864 p. ISBN 0-

8103-1826-1 H Intern acio n al, inclu i d ad o s so bre m ais d e 8 000 in stitu iç õ es

nas áreas d e ag ricultura e ciências bio ló g icas.

  

756 RESEA RCH centers d irecto ry. D etro it: G ale, 1 9 6 2 - . A nual. 2 v. ISSN

0080-1518. D isp o nív el tam b ém em linha e ced erro m II A rro la info rm açõ es

so b re m ais d e 14 200 cen tro s d e p esq u isa e d esen v o lv im en to , p arq u es

tecno ló g ico s e centro s d e transferência d e tecno lo g ia d o s EUA e C an ad á. É

atu aliz ad o p elo N e w r e s e a r c h c e n t e r s s u p p l e m e n t . A rranjad o em 17 g rand es

assu nto s. C ad a v erbete inclu i no m e d o cen tro d e p esqu isa, end ereço , no m e

d o d ireto r, ano d e fu nd ação , tip o e tam anho d o q uad ro d e p esso al, o rçam en ­

to anu al, áreas d e ativ id ad es, eq u ip am ento s e instalaçõ es d isp o nív eis, p u b li­

caçõ es e b ib lio teca. N o seg und o v o lu m e, índ ices d e in stitu iç õ es, centro s de

p esqu isa, g eo g ráfico e assunto s.

  

757 RESEA RCH services d irecto ry: co m m ercial & co rp o rate research centers.

7th ed . Lakerv ille: Grey H o use, 1999. 1089 p. ISBN 1-891482-30-0; ISSN 0278-

1743 11 Ed itad o d esd e 1981, co ntém d ad o s so bre 6 200 em p resas d o s EUA e

C anad á nas áreas d e serv iço s e co ntrato s de p esquisas c ien tífic as e te c n o ­

ló g icas. A rranjo alfab ético p elo no m e da em p resa. C ad a v erbete inclu i o no m e

da o rg anização , end ereço , telefo ne, no m es da d ireto ria, d escrição d o s p rinci­

pais p ro d uto s, áreas d e p esquisa e d esenv o lv im ento , d ata d e fu nd ação , n ú ­

m ero d e em p reg ad o s e fatu ram ento anual. índ ices d e no m es d o s d ireto res,

g eo g ráfico , po r estad o o u p ro v íncia, assunto s.

  

7 5 8 S i n d i c a to d o s E n g e n h e i r o s d o E s ta d o d e S ã o P a u l o . C a d a s t r o

n a c i o n a l d a s e n t i d a d e s d e c i ê n c i a e t e c n o l o g i a . São Pau lo : Sin d ic a to d o s E n ­

g e n h e iro s d o Estad o d e São Pau lo , 1989. 100 p. H A b ran g e 9 7 4 in stitu iç õ e s.

A rran jo p o r seis áreas, d en tro d e c ad a área, p o r o rd em alfab é tic a d o s e stad o s,

e em c ad a e stad o , p o r o rd em alfab é tic a d as in stitu iç õ e s. In c lu i o s e n d e re ç o s

d e e n tid ad e s civ is, sin d ic ato s, in stitu iç õ e s d e p e sq u isa, in stitu iç õ e s d e e n si­

n o su p erio r, ó rg ão s p ú b lico s e em p resas e statais, in stitu iç õ e s d e d ifu são c i-

e n tífic o -c u ltu ral. ín d ic e d o s n o m es clas in stitu iç õ es no final d o v o lu m e (p .7 6 -

9 8 ).

759 UNESCO. C entro d e C o o p eració n C ien tífica para A m érica Latina. I n s t i -

t u c i o n e s c i e n t í f i c a s d e B r a s i l . M o ntev id eo , 1963. 2 v. 11 Info rm a end ereço ,

  135

  D IRETÓ RIO S

d ata d e criação , o b jetiv o , p u blicaçõ es, b ib lio tecas e p esquisas em and am en­

to . D esatu aliz ad o , m as útil para co nsu ltas histó ricas.

  

D iretó rio s d e fu nd açõ es e ó rgão s d e fo m en to à p esqu isa

760 D lR EC T O R Y o f research g rants. Pho enix: O ryx Press, v. 1 - , 1 9 7 5 - .

A nual.

  ISSN 0146-7336 f Info rm a so bre as institu iç õ es p ú blicas e p rivad as

no rte-am erican as q u e d ão sup o rte financeiro a p ro jeto s e p ro g ram as d e p es­

quisa em d iv ersas áreas. C ad a v erbete inclu i brev e d escrição d o no m e e tip o

d e fo m ento , valo r co nced id o , d ata para inscrição e p atro cinad o r. índ ices dos

no m es d o s sup o rtes financeiro s, o rg anism o s d o ad o res e o rg anism o s po r tip o .

  F i n a n c i a d o r a d e E s t u d o s e P r o j e t o s .

  

761 C a d a s t r o d e e m p r e s as de

FIN EP,

  

c o n s u lt o r ia. Rio d e Janeiro : 1982. 261 p. f A brang e 940 em p resas b ra­

sileiras de co nsu lto ria. A rranjo nu m érico seq ü encial po r reg istro d a em p resa

na FIN EP. índ ices p elo no m e da em p resa e assunto s.

  

762 G R U PO d e Institu to s, Fund açõ es e Em p resas (G I FE ).

gife/ site/ ind ex.htm 11 D iretó rio eletrô nico dos in stitu to s, fu nd açõ es e em ­

p resas brasileiras e estrang eiras (co m escritó rio no Brasil) q u e faz em p arte

d o grup o . Inclu i o end ereço e o s o b jetiv o s da o rg aniz ação . Para acessá-lo ,

clicar no b o tão ‘m em b ro s d o G IFE’ . 763

  IN T ER N A T IO N A L fo u nd atio n d irecto ry . Lo nd o n: Euro p a Pu b licatio ns, 1 9 7 4 - . Irregular.

  ISSN 1366-8048 11 A brang e m ais de 1 500 fu nd açõ es, fu n­

d o s e o rg aniz açõ es sim ilares não -lu crativ as, lo caliz ad o s em cerca d e 100

p aíses, q ue o p eram em âm b ito internacio nal. C ad a v erbete inclui no m e co m ­

p leto , end ereço , d ata d e fu nd ação , breve histó rico , d escrição d as ativ id ad es,

d ad o s financeiro s, no m es dos d ireto res e p u blicaçõ es ed itad as.

  S C IE N T IFIC

764 and te c h n ic al o rg an iz atio n s and ag en c ies d irecto ry .

  ISSN

D etro it: G ale, 1 9 8 5 - . Irregular. 0889-1729 11 Info rm a so bre m ais d e 15

m il in stitu iç õ es, ag ências, p ro gram as e serv iço s das áreas d e ciên cias físicas,

c iên cias ap licad as e eng enharia. A 3.3 ed ição (1994) tem d o is v o lum es.

  

D iretó rio s d e em p resas

765 BR A Z IL netb u siness d irecto ry. 11 C ad astro , em li­

n h a, c o n te n d o d ad o s d e c e rc a d e 75 0 00 em p re sas b rasile iras, q u e

co m ercializ am m ais d e 9 000 p ro d uto s e serv iço s. A p esquisa p o d e ser feita

p ela ativ id ad e co m ercial o u p elo no m e da o rg aniz ação (razão so cial).

766 C O R PO R A T E techno lo g v d irecto ry. W o b u m : C o rp Tech, 1 9 8 6 - . A nu­

al.

  ISSN 0887-1930. Tam b ém em ced erro m 11 A brang e 40 000 em p resas d o s

EU A . A rranjo alfab ético po r institu ição . índ ices d o s no m es d as em p resas,

g eo g ráfico , em p resas co ntro lad o ras, p ro d uto s e índ ice das áreas d e neg ó cio s.

  136

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA 7 6 7

  INTERNA TIONA L b u siness reg ister. Paris: A nnu aire d u C o m m e rc e

D id o t-Bo ttin , 1 9 4 8 - . A nual f D iretó rio co m d ad o s so bre m ais d e 300 000

o rg aniz açõ es d e 151 p aíses ligad as a p ro d ução , exp o rtação , im p o rtação e c o ­

m ércio . Inclu i info rm açõ es so bre b anco s, seg urad o ras, ag ências d e n o tíc ias,

arm ad o res e ag ências de v iagens. índ ices d e assunto s em ing lês, francês,

alem ão e esp anho l.

  

768 STANDA RD & Po o r’s reg ister o f co rp o ratio ns, d irecto rs and execu tiv es.

N ew York: Stand ard & Po o r C o rp o ratio n, 1 9 7 3 - . A nual. ISSN 0361-3623.

Tam b ém em ced erro m e em linha

  11 C ad astro , atu aliz ad o an u alm en te, d e

m ais d e 55 000 registro s das p rincip ais em p resas p ú blicas e privad as d o s

EUA.

  Em três v o lum es. N o p rim eiro , em o rd em alfab ética, o s d ad o s so bre as

em p resas, co m end ereço , telefo ne, no m es d o s d ireto res e d escrição d o s p ro ­

d uto s co m ercializ ad o s. N o segund o , em o rd em alfab ética, os no m es d o s d i­

reto res co m d ad o s p esso ais b ásico s. N o terceiro , os índ ices d e có d ig o d e p ro ­

d u to o u serv iço , g eo g ráfico , subsid iárias e d iv isõ es da em p resa m atriz .

769 TH O M A S reg ister o f A m erican m anu factu rers. N ew York: Th o m as

Pu b lishing , 1 9 0 8 - . A nual. ISSN 0362-7721. Tam b ém em ced erro m e em

linha em 11 O bra clássica, cad astra cer­

ca d e 152 000 em p resas d o s EUA, em três p artes: 1) p ro d uto s e serv iço s (v. 1—

22) em o rd em alfab ética, co m índ ice no v. 22 d o s p ro d u to s, serv iço s, m arcas

reg istrad as e no m es co m erciais; 2) p erfil das em p resas (v. 2 3 - 2 4 ) , em o rd em

alfab ética, c o n ten d o o no m e, end ereço , filiais, d ad o s eco nô m ico s e lista de

d irig entes; 3) catálo g o co m ercial (v. 2 5 - 3 3 ) , em o rd em alfab ética p elo no m e

da em p resa, c o n ten d o literatu ra co m ercial co m info rm açõ es so bre seus p ro ­

d uto s e serv iço s.

  

D iretó rio s d e in stitu iç õ es ed u cacio n ais

770 ANNUAL Princeton: Peterson’s Guides, 1984 - . 6 v.

g u ides to g radu ate study .

p o r ano . Tam b ém d isp o nív el em ced erro m H D iretó rio clássico so bre o s cu r­

sos de p ó s-g rad uação existen tes no s EUA. C ad a v o lum e trata d e um grand e

assunto . V. 1: p ro gram as d e p ó s-g rad uação e p ro fissio nais; v. 2: hu m anid ad es

e ciências hu m anas; v. 3: bio lo g ia e ciências ag ríco las; v. 4: ciências físicas e

m atem átic a; v. 5: eng enharia e ciências ap licad as; v. 6: ad m inistração , c iê n ­

cias da saúd e e d ireito . r a s i l i n i s t é r i o d a d u c a ç ã o e u l t u r a

  

771 B . M E C . C a t á lo g o g e r a l d as

in s t it u iç õ e s d e e n s in o su p erio r. Brasília: M EC, Secretaria d e Ed u cação Su p eri­

or, 1993. 643 p. II Ed itad o d esd e 1973, co m arranjo alfab ético p o r estad o ,

ap resenta p rim eiram ente as institu içõ es da cap ital e d ep o is as d o s o utro s

m u nicíp io s. ín d ice alfab ético d e curso s po r áreas. A secretaria p o ssui um

cad astro co m hip erv íncu lo s co m as p áginas iniciais das in stitu iç õ es fed erais

d e ensino ().

  137

  D IRETÓ RIO S o n s e l h o d e e i t o r e s d a s n i v e r s i d a d e s r a s i l e i r a s c r u b

772 C R U B ( ).

C atálo g o d as univ ersid ad es brasileiras, 11 D iretó ­

rio eletrô nico , co m arranjo g eo g ráfico po r região . Inclu i d ad o s so bre curso s

d e g rad uação e p ó s-g rad uação , ativ id ad es d e ensino , p esquisa e extensão . 7 7 3 EU R O PEA N facu lty d irecto ry. Lo n d o n :G ale, 1 9 9 1 - . A nual.

  ISSN 1053- 640X

  11 D iretó rio de cerca d e 316 00 0 d o centes de institu iç õ es euro p éias de

ensino superio r. A rranjo em 96 grand es áreas; d entro de cad a área em o rd em

alfab ética d o s no m es d o s p ro fesso res. índ ices o no m ástico e g eo g ráfico . 774 FA C U LT Y w hite p ages. D etro it: G ale, 1 9 8 9 - . A nual.

ISSN 1040-1288

  

11 D iretó rio d e 537 000 p ro fesso res d e 3 400 institu içõ es d e ensino sup erio r

dos EU A . A rranjo em 41 áreas, cad a entrad a inclu i o no m e d o pro fesso r, no m e

da univ ersid ad e o u facu ld ad e o nd e lecio na e telefo ne. Em anexo , e n c o n ­

tram -se o s end ereço s das institu içõ es.

  

775 FU N D A Ç Ã O C A PES . Pro gram as d e p ó s-g rad uação auto riz ad o s, www.

capes.go v.br/ curso s/ ind ex.htm l 11 A busca po d e ser feita po r assu nto e po r

região .

  776 G U IA d o estu d ante. São Paulo: Ed ito ra A bril, 1 9 8 3 - . A nual.

  ISSN 0104-

480X H C o n té m m atérias so bre o m u nd o univ ersitário b rasileiro e o v estib u ­

lar. D escrev e to d as as p ro fissõ es d e nível sup erio r d o p aís e o nd e o s curso s

são o ferecid o s: a) os curso s d e nível sup erio r e as institu iç õ es q ue os o fere­

c em , em o rd em alfab ética pelo s curso s e, d entro d eles, em o rd em alfab ética

d o s estad o s, d entro d e cad a estad o p ela o rd em alfab ética das cid ad es; b) as

in stitu iç õ es d e ensino superio r, co m info rm açõ es so bre curso s e v estibulares.

  A rranjo alfab ético po r estad o e, no estad o , p elo no m e da institu ição . 777

  IN T ER N A T IO N A L hand bo o k o f univ ersities. Paris: Internatio nal A sso -

ciatio n o f U niv ersities; N ew York: Sto ckto n Press, 1959— . Bienal 11 U niv ersi­

d ad es e institu içõ es d e ensino sup erio r d e m ais de 160 p aíses. A rranjo alfa­

b étic o p o r p aíses. Em cad a v erb ete dá info rm açõ es gerais so bre a o rg aniz a­

ção , end ereço , no m es dos d ireto res, d ep artam ento s existen tes, calend ário

acad êm ico , taxas, líng uas usad as no ensino e tip o s d e curso s e d ip lo m as

o ferecid o s. ín d ice alfab ético d e institu içõ es.

  778 N A T IO N A L facu lty d irecto ry. D etro it: G ale, 1 9 7 0 - . A nual.

  ISSN 0077-

4472 11 Em o rd em alfab ética, co m no m e e end ereço de cerca d e 660 000

p ro fesso res e p esquisad o res ligad o s a faculd ad es e univ ersid ad es d o s EU A e

C anad á. E co n stan tem en te atualizad o . A p artir d e 1983, p asso u a ser p u bli­

cad o em três v o lum es.

  

779 U N ES C O . D ir e c t o r y o f e n g in e e r in g e d u c at io n in s t it u t io n s . 3rd ed . Paris:

U N ES C O , 1986. 303 p. 11 Inclu i 600 institu içõ es de ensino d e eng enharia de

70 p aíses. A rranjo alfab ético po r c o n tin en tes e, em seg uid a, po r p aíses.

  138

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

7 8 0 W O R L D o f learning . Lo nd o n: Euro p a Pu b licatio ns, 1947— . A nual. 1

v.

  

ISSN 0084-2117. Tam b ém em ced erro m H D iretó rio clássico , p u b licad o há

m ais d e 50 ano s e atu aliz ad o co n stan tem en te. A rranjo alfab ético p o r p aíses,

em cad a p aís ap arecem as so cied ad es cien tífic as, in stitu to s d e p esq u isa, b i­

b lio tecas e arquiv o s, m u seu s, univ ersid ad es e facu ld ad es. En fatiz a as in sti­

tu içõ es d e ensino superio r. Relacio na cerca d e 30 000 in stitu iç õ es. ín d ice

alfab ético geral d as institu içõ es.

  

D iretó rio s d e ó rgão s g o v ernam entais

781

  IN T ER N A T IO N A L d irecto ry o f g o v em m ent. 3rd ed . Lo nd o n: Euro p a Pu b licatio ns, 1999. 850 p.

  ISBN 1-85743-057-3 H In tern acio n al, co m info r­

m açõ es so bre cerca d e 17 500 ag ências g o v ernam entais da m aio ria d o s p aí­

ses. A rranjo alfab ético po r p aíses. Inclu i d ad o s so bre os p o d eres co nstitu íd o s

e so bre o s o rg anism o s g o v ernam entais. ín d ice de entid ad es e assunto s 78 2 R ED E G O V ER N O ; p o rtal de serv iço s e info rm açõ es d o g o v erno b rasilei­

ro. 11 Sítio m antid o p elo M in istério d o Plan ejam en ­

to , O rçam en to e G estão , serve co m o “ um a via d e d ifu são d e info rm açõ es e

serv iço s d o go v erno brasileiro , d isp o nív eis na In tern et, e tem co m o p ro p ó si­

to facilitar a interação d o cid ad ão co m o Estad o ” (ap resentação ). C o n té m

hip erv íncu lo s d o s p rincip ais serv iço s d e info rm ação fed erais, d iretó rio d o s

p rincip ais sítio s d e ag ências g o v ernam entais fed erais, estad u ais e m u n ic i­

pais. A lém d isso , m antém d o is d iretó rio s eletrô nico s so bre ó rgão s d a ad m i­

nistração p ú blica fed eral e o cu p antes d e cargo s d e d ireção : 1) cad astro da

estru tu ra d o g o v erno e d o s ó rg ão s p ú b lico s fed erais

sec _ m ain .h tm ], co m o no m e da rep artição , d ata d e criação , estru tu ra, fin a­

lid ad e, atrib u içõ es e leg islação co rrelata; 2) q u em é q u em , lista eletrô n ica

das auto rid ad es fed erais [, co m

a relação d o s o cu p antes de cargo s de d ireção .

  783 Q UEM é q u em . Brasília: C T IS, 1 9 9 9 - .

H C ad astro eletrô n ico das auto rid ad es fed erais ligad as ao s p o d eres e x e c u ti­

vo, leg islativ o e ju d iciário . M ed iante assinatu ra, p erm ite p esqu isar hierar­

q u icam en te o s d iv erso s níveis d e po der, v isualiz and o os ó rgão s v incu lad o s

co m seus resp ectiv o s d irig entes. Perm ite busca p elo no m e da au to rid ad e,

no m e d o ó rgão g o v ernam ental, carg o e áreas d e ativ id ad es d en tro d e um

ó rgão esp ecífico .

  W O R L D W ID E

784 g o v em m ent d irecto ry . Bethesd a: W o rld w id e G o v ern­

  11

m e n t D irecto ry , v. 1 - , 1 9 9 5 - . Irregular D iretó rio d as au to rid ad es g o v erna­

m entais d e 194 p aíses. A rranjo p o r p aíses e, d entro d e cad a p aís, relacio na os

respo nsáveis pela chefia d o Estad o , o g abinete m inisterial, ó rgão s d o legislativ o e ju d iciário , ag ências g o v ernam entais, b anco central e fo rças arm ad as. FIN A N CIA M EN TO E FO M EN TO À PESQ UISA

  139

  

FIN A N C IA M EN T O E FO M EN T O À P ESQ U ISA

A p esquisa e o d esenv o lv im ento de no vo s p ro d uto s, p ro cesso s e serviço s

inco rrem em cu sto s financeiro s. Existem institu iç õ es p ú blicas e p rivad as

q u e au xiliam , d e fo rm a integ ral ou p arcial, o trab alho d o p esquisad o r e do

estu d ante. Essas institu iç õ es, tam b ém co nhecid as co m o ó rgão s d e fo m ento ,

p o d em ser internacio nais, reg io nais, nacio nais o u estad u ais. Praticam ente,

existem em q uase to d as as áreas d o co nh ecim ento .

  

Para q u e o interessad o po ssa ap resentar um p ed id o de au xílio para p es­

q uisa é p reciso co nh ecer a institu iç ão ap ro p riad a, seu end ereço co m p leto ,

req u isito s em term o s d e fo rm ulário s a serem p reenchid o s e o u tro s elem en ­

to s necessário s. A s fo ntes aqui arro lad as d estinam -se a o ferecer esse tip o de

info rm ação .

  

Fo n tes d e in fo rm ação so bre fin an c iam e n to e fo m en to à p esqu isa

785 A W A R D s alm anac: an internatio nal guid e to career research and ed u- catio nal fund s. D etro it: St. Jam es Press, 1 9 9 1 - . A nual.

  ISSN 1052-2220 11

D iretó rio co m cerca d e 1 500 institu içõ es q ue financiam p esquisas e p ro je­

to s nas áreas d e co m ércio , ind ú stria, serviço s so ciais, hu m anid ad es para p ro ­

fesso res e estu d antes univ ersitário s. Internacio nal, co m ênfase no s p aíses de

líng ua ing lesa. C ad a v erbete inclui no m e da institu ição , end ereço , o b jetiv o

d o fin an ciam en to e info rm açõ es so bre co m o fazer a so licitação . A rranjo al­

fab ético p elo no m e da institu ição , co m índ ices de p rêm io s, g eo g ráfico e as­

sunto s.

  786 B r a s i l . C o n s e l h o N a c i o n a l d e D e s e n v o l v i m e n t o C i e n t í f i c o E T EC N O L Ó G IC O .

  G u ia d e fo n t e s d e fin an c iam e n t o à c iê n c ia e t e c n o lo g ia.

  10. ed . Brasília:

  C N Pq , 1998. 218 p. Tam b ém em

H D iv id e-se em sete p artes: fo ntes de âm b ito nacio nal, de âm b ito estad u al,

d e âm b ito reg io nal, de âm b ito internacio nal, im p o rtação e incentiv o s fis­

cais, p rêm io s, fu nd açõ es d e ap o io às institu içõ es d e ensino sup erio r, co m

resp ectiv o s end ereço s. Info rm açõ es básicas so bre ap o io financeiro . Sem ín ­

d ice.

  

787 TH E G RA N TS register. Lo nd o n: M acm illan Reference, 1 9 6 9 - . Bienal.

  ISSN 0072-547111 D iretó rio de institu içõ es de d iverso s p aíses q u e co nced em

b o lsas d e estud o s e auxílio para p esquisad o res. A rranjo alfab ético po r c ab e­

  

çalho s d e assunto s. índ ices alfabético s de bo lsas de estud o s e institu içõ es.

  

Prin cip ais in stitu iç õ es b rasileiras d e fo m en to à p esqu isa

788 BA N C O d a A m a z ô n i a S/A (BA S A ). End ereço : A ve­

nid a Presid ente Vargas, 800, Belém ,

  

PA

66017-000 H O b anco tem linhas de

fin an ciam en to q u e v isam à cap acitação tecno ló g ica nas áreas ag ro p ecuária,

  140

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

ag ro ind u strial, ag ro flo restal, ind ustrial e m ineral no A cre, A m ap á, A m az ô ­

nia, Pará, Ro nd ô nia e To can tins. a n c o d o o r d e s t e d o r a s i l s a b n b

  

7 8 9 B N B / ( ) . E n d e ­

reço : Praça M u rilo Bo rg es, 1, 9.° and ar, Fo rtale z a, CE 6 0 0 3 5 - 2 1 0 11 O b an c o

te m lin h as d e fin an c iam e n to p ara ap o iar o p ro c esso d e d e se n v o lv im e n to

te c n o ló g ic o d a in d ú stria lo caliz ad a n o N o rd e ste , c o m ê n fase na te c n o lo g ia

d e p o n ta , b e m c o m o na e x e c u ç ã o d e p e sq u isa a p lic a d a e d if u sã o d e

te c n o lo g ias.

  

7 9 0 B a n c o N a c i o n a l d e D e s e n v o l v i m e n t o e c o n ô m i c o e S o c i a l

(B N D ES ), En d ereço : C arteira O p eracio n al d e En q u a­

d ram ento da Á rea d e C réd ito . A venid a Rep ú b lica d o C h ile, 100, 14.° and ar,

  

Rio de Janeiro , RJ 20001-970 H O b anco apó ia p ro jeto s no s seto res da ind ú s­

tria, infra-estru tu ra, ag ro p ecu ária, co m ércio e serv iço s. Existem d iv ersas li­

nhas d e fin an ciam en to para as áreas d e ciência e tecno lo g ia. 791

  B r a s i l . M i n i s t é r i o d a C i ê n c i a e T e c n o l o g i a . P r o g r a m a d e

A p o i o a o D e s e n v o l v i m e n t o C i e n t í f i c o e T e c n o l ó g i c o ( p a d c t ).

End ereço : Secretaria Execu tiv a do

PA D C T , M in istério da C iên cia e Tecno lo g ia, Esp lanad a d o s M in istério s, Blo ­

co

E, 4 ° and ar, Brasília, D F 70067-900 H O PA D C T fo i criad o em 1984 co m

  

recurso s do Banco M u nd ial e da União . Tem po r o b jetiv o estim u lar o d esen ­

v o lv im ento de áreas co nsid erad as p rio ritárias para a ciência e tecno lo g ia.

792 . ------------ . P r o g r a m a d e C a p a c i ta ç ã o d e R e c u r s o s H u m a­

n o s p a ra o D e s e n v o l v im e n to C i e n t í f i c o ( r h a e ) .

av aliacao .htm End ereço : Secretaria Execu tiv a d o RHAE, Esp lanad a d o s M i­

nistério s, Blo co E, 3.° and ar, Brasília, D F 7 0 0 6 7 - 9 0 0 U Tem po r o b jetiv o c o n ­

tribu ir para o ap erfeiço am ento de recurso s hu m ano s nas áreas co nsid erad as

p rio ritárias para o d esenv o lv im ento tecno ló g ico e ind u strial. 793 F i n a n c i a d o r a d e E s t u d o s e P r o j e t o s ( f i n e p ) .

  RJ

End ereço : Praia do Flam eng o , 200, Rio de Janeiro , 22210-030 11 Em p resa

p ú blica criad a, em 24 d e ju lho de 1967. Visa a fo m entar, técn ica e fin an c e i­

ram ente, estu d o s, pro gram as e p ro jeto s c ien tífic o s e tecno ló g ico s. V in cu la­

da ao M inistério da C iên cia e Tecno lo g ia, atua co m o secretaria execu tiv a d o

  (FN D C T ).

  Fu nd o N acio nal d e D esenv o lv im ento C ie n tífic o e Tecno ló g ico

794 FU N D A Ç Ã O B a n c o D O B r a s i l (FB B ). End ereço : Se ­

D F

to r C o m ercial N o rte, Ed ifício N u m ber O n e, 10.° and ar, Brasília, 70710-

500 K C riad a em d ez em b ro de 1985, abso rv eu as ativ id ad es d o antig o Fu nd o

  ( FI P E C ).

de Incentiv o à Pesquisa T é c n ic o -C ie n tífic a A p ó ia p ro jeto s na área

cien tífic o -tec n o ló g ic a e tam b ém nas áreas da saúd e, assistência so cial, ed u ­

cação , cu ltu ra, recreação e d esp o rto .

  141

  FIN A N CIA M EN TO E FO M EN TO À PESQ UISA

795 F u n d a ç ã o C o o r d e n a ç ã o d e A p e r f e i ç o a m e n to d o P e s s o a l d e

N iV EL S u p e r i o r (CA PES), En d ere ç o : M in isté rio d a Ed u ­

c aç ão e D e sp o rto , Esp lan ad a d o s M in isté rio s, A n exo II, 2 ° and ar, Brasília,

DF 70047-900 U Fu n d ad a em 1951, v in cu lad a ao M in isté rio d a Ed u c aç ão e

D e sp o rto , te m p o r o b je tiv o a fo rm u laç ão d as p o lític as d e p ó s-g rad u aç ão e

fo rm aç ão d e recu rso s h u m an o s p ara d o c ê n c ia em g rau su p erio r. C o n c e d e

b o lsas d e estu d o s e ap ó ia p ro g ram as d e p ó s-g rad u aç ão . u n d a ç ã o d e m p a r o à i ê n c i a e e c n o l o g i a f a c e p e

796 F A C T ( ) .

facep e.p e.g o v .br End ereço : Rua Benfica 150, Bairro M ad alena, Recife, PE

50720-001 11 Tem po r o b jetiv o incentiv ar o d esenv o lv im ento c ien tífic o e

tecno ló g ico d o estad o d e Pernam bu co . C o n ced e bo lsas de estud o s e auxílio s

à p esquisa. u n d a ç ã o d e m p a r o e s q u i s a d o i s t r i t o e d e r a l f a p d f

797 F A à P D F ( ).

End ereço : C lu b e do Serv id o r, SCEN, trech o 3, lo te 1,

Brasília, DF 70800-200 U Seu o b jetiv o é estim u lar, ap o iar e p ro m o v er o d e­

senv o lv im ento cien tífico , visand o ao b em -estar da p o p ulação , d efesa d o m eio

am b ien te e pro gresso da ciência e tecno lo g ia na área d o D istrito Fed eral. u n d a ç ã o d e p o i o à e s q u i s a d o s t a d o d a a r a í b a f a p e s q

798 F A P E P ( ) .

  

URL: fap esq .rp p .b r/ in d ex.h tm l En d ere ç o : Ru a Em ilian o R e sen d e d a Silv a s/

n , C am p in a G ran d e , PB 58109-772 H T e m p o r o b je tiv o ap o iar p ro je to s d e

p e sq u isa q u e v ise m , e m e sp ec ial, ao d ese n v o lv im e n to só c io -e c o n ô m ic o d o

e stad o d a Paraíb a.

  799 F

  • u n d a ç ã o d e A m p a r o à P e s q u i s a d o E s t a d o d e A l a g o a s ( f a

  

PEA L). En d e re ç o : Ru a d o L iv ram en to , 148, Ed ifíc io W alm ap ,

M ac e ió , AL 57020-030 11 T e m p o r o b je tiv o p ro m o v er o d ese n v o lv im e n to c i­

e n tíf ic o e te c n o ló g ic o d o e stad o d e A lag o as, p o r m e io d o fin a n c ia m e n to d e

p ro je to s d e p esq u isa n o s v ário s c am p o s d a c iê n c ia e d a te c n o lo g ia. u n d a ç ã o d e m p a r o à e s q u i s a d o s t a d o d e i n a s e r a i s

  8 0 0 F A P E M G

(FA P EM IG ). End ereço : Rua Raul Po m p éia, 101, 7.° and ar,

Belo H o riz o nte, MG 30330-080 U Realiz a fo m ento e ap o io à: a) p esquisa

c ien tífic a e tecno ló g ica co nsid erad as relev antes para o d esenv o lv im ento do

estad o d e M inas G erais; b) cap acitação d e recurso s hu m ano s para a p esq u i­

sa; c) d ifusão d e resultad o s d e p esquisa cien tífic a e tecno ló g ica.

  

801 u n d a ç ã o d e m p a r o à e s q u i s a d o s t a d o d e ã o a u l o

F A P E S P

En d e re ç o : Rua Pio XII,

  

(FA P ESP ). 1500, São Paulo , SP 05468-

90111 C o n c e d e b o lsas d e estu d o s e au x ílio s p ara p esq u isa a p esq u isad o res d o

e stad o d e São Pau lo . E c o n sid erad a a m ais fo rte e a tu an te fu n d aç ão d o g ê n e ­

ro . Pu b lic a o b o le tim m en sal

N o t íc ias FA P E S P .

  142

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA (FA PEM A ). End ereço : Rua Eg ito , 173, São Luís, M A 6 5 0 0 0 - 0 0 0

  11 Tem o o b je ­

tiv o d e financiar p ro gram as e p ro jeto s d e p esquisa realizad o s em in stitu i­

çõ es p ú blicas o u privad as no estad o d o M aranhão .

  803 F A P E R J u n d a ç ã o d e m p a r o à e s q u i s a d o s t a d o d o i o d e a n e i r o

  

(FA PER j ) . E n d e re ç o : A v e n i d a E ra s m o B ra g a , 118, R i o d e Ja ­

n e i ro , RJ 2 0 0 2 0 - 0 0 0 H A p ó i a p ro j e to s e a ti v i d a d e s q u e c o n tri b u a m p a ra o

d e s e n v o l v i m e n to c i e n tí f i c o e te c n o l ó g i c o d o e s ta d o d o R i o d e Ja n e i ro .

  

80 4 F u n d a ç ã o d e A m p a r o à P e s q u i s a d o E s t a d o d o R i o G r a n d e d o

S U L (FA PER G S ). E n d e re ç o : A v e n i d a N i l o P e ç a n h a , 7 3 0 ,

P o rto A l e g re , RS 9 0 4 6 0 - 0 0 0 11 A p ó i a a c i ê n c i a e te c n o l o g i a c o m a c o n c e s s ã o

d e b o l s a s d e e s tu d o s e a u x í l i o s à p e s q u i s a n o s c a m p o s p ri o ri tá ri o s a o d e s e n ­

v o l v i m e n to d o e s ta d o d o R i o G ra n d e d o S u l . n s t i t u t o r a s i l e i r o d o e i o m b i e n t e e d o s e c u r s o s a

  8 0 5

  I B M A R N ­

t u r a i s RENOVÁ VEIS (IBA MA ). : A v en id a L4 N o r­

te , L o te 4 , Brasília, DF 7 0 8 0 0 - 2 0 0 U Pro m o v e a e x e c u ç ão , p o r m e io d e fin a n ­

c ia m e n to in d u z id o , d e estu d o s e p esq u isas nas áreas d e m an e jo e c o n se rv a­

ç ão d e recu rso s n atu rais, b io d iv ersid ad e, te c n o lo g ia d e g e stão am b ie n ta l,

e d u c aç ão a m b ie n tal, in fo rm aç ão am b ie n tal e e c o ssiste m as tro p ic ais.

  8 0 6 V i t a e A p o i o à C u l t u r a , E d u c a ç ã o e P r o m o ç ã o S o c i a l .

E n d e re ç o : R u a O s c a r F re i re , 3 7 9 , 5.° a n d a r, S ã o P a u l o , SP

0 1 4 2 6 - 0 0 1 11 A s s o c i a ç ã o civ il s e m f in s l u c ra ti v o s q u e te m p o r o b j e ti v o a p o i a r

a c u l tu ra , a e d u c a ç ã o e a p ro m o ç ã o s o c i a l . C o n c e d e b o l s a s d e e s tu d o s e

a p o i o f i n a n c e i ro a p ro j e to s d e p e s q u i s a .

  

G U IA S B IBL IO G R Á FIC O S

O s guias b ib lio g ráfico s, guias o u rep ertó rio s d e literatu ra, são o bras de

referência feitas para aju d ar os p esquisad o res e o u tro s interessad o s na b u sca

d e fo ntes d e info rm ação so bre um assu nto esp ecífico . O p rincip al o b jetiv o

d o s guias é m anter seus leito res a par da existên cia d as fo ntes d e in fo rm ação

m ais im p o rtantes, saber co m o u tiliz á-las e aju d á-lo s na o tim iz ação d e p es­

q uisa b ib lio g ráfica co rrente o u retro sp ectiv a. O s guias m ais m o d erno s refe-

rem -se não so m ente a d o cu m ento s im p resso s m as tam b ém a sítio s na In tern et

q u e fu ncio nam co m o rep o sitó rio s d e info rm açõ es.

  

G u ias b ib lio g ráfic o s d e o u tro s p aíses

807 A M ER IC A N reference bo o ks annu al. L ittleto n : Libraries U n lim ited ,

1 9 7 0 - . A nual.

  ISSN 0 0 6 5 - 9 9 5 9 11 C o n h ecid o p ela sigla A RBA , inclu i resenhas EU A

críticas d e o bras d e referência p ublicad as no s e C anad á so bre d iv erso s

assu nto s. C o b re alm anaq u es, atlas, b ib lio g rafias, d icio nário s, d iretó rio s, m a-

  143

  GUIA S BIBLIO G RÁ FIC O S

nu ais, g uias, índ ices, d icio nário s e enciclo p éd ias. índ ices de assu nto s, títu ­

lo s e au to res. D iv erso s índ ices acu m ulad o s de assunto s, auto res e títu lo s

  

( In d e x to A m e r ic an r e fe r e n c e b o o k s an n u al) fo ram p ublicad o s e co b rem os

p erío d o s: 1 9 7 0 - 1 9 7 4 , 1 9 7 5 - 1 9 7 9 , 1 9 8 0 - 1 9 8 4 , 1 9 8 5 - 1 9 8 9 , 1 9 9 0 - 1 9 9 4 e

1995-1999.

  

808 A N THON Y, L .J. (ed .) I n fo r m a t io n s o u r c e s in e n g in e e r in g . 2nd ed .

Lo nd o n: Bu tterw o rths, 1985. 578 p. ISBN 0-408-11475 H C o m ênfase nas

fo ntes b ritân icas. Em três p artes: 1) intro d u ção à estru tu ra da literatu ra em

eng enharia; 2) seis cap ítu lo s so bre fo ntes p rim árias d e info rm ação : relató ri­

o s técn ico s, no rm as, p atentes, p erió d ico s, co nferências, teses e trad u çõ es; 3)

três cap ítu lo s so bre fo ntes secu nd árias: serv iço s d e resum o s e ind exação ,

b ib lio g rafias, revisõ es d e literatu ra, serviço s de in fo rm ação em linha, p rinci­

pais o bras de referência. O índ ice inclu i assu nto s, p rincip ais índ ices, siste­

m as em linha e o rg anizaçõ es. N ão inclu i índ ice d o s títu lo s analisad o s.

  A RBA

809 A W E, Susan C . g u id e to s u b je c t e n c y c lo p e d ias a n d d ic t io n ar ie s .

  ISBN

2nd ed . Eng lew o o d : Libraries U n lim ited , 1997. 482 p. 1-563-08467-8 11

Inclu i cerca d e 1 000 itens, selecio nad o s d o A m e r ic an r e fe r e n c e b o o k s an n u al

  

(item 807), relativ o s a enciclo p éd ias e d icio nário s p u blicad o s no p erío d o

1 986-1996. C ad a v erbete inclu i referência b ib lio g ráfica e resum o c rític o so ­

bre a o bra. Em três p artes (ciências so ciais, hu m anid ad es, ciência e te c n o ­

lo g ia) d isp ersas em 36 cap ítu lo s relativ o s a subáreas. ín d ice d e auto res e

títu lo s. a

  8 1 0 B

  ILEY , Ro b ert (ed .) G u id e to r e fe r e n c e b o o k s . l l tl i ed . C h icag o :

A m erican Library A sso ciatio n, 1996. 2040 p. ISBN 0-8389-0669-9. Tam b ém

em ced erro m H Ed itad o d esd e 1902, é co nsid erad o um d o s m elho res guias

b ib lio g ráfico s, co m am p la co b ertu ra m u nd ial. A rranjo p o r g rand es assunto s.

Esta ed ição analisa 15 875 fo ntes de info rm ação im p ressas, co m o tam b ém

fo ntes eletrô nicas (ced erro ns e bases d e d ad o s). Exc elen te índ ice alfab ético

co m 424 p áginas que inclu i assu nto s, auto res e títu lo s em seq ü ência ú nica,

rem etend o para o nú m ero da referência. Prep arad o co m a co lab o ração de

m ais d e 50 b ib lio tecário s d e referência. A tualiz ad a sem estralm ente, em arti­

go p u blicad o em C o lle g e an d r e s e ar c h lib r ar ie s e em su p lem ento s irregulares.

  

811 CH EN , C h in g -C h ih . 2nd

S c ie n t ific a n d t e c h n ic al in fo r m at io n s o u r c e s .

ed . C am b rid g e: M IT Press, 1987. 824 p. ISBN 0-262-03120-5 H A p rim eira

ed ição , p u blicad a em 1977, analiso u 3 600 o bras p ublicad as entre 1966—

  

1976. Esta ed ição arro la cerca d e 4 000 iten s, inclu i brev es co m entário s e

info rm a o nd e a o bra fo i resenhad a. N ão é um guia seletiv o e a ênfase é nas

p u b licaçõ es em ing lês. A rranjo po r tip o d e d o cu m en to e, a seguir, po r g ran­

d es assunto s.

  

812 H ERN ER, Sau l; A LLEN , G ene P; W RIG H T, N ancy D . B r i e f g u id e to

  144

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

s o u r c e s o f s c ie n t ific a n d t e c h n ic al in fo r m at io n . 2nd ed. A rling to n: Info rm atio n

  ISBN f

Reso urces Press, 1980. 160 p. 0-87815-031-5 V o ltad a para o usuário

no rte-am erican o , enfatiz a os d iretó rio s, p esquisas em and am ento , e co m o

fazer um lev antam ento b iblio g ráfico . E b astan te seletiv a e analisa as p rinci­

pais fo ntes d e info rm ação cien tíficas e tecno ló g icas.

  

813 H U R T , C .D . 3rd ed .

  In fo r m at io n s o u r c e s in s c ie n c e a n d t e c hn o lo g y .

  Eng lew o o d : Libraries U n lim ited , 1998. 346 p.

  ISBN 1-56308-531-3 H C o m

ênfase na b ib lio g rafia no rte-am ericana. A rranjo po r assu nto s. In clu i c o m en ­

tário s so bre as fo ntes, em sua m aio ria p ublicad as na d écad a d e 1990.

  8 1 4

  INFORMA TION reso u rc es fo r e n g in eers and sc ie n tists: w o rksh o p n o ­

tes. 6 th ed . W ash in g to n , DC: INFO/ Tek, 1991. 1 v., p ag in aç ão v ariad a H G u ia

so b re fo n te s d e in fo rm aç ão p ara estu d an te s d as áreas d e c iê n c ia e e n g e n h a­

ria. A rran jo p o r tip o d e fo n te s. In c lu i e x em p lo s e m o d o s d e u tiliz aç ão .

  815 T H E IN FO RM A T IO N retriev al in chem istry W W W server, m aced o nia.

chem .d em o krito s.g r/ 1l Excelen te guia de fo ntes d e info rm ação existen tes na

In tern et so bre cerca d e 60 áreas da q u ím ica. O rg aniz ad o p elo In stitu te o f

Phy sical C hem istry , da G récia. Inclu i hip erv íncu lo s para os sítio s ind exad o s.

  816

  IN FO R M A T IO N so urces in b io techno lo g y , chem istry and m o lecu lar

diversity, 11 C o n tém um guia d e fo ntes d e in ­

fo rm ação nas áreas de b io tecno lo g ia e bio lo g ia m o lecular. A cesso g ratu ito e

existem centenas d e hip erv ínculo s co m p erió d ico s c ien tífic o s, lab o rató rio s,

centro s d e p esquisa d e institu içõ es p ú blicas e privad as.

  817 LA M B ER T , Jill; L a m b e r t , Peter.

  H o w to fin d in fo r m at io n in s c ie n c e 2nd ed. Lo nd o n: Bingley, 1991. 122 p.

  ISBN 0-85157-469-6 11 a n d t e c hn o lo g y .

  

M anu al p rático q ue ensina a p ro curar info rm ação té c n ic o -c ien tífic a. A nali­

sa a estru tu ra d a literatu ra c ie n tífic a, co m o usar as fo n tes im p ressas e

au to m atiz ad as, técnicas da busca em ced erro m e em linha. ín d ice d e assu n­

to s e títu lo s.

  818 M A LC LÈS , Lo uise-N o élle; LH ER IT IER , A nd rée.

  M an u e l d e b ib lio g r ap h ie .

  

4e éd . Paris: Presses U niv ersitaires de France, 1985. 448 p. 11 G u ia geral em

três p artes: b iblio g rafias g erais; biblio g rafias esp ecializ ad as; b ib lio g rafias de

b ib lio g rafias. A p resenta p equena intro d u ção em cad a assu nto abo rd ad o e

co m entário s para as p rincip ais fo ntes. índ ice d e auto res e títu lo s e assunto s.

  Enfase em fo ntes francesas. 819 M A L IN O W S K I, H aro ld .

  R e f e r e n c e s o u r c e s in s c ie n c e , e n g in e e r in g , Pho enix: O ryx, 1994. 355 p.

  ISBN 0-897-74742-9 H m e d ic in e an d ag r ic u lt u r e .

  O bra clássica. A ed ição anterio r (1980) tinha o títu lo S c ie n c e a n d e n g in e e r in g

lit e r at u r e , g u id e t o r e fe r e n c e s o u r c e s . Esta ed ição inclu i cerca d e d uas m il

o bras, co m brev es co m entário s.

  145

  GUIA S BIBLIO G RÁ FIC O S

82 0 M c B U R N EY , M elissa (ed .) K ey g u id e t o e le c t r o n ic r e s o u r c e s : e n g in e e r ­

  ISBN

in g . M ed fo rd : Info rm atio n Tod ay, 1995. 196 p. 1-573-87008-0 11 G uia

d e fo ntes de info rm ação eletrô nica d isp o nív eis na área d e eng enharia. C o bre

bases d e d ad o s lo cais, catálo g o s em linha, ced erro ns, listas d e d iscu ssõ es e

p erió d ico s eletrô nico s.

  

821 M lLD REN , Ken W .; H IC KS, Peter. In fo r m at io n s o u r c e s in e n g in e e r in g .

3rd ed. Lo nd o n: Bo w ker-Saur, 1996. 792 p. ISBN 1-85739-057-1 11 C o m 36

cap ítu lo s escrito s po r esp ecialistas d e d iverso s p aíses é um excelente guia

para fo ntes de info rm ação em eng enharia, co m ênfase em fo ntes d e língua

ing lesa. N o início de cad a cap ítu lo existe um ensaio so bre o ram o da eng e­

nharia q u e está send o analisad o . índ ices d e auto res e títu lo s.

  

822 N a t i o n a l B i o l o g i c a l , I n f o r m a t i o n I n f r a s t r u c t u r e , w w w .

nbii.gov/ H Pro vê acesso a o rg aniz açõ es q u e o ferecem d ad o s b io ló g ico s na

In tern et. Um m ecanism o de b usca facilita a recup eração no b anco de d ad o s.

  

823 N a t i o n a l B i o t e c h n o l o g y I n f o r m a t i o n F a c i l i t y ( n b i f ) . w w w .

nbif.o rg/ ind xbd y.htm l H G u ia de fo ntes so bre as áreas da b io tecno lo g ia. O r­

g aniz ad o p elo Physical Sciences Labo rato ry da N ew M exico State University.

u r l e y

  

8 2 4 PA RKER, C . C . ; T , R.V . In fo r m at io n s o u r c e s in s c ie n c e a n d t e c h ­

n o lo g y . 2nd ed . Lo nd o n: Bu tterw o rths, 1986. 328 p. ISBN 0-408-01467-9 11

G u ia intro d u tó rio so bre a busca e as fo ntes d e info rm ação m ais im p o rtantes

em ciência e tecno lo g ia.

  PO W ELL,

825 Russell H .; PO W ELL, Jam es R. C o r e lis t o f b o o k s an d jo u r n als

in s c ie n c e an d t e c h n o lo g y . Pho enix: O ryx Press, 1987. 134 p. H G u ia dos p rin­

cip ais livro s e p erió d ico s, em ing lês, so bre ag ricultura, astro no m ia, bio lo g ia,

q u ím ica, co m p u tação , eng enharia, g eo lo g ia, m atem ática e física.

  8 2 6 PRIMA CK, A lice Lefler. F in d in g an s w e r s in s c ie n c e an d t e c hn o lo g y . New

York: Van N o strand Reinho ld , 1984. 364 p. ISBN 0-442-28227-3 H Em 13

cap ítu lo s m o stra co m o m o ntar um a estratég ia de b u sca e co m o recup erar

in fo rm ação cien tífica e tecno ló g ica. Lista das p rincip ais b ib lio tecas d o s EUA.

  82 7 PRITCHA RD, Eileen; SC O TT, Paula R. L it e r at u r e s e ar c h in g in s c ie n c e ,

t e c h n o lo g y an d ag r ic u lt u r e . 2nd ed. W estp o rt: G reenw o o d Press, 1996. 196

p. ISBN 0-313-26212-8 11 V isão geral das fo ntes para p esquisa m ais im p o rtan­

tes para estu d antes univ ersitário s. C o m cap ítu lo s intro d u tó rio s so bre os d i­

verso s tip o s d e fo ntes, estratég ia de busca e uso d e b ib lio teca. Em anexo ,

lista dos índ ices e b iblio g rafias co rrentes, p rincip ais p erió d ico s, bases de d a­

d o s e rev isõ es da literatu ra.

  REA D ER’ S

828 ad viser; the b est in science, techno lo g y and m ed icine. 14th

  ISBN

ed . N ew Pro v id ence: Bow ker, 1994. v. 5, 975 p. 0-8352-3325-1 (v. 5).

  ISSN 0094-5943 11 O bra clássica ed itad a d esd e 1921. Esta ed ição é co m p o sta

  146

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

de seis v o lum es q ue analisam os p rincip ais auto res e o bras, co m ênfase na

líng ua ing lesa. C o b re d iv ersas áreas. O v o lu m e 5 é d ed icad o à c iên c ia, te c n o ­

lo gia e m ed icina. Inclu i índ ices d e auto res, títu lo s e assu nto s.

  R EFER EN C E

  ISSN 829 so urces. A nn A rbo r: Pierian Press, 1 9 7 7 - . A nual.

  

0163-3546 11 A rranjo p ela classificação da Library o f C o ng ress. In clu i c ita­

çõ es d as resenhas feitas so bre o bras d e referência em língua inglesa p ublicad as

em m ais d e 600 títu lo s d e p erió d ico s.

  

8 3 0 SEA RS, Jean L .; M O O D Y, M arilyn K. U sin g g o v e r n m e n t p u b lic at io n s :

p r in t a n d e le c t r o n ic . 2nd ed. Pho enix: O ryx Press, 1993. 539 p. ISBN 0 -8 9 7 7 4 -

6 7 0 - 8 H Exc elen te fo nte para ap rend er a u tiliz ar as p u b licaçõ es o ficiais no r- te-am ericanas. A bo rd a fo ntes im p ressas e eletrô nicas.

  

831 S M IT H , M artin A .; W i l t , D avid E . ; ER IC K S O N , Ju d ith B. E n c y c lo p e d ia

D etro it: G ale, 1997. o f p h y s ic a l s c ie n c e s a n d e n g in e e r in g in fo r m at io n s o u r c e s .

  1472 p.

  ISBN 0-8103-6911-7 11 A p esar d o term o enciclo p éd ia no títu lo , trata-

se d e b ib lio g rafia ano tad a so bre ciências físicas e tecno lo g ia. A nalisa ín d i­

ces, p erió d ico s d e revisão d a literatu ra, b ib lio g rafias, d iretó rio s, en c ic lo p éd i­

as, d icio nário s, fo ntes b io g ráficas, m anu ais, bases d e d ad o s, p erió d ico s, no r­

m as técnicas.

  

832 W A LFO R D ’ S g uid e to reference m aterial. 8th ed .Lo n d o n : Lib rary

1: A sso ciatio n Pu b lishing , 1 9 9 9 - . V . ciência e tecno lo g ia, 1999, 7 0 4 p.

  ISBN 1 - 8 5 6 0 4 - 3 4 1 - X ; v. 2: ciências so ciais e histó ricas, filo so fia e relig ião , 2 0 0 0 ,

  8 0 8

  ISBN 1 - 8 5 6 0 4 - 3 7 5 - 4 ; p. v. 3: g eneralid ad es, líng uas, literatu ra e artes (no

p relo ) 11 T ítu lo clássico , ed itad o d esd e 1959, in tern acio n al, co m ênfase em

fo ntes b ritân icas. Há ed ição abrev iad a: C o n c is e g u id e to r e fe r e n c e m at e r ial.

  

2nd e d ., 1992. A tu aliz ad o p o r m e io d e artig o s p u b licad o s no L ib r a r y

A s s o c iat io n r e c o r d . O s v erbetes inclu em a referência b ib lio g ráfica co m p leta

e brev es ano taçõ es. Estas ano taçõ es são úteis na seleção o u av aliação das

fo ntes d e info rm ação . Po ssui índ ice alfab ético esp ecífico para cad a v o lu m e

rem etend o para a p ágina o nd e se enco ntra o v erbete.

  

833 W A L L , Ray m o nd A . (ed .) E n g in e e r in g g u id e t o p r o d u c t in fo r m at io n ,

s o u r c e s a n d u s e . Lo nd o n: A slib, 1992. 253 p.

  ISBN 0-85142-291-8 H Ênfase no

c o n tex to b ritânico . Tem po r o b jetiv o atend er “ às necessid ad es d o en g en h ei­

ro p ro jetista, seus co leg as de p esquisa e d esenv o lv im ento , co m p ras, v end as

o u m arketing , e o g eren ciam ento d e suas fáb ricas” (p. xiii). Em q u atro par­

tes: necessid ad es d e info rm ação , fo ntes d e in fo rm ação so bre p ro d u to s, ser­

v iço s d e in fo rm ação so bre p ro d uto e serv iço s d e co nsu lto ria. In clu i índ ices de in stitu iç õ es e assunto s. GUIA S BIBLIO G RÁ FIC O S

  147

  

G u ias b ib lio g ráfico s d o Brasil

8 3 4 A R A Ú JO , Z ild a G alhard o de. G u ia d e b ib lio g r a fia e s p e c ia liz a d a . Rio de

Janeiro : A sso ciação Brasileira de Bib lio tecário s, 1969. 207 p. 11 G eral. A rran­

jo p ela C lassificação D ecim al d e Dew ey. A rro la fo ntes nacio nais e estrang ei­

ras ed itad as até 1965. A p arte de ciências puras e ap licad as está nas p áginas

6 9 - 1 1 5 . D esatualiz ad o . Serve ap enas para fo ntes anterio res à d ecad a de 1960.

s s o c i a ç ã o a u l i s t a d e i b l i o t e c á r i o s r u p o d e i b l i o t e c á

  

8 3 5 A P B . G B ­

r i o s e m e c n o l o g i a

  EM IN FO RM A Ç Ã O T . O b r as d e r e fe r ê n c ia e m t e c n o lo g ia:

e s t ad o d e S ão P au lo . São Paulo : CETESB, 1979. 2 1 4 p. H G u ia d e 2 09 0 o bras

d isp o n ív eis n o e stad o d e São Paulo . “ R e ú n e re fe rê n c ias b ib lio g ráfic as d e li­

v ro s e p erió d ic o s n u m a ú n ic a o rd em alfab é tic a d e en trad a e n u m erad as

se q ü e n c ialm e n te . C ad a c ita ç ã o in d ica e m q u e ac erv o a o b ra p o d erá ser e n ­

c o n tra d a ” (re su m o ). ín d ic e s d e assu n to s e títu lo s, e re lação d as b ib lio te c as

p artic ip an te s.

  A s s o c i a ç ã o P r o f i s s i o n a l d o s B i b l i o t e c á r i o s d o E s t a d o d o R i o 836 d e J a n e i r o . G r u p o d e B i b l i o t e c á r i o s e m ç ã o T E C N O L Ó G I C A . I n f o r m a ç ã o e D o c u m e n t a ­ G u ia d as b ib lio g r a fias em t e c n o lo g ia n o e s t ad o d o R io de

  “A

Jan e ir o . Rio d e Janeiro , 1978. 148 p. 11 o bra está o rg anizad a po r o rd em

alfab ética de assu nto s, relacio nand o alfab eticam en te os títu lo s das b ib lio ­

g rafias, a extensão cro no ló g ica, o tip o e o nú m ero d e referências e as siglas

d as institu iç õ es d etento ras dos lev antam ento s b ib lio g ráfico s” (intro d u ção ,

p. ix).

  

837 C A M PEL O , Bernad ete Santo s; C A M PO S , C arlita M aria. F o n t e s d e in ­

fo r m a ç ã o e s p e c ia liz a d a : c ar ac t e r ís t ic as e u t iliz aç ão . 2. ed . Belo H o riz o nte:

Ed ito ra U FM C , 1993. 160 p. 11 “ Elab o rad o co m o p ro p ó sito d e servir co m o

texto d id ático para aluno s d e Bib lio teco n o m ia [...] é um liv ro reco m end ad o

tam b ém para aq ueles p ro fissio nais que p recisam co nh ecer a natu rez a e as

fu nçõ es das fo ntes d e info rm ação d e sua área” . A o bra seg ue a abo rd ag em

m acro scó p ica na qual “ a biblio g rafia é vista co m o um instru m ento no p ro ­

cesso to tal de co m u n ic aç ão ” (ap resentação ). Em 21 cap ítu lo s: o p rim eiro

trata d o sistem a d e co m u nicação e a literatu ra cien tífic a, o seg und o das

entid ad es e institu iç õ es co m o fo ntes d e info rm ação ; e o s cap ítu lo s 3 a 20

analisam o s d iv erso s tip o s de fo ntes de info rm ação . N o ú ltim o cap ítu lo , rela­

ção d e siglas e end ereço s. N ão po ssui índ ices d e auto res o u títu lo s analisad o s

na o bra.

  

8 3 8 H A RTN ESS, A n n . B r as il: o b r as d e r e fe r ê n c ia 1 9 6 5 - 1 9 9 8 , u m a b i b l i o ­

g r a fia c o m e n t a d a . Brasília: Briq u et d e Lem o s / Liv ro s, 1999. 453 p. 11 D esti­

nad a ao “ interessad o nas hu m anid ad es, artes o u ciências so ciais, a sua c o ­

bertura d e assunto s nestas áreas é b em am p la, em bo ra não seja exaustiv a.

  

O u tras áreas, co m o po r exem p lo , ed u cação , histó ria natu ral e ag ricu ltu ra,

  148

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

tam b ém são inclu íd as, m as sua co b ertu ra é b astan te lim itad a” (intro d u ção ,

p. ix). A p arte d e histó ria natural está nas p áginas 2 6 5 - 2 7 4 . A rranjo po r

g rand es assu nto s, co m subd iv isõ es de fo rm a, g eo g ráfico e assu nto s. índ ices

de assunto s e o no m ástico .

  M E N D O N Ç A ,

  V E IG A ,

839 G ism ália M arcelino ; A na Luiz a. Fo ntes d e info r­

  C O N G R E S S O B R A S IL EIR O D E m ação em q u ím ica e eng enharia q u ím ica. In: B i b l i o t e c o n o m i a e D o c u m e n t a ç ã o ,

  16. , Salvad o r, 1991. A n ais . Salv a­

d o r: A sso ciação Pro fissio nal dos Bib lio tecário s d o Estad o da Bahia, 1991. p.

7 7 8 - 7 9 4 H Relacio na as fo ntes d e interesse d o usuário brasileiro .

  

R E V ISÕ E S D A L IT ER A T U R A

Na b u sca d e um a info rm ação , d o is estág io s são b ásico s: a id en tific aç ão

d o s d o cu m ento s e sua leitu ra. A leitu ra p o d e co nsu m ir p recio so tem p o , es­

p ecialm ente se o co rrer o p ro cesso de análise e av aliação d o s d o cu m en to s

lid o s. A ssim , os d o cu m ento s o u p erió d ico s q ue traz em rev isõ es da literatu ra

p o d em ser d e extrem a utilid ad e para o tim iz ar o tem p o d o p esq u isad o r o u

estu d ante.

  A revisão da literatu ra é um lev antam ento , g eralm ente exau stiv o , d o s

d o cu m ento s p u blicad o s so bre d eterm inad o assunto . A nalisa a d o c u m en ta­

ção co rrente e ind ica o s cam inho s que um assu nto o u frente d e p esqu isa

p o d e to m ar no futuro . Pod e ser ed itad a co m o um artig o inserid o nu m fasc í­

cu lo d e p erió d ico , co m o m o no g rafia, co m o um cap ítu lo d e d issertação o u

tese e tam b ém co m o títu lo esp ecífico d e p erió d ico . N este caso , são p erió d i­

co s q u e, q u and o em ing lês, g eralm ente, p o ssuem a d en o m inação g enérica

d e A d v an c e s in ..., A n n u al rev iew o f. . . , P ro g re ss in ..., R e v ie w s in ..., etc.

  I N D E X

840 to sc ie n tific review s. Philad elp hia: In stitu te fo r Sc ie n tific

  IS S N

In fo rm atio n , v. 1 - , 1 9 7 4 - . Sem estral co m acu m u lação anu al. 0360-

0661 H M u ltid iscip linar, ind exa artig o s q u e p o ssu em no títu lo o s term o s

ad v an c e s , rev iew e p r o g r e s s in . A lém d isso inclu i artigo s q u e p o ssuam m ais d e

  R

40 referências b ib lio g ráficas e to d o s os q ue p o ssuem o có d ig o (d e re v iew )

ind exad o s na base d e d ad o s d o S c ie n c e c it at io n in d e x (item 224). Em d uas

p artes: a) s o u r c e in dex : relacio na as revisõ es p elo so b reno m e d o au to r; b)

p e r m u t e r m s u b je c t in d e x : índ ice d o s assu nto s, elab o rad o a p artir d o s term o s

relev antes d o títu lo do d o cu m ento .

  A

Indice

  

Inclui, nu m esm a ord em alf ab ética, assu n to s, no m es de pessoas e in stitu içõ es, título s

de p u b licaçõ es, b ases de dad os e sítios n a In tern et. O s títu lo s das p u b licaçõ es são

grifados. O s nú m ero s rem etem para os itens referenciad os. a a a s s c ie n c e film c at alo g 380 A b b o t, D avid 2 2 8 A b br e v iat io n s dic t io n ar y

   693 a u n t v er A sso ciação Brasileira de N o rm as T écn icas ab reviaturas 6 8 9 - 7 0 4 A b st rac t s in n ew t ec hn olo g y an d en g in ee rin g

  200 A cad em ic Press 111 A c ad e m ic P ress dic t io n ar y o f s c ie n c e an d t e c h ­ n olog y 2 7 9 A ch ei 581 A cro ny m f ind er 6 8 9 A c ron y m s an d in it ialis m s dic t io n ar y 6 9 0 A c ron y m s , in it ialis m s ó ab b r e v iat io n s d ic t io ­ n ary 6 9 0 a f n o r v er A sso ciatio n Fran çaise de N o rm ali­ satio n ag ên cias de f o m en to , diretórios 7 6 0 - 7 6 4 ag ên cias g o v ern am en tais, diretórios 7 8 1 - 7 8 4

  A GRÍCOLA 2 1 0 A g ricu ltu ral O n lin e A ccess 2 1 0 A g r in dex 201 a i i m v er A sso ciatio n for In f o rm atio n and

  Im ag e M an ag em en t A lbu m o f s c ie n c e 4 3 2

  A lf o n so -G o ld f arb , A na M aria 4 5 5 A lford, M .H .T . 3 4 4 A lf ord , V L. 3 4 4 A libris 513 A llaby, M ich ael 313 A llen, G en e P 812 A ltaV ista 555 trad u ção au to m ática 3 6 7 A lu m in u m A sso ciatio n 41 A m az o n 5 1 4 A m e r ic a’s s c ie n c e m useum s 6 1 0

  A m erican library dir ec to ry 723 A m er ic an m en an d w o m en o f s c ie n c e 2 2 9 A m erican N atio n al S tand ard s In stitu te 42 A m erican N u clear S o ciety 43 A m er ic an r e fe r e n c e b o o ks an n u al 4 9 0 , 8 0 7 A m er ic an s c ie n t is t 132

  A m erican S o ciety for T estin g and M aterials 4 7 , 2 7 6 A m erican S o ciety of A gricultural En g in eers

  45 A m erican S o ciety of H eatin g , R ef rig erating and A ir-C o n d itio n in g En g in eers 4 4 A m erican S o ciety of M ech an ical En g in eers 4 6 A n ais da A c ad e m ia B r as ile ir a de C iê n c ias 133 A nd rad e, A na M aria R ib eiro de 6 1 7 A n d rad e, M aria M argarid a de 6 4 7 , 6 4 8 , 6 6 9 A n n als o f t h e N ew Y ork A c adem y o f S c ie n c es

  134 A n n u aire cles o r g an is at io n s in t e r n at io n ale s 7 4 4 A n n u al g u ide s to g r ad u at e stu dy 7 7 0 a n s v er A m erican N u clear S o ciety a n s i v er A m erican N atio n al S tand ard s In sti­ tu te A n tas, Luiz M en d es 3 5 5 , 691

  A NTE v er A b st rac t s in n ew t ec hn o lo g y a n d e n g i­ n e erin g

  A nthony, L. J. 8 0 8 A n u ário de s it e e e - m ail 5 4 7 A ond e? 582 A p o n tad o res de In f o rm ação em C iên cia e T ecn o lo g ia ( i c n e t ) : asso ciaçõ es 7 4 0 A p p lie d s c ie n c e an d te c hn o lo g y in de x 2 0 2 A raújo, A velino de Pina 3 5 6 A raújo , Z ild a G alhard o de 8 3 4 a r b a 8 0 7 A rb a g u id e to s u b je c t en c y c lo p e d ias a n d d ic t io ­ n aries 8 0 9

  A rch iePlex 556 A rdley, N eil 2 8 0 A rgentieri, R. 528 A rqu iv o do C o n s e lh o de F is c aliz aç ão das E x p e ­ diç õ e s A r t ís t ic as e C ie n t ífic as n o B rasil

  4 7 5 arquivos cien tíf ico s 6 0 4 - 6 2 0 A rt de la t h e s e 6 5 2 A rt e da te s e 6 5 2 A rticle C learin g h o u se 156

  150

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA artig o s de revisão da literatu ra 8 4 0 A SA E v er A m erican S o ciety of A gricultural

  En g in eers A sh, Irene 21 A sh, L e e 7 2 4 A sh, M ich ael 21 a s h r a e v er A m erican S o ciety of H eatin g , R e­ f rig erating and A ir-C o n d itio n in g En g in eers A sim ov, Isaac 2 3 0 , 4 2 3

  A s im o v ’s b io g r ap h ic al e n c y c lo p e d ia o f s c ie n c e an d t ec hn o lo g y 2 3 0 A sim ov’s chronology o f s c ie n c e an d discov ery 4 2 3 A s lib b o o k g u id e 491 a s m e ver A m erican S o ciety o f M ech an ical En g in eers A sry antz , K .G . 3 6 2 A ssisten te rem o to de trad u ção 3 6 8 A sso ciação Brasileira de En g en h aria Q u ím i­ ca 6 3 4 , 6 3 7 A sso ciação Brasileira de N o rm as T écn icas 3 3 ,6 1 A sso ciação Paulista de Bib lio tecário s 180 A sso ciação Paulista de Bib lio tecário s. G rup o d e Bib lio tecário s em In f o rm ação em T e c­ no log ia 8 3 5 A sso ciação Profissional d e Bib lio tecário s do Es tad o da Bahia 181 A sso ciação Profissional dos Bib lio tecário s do Es tad o d o R io d e Janeiro. G ru p o de Bi­ b lio tecário s em In f o rm ação e D o cu m e n ­ tação T ecn o ló g ica 8 3 6 asso ciaçõ es cien tíf icas, diretórios 7 3 8 - 7 4 5 A sso ciatio n for In f o rm atio n and Im ag e M a­ n ag em en t 4 9 A sso ciatio n Fran çaise d e N o rm alisatio n 59

  T h e a s t c direc t ory 6 0 8 A STM s t an d ar d s 4 8

  A STM v er A m erican S o ciety for T estin g and

  M aterials A uger, C h arles Peter 166 A uger, Peter 67 A um üller, A d alb erto 351 A w ards alm an ac : an in t e r n at io n al g u id e to c ar e e r re s e ar c h an d e d u c at io n al fu n ds 7 8 5 A w ards, h o n o r s an d pr iz es 621 A w e, S usan C . 8 0 9 A zeved o, Fern an d o de 4 5 6 Bailey, R o b ert 8 1 0 B allen ty n e, D en is W illiam s G eo rg e 281 B an co da A m az ô n ia s / a 7 8 8 B an co de dad os ( c e d i n ) 7 0 B an co d e ev en to s 2

  B an co de p aten tes ( i n p i )

  93 B an co d o N o rd este d o Brasil s / a 7 8 9 B an co N acio n al de D esen v o lv im en to E co n ô ­ m ico e S o cial 7 9 0 b an co s de dad os 1 9 3 - 1 9 6 B an c o s e b as e s d e d ad o s o n - lin e e em c d - r o m : d ir e t ó r io d e in s t it u iç õ e s de e n s in o s u p e r io r

  192 Barb osa, Lu iz H ild eb ran d o H o rta 4 2 4 Barnes & N o b le 515 Barnes-S varney, Patricia 2 8 3 , 5 2 9 B ar n h ar t ab b r e v iat io n s dic t io n ar y 6 9 2 B arn h art, R o b ert K. 2 8 2 , 6 9 2 Baro ne, C atarin a 3 6 0 Barrass, R o b ert 6 4 9 Barros, A idil de Jesus Paes de 6 5 0 Barros, Fern an d o 4 5 7 b a s a v er B an co da A m az ô n ia s / a Base i s s n ( i b i c t ) 9 6 b ases de dad os 1 8 7 - 1 9 2 Bases de dad os em ciên cia e tecn o lo g ia 190 Bassech es, Bru n o 7 1 7 B asto s, Lilia da R o ch a 651 Beau d , M ich el 6 5 2 B e n n e tt, S tu art 4 2 5 Berlow , Law ren ce H . 4 2 6 Berv ian, Ped ro A lcin o 6 3 9 Besterm an , T h eo d o re 1 9 7 , 7 1 8 b / b e n ver B ib lio g r afia b r as ile ir a de en er g ia n u c le ar B ib lio g r afia b r as ile ir a 4 9 2

  B ib lio g r afia b r as ile ir a d e ag r ic u lt u r a 2 0 3 B ib lio g r afia b r as ile ir a d e en er g ia n u c le ar 2 0 4 B ib lio g r afia b r as ile ir a d e e n g e n h ar ia 2 0 5 B ib lio g r afia b r as ile ir a d e f ís ic a 2 0 6 B ib lio g r afia b r as ile ir a de m at e m át ic a 2 0 7 B ib lio g r afia b r as ile ir a de q u ím ic a 2 0 8 B ib lio g r afia das b ib lio g r afias b r as ile ir as 7 2 0 U m a b ib lio g r afia d as b ib lio g r afias b r as ile ir as

  7 1 7 B ib lio g r afia s o br e m u se u s e m u s e o lo g ia 6 0 4 b ib liografias 1 9 7 - 2 2 4 b ib liografias retro sp ectiv as 1 9 7 - 1 9 8 de b ib liografias 7 1 7 - 7 2 2 co rren tes 2 0 0 - 2 2 4 B ib lio g r ap h ic g u id e t o c o n fe r e n c e p u b lic at io n s

  3 B ib lio g r ap h ic g u id e to t ec hn o lo g y 2 0 9 B ib lio g r ap h ic in dex 7 1 9 B ib lio g r ap h ic m u s é o lo g iq u e in t e r n at io n ale 6 0 5 B ib lio g r ap h ie s o f t h e his t o r y o f s c ie n c e an d t e c hn o lo g y 4 2 7

  ÍN D IC E

  151

  B ib lio g r ap h y o f ag r ic u lt u r e 2 1 0 A b ib lio g r ap h y o f B r az ilian b ib lio g r ap h ie s 7 1 7 A bib lio g r ap h y o f t h e p h ilo s o p h y o f s c ie n c e 1 9 4 5 - 1 9 8 1 3 8 4 Bib lio teca N acio n al (Brasil) 2 6 0 B ib lio teca V irtual A nísio T eixeira 2 7 2 B ib lio teca V irtual C arlo s C h ag as 2 7 3 B ib lio teca V irtual G ilb erto Freyre 2 7 4 Bib lio teca V irtual Le ite Lo p es 2 7 5 b ib lio tecas catálo g o s 2 5 4 - 2 7 5 catálo g o s em linha 2 5 8 - 2 6 9 en d ereço s 7 2 3 - 7 3 3 d e o u tro s países 7 2 3 a 7 2 9 digitais 2 7 0 - 2 7 5 d iretórios 7 2 3 —7 3 3 d o Brasil 7 3 0 - 7 3 3 virtuais 2 7 0 - 2 7 5 B ib lio tecas virtuais 7 3 0 b iografias 2 2 5 - 2 5 3 B io g r ap h ic al d ic t io n ar y o f s c ie n t is t s 2 2 8 , 231 B io g r ap h ic al dic t io n ar y o f t h e hist o ry o f t e c h ­ n olog y 2 3 5 B io g r ap h ic al e n c y c lo p e d ia o f s c ie n t is t s 2 3 4

  B io g r ap h ie s o f s c ie n t is t s 2 2 7 B io g r ap h is c h - lit e r ar is c h e s H an dw ö r t er bu c h z u r G e s c h ic h t e d er e x akt e n W is s e n s c h aft e n 2 4 8

  Biograp hy and genealog y m aster index 2 3 2 B io g rap hy in dex 2 2 5 B io lo g ic al ab s t r ac t s 211 b io s is

  211 B IO S IS s e ar c h g u id e 211 B io t e c h n o lo g y p at e n t s

  BNB v er B an co d o N o rd este d o Brasil s/ a b n d e s v er B an co N acio n al de D esen v o lv im en ­ to Eco n ô m ico e Social Bo cab eille, Jean - M arc 701 b o i. 5 1 6 B o o k c at alo g u e o f t h e library o f t he R o y al S o c ie t y 2 5 5 B o o k rev iew dig es t 507 B o o k rev iew in dex 4 9 3 , 5 0 8 Book M ark s 583 B o o ks an d p e r io d ic als o n lin e 109 B o o ks in p rin t 4 9 4 Borges, S tella M aris 6 8 5 Bo rn stein , R. 7 1 3 Bragonier, R. 2 8 4

  O B rasil de s c o b r e a p e s q u is a c ie n t ífic a: o s m u ­ se u s e as c iê n c ias n at u r ais n o s é c u lo x/x 6 0 7 Brasil. C o m issão N acio n al de En erg ia N u cle­ ar. C e n tro de In f o rm açõ es N u cleares 4 , 3 4 — . C o n selh o N acio nal de D esen v o lv im en to C ien tíf ico e T ecn o ló g ico 1 6 1 , 1 6 2 , 2 3 3 , 6 2 7 , 6 2 8 , 6 3 1 , 6 3 2 , 7 3 1 , 7 8 6 — . M in istério da C iên cia e T ecn o lo g ia 19, 2 0 , 1 6 3 , 7 3 0 , 7 9 1 , 7 9 2 — . M in istério da C u ltu ra 6 2 8 — . M in istério da Ed u cação e C u ltu ra 173, 771 — . S ecretaria Esp ecial de In f o rm ática 187

  B r as il: o b r as de re fe r ê n c ia 19 6 5 - 1 9 9 8 8 3 8 Brazil n etb u siness d irecto ry 7 6 5 B raz il: a c o u n try stu dy 481 Bren nan , R .P 2 8 5 B r ie f g u id e to so u r c e s o f s c ie n t ific a n d t e c h n i­ c al in fo r m at io n 812 B r it is h jo u r n al o f t h e hist o ry o f s c ie n c e 4 0 7 British Library. D o cu m e n t Supply C e n tre 153 B r it is h reports, t r an s lat io n s an d t hes es : a c u r­ ren t aw ar en e ss b ib lio g r ap h y 167 British Stand ard s In stitu tio n 60 Bro w n, Peter 104 Brow ne, E.J. 3 8 6 Bruno, Leo n ard C . 4 2 8 Brush, S tep h en G . 4 2 9 b s i v er British S tand ard s In stitu tio n Bud d , R o b ert 3 8 5 Bueck en , Fran cisco J. 363 B u lle t in s ig n alé t iq u e 221 B u n ch , Bryan 4 3 0 , 4 4 2 By nu m , W .F. 3 8 6 c a b ab s t r ac t s 2 1 2 C ad as t r o d e e m p r e s as d e c o n s u lt o r ia 761 C ad as t r o n ac io n al das e n t id ad e s d e c iê n c ia e t e c n o lo g ia 7 5 8

89 BiREM E v er C e n tro Latin o -A m erican o e d o C a­ rib e d e In f o rm ação em C iên cias da Saúd e Blackw ell El e ctro n ic Journal N av ig ato r 112 Blackw ell, R ichard J. 3 8 4 Blik stem , Izid oro 6 7 0

  C ad ê? 5 8 6 Cadê-, referência: d icionário s 3 6 9 C ad e r n e t a do en g e n h e ir o 542 C ad e r n o s d e h is t ó r ia e filo s o fia da c iê n c ia 4 0 8 C ale n d ár io d e ev e n t o s em c iê n c ia e t e c n o lo g ia

  5 C âm ara Junior, Joaq u im M atto s o 671 C am b r id g e d ic t io n ar y o f s c ie n c e an d t e c h n o ­ log y 2 8 6 C am b r id g e dic t io n ar y o f s c ie n t is t s 2 4 3 C am b r id g e illu s t r at e d hist o ry o f t h e w o rld s c ie n c e s 4 4 6

  C am p ello , B ern ad ete S an to s 8 3 7

  152

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA C am p o s, C arlita M aria 8 3 7 c a p e s v er Fu n d ação C o o rd en ação de A p erf ei­ ço am e n to d o Pessoal de N ível Sup erior C arm o N eto , D io nísio 6 7 2 C arn eg ie Lib rary of Pittsb u rg h . S cien ce and T ech n o lo g y D e p artm e n t 2 8 7 C arp o v ich , Eu g en e A . 345 C arp o v ich , V era V 3 4 5 C arraz o n i, M aria Elisa 6 1 8 C arv alh o , V era M aria d e 4 5 9 c a 2 1 3 c a search 2 1 3 CA S on lin e 2 1 3

  T h e C as s e ll d ic t io n ar y o f s c ie n c e 3 1 0 C as tro , C láu d io de M o u ra 6 3 8 C astro , M aria H elen a M agalhães 481

  C at álo g o ABNT

  1 9 9 5 33 C a t álo g o b r as ile ir o de p u b lic aç õ e s 4 9 5 C at álo g o br as ile ir o de serv iç os té c n ic o s lab o r at o ­ r iais 1 1 1 catálo g o co letiv o de teses 1 8 0 - 1 8 1 , 2 5 6 de universidad es púb licas de S ão Paulo 2 5 6 C at álo g o c o le t iv o de c o n fe r ê n c ias em c iê n c ia e t e c n o lo g ia

  35 C e n tro Latin o - A m erican o e d o C arib e d e In ­ f o rm ação em C iên cias d a S aú d e 1 2 8 , 157 cen tro s de p esq uisa 2 7 6 - 2 7 8 cen tro s de d o cu m e n tação v er cen tro s d e infor­ m ação cen tro s de in f o rm ação de ou tro s países 7 2 3 - 7 2 9 d o Brasil 7 3 0 - 7 3 3 cen tro s de p esq uisa diretórios 7 4 6 - 7 5 9 c e n w i n v er C o n tro le eletrô n ico d e n o rm as para W in d o w s C erv o , A m ad o Lu iz 6 3 9 C hakalov, G . 3 4 6 C h as s o t, A ttico 431 CH EM CO N

  B r as il 4 5 8 C e n tro de In f o rm ação T ecn o ló g ica ( i p t )

   In stitu to N acio n al da Pro p ried ad e In ­ d ustrial. C e n tro de D o cu m e n tação e Inf or­ m ação T ecn o ló g ica 1 0 0 an o s d e d es en v o lv im e n t o da e n g e n h ar ia n o

  çõ es seriadas c d - r o m s in p rin t 4 9 6 CED IN v er

4 C at álo g o c o le t iv o d e liv ros, t e s e s e p u b lic aç õ e s

  4 0 1 C at alo g u e o f s c ie n t ific p ap e r s 1 8 0 0 - 1 9 0 0 : s u b je c t in dex 199 C av alcan ti, A n tô n io M an o el de Siq ueira 4 5 8 c c c ver C at álo g o c o le t iv o d e c o n fe r ê n c ias em c i­

  C a t álo g o g e r al d as in s t it u iç õ e s d e e n s in o s u p e ­ rio r 771 catálo g o s co letiv o s de livros 5 0 4 - 5 0 6 em linha 2 5 8 - 2 6 9 C at alo g u e o f s c ie n t ific p ap e r s 1 8 0 0 - 1 9 0 0 198,

  IJFSC 2 6 9

  C a t álo g o d e b an c o d e te s es 173 C atálo g o de n o rm as técn icas 34 C at álo g o d e te s es em te c n o lo g ia d o e s t ad o d e S ão P au lo : de 1 9 0 0 a 1 9 7 3 180 C a t álo g o do s m u se u s do B r as il 6 1 9 C atálo g o em linha d o S istem a In teg rad o d e Bi­ b lio tecas da

  UFRC S 2 6 8 C atálo g o co letiv o n acio n al de p u b licaçõ es se­ riadas 105 C atálo g o das b ib lio tecas vinculad as ao sistem a de b ib lio tecas da u f m c 2 6 6 C atálo g o das univ ersid ad es b rasileiras 7 7 2

  s e r iad as 2 5 6 C atálo g o co letiv o em linha das b ib lio tecas da

  2 1 3 C h em ical A b stract S ervice 7 2 , 91 C h e m ic al ab s t r ac t s

   2 1 3 C h e m ic al m an u fac t u r e r s direc t o ry o f t r ad e n am e pr o du c ts , 1 9 9 7 - 1 9 9 8

   21 C h em ical p aten ts plus 72 C h e m ic al t it le s 107 C h e n , C h in g - C h ih 811 C h iz z o tti, A n to n io 6 5 3 C h o ic e : c u rren t rev iew fo r ac ad e m ic lib r ar ie s 5 0 9 A c iê n c ia at r av é s do s t e m p o s 431 A c iê n c ia de s d e a B ab ilô n ia 4 5 0 C iê n c ia e c u lt u ra 135 C iê n c ia e E s t ad o , p o lít ic a c ie n t ífic a n o B r as il

  4 7 2 C iê n c ia e lib e r d ad e : e s c r it o s s o br e c iê n c ia e e d u ­ c aç ão n o B r as il

   4 7 0 C iê n c ia e t e c n o lo g ia n o B r as il: h is t ó r ia e id e o lo ­ g ia. 1 9 4 9 - 1 9 7 6 4 8 6 C iê n c ia h o je 141 C iê n c ia h o je d as c r ian ç as 141 C iê n c ia h o je n a e s c o la 141 C iê n c ia ilu s t r ad a 2 8 8 A c iên c ia n as relaç õ es B r as il- F r an ç a: 1 8 5 0 - 1 9 5 0 4 6 7 A s c iê n c ias n o B r as il 4 5 6 C ie n t is t as d o B r as il 4 5 9 O s c ie n t is t as p re c isam escrev er 6 4 9 CIN v er C o m issão N acio n al de En erg ia N uclear.

  ê n c ia e t ec n o lo g ia CCN v er C atálo g o co letiv o n acio nal d e p u b lica­

  ÍN D IC E

  153

  C e n tro de In f o rm açõ es N ucleares citaçõ e s , ín d ice d e 2 2 4 C ITEC ver C e n tro d e In f o rm ação T ecn o ló g ica e In stitu to de Pesq uisas T ecn o ló g icas. C en tro de In f o rm ação T ecn o ló g ica C iu cci, D o n atella 3 6 0 C lark , A lan J. 2 5 5 C leevely, R. J. 6 0 9 C lu g sto n , M ik e 3 2 3

  C N Pq ver Brasil. C o n selh o N acio n al de D esen ­ v o lv im en to C ie n tíf ico e T ecn o ló g ico

  7 0 5 C o h e n , Bernard 4 3 2 C o la p s o da c iê n c ia Ó t e c n o lo g ia n o B r as il 4 6 0 co leçõ es cien tíf icas 6 0 4 - 6 2 0 C o llaz o , Javier L. 3 3 9 C o m e si f a u n a te s i di lau r e a 6 5 6 C o m issão N acio n al de En erg ia N uclear.

  C o n tro le Ele trô n ico d e N o rm as para W in ­ dow s 27 C o n v e r s io n t ab le s o f u n it s fo r s c ie n c e an d e n g i- n eerin g 7 0 8 C o r e lis t o f b o o ks an d jo u r n als in s c ie n c e an d t ec hn olo g y 4 9 7 , 8 2 5 C o r p o r at e t ec hn o lo g y dire c to ry 7 6 6 C o rsi, Pietro 3 8 7 C o s ta, A n to n io Fern an d o G o m es da 6 5 4 C o s ta, V era R ita da 4 5 9 C o u tin h o , Lu cian o 4 6 2 c p d o c v er Fu n d ação G etú lio V argas. C e n tro d e Pesq uisa e D o cu m e n tação d e H istó ria

  B r as il 4 8 9 C o n t r ib u iç õ e s p ar a a h is t ó r ia da e n g e n h ar ia n o B r asil 461

  A c o n t r ib u iç ão da E s c o la P o lit é c n ic a d a u s p n a t e c n o lo g ia e in d u s t r ializ aç ão do B r as il 4 7 6 C o n t r ib u iç ão p ar a a h is t ó r ia da c iê n c ia n o

CODA TA

   3 0 6 C o n c is e g u id e t o re fe r e n c e m at e r ial 832 C o n c is e s c ie n c e dic t io n ar y 2 8 9 C o n fe r e n c e p ap e r s in dex

   6 co n f erên cias 1 - 1 8 C o n fr o n t o s e c o n t r as t e s r e g io n ais da c iê n c ia e t e c n o lo g ia n o B r as il 4 5 7 C o n g resso Brasileiro d e B ib lio teco n o m ia e D o cu m e n tação 8 3 9 cong ressos 1 - 1 8 C o n selh o d e R eito res das U niversid ad es Bra­ sileiras 7 7 2 C o n selh o N acio n al de D esen v o lv im en to C i­ en tíf ico e T ecn o ló g ico ver Brasil. C o n se ­ lh o N acio nal de D esen v o lv im en to C ie n ­ tíf ico e T ecn o ló g ico co n stan tes cien tíf icas 7 0 5 - 7 1 6 A c o n s t r u ç ão da c iê n c ia n o B r as il e a s b p c 4 6 3

  6 5 6 A c o m p ac t s c ie n c e dic t io n ary 3 2 7 C o m p e n d e x 1 1 5 , 2 1 5 C o m p o s it e in dex fo r c r c h an d b o o ks 526 C o m p r e h e n s iv e d is s e r t at io n in dex 174 C o m u n ic aç ão etn p r o s a m o de r n a

  C o m o p r e p ar ar t r ab alh o s p ara c u rso s d e p ó s- g r ad u aç ão 6 4 7 C o m o s e f a z u m a t e s e 6 5 6 C o m o s e f a z u m a t e s e em c iê n c ias hu m an as

  C e n tro de In f o rm açõ es N u cleares 1 5 8 , 6 2 6 , 6 3 5 C o m itê G esto r da In tern et 7 3 0 C o m o e lab o r ar p r o je t o s d e p e s q u is a 6 5 9 C o m o faz e r m o n o g r afia p r át ic a 6 6 6 C o m o faz e r u m a m o n o g r afia 6 6 4 C o m o ler, e n t e n d e r e re dig ir u m tex to 673

  C o n tem p o rân ea d o Brasil c r c h an d b o o k o f c hem ist ry an d p hy sic s : a ready re fe r e n c e b o o k o f c h e m ic al a n d p h y s i­ c al d at a 534 c r c s t an d ar d m at h e m at ic al t ab le s an d fo r m u ­ lae 7 1 6 C risol 5 1 7 GRUB ver C o n selh o de R eito res das U n iversi­ d ad es Brasileiras

  CTis 783 C u m u lat iv e b o o k in dex 4 9 8 C u r re n t c o n t en t s 108 C u rren t c o n t e n t s c o n n ec t 108 C u rrícu lo L atte s v er S istem a de C u rrícu lo Lattes C yrank a, Lu cia Fu rtad o de M en d o n ça 6 8 4 D ’O n o f rio , S alvato re 6 5 5 d a i v er D is s e r t at io n ab s t r ac t s in t e r n at io n al D ain tith , Jo hn 2 3 4 D am p ier, W illiam C ecil 4 3 3 D anilov, V icto r J. 6 1 0 , 611 D an tes, M aria A m élia M . 4 6 7 D arnay, Brig itte T 7 5 5 D au m as, M au rice 4 3 4 D avis, A nn S. 512 D avis, S co tt 545 D ay, Lan ce 2 3 5 D e Blo ch , R ichard 361 D e C am p , C ath erin e 4 3 5

   6 7 5 c o m u t ver Pro g ram a de C o m u tação Bib liográ­ fica co m u tação b ib liográfica 1 5 3 - 1 6 0 C o n c is e e n c y c lo p e d ia o f m e as u r e m e n t Ó in s­ t r u m e n t at io n

  154

   281 D ic t io n ar y o f q u an t it ie s an d u n it s 530 D ic t io n ar y o f r e p or ts series c o d e s 168 D ic t io n ar y o f s c ie n c e 2 8 0 , 2 9 2 D ic t io n ar y o f s c ie n c e a n d t ec hn olo g y : E n g lis h -

  7 7 9 D ir ec t o ry o f en g in e e r in g s o c ie t ie s an d r e lat e d o r g an iz at io n s 7 3 8 D irec t o ry o f E u r o p e an re se arc h an d d e v e lo p ­ m en t 7 4 7 D ir ec t o ry o f p u b lis h e d p r o c e e d in g s

   188 D ir ec t o ry o f en g in e e r in g e d u c at io n in s t it u t io n s

  7 4 6 D irec t o ry o f d at ab as e s

   D eu tsch es In s titu t für N o rm u n g D irect h it 5 5 7 D ir ec t o ries in p rin t 7 3 4 D ir ec t o ry o f A m e r ic an re s e ar c h an d t e c hn o lo g y

   701 D ic t io n n air e t e c h n iq u e an g lais 3 4 2 d i n v er

  D ic t io n ar y o f s c ie n c e s an d t ec hn o lo g y : E n - g lis h - A r ab ic , A r ab ic - E n g lis h 3 3 8 D ic t io n ar y o f s c ie n t ific b io g r ap h y 2 3 6 D ic t io n ar y o f s c ie n t ific lit e r ac y 2 8 5 D ic t io n ar y o f s c ie n t ific u n it s 7 1 0 D ic t io n ar y o f t e c hn o lo g y 3 3 7 D ic t io n ar y o f t h e hist o ry o f s c ie n c e 3 8 6 D ic t io n ar y o f t h e p h y s ic al s c ie n c e s 3 0 5 D ic t io n n air e des sig les s c ie n t ifiq u e s , t e c h n i­ q u e s et é c o n o m iq u e s

  G e r m an 333

  3 5 9 d icionário s 2 7 9 - 3 3 1 de term o s técn ico s 3 3 2 - 3 7 5 alem ão -in g lês 3 3 2 - 3 3 7 ale m âo - p o rtu g u ês 3 5 1 - 3 5 4 árab e-in g lês 3 3 8 esp an h o l-in g lês 3 3 9 - 3 4 0 f ran cês-in g lês 3 4 1 - 3 4 2 in g lês-árab e 3 3 8 in g lês- alem ão 3 3 2 - 3 3 7 in g lês-esp an h o l 3 3 9 - 3 4 0 in g lês-f ran cês 3 4 1 - 3 4 2 in g lês-jap o n ês 343 in g lês-p o rtu g u ês 3 5 5 - 3 5 9 in g lês-ru sso 3 4 4 - 3 5 0 italian o - p o rtu g u ês 3 6 0 jap o n ês-in g lês 3 4 3 m ultilin gu es 3 6 3 - 3 6 6 p o rtu g u ês- alem ão 3 5 1 - 3 5 4 p o rtu g u ês- in g lês 3 5 5 - 3 5 9 p o rtu g u ês—italian o 3 6 0 p o lo n ês- p o rtu g u ês 361 ru sso -in g lês 3 4 4 - 3 5 0 ru sso - p o rtu g u ês 3 6 2 d icionários eletrô n ico s 3 6 7 - 3 7 5 D ic t io n ar y o f c o n c e p t s in t h e p h ilo s o p h y o f s c ie n c e 3 8 8 D ic t io n ar y o f en g in e e r in g ac r o n y m s a n d a b b r e ­ v iat io n s 6 9 9 D ic t io n ar y o f en g in e e r in g an d t e c hn o lo g y 3 3 5 D ic t io n ar y o f n am e d e ffe c t s an d law s in c h e ­ m istry , p hy sic s , an d m at h e m at ic s

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA D e C am p , L. Sp rag ue 4 3 5 D e Sola, Ralp h 6 9 3 D e V ries, Lo u is 3 3 2 d e c o v er D o cu m e n t En g in eerin g D ed alus: b an co de dad os b ib liográficos da usp 263 D elu iz , N eise 651 D e m e te r’ s G en o m e 73 D em o , Ped ro 6 4 0 D erry, T. K. 4 3 6 D erw en t Pu b licatio n s Lim ited 92 O d es en v o lv im e n t o da c iê n c ia 451 D eu tsch es In s titu t fiir N o rm u n g 4 0 D ialog 193 D ias, R ein ald o 6 6 7

  D icio n ário universal da língua p o rtu g u esa o n -lin e 3 7 0 D ic io n ár io V erbo d e in g lês t é c n ic o e c ie n t ífic o

   365 D ic io n ár io t é c n ic o p o r t u g u ê s - it alian o 3 6 0 D ic io n ár io t é c n ic o - c ie n t ífic o ilu s t r ad o 2 9 3 D ic io n ár io t e c n o ló g ic o p o r t u g u ês ; ale m ão —p or- tu g u ês , p o r t u g u ê s - ale m ão 3 5 4

  D ic io n ár io p o lit é c n ic o r u s s o - p o r t u g u ê s 3 6 2 D ic io n ár io t é c n ic o d e P in a 3 5 6 D ic io n ár io t é c n ic o in g lê s - p o r t u g u ê s 3 5 7 D ic io n ár io t é c n ic o p o lig lo t a

  D ic io n ár io d e n o v o s t erm os d e c iê n c ias e t e c n o ­ lo g ias 3 2 9 D ic io n ár io d e s ig las e ab r e v iat u r as 691 D ic io n ár io d e s ig las e ab r e v iat u r as n ac io n ais e e s t r an g e ir as 7 0 0 D ic io n ár io d e t er m o s t éc n ic o s p o r t u g u ê s - in g lê s 3 5 5

  D ic io n ár io da t éc n ic a in d u s t r ial 352 D ic io n ár io das c iê n c ias 2 9 0 D ic io n ár io de c iê n c ia 3 2 4 D ic io n ár io d e c iê n c ias 291

  D ic c io n ar io t é c n ic o in g lê s 3 4 0 D ic io n ár io c ie n t ífic o e ilu st rado 3 2 7

  D ic c io n ar io e n c ic lo p é d ic o d e t ér m in o s t é c n ic o s in g lé s - e s p an o l, e s p an o l- in g lé s 3 3 9

   7 D ir ec t o ry o f re s e ar c h g r an t s 7 6 0 D ir ec t o ry o f s c ho lar ly e le c t r o n ic jo u r n als an d ac ad e m ic d isc u s s io n lis t s 110

  155

  ÍN D IC E D ir ec t o ry o f s c ie n t ific d ir e c t o r ie s 7 3 5 Eco , U m b erto 6 5 6

D ir ec t o ry o f s c ie n t ific s e r ials p u b lic at io n s o f Ed in b urg h En g in eerin g V irtual Lib rary 2 7 0

L at in A m e r ic a, t h e C ar ib b e an , S p ain an d Eg o S u rf 5 5 9

  P or tu g al

95 El/Engineering V illage 115

  

D ir ec t o ry o f s p e c ial lib r ar ie s an d in fo r m at io n E)N v er Blackw ell El e ctro n ic Journal N av igato r

El e ctric lib rary 114 c en t er s 7 2 5 D ir ec t o ry o f t e c h n ic al a n d s c ie n t ific d ire c to ries E le c t r ic al a n d e le c t r o n ic s ab s t r ac t s 2 1 4 7 3 5 Ele ctro n ic co llectio n s o n lin e 123

  

D ir ec t o ry o f u n iv ersity lib r ar ie s in E u r o p e 7 2 6 E le c t r o n ic d e c k ' s en g in ee rin g fo r m u las 7 0 7

T h e dire c to ry o f w o rld m u se u m s an d liv in g dis­ E le m e n t s d e b ib lio g r ap h ie d e I’h is t o ir e de s sc i­

p lay s 6 1 2 e n c es e t des te c h n iq u e s 4 0 2 D ir e t ó r io d e b as e s d e d ad o s 187 E ls e v ie r ’s R u s s ian - E n g lis h dic t io n ar y 3 4 8

  

D ir e t ó r io d e in s t it u iç õ e s d e e n s in o s u p e r io r E ls ev ier ' s dic t io n ar y o f s c ie n c e a n d tec hn o lo g y ,

192 E n g lis h - R u s s ian 3 4 6

  

D ir e t ó r io do s g r u p o s de p e s q u is a n o B r as il 161 E ls e v ie r ’s dic t io n ar y o f s c ie n c e an d tec hn olo g y :

D iretó rio eletrô n ico das revistas em ciên cia e G erm an - Po rtu g u ese 3 5 3

tecn o lo g ia 97 e m b r a p a ver Em p resa Brasileira d e Pesq uisa

d iretórios 7 3 4 - 7 8 4 A grop ecu ária ag ên cias de f o m en to 7 6 0 - 7 6 4 Em iliani, C esare 305

ag ên cias g o v ern am en tais 7 8 1 - 7 8 4 Em p resa Brasileira de Pesq uisa A g ro p ecu ária

asso ciaçõ es cien tíf icas 7 3 8 - 7 4 5 6 2 9 , 6 9 4

b ib liografia 7 3 4 - 7 3 7 — . D e p artam en to de In f o rm ação e D o cu ­

cen tro s de p esq uisa 7 4 6 - 7 5 9 m e n tação 6 9 4 em p resas 7 6 5 - 7 6 9 em presas f u n d açõ es 7 6 0 - 7 6 4 diretórios 7 6 5 - 7 6 9 in stitu içõ es d e p esq uisa 7 4 6 - 7 5 9 E n c ic lo p é d ia da c iê n c ia 2 9 4 in stitu içõ es ed u cacio n ais 7 7 0 - 7 8 0 E n á c lo p é d ia d e t e c n o lo g ia 2 9 5 in stitu to s de p esq uisa 7 4 6 - 7 5 9 E n á c lo p é d ia t é c n ic a u n iv er s al 2 9 6

órgãos d e f o m en to 7 6 0 - 7 6 4 E n c ic lo p é d ia t e c n o ló g ic a P lan e t ar iu m 2 9 7

órgãos g o v ern am en tais 7 8 1 - 7 8 4 enciclo p éd ias 2 7 9 - 3 3 1 so cied ad es cien tíf icas 7 3 8 - 7 4 5 En co n trei 587

   142 E n c y c lo p ae d ia o f t h e hist o ry o f s c ie n c e , t e c h n o ­ D is c o v e r

d issertaçõ es 1 7 2 - 1 8 1 log y an d m e d ic in e in n o n - W e s t em c u ltu res

D is s e r t at io n ab s t r ac t s in t e r n at io n al 175 3 9 0 D itto .co m 558 E n c y c lo p ae d ia b r it an n ic a 2 9 8 D ixo n , Bernard 311 E n c y c lo p e d ia o f ap p lie d p hy sic s 2 9 9 D o cu m e n t C e n te r 65

  E n c y c lo p e d ia o f as s o c iat io n s : n at io n al org a­ D o cu m e n t D elivery S ervice 91 n iz at io n s o f t h e us 7 3 9 D o cu m e n t En g in eerin g 62 E n c y c lo p e dia o f c h e m ic al t e c hn o lo g y 3 0 0

D o d iss Plus 2 8 E n c y c lo p e dia o f in fo r m at io n sy st em s an d serv i­

D o rian , A n g elo Fran cis 3 3 3 , 3 3 4 , 341 c es 7 2 7 D o rian ' s dic t io n ar y o f s c ie n c e a n d tec hn olo g y : E n c y c lo p e dia o f m at e r ials s c ie n c e a n d en g i­ E n g lis h - F r e n c li 341 n eerin g 301 D o r ian ’s dic t io n ar y o f s c ie n c e a n d tec hn olo g y : E n c y c lo p e d ia o f p h y s ic al s c ie n c e an d t e c h ­

   3 3 4 n olog y 302 G e r m an - E n g lis h

  D o rn , H arold 4 4 4 E n c y c lo p e dia o f p h y s ic al s c ie n c es an d en g i­ D razil, J. V 5 3 0 n eer in g in fo r m at io n s o u r c e s 831 D u arte, M arcelo 4 3 7

  E n c y c lo p e dia o f p o ly m e r s c ie n c e a n d en g in e e r ­ D u cassé, Pierre 4 3 8 in g 303 D u rb in , Paul T 3 8 8 , 3 8 9 En cy clo p ed ia.co m 371

  E n c y c lo p e d ic dic t io n ar y o f s c ie n c e 311

Eb s co In f o rm atio n S ervice 113 E n c y c lo p é d ie In t e r n at io n ale d e s s c ie n c e s e t de s

v er Es tu d o da C o m p etitiv id ad e da Ind ús­ t e c hn iqu e s 3 0 4

  ECIB

  156

  FA PEMIG v er Fu n d ação de A m p aro à Pesq uisa d o Es tad o de M in as G erais

  518 F o n t e s d e in fo r m aç ão em q u ím ic a e e n g e n h ar ia q u ím ic a 8 3 9 F o n t e s d e in fo r m aç ão e s p e c ializ ad a 8 3 7 f ontes para o estu d o da ciên cia, m ed icin a e té cn ica em Portugal e Brasil 3 9 7 f o ntes de in f o rm ação prim árias 1 - 1 8 6 secu nd árias 1 8 7 - 7 1 6 terciárias 7 1 7 - 8 4 0 For g o o d m easu r e: t h e m o s t c o m p le t e g u id e to in t e r n at io n al w e ig hts a n d m e as u r e s an d t he ir m e t r ic e q u iv ale n t s 711 F oreig n p at e n t s

   Fin an ciad o ra de Estu d o s e Pro jeto s Fink elstein, L. 3 0 6 Firstsearch 194 Fisher, D . 2 8 4 Flack , H einz K. 3 3 6 Flo o d , W alter Ed g ar 3 0 7 FNA C

  F ilm e s e v íd eo s em c iê n c ia e t e c n o lo g ia 381 Fin an ciad o ra de Estu d o s e Pro jeto s 7 6 1 , 7 9 3 F in din g an sw er s in s c ie n c e an d t e c hn o lo g y 8 2 6 FiN EP v er

  ( f k d r ip ) 164 feiras 3 7 6 - 3 7 9 Feito sa, V era C ristin a 6 5 7 Fern an d es, A n a M aria 4 6 0 , 4 6 3 Fern an d es, Lu cia M o n teiro 651 Fern an d es, N eu sa 6 1 9 f erram en ta de b u sca v er m ecan ism o d e b u sca Ferreira, M aria C ristin a 6 4 4 Ferreira, M o acy r C o s ta 4 6 4 Ferri, M ário G u im arães 4 6 5 film es cien tíf ico s 3 8 0 - 3 8 3

  FBB v er Fu n d ação B an co d o Brasil F e d e r al re s e ar c h in p ro g ress

  à Pesq uisa do Es tad o da Paraíb a Farag o , Fran cis T. 532 Farovk i, N ayla 3 2 6 Fast S earch 561 Fau lstich , En ild e L. 6 7 3

  FA PESQ v er Fu n d ação de A p o io

  Pesq uisa do Estad o de S ão Paulo FA PESP: u m a h is t ó r ia d e p o lít ic a c ie n t ífic a e t e c n o ló g ic a 473

   Fu n d ação de A m p aro à

  Es tad o d o R io d e Janeiro FA PESP v er

  FA PERJ v er Fu n d ação de A m p aro á Pesq uisa d o

  à Pesq uisa d o Es tad o d o R io G ran d e d o Sul 8 0 4

  FA PERCS v er Fu n d ação de A m p aro

  à Pesq uisa d o Estad o d o M aran h ão

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA E n g in e e r in g c o n fe r e n c e in d ex

  FA PEMA v er Fu n d ação de A m p aro

  à Pesq uisa d o Es tad o de A lagoas

  à Pesq uisa do D istrito Fed eral f a p k a l v er Fu n d ação d e A m p aro

  Fac u lt y w h it e p ag e s 7 7 4 FA PDF v er Fu n d ação de A m p aro

  T h e F ac t s on F ile e n c y c lo p e d ia o f s c ie n c e 3 3 0 f acu ld ad es, diretórios 7 7 0 - 7 8 0

  à C iên cia e T ecn o lo g ia

   7 5 0 Ev en tlin e 9 Év o ra, Fátim a R. R. 4 4 9 Excite 5 6 0 exp o siçõ es 3 7 6 - 3 7 9 Fab ricio , H eito r 533 FA CEPE v er Fu n d ação de A m p aro

  E u r o p e an re s ear c h c en tr e s 7 4 9 E u r o p e an so u r c e s o f s c ie n t ific a n d t e c h n ic al in fo r m at io n

  E u r o p e an fac u lt y direc t o ry 7 7 3 Eu ro p ean Paten t O f f ice d atab ase 74

   6 7 8 Esh b ach , O v id W allace 531 E s t ad o at u al e p ap e l fu t u r o da c iê n c ia e t e c n o ­ lo g ia n o B r as il 4 7 9 Estad o s U n id o s. Lib rary of C o n g ress 505 E s t u d o da c o m p e t it iv id ad e da in dú s t ria b r as i­ leir a 4 6 2 O e s t u d o das c iê n c ias n o B r asil 4 6 4

   4 6 8 E s c o la P o lit é c n ic a: c em an o s de t e c n o lo g ia b r a­ s ile ir a 4 8 5 E s c re v e n do e n o r m aliz an d o t r ab alh o s ac ad ê m i­ c o s 6 8 8 E sc re v er é p r e c is o

   8 E n g in e e rin g in dex m o n t hly 2 1 5 E n g in e e rin g in dex th es au r u s 2 1 5 E n g in e e rin g re se arc h c en t re s 7 4 8 E n g in e e rin g t ab le s an d d at a 7 0 9 En g in eerin g village 115 E n g lis h - P o r t u g u e s e c o m p r ehe n s iv e t e c h n ic al dic t io n ar y 3 5 8 E p is t e m e : filo s o fia e h is t ó r ia d as c iê n c ias em re v ist a 4 0 9 Erb , U w e 6 9 9 Erick so n , Ju d ith B. 831 Ern s t, R ich ard 3 3 5 , 3 5 2 E s b o ç o h is t ó r ic o da A c ad e m ia B ras ile ir a de C iê n c ias 4 7 7 E s c o la d e En g en haria/U FR C S: u m sé c u lo

   8 En g in eerin g electro n ic library 271 E n g in e e rin g g u id e to p r o du c t in fo r m at io n , so u r c es a n d u s e 833 E n g in e e rin g in dex

   68 F oreig n p at e n t s : an in t r o du c t io n t o o ff i c ia l p a-

  ÍN D IC E

  157 t e n t lit e r at u r e

68 F o r m aç ão d a c o m u n id ad e c ie n t ífic a n o B r as il 4 8 0 Fo rth co m in g in tern atio n al scien tif ic and te ­ ch n ical co n f eren ces 10 Fo ru m O n e 562 Fran ça, Júnia Lessa 685 Fran cis 391 Franz k e, L u tz 353

  IT T STA RCH 563 Fu n d ação B an co d o Brasil 7 9 4 Fu n d ação C ap es v er Fu n d ação C o o rd en ação de A p erf eiço am en to do Pessoal de N ível Superior Fu n d ação C o o rd en ação de A p erf eiço am en to do Pessoal de N ível Sup erior 7 7 5 , 7 9 5 Fu n d ação de A m p aro à C iên cia e T ecn o lo g ia 7 9 6 Fu n d ação de A m p aro à Pesq uisa d o D istrito Fed eral 7 9 7 Fu n d ação de A m p aro à Pesq uisa d o Es tad o de A lagoas 7 9 9 Fu n d ação de A m p aro à Pesq uisa d o Es tad o de M inas G erais 8 0 0 Fu n d ação de A m p aro à Pesq uisa d o Es tad o de S ão Paulo 801 Fu n d ação de A m p aro à Pesq uisa d o Estad o d o M aran h ão 8 0 2 Fu n d ação de A m p aro à Pesq uisa d o Estad o d o Rio de Janeiro 803 Fu n d ação de A m p aro à Pesq uisa d o Estad o d o R io G rand e d o Sul 8 0 4 Fu n d ação de A p oio à Pesq uisa d o Es tad o da Paraíb a 7 9 8 Fu n d ação G etú lio V argas. C e n tro de Pesq uisa e D o cu m e n tação de H istória C o n te m p o ­ rânea d o Brasil 4 6 6 Fu n d ação In stitu to Brasileiro de G eo graf ia e Es tatís tica 7 3 3 Fu n d ação M o in h o S an tista 6 2 4 , 6 3 3 Fu n d ação R o b erto M arin h o 6 3 2 f u n d açõ es diretórios 7 6 0 - 7 6 4 F u n d am e n t al m easu r es a n d c o n s t an t s fo r s c i­ e n c e an d t ec hn olo g y

   715 F u n d am e n t o s d e m e t o d o lo g ia c ie n t ífic a 6 4 2 ,

  6 4 3 Fu rlan , O svvaldo 3 2 9 Fu rsten au , Eu g ên io 3 5 7 G alaxy 564 G ale e n c y c lo p e d ia o f s c ie n c e 3 0 8 G alile u 143

  G alliano, A . G u ilh erm e 6 5 8 G am a, Ruv 4 3 9 G arcia, C arla C . 6 6 8 G arcia, Luiz 6 7 4 G arcia, O th o n M o acy r 6 7 5 G asco ig n e, R o b ert M o rtim er 392 G e n e r al s c ie n c e in dex 2 1 6 G ê n e s e e e v o lu ç ão da c iê n c ia b r as ile ir a 4 8 3 G e r m an - E n g lis h s c ie n c e dic t io n ar y 332 G ertrud es 565 G ieck , K urt 7 0 7 G lFE v er G ru p o de In stitu to s, Fu n d açõ es e

  Em p resas G il, A n tô n io C arlo s 6 4 1 , 6 5 9 G illespie, C h arles C o u lsto n 2 3 6 G jertsen , D erek 2 3 4 G lob al En g in eerin g D o cu m en ts 63 G lob alM ed ia 586 G lo b o c iê n c ia 143 For g o o d m easu r e 711 G o ogle 5 6 6 G o v er n m en t re por t an n o u n c e m e n t s 165 G o v er n m en t repor ts an n o u n c e m e n t an d in dex

  169 G o v er n m en t r ese arc h dir ec to ry 751 G ran t, Ed w ard 4 4 0 T h e g r an t s reg is te r 7 8 7 G rattan , K .T .V 3 0 6 G r e at ev e n ts fr o m hist o ry 441 G reen, W 541 G r o lie r library o f s c ie n c e b io g r ap h ie s

   2 3 7 G r o lie r st u den t e n c y c lo p e d ia o f s c ie n c e , t e c h ­ n olog y an d t h e en v ir o n m en t 3 0 9 G rup o de In stitu to s, Fu n d açõ es e Em p resas 7 6 2 G rup o de T rab alho de Bib lio tecas V irtuais 7 3 0 G rup o G erdau 6 3 2 G u ia d as b ib lio g r afias em t e c n o lo g ia n o e s t ad o do Rio de Jan e ir o 8 3 6 G u ia d as b ib lio t e c as br as ile ir as

   7 3 3 G u ia das listas de d iscu ssão (L is tas . b r )

  550 G u ia das s o c ie d ad e s e as s o c iaç õ e s c ie n t ífic as e t e c n o ló g ic as do B r as il

   7 4 0 G u ia de b ib lio g r afia e s p e c ializ ad a 8 3 4 G u ia de fo n t e s de fin an c iam e n t o à c iê n c ia e t ec n o lo g ia

   7 8 6 G u ia de in s t it u iç õ e s e ar qu iv o s p r iv ado s p ar a a h is t ó r ia da c iê n c ia e d a t é c n ic a n o R io de

  Jan e ir o 6 1 7 G u ia de m u s e u s br as ile ir o s 6 2 0

  158

   4 6 6 A h is t ó r ia da c iê n c ia n o s E s t ad o s U n ido s 4 3 5 H is t ó r ia da e n g e n h ar ia n o B r as il 4 8 4 H is t ó r ia d a t é c n ic a e d a t e c n o lo g ia n o B r as il

  H o w atso n , A .M . 7 0 9 H ub ner, M aria M arth a 6 6 0 H u d son , K en n eth 6 1 2 H u n t, C an d id a 311 H u rt, C .D . 813 H u t c h in s o n dic t io n ar y o f s c ie n c e 3 1 2 H u t c h in s o n dic t io n ar y o f s c ie n t is t s 2 3 8

  H is to r y o f s c ie n c e : rev iew o f lit e r at u r e a n d re­ s e ar c h 4 1 2 H is to r y o f t e c hn o lo g y (5 in v en t io n 4 3 4 H o d g es, Elain e R. S. 5 3 7 H o ep ner, L u tz 3 5 3 ho nrarias cien tíf icas v er prêm ios H o rv ath , A ri L. 7 0 8 H o tb o t 5 6 7 H o u g ht o n M ifflin dic t io n ar y o f s c ie n c e 2 8 2 H ow to f in d in fo r m at io n in s c ie n c e a n d t e c h ­ n olog y 8 1 7

  U n it e d S t at e s 4 0 0 H istory of S cien ce S o ciety 393

  H is to r y o f s c ie n c e 4 4 8 T h e hist o ry o f s c ie n c e 3 9 8 H is to r y o f s c ie n c e a n d t ec hn o lo g y 4 4 3 T h e hist o ry o f s c ie n c e an d t e c hn o lo g y in t he

  H ist ory o f m e c h an ic al in v e n t io n s 4 5 4 H is to r y o f m o de rn s c ie n c e 4 2 9

  H is t o r ia de las t é c n ic as 4 3 8 H is t ó r ia g e r al das c iê n c ias 4 5 2 H is t ó r ia ilu s t r ad a da c iê n c ia 4 4 6 H is t ó r ia, c iê n c ias , s aú d e - M an g u in h o s 4 1 1 H is t o r ic al c at alo g u e o f s c ie n t is t s a n d s c ie n t ific b o o ks : fro m t h e e ar lie s t t im e s to t h e c lo s e o f t h e n in e t e e n t h c en tu ry 392 H is to r y o f c o n t r o l en g in ee rin g : 1 8 0 0 - 1 9 3 0 4 2 5

   4 6 5 U m a h is t ó r ia d as in v e n ç õ es m e c ân ic as 4 5 4 H is t o r ia d e la t e c n o lo g ia 4 3 6

  4 8 7 H is t ó r ia da t é c n ic a e d a t e c n o lo g ia: te x t o s b á ­ s ic o s 4 3 9 H is t ó r ia das c iê n c ias n o B r as il

  4 5 5 histó ria da ciên cia e tecn o lo g ia 3 8 4 - 4 8 9 Brasil 4 5 5 - 4 8 9 em o u tro s países 4 2 3 - 4 5 4 ob ras de ref erên cia 3 8 4 - 4 0 6 p erió d icos 4 0 7 - 4 2 2 H is t ó r ia da c iê n c ia n o B rasil: ac e rv o d e d e p o i­ m e n t o s

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA G u ia d o e s t u d a n t e 7 7 6 G u ia d o s m u s e u s d o B r as il 6 1 8

  H is t o ir e g é n é r ale des s c ie n c e s 4 5 2 H is t o ir e g é n é r ale des t e c h n iq u e s 4 3 4 H is t ó r ia da c iê n c ia (Barb o sa) 4 2 4 H is t ó r ia da c iê n c ia (D am p ier) 4 3 3 H is t ó r ia da c iê n c ia: o m ap a do c o n h e c im e n t o

  H arriso n, Percy 3 1 0 H artn ess, A nn 8 3 8 H assen, M aria de N az areth A gra 4 6 8 H ellem an s, A lexan d er 4 3 0 , 4 4 2 H en riq u es, A n to n io 6 6 9 herb ário s 6 0 4 - 6 2 0 H erner, Saul 812 H essler, S anfo rd I. 535 H ick s, Peter 821 H ick s, S. D avid 5 3 6 H ick s, Tyler G . 5 3 6 H ighw ire Press 116 H is t o ir e des s c ie n c e s e t d e s t e c hn iqu e s 391 H is t o ir e des t e c h n iq u e s 4 3 8

  H an d b o o k o f c hem ist ry an d p hy s ic s 534 H an d b o o k o f d im e n s io n al m e asu r em en t s 532 H an d b o o k o f en g in ee rin g fu n d am e n t als 531 H an d b o o ks an d t ab le s in s c ie n c e a n d t e c h n o ­ log y 527 H ar le y H ah n In t e r n e t ó w e b y e llo w p ag e s 543

  A g u id e to t h e hist o ry o f s c ie n c e 4 0 3 G u id e to t h e s e s a n d d is s e r t at io n s 172 G u id e s to w o rld s c ie n c e an d t e c hn o lo g y 7 5 2 G u ild h an d b o o k o f s c ie n t ific illu s t r at io n S' il G u ten b erg Pro ject 5 2 4 H am b urg er, A m élia Im p ério 4 6 7 , 4 7 3

  G u id e t o re p rin t s 512 A g u id e t o t h e cu lt u re o f s c ie n c e, t ec hn olo g y a n d m e d ic in e 3 8 9 G u id e to t h e his to ry o f s c ie n c e 4 1 0

  G u id e to r e fe r e n c e bo o ks 8 1 0

  G u id e to A m e r ic an dire c to r ie s 7 3 6 G u id e to E u r o p e an so u r c e s o f t e c h n ic al in fo r ­ m at io n 7 5 0 G u id e to m ic r o fo r m s in p rin t 2 1 7

  G u ia p ar a e lab o r aç ão de re lat ó r io s de p e s qu i- s a - m o n o g r afias 6 5 4 G u ia W e b 588 guias b ib liográficos 8 0 7 - 8 3 9 d o Brasil 8 3 4 - 8 3 9 d e ou tro s países 8 0 7 - 8 3 3

  G u ia p ar a e lab o r aç ão de m o n o g r afias e p r o je ­ to s d e d is s e r t aç ão d e m e s t r ad o e d o u t o r ad o 6 6 0

  IBAMA v er In stitu to Brasileiro d o M eio A m b i­ en te e dos R ecu rso s N atu rais R eno váveis

  ÍN D IC E

  ín d ice de citaçõ es 2 2 4 ín d ices b ib liográficos 1 9 7 - 2 2 4 co rren tes 2 0 0 - 2 2 4 In d u s t r ia! ar t s in dex 2 0 2 In Fin d 5 6 8 In f o rm atio n H an d ling S ervices 63 In fo r m at io n in du stry direc t o ry 7 2 7 In f o rm atio n on D em an d 154 In f o rm atio n Q u est 117 In fo r m at io n reso u r c es fo r en g in ee rs an d scien­ tists 8 1 4 T h e In f o rm atio n R etrieval in C h em istry w w w S erver 8 1 5 In f o rm atio n so u rces in b io techn o lo g y , ch e ­ m istry an d m o lecu lar diversity 8 1 6 Inf orm ation sources in en g in ee rin g 8 0 8 , 821

   23 In t e r n at io n al b u s in e s s reg is te r 7 6 7 In t e r n at io n al c o n g ress c ale n d ar

   5 3 8 In s tr u m e n t s o f s c ie n c e 385 In tellectu al p rop erty netw ork (ipn) 75 In t e r n at io n al br an ds an d t h e ir c o m p an ie s

  In s t it u c io n e s c ie n t ífic as d e B r as il 7 5 9 in stitu içõ es ed u cacio n ais, diretórios 7 7 0 - 7 8 0 In stitu te for S cien tif ic In f o rm atio n 155 In stitu te of Electrical and Electro n ics En g i­ neers 50 In stitu te of Physics 119 In stitu to Brasileiro de In f o rm ação em C iên cia e T ecn o lo g ia 9 6 , 9 7 , 1 0 5 , 1 5 9 , 1 7 7 , 190, 6 9 5 , 6 9 6 , 7 3 2 , 7 4 0 In stitu to Brasileiro d o M eio A m b ien te e dos R ecurso s N aturais R eno váveis 8 0 5 In stitu to de Pesq uisas T ecn o ló g icas 35 , 94 , 4 6 9 — . C e n tro de In f o rm ação T ecn o ló g ica 3 5 , 64 In stitu to N acio nal da Prop ried ad e Industrial 2 2 , 93 — . C e n tro de D o cu m e n tação e In f o rm ação T ecn o ló g ica 70 In stitu to N acio nal de M etro lo g ia, N o rm aliz a­ ção e Q u alid ad e Ind ustrial 3 6 , 2 7 8 In stitu to N am i Jaf et para o Progresso da C iên cia e C u ltu ra 625 in stitu to s de pesq uisa, diretórios 7 4 6 - 7 5 9 In s t it u t o s d e p e s q u is a t e c n o ló g ic a in d u s t r ial a filiad o s à ab/pt/ 7 5 3 In stru m en t S o ciety of A m erica 51 In s t ru m e n t at io n r e fe r e n c e b o o k

  INPI v er In stitu to N acio n al da Prop ried ad e In ­ dustrial

  N o rm aliz ação e Q u alid ad e Industrial

  159 IB

1 CT ver In stitu to Brasileiro de In f o rm ação

  In fo r m at io n so u r c e s in g rey lit e r at u r e 166 In fo r m at io n so u r c e s in p at e n t s

  (m u lt im e d ia) 382 In de x t r an s lat io n u m : an in t e r n at io n al b ib lio ­ g r ap hy o f t r an s lat io n s 182

  2 7 6 In tern atio n al Ele ctro te ch n ical C o m m issio n

   12 In de x to s c ie n t ific rev iew s 8 4 0 In de x to t h e s e s w it h ab s t r ac t s 176 In de x t o v o c at io n al a n d t e c h n ic al e d u c at io n

   11 In dex to A m er ic an re fe re n c e b o o ks an n u al 8 0 7 In dex t o s c ie n t ific Ó t e c h n ic al p r o c e e din g s

   29 In de x h e r bario r u m 613 In dex o f c o n fe r e n c e p r o c ee din g s

   3 3 6 Im p ac t o f s c ie n c e on so c iet y 136 In de x a n d direc to ry o f in d u s t r ial s t an d ar d s

  En g in eers ins v er In f o rm atio n H and ling Services Illu s t r at e d d ic t io n ar y o f s c ie n c e 313 Illu s t r at e d en g in ee rin g dic t io n ary

  IEEE v er In stitu te o f Electrical and Electro n ics

  I EC v er In tern atio n al El e ctro tech n ical C o m ­ m ission

  em C iê n cia e T ecn o lo g ia IBM In tellectu al p rop erty netw ork 75 I c o n d a b ib lio g r ap h y 2 1 8 i d e a l 111

   13 In tern atio n al D igital El e ctro n ic A ccess Lib rary l 11 In t e r n at io n al d ir e c t o ries in p rin t 7 1 1 In t e r n at io n al dir ec to ry o f g o v e rn m e n t 781 In t e r n at io n al direc to ry o f t es t in g lab o r at o r ie s

67 In fo r m at io n sources in s c ie n c e a n d t ec hn olo g y 8 1 3 , 8 2 4

  38 In t e r n at io n al e n c y c lo p e d ia o f ab b r e v iat io n s an d ac ro n y m s in s c ie n c e a n d t ec hn olo g y

  6 9 8 In t e r n at io n al e n c y c lo p e d ia o f ab b r e v iat io n s an d ac r o n y m s o f o r g an iz at io n s 6 9 7

  In t e r n at io n al e n c y c lo p e d ia o f le ar n e d s o c ie t ie s an d ac ad e m ie s 741 In t e r n at io n al fo u n d at io n dire c to ry 7 6 3 In t e r n at io n al h an d b o o k o f u n iv er s it ies 7 7 7

  In t e r n at io n al m ic r o fo r m s in p rin t 2 1 7

  In fo r m at io n s o u rc es in t h e hist o ry o f s c ie n c e a n d m e d ic in e 3 8 7 Infoseek 569 Iu g en ta.co m 118

  In ic iaç ão à p e s q u is a b ib lio g r áfic a: g u ia do e s ­ t u d an t e p ar a a fu n d am e n t aç ão d o t r ab alh o de p e s q u is a 6 8 6 i h i s at o m in d e x 2 1 9 i n m f t r o v er In s titu to N acio nal de M etro lo g ia,

  160

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA In tern atio n al M in eralogical A ssociatio n 6 1 4 In t e r n a t io n al m u s e o lo g ic al b ib lio g r ap h y 605 I n t e r n a t io n al O r g an iz at io n f o r S t an d ar d iz a­ t io n

  I n t e r n a t io n al r e se arc h c en t er s d ire c t o r y 7 5 4 In t e r n a t io n al T e le c o m m u n ic at io n U n ion

37 I n t e r n a t io n al p a t e n t c la s s ific a t io n 7 6

  In t e r n at io n al w h o ’s w ho in en g in ee rin g 2 3 9 In tern et 5 4 3 - 6 0 3 f erram en tas de b u sca 5 5 3 - 6 0 1 guias b rasileiros 5 4 7 - 5 4 9 guias estrangeiros 5 4 3 - 5 4 6 listas d e d iscu ssão 5 5 0 - 5 5 2 m ecan ism o s d e b u sca 5 5 3 - 6 0 1 estran g eiro s 5 5 3 - 5 8 0 b rasileiros 5 8 1 - 6 0 1 p o rtais 6 0 2 - 6 0 3 In tern et D istrib u tio n C e n te r 65 In t e r n e t : p ág in as am ar e las 549 In t r o d u ç ão à m e t o d o lo g ia do t r ab alh o c ie n t í­ fic o 6 4 8 In t r o d u ç ão a o p r o je t o d e p e s q u is a c ie n t ífic a 6 6 3

  In t r o du c t io n to t h e hist o ry o f s c ie n c e 4 4 8 In v e n t air e des t h e s e s d e d o c t o r at so u t e n u e s de- v an t le s u n iv er sité s fr an ç ais e s 178 In v e n t ar io d e c in e y v ide o so br e c iê n c ia y t e c n o ­ lo g ia 383 In v e n t o rs w o rld m ag az in e 1 1

  In v e n to ry o f d at a so u rc es in s c ie n c e a n d t e c h ­ n olog y 7 0 5 i o d v er In f o rm atio n on D em an d il’ N v er IBM In tellectu al Prop erty N etw ork I I T v er In stitu to de Pesq uisas T ecn o ló g icas IP IV C IT EC v er In stitu to d e Pesq uisas T ecn o ló ­ gicas. C e n tro de In f o rm ação T ecn o ló g ica i n : 1 0 0 an o s d e t e c n o lo g ia 4 6 9 ISA v er In stru m en t S o ciety of A m erica ISBN 100 is i D o cu m e n t S o lution 155 is i v er In stitu te for S cien tif ic Inf orm ation Is is c u m u lat iv e b ib lio g r ap h y 3 9 4

  Is is g u id e t o t h e hist o ry o f s c ie n c e 4 1 0 Is is ; in t e r n at io n al rev iew d e v o t e d t o t h e hist o ry o f s c ie n c e a n d it s c u lt u r al in flu e n c e s 4 1 3 iso v er In tern atio n al O rg an iz atio n for S tan ­ d ard izatio n ISSN 9 6

  ISTP v er In dex t o s c ie n t ific (5 t e c h n ic al p ro c ee d- in g s rrc v er In tern atio n al T ran slatio n C en tre rru v er In tern atio n al T eleco m m u n icatio n U nion Jack so n Jr., Earl 545 Jaco ler, Leo n 3 3 2

  Jap an e s e —E n g lis h, E n g lis li- j ap an e s e g lo s s ar y o f s c ie n t ific a n d t e c h n ic al term s 3 4 3 Jay d e.co m 5 7 0 Jayaw ard ene, S.A . 3 9 5 , 3 9 6 Jerrard , H .G . 7 1 0 Jo h n sto n , S tep h en 385 Jo h n sto n e, W illiam D . 711 Jo r n al d a c iê n c ia 145 Jo r n al d a c iê n c ia e - m ail 145 Jo u r n als in t r an s lat io n 184

39 In t e r n a t io n al T ran slat io n C e n t r e 183

  K ase, Fran cis J. 68 K atz, Bill 98 K atz, Lind a S tein b erg 98 K ave, G eo rg e W C . 7 1 2 Keller, H arald 6 9 9 K erch elich , K aren 6 9 3 K ey g u id e to e le c t r o n ic reso u rc es : en g in e e r in g

  8 2 0 K ey g u ide to in fo r m at io n s o u r c e s in m useum s t u d ie s 6 0 6

  K ir k- O t h m e r c o n c is e e n c y c lo p e d ia o f c h e m ic al te c hn o lo g y 3 1 4 K luw er O n lin e 120 K o ch e, Jo sé C arlo s 6 4 2 Kury, A d riano d a G am a 6 7 6 K uznetsov, B.V. 3 4 7 lab o rató rio s 2 7 6 - 2 7 8 Lab y, T .H . 7 1 2 Laf f erty, Peter 2 9 2 Lak ato s, Ev a M aria 6 4 3 , 661 Lam b ert, Jill 8 1 7 Lam b ert, Peter 8 1 7 Lan d i, Fran cisco R o m eu 4 8 8 Lan d o lt, H ans H eirich 7 1 3 Langley R esearch C e n te r 170 Lan gley tech n ical rep orts server 170 I a r c v er Lan g ley R esearch C e n te r L ar o u s s e d ic t io n ar y o f s c ie n c e an d t ec hn o lo g y

  3 1 5 L am u s s c dic t io n ar y o f s c ie n t is t s 2 4 0 leg islação 1 9 - 2 0 Leg islação (M in istério da C iê n cia e T e cn o lo ­ gia) 19 Leg islação b ásica de ciên cia e tecn o lo g ia 2 0 Leh f eld , N eid e A p arecid a d e S o u z a 6 5 0 L e ta, Jacq u elin e 471 Lheritier, A n d rée 8 1 8

  ÍN D IC E

  161

  Lib rary of C o n g ress 2 5 8 , 505 L i f e s c ie n c e s o r g an iz at io n s a n d ag e n c ie s dir e c ­ to ry 7 5 5 L ín g u a p o r t u g u e s a: n o ç õ e s b á s ic a s p ar a c u rso s su pe r io re s 6 6 9

  Link 121 List, Barb ara A . 4 4 5 listas de d iscu ssão 552 Lisz t: th e m ailin g list d irecto ry 551 L it e r at u r e se ar c h in g in sc ie n c e, t ec hn o lo g y an d ag r ic u lt u r e 8 2 7 L it t le s c ie n c e , big s c ie n c e 451 L it t le s c ie n c e , big s c ie n c e a n d b e y o n d 451 Livraria C an u to 5 1 9 Livraria C u l tu ra 520 Livraria Saraiv a 521 O liv ro d as in v en çõ es 4 3 7 livrarias eletrô n icas 5 1 3 - 5 2 3 b rasileiras 5 1 9 - 5 2 3 estran g eiras 5 1 3 - 5 1 8 livros 4 9 0 - 5 2 5 catálo g o s co letiv o s 5 0 4 - 5 0 6 digitais 5 2 4 - 5 2 5 eletrô n ico s 5 2 4 - 5 2 5 livrarias eletrô n icas 5 1 3 - 5 2 3 novos 4 9 0 - 5 0 3 recen sõ es 5 0 7 - 5 1 1 reim p ressões 512 resenhas 5 0 7 - 5 1 1 L o g o s dic t io n ary 372 Lo o k S m art 571 Lo p es, José Leite 4 7 0 Lo p es, M aria M arg aret 6 0 7 Lo rd , Jo hn 7 1 4 L o v e tt, D R. 281 L u cca, José Lu iz de 3 6 4 Lu n d , P G . 7 0 9 Lu z , M arco A nd ré Ballo usier A n co ra da 6 1 7 Ly co s 572 Ly co s Brasil 5 8 9 M aced o , N eu sa D ias d e 6 8 6 M ac m illan e n c y c lo p e d ia o f s c ie n c e 321 M aco rin i, Ed g ard o 4 4 3 M acu ra, Paul 3 4 8 M ag alh ães, M aria H elena de A nd rad e 6 8 5 M ag az in e s fo r lib r ar ie s

  M ag ill’s su rv ey o f s c ie n c e 3 2 2 M aia, C arlo s A . 4 5 5 M alclès, Lo u ise-N o élle 8 1 8 M alinow sk i, H arold 5 1 0 , 8 1 9 M aloney, Jam es O . 541 M alyavskaya, G reta 3 4 9 m anuais técn ico s 5 2 6 - 5 4 2

  M an u al de e lab o r aç ão de p r o je t o s d e p e s q u is a 6 4 4

  M an u al d e e s t ilo A b r il 6 7 7 M an u al de ex p r es s ão o r al e e s c r it a 671 M an u al de fó r m u las t é c n ic as 7 0 7 M an u al d e o r g an iz aç ão de re fe r ê n c ias e c it a­

  ç õ e s b ib lio g r áfic as p ar a d o c u m e n t o s im ­ p re ss o s e e le t r ô n ic o s 6 8 7 M an u al de re d aç ão e e s t ilo 6 7 4 M an u al d e r e d aç ão e e s t ilo d e O Estad o d e S.

  Paulo 6 8 0 M an u al do e n g en he ir o civil 533 M an u al do en g en heiro , e n c ic lo p é d ia das c iê n ­ c ias e ar t e s d o e n g e n h e ir o e do ar q u it e t o

  53 9 M an u al p ar a a e lab o r aç ão de p ro je t o s e r e lat ó ­ rios de p es q u is as , te ses , d is s e r t aç õ e s e m o ­ n o g r afias 651 M an u al p ar a n o r m aliz aç ão de p u b lic aç õ e s téc- n ic o - áe n t ífic a s 6 8 5 M an u e l de b ib lio g r ap h ic 8 1 8

  M an u s c r ito : re v ista in t e r n ac io n al de filo s o fia 4 1 4 m arcas co m erciais 2 1 - 2 6 M arco n i, M arin a de A n d rad e 6 4 3 , 661 M arq u es, M ário O só rio 6 7 8 M artin s Filho, Ed u ard o Lo p es 6 8 0 M artin s, D ileta Silveira 6 7 9 M artin s, R o b erto de A n d rad e 3 9 7 M atv eev, V S . 3 6 2

  M CB U niversity Press 122 M cBurney, M elissa 8 2 0 M cC lellan , Jam es E. 4 4 4 M c G r aw - H ill c o n c is e e n c y c lo p e d ia o f s c ie n c e an d t ec hn olo g y 3 1 6 M c G r aw - H ill dic t io n ar y o f en g in e e r in g 3 1 7 M c G r aw - H ill dic t io n ary o f s c ie n t ific a n d t e c h ­ n ic al term s 3 1 8 M c G r aw - H ill e n c y c lo p e d ia o f en g in e e r in g

   3 1 9 M c G r aw - H ill e n c y c lo p e d ia o f s c ie n c e an d t e ­ c hn olog y 3 2 0 M c G r aw - H ill m od e rn s c ie n t is t s a n d en g in ee rs

  241 M cG rav n e, S h aro n B ertsch 2 4 2 M cN eii, lan 2 3 5 M cN eill, D .B. 7 1 0 m ecan ism o s de b u sca (In tern et) 5 5 3 - 6 0 1 b rasileiros 5 8 1 - 6 0 1 estrangeiros 5 5 3 - 5 8 0 m ed alh a C arn eiro Felip p e 6 2 6 M ed eiro s, M anu el Fran cisco da Silva de 365

98 M agill, Frank N . 322

  1 6 2 PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA m ed id as 7 0 5 - 7 1 6 M eis, Leo p o ld o de 471 M en d es, G ild ásio 6 6 6 M en d o n ça, G ism ália M arcelin o 8 3 9 M e r c k in dex , an e n c y c lo p e d ia o f c h e m ic als , dru g s a n d b io lo g ic als 540

  M erco su l S earch Business 3 7 6 M etacraw ler 573 O m é t o d o c ie n t ífic o 6 5 8 m eto d o lo g ia cien tíf ica 6 3 8 - 6 4 6 M e t o d o lo g ia c ie n t ífic a 6 3 9 , 6 4 6 M e t o d o lo g ia c ie n t ífic a em c iê n c ias s o c iais 6 4 0 M e t o d o lo g ia c ie n t ífic a p ar a p r in c ip ian t e s 6 7 2 M e t o d o lo g ia do t r ab alh o c ie n t ífic o 6 6 1 , 6 6 5 M e t o d o lo g ia do t r ab alh o in t e le c t u al 6 5 5 M é t o d o s e t é c n ic as de p e s q u is a s o c ial 641 M ic h ae lis tec li: d ic io n ár io t é c n ic o m u lt ilín g ü e

  3 6 4 M icro p ate n t W eb S ervices 78 M ild ren, K en W 821 M ilea, A n to n in o Paolo 7 0 0 M ile s t o n e s in s c ie n c e an d t ec hn olo g y 445 M illar, D avid 2 4 3 M in er 5 9 0 M itch ell, S arah 2 3 4 M ollerk e, G eo rg 3 3 6 M o n o g r afia e ap r e s e n t aç ão de t r ab alh o s c ie n ­ t ífic o s 6 6 2 M o n o g r afia p as s o a p as s o

   6 6 7 M o n t hly c at alo g o f t h e U n it e d S t at e s g o v er­ n m en t p u b lic at io n s 2 2 0 M oody, M arilyn K. 8 3 0 M o rel, R egin a Lú cia de M oraes 4 7 2 M o to y am a, S h o z o 4 6 5 , 4 7 3 , 4 7 4 M o u n t, Ellis 4 4 5 M o u ra, Fern an d o de M en ez es de 6 1 9 M o u ra, M aria Lu cia Seidl 6 4 4 M uir, H azel 2 4 0

  M u lher e s q u e g an h ar am o p r ê m io N o b e l em c iê n c ias 2 4 2 M u rith , Jean 701 M u seu de A stro n o m ia e C iên cias A fins 4 7 5

  M u se u m s o f t h e w o rld 615 m u seu s cien tíf ico s 6 0 4 - 6 2 0 N ag am in i, M arild a 4 7 3 , 4 7 6 NASA

  170 N atio n al Biological In f o rm atio n In f rastru c­ tu re 822 N ation al B io tech n o lo g y In f o rm atio n Facility 8 2 3 N ation al Electrical M an u f actu rers A sso cia­ tion 52 N at io n al fac u lt y dir ec to ry 7 7 8 N ation al Fire Preventio n A sso ciatio n 53 N ation al H ighw ay T raf fic S af ety A d m in istra­ tion 55 N ation al In stitu te of S tand ard s and T e ch n o ­ logy 54 N ational T ech n ical In f o rm atio n S ervice 169 T h e n at io n al u n ion c at alo g ; b o o ks 505 N at u re

   137 N av eg ação 591 n b ip v er N ation al Bio tech n o lo g y In f o rm atio n Facility n e m a v er N atio n al Electrical M an u f actu rers A ssociatio n N et g u id e 5 4 4 N etG u id e 5 7 4 N etlib rary 5 2 4 N etscó p io 592 N eu , Jo hn 3 9 8 N ew P en g u in dic t io n ary o f s c ie n c e 323 N ew r e se arc h c en t er s s u p p le m e n t

   7 5 6 N ew sc ie n t ist 138 N ew s e rials t it le s : a u n io n lis t o f s e r ials h e ld by lib raries in t h e U n it e d S t at e s a n d C a n a ­ da 106

  N ew t e c h n ic al b o o ks : a s e le c t iv e lis t o f de s c r ip ­ tiv e an n o t at io n s 4 9 9

  N ew York Pub lic Lib rary 2 5 9 T h e N ew Y ork P u blic L ib r ar y s c ie n c e d e s k r e fe ­ re n c e 2 8 3 , 5 2 9 N ey, Jo ão Luiz 681 N ITA v er N atio n al Fire Preven tio n A sso ciatio n n u t s a ver N ational H ighw ay T raf f ic S af ety

  A d m in istratio n N ich o lls, A nn 6 1 2 N IST ver N atio n al In stitu te of S tan d ard s and T ech no logy N ob el Fo u n d atio n 6 2 2

  N o b e l P riz e w in n ers 2 4 4 N o b e l P riz e w in n ers s u p p le m e n t 19 8 7 - 1 9 9 ] 2 4 5 N o ltin g , B .E. 5 3 8 n o m es co m erciais 2 1 - 2 6 n o rm aliz ação b ib liográfica 6 8 4 - 6 8 8 n o rm as técn icas 2 7 - 6 6 N o rth ern Lig h t S earch 575

  N o t ab le t w e n t iet h- c en t u r y s c ie n t is t s 2 4 6 N o t ab le tw e n t iet h- c en t u r y s c ie n t is t s : s u p p le ­ m en t 2 4 7 N ov íss im o r e c e it u ár io in d u s t r ial 5 2 8

  N ov o d ic io n ár io t é c n ic o q u ím ic o ale m ão —p o r ­ tu g u ês 351 N ov o m an u al d e r e d aç ão 6 8 2

  ÍN D IC E

  163 N u m e r ic al d a t a a n d fu n c t io n a l r e lat io n s h ip s in s c ie n c e a n d t e c h n o lo g y , n ew s e ries

  Po ntifícia U n iversid ad e C ató l ica (p uc/R io ) 261

  Plant variety p ro tectio n d atab ase 73 Poggendorf , Jo h an C h ristian 2 4 8 P oly m eric m at e r ials e n c y c lo p e dia 325

  139 P hy sic s ab s t r ac t s 223 P lan e jar e re dig ir t r ab alh o s c ie n t ífic o s 683 P lan o p lu r ian u al d e c iê n c ia e t e c n o lo g ia do g o ­ v ern o fe d e r al, p p a 1 9 9 6 /9 9 163

   541 P ers p ic illu m 4 1 5 Peschk e, M ichael 6 9 8 pesq uisa em an d am en to 1 6 1 - 1 6 5 P esqu isa em c iê n c ias s o c iais e h u m an as 653 Petitjean , Patrick 4 6 7 Petrob ras 6 3 6 P h ilo s o p h ic al t r an s ac t io n s o f t h e R o y al S o c iet y

   99 p eriód icos 9 5 - 1 6 0 ab reviaturas 9 9 b ib liografias 9 5 - 1 0 4 catálo g o s co letiv o s 1 0 5 - 1 0 6 co m u tação b ib liográfica 1 5 3 - 1 6 0 diretórios 9 5 - 1 0 4 digitais 1 0 9 - 1 3 1 eletrô n ico s 1 0 9 - 1 3 1 história da ciên cia e tecn o lo g ia 4 0 7 - 4 2 2 principais títulos de d ivulgação cien tíf ica 1 4 1 - 1 5 2 gerais 1 3 2 - 1 4 2 sistem as eletrô n ico s 1 1 1 - 1 3 1 sum ários co rren tes 1 0 7 - 1 0 8 Perry, R o b ert H . 541 P erry ' s c h e m ic al e n g in e e r in g h an d b o o k

  30 P er io dic a: in dex o f L at in A m e r ic an s c ie n c e jo u rn als 2 2 2 P er io dic al t it le ab b r e v iat io n s

  69 p aten tcaf e.co m 81 p aten tes 6 8 - 9 4 acesso a cóp ias 9 1 - 9 4 esp ecializad as 8 9 - 9 0 f ontes b rasileiras 7 0 - 7 1 fontes estrangeiras 7 2 - 8 8 guias b ib liográficos 6 7 - 6 9 Patty, M ichel 4 6 7 Paulinyi, Ern o I. 4 7 7 Pelletier, Paul A . 2 2 6 P en g u in dic t io n ar y o f s c ie n c e 3 2 4 P equ en a h is t ó r ia da c iê n c ia 4 3 3 O p e r fil da c iê n c ia b r as ile ir a 471 PERINORM

  P at en t se ar c hin g fo r lib r ar ian s an d in v en t ors

  221 Passos, R osem ary 6 8 7 Paten t ab stracts o f Jap an d atab ase 80 Paten t d atab ase 7 4

  O rg an iz ação M und ial da Prop ried ad e In telec­ tual 86 órgãos d e f in an ciam en to v er órgãos de f o m en ­ to órgãos de f o m en to d iretórios 7 6 0 - 7 6 4 f o ntes de in f o rm ação 7 8 5 - 8 0 6 órgãos g o v ern am en tais diretórios 7 8 1 - 7 8 4 O r ie n t aç õ e s p ar a n o r m aliz aç ão d e t r ab alh o s ac ad ê m ic o s 6 8 4 O vid 124 O x fo r d dic t io n ar y o f ab b r e v iat io n s 7 0 2 Pab st, M artin 3 5 4 p a d c t v er Prog ram a de A p oio ao D esenvolvi­ m e n to C ien tíf ico e T ecn o ló g ico Paim , A n tô n io 4 8 0 Paine, Patricia A nn 6 4 4 Paixão, Lyra 651 P ara f a la r e esc re v er m e lh o r o po rt u g u ês 6 7 6 Parker, C .C . 8 2 4 Parker, Sybil P 3 1 7 , 3 1 8 Parra Filho , D o m in g o s 6 6 2 Pascal Exp lo re; Pascal Folio; Pascal T liem a

  In telectu al O n d eir 593

  6 2 2 O lé! Esp an a 5 7 6 O liveira, A d rian a X av ier G o uv eia de 6 1 7 O liveira, Silvio Lu iz de 6 4 5 OMPi v er O rg an iz ação M undial da Prop riedade

   O n lin e C o m p u te r Lib rary C e n te r e W o rld cat O f f i c i a l E x c it e In t e rn e t y e llo w p ag e s 545 O ff i c i a l g a z e t t e p at e n t s 7 9 T h e o f f i c i a l m u s e u m d ire c t o ry 6 1 6 T h e o ff i c ia l w e bs it e o f t h e N o b e l F o u n dat io n

   7 1 3 O ’Leary, M ick 191 O b r as d e r e fe r ê n c ia em t e c n o lo g ia; e s t ad o d e S ã o P au lo 835 O C LC v e r

1 Blink 553 O n e Lo ok D ictio n aries 373 O n lin e 1 0 0 , 191 O n lin e C o m p u te r Lib rary C e n te r 1 2 3 , 5 0 4 O rg an iz ação das N açõ es U nid as para a Ed u ­ cação , C iên cia e C u ltu ra v er

UN ESCO

  164

  501 Q PA T-W W

  T h e re fe re n c e g u id e to fam o u s en g in ee rin g lan dm ar ks o f t h e w o rld 4 2 6

  R e fe r e n c e bo o ks fo r t h e h is t o r ian o f s c ie n c e 39 5

  RED ETEC v er R ed e de T ecn o lo g ia d o R io de Janeiro

  L a re c he r c he 147 R e d aç ão de t ex t os c ie n t ífic o s 6 5 7 red ação té cn ica 6 3 8 - 6 8 8 asp ecto s red acionais 6 6 9 - 6 8 3 elab o ração 6 4 7 - 6 6 8 m eto d o lo g ia cien tíf ica 6 3 8 - 6 4 6 n o rm aliz ação 6 8 4 - 6 8 8 ref eren ciação b ib liográfica 6 8 4 - 6 8 8 rede Bib liod ata 5 0 6 R e d e b r as ile ir a d e lab o r at ó r io s d e e n s aio s 2 7 8 Red e de Bib liotecas da Á rea de En g en h aria 160 R ed e de T ecn o lo g ia d o R io de Jan eiro 552 R ed e G o v ern o ; Portal de S erviço s e In f o rm a­ çõ es d o G o vern o Brasileiro 7 8 2 R ed e Ib ero am erican a de Bib liografia e D o cu ­ m e n tação em H istória das C iên cias, da M ed icin a e da T ecn o lo g ia 3 9 9

  Q u estel 195 Rad ar 594 R adix 595 R e ad e r ’s adv is er 8 2 8 REBA E v er R ed e de Bib lio tecas da A rea de E n ­ genharia recen sõ es de livros 5 0 7 - 5 1 1

   5 4 6 Q u em é q u em 7 8 3 Q u em é qu em em C iê n c ia e T ec n o lo g ia n o e s t a ­ do de S ão P au lo 2 4 9 Q u em in fo r m a n o B rasil: g u ia de b ib lio t e c as , c e n t r o s e serv iç os de d o c u m e n t aç ão e in fo r ­ m aç ão 732

  82 Q u an t it ie s an d u n its o f m e asu r em e n t 530 Q u e ’s o ffic ia l In t e rn e t y ello w p ag e s

  Pugh, Eric 703 P u g h’s dic t io n ary o f ac ro n y m s an d ab b r e v ia­ t io n s 703 P u re an d ap p lie d s c ie n c e b o o ks , 1 8 7 6 - 1 9 8 2

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA Po ntifícia U n iversid ad e C ató lica de São Paulo

   5 0 0 PUC v er Po ntifícia U niversid ad e C ató lica

  P rom in en t sc ie n t is t s 2 2 6 Prossiga 6 0 2 , 731 FTi Pu b licaçõ es T écn icas In tern acio n ais 6 6 P u b lis h e r ’s in t e r n at io n al is b n dir ec to ry 100 P u blis he r' s t rade lis t an n u al

  P ro je t o d e p e s q u is a 6 5 0 Pro jeto G u ten b erg (G u ten b erg Pro ject) 5 2 4 p ro jeto s em an d am en to 1 6 1 - 1 6 5

  c es o f t h e U n it e d S t at e s o f A m er ic a 140 P ro du z in do m o n o g r afia 6 6 8 Prog ram a de A p oio ao D esen v o lv im en to C i­ en tíf ico e T ecn o ló g ico 791 Prog ram a de Bib lio teca Eletrô n ica 125 Pro g ram a de C ap acitação de R ecurso s H u m a­ nos para o D esen v o lv im en to C ien tíf ico 7 9 2 Pro g ram a de C o m u tação Bib liográfica 159 Pro g ram a de Estu d o s Pó s-G rad u ad o s em H is­ tó ria da C iên cia 4 7 8 Pro g ram a Prossiga v er Prossiga Prog ram as de p ó s- g rad u ação autoriz ad o s 7 7 5 Pro ject M use: S cholarly Journals O n lin e 126

  Prim ack , A lic e L e fle r 82 6 Pritch ard , Eile e n 827 p r o b e v er Prog ram a de B ib lio teca Eletrô n ica P ro c e edin g s in p r in t

  Prêm io N acio nal de Pó s- G rad u ação o p p - a b e q 6 3 4 Prêm io O ctacílio C u n h a 6 3 5 Prêm io Petro b ras de T ecn o lo g ia de D u to s 6 3 6 Prêm io Rhodia-A BF.Q 63 7 p rêm io s 6 2 1 - 6 3 7 b rasileiro s 6 2 4 - 6 3 7 estran g eiro s 6 2 1 - 6 2 3

  P o p u lar s c ie n c e 4 7 7 146 portais (In te rn e t) 6 0 2 - 6 0 3 portal de serviços d o go v ern o b rasileiro 7 8 2 Porter, Roy 3 8 6 P o rt u g u ês in s t r u m e n t al 6 7 9 P ou r Ia s c ie n c e 142 Pow ell, E C . 7 0 6 Pow ell, Jam es R. 825 Pow ell, Russell H . 4 9 7 , 5 2 7 , 825 Pow ell Junior, Jam es R. 4 9 7 A p r át ic a da p e s q u is a 6 3 8 Prêm io alm iran te A lvaro A lb erto para ciên cia e tecn o lo g ia 6 2 7 Prêm io Érico V annucci M end es 6 2 8 Prêm io Fred erico de M en ez es V eiga 6 2 9 Prêm io In v en to Brasileiro 6 3 0 Prêm io Jo sé Reis de D iv u lg ação C ien tíf ica 631 Prêm io Jo v em C ien tista 6 3 2 Prêm io M o in h o S an tista 633

14 P ro c e edin g s o f t he N at io n al A c adem y o f S c ie n ­

  ÍN D IC E

  Sarto n , G eo rg e 4 0 3 , 4 4 8 s i i p c 4 6 3 , 7 4 2 SBPCnet 7 4 2 Schlessinger, Bernard S. 2 5 0 Schlessinger, June H . 2 5 0 Scholarly S o ciety Pro ject 743 S ch w artz m an , S im on 4 7 9 , 4 8 0 , 481

  ref eren ciação b ib liográfica 6 8 4 - 6 8 8 reim p ressão de livros 512 Reis, A n to n io S im õ es dos 7 2 0 relatórios técn ico s 1 6 6 - 1 7 1 R e p e r t o ir e de s t h è s e s d e d o c t o r at s o u t e n u e s de- v an t les u n iv er s it é s d e lan g u e f r a n ç a is e 179 R e s e ar c h c en t er s d ire c t o ry 7 5 6 R e s e ar c h serv ic es d ire c t o ry 7 5 7 R esearch - It! 3 7 4 resenhas de livros 5 0 7 - 5 1 1 revisões da literatu ra 8 4 0 R ev is t a da p r o p r ie d ad e in du s t r ial

  R e fe r e n c e so u r c e s in sc ie n c e , en g in ee rin g , 165 R e fe r e n c e so u r c e s 8 2 9 m e d ic in e a n d ag ric u lt u r e 8 1 9

  SCI v er S cien ce C itatio n Ind ex S cicen tral 603 s c i f . l o v er S cien tif ic El ectro n ic Lib rary O nline S c ie n c e & te c hn o lo g y alm an ac 4 1 8 S cience an d en g in ee rin g c o n fe r e n c e p r o c e e d ­ in g s

71 R ev is t a da S o c ie d ad e B rasile ir a de H is t ó r ia da

  7 9 2 R ho d ia 6 3 7 R ob inson , C h erri 545 Roger, S m ith 2 2 7 R o n an , C o lin A . 4 4 6 Roper, C h risto p h er 4 4 7 Rossini, FD . 7 1 5 R o th en b erg , M arc 4 0 0 R o u t le d g e Fren c h t e c h n ic al dic t io n ary 342 R o u t le d g e S p an is h t e c h n ic al dic t io n ary 3 4 0 R ow e, Julian 2 9 2 Royal S o ciety 198, 199, 2 5 5 , 401 R ud io, Fran z V icto r 663 Ruiz, Jo ão A lv aro 6 4 6 R u s s ian - E n g lis h dic t io n ar y o f s c ie n t ific an d en g in ee rin g term s: a g u id e t o u s ag e 3 4 9 R u s s ian - E n g lis h dic t io n ar y o f s c ie n t ific an d t e c h n ic al u s ag e 3 4 7 R u s s ian - E n g lis h s c ie n c e an d en g in ee rin g dic ­ tion ary 345 R u s s ian - E n g lis h s c ie n t ific a n d t e c h n ic al dic ­ t io n ar y 3 4 4 R u s s ian - E n g lis h t r an s lat o r ’s dic t io n ary 350 Russo, Fran ço is 4 0 2 s a e v er S o ciety o f A u to m o tiv e En gin eers S alo m o n , D élcio V ieira 6 6 4 S an to s, Fau sto H en riq ue dos 6 1 9 S an to s, G ild en ir C aro íin o 6 8 7 S an to s, Jo ão A lm eid a 6 6 2 S ão Paulo (e s tad o ). S ecretaria de C iên cia e s a p o 577

   1 S c ie n c e a n d en g in ee rin g lite rat u re : g u id e to r efe r e n c e so u r c e s 8 1 9 S c ie n c e an d t ec hn olo g y 481

  S c ie n c e an d t ec hn olo g y an n u al re fe re n c e rev iew 5 1 0

  C iê n c ia 4 1 6 R ev is t a da W eh 548 R ev u e d ’h is t o ir e de s s c ie n c e s 4 1 7 Rey, Luís 683 R eynold s, M ich ael M . 172 RHAE

  S cien ce d irect 127 S c ie n c e e t v ie 148 S cien ce in co n te xt 4 1 9 S cien ce, ind ustry and b usiness library 2 5 9

  S c ie n c e m ag az in e 149 S c ie n c e s in c e B ab y lo n 4 5 0 T h e s c ie n c e s 150 S c ie n t ific <5 t e c h n ic al b o o ks & se r ials in p rin t

  503 S cien tif ic & T ech n ical In f o rm atio n N etw ork ( s t n In tern atio n al) 196 S c ie n t ific A m er ic an 151 S c ie n t ific a n d t e c h n ic al in fo r m at io n so u r c e s

  811 S c ie n t ific a n d t e c h n ic al o r g an iz at io n s an d ag en c ie s direc t ory 7 6 4 S c ie n t ific c o m m u n ity an d t h e s t at e in B r az il: t h e r o le o f t he B r az ilian S o c ie t y fo r the

  A dv an c e m e n t o f S c ie n c e, 1 9 4 8 - 1 9 8 0 4 6 3 S cien tif ic El e ctro n ic Lib rary O n lin e 128 S c ie n t ific in st r u m en t s

   1 S 0 0 - 1 9 0 0 4 5 3 S c ie n t ific m ee t in g s

   15 S c ie n t ific r ev olu t io n : an an n o t at e d b ib lio g r a­ phy

   3 9 6 S c ie n t ific w ords 3 0 7 S co tt, Paula R. 8 2 7

  S c ie n c e an d t ec hn olo g y d e s k re fe r e n c e 2 8 7 S c ie n c e an d t ec hn olo g y fir s t 4 2 8 S c ie n c e an d t ec hn olo g y in L at in A m er ic a 4 4 7 S c ie n c e an d t ec hn olo g y in w o rld his to ry 4 4 4 S c ie n c e bo o ks an d film s 502 S c ie n c e c it at io n in dex 2 2 4

  1 6 6 PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA

  S ecretaria Esp ecial de In f o rm ática 187 S é c u lo

  X IX : o n as c im e n t o d a c iê n c ia c o n t e m p o ­ r ân e a 4 4 9 s e i v er S ecretaria Esp ecial de In f o rm ática Sell, Lew is L. 3 5 8 S em in ário N acio n al d e H istó ria da C iê n cia e T ecn o lo g ia 4 8 2 T h e s e r ials direc t o r y : an in t e r n a t io n a l r e fe re n c e b o o k 101 S erres, M ich el 3 2 6

  S ervid or de A p o n tad o res Po rtugu eses v er s a p o Severino, A n to n io Jo aq u im 665 S eyb old , A udrey 5 4 6 A sho rt hist o ry o f t ec hn o lo g y 4 3 6 A s h o r t e r hist o ry o f s c ie n c e 4 3 3 S hveyeva, N atalia 3 4 9 S icilian o V irtual 522 siglas 6 8 9 - 7 0 4 S ig las a g r o p e c u ár ias b r as ile ir as 6 9 4 S ig las b r as ile ir as 6 9 5 S ig las d e e n t id a d e s b r as ile ir as 6 9 6 Silva, Jorg e 4 4 7 Silva, Lu iz W ern eck da 4 8 6 S in d icato dos En g en h eiro s d o Es tad o de São Paulo 7 5 8

  S in d icato N acio n al dos T rad u to res ( s i n t r a ) 185 S istem a d e Bib lio tecas (p u c/R io ) 261 S istem a d e Bib lio tecas e In f o rm ação ( u f r )) 2 6 7 S istem a d e cu rrícu lo L atte s 1 6 2 , 2 3 3 S iz es : t h e illu s t r a t e d e n c y c lo p e d ia 7 1 4 S lo w n ik t ec h n ic z n y p o ls k o —p o r t u g als k i; d ic io - n ár io t é c n ic o p o lo n ê s - p o r t u g u ê s 361 S m ith , M artin A . 831 s m p t e v er S o ciety of M o tio n Pictu re and T elevision En g in eers S o b ral, Fern an d a A n to n ia Fo n seca 4 6 0 S o c ia l s t u d ie s o f s c ie n c e 4 2 0 S o cied ad e Brasileira d e H istó ria da C iên cia

  4 0 4 , 6 2 8 S o cied ad e Brasileira para o Progresso da C iê n ­ cia 4 6 3 , 7 4 2 so cied ad es cien tíf icas, diretórios 7 3 8 - 7 4 5 S o ciety of A u to m o tiv e En g in eers 56 S o ciety of M o tio n Pictu re and T elevision En g in eers 57 S o ftw are Paten t In stitu te 90 Solla Price, D erek de 4 5 0 , 451 S o ud ers, M o tt 5 3 1 , 542 A so u r c e b o o k in m ed ie v al s c ie n c e 4 4 0 S o u rce tran slatio n o p tim iz atio n ’s 83 S o urces f or th e stud y of scien ce, m ed icin e and tech n o lo g y in Po rtugal an d Brazil 3 9 7 S o u z a, Fran cisco das C h ag as 6 8 8 S o u z a, V ânia Pin h eiro 6 8 4 S p a c e f o r s c ie n c e : t h e d e v e lo p m e n t o f t h e s c ie n ­ t i fi c c o m m u n it y in B r az il 4 8 0 S p eck , G . E. 3 2 7 s p i v er S o ftw are Paten t In stitu te Sp ringer 121 S tahl, D ean 6 9 3 S t a n d a r d & P o o r ’s re g is t e r o f c o r p o r at io n s , d i­ rec t ors an d ex e c u t iv es 7 6 8 S t an d ar d h an d b o o k o f e n g in ee rin g c alc u lat io n s 53 6

  S t an d ar d p e r io d ic al d ire c to ry 102 S tansfield , G eo ff rey 6 0 6 S tarM ed ia 595 S t at is t ic al t ab le s f o r t h e s o c ial, b io lo g ic al, an d p h y s ic al s c ie n c e s 7 0 6 S t e m an ’s abbrev .: ab b r e v iat io n s , ac ro n y m s ó sy m bo ls 7 0 4 S tep an , N an cy 4 8 3 s t n In tern atio n al v er S cien tif ic & T ech n ical In f o rm atio n N etw ork T h e story o f s c ie n c e in A m e r ic a 4 3 5 S tratto n , G eo rg e Burd en 104 S t u die s in hist o ry an d p h ilo s o p h y o f s c ie n c e

  4 2 1 S u bje c t c o lle c t io n s

   7 2 4 S u b m arin o 523 S u p e r in t e r e s s an t e 152 S urfT rad e 596 Sw ets 129 t a b v er T e c h n ic al ab s t r ac t b u lle t in tab elas 7 0 5 - 7 1 6

  T able s o f p h y s ic al a n d c h e m ic al c o n s t an t s a n d s o m e m at h e m at ic al fu n c t io n s 7 1 2 T ach iz aw a, Takeshy 6 6 6 T arg et En g en h aria e C o n su lto ria 31 T ato n , R en é 4 5 2 T avares, Jo aq u im Farin h a dos S an to s 3 5 9

  T e c hn ic al ab s t r ac t b u lle t in 171 T e c hn ic al b o o k rev iew in dex 511 T e c hn is c he s F o rm e ls am m lu n g 7 0 7 T ec hn olog y an d c u lt u re 4 2 2 T é c n ic as d e c o m u n ic aç ão e s c r it a 6 7 0 T e c n o lo g ia e in d u s t r ializ aç ão n o B r as il 4 7 4

  T eles, Ped ro C arlo s da Silva 4 8 4 teses 1 7 2 - 1 8 1 T eses b rasileiras 177 T eses em c iê n c ias e t e c n o lo g ia 181 t e s s (T rad em ark electro n ic search sy stem ) 25 3 7 ,co m 5 5 4

  ÍN D IC E

  167

24 T rad e show cen tral 3 7 8

   3 6 6 V o c ab u lár io t é c n ic o p o rt u g u ês , in g lês, fr an c ê s e ale m ão 363 V olti, Rudi 3 3 0 W aite s, G illian 3 1 0

  4 8 8 V itae 8 0 6 V ital Brazil, O sw ald o 4 8 9 V o c ab u lár io d e t er m o s t é c n ic o s em q u at r o lín ­ g u as

   3 2 8 V argas, M ilto n 4 8 7 V asconcellos, A na C ristin a d e 6 8 5 V ed eneeva, C lau d ia 3 5 0 V eiga, A na Lu iz a 8 3 9 V ib erti, G u stav o 549 V icto rian o , B en ed icto A .D . 6 6 8 vídeos cien tíf ico s 3 8 0 - 3 8 3 V id ossich, Fran co 3 2 9 V ig or e in o v aç ão n a p e s q u is a b r as ile ir a: re su l­ t ad o s d e p r o je t o s t e m át ic o s em S ão P au lo

  Vai & V ein 598 V alla, V icto r V in cen t 4 8 6 V an N o s t r an d ’s s c ie n t ific e n c y c lo p e d ia

  U n iv ersity an d c o lle g e m u se u m s, g alle r ie s an d r e lat e d fac ilit ie s 611 U niversity M icrof ilm s In tern atio n al 156 U niversity o f W aterlo o . U niversity Lib rary 7 4 3 U sher, A b b o tt Payson 4 5 4 U sin g g o v er n m e n t p u b lic at io n s 8 3 0

  85 — . TESS

  7 7 9 — . C e n tro de C o o p eració n C ien tíf ica para A m érica Latin a 7 5 9 u n e s p ver U n iversid ad e Estad u al Paulista U n ião Brasileira dos Pro m o to res de Feiras 3 7 9 u n i c a m p ver U n iversid ad e Estad u al de C am ­ pinas un id ad es cien tíf icas 7 0 5 - 7 1 6 U n ited K ingd om Paten t O f f ice 84 U n ited S tates Paten t O f f ice and T rad em ark

  C en tral U n co v er W e b 131 U n d erw riter’s Lab o rato ries 58

   U n iversity M icro f ilm s In tern atio n al u n B ver U n iversid ad e de Brasilia. Bib lio teca

  UL v e r U n d erw riter’s Lab o rato ries U lr ic h ’s in t e r n a t io n a l p e r io d ic als d ire c t o ry 103 U m i Pro q uest 130 UMI v er

  UFSC v er U n iversid ad e Fed eral de S an ta C ata­ rina

  U n iversid ad e Fed eral d o R io G ran ­ de d o Sul UFRj ver U n iversid ad e Fed eral d o R io de Ja­ neiro

  L e trésor: d ic t io n n air e des sc ie n c e s 3 2 6 T un g , Lo u ise W atan ab e 343 Turley, R. V 8 2 4 T urner, G erard L. 4 5 3 T urner, M arcia Lay to n 546 U FRG S v e r

  T rade sh o w s w o rldw id e 3 7 7 trad u çõ es 1 8 2 - 1 8 6 T raian o , R o m o lo 3 6 0 T raldi, M aria C ristin a 6 6 7 T r at ad o d e m e t o d o lo g ia c ie n t ífic a 645

  T h o m as reg ister of A m erican m an u f actu rers 7 6 9 T h e t im e t a b le o f s c ie n c e 4 4 2 T h e t im e t a b le o f t ec h n o lo g y 4 3 0 T o d d , J. D . 7 0 9 T o d o b r5 9 7 T oom ey, A . F. 721 T o o tif l, Eliz ab eth 2 3 4 trab alh o cien tíf ico ou té cn ico ver red ação técn ica T rac er b u lle t 7 2 2 T rade n a m e d ic t io n ar y

UN ESCO

25 U n iv ersid ad e de Brasília. Bib lio teca C en tral 2 6 2 U niversid ad e Estad u al de C am p in as — . C e n tro de Ló g ica, Ep istem o lo g ia e H istó ­ ria da C iên cia 4 0 5 — . In s titu to de Física. D e p artam e n to de Raios C ó sm ico s e C ro n o lo g ia. G ru p o de H istó ria e T eoria da C iê n cia 4 0 6 — . S istem a de Bib lio tecas 2 6 4 U niversid ad e Estad u al Paulista 2 6 5 U n iversid ad e Fed eral de M in as G erais. S iste­ m a de Bib lio tecas 2 6 6 U niversid ad e Fed eral de S an ta C atarin a 2 6 9 U niversid ad e Fed eral d o R io de Jan eiro 2 6 7 U niversid ad e Fed eral d o R io G rand e d o Sul — . Bib lio teca C e n tral 2 6 8 — . S istem a de Bib lio tecas 192 univ ersid ad es, diretórios 7 7 0 - 7 8 0 U niversid ad es Estad u ais Paulistas. S istem as de Bib liotecas 2 5 6 U niversid ad e de S ão Paulo — . C o m issão de Patrim ô n io C u ltu ral 6 2 0 — . Esco la Po litécn ica 4 8 5 — . S istem a In teg rad o de Bib lio tecas 2 6 3

  168

  PARA SA BER M A IS: FO N TES D E IN FO RM A đấ O EM C IÊN C IA E TEC N O LO G IA W alfo r d ’s g u id e t o r e fe r e n c e m at e r ials 832 W alk er, Peter M .B. 2 8 6 , 3 1 5 W all, R aym ond A . 833 W alth er, R. 3 3 7 W arner, D eb o rah Jean 3 8 5 A w eb o f o n -line d iction aries 375 W e b p ate n t d atab ase 85 W eb C raw ler 5 7 8 W eb D o g 5 9 9 W eb seek sistem a de co n su lta para a p rop rie­ d ad e industrial 2 6 W ein d lin g , Paul 3 8 7 W h a t ’s w h at : a v is u al g lo s sary o f t h e p h y s ic al w o r ld 2 8 4 W h erry , T im o th y Le e 69 W h o ’,s w ho in s c ie n c e in E u r o p e 2 5 2 W h o ’s w h o in t e c h n o lo g y 253 W h o ’s w h o o f N o b e l p r iz e w in n ers 1 9 0 1 - 1 9 9 5

  2 5 0 W h o ’s w h o in s c ie n c e a n d e n g in ee rin g , 19 9 8 — 1 9 9 9 251 W iley e n c y c lo p e d ia o f e le c t r ic al a n d e le c t r o n ic s en g in ee rin g 331 T h e W ile y e n g in e e r ’s d e s k r e fe r e n c e 535 W illiam s, T revor I. 4 3 6 W il t, D avid E. 831 w ipo v er O rg an iz ação M und ial da Prop ried a­ de In telectu al W o o d h ead , Peter 6 0 6 A w o rld bib lio g r ap h y o f b ib lio g r ap h ie s an d o f b ib lio g r a p h ic a l c at alo g u e s , c ale n d ar s , ab s t r ac t s , d ig est s, in d ex es a n d t h e lik e 197, 7 1 8 A w o rld b ib lio g r ap h y o f b ib lio g r ap h ie s : 1 9 6 4 - I 9 7 4 721 W o r ld c o n v en t io n d at e s

  W o r ld d ire c t o ry o f m in e r al c o lle c t io n s 6 1 4 W o r ld g u id e t o ab b r e v iat io n s 6 9 7 W o r ld g u id e t o lib r ar ie s 7 2 8 W o r ld g u id e t o s c ie n t ific a s s o c iat io n s a n d le ar n e d s o c ie t ie s 7 4 4 W o r ld g u id e t o s p e c ial lib r ar ie s 7 2 9 W o rld In tellectu al Prop erty O rg an iz atio n 8 6 W o r ld lis t o f s c ie n t ific p e r io d ic als p u b lis h e d in t h e y e ars 1 9 0 0 - 1 9 6 0 104 W or ld m ee t in g s : o u t s id e t h e U n it e d S t at e s an d C an ad a

   17 W or ld m ee t in g s : U n it e d S t at e s a n d C an a d a

   17 W orld o f le arn in g 7 8 0 W or ld p alae o n t o lo g y c o lle c t io n s 6 0 9 W or ld p at e n t in dex

   87 W orld p at e n t in fo r m at io n

   88 W or ld t r an s lat io n s in dex 186 W o rld cat o c l c O n lin e U n io n C atalo g 2 5 7 W orldw ide g o v er n m e n t dir ec to ry 7 8 4 W orldw ide s t an d ar d s serv ic e

   32 W rig h t, N an cy D . 8 1 2 w w p v er W or ldw ide s t an d ar d s serv ic e Y ahoo! 5 7 9 Y ahoo! Esp an a 580 Y ih o o ! Brasil 6 0 0

  Y e arb oo k o f in t e r n at io n al c o n g re ss p ro c e e d in g s

  18 Y e arb o o k o f in t e r n at io n al o r g an iz at io n s 7 4 5 Y oung, M arg aret Lab ash 7 5 5 Z eek 601 Z ilb erk no p , Lu b ia S cliar 6 7 9 Z im m erm an , M ik hail 3 5 0 Z w illinger, D an iel 7 1 6

16 W o r ld d ic t io n ar y o f aw ar d s a n d p r iz e s 6 2 3

Novo documento

Tags