Radiofármacos Derivação Gástrica

Avaliação dos fatores de risco, evolução e frequência das infecções nas cirurgias nas cirurgias de derivação ventriculo peritoneal

... ventriculares internas e externas (DVE). Dentre as derivações internas citam-se a derivação ventrículo-peritoneal (DVP), a derivação ventrículo-atrial e ainda as derivações para a cavidade pleural, vesícula biliar ou ureter, sendo DVP a mais comum (DETWILLER et al., 1999). Os procedimentos de derivação liquórica são bastante frequentes e representam um gasto de ... OMS SNC SUS - LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS Agencia Nacional de Vigilância Sanitária Comissão de Controle de Infecção Hospitalar Center for Diseases Control Derivação Ventrículo Peritoneal Derivação Ventricular Externa Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde Infecção de Sítio Cirúrgico ... MEDICINA AVALIAÇÃO DOS FATORES DE RISCO, EVOLUÇÃO E FREQUÊNCIA DAS INFECÇÕES NAS CIRURGIAS DE DERIVAÇÃO VENTRÍCULO PERITONEAL FABIANA GUERRA PIMENTA Belo Horizonte 2015 FABIANA GUERRA PIMENTA AVALIAÇÃO DOS FATORES DE RISCO, EVOLUÇÃO E FREQUÊNCIA DAS INFECÇÕES NAS CIRURGIAS DE DERIVAÇÃO VENTRÍCULO PERITONEAL Dissertação apresentada ao Programa de Pósgraduação
 0  2  67

Colecistolitíase em pacientes submetidos à derivação gástrica em Y de Roux com anel: estudo prospectivo

 0  3  110

Densidade de células parietais e endócrinas da mucosa gástrica do corpo (oxíntica) de mulheres com e sem osteoporose primária

... FIGURAS E QUADROS FIGURA 1. Mucosa gástrica oxíntica sem alterações histopatológicas relevantes (normal), A - corpo, B - antro, HE, 50X.. FIGURA 2. Mucosa gástrica oxíntica evidenciando gastrite crônica ativa com sinais de atrofia glandular, A - corpo, B – antro, HE, 50X. FIGURA 3. Células parietais da mucosa gástrica oxíntica, A - sem atrofia, B ... Diagnóstico histológico da mucosa gástrica e prevalência da infecção pelo Hp em 50 mulheres no período do climatério. TABELA 3 Densidade de células parietais, segundo a presença de atrofia na mucosa gástrica de 50 mulheres no período do climatério. TABELA 4 Densidade de células endócrinas, segundo presença de atrofia na mucosa gástrica de 50 mulheres no ... células EC antrais são menos numerosas, apresentam conteúdo serotoninérgico e seu papel fisiológico na mucosa gástrica é desconhecido. A gastrina é o principal peptídeo da mucosa gástrica que regula a secreção ácida em suas três fases: cefálica, gástrica e intestinal, e estimula a proliferação dos componentes da mucosa do corpo gástrico. Por outro lado,
 0  2  82

Estudo histopatológico e imuno-histoquímico da mucosa gástrica de gerbils (Meriones unguiculatus) infectados por linhagens de Helicobacter pylori com diferentes ilhas de patogenicidade

... Parietais HCl Células G + Gastrina + + Células ECL - Células D Somatostatina - 4 Figura 1 – Esquema dos mecanismos da secreção ácida gástrica. 2.2 Aspectos Morfológicos da Mucosa Gástrica do Gerbil A mucosa gástrica do gerbil, assim como a de outros mamíferos, tais como a do rato, do camundongo e a do porco, é constituída por uma região proximal ... somatostatina, e consequentemente, reduzindo a inibição das células G para a estimulação da secreção ácida gástrica pelas células parietais. 2.6 Infecção pelo Helicobacter pylori e alterações nas mucinas gástricas A barreira protetora da mucosa gástrica é composta de uma camada constituída por muco e bicarbonato, uma barreira epitelial impermeável e ... MUC1 e MUC5AC da mucosa gástrica antral de gerbils infectados por linhagens de H. pylori CagA positivas contendo um ou três sítios de fosforilação C.................................................................................... 30 33 36 38 vii LISTA DE FIGURAS Figura 1 - Esquema dos mecanismos da secreção ácida gástrica. .............................
 0  3  120

Gastrite atrófica do corpo: estudo das alterações histopatológicas da mucosa gástrica e relação com auto- imunidade e níveis séricos de gastrina

... características laboratoriais e as alterações na distribuição do componente endócrino da mucosa gástrica, em pacientes com gastrite crônica atrófica predominante do corpo. REVISÃO DA LITERATURA 25 2.1 Mucosa gástrica normal A histologia da mucosa gástrica humana apresenta três compartimentos bem definidos: a mucosa do cárdia, do corpo e do ... camundongo e o porco, outras células, entre elas as células principais e as células mucosas, podem produzir fator intrínseco. Na mucosa gástrica, as células se organizam formando as glândulas gástricas. Mais de 75% das glândulas gástricas ocorrem na mucosa oxíntica. As glândulas oxínticas são glândulas tubulosas, ramificadas ou não, e secretam ácido clorídrico, ... secreção ácida gástrica é determinada, portanto, pelo controle neural, representado pelo arco vagal e pelo controle hormonal, endócrino e parácrino, que envolve a liberação de mediadores estimulatórios e inibitórios presentes nas células endócrinas da mucosa gástrica (KONTUREK, 2003). Quando o alimento chega ao estômago, inicia-se a fase gástrica da secreção
 1  18  105

EFEITOS DE DIFERENTES TEMPOS DE ISQUEMIA GÁSTRICA SOBRE A VIABILIDADE DOS TECIDOS DO CORPO, FUNDO E ANTRO DO ESTÔMAGO DE COELHOS.

... Isquemia gástrica representa importante desafio médico e geralmente é decorrente de processos vasculares obstrutivos ou não-obstrutivos. Apesar da rica arcada vascular do estômago, lesões de isquemia gástrica têm sido observadas. Quando a isquemia progride, pode culminar em necrose do órgão. Objetivo: Avaliar os efeitos dos diferentes tempos de isquemia gástrica ... consequências da isquemia gástrica aguda. O objetivo deste trabalho foi estudar os efeitos agudos sobre os diferentes tecidos da parede gástrica resultantes da obstrução simultânea de vasos responsáveis pela irrigação arterial e drenagem venosa do estômago de coelhos, enfocando um modelo experimental de necrose hemorrágica gástrica. I ABCD Arq Bras ... tornaram-se mais intensas com o aumento do tempo de isquemia gástrica. Edema e congestão de vasos foram observados na mucosa, submucosa e muscular das três regiões gástricas em todos os animais operados. Necrose da mucosa do corpo e do fundo ocorreu em todos os animais com 3 h de isquemia gástrica (grupo 1) e apenas um coelho apresentou necrose da camada muscular
 0  5  4

Perda insuficiente de peso e ou ausência de remissão da diabete melito tipo 2 após a derivação gástrica em Y-de-Roux: fatores que podem influenciar os resultados insatisfatórios.

... Doenças Relacionadas do Hospital Universitário da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN, Brasil. DESCRITORES - Obesidade. Derivação Gástrica. Diabetes Mellitus. Hereditariedade. RESUMO - Racional - A derivação gastrojejunal em Y-de-Roux é considerada um dos tratamentos mais eficientes para a manutenção de peso a longo prazo; porém, está ... ABCDDV/915 ABCD Arq Bras Cir Dig 2013;26(2):112-116 Artigo Original PERDA INSUFICIENTE DE PESO E OU AUSÊNCIA DE REMISSÃO DA DIABETE MELITO TIPO 2 APÓS A DERIVAÇÃO GÁSTRICA EM Y-DE-ROUX: FATORES QUE PODEM INFLUENCIAR OS RESULTADOS INSATISFATÓRIOS Insufficient loss of weight and/or absence of DM2 remission after Roux-en-Y gastric bypass: ... considered factors in weight gain. 112 ABCD Arq Bras Cir Dig 2013;(2):112-116 PERDA INSUFICIENTE DE PESO E OU AUSÊNCIA DE REMISSÃO DA DIABETE MELITO TIPO 2 APÓS A DERIVAÇÃO GÁSTRICA EM Y-DE-ROUX FATORES QUE PODEM INFLUENCIAR OS RESULTADOS INSATISFATÓRIOS INTRODUÇÃO Dentre os fatores de risco que podem levar ao reganho de peso os principais
 0  7  5

Motilidade esofágica, sintomas, resultado alimentar e perda de peso após derivação gástrica em Y-de-Roux.

... de peso após a derivação gástrica em Y-de-Roux a fim de avaliar se é possível selecionar a técnica operatória baseada na manometria pré-peratória. MÉTODO Este estudo foi aprovado pelo comitê de ética local. O consentimento informado foi obtido de todos os indivíduos. Duzentos e cinquenta e seis pacientes foram submetidos à derivação gástrica em Y-de-Roux ... são comuns13 adicionado ao fato de haver estreitamento na via de saída gástrica (anastomose calibrada a 1,5 cm) apresentando-se como resistência à passagem do alimento e maior pressão intragástrica14. Outras séries mostram alta prevalência de regurgitação / vômitos após derivação gástrica em Y-de-Roux até 70%15. Hipotonia do EIE também tem sido implicada ... pósoperatórios. Objetivo - Correlacionar a motilidade do esôfago com sintomas pósoperatórios, resultado alimentar e perda de peso após a derivação gástrica em Y de Roux. Método - Cento e catorze pacientes submetidos à derivação foram estudados prospectivamente. Eles não apresentavam sintomas de refluxo gastroesofágico ou doenças que pudessem interferir
 0  3  4

Análise qualitativa das alterações anatomopatológicas na mucosa gástrica decorrentes da terapêutica prolongada com inibidores da bomba de prótons: estudos experimentais x estudos clínicos.

... da mucosa gástrica, decorrentes do uso prolongado desta modalidade terapêutica. Estudos clínicos e experimentais recentes sugerem que estas alterações teriam relação com o desenvolvimento não só de lesões pré-neoplásicas mas, também, de tumores gástricos. Objetivo: Apresentar uma análise qualitativa das alterações antomopatológicas da mucosa gástrica ... lesões pré-neoplásicas e neoplasias gástricas para revisão não sistemática narrativa da literatura, com base nas plataformas Medline, Lillacs e Scielo. Foram selecionados 12 artigos, dentre estudos clínicos (9) e experimentais (3), para análise qualitativa dos resultados apresentados. Resultados: A supressão ácida gástrica por altas doses de inibidores ... metaplasia e adenocarcinoma. Os estudos em humanos, entretanto, apesar de demostrarem hiperplasia de células enterocromafins like, tumores neuroendócrino e atrofia gástrica, não identificaram metaplasia gástrica ou adenocarcinoma. Conclusão Apesar de não ser possível afirmar que o tratamento prolongado com inibidores de bomba de prótons induza ao aparecimento
 0  4  7

Comparação dos níveis plasmáticos de grelina nos períodos pré e pós-operatório em pacientes submetidos à plicatura gástrica associada à fundoplicatura.

... da fome e da saciedade, e por ser secretado em células da mucosa gástrica1 0, local que tem os vasos selados por meio de bisturi ultrassônico e confeccionado uma válvula antirrefluxo tipo Nissen 360º para corrigir a DRGE. Os objetivos deste trabalho nos pacientes submetidos à plicatura gástrica e fundoplicatura foram: 1) pesquisar a diferença nos níveis ... e foram submetidos aos procedimentos cirúrgicos de plicatura gástrica e fundoplicatura por laparoscopia entre novembro de 2011 a fevereiro de 2012. Para o procedimento cirúrgico, foi utilizada a técnica pré-estabelecida de fundoplicatura de Nissen longa9 e, para a realização da plicatura gástrica a técnica descrita em 2010 por Ramos et al.17. Os pacientes ... curvatura gástrica com bisturi ultrassônico Sonosurg Olympusd®, desde 2 cm acima do piloro até o pilar direito do diafragma. Dissecção do esôfago abdominal, mantendo extensão de cerca de 5 cm, com correção da hérnia hiatal. Aproximação dos pilares diafragmáticos com pontos em X com fio de poliéster 2-0 (Ehthibond®), calibrado com sonda nasogástrica nº
 0  2  5

Motilidade esofágica após derivação gástrica em Y-de-Roux para obesidade mórbida: achados à manometria de alta resolução.

... Brasil. DESCRITORES - Obesidade mórbida. Derivação gástrica. Manometria. RESUMO - Racional: A cirurgia bariátrica pode provocar alterações na motilidade esofágica. Entretanto, existe paucidade de estudos com a manometria de alta resolução. Objetivo: Avaliar a motilidade esofágica em pacientes submetidos à derivação gástrica em Y-de-Roux para obesidade ... Bras Cir Dig 2013;26(Suplemento 1):22-25 MOTILIDADE ESOFÁGICA APÓS DERIVAÇÃO GÁSTRICA EM Y-DE-ROUX PARA OBESIDADE MÓRBIDA: ACHADOS À MANOMETRIA DE ALTA RESOLUÇÃO Este estudo visa avaliar a motilidade esofágica através da análise da MAR em pacientes submetidos à derivação gástrica em Y-de-Roux (DGYR) utilizada para o tratamento da obesidade mórbida. MÉTODOS População ... a motilidade esofágica em pacientes submetidos à derivação gástrica em Y-de-Roux para obesidade mórbida. Métodos: Foram estudados 18 pacientes assintomáticos submetidos à derivação gástrica em Y-deRoux por laparotomia. Todos foram submetidos à manometria de alta resolução em média três anos após a operação. Resultados: O esfíncter esofagiano inferior
 0  3  4

Obesos diabéticos tipo 2 submetidos à derivação gástrica em Y-de-Roux: análise de resultados e influência nas complicações.

... Palmas, Tocantins, TO, Brasil. DESCRITORES - Obesidade. Cirurgia bariátrica. Derivação gástrica. Diabete melito. RESUMO – Racional: Cerca de 90% dos diabéticos tipo 2 são obesos ou têm sobrepeso. A evidente melhora clínica observada com o tratamento cirúrgico, como a derivação gástrica em Y-de-Roux, abriu caminhos para a pesquisa de outros fatores, que ... ABCDDV/939 ABCD Arq Bras Cir Dig 2013;26(Suplemento):47-52 Artigo Original OBESOS DIABÉTICOS TIPO 2 SUBMETIDOS À DERIVAÇÃO GÁSTRICA EM Y-DE-ROUX: ANÁLISE DE RESULTADOS E INFLUÊNCIA NAS COMPLICAÇÕES Obese patients with diabetes mellitus type 2 undergoing gastric bypass in Roux-en-Y: analysis ... HbA1c, peptídeo C, insulina e o HOMA-IR. O percentual de pacientes com neuropatia (31,3%) foi menor que o número de casos no início do estudo (52,9%) (p>0,05). Conclusão: A derivação gástrica em Y-de-Roux é procedimento seguro, com bons resultados no controle do diabete em obesos com IMC acima de 35 Kg/m2. Correspondência: Jorge Luiz de Mattos Zeve
 0  2  6

Mortalidade no pós-operatório tardio da derivação gástrica em pacientes do Sistema Único de Saúde: elevada frequência de cirrose alcoólica e suicídios.

... ABCDDV/940 Artigo Original ABCD Arq Bras Cir Dig 2013;26(Suplemento 1):53-56 MORTALIDADE NO PÓS-OPERATÓRIO TARDIO DA DERIVAÇÃO GÁSTRICA EM PACIENTES DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE: ELEVADA FREQUÊNCIA DE CIRROSE ALCOÓLICA E SUICÍDIOS Long-term mortality of patients submitted to Roux-en-Y gastric bypass ... Metabologia, 2Faculdade de Medicina e 3Instituto Alfa de Gastroenterologia da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brasil. DESCRITORES - Mortalidade. Derivação gástrica. Cirurgia bariátrica. Correspondência: Lucas Diniz Moura E-mail: lucas.med136@gmail.com Fonte de financiamento: não há Conflito de interesses: não há Recebido para ... sua relação com características pré-operatórias. Métodos: Foram analisados os dados de 248 pacientes do Sistema Único de Saúde, com seguimento entre um e 12 anos, submetidos à derivação gástrica em Y-de-Roux. As variáveis analisadas foram: sexo, idade na operação, índice de massa corporal pré-operatório, presença de comorbidades e tabagismo. As informações
 0  2  4

A influência do anel na evolução ponderal após quatro anos da derivação gástrica em y-de-roux laparoscópica.

... ABCDDV/880 Artigo Original ABCD Arq Bras Cir Dig 2012;25(4):257-262 A INFLUÊNCIA DO ANEL NA EVOLUÇÃO PONDERAL APÓS QUATRO ANOS DA DERIVAÇÃO GÁSTRICA EM Y-DE-ROUX LAPAROSCÓPICA Ring influence on ponderal evolution after four years of laparoscopic Roux-en-Y gastric bypass Irineu RASERA-JUNIOR1,3, Natalia Moreno ... Universidade Estadual Paulista (UNESP), Botucatu, SP; 4 Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade Estadual Paulista (UNESP), Araraquara, SP, Brasil. DESCRITORES Derivação gástrica. Gastroplastia. Cirurgia bariátrica. Perda de peso. Correspondência: Irineu Rasera Júnior, e-mail: irineu@bariatrica.com.br Fonte de financiamento: não há Conflito ... influência do anel sobre a evolução do peso corporal no decorrer de quatro anos após operação bariátrica. Método - Foram analisadas retrospectivamente 143 mulheres submetidas à derivação gástrica em Y-de-Roux videolaparoscópica pareadas pela utilização ou não do anel de Silastic®. O tempo de seguimento foi de até 48 meses. Os critérios de inclusão foram idade
 0  3  6

Tubo gástrico isoperistáltico de grande curvatura gástrica com sutura mecânica no tratamento cirúrgico do câncer de esôfago irressecável.

... sendo deiscência da anastomose esofagogástrica cervical em três (13,6%) e estenose em quatro (18,2%), sendo dois com deiscência prévia. Dos três pacientes que apresentaram deiscência da anastomose esofagogástrica cervical com a consequente fístula, em dois o diagnóstico foi clínico pela saída de secreção salivar e/ou gástrica pelo dreno colocado na região ... cardiopulmonares através da avaliação clínica e métodos de imagem -, e locais - deiscências e estenoses da anastomose esofagogástrica cervical. Em relação à deiscência com sua consequente fístula, o diagnóstico era clínico, visualizandose saída de secreção gástrica ou salivar através da região cervical até o 7° dia. A partir de então, não havendo sinal clínico de fistula, ... curvatura gástrica com sutura mecânica no tratamento cirúrgico do câncer de esôfago irressecável. ABCD Arq Bras Cir Dig 2009;22(3):147-52 RESUMO - Racional - Frequentemente, o diagnóstico da neoplasia do esôfago é tardio, restando como escolha terapêutica o tratamento paliativo. A transposição de tubo isoperistáltico da grande curvatura gástrica é
 0  3  6

Ruptura gástrica por barotrauma.

... 2008;21(3):144-6 Relato de Caso RUPTURA GÁSTRICA POR BAROTRAUMA Barogenic rupture of the stomach Rodrigo Severo de Camargo PEREIRA, Roberta Thiery Godoy ARASHIRO, Rogerio SAAD-HOSSNE ABCDDV/614 Pereira RSC, Arashiro RTG, Saad-Hossne R. Ruptura gástrica por barotrauma. ABCD Arq Bras Cir Dig 2008;21(3):144-6 RESUMO – Introdução - A ruptura gástrica por barotrauma ... pequena curvatura gástrica de 7 cm. O tratamento da lesão foi com sutura primária. Recebeu alta no 14º do pós operatório após término do tratamento para pneumonia. Conclusão - Apesar de rara, a ruptura gástrica por barotrauma deve ser sempre aventada quando após reanimação cardiopulmonar houver distensão abdominal refratária à sondagem naso -gástrica. DESCRITORES ... ruptura gástrica por barotrauma encontrados na literatura estão relacionadas à reanimação cardiopulmonar, oxigenoterapia com cateter nasal e acidentes com mergulhadores2,3,7. Deve-se considerar a hipótese de ruptura gástrica em todo paciente submetido a recuperação cardio-respiratória que apresentar distensão abdominal refratária à sondagem nasogástrica5.
 0  2  3

Influência do octreotide subcutâneo na cicatrização de sutura gástrica em ratos.

... negativamente no processo de cicatrização de suturas gástricas. O presente estudo teve por objetivo investigar os efeitos do octreotide na cicatrização de sutura gástrica em ratos avaliados no 4º e 7º dia do pós-operatório, mediante a avaliação dos seguintes parâmetros: 1. força máxima de tração e da ruptura das suturas gástricas; 2. deposição de colágeno e na ... sutura gástrica em ratos fibras que continha colágeno dos tipos I e III em relação à área total examinada. Considerou-se como medida da percentagem de fibras colágenas, a média das duas áreas analisadas. Nota: Seqüência do estudo demonstrando a FMT e FRT nos corpos de prova contendo a sutura gástrica. FIGURA 2 - Estudo de tração da sutura gástrica O ... quantitativa, correlacionando-a à força de ruptura mecânica em sutura gástrica em ratos e concluiu que a concentração de colágeno é fator primordial na propriedade mecânica da cicatrização de sutura gástrica em ratos. Da mesma forma, Bonin et al. analisaram o depósito de colágeno em anastomoses gástricas em ratos que receberam pantoprazol. No grupo que o observou-se
 0  3  7

Influência do tipo de alimento e da temperatura na evacuação gástrica da piranha caju (Pygocentrus nattereri) em condições experimentais.

... não influenciou na evacuação gástrica. Músculos obtiveram uma taxa de evacuação gástrica de 18,3% h - 1 , enquanto que nadadeira e gafanhoto obtiveram uma taxa média de 10,7% h - 1 . O efeito da temperatura foi mais pronunciado quando o item alimentar era músculo do que com nadadeira e insetos. PALAVRAS-CHAVE: Evacuação gástrica, peixes, Pygocentrus ... INFLUÊNCIA DO TIPO DE ALIMENTO E DA TEMPERATURA NA EVACUAÇÃO GÁSTRICA DA PIRANHA CAJU (Pygocentrus nattererí) EM CONDIÇÕES EXPERIMENTAIS1 Emerson Carlos Soares e SILVA2, Carlos A. R. M. ARAÚJO-LIMA3 RESUMO: taxa de evacuação gástrica é uma variável importante para estimar o consumo diário de alimento e portanto a pressão ... 1969). O tempo de evacuação gástrica pode ser afetado pelo tipo e tamanho de presa, tamanho do predador e estresse do ambiente (Bromley, 1994). A privação de alimento, ingestão de re¬ feições subseqüentes, combinação da compo¬ sição do alimento, temperatura da água e a fisiologia do predador, também influenciam no tempo de evacuação gástrica (Jobling, 1987;
 0  3  12

Valor prognóstico da tomografia miocárdica de perfusão com radiofármacos ligados ao tecnécio-99m no acompanhamento de pacientes submetidos à primeira cirurgia de revascularização miocárdica.

... 80: 19-24. Valor da tomografia miocárdica de perfusão após revascuAlarriztaigçãoSoaOnmtoirosicgáeirndcioaclals Valor Prognóstico da Tomografia Miocárdica de Perfusão com Radiofármacos Ligados ao Tecnécio-99m no Acompanhamento de Pacientes Submetidos à Primeira Cirurgia de Revascularização Miocárdica Márcia Maria Sales dos Santos, Eduardo Cwajg, ... cirurgias de revascularização miocárdica realizadas, pouco tem sido publicado sobre a utilização de técnicas cintigráficas mais modernas, como a tomografia miocárdica e os novos radiofármacos ligados ao tecnécio-99m. Este trabalho tem como objetivo avaliar o valor prognóstico da tomografia miocárdica de perfusão (SPECT) com agentes ligados ao tecnécio-99m ... sim o prognóstico. Assim, o presente estudo em pacientes submetidos à primeira cirurgia de revascularização miocárdica e à cintigrafia de perfusão miocárdica sob estresse com radiofármacos, ligados ao tecnécio-99m, demonstra que a presença de uma cintigrafia de perfusão miocárdica anormal é uma variável independente para a predição de eventos cardíacos
 0  4  6

Doença hepática não-alcoólica: evolução após derivação gastrojejunal em Y-de-Roux pela técnica de fobi-capella.

... Conclusão - A perda de peso proporcionada pela derivação gastrojejunal em Y-de-Roux pela técnica de Fobi-Capella em pacientes com doença hepática não-alcoólica está associada à diminuição de sua incidência e de outras co-morbidades. DESCRITORES – Hepatopatias. Fígado gorduroso. Obesidade mórbida. Derivação gástrica. Anastomose em Y-de-Roux. INTRODUÇÃO A ... de dumping é freqüente em pacientes que não seguem a dieta apropriadamente. A derivação gástrica permite que o paciente apresente saciedade precoce e mesmo redução do apetite, fatores mediados por alterações neurohormonais. Neste estudo houve significativa perda de peso com a derivação gastrojejunal em Y-de-Roux, associada à redução na incidência de esteatose ... considerar o consumo aumentado de gordura e carboidratos na dieta, que também interferem no mesmo mecanismo(29, 35). O presente estudo teve como objetivo avaliar o efeito da derivação gástrica em Y-de-Roux pela técnica de Fobi-Capella na incidência de doença hepática não-alcoólica e co-morbidades relacionadas em pacientes com obesidade mórbida. MÉTODOS No
 0  5  5

Fatores genéticos e ambientais envolvidos na carciogênese gástrica.

... com a progressão tumoral. Conclusão - Essas mudanças genéticas em carcinomas evidenciam o processo de múltiplas etapas da carcinogênese gástrica, por meio do acúmulo de uma série de alterações. DESCRITORES - Neoplasias gástricas, genética. O câncer de estômago é o segundo tipo mais comum de neoplasia em incidência e mortalidade, sendo duas vezes mais ... adjacentes e da presença ou ausência de metástases em nódulos linfáticos e outros órgãos distantes. A tumorigênese gástrica, assim como de outros órgãos, é processo de múltiplas etapas que, clinicamente, pode manifestar-se como gastrite, atrofia gástrica, ulcerações, metaplasia intestinal, displasia e, finalmente, como neoplasia maligna(11). Essas condições ... envolvidos na carcinogênese gástrica conseqüências da ação de tais fatores são as mutações somáticas, como em oncogenes e genes supressores de tumores, que conferem às células vantagens seletivas de proliferação(10). A gastrite é a lesão que mais freqüentemente afeta o estômago e é definida como uma inflamação da mucosa gástrica. A gastrite aguda
 0  3  7

Gradiente ventriculo-lombar de concentração das proteínas totais do líquido cefalorraquiano: 2 - Influência da drenagem do LCR pela derivação ventrículo-atrial.

... reação de fixação de complemento para cisticerco de amostras de LCR retiradas antes e depois da derivação ventrículo-atrial. As observações estão divididas em três grupos, com base na intensidade da resposta imunitária verificada na amostra de LCR colhida depois da derivação ventricular. O primeiro grupo reúne os três casos em que houve aumento do título ... nas amostras de LCR retiradas antes e apôs a cirurgia para a derivação ventrículo-atrial. Legenda: Proteínas: taxa de proteínas totais em mg/z1y0x0wvmutls;rqpRoFnmCClk:jihgtífteudlocbadZaYXrWeaVçãUoTSdReQPfiOxaNçMãoLKJdIeHGFEcoDmCpBleAmento para cisticerco; Tempo: tempo decorrido depois da derivação; SO: cisternal; L: lombar; V: ventricular; a: anos; ... submetidos à derivação ventrículo-arterial ou peritoneal, seja em neurocisticercose, seja em outros processos mórbidos que evoluem para o bloqueio da movimentação do LCR, excluindo-se os tumores. CONCLUSÕES 1 — Em pacientes com neurocisticercose em atividade, que apresentaram no decurso da doença hipertensão endocraniana que exigiu a derivação ventrículo-atrial
 0  5  8

Derivação ventriculoperitoneal em adultos.

... DERIVAÇÃO VENTRICULOPERITONEAL EM ADULTOS J. JORGE FACURE; NUBOR O . FACURE A derivação ventriculoperitoneal com válvula (DVP) tem sido utilizada com resultados satisfatórios por diversos autores. Nos trabalhos publicados ... submetidos à derivação ven¬ triculoperitoneal com válvula. Em 17 casos havia hipertensão intracraniana. Em 10 casos, com período de seguimento de 2 a 48 meses, os sistemas estão funcionando bem. Seis doentes faleceram, não sendo possível estabelecer as condições atuais dos 2 restantes. Em 2 pacientes necropsiados, foi verificada permeabilidade da derivação ... intestinais. Dois pacientes de nossa casuística foram submetidos à necropsia, um deles faleceu um mês após a DVP e, o outro, 9 meses após a intervenção cirúrgica. O sistema de derivação permaneceu funcionando bem em ambos os casos. Não havia aderência e nenhum fenômeno inflamatorio na cavidade peritoneal. Os catéter foram facilmente retirados, sendo
 0  5  6

Derivação ventriculoperitoneal com válvula no tratamento da hidrocefalia do lactente.

... dezembro de 1965 até março de 1969 usamos derivação ventriculoperitoneal com válvula em 110 doentes, 31 dos quais apresentavam neurocisticercose ou tumores da linha média e não serão aqui considerados. Estudaremos apenas 79 pacientes com hidrocefalia. Entre as 79 crianças, 12 tinham sido submetidas, antes da derivação para o peritônio, a ventrículo-atriostomias ... ventrículo-atriostomias ou revisões, num total de 33 intervenções cirúrgicas. A técnica empregada para a derivação ventriculoperitoneal não apresenta particularidade alguma. A extremidade proximal do sistema é instalada da mesma maneira que na derivação ventrículo-atrial, deixando-se 30 ou 40 cm do catéter distal de suástico livres na cavidade peritoneal. ... DERIVAÇÃO VENTRICULOPERITONEAL COM VÁLVULA NO TRATAMENTO DA HIDROCEFALIA DO LACTENTE GILBERTO MACHADO DE ALMEIDA; WALTER C. PEREIRA Nos últimos anos as derivações ventriculovenosas
 0  3  4

Estimulação diafragmática elétrica transcutânea (EDET) em mulheres obesas mórbidas submetidas à derivação gástrica em Y de Roux (DGYR) com anel de contenção, por laparotomia

... TRANSCUTÂNEA (EDET) EM MULHERES OBESAS MÓRBIDAS SUBMETIDAS À DERIVAÇÃO GÁSTRICA EM Y DE ROUX (DGYR) COM ANEL DE CONTENÇÃO, POR LAPAROTOMIA ELI MARIA PAZZIANOTTO FORTI São Carlos 2008 ii ESTIMULAÇÃO DIAFRAGMÁTICA ELÉTRICA TRANSCUTÂNEA (EDET) EM MULHERES OBESAS MÓRBIDAS SUBMETIDAS À DERIVAÇÃO GÁSTRICA EM Y DE ROUX (DGYR) COM ANEL DE CONTENÇÃO, POR LAPAROTOMIA iii UNIVERSIDADE ... intestinal e incluem a 7 derivação biliopancreática com gastrectomia horizontal, com ou sem preservação gástrica distal e a derivação biliopancreática com gastrectomia vertical e preservação pilórica e, predominantemente restritivas; que combinam restrição com um mínimo grau de disabsorção, é representada pelas derivações gástricas em y de Roux, com ... redução da capacidade de ingestão alimentar através da redução acentuada do estômago e incluem a gastroplastia vertical com bandagem, incluindo também a bandagem gástrica ajustável. A derivação gástrica em Y de Roux, consiste na restrição do estômago para se adaptar a um volume menor que 30 ml. A redução do volume da cavidade é obtida através da colocação
 0  13  122

Documento similar


Feedback