PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM PSICOLOGIA

0
0
247
2 months ago
Preview
Full text

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA PRố-REITORIA DE PốS-GRADUAđấO E PESQUISA PROGRAMA DE PốS-GRADUAđấO STRICTO SENSU EM PSICOLOGIA RELAđỏES ENTRE IRMấOS ADOLESCENTES: SENTIDOS E SIGNIFICADOS

Raquel Maracaípe de CarvalhoGoiânia 2011

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA PRố-REITORIA DE PốS-GRADUAđấO E PESQUISA PROGRAMA DE PốS-GRADUAđấO STRICTO SENSU EM PSICOLOGIA

SIGNIFICADOS

  RELAđỏES ENTRE IRMấOS ADOLESCENTES: SENTIDOS E Raquel Maracaípe de CarvalhoTese apresentada ao Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia da Pontifícia Universidade Católica deGoiás, como requisito parcial para obtenção do título de Doutor emPsicologia.Área de concentração: Processos Psicossociais (Psicologia Social)Orientadora: Profa. CDU: 159.922.8-055.71(043.2) 392.3(043.2) Dedico este trabalho à minha querida mãe, MariaJoacy, que, com seu amor incondicional, me enche de orgulho de ser sua filha.

AGRADECIMENTOS

  A Deus, que com Sua infinita bondade me amparou e me iluminou nos momentos de dúvida, me dando forças para seguir em frente.À minha querida família, em especial à minha amada mãe, Maria Joacy, que sempre me apoiou em todos os aspectos, em particular, emocional e financeiramente, meproporcionando toda a segurança, conforto e tranquilidade para a realização deste trabalho. Também a Clarice, Raimundinha e Laurent, que fazem parte da minha família, cada um à sua maneira me incentivando neste percurso e compreendendo minhasausências.À minha família, Maracaípe e Carvalho, e a todos os meus amigos, pela torcida, mesmo à distância, e compartilhamento dos meus êxitos e conquistas.

RESUMO

  Participaram como sujeitos cinco duplas de irmãos adolescentes entre 12 e 18 anos de idade, que frequentavam a Escola de Circo, um dos programas de extensão doInstituto Dom Fernando (IDF) da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-Goiás) em Goiânia (GO). Neste trabalho, buscou-se defender a seguinte tese central: os sentidos e os significados atribuídos pelos adolescentes participantes à sua relaçãocom seu irmão são marcados por relações afetivas, que são os conflitos e a amizade.

MEANINGS

  In thisstudy, we adopt the concept of adolescence as a socially and historically constructed phenomenon, which is not interpreted as a natural phase of human development. The participants were five pairs of adolescent siblings from 12 to 18 years old, enrolled in Escola de Circo, one of the extensionprograms of the Instituto Dom Fernando (IDF) at the Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-Goiás), in Goiânia (GO).

LISTA DE ABREVIATURAS

  Levantamento das dissertações e teses, produzidas no período de 2000 a 2009, sobre adolescência a partir da perspectiva da psicologia sócio-histórica. 193Representação de Ricardo para a relação que tem com sua Desenho 5.irmã Karla.

Distrito Censitário Pedroso, no município de Goiânia (GO), Mapa 2

  Pela capacidade de consumo (também contam a posse de eletrodomésticos e a escolaridade do chefeda família): os ricos, com alta capacidade de consumo, estão na classe A (que se divide em A1 e A2); a classe média (classes A, B e C) tem média capacidade deconsumo; e os pobres e remediados, com baixa capacidade de consumo, pertencem às classes D e E. Pelo levantamento feito nesta pesquisa, sabe-se que o presente trabalho é um dos poucos, até o momento, com o objetivo de estudar os fenômenos da adolescênciadentro de famílias de classes populares a partir do cotidiano, de situações de vida destes sujeitos e de suas relações intrafamiliares, e não a partir de uma ótica deproblematização deles.

O método de estudo

  Na tentativa de se fazer uma discussão relacionando o método e o entendimento que se tem aqui do fenômeno da adolescência, de acordo com León(2009), a definição de adolescência pode ser desenvolvida a partir de uma série de referências, como: a faixa etária, o período da vida, o contingente populacional, acategoria social, uma geração, entre outras tantas. Ressalta-se que apenas a categoria etária não é suficiente para se compreender a adolescência, sendo importante apontar algumas delimitaçõesiniciais e básicas, mas não com a intenção de homogeneizá-la para o conjunto dos sujeitos que estão em uma determinada faixa de idade.

Os procedimentos metodológicos utilizados

  Para a realização deste estudo, houve a necessidade de se fazer um levantamento de literatura e, posteriormente, o mapeamento e a análise dasproduções científicas (teses e dissertações no banco de teses e dissertações do 8 portal CAPES) sobre a adolescência na perspectiva da psicologia sócio-histórica. Cruz Neto, Moreira e Sucena (2002) afirmaram que o grupo focal pretende reunir, durante certo período, determinada quantidade de pessoas que fazem partedo público-alvo da pesquisa, tendo como objetivo coletar, a partir do diálogo e do debate com e entre eles, informações acerca de um tema específico, captando suasimpressões, visões e concepções de mundo.

Estrutura da tese

  Karla mencionou que o que mudou na adolescência foi a “mente” ou o “modo de pensar”, indo ao encontro da definição de Vigotski (1999), segundo a qual aformação de pensamento em conceito permite a estruturação da concepção de mundo, da autoconsciência, levando o adolescente a desenvolver a capacidade depensar, comunicar suas ideias e criticar um assunto específico. Que nem no dia do show do Rosa de Saron ,ela ganhou ingresso pra ir, de um amigo dela, e eu falei, “Bianca, você não vai, porque sem a minha mãe você vai me dar trabalho e eu não vou ficar láfeito doida correndo atrás de você, não.” Porque eu não vou pra um lugar que eu vou levar ela e que eu tenho que chegar lá, mal eu vou dar conta decuidar de mim, e ainda vou ter que cuidar dela.

RECENT ACTIVITIES

Tags

Documento similar

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM DIREITO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO
0
0
315
UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM EDUCAÇÃO
0
0
126
UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO GERAL DE PESQUISA PROGRAMA INSTITUCIONAL VOLUNTÁRIO DE INICIAÇÃO CIENTIFICA
0
0
36
UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA INSTITUTO DE PSICOLOGIA DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA CLÍNICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA CLÍNICA E CULTURA
0
0
265
PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM DIREITO MESTRADO EM DIREITO, ESTADOE CONSTITUIÇÃO GUILHERME CARDOSO LEITE
0
0
146
UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA INSTITUTO DE PSICOLOGIA DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA CLÍNICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA CLÍNICA E CULTURA
0
0
193
UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA INSTITUTO DE PSICOLOGIA DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA CLÍNICA E CULTURA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA CLÍNICA E CULTURA
0
0
123
UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA INSTITUTO DE PSICOLOGIA DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA CLÍNICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA CLÍNICA E CULTURA Banca examinadora:
0
0
104
UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA INSTITUTO DE PSICOLOGIA DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA CLÍNICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA CLÍNICA E CULTURA
0
0
103
UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA INSTITUTO DE PSICOLOGIA DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA CLÍNICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA CLÍNICA E CULTURA
0
0
124
UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA INSTITUTO DE PSICOLOGIA DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA CLÍNICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA CLÍNICA E CULTURA FELIPE DINIZ MARQUES
0
0
179
UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA INSTITUTO DE PSICOLOGIA DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA CLÍNICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA CLÍNICA E CULTURA
0
0
180
UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA INSTITUTO DE PSICOLOGIA DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA CLÍNICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA CLÍNICA E CULTURA
0
0
108
UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA INSTITUTO DE PSICOLOGIA DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA CLÍNICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA CLÍNICA E CULTURA ANA PAULA MORAIS
0
0
139
UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA INSTITUTO DE PSICOLOGIA DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA CLÍNICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA CLÍNICA E CULTURA
0
0
233
Show more