Feedback

Modelagem Comparativa

ESTUDO DE MOBILIÁRIO ESCOLAR: UM OLHAR PARA A SALA DE AULA ATRAVÉS DA MODELAGEM MATEMÁTICA

... para realizar essa interação é o processo conhecido como Modelagem Matemática. Neste sentido, Barbosa (2001, p.4) acrescenta que “as atividades de Modelagem são consideradas como oportunidades para explorar os papéis que a matemática desenvolve na sociedade contemporânea. Nem Matemática nem Modelagem são “fins”, mas sim “meios” para questionar a realidade ... de atividades envolvendo mobiliário escolar e utilizando a modelagem matemática como ferramenta no ensino e aprendizagem da matemática. Por fim, no sexto capítulo apresenta-se as considerações finais da presente dissertação. 2. REVISÃO DE LITERATURA 11 2.1 Modelagem matemática A modelagem é vista neste trabalho como uma das possibilidades ... do significado de modelagem por alguns autores. Para Burak (1992, p. 62) a modelagem matemática é um “conjunto de procedimentos cujo objetivo é construir um paralelo para tentar explicar, matematicamente, os fenômenos presentes no cotidiano do ser humano, ajudando-o a fazer predições e a tomar decisões”. Barbosa (2001, p. 5) entende modelagem como […]
 0  4  95

Implementação de um modelo hidrológico distribuído na plataforma de modelagem Dinamica EGO

... futuros. 3 2 MODELAGEM HIDROLÓGICA O propósito deste capítulo é apresentar uma abordagem geral de conceitos em modelagem ambiental, com ênfase na modelagem hidrológica distribuída. Inicialmente, são revistos alguns conceitos em modelagem de sistemas ambientais e, em seguida, o ciclo hidrológico é abordado para introduzir o tema da modelagem hidrológica. ... texto............................................................................................. 3 2 MODELAGEM HIDROLÓGICA .......................................................................4 2.1 Modelagem de sistemas ambientais ......................................................................4 2.2 Modelagem hidrológica......................................................................................... ... apresentado em cinco capítulos, iniciando com conceitos teóricos relativos à modelagem e, em seguida, o texto é direcionado ao trabalho de implementação do modelo e os resultados. No Capítulo 2 é apresentada uma abordagem geral de conceitos em modelagem ambiental e, especificamente, em modelagem hidrológica distribuída; neste capítulo também é descrito o
 1  14  108

Influência de atividades de modelagem na qualidade dos argumentos de estudantes de Química do ensino médio

... ARGUMENTOS NA MODELAGEM 6.2. ALGUMAS CONSIDERAÇÕES SOBRE O INSTRUMENTO DE ANÁLISE DA QUALIDADE DOS ARGUMENTOS 6.3. RELAÇÃO DOS ARGUMENTOS COM O DIAGRAMA MODELO DE MODELAGEM 6.4. INFLUÊNCIAS DA MODELAGEM NA ARGUMENTAÇÃO 6.5. DIAGRAMA MODELO DE MODELAGEM E ARGUMENTAÇÃO: ALGUMAS CONSIDERAÇÕES DA LITERATURA 6.6. UMA REFLEXÃO SOBRE AS ATIVIDADES DE MODELAGEM 195 ... argumentos de estudantes do ensino médio que participaram de atividades de ensino por modelagem fundamentado no diagrama Modelo de Modelagem de dois temas (ligações iônicas e interações intermoleculares); (ii) a relação de seus argumentos com as etapas do diagrama; e (iii) como a modelagem influenciou a argumentação dos estudantes. Foram coletados dados de ... de modelos – como referencial para estruturar o ensino por modelagem (para mais detalhes, ver capítulo 2 deste documento). Os estudos realizados na UFMG desde 2005 utilizam o diagrama Modelo de Modelagem, proposto por Justi e Gilbert (2002), como referencial para estruturar o ensino por modelagem (para mais detalhes sobre o diagrama, ver capítulo
 0  2  282

Instrumentação, modelagem, controle e supervisão de um sistema de bombeamento de água e módulo turbina-gerador

... Laboratório de Modelagem, Análise e Controle de Sistemas Não-Lineares Departamento de Engenharia Eletrônica Universidade Federal de Minas Gerais Av. Antônio Carlos 6627, 31270-901 Belo Horizonte, MG Brasil Fone: +55 3499-4866 - Fax: +55 3499-4850 aguirre@cpdeee.ufmg.br Instrumentação, Modelagem, Controle e Supervisão de um Sistema ... Identificação do Processo 85 5.1 Introdução . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 85 5.2 Modelagem Matemática de Sistemas . . . . . . . . . . . . . . 86 5.2.1 Modelos NARMAX . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 87 5.2.2 Modelagem caixa-cinza . . . . . . . . . . . . . . . . . . 89 5.3 Algoritmos Genéticos . . . . . . . . . ... criar o saber Arte, descoberta, invenção Teoria em grego quer dizer O ser em contemplação . . . ” Gilberto Gil Resumo Este trabalho descreve o projeto, instrumentação, modelagem, controle e supervisão de um sistema de bombeamento de água e bancada de ensaio de turbinas. O projeto do processo hidráulico, propriamente dito, composto por duas bombas
 0  13  182

Uma metodologia de modelagem de processos de negócio orientada à gestão da informação e do conhecimento

... metodologia de modelagem. A metodologia e´ composta por: um conjunto de construtos ba´sicos para MPN orientada a` GIC; um conjunto de diagramas e submodelos, formando uma perspectiva de modelagem; padro˜es de modelagem relacionados a` GIC; explicac¸o˜es sobre como modelar aspectos de GIC que na˜o possuem mapeamento direto para construtos da linguagem de modelagem. ... processos, como a Business Process Execution Language (BPEL). A BPMN e´ uma linguagem espec´ıfica para modelagem de processos como sequeˆncias de atividades. A linguagem na˜o inclui construtos para modelagem de estruturas organizacionais, modelagem conceitual nem modelagem de recurs... ... a´rea pode-se obter elementos de modelagem na˜o existentes em outras abordagens. O objetivo geral e´ apoiado pelos seguintes objetivos espec´ıficos: Objetivo espec´ıfico 1. Definir um modelo de GIC que sirva como base teo´rica para a metodologia de modelagem desenvolvida. Objetivo espec´ıfico 2. Avaliar a metodologia de modelagem desenvolvida de acordo
 0  9  138

Modelagem das regiões brasileiras segundo o modelo econômico-demográfico de acessibilidade

... DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ANÁLISE E MODELAGEM DE SISTEMAS AMBIENTAIS Tereza Cristina de Azevedo Bernardes Faria MODELAGEM DAS REGIÕES BRASILEIRAS SEGUNDO O MODELO ECONÔMICODEMOGRÁFICO DE ACESSIBILIDADE Belo Horizonte 2015 UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ANÁLISE E MODELAGEM DE SISTEMAS AMBIENTAIS Tereza ... ANÁLISE E MODELAGEM DE SISTEMAS AMBIENTAIS Tereza Cristina de Azevedo Bernardes Faria MODELAGEM DAS REGIÕES BRASILEIRAS SEGUNDO O MODELO ECONÔMICODEMOGRÁFICO DE ACESSIBILIDADE Dissertação apresentada como pré-requisito para a obtenção do título de Mestre em Análise e Modelagem de Sistemas Ambientais Orientador: Prof. Dr. Ricardo Alexandrino Garcia Belo ... ??????).............................................................56 5. Modelo Econômico-Demográfico Integrado X Modelo Econômico-Demográfico de Acessibilidade: uma análise comparativa. ............................................................58 5.1. Mesorregiões e Macrorregiões segundo o Modelo Econômico-Demográfico Integrado................................................................................................................59
 0  4  111

Modelagem das trajetórias médias e funções de covariância do peso vivo e do rendimento de carcaça de Tilápias do Nilo (Oreochromis niloticus) utilizando polinômios B-spline

... ESCOLA DE VETERINÁRIA Dalinne Chrystian Carvalho dos Santos MODELAGEM DAS TRAJETÓRIAS MÉDIAS E FUNÇÕES DE COVARIÂNCIA DO PESO VIVO E DO RENDIMENTO DE CARCAÇA DE TILÁPIAS DO NILO (Oreochromis niloticus) UTILIZANDO POLINÔMIOS B-SPLINE Belo Horizonte 2013 Dalinne Chrystian Carvalho dos Santos MODELAGEM DAS TRAJETÓRIAS MÉDIAS E FUNÇÕES DE COVARIÂNCIA ... ajustes. 19 2. Modelagem das trajetórias médias do peso vivo e do rendimento de carcaça de tilápias do Nilo (Oreochromis niloticus) por meio de funções B-spline Resumo: Empregando o método dos quadrados mínimos e polinômios B-spline quadráticos, diferentes modelos estatísticos foram testados para identificar o mais apropriado para realizar a modelagem da ... seguir. Muito obrigada a todos! SUMÁRIO 1. Introdução Geral .......................................................................................................... 16 2. Modelagem das trajetórias médias do peso vivo e do rendimento de carcaça de tilápias do Nilo (Oreochromis niloticus) por meio de funções B-spline .................................
 0  2  72

Modelagem dinâmica de distribuição de metas de redução de desmatamento, estimativas de potencial de emissão de gases de efeito estufa e de receitas financeiras via Redd+ em níveis sub-nacionais: um estudo de caso para a Amazônia Brasileira

... modelo para futuro desenvolvimento. Chama-se a atenção aqui que qualquer modelagem não pode ser entendida como a realidade. O objetivo da modelagem é ilustrar a tendência. Assim, não deve-se interpretar como verdade absoluta os valores individuais de cada município, mas sim compreender comparativamente qual deveria ser o papel de cada um em ações de mitigação ... computacional. O capítulo apresenta o modelo desenvolvido em todas as suas fases, a saber: (a) cálculo e calibração dos pesos de evidência, (b) modelagem de desmatamento, (c) validação do modelo de desmatamento, (d) modelagem de potencial de redução de desmatamento e de receitas via REDD+. Cada fase é ilustrada por uma figura esquemática e todos os passos ... simulações 74 4.3.1.8. Metas sub-nacionais absolutas de desmatamento 76 4.3.1.9. Metas sub-nacionais relativas de desmatamento 77 4.3.2. Modelagem do potencial de redução de emissões de gases de efeito estufa 78 4.3.3. Modelagem de potencial receitas financeiras advindas do mercado de carbono. 79 4.4. Resultados e Discussão 82 4.4.1.Modelo
 0  5  325

Modelagem do canal de descargas atmosféricas utilizando a teoria de linhas de transmissão

... DISSERTAÇÃO DE MESTRADO Nº 813 MODELAGEM DO CANAL DE DESCARGAS ATMOSFÉRICAS UTILIZANDO A TEORIA DE LINHAS DE TRANSMISSÃO Thiago Cândido Moratti Cardoso DATA DA DEFESA: 27/02/2014 Universidade Federal de Minas Gerais Escola de Engenharia Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica MODELAGEM DO CANAL DE DESCARGAS ATMOSFÉRICAS ... metodologias e abordagens encontradas na literatura para a modelagem do canal de descarga como uma linha de transmissão, o que se faz extremamente necessário para uma melhor compreensão do presente trabalho. 3 CAPÍTULO 1 - INTRODUÇÃO Em um segundo momento, apresenta-se um estudo do estado da arte sobre a modelagem do canal de descarga por meio de linhas ... atmosféricas em sistemas elétricos vizinhos. Uma das primeiras abordagens utilizadas para representar a propagação da corrente de retorno ao longo do canal de descarga consistiu na modelagem do canal utilizando a teoria de circuitos elétricos. Nesse tipo de abordagem, o canal é representado como uma rede elétrica com parâmetros concentrados resistivos, indutivos
 0  2  103

Modelagem do comportamento estrutural de uma mandíbula edêntula com implantes vertical e angulado

... MODELAGEM DO COMPORTAMENTO ESTRUTURAL DE UMA MANDÍBULA EDÊNTULA COM IMPLANTES VERTICAL E ANGULADO Paulo Cesar Ferreira UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS ESCOLA DE ENGENHARIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE ESTRUTURAS " MODELAGEM DO COMPORTAMENTO ESTRUTURAL DE UMA MANDÍBULA EDÊNTULA ... tinha um longo período de edentulismo compensado pelo uso de dentaduras. No primeiro ano após a conexão da ponte, período em que os implantes entram em função e o processo de remodelagem óssea e osseointegração estava em desenvolvimento, foi registrada uma média de perda óssea de 1,2mm, decrescendo nos períodos seguintes. Para o maxilar inferior foi registrado ... resistência do osso aumenta quando ele é solicitado pelas forças funcionais e reage a elas, de modo que o carregamento gradativo dos implantes é favorável, pois permite adaptação e remodelagem óssea fisiológica. Um dos fatores de falha é o carregamento além da carga ótima para o osso naquele momento, degradando a estrutura. Considerando os conceitos de osseointegração
 0  2  75

Modelagem do escoamento de fluídos em meios porosos utilizando a estrutura de dados Autonomous Leaves Graph

... Luccas Cassimiro Campos Modelagem do escoamento de fluidos em meios porosos utilizando a estrutura de dados Autonomous Leaves Graph Belo Horizonte - MG, Brasil Dezembro de 2013 Luccas Cassimiro Campos Modelagem do escoamento de fluidos em meios porosos utilizando a estrutura de dados Autonomous Leaves ... Duczmal DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Belo Horizonte - MG, Brasil Dezembro de 2013 Dissertação de Mestrado sob o título ? ?Modelagem do escoamento de fluidos em meios porosos utilizando a estrutura de dados Autonomous Leaves Graph”, defendida por Luccas Cassimiro Campos e aprovada em 09/12/2013, em ... conservação local dos fluxos numéricos, i.e, o fluxo numérico é conservado de uma célula da discretização para outra. Essa última característica torna o FVM bastante atraente na modelagem de problemas para os quais o fluxo é importante, como na transferência de calor, massa e na mecânica dos fluidos. O FVM é localmente conservativo por ser baseado numa abordagem
 0  4  88

Modelagem do ouvido na otosclerose

... MINAS GERAIS ESCOLA DE ENGENHARIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE ESTRUTURAS Modelagem do ouvido na otosclerose Orientador: Estevam Barbosa de Las Casas Co-orientador: Max de Castro Magalhães Belo Horizonte 2013 1 Lygia Bueno Fragoso Modelagem do ouvido na otosclerose Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em
 0  6  93

Modelagem do potencial geoturístico dos distritos do município de Ouro Preto - MG

... Análise e Modelagem de Sistemas Ambientais Carolina de Souza Lima Modelagem do potencial geoturístico dos distritos do município de Ouro Preto - MG Belo Horizonte 2015 Carolina de Souza Lima Modelagem do potencial geoturístico dos distritos do município de Ouro Preto - MG Dissertação apresentada ao Programa de Pósgraduação em Análise e Modelagem ... Minas Gerais como requisito parcial para obtenção do título de mestre em Análise e Modelagem de Sistemas Ambientais. Orientadora: Prof.ª Dra. Úrsula de Azevedo Ruchkys Belo Horizonte Instituto de Geociências da UFMG 2015 i L732m 2015 Lima, Carolina de Souza. Modelagem do potencial geoturístico dos distritos do município de Ouro Preto - MG ... especial ao André Silveira pelas aulas de reforço das disciplinas ? ?Modelagem de Sistemas Ambientais” e “Métodos Quantitativos”. E à Patrícia Goulart por ser companheira do início ao fim. À Pâmela Siqueira pela atenção nas inúmeras vezes que precisei. Aos colegas das outras turmas do Mestrado em Modelagem de Sistemas Ambientais, pelo companheirismo na salinha,
 0  2  114

Modelagem do sequenciamento no processo de lingotamento contínuo por métodos exatos e heurísticos

... . . 49 4.6 Comparação número de mínimos locais por vizinhança . . . . . . . . . 50 4.7 Análise comparativa do desempenho das vizinhanças. . . . . . . . . . . 51 4.8 Distância média entre mínimos locais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 52 4.9 Análise comparativa GMD . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 55 4.10 Resumo Heurísticas Construtivas ... Horizonte Julho, 2013 Universidade Federal de Minas Gerais Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção Departamento de Engenharia de Produção / Escola de Engenharia Modelagem do Sequenciamento no Processo de Lingotamento Contínuo por Métodos Exatos e Heurísticos Allan Messeder Caldas Bretas Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação ... Busca 42 4.1 Análise de Landscape . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 42 4.1.1 Representação e Estruturas de Vizinhança . . . . . . . . . . . . 43 4.1.2 Análise Comparativa das Vizinhanças . . . . . . . . . . . . . . . 48 4.1.2.1 Número de Mínimos Locais . . . . . . . . . . . . . . . 49 4.1.2.2 Distância Entre Mínimos Locais . .
 0  12  120

Modelagem matemática do comportamento térmico do processo de descarbonetação de tiras de aços siliciosos

... evolução de metodologias para simulação e modelagem de processos físicos os mais diversos possíveis. Este fato, aliado a preocupação com a racionalização e conservação de energia, foi responsável pela elaboração de vários estudos direcionados para fornos de usinas siderúrgicas. Nesse sentido, o Grupo de Análise e Modelagem de Sistemas e Equipamentos Térmicos ... Universidade Federal de Minas Gerais vem desenvolvendo estudos sobre a modelagem e simulação de equipamentos térmicos há algum tempo, já tendo produzido uma bibliografia relevante de temas relacionados com esta linha de pesquisa. Os trabalhos foram iniciados com pesquisas que resultaram na modelagem matemática do aquecimento de placas de aço em forno de ... processo ao simulador, adequando-o às particularidades e especificidades inerentes a cada uma das linhas de produção. 20 Uma vez que o objetivo principal desse trabalho é a modelagem matemática do processo de aquecimento / resfriamento, torna-se necessário uma descrição detalhada do tratamento térmico da tira de aço silício. Assim, a estruturação
 2  7  102

Modelagem numérica da camada limite atmosférica com validação experimental

... UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA MODELAGEM NUMÉRICA DA CAMADA LIMITE ATMOSFÉRICA COM VALIDAÇÃO EXPERIMENTAL GILBERTO AUGUSTO AMADO MOREIRA Belo Horizonte, junho de 2007 Gilberto Augusto Amado Moreira MODELAGEM NUMÉRICA DA CAMADA LIMITE ATMOSFÉRICA COM VALIDAÇÃO EXPERIMENTAL Dissertação ... GLOBAL MODELOS DE MESOESCALAS MODELOS DE PREDIÇÃO DE CLIMAS SUBCAMADA LAMINAR OU VISCOSA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS XIII RESUMO XIV Este trabalho apresenta a modelagem da camada limite atmosférica visando à obtenção dos campos de velocidade e direção do vento sobre terrenos complexos. O estudo da camada limite atmosférica é de grande ... das cadeias de isolamento de cabos condutores, determinação da capacidade de transmissão das linhas aéreas, determinação da difusão de poluentes na atmosfera, entre outros. A modelagem numérica foi realizada através do software comercial, Ansys CFX 10.0. Os resultados obtidos do modelo numérico são validados com dados experimentais encontrados na literatura,
 0  2  134

Modelagem numérica de diagonais equivalentes em painéis de cisalhamento do sistema Light Steel Framing

... GERAIS ESCOLA DE ENGENHARIA PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE ESTRUTURAS RODRIGO OLIVEIRA VITOR Modelagem Numérica de Diagonais Equivalentes em Painéis de Cisalhamento do Sistema Light Steel Framing 2012 Rodrigo Oliveira Vitor Modelagem Numérica de Diagonais Equivalentes em Painéis de Cisalhamento do Sistema Light Steel Framing Dissertação ... Prof. Dr. Francisco Carlos Rodrigues Belo Horizonte 2012 UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS ESCOLA DE ENGENHARIA PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE ESTRUTURAS Modelagem Numérica de Diagonais Equivalentes em Painéis de Cisalhamento do sistema Light Steel Framing Rodrigo Oliveira Vitor Dissertação apresentada ao Programa de Pósgraduação
 0  2  131

Análise comparativa multicriterial de estratégias em sustentabilidade urbana aplicada aos bairros de Cidade Pedra Branca (Palhoça, SC) e Vauban (Freiburg, Alemanha).

... BRANCA, 2014). Pretende-se, dessa forma, analisar de forma comparativa parâmetros de planejamento e desenho urbano, adotados nos referidos casos práticos, assim como desafios enfrentados, identificando-se estratégias promissoras no contexto de desenvolvimento de áreas urbanas brasileiras. Análise comparativa multicriterial de estratégias em sustentabilidade ... energéticos, nos quais seus componentes apresentam interdependências que condicionam seu metabolismo, desempenho e eficiência. O objetivo do presente artigo é analisar, de forma comparativa e multicriterial, estratégias em sustentabilidade urbana, na escala de bairros, tomando por base os casos de Cidade Pedra Branca (Palhoça, Brasil) e Vauban (Freiburg, ... systems. Keywords:Urban sustainability. District. Multi-criteria analysis. Urban morphology. Urban mobility. Energy efficiency. Governance. MARINS, K. R. de C. C. Análise comparativa multicriterial de estratégias em sustentabilidade urbana aplicada aos bairros de Cidade Pedra Branca (Palhoça, SC) e Vauban (Freiburg, Alemanha). Ambiente Construído,
 1  20  16

Análise comparativa dos resultados do desempenho térmico da envoltória de uma edificação residencial pelos métodos de simulação do RTQ-R e da NBR 15575-1.

... Análise comparativa dos resultados do desempenho térmico da envoltória de uma edificação residencial pelos métodos de simulação do RTQ-R e da NBR 15575-1 Comparative analysis of the thermal ... of the envelope of a residential building using the simulation methods of RTQ-R and NBR 15575-1 Arthur Santos Silva Enedir Ghisi Resumo ste trabalho tem por objetivo analisar comparativamente os resultados do desempenho térmico da envoltória de uma edificação residencial por meio dos métodos de simulação do RTQ-R e da NBR 15575-1. Para obter níveis ... cause of some of the differences. Keywords: Computer simulation. Thermal performance of the envelope. RTQ-R. NBR 15575-1. Sensitivity analysis. SILVA, A. S.; GHISI, E. Análise comparativa dos resultados do desempenho térmico da envoltória de uma edificação 215 residencial pelos métodos de simulação do RTQ-R e da NBR 15575-1. Ambiente Construído, Porto
 0  8  16

Modelagem e propriedades termodinâmicas na secagem de morangos.

... estudo da modelagem e obtenção dos parâmetros termodinâmicos durante o processo de secagem de morangos (Fragaria L.) em três diferentes condições de temperatura (40 °C, 50 °C e 60 °C) pode-se concluir que: • A temperatura do ar de secagem que proporcionou menor tempo de secagem foi a de 60 °C, com uma constante de secagem de 2,1 × 10–5 s–1; • Na modelagem ... values of 74,159.75, 76,544.54 and 78,931.90 J mol–1 for the temperatures of 40, 50 and 60°C, respectively. Key words: Moisture content; Enthalpy; Entropy; Gibbs free energy. Modelagem e propriedades termodinâmicas na secagem de morangos OLIVEIRA, G. H. H. et al. http://bjft.ital.sp.gov.br 1 Introdução O morangueiro (Fragaria L.) é cultivado ... importância do estudo teórico na etapa de secagem dos produtos agrícolas, o objetivo do Braz. J. Food Technol., Campinas v. 18, n. 4, p. 314-321, out./dez. 2015 315 Modelagem e propriedades termodinâmicas na secagem de morangos OLIVEIRA, G. H. H. et al. http://bjft.ital.sp.gov.br trabalho foi obter as curvas de secagem nas temperaturas
 1  9  8

Análise comparativa dos efeitos do ultrassom terapêutico e laser de baixa potência sobre a proliferação de células musculares durante a diferenciação celular.

... ISSN 0103-5150 Fisioter. Mov., Curitiba, v. 25, n. 1, p. 21-29, jan./mar. 2012 Licenciado sob uma Licença Creative Commons [T] Análise comparativa dos efeitos do ultrassom terapêutico e laser de baixa potência sobre a proliferação de células musculares durante a diferenciação celular [I] Comparative analysis ... por moléculas de sinalização extracelular da MEC e, também, por outros fatores envolvidos no contato célula-célula (6-8). Fisioter Mov. 2012 jan/mar;25(1):21-9 Análise comparativa dos efeitos do ultrassom terapêutico e laser de baixa potência sobre a proliferação de células musculares durante a diferenciação celular A miogenina tem papel importante ... C2C12, porém, detectou-se que esses recursos, nos parâmetros utilizados, não foram capazes de alterar a proliferação de mioblastos. Desse modo, nossa proposta foi avaliar, de forma comparativa, os possíveis efeitos do laser e ultrassom terapêutico sobre a proliferação das células musculares após 96h de diferenciação com soro de cavalo. É importante ressaltar
 0  8  9

Modelagem comparativa da cinética de fluxo da fase sólida do capim-elefante (Pennisetum purpureum, Schumack) consumido sob pastejo por vacas mestiças Holandês × Zebu em lactação.

... Arq. Bras. Med. Vet. Zootec., v.55, n.6, p.702-709, 2003 Modelagem comparativa da cinética de fluxo da fase sólida do capim-elefante (Pennisetum purpureum, Schumack) consumido sob pastejo por vacas mestiças Holandês × Zebu em lactação [Evaluation ... quando comparado ao modelo de Grovum e Williams (1973), freqüentemente usado na obtenção de estimativas de cinética de fluxo da fase sólida. Apenas um recente estudo de modelagem comparativa para obtenção de parâmetros da cinética de partículas foi levado a termo com vacas em lactação sob pastejo em forrageira tropical (Soares et al., 2001a). Dados ... homogeneizadas e processadas da seguinte forma: as amostras das duas repetições de área de pastagem de cada tratamento, 2 Arq. Bras. Med. Vet. Zootec., v.55, n.6, p.702-709, 2003 Modelagem comparativa da cinética de fluxo da fase sólida do capim-elefante... coletadas para cada um dos três dias de ocupação do piquete, foram transformadas em compostas, originando
 0  3  9

Avaliação comparativa do efeito dos colírios de apraclonidina e latanoprost na profilaxia da hipertensão ocular pós capsulotomia com YAG Laser em pacientes não glaucomatosos.

... Avaliação comparativa do efeito dos colírios de apraclonidina e latanoprost na profilaxia da hipertensão ocular pós capsulotomia com YAG Laser em pacientes não glaucomatosos* Profilatic ... tamanho da capsulotomia, outros não encontraram tal correlação.1, 3-6. Os pacientes que apresentam maior risco para 596 - ARQ. BRAS. OFTAL. 62(5), OUTUBRO/1999 Avaliação comparativa do efeito dos colírios de apraclonidina e latanoprost na profilaxia da hipertensão ocular pós capsulotomia com YAG Laser em pacientes não glaucomatosos aumento da ... signi- ARQ. BRAS. OFTAL. 62(5), OUTUBRO/1999 - 597 ANÚNCIO 598 - ARQ. BRAS. OFTAL. 62(5), OUTUBRO/1999 ANÚNCIO ARQ. BRAS. OFTAL. 62(5), OUTUBRO/1999 - 599 Avaliação comparativa do efeito dos colírios de apraclonidina e latanoprost na profilaxia da hipertensão ocular pós capsulotomia com YAG Laser em pacientes não glaucomatosos Tabela 1.
 0  3  7

Avaliação comparativa do epitélio do esôfago de Barrett atráves da cápsula endoscópica...

... 28 Tabela 8 – Avaliação comparativa entre CEE e EDA quanto a detecção do esôfago de Barrett longo .................................................... Tabela 9 – 29 Avaliação comparativa entre CEE e EDA quanto a detecção do esôfago de Barrett curto ................................................... 29 Tabela 10 – Avaliação comparativa entre CEE e ... digitiforme.............. 32 Tabela 11 – Avaliação comparativa entre CEE e EDA quanto a detecção do esôfago de Barrett – padrão circunferencial ..................... 34 Tabela 12 – Avaliação comparativa entre CEE e EDA quanto a detecção do esôfago de Barrett – padrão misto .................................... 36 Tabela 13 – Avaliação comparativa entre CEE e EDA quanto ... Barrett 4.2.2.1 Extensão do esôfago de Barrett As Tabelas 8 e 9 demonstram os resultados após avaliação comparativa entre a CEE e EDA quanto ao índice de acerto da CEE na avaliação da extensão do esôfago de Barrett. RESULTADOS 29 Tabela 8 – Avaliação comparativa entre CEE e EDA quanto a detecção do esôfago de Barrett longo Esôfago de Barrett EDA Total Longo Não Sim CEE Não 2
 0  6  90

Modelagem de dados de sobrevivência via modelo de risco logístico generalizado

... UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓSGRADUAÇÃO EM ESTATÍSTICA MODELAGEM DE DADOS DE SOBREVIVÊNCIA VIA MODELO DE RISCO LOGÍSTICO GENERALIZADO Caroline Pires Cremasco Dissertação apresentada ao Departamento de Estatística da Universidade Federal ... Estatística Orientador: Prof. Dr. Francisco Louzada-Neto São Carlos 2005 Ficha catalográfica elaborada pelo DePT da Biblioteca Comunitária da UFSCar C915md Cremasco, Caroline Pires. Modelagem de dados de sobrevivência via modelo de risco logístico generalizado / Caroline Pires Cremasco. -São Carlos : UFSCar, 2008. 70 f. Dissertação (Mestrado) -- Universidade ... sentinela. Inútil vos será levantar de madrugada, repousar tarde, comer o pão que penosamente granjeastes; aos seus amados ele o dá enquanto dormem.” Salmos 127:1,2. Resumo A modelagem de dados de sobrevivência com a presença de covariáveis por meio da função de risco tem sido cada vez mais utilizada devido a facilidade de interpretação Um dos exemplos mais
 0  9  80

Documento similar