Feedback

Vetorização Magnética

Aquisição simultânea de eletroencefalografia e ressonância magnética funcional para investigação da plasticidade neural

... auditivo. xxiii Conclusão Este trabalho explora a vantagem do registro simultâneo de eletroenfalografia e ressonância magnética funcional para investigar a atividade neural durante a aprendizagem perceptiva de curta duração. A ressonância magnética funcional tornou-se uma técnica padrão para o mapeamento da atividade funcional. Sua alta resolução temporal ... Engineering. Belo Horizonte August, 2010 Resumo Este trabalho apresenta um estudo sobre plasticidade neural baseado em registros simultâneos de eletroencefalografia (EEG) e ressonância magnética funcional (fMRI). Diversas evidências indicam que a especificidade neural à estimulação sensorial básica é mutável e dependente da experiência do indivíduo. Uma maneira ... modalidades, implementa-se um método hierárquico Bayesiano variacional onde as soluções inversas do EEG estão restritas às regiões de ativação elevada vistas nas imagens de ressonância magnética funcional. Finalmente, a principal contribuição deste trabalho é revelar que mesmo alterações provocadas por um aprendizado de rápida duração não estão restritas ao
 0  2  172

Comparação entre a fibrose periportal diagnosticada pelo ultra-som e pela ressonância magnética e a histologia hepática na hipertensão porta esquistossomótica

... FIBROSE PERIPORTAL DIAGNOSTICADA PELO ULTRA-SOM E PELA RESSONÂNCIA MAGNÉTICA E A HISTOLOGIA HEPÁTICA NA HIPERTENSÃO PORTA ESQUISTOSSOMÓTICA Belo Horizonte 2008 Izabela Voieta da Silva Teixeira COMPARAÇÃO ENTRE A FIBROSE PERIPORTAL DIAGNOSTICADA PELO ULTRA-SOM E PELA RESSONÂNCIA MAGNÉTICA E A HISTOLOGIA HEPÁTICA NA HIPERTENSÃO PORTA ESQUISTOSSOMÓTICA Dissertação ... estudos houve comparação entre o ultra-som e a histologia na avaliação da fibrose hepática da esquistossomose e em nenhum se incluiu a ressonância magnética. Neste trabalho comparou-se o ultra-som (US), a ressonância magnética (RM) e a histologia na avaliação da fibrose hepática na esquistossomose. Foram selecionados para esta pesquisa 14 pacientes com esquistossomose ... ressonância magnética, biópsia hepática cirúrgica em cunha, exame parasitológico das fezes e coleta de sangue. Os estudos anatomopatológico e histomorfométrico foram feitos na Fundação Gonçalo Moniz (FIOCRUZ, Salvador, Bahia). Para avaliação da fibrose hepática pelo ultra-som, usou-se o protocolo padronizado pela OMS e, para a ressonância magnética,
 0  4  94

Estudo da associação entre a presença do anticorpo contra o peptídeo citrulinado cíclico e os índices de atividade de doença, de capacidade funcional e de dano estrutural, medido através da radiografia convencional e da ressonância magnética, na artrite r

... O PEPTÍDEO CITRULINADO CÍCLICO E OS ÍNDICES DE ATIVIDADE DE DOENÇA, DE CAPACIDADE FUNCIONAL E DE DANO ESTRUTURAL, MEDIDO ATRAVÉS DA RADIOGRAFIA CONVENCIONAL E DA RESSONÂNCIA MAGNÉTICA, NA ARTRITE REUMATOIDE ESTABELECIDA Universidade Federal de Minas Gerais Programa de Pós-Graduação em Ciências Aplicadas à Saúde do Adulto Belo Horizonte 2014 Lílian ... O PEPTÍDEO CITRULINADO CÍCLICO E OS ÍNDICES DE ATIVIDADE DE DOENÇA, DE CAPACIDADE FUNCIONAL E DE DANO ESTRUTURAL, MEDIDO ATRAVÉS DA RADIOGRAFIA CONVENCIONAL E DA RESSONÂNCIA MAGNÉTICA, NA ARTRITE REUMATOIDE ESTABELECIDA Dissertação apresentada ao Programa de PósGraduação em Ciências Aplicadas à Saúde do Adulto da Faculdade de Medicina da Universidade ... e finalização do presente trabalho. Ao Dr. Fernando Santana e à ECOAR Medicina Diagnóstica, pelo apoio à realização deste trabalho, através da doação dos exames de ressonância magnética. Aos Produtos Roche Químicos e Farmacêuticos S.A. pelo apoio à execução desta pesquisa, através da doação dos exames de anti-CCP (anticorpo contra o peptídio citrulinado
 0  2  64

Indução magnética de linhas de energia elétrica em linhas de telecomunicações

 0  2  176

Modelamento e cálculo de indução magnética de linha de energia elétrica em linha telefônica

 0  2  100

Estimulação magnética transcraniana de repetição associada a antidepressivo: início e intensidade da resposta antidepressiva.

... maior incidência de efeitos colaterais, maior tempo de afastamento do trabalho e maiores despesas, muitas vezes com respostas insatisfatórias. Estimulação magnética transcraniana A estimulação magnética transcraniana (EMT) é um método não-invasivo de investigação e modulação da excitabilidade cortical, que altera a atividade cortical a partir de um ... D.O.; Ortiz, B.B.; Marcolin, M.A. Resumo Objetivos: Avaliar diferentes estudos que analisam o grau de eficácia da resposta antidepressiva entre a associação de estimulação magnética transcraniana de repetição (EMTr) com antidepressivos em pacientes deprimidos graves. Métodos: Os autores revisaram vários estudos em que a EMTr foi usada concomitantemente ... Cerqueira César – São Paulo – SP – CEP: 05403-010. Fone: (5511) 3069-6525, e-mail: ect@hcnet.usp.br Rev. Psiq. Clín. 31 (5); 231-237, 2004 232 Palavras-chave: Estimulação magnética transcraniana, amitriptilina, depressão, placebo. Abstract Objective: Transcranial magnetic stimulation has been developed as a noninvasive method to stimulate the
 0  3  7

Valor Prognóstico da Resistência Vascular Pulmonar através de Ressonância Magnética em Insuficiência Cardíaca.

... de ressonância magnética cardíaca pode ser útil na estratificação de risco em ICFEr, independentemente da etiologia, presença de realce tardio pelo gadolínio ou FEVE. (Arq Bras Cardiol. 2016; 106(3):226-235) Palavras-chave: Resistência Vascular; Hipertensão Pulmonar; Insuficiência Cardíaca; Prognóstico; Espectroscopia de Ressonância Magnética. Abstract Background: ... desafiador na prática clínica. Objetivo: Avaliar a utilidade prognóstica da estimativa não‑invasiva das resistências vasculares pulmonares (RVP) medidas através de ressonância magnética cardiovascular na previsão de desfechos cardiovasculares adversos em insuficiência cardíaca com fração de ejeção reduzida (ICFEr). Métodos: Registro prospectivo de pacientes ... descompensada, durante três anos. As RVP foram calculadas com base na fração de ejeção do ventrículo esquerdo e velocidade média do fluxo na artéria pulmonar estimada por ressonância magnética cardíaca. Durante a evolução, reinternação por insuficiência cardíaca e mortalidade por todas as causas foram consideradas eventos adversos. Resultados: Foram incluídos
 0  5  10

Avaliação do Infarto do Miocárdio pela Ressonância Magnética Cardíaca e Mortalidade em Longo Prazo.

... Brasil Resumo Fundamento: A ressonância magnética cardíaca fornece informações anatômicas detalhadas do infarto, porém poucos estudos investigaram a associação desses dados com mortalidade pós-infarto agudo do miocárdio. Objetivo: Verificar a associação entre os dados de anatomia e magnitude do infarto, obtidos da ressonância magnética cardíaca pós-infarto agudo ... obtidos da ressonância magnética cardíaca pós-infarto agudo do miocárdio se associaram de forma independente com mortalidade em longo prazo, sendo, porém, mais relevantes para morte por doença isquêmica cardíaca. (Arq Bras Cardiol. 2015; 104(2):159-168) Palavras-chave: Infarto do Miocárdio/fisiopatologia; Imagem por Ressonância Magnética; Diagnóstico ... cateterismo; ICP: intervenção coronariana percutânea. 161Arq Bras Cardiol. 2015; 104(2):159-168 Petriz e cols. Ressonância magnética e mortalidade após IAM Artigo Original Tabela 2 – Valores das variáveis obtidas da ressonância magnética cardíaca (RMC) da população estudada, e por subgrupo de sobreviventes e de óbitos por qualquer causa Variáveis
 0  2  10

Medidas morfofuncionais do coração obtidas por ressonância magnética em brasileiros.

... estudo descreveu, pela primeira vez, medidas cardíacas obtidas pela ressonância magnética cardíaca em brasileiros assintomáticos, sem cardiopatias, mostrando diferenças de acordo com o gênero e a idade. (Arq Bras Cardiol. 2013;101(1):68-77) Palavras-Chave: Imagem por Ressonância Magnética / métodos, Valores de Referência, Função Ventricular / fisiopatologia, ... Medicina, Universidade de São Paulo3, São Paulo, SP; Universidade Potiguar4, Natal, RN – Brasil Resumo Fundamento: Medidas ainda hoje utilizadas como referência na ressonância magnética cardíaca foram obtidas principalmente de estudos realizados em populações norte-americanas e europeias. Objetivo: Obter medidas do diâmetro diastólico, diâmetro sistólico, ... volume diastólico final, volume sistólico final, fração de ejeção e massa miocárdica dos ventrículos esquerdo e direito em brasileiros. Métodos: Foram submetidos à ressonância magnética cardíaca, utilizando técnica de precessão livre em estado de equilíbrio, 54 homens e 53 mulheres, com idade média de 43,4 ± 13,1 anos, assintomáticos, sem cardiopatias.
 0  3  10

Avaliação da área valvar aórtica combinando ecocardiografia e ressonância magnética.

... ressonância magnética cardíaca (RM) e uma abordagem híbrida que combina as duas técnicas. Métodos: A AVA foi calculada em 38 pacientes (idade 73 ± 9 anos) com a ETT padrão, planimetria cine-RM e uma abordagem híbrida: Método híbrido 1: a medição da VSVE derivada pelo ETT no numerador CE foi substituída pela avaliação de ressonância magnética ... iAcaVsSdVeEArTescsaolcnuâlnacdiaa a partir do magnética mostrou-se significativamente diferente em comparação com a determinação ecocardiográfica (diferença média de 0,94 cm2 ± 1,54 padrão cm2, IC 0d,a43V-S1V,4E5AT, p = 0,001). Da mesma forma, os resultados da medida do diâmetro da VSVE com técnicas de ressonância magnética ou ETT mostraram-se ... essas duas abordagens não podem ser usadas de modo intercalados. Em geral, apesar do fato de que a ressonância magnética supera algumas das limitações metodológicas da ecocardiografia mencionadas acima, parece improvável que a ressonância magnética substitua a ETT como a modalidade de imagem preferencial na avaliação de pacientes com estenose aórtica.
 0  4  9

Valvopatia aórtica crônica grave sintomática: estudo comparado da ressonância magnética cardíaca e ecocardiografia.

... 92 NS VE IMVE (g/m2) 166 ± 76 155 ± 60 NS RMC- ressonância magnética cardíaca; ECO- ecocardiograma; EAo - estenose aórtica; FE- fração de ejeção; VDF- volume diastólico final; VSF- volume sistólico final; IMVE- Índice de massa ventricular esquerda Fig. 1 – ressonância magnética na IAo; VE - ventrículo esquerdo; Ao - aorta Não houve diferença ... RESSONÂNCIA MAGNÉTICA CARDÍACA E ECOCARDIOGRAFIA 148 Tabela 3 – Variáveis pela RMC da EAo RMC Síncope/Angina (3) Dispnéia (32) p FE 0,47 ± 0,1 0,39 ± 0,1 0,01 VDF (ml) 323 ± 141 344,2 ± 157 NS VSF (ml) 235,6 ± 131 283,5 ± 105 NS IMVE (g/m2) 220 ± 70 225 ± 65 NS RMC- ressonância magnética ... ventricular volume and ejection fraction, and with the clinical presentation of patients with chronic aortic valve disease. PALAVRAS-CHAVE valvopatia aórtica, ressonância magnética cardíaca, ecocardiograma, classe funcional KEY WORDS chronic aortic valve disease, cardiac magnetic resonance imaging, echocardiogram, functional class Correspondência:
 0  3  5

Quantificação da massa infartada do ventrículo esquerdo pela ressonância magnética cardíaca: comparação entre a planimetria e o método de escore visual semi-quantitativo.

... planimetria digital quantitativa para a determinação da massa infartada do ventrículo esquerdo pela ressonância magnética cardíaca com técnica de realce tardio. Método Estudados 77 pacientes com infarto miocárdico prévio em aparelho de ressonância magnética de 1,5T utilizando técnica de realce tardio para avaliação da viabilidade miocárdica e cálculo da ... infarto agudo do miocárdio prévio pela ressonância magnética cardíaca, utilizando a técnica de realce tardio, permite a determinação reprodutível do tamanho do infarto, tanto pelo método de planimetria, quanto pelo modelo semi-quantitativo de escore. Palavras-Chave infarto do miocárdio, ressonância magnética, viabilidade miocárdica Rede de Hospitais ... rochitte@incor.usp.br Recebido para Publicação em 17/4/03 Aceito em 3/12/03 A ressonância magnética cardíaca apresentou grande desenvolvimento na última década, e suas aplicações na avaliação dos pacientes com doença cardíaca isquêmica são cada vez mais abrangentes. As técnicas de ressonância magnética cardíaca atuais, especialmente os protocolos baseados na técnica
 0  3  7

Análise da função ventricular de pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica avançada pela ressonância magnética.

... ventricular. Visto que um ritmo irregular pode dificultar as mensurações das câmaras cardíacas na ressonância magnética, pacientes com fibrilação atrial ou batimentos ectópicos freqüentes foram excluídos do protocolo de estudo. O modelo por ressonância magnética empregado foi da marca GE 1.5T Horizon. Para determinar a anatomia e futuro planejamento das imagens, ... parâmetros derivados das análises do ventrículo direito na ressonância magnética para os 3 grupos. A 321 Arquivos Brasileiros de Cardiologia - Volume 83, Nº 4, Outubro 2004 Análise da Função Ventricular de Pacientes com Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica Avançada pela Ressonância Magnética Tabela I – Características dos grupos N, DPOCs E DPOCc Grupo ... ventricular direita. No entanto, confirmamos a presença do fenômeno da interdependência ventricular. Palavras-chave doença pulmonar obstrutiva crônica, função ventricular, ressonância magnética. 320 Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da FMUSP Endereço para Correspondência: Dra. Nazareth de Novaes Rocha Rua Inhangá 7/601 – Copacabana – Rio de
 0  3  6

Degeneração walleriana de origem vascular em ressonância magnética de paciente com paralisia supranuclear progressiva provável: fator etiológico ou associação fortuita?.

... cerebral, em que a imagem por ressonância magnética evidenciou sinais de degeneração walleriana do trato córtico-espinhal. Não há relato na literatura pesquisada sobre esta possível correlação. PALAVRAS-CHAVE: paralisia supranuclear pro g ressiva, doença cerebrovascular, degeneração Walleriana, ressonância magnética. Vascular Wallerian degeneration ... Arq Neuropsiquiatr 2005;63(3-B):878-880 DEGENERAÇÃO WALLERIANA DE ORIGEM VASCULAR EM RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DE PACIENTE COM PARALISIA SUPRANUCLEAR PROGRESSIVA PROVÁVEL Fator etiológico ou associação fortuita? Paulo Roberto Alves Rosa1, Cesar Ribeiro Ferreira2 RESUMO - ... (DW) ocorre quando o axônio é submetido a injúria, seja ela traumática ou isquê- mica, com degeneração do tipo centrífugo3. Atualmente, a observação de DW pela ressonância magnética (RM) é muito freqüente, principalmente em processo isquêmicos com acometimento do trato cortico espinhal4,1. O objetivo deste trabalho é relatar um caso de PSP provável
 0  4  3

Localização dos sulcos e giros da face súpero-lateral do cérebro na tomografia computadorizada e na ressonância magnética.

... tomografia computadorizada e na ressonância magnética. O uso conjunto dos vários sinais possibilita a identificação dos sulcos e giros e a localização das lesões cerebrais na quase totalidade dos casos. PALAVRAS-CHAVE: anatomia cerebral, sulcos cerebrais, sulco central, tomografia computadorizada, ressonância magnética. The sulci and gyri localization ... Arq Neuropsiquiatr 2001;59(1):65-70 LOCALIZAÇÃO DOS SULCOS E GIROS DA FACE SÚPERO-LATERAL DO CÉREBRO NA TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA E NA RESSONÂNCIA MAGNÉTICA Sebastião Gusmão1, Guilherme Carvalhal Ribas2, Roberto Leal Silveira3, Uedsom Tazinaffo4 RESUMO - O conhecimento da anatomia da face súpero-lateral do cérebro é fundamental ... sulcos e giros da porção superior (medial ou parasagital) da convexidade cerebral são melhor identificados nos cortes axiais da tomografia computadorizada (TC) e da ressonância magnética (RM), e os da porção inferior (lateral ou perisilviana), nos cortes sagitais laterais da RM. O objetivo do presente estudo é fazer a revisão da literatura dos sinais
 0  9  6

Angiografia pela ressonância magnética nos aneurismas intracranianos: estudo comparativo com a angiografia cerebral.

... 2001;59(2-B):384-389 ANGIOGRAFIA PELA RESSONÂNCIA MAGNÉTICA NOS ANEURISMAS INTRACRANIANOS Estudo comparativo com a angiografia cerebral Antonio Ronaldo Spotti1, Édimo Garcia Lima2, Marcio Luís Tostes Santos1,Álvaro Cebrian de Almeida Magalhães3 RESUMO - Avaliamos por angiografia pela ressonância magnética e por angiografia cerebral 41 pacientes com ... angiografia cerebral no diagnóstico de aneurismas intracranianos e no prognóstico da hemorragia subaracnóide. PALAVRAS-CHAVE: aneurismas intracranianos, angiografia pela ressonância magnética, angiografia cerebral, hemorragia subaracnóide. Magnetic resonance angiography of intracranial aneurysms: comparison study with cerebral angiography ABSTRACT - We studied ... intracranianos entre 1,3% e 7,9%1.2. Acredita-se que 8% da população possuam aneurismas intracranianos e que 20 000 aneurismas cerebrais se rompam por ano nos EUA. A ressonância magnética (RM) e a angiorressonância cerebral são consideradas exames de escolha para prevenção de indivíduos com suspeita de aneurismas intracranianos3. A análise de um grupo
 0  4  6

Ressonância magnética e características clínicas em adultos com doenças desmielinizantes monofásicas: encefalomielite aguda disseminada ou uma variante da esclerose múltipla?.

... Arq Neuropsiquiatr 1999;57(3-B): 853-859 RESSONÂNCIA MAGNÉTICA E CARACTERÍSTICAS CLÍNICAS EM ADULTOS COM DOENÇAS DESMIELINIZANTES MONOFÁSICAS ENCEFALOMIELITE AGUDA DISSEMINADA OU UMA VARIANTE DA ESCLEROSE MÚLTIPLA ? FABIANO REIS*, ... (ADEM) é doença monofásica inflamatória difusa do sistema nervoso central, que geralmente ocorre após infecção ou vacinação. Neste estudo, apresentamos a análise da ressonância magnética (RM), líquor e aspectos clínicos de quatro pacientes com diagnóstico presuntivo inicial de ADEM. O achado de lesões desmielinizantes na RM foi importante, mas não por ... quadro clínico quanto para redução ou desaparecimento das lesões na RM. PALAVRAS-CHAVE: encefalomielite aguda disseminada, esclerose múltipla, desmielinização, líquor, ressonância magnética. Magnetic resonance imaging and clinical features in adults with monophasic demyelinating diseases: acute disseminated encephalomyelitis or a variant of multiple sclerosis?
 0  4  7

Estudo por ressonância magnética da região da pineal: pineal normal e cistos simples.

... Arq Neuropsiquiatr 1998;56(2):237-244 ESTUDO POR RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DA REGIÃO DA PINEAL PINEAL NORMAL E CISTOS SIMPLES JOSÉ GUILHERME CALDAS*, DOMINIQUE DOYON**, HENRIQUE LEDERMAN***, ROBERT CARLIER**** RESUMO - Realiza-se um estudo por ressonância magnética da pineal normal e dos cistos simples da pineal e estabelece-se um protocolo ... igual ao líquido cefalorraquidiano e ausência de crescimento dos cistos. PALAVRAS–CHAVE: cistos da pineal, glândula pineal, tumores encefálicos, radiodiagnóstico, ressonância magnética. Magnetic resonance study of the pineal region: normal pineal gland, simple cysts ABSTRACT - A magnetic resonance imaging (MRI) study of the normal pineal gland and ... nervosas, vasos e depósitos de cálcio7. As calcificações da pineal são visibilizadas desde as primeiras radiografias do crânio, porém somente a alta sensibilidade da ressonância magnética (RM) permitiu a visibilização da própria glândula, do seu conteúdo e das estruturas que a envolvem. Os cistos da pineal, sem características histológicas neoplásicas,
 0  46  8

Análises visual e volumétrica por ressonância magnética das formações hipocampais em um grupo de pacientes com diagnóstico clínico de epilepsia do lobo temporal.

... RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DAS FORMAÇÕES HIPOCAMPAIS EM UM GRUPO DE PACIENTES COM DIAGNÓSTICO CLÍNICO DE EPILEPSIA DO LOBO TEMPORAL ÊNIO ROGACHESKI*, SÉRGIO MAZER*, DIRCEU RODRIGUES**, PAULO ROGÉRIO MUDROWICH DE BITTENCOURT*** RESUMO – Visando comparar a sensibilidade da avaliação volumétrica com a análise visual na avaliação por ressonância magnética (RM) ... indicam a utilidade da volumetria hipocampal como uma medida suplementar, objetiva e quantitativa, de esclerose hipocampal. PALAVRAS-CHAVE: epilepsia do lobo temporal, ressonância magnética, hipocampo. Visual and volumetric analyses of the hippocampal formations of a group of patients with clinical diagnosis of temporal lobe epilepsy ABSTRACT – The purpose ... submetida pelo primeiro autor ao Mestrado de Medicina Interna (Área: Radiologia) do Departamento de Clínica Médica da UFPR, em 1995 e foi realizado no Departamento de Ressonância Magnética da Liga das Senhoras Católicas de Curitiba. Aceite: 28-abril-1998. Dr. Ênio Rogacheski – Rua Prof. Arnaldo Alves de Araújo 138 – 80.740-430 Curitiba PR – Brasil. 420
 0  9  10

Ressonância magnética na mielopatia associada ao HTLV-I: Leucoencefalopatia e atrofia medular.

 0  4  9

Ressonância magnética do envolvimento cerebral na hemiatrofia facial progressiva (doença de Romberg) reconsideração de uma síndrome.

... RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DO ENVOLVIMENTO CEREBRAL NA HEMIATROFIA FACIAL PROGRESSIVA (DOENÇA DE ROMBERG) RECONSIDERAÇÃO DE UMA SÍNDROME K. TERSTEGGE*. B. KUNATH**, S. FELBER***, J.G. SPECIALI****, ... Examinamos três pacientes do sexo feminino com HFP, uma com epilepsia, com o objetivo de obter mais informações sobre a patogênese da doença. Métodos: Realizamos exames de ressonância magnética nuclear (RMN) de rotina da cabeça e face. Resultados: Apenas a paciente com epilepsia apresentou achados patológicos no cérebro. Estes eram confinados ao hemisfério homolateral ... meningoencefalite crônica com acometimento vascular como possível causa do ocasional envolvimento cerebral na HFP. PALAVRAS-CHAVE: hemiatrofia facial progressiva, cérebro, ressonância magnética, esclerodermia localizada da face. Magnetic resonance of brain involvement in progressive facial hemiatrophy (Romberg's disease): reconsidering a syndrome SUMMARY -
 0  5  16

Síntese e caracterização de nanopartículas de óxido de ferro e de grafite magnética fluida (GMF)

... nanopartículas magnéticas, a base de óxido de ferro, e partículas de grafite magnético fluido. O desenvolvimento do trabalho se deu em três etapas: 1) síntese das nanopartículas magnéticas a base de óxido de ferro pelos métodos de sol-gel e co-precipitação; 2) síntese das partículas de grafite magnética fluida; 3) caracterização estrutural, microestrutural e magnética ... magnetização M é proporcional a H através da grandeza adimensional χ , susceptibilidade magnética (medida da resposta magnética de um meio sob a ação de um campo magnético de intensidade r H ) [3-7]: r r M = χH Exclu Exclu (4) O foco principal no estudo das propriedades magnéticas de materiais consiste na determinação de χ e de sua dependência, se houver, ... 4π.10-3Oe-1 Magnéticos Indução Fartos de converssão magnética Campo magnético (Oe) Magnetização M A.m-1 emu.cm-3 1Am-1 = 10-3 emu.cm-3 Susceptibilidade χ m3.kg-1 emu.Oe-1g-1 1m3.kg-1 = 103 Oe-1g-1/4π emu μ0 H.m-1 ---------- 4π.10-7 H.m-1 = 1(cgs) magnética Permeabilidade do vácuo 3.1.2 - Tipos de Materiais Magnéticos A susceptibilidade magnética, assim como a
 0  15  100

Caracterização magnética de filmes de cromo e cromocobalto preparados por eletrodeposição

... de Néel (TN), na qual ocorre à transição de fase antiferromagnética/paramagnética, é de 311 K, e a temperatura de spin/flip (TSF), na qual a polarização da SDW é alterada de longitudinal para transversal (transição de fase magnética AF2/AF1), é de 123,5 K (FAWCETT, 1988). O Cr apresenta 3 fases magnéticas distintas. Fase AF1, nesta o vetor de onda da ... Portanto, ocorre uma transição magnética na amostra, de ferromagnético para paramagnético. A temperatura na qual ocorre esta transição dá/se o nome Temperatura de Curie. De forma semelhante, quando o material tem uma interação antiferromagnética, em T = |TC| ocorre uma transição de fase de antiferromagnética para paramagnética na amostra, a qual é conhecida ... temperatura de Curie como: TC = λC = λ B V p kB (1.37) , a suscetibilidade magnética de Curie/Weiss é obtida: χ CW = C T − TC ou − χ CW = T − TC C . (1.38) Esta expressão descreve razoavelmente bem a variação da suscetibilidade magnética na região paramagnética, acima de TC. A FIGURA 1.3 mostra uma representação esquemática das curvas
 0  4  107

Resposta magnética de supercondutores estruturados: dependência com a granulometria

... Trípodi 19 Capítulo 2 Resposta Magnética de Supercondutores 2.1 Magnetização e Suscetibilidade - AC Com o estudo da resposta magnética de uma amostra é possível investigar características básicas, sejam elas intrínsecas ou decorrentes de defeitos devidos à maneira pela qual a amostra foi produzida. Caracterizar a resposta magnética de um material é importante ... Crítica de Amostras Granulares ............................................................... 32  4.2. Suscetibilidade Magnética Dependente da Pressão ....................................................... 33  4.3. Suscetibilidade Magnética Dependente do Tamanho dos Grãos................................... 36  4.4. Retenção de Fluxo Magnético ....................................................................................... ... ................................................................................................................. 34  Figura 20. Resposta diamagnética de amostras com grãos entre 20 e 25 μm para diferentes pressões de compactação do pó. ............................................................................................... 35  Figura 21. Curvas da componente imaginária da suscetibilidade magnética para amostras com grãos entre 20 e 25
 0  2  78

Caracterização magnética do compósito multiferróico (1-x)Pb(Mg1/3Nb2/3)-xPbTiO3/NiFe2O4

... ferroelétrica; compósito 2-2 laminado, que é a combinação de camadas ferromagnéticas e ferroelétricas formando um sanduíche e o compósito 1-3 que são pequenos fios de uma fase ferromagnética (ferroelétrica) imerso em uma matriz ferroelétrica (ferromagnética) (Figura Caracterização magnética do compósito multiferróico (1-x)Pb(Mg1/3Nb2/3)-xPbTiO3/NiF... ... magnéticas, em particular a ferromagnética [6]. Alguns compostos como os BiMnO3 e o BiFeO3, que possuem íons magnéticos como o Mn+3 e Fe+3 apresentam fase ferroelétrica. No caso do BiMnO3 a sua transição ferroelétrica é TFE = 800 K e a transição ferromagnética é TFM = 110 K. Abaixo dessa temperatura ocorre a Caracterização magnética do compósito multiferróico ... estar. Somente há uma década atrás verificou-se que a ordem magnética poderia levar a criar um estado supercondutor [11]. Como se fosse uma coincidência, recentemente foi observado por Kimura et. al [12] que a ordem magnética pode criar um estado ferroelétrico e que este também pode induzir a formação de fases magnéticas [13, 14]. Materiais ferroelétricos exibem polarização
 0  4  84

Documento similar