Feedback

Tripsina Inibidores

Avaliações imunogenéticas do desenvolvimento de anticorpos inibidores do fator VIII na hemofilia A

... 06 1.4. Anticorpos inibidores do FVIII na hemofilia A.......................................... 06 1.5. Etiologia dos inibidores anti-FVIII............................................................. 07 1.6. Imunobiologia dos inibidores anti-FVIII..................................................... 10 1.7. Mecanismo de ação dos inibidores. ............................................................. ... Imunogenética da produção de inibidores. .................................................. 13 1.10. Polimorfismos nos genes de citocinas....................................................... 14 1.11. Tratamento na presença de inibidores anti-FVIII...................................... 16 1.12. Perspectivas terapêuticas na presença de inibidores. ................................ ... recombinante. 1.4. ANTICORPOS INIBIDORES DO FVIII NA HEMOFILIA A Aproximadamente 25% dos pacientes com HA grave (atividade de FVIII < 1%) e 15% dos pacientes com HA moderada ou leve (BAYRY et al., 2003) podem desenvolver anticorpos inibidores ao longo do tratamento de reposição protéica. De uma forma geral, 10-40% dos pacientes hemofílicos apresentam inibidores capazes
 0  2  118

Ditiocarbamatos derivados do glicoluril, ácido úrico, ácido parabânico e hidantoína: compostos de coordenação e uso como inibidores de corrosão do bronze

... modificação do meio corrosivo através do uso de inibidores de corrosão. “Inibidor é uma substância ou mistura de substâncias que, quando presente em concentrações adequadas, no meio corrosivo, reduz ou elimina a corrosão.”1 Os inibidores de corrosão podem ser classificados pelo seu comportamento como inibidores catódicos (reprimem as reações catódicas ... hidantoína: compostos de coordenação e uso como inibidores de corrosãodo bronze./ João Cura D’Ars Figueiredo Junior. 2008. 15, 210 p.: il. Orientador: Vito Modesto De Bellis. Tese – (Doutorado) – Universidade Federal de Minas Gerais. Departamento de Química. 1.Química Inorgânica- Teses 2.Ditiocarbamatos– Teses 3 .Inibidores de Corrosão - Teses I.De Bellis, ... espectrometria de energia dispersiva (EDS). Taxas de corrosão e eficiência de inibição foram calculadas através dos ensaios e os pré-ligantes se apresentaram como inibidores mistos. A formação dos filmes dos inibidores sobre o bronze foi estudada através de isotermas de adsorção, espectroscopia no infravermelho por absorção e reflexão (IRRAS) e voltametria cíclica.
 0  2  211

Ensaios enzimáticos com serino proteases: a) calicreína tecidual do rato; b) ß-tripsina bovina

... catalisada pela β -tripsina bovina, na ausência e na presença de 4-NAn.. 90 FIGURA 5 Gráfico de Lineweaver-Burk para hidrólise do substrato D-Val-Leu-Arg-Nan, catalisada pela β -tripsina bovina, na ausência e na presença de 4-NAn...91 FIGURA 6 Gráfico de Hanes-Woolf para hidrólise do substrato D-Val-Leu-Arg-Nan, catalisada pela β -tripsina bovina, ... Calicreína tecidual do rato; b) β -Tripsina bovina / Cláudia Morais Vivas. – 2007. 114 f. : il. Orientador: Prof. Amintas Fabiano de Souza Figueiredo Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Minas Gerais. Faculdade de Farmácia. Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas. 1.Calicréina - Teses. 2. Tripsina - Teses. I. Figueiredo, ... ......................................................................... 47 3.4.4 Ativação da pré-calicreína tecidual nos extratos dos pós renal e de coração do rato com a β -tripsina bovina ....... 50 3.4.5 Determinação da atividade amidásica da calicreína tecidual do rato após ativação da pré-calicreína pela β -tripsina .. 51 4 RESULTADOS ...................................................................... 55 4.1
 0  3  114

Estudo termodinâmico da estabilidade do tripsinogênio e da -tripsina e de suas interações interdomínios

... da Tripsina, reação esta catalisada pela 25 enteroquinase e pela própria Tripsina β, recém formada (autólise) (Bode et al., 1976) (Figura 2). Val-Asp-Asp-Asp-Asp-Lys Tripsinogênio β -Tripsina α -Tripsina ψ -Tripsina Enteroquinase *Clivagem *Clivagem Figura 2: Conversão de Tripsinogênio em isoformas de Tripsina. *A β -Tripsina ... isoforma 57 4.3. Teste de pureza de β -Tripsina por espectrometria de massa. 57 4.4. Atividade amidásica de isoformas de Tripsina. 59 4.4.1. Atividade amidásica específica de Tripsina e de beta e alfa 60 Tripsina. 4.5. Titulação do centro ativo 60 4.6. Microcalorimetria de Tripsinogênio e β -Tripsina em meio ácido 61 4.7. Efeitos ... pontos de clivagem na passagem de Tripsinogênio para as isoformas ativas de Tripsina. I- tripsinogênio, II- Beta Tripsina , III Alfa Tripsina , IV pseudotripsina (psi) (Keil, 1971). Segundo Smith & Shaw (1969), uma nova clivagem entre os resíduos Lys 169 e Ser 170 resulta na forma ψ -Tripsina, que possui três cadeias polipeptídicas interligadas por pontes
 0  2  115

Fatores preditivos de resposta aos inibidores da colinesterase, dosagem da concentração plasmática de donepezila e avaliação farmacogenética em pacientes com doença de Alzheimer e demência mista: estudo naturalístico

... Brasileiro de Geografia e Estatístico IC – Intervalo de confiança IChE – inibidores da colinesterase ILPI – Instituição de Longa permanência IM – metabolizadores intermediários IMC – índice de massa corporal INR – International normalized ratio IRSS – Inibidores de receptação da serotonina IRNS – inibidores de receptação da noradrenalina e da serotonina MBR – ... Miranda FATORES PREDITIVOS DE RESPOSTA AOS INIBIDORES DA COLINESTERASE, DOSAGEM DA CONCENTRAÇÃO PLASMÁTICA DE DONEPEZILA E AVALIAÇÃO FARMACOGENÉTICA EM PACIENTES COM DOENÇA DE ALZHEIMER E DEMÊNCIA MISTA: ESTUDO NATURALÍSTICO Belo Horizonte 2015 Luís Felipe José Ravic de Miranda FATORES PREDITIVOS DE RESPOSTA AOS INIBIDORES DA COLINESTERASE, DOSAGEM ... Área de concentração: Ciências Clínicas. Tese (doutorado): Universidade Federal de Minas Gerais, Faculdade de Medicina. 1. Doença de Alzheimer. 2. Resultado do Tratamento. 3. Inibidores de Colinesterase. 4. Polimorfismo Genético. 5. Dissertações Acadêmicas. I. Caramelli, Paulo. II. Moraes, Edgar Nunes de. III. Universidade Federal de Minas Gerais, Faculdade
 0  2  212

Metaloproteinases 2 e 9: expressão, inibidores teciduais e inibição por extratos naturais no carcinoma de células basais e carcinoma espinocelular

... das MMPs............................................................ 15 1.3.1 – Inibidores de metaloproteinases teciduais (TIMPs)........................ 15 1.3.2 – Inibidores naturais de MMPs............................................................ 17 1.3.3 – Inibidores naturais da carcinogênese................................................ ... desta família de inibidores, e apresentam atividade inibitória contra as formas ativas de toda a família de MMP(10, 7), embora a TIMP-1 forme preferencialmente complexo com a MMP-9, enquanto que TIMP-2 atue sobre a MMP-2. Ambos os inibidores têm atividade mitogênica em um grande número de tipos celulares, enquanto que superexpressão desses inibidores reduz ... Expressão de metaloproteinases de matriz e de seus inibidores teciduais em carcinomas basocelulares ........................................................................................................ 29 4.2 – Artigo científico a ser submetido a publicação em periódico: Imunolocalização de MMP-2, -9 e de seus inibidores teciduais TIMP-2 e TIMP-1 em carcinomas
 0  2  124

Participação da tripsina e do receptor ativado por protease (PAR)-4 no recrutamento de neutrófilos em modelo de pleurisia experimental

... Preparo da solução de tripsina As concentrações de tripsina utilizadas na curva dose resposta foram 0.1, 1.0 e 10 !g/0.1 mL (Figura 05). Sendo assim, foram diluídos 100 mg de tripsina em 1 mL de PBS estéril de onde foram retiradas alíquotas para fazer as soluções com as doses citadas. Após a construção da curva, a suspensão de tripsina com concentração ... pré-tratamento dos animais com aprotinina ou com o antagonista seletivo de PAR-4, tcY-NH2, inibiu a migração de neutrófilos induzida por carragenina ou por tripsina. O recrutamento de neutrófilos induzido pela tripsina foi também inibido após tratamento com antagonista de leucotriena(LT)B4. A administração intrapleural de um peptídeo ativador de PAR-4, LTB4 ... pleural de camundongos, 4 horas após desafio com tripsina (0.1, 1, 10 !g/0.1 mL...............................................................................................................................40 Figura 6. Migração de neutrófilos para a cavidade pleural de camundongos , 4 horas após desafio com tripsina (0.1, 1, 10 !g/0.1 mL).............................................................................................................................41 Figura
 0  6  97

Análise qualitativa das alterações anatomopatológicas na mucosa gástrica decorrentes da terapêutica prolongada com inibidores da bomba de prótons: estudos experimentais x estudos clínicos.

... gástricos. Objetivo: Apresentar uma análise qualitativa das alterações antomopatológicas da mucosa gástrica decorrentes do uso prolongado dos inibidores da bomba de prótons. Métodos – Foram utilizados os descritores inibidores da bomba de prótons, lesões pré-neoplásicas e neoplasias gástricas para revisão não sistemática narrativa da literatura, com base ... Ouro Preto, MG, Brasil; 2Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brasil; e 3 Universidade José do Rosário Vellano, Belo Horizonte, MG, Brasil. DESCRITORES - Inibidores da bomba de prótons. Lesões pré-cancerosas. Neoplasias gástricas Correspondência: Iure Kalinine Ferraz de Souza. Email: iurekalinine@gmail.com Fonte de financiamento: ... não há Conflito de interesses: não há Recebido para publicação: 30/01/2013 Aceito para publicação: 30/05/2013 328 RESUMO – Introdução: Há algumas décadas o uso prolongado de inibidores de bomba de prótons tem tido ampla aplicação no tratamento de doenças gastrointestinais. Desde então, entretanto, vários estudos têm alertado para o possível desenvolvimento de
 0  4  7

Prevalência de alterações proliferativas gástricas em pacientes com uso crônico de inibidores de bomba de prótons.

... atual de inibidores de bomba de próton sendo que apenas três (13,6%) participantes manipulavam as medicações. Vinte e um (95,4%) faziam uso de omeprazol e apenas um referiu uso de pantoprazol. ABCD Arq Bras Cir Dig 2010;23(3):145-149 01/10/2010 09:56:33 PREVALÊNCIA DE ALTERAÇÕES PROLIFERATIVAS GÁSTRICAS EM PACIENTES COM USO CRÔNICO DE INIBIDORES ... uso < 24 meses. O tempo mínimo de uso referido foi de três meses. A dose atual e tempo de uso de inibidores de bomba de prótons pelos 22 indivíduos estudados estão descritos na Tabela 2. TABELA 2 - Dose atual e tempo de uso de IBP’s pelos 22 indivíduos estudados Inibidores de bomba de prótons Dose atual
 0  4  5

Detecção de inibidores de tripsina e atividade hemaglutinante em sementes de leguminosas arbóreas da amazônia.

... alguns autores, como por exemplo, para as espécies Inga laurina e Lupinus albus, onde seus inibidores proteolíticos inibiram a atividade da tripsina, mas não da quimotripsina (Macedo et al., 2007; Scarafoni et al., 2008). CHEvREUIl et al. Detecção de inibidores de tripsina e atividade hemaglutinante em sementes de leguminosas arbóreas da amazônia tabela ... occidentalis, Dialium guianense, Inga rubiginosa, Inga umbratica, Inga velutina e Mimosa guillandinae, apresentaram tanto inibidores de quimotripsina como de tripsina, enquanto que Inga fagifolia e Cassia grandis inibiram apenas a atividade da tripsina. Com relação à atividade hemaglutinante, os extratos totais de T. plumbea e S. exasperata, promoveram a hemaglutinação de ... dos extratos totais contra a tripsina bovina, uma serinoproteinase, foi detectada apenas nas espécies T. plumbea e S. exasperata (Tabela 1). No entanto, não se pode afirmar que no extrato protéico de O. costulata não há presença de inibidor de tripsina, uma vez que esta classe inclui outras enzimas proteolíticas como a quimotripsina e elastase, evidenciando,
 0  2  8

O uso de inibidores da enzima conversora de angiotensina e sua relação com eventos no pós-operatório de cirurgia de revascularização miocárdica.

... ARTIGO ORIGINAL Rev Bras Cir Cardiovasc 2011;26(3):373-9 O uso de inibidores da enzima conversora de angiotensina e sua relação com eventos no pósoperatório de cirurgia de revascularização miocárdica The use of inhibitors of angiotensin-converting ... Borges4, Marco Antonio Goldani5, João Batista Petracco6, Jacqueline da Costa Escobar Piccoli7, Luciano CabralAlbuquerque8 DOI: 10.5935/1678-9741.20110011 Resumo Fundamento: Os inibidores da enzima conversora de angiotensina (IECA) reduzem o risco de óbito, infarto agudo do miocárdio (IAM) e acidente vascular encefálico (AVE) em portadores de doença coronariana. ... Porto Alegre, RS, Brasil E-mail: gracianeradaelli@yahoo.com.br Artigo recebido em 12 de maio de 2011 Artigo aprovado em 14 de julho de 2011 373 Radaelli G, et al. - O uso de inibidores da enzima conversora de angiotensina e sua relação com eventos no pós-operatório de cirurgia de revascularização miocárdica Rev Bras Cir Cardiovasc 2011;26(3):373-9 (10,3
 0  5  7

Há irracionalidades no consumo de inibidores de apetite no Brasil? Uma análise farmacoeconométrica de dados em painel.

... recorrente de inibidores, 79% são explicados pelo ocorrido no passado. Dentre as variáveis que explicam o consumo de inibidores, destacam-se os percentuais de adultos com obesidade e que dos que consomem frutas e hortaliças e a taxa de cobertura de planos de saúde. A análise farmacoeconométrica sugere que há problemas no uso racional dos inibidores de ... 0,20% no consumo de inibidores do apetite no conjunto das unidades analisadas. No caso da lnPLS, uma variação positiva na taxa percentual de cobertura de planos de saúde, de 1%, produz uma elevação média de 0,81% no consumo de inibidores de apetite (Tabela 2). A variável defasada lnCIA(-1) demonstrou que aproximadamente 79% do consumo de inibidores de apetite ... foi observado um descompasso entre o consumo de inibidores de apetite e a frequência de pessoas com excesso de peso e obesas em várias capitais brasileiras. Verificou-se também uma forte correlação inversa entre o consumo de inibidores de apetite e pacientes referidos como obesos. Esse quadro sugere que os inibidores de apetite têm sido utilizados por
 0  4  12

O uso de inibidores de apetite por mulheres: um olhar a partir da perspectiva de gênero.

... ARTIGO ARTICLE O uso de inibidores de apetite por mulheres: um olhar a partir da perspectiva de gênero The use of apetite inhibitors by women: an insight based on the gender perspective 2523 Cristiane ... words Body, Gender, Appetite suppressants, Femininity Resumo O presente estudo teve como objetivo compreender os motivos que levam mulheres adultas a utilizar medicamentos inibidores do apetite e verificar, a partir da ótica de gênero, como se estabelece a relação dessas mulheres com seus próprios corpos. Orientado pelos princípios da pesquisa qualitativa, ... divergem das normas científicas objetivas tradicionais20. Nesse contexto, o objetivo do presente estudo foi compreender os motivos que levam mulheres adultas a utilizar medicamentos inibidores do apetite e o que há por trás do desejo de se ter um corpo magro. Objetivou-se, também, compreender as concepções de corpo feminino em situações concretas, mais especificamente
 0  5  10

Inibição da tripsina de bicho-mineiro do cafeeiro por um fator não-protéico presente em extratos de folhas de mamona.

... Maria Patto de Abreu2, Luciano Vilela Paiva2 RESUMO Inibidores de tripsina representam uma estratégia de controle de insetos e, por isso, a identificação e caracterização desses inibidores são etapas muito importantes para que novas formas de controle de pragas sejam desenvolvidas. Os inibidores de tripsina atuam na digestão primária de proteínas e ... de tripsina utilizando extratos de folhas de mamona pode ser observado para o lepidóptero S. frugiperda, cuja tripsina foi inibida em 2,49 + 0,8 UTI. Esse valor representa 35,7 + 6,9% da tripsina de S. frugiperda inibida e é semelhante ao valor obtido para o bicho-mineiro do cafeeiro (Figura 1). Já o teste de inibição de tripsina realizado com tripsina ... estabilidade quando submetido ao calor. Como os inibidores de tripsina protéicos podem ser termorresistentes, outro tratamento foi realizado no extrato de folhas de mamona. Esse tratamento consistiu em adicionar b-mercaptoetanol 0,2% e posterior fervura por 5 min. Inibição da atividade da tripsina bovina Testes com tripsina bovina (4 mg/200mL HCl 0,001 N)
 0  3  6

Sistemas de efluxo multidrogas em Escherichia coli e uso de inibidores como possíveis adjuvantes na terapia da mastite bovina.

... efluxo, embora a resistência nestes fosse indetectável pelo método do antibiograma. Qualquer alteração nos valores das CIMs (valores abaixo da CIM na ausência de inibidores) dos isolados na presença dos inibidores foi considerada resultado positivo pela metodologia adotada no trabalho. Tabela 1. Concentração inibitória mínima (CIM) dos antimicrobianos em ... caldo Muller Hinton, nos isolados de Escherichia coli resistentes, na ausência e presença de PAβN e NMP CIM µg/mL Isolados Antimicrobianos Ausência de inibidores Presença de inibidores PAβN NMP 13 Ampicilina Sulfametoxazol∕trimetoprim 250 1500 230 1480 240 1500 21 Ampicilina Sulfametoxazol∕trimetoprim 250 ... resistência bacteriana às sulfas (Acar e Moulin, 2006). No trabalho realizado por Kern et al. (2006) com E. coli, ao compararem diferentes inibidores, entre eles o NMP e o PAβN, os autores observaram que, na presença desses inibidores nas concentrações de 50mg/L e 100mg/L, respectivamente, o PAβN diminuiu até 16 vezes a CIM de oxacilina, rifampicina, cloranfenicol
 0  5  7

Relação entre Inibidores da Enzima de Conversão da Angiotensina e Troponina na Síndrome Coronariana Aguda.

... Artigo Original Relação entre Inibidores da Enzima de Conversão da Angiotensina e Troponina na Síndrome Coronariana Aguda Association between Angiotensin-Converting Enzyme Inhibitors and Troponin in Acute ... maior causa de mortalidade no mundo ocidental, devendo seu tratamento ser otimizado, para a redução de eventos adversos graves. Objetivo: Determinar o efeito do uso prévio de inibidores da enzima de conversão da angiotensina na mensuração da troponina I cardíaca em pacientes com síndrome coronariana aguda sem supradesnivelamento do segmento ST (SCASST), ... síndrome coronariana aguda sem supradesnivelamento do segmento ST (SCASST). Foram analisadas variáveis clínicas, eletrocardiográficas e laboratoriais, com ênfase no uso prévio de inibidores da enzima de conversão da angiotensina e dosagem de troponina I cardíaca. Foram usados os testes qui quadrado de Pearson ou exato de Fischer , além do teste não paramétrico
 0  3  8

Análise da variabilidade da freqüência cardíaca em pacientes hipertensos, antes e depois do tratamento com inibidores da enzima conversora da angiotensina II.

... Tratamento com Inibidores da Enzima Conversora da Angiotensina II Ant ônio da Silva M enezes Júnior, Humbert o Graner M oreira, M urilo Tavares Daher Goiânia, GO Objetivo Comparar a variabilidade de freqüência cardíaca em indivíduos normotensos e hipertensos e observar o comportamento do sistema nervoso autônomo após terapia com inibidores da enzima ... tratamento com anti-hipertensivos do tipo inibidores de enzima conversora de angiotensina II, observamos uma recuperação notável de todas as variáveis de variabilidade da freqüência cardíaca inicialmente avaliadas. A recuperação do tônus parassimpático, antes diminuído nos pacientes do grupo C, decorrente do uso de inibidores de enzima conversora de angiotensina ... ainda, que os inibidores da enzima conversora de angiotensina II recuperam substancialmente a atividade desse reflexo. Além disso, deve se considerar outros efeitos fisiológicos decor- 167 Arquivos Brasileiros de Cardiologia - Volume 8 3 , Nº 2 , Agosto 2 0 0 4 Variabilidade da freqüência cardíaca em hipertensos rentes do uso de inibidores
 0  2  4

Terapia combinada de colestiramina e inibidores da HMG-CoA redutase na prevenção secundária da doença coronária.

... Arq Bras Cardiol volume 70, (nº 3), 1998 ArtigoNoOvarzzigi iencaoll Colestiramina e inibidores da HMG-CoA redutase na prevenção secundária Terapia Combinada de Colestiramina e Inibidores da HMGCoA Redutase na Prevenção Secundária da Doença Coronária José Paulo Novazzi, Leonor do Espírito Santo de Almeida ... Martinez São Paulo, SP Objetivo - Avaliar as alterações obtidas no perfil lipídico de coronariopatas dislipidêmicos, após a adição de colestiramina, em pacientes tratados com inibidores da HMG-CoA redutase, e que não atingiram os valores ideais de LDL-colesterol. Métodos - Vinte coronariopatas (12 submetidos à revascularização do miocárdio, 3 à angioplastia ... sobre o perfil lipídico semelhantes àqueles obtidos quando esses fármacos são utilizados, isoladamente, ou em associação, e em doses mais elevadas. Palavras-chave: colestiramina, inibidores da HMG-CoA redutase, prevenção secundária Combined Therapy with Cholestyramine and HMG-CoA Reductase Inihibtors in Secondary Prevention of Coronary Disease Purpose
 0  6  4

Controle da volatilização de inibidores voláteis de corrosão através de suporte de alumina

... substâncias era difícil, principalmente em ambientes com baixas temperaturas. Desta forma, durante a Segunda Guerra Mundial, foram desenvolvidos inibidores que atuavam em fase vapor[4]. Estes inibidores, conhecidos como inibidores voláteis de corrosão (IVC), têm como principal característica, alta pressão de vapor, o que lhes conferem grande volatilidade. ... revisão bibliográfica 2.1. Polêmicas ambientais envolvendo inibidores de corrosão Mesmo apresentando alta eficiência no combate à corrosão, muitos inibidores voláteis até recentemente utilizados foram substituídos devido a algumas polêmicas que envolvem a composição química destes protetores. Uma delas é que estes inibidores voláteis continham nitrito em sua composição. ... pelas propriedades inibidoras do íon nitrito. 2.2. Importância da pressão de vapor na eficiência de inibidores. Os inibidores voláteis de corrosão que serão estudados durante o desenvolvimento deste trabalho possuem alta pressão de vapor. Em geral, estes inibidores são sólidos que sublimam. Tal processo ocorre porque, em qualquer temperatura, uma fração
 0  8  117

Hidrólise controlada de proteínas de soro lático usando tripsina e quimotripsina imobilizadas em diferentes suportes.

... de derivados de tripsina (sobre sepabeads, quitosana e agarose) e quimotripsina (apenas sobre agarose), estudo da hidrólise seqüencial das proteínas do soro com tripsina e quimotripsina imobilizadas sobre gel glioxil- agarose e investigação da cinética da hidrólise dessas proteínas com quimotripsina imobilizada sobre agarose. Derivados tripsina- sepabeads ... Inativação Térmica de Tripsina e Quimotripsina Solúveis e Imobilizadas sobre Glioxil- Agarose....... 71 3.2.3.3.4. Inativação de Tripsina e Quimotripsina a pH Alcalino.................................................................... 72 3.2.3.3.5. Influência da Temperatura e do pH na Atividade de Hidrólise para Tripsina e Quimotripsina.................. ... Imobilização de Tripsina e Quimotripsina sobre Glioxil- Agarose com Tempo de Contato Reduzido entre Enzima-Suporte Ativado................ 108 4.3.3. Inativação Térmica de Tripsina e Quimotripsina Solúveis e Imobilizadas sobre Glioxil- Agarose...................................................... 109 4.3.4. Inativação a pH Alcalino para Tripsina e Quimotripsina
 0  15  217

Determinação do coeficiente cromatográfico de partição, log kw, de inibidores da bomba H+/K+ - ATPase

 0  1  1

Fitoquímica de Raputia praetermissa (Rutaceae) e busca por candidatos a herbicidas inibidores da fotossíntese a partir de produtos naturais

... CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE QUÍMICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA FITOQUÍMICA DE Raputia praetermissa (RUTACEAE) E BUSCA POR CANDIDATOS A HERBICIDAS INIBIDORES DA FOTOSSÍNTESE A PARTIR DE PRODUTOS NATURAIS THIAGO ANDRÉ MOURA VEIGA* Tese apresentada como parte dos requisitos para a obtenção do título de DOUTOR EM CIÊNCIAS, ... catalográfica elaborada pelo DePT da Biblioteca Comunitária/UFSCar V426fr Veiga, Thiago André Moura. Fitoquímica de Raputia praetermissa (Rutaceae) e busca por candidatos a herbicidas inibidores da fotossíntese a partir de produtos naturais / Thiago André Moura Veiga. -São Carlos : UFSCar, 2008. 276 f. Tese (Doutorado) -- Universidade Federal de São Carlos, 2008. 1. ... exterior, que foi de fundamental importância para o meu crescimento pessoal e profissional. RESUMO FITOQUÍMICA DE Raputia praetermissa (Rutaceae) E BUSCA POR CANDIDATOS A HERBICIDAS INIBIDORES DA FOTOSSÍNTESE A PARTIR DE PRODUTOS NATURAIS – A espécie R. praetermissa é nativa da Amazônia. Planta recentemente classificada, não apresenta dados biológicos e/ou
 0  10  310

Desenvolvimento de métodos por cromatografia líquida de alta eficiência muldimensional para validação do uso do biorreator gliceraldeído-3-fosfato desidrogenase de Trypanosoma cruzi para triagem de inibidores

... gliceraldeído-3-fosfato desidrogenase de Trypanosoma cruzi para triagem de inibidores / Marcela Cristina de Moraes. -- São Carlos : UFSCar, 2008. 106 f. Dissertação (Mestrado) -- Universidade Federal de São Carlos, 2008. 1. Cromatografia líquida de alta eficiência. 2. Imobilização de enzimas. 3. Inibidores enzimáticos. 4. Chagas, Doença de. 5. GAPDH. I. Título. CDD: ... GAPDH como alvo na busca de novos agentes tripanocidas...14 1.4. Cinética enzimática....................................................................................17 1.5. Inibidores enzimáticos ...............................................................................21 1.5.1. Inibição irreversível ................................................................................21 1.5.2. ... tempo decorrido após o processo de imobilização .......................................................90 4.9. Desenvolvimento de um ensaio para o estudo da reversibilidade dos inibidores identificados.....................................................................................92 >. # ? ...................................................................................................@< A. $ 1' B ..........................................................................@A VIII 3 1 3 C*1 λ Comprimento
 0  11  125

Síntese de uma coleção de cumarinas, possíveis inibidores da enzima acetilcolinesterase

... em anestesias ou no tratamento da miastenia gravis, glaucoma e doença de Alzheimer (MUSIAL et al., 2007). 1.3. Inibidores da Acetilcolinesterase Alguns medicamentos empregados para o tratamento da Doença de Alzheimer disponíveis no mercado são inibidores da AChE (Figura 2).   Figura 2. Medicamentos usados no tratamento da Doença de Alzheimer. A fiostigmina ... Liu.   1.6. Cromatografia por Afinidade   A necessidade de novos fármacos tem estimulado a pesquisa pela busca de compostos que atuem como inibidores enzimáticos (COPELAND, 2005), e a triagem de substratos e/ou inibidores que se liguem seletivamente à enzima em estudo torna-se interessante para a indústria farmacêutica. No entanto, há a necessidade ... método para o estudo de inibição foi comprovada utilizando inibidores conhecidos da AChE e os biorreatores foram aplicados aos estudos de determinação da capacidade inibitória IC50 (concentração do inibidor capaz de reduzir pela metade a banda do produto obtida em condições de saturação) dos inibidores selecionados e na determinação do mecanismo de ação
 0  4  161

Estudo de produtos naturais e derivados sintéticos buscando inibidores seletivos das catepsinas L e V

... placa de Elisa  xvi    17  35  35  4  3.8.2  Triagem de inibidores frente a catepsina L e V  36  3.8.3  Determinação da potência dos inibidores (IC50)  37  3.8.4  Determinação da seletividade (S)  38  3.8.5  Determinação do Mecanismo de Ação  38  3.8.6  Modelagem Molecular dos inibidores frente a catepsina L e V  39  RESULTADOS E DISCUSSÕES  4.1  41  Atividade ... demonstram que estes potentes inibidores são capazes de, não somente prevenir a reabsorção óssea, como também permitir sua reformulação (PALERMO & JOYCE, 2007). Além disto, testes clínicos que utilizam os inibidores da Novartis AFG-495 e GSK reduziram , de modo experimental, a metástase óssea (GAUTHIER et al., 2008). Alguns inibidores baseados na catepsina ... Finco. Estudo de produtos naturais e derivados sintéticos buscando inibidores seletivos das catepsinas L e V / Emerson Finco Marques. -- São Carlos : UFSCar, 2011. 135 f. Dissertação (Mestrado) -- Universidade Federal de São Carlos, 2011. 1. Produtos naturais. 2. Catepsinas lisossomais. 3. Inibidores enzimáticos. 4. Gênero Zanthoxylum. 5. Alcalóides. I.
 0  2  152

Documento similar