Feedback

Imunidade Protetor

Análise experimental do ensaio veicular de imunidade a campos eletromagnéticos radiados em câmara semi-anecóica de pequeno porte

... equipamento (e por todos os equipamentos el´etricos que coexistam nesse mesmo ambiente eletromagn´etico) e o m´ınimo n´ıvel de imunidade ou susceptibilidade a distu´rbios eletromagn´eticos. Assim, quando existe uma margem entre emiss˜oes e imunidade eletromagn´eticas, teoricamente, existir´a um limite num´erico que garanta a compatibilidade eletromagn´etica ... Elaborac¸˜ao de Normas da A´ rea de EMC: ABNT 8 1.4.1 Artigos Publicado decorrente do Trabalho . . . . . . . 9 2 Introduc¸˜ao ao Teste de Imunidade a Campos Radiados em Ve´ıculos 10 2.1 Medic¸˜oes de Imunidade a Campos Eletromagn´eticos Radiados em Cˆamaras Semi-Anec´oicas . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12 2.2 Cˆamaras Semi-Anec´oicas: ... eletromagn´eticos al´em dos especificados, e sejam imunes a campos especificados, desde que haja uma margem de seguranc¸a entre os limites de emiss˜oes e imunidade. Um outro aspecto classificado como imunidade, mas que requer uma atenc¸˜ao especial ´e o fenˆomeno de descarga eletrost´atica ou ESD (ElectroStatic Discharge): O equipamento ou sistema deve
 0  2  142

Avaliação da imunidade antitetânica em idosos de asilos e grupos de convivência de Belo Horizonte: nível de proteção atual e análise da soroconversão da vacina dupla tipo adulto

... apresentaram títulos de anticorpos protetores, não sendo detectadas diferenças entre pacientes com 40 a 60 anos e os com 81 a 96 anos de idade. Após oito anos de seguimento dos casos, entretanto, o título de anticorpos protetores foi significativamente menor no grupo mais velho - somente 50 a 83% dos pacientes ainda apresentavam títulos protetores. Alagappan et ... avaliação da imunidade antitetânica................................................................61 Tabela 14 - Valor-p da regressão logística (analise univariada) para o estudo da associação entre a soroconversão e faixa etária, sexo, escolaridade, grupo (asilos e grupos de convivência), história vacinal, grau de autonomia para avaliação da imunidade ... títulos protetores de anticorpos antitêtanicos em somente 27,8% da população com 70 anos ou mais, especialmente nas mulheres idosas, que constituiam o principal grupo de risco de acometimento dessa doença e dela morrer. McQuillan et al., em 2002, confirmaram esses dados mostrando que 72,3% dos norte-americanos maiores de seis anos apresentavam títulos protetores
 0  2  124

Avaliação da segurança reprodutiva e da transmissão passiva de imunidade após processo de imunização com proteína peroxidoxina recombinante de Leishmania braziliensis durante a prenhez de ratas

... anti-peroxidoxina materna.................. 47 6.4.3. Transferência de imunidade via placenta............................................. 48 6.4.4. Transferência de imunidade via aleitamento........................................ 49 6.4.5. Índice de Transferência de Imunidade. ................................................. 50 6.4.6 Titulação ... informações sobre a transferência passiva de imunidade em animais vacinados durante a prenhez, são ainda escassos. O objetivo desse trabalho foi avaliar a segurança vacinal quando da administração no período gestacional, com possíveis causas de prejuízos maternos ou fetais e avaliar a transferência passiva de imunidade para o recém-nascido de anticorpos ... passiva de imunidade após processo de imunização com proteína peroxidoxina recombinante de Leishmania braziliensis durante a prenhez de ratas Belo Horizonte - MG 2015 Universidade Federal de Minas Gerais Instituto de Ciências Biológicas Programa de Pós-Graduação em Parasitologia Avaliação da segurança reprodutiva e da transmissão passiva de imunidade
 0  2  88

Construção, avaliação da imunogenicidade e potencial protetor em modelo murino, de diferentes construções do Vaccinia virus Ankara modificado (MVA) expressando a proteína E de Dengue virus sorotipo 3

... Potencial Protetor em Modelo Murino, de Diferentes Construções do Vaccinia virus Ankara Modificado (MVA) Expressando a Proteína E de Dengue virus Sorotipo 3 Instituto de Ciências Biológicas Universidade Federal de Minas Gerais Belo Horizonte, fevereiro de 2014 BÁRBARA RESENDE QUINAN Construção, Avaliação da Imunogenicidade e Potencial Protetor ... peptídeo sinal não induzem nenhuma produção de anticorpos. Além disso, análises de proteção em camundongos C57BL/6 sugerem que a imunização com essa construção mais imunogênica é protetora. Assim, esses resultados demonstram a importância dessa sequência de peptídeo sinal e, no futuro, essa construção mais imunogênica poderá ser utilizada para a construção
 0  5  18

Efeito protetor de Lactobacillus plantarum (B7) e L. rhamnosus (D1) de queijo Minas artesanal na infecção experimental por Escherichia coli EHEC e EIEC e o desenvolvimento de leite de búfala fermentado

... Maria Carolina Pais Pinto de Oliveira Efeito protetor de Lactobacillus plantarum (B7) e L. rhamnosus (D1) de queijo Minas artesanal na infecção experimental por Escherichia coli EHEC e EIEC e o desenvolvimento de leite de búfala ... Jacques Robert Nicoli (Departamento de Microbiologia/ICB/UFMG) BELO HORIZONTE – MG ESCOLA DE VETERINÁRIA DA UFMG 2016 O48e Oliveira, Maria Carolina Pais Pinto de, 1983Efeito protetor de Lactobacillus plantarum (B7) e L. rhamnosus (D1) de queijo Minas artesanal na infecção experimental por Escherichia coli EHEC e EIEC e o desenvolvimento de leite de ... L. rhamnosus D1 isolados de queijo Minas artesanal da Serra da Canastra contra E. coli enterohemorrágica 0157:H7 (EHEC) e E. coli enteroinvasiva (EIEC). 2) Avaliar in vivo o potencial protetor das duas amostras de Lactobacillus testadas no objetivo anterior atuando na infecção exercida por EHEC e EIEC em camundongos BALB/c. 3) Elaborar leites fermentados com
 0  3  83

Efeito protetor do café sobre a pressão arterial e freqüência cardíaca em ratos desnutridos

... MARCLÊNIA EDUARDO RAMOS EFEITO PROTETOR DO CAFÉ SOBRE A PRESSÃO ARTERIAL E FREQÜÊNCIA CARDÍACA EM RATOS DESNUTRIDOS Faculdade de Farmácia da UFMG Belo Horizonte, MG 2007 MARCLÊNIA EDUARDO RAMOS EFEITO PROTETOR DO CAFÉ SOBRE A PRESSÃO ARTERIAL E FREQÜÊNCIA CARDÍACA EM RATOS DESNUTRIDOS Dissertação ... proteínas da dieta podem afetar os níveis de pressão arterial em humanos e em animais experimentais. O presente estudo teve como objetivo verificar se o café exerce uma função protetora no sistema cardiovascular em animais desnutridos e recuperados nutricionalmente. Para isso, o tipo de desnutrição marasmática foi imposto aos animais e nos quais pressão ... compostos fenólicos do café, os quais são importantes para o sabor e aroma da bebida. A fração absorvida do ácido clorogênico e do ácido caféico são suficientes para exercer ação protetora e antioxidante (LARANJINHA e cols., 1994; STADLER e cols., 1994; BORN e cols., 1996; DAGLIA e cols., 2000), provocar alterações na circulação sangüínea e inibir a oxidação 16 de
 0  2  68

Estudo da transmissão da imunidade passiva e da mortalidade em cordeiros mestiços de Santa Inês, na região norte de Minas Gerais

... ....................................................................................................................... 2.3.2 - Transferência de imunidade passiva ......................................................................... 2.4 – Testes utilizados para a avaliação da transferência de imunidade passiva ................ 2.4.1 - Proteína total dos cordeiros e hematócrito ................................................................ ... 55 57 57 57 59 59 59 61 61 61 61 63 10 RESUMO A transferência de imunidade passiva e as causas de mortalidade em cordeiros puros e mestiços da raça Santa Inês foram estudados neste trabalho, desenvolvido na região norte do estado de Minas Gerais. A transferência de imunidade passiva foi avaliada através de testes realizados a campo e laboratoriais. ... transferência de imunidade passiva. Os principais fatores que predispuseram à mortalidade neonatal de cordeiros foram à desnutrição das ovelhas, principalmente aquelas que tiveram parto duplo, as adversidades climáticas e a realização de manejos inadequados para a criação de ovinos. Palavras-chave: Mortalidade neonatal, cordeiros, imunidade passiva,
 0  2  83

Gastrite atrófica do corpo: estudo das alterações histopatológicas da mucosa gástrica e relação com auto- imunidade e níveis séricos de gastrina

... ALTERAÇÕES HISTOPATOLÓGICAS DA MUCOSA GÁSTRICA E RELAÇÃO COM AUTO -IMUNIDADE E NÍVEIS SÉRICOS DE GASTRINA CAROLINNE BAHIA RODRIGUES Belo Horizonte 2007 CAROLINNE BAHIA RODRIGUES GASTRITE ATRÓFICA DO CORPO: ESTUDO DAS ALTERAÇÕES HISTOPATOLÓGICAS DA MUCOSA GÁSTRICA E RELAÇÃO COM AUTO -IMUNIDADE E NÍVEIS SÉRICOS DE GASTRINA Dissertação apresentada ... atrófica predominante do corpo e a presença de auto -imunidade representada pelo auto-anticorpo contra as células parietais (anti-CP)..........................................................................................82 TABELA 12 - Freqüência da associação dos níveis de gastrina sérica com a presença de autoimunidade, representada pela presença de auto-anticorpo ... Comissão Examinadora, abaixo-assinada, aprova a dissertação intitulada: “Gastrite atrófica do corpo: estudo das alterações histopatológicas da mucosa gástrica e relação com auto -imunidade e níveis séricos de gastrina” apresentada em sessão pública por Carolinne Bahia Rodrigues, aluna do curso de PósGraduação em Patologia – Área de Concentração Patologia
 0  13  105

Imunidade anti-rábica contra diferentes amostras de vírus de rua

 0  2  45

Influência do tipo de exposição primária e da infiltração eosinofílica no desenvolvimento da imunidade protetora induzida durante a re-infecção de Strongyloides venezuelensis em camundongos.

... Título: Influência do tipo de exposição primária e da infiltração eosinofílica no desenvolvimento da imunidade protetora induzida durante a re-infecção de Strongyloides venezuelensis em camundongos. Durante a infecção por Strongyloides venezuelensis em camundongos, assim como outros ... demonstram que o eosinófilo é uma célula importante no processo de eliminação do S. venezuelensis em casos de infecção primária pelo parasito. Porém, sabe-se que os mecanismos protetores que atuam em animais previamente expostos ao parasito atuam principalmente sobre as larvas migrantes e podem diferenciar da resposta efetora em infecções primárias. ... demonstram que o eosinófilo é uma célula importante no processo de eliminação do S. venezuelensis em casos de infecção primária pelo parasito. Porém, sabe-se que os mecanismos protetores que atuam em animais previamente expostos ao parasito atuam principalmente sobre as larvas migrantes e podem diferenciar da resposta efetora em infecções primárias.
 0  2  6

Neutrófilos têm um papel protetor durante os estágios iniciais da infecção por Leishmania amazonensis em camundongos BALB/c

... tecidual (Nathan, 2006). 1.3.2 – Funções na imunidade adquirida Além do reconhecido papel dos neutrófilos na imunidade inata, tais células também têm uma função imunomodulatória relevante, participando no desenvolvimento da resposta imune adquirida (Appelberg, 2007). Uma das formas pela qual neutrófilos influenciam a imunidade adaptativa é via produção de ... Neutrófilos...........................................................................................................26 1.3.1 – Funções na imunidade inata...............................................................26 1.3.2 – Funções na imunidade adquirida.......................................................28 1.3 – Participação dos neutrófilos nas infecções ... macrófagos, células dendríticas, células B, células T CD4+ e células T CD8+ são capazes de produzir IL-10. IL-10 atua tanto sobre células da imunidade inata, como células NK e macrófagos, quanto sobre células da imunidade adquirida, como células Th1, inibindo suas atividades. IL-10 atua diretamente sobre macrófagos inibindo a expressão de MHC de classe
 0  3  124

O papel de macrófagos na imunidade inata contra a brucelose bovina em zebuínos e taurinos

... al., 2003). A imunidade inata é um fator imprescindível no controle inicial do número de bactérias, além de auxiliar no melhor desenvolvimento da imunidade adquirida (revisado por Golding et al., 2001; Ko e Splitter, 2003). Existem vários mecanismos de resposta imune do hospedeiro bovino durante a infecção por B. abortus, envolvendo tanto imunidade inata e ... VETERINÁRIA Colegiado dos Cursos de Pós-Graduação O papel de macrófagos na imunidade inata contra a brucelose bovina em zebuínos e taurinos (Dissertação) AURICÉLIO ALVES DE MACÊDO Belo Horizonte Escola de Veterinária – UFMG 2012 AURICÉLIO ALVES DE MACÊDO O PAPEL DE MACRÓFAGOS NA IMUNIDADE INATA CONTRA A BRUCELOSE BOVINA EM ZEBUÍNOS E TAURINOS. Dissertação ... de Minas Gerais, Escola de Veterinária. Inclui bibliografia 1. Bovino – Doenças – Teses. 2. Brucelose em bovino – Teses. 3. Brucella abortus – Teses. 4. Macrófagos – Teses. 5. Imunidade – Teses. I. Santos, Renato de Lima. II. Paixão, Tatiane Alves da. III. Universidade Federal de Minas Gerais. Escola de Veterinária. IV. Título. CDD – 636.089 695 7 2 Dissertação
 0  4  45

Participação de antígenos do Schistosoma mansoni na indução de imunidade protetora e na modulação da reação granulomatosa

 0  3  96

Perfil bioquímico e eletrolítico, equilíbrio ácido-base e transferência de imunidade passiva de bezerras oriundas de partos eutócicos e distócicos

... nascidos de parto eutócicos. A transferência de imunidade passiva foi adequada independente do tipo de parto. A refratometria e o teste de precipitação por sulfito de sódio são bons métodos para avaliar a transferência de imunidade passiva á campo. Palavras chaves: neonatos, distocia, hemogasometria, transferência imunidade passiva. ABSTRACT The study ... por sulfito de sódio dióxido de carbono total Transferência de Imunidade Passiva sorbitoldesidrogenase RESUMO O trabalho teve como objetivo comparar entre bezerros oriundos de partos eutócicos e distócicos o perfil bioquímico, eletrolítico, equilíbrio ácido-base e transferência de imunidade passiva. Foram utilizadas 16 bezerras holandesas, oito ... ELETROLÍTICO, EQUILÍBRIO ÁCIDO-BASE E TRANSFERÊNCIA DE IMUNIDADE PASSIVA DE BEZERRAS ORIUNDAS DE PARTOS EUTÓCICOS E DISTÓCICOS LUCIELE DE OLIVEIRA FERREIRA Belo Horizonte Escola de Veterinária da UFMG 2012 Luciele de Oliveira Ferreira PERFIL BIOQUÍMICO E ELETROLÍTICO, EQUILÍBRIO ÁCIDOBASE E TRANSFERÊNCIA DE IMUNIDADE PASSIVA DE BEZERRAS ORIUNDAS DE PARTOS
 0  5  80

Uma análise sistêmica do princípio do protetor -recebedor na institucionalização de programas de compensação por serviços ambientais.

... PRINCÍPIO DO PROTETOR- RECEBEDOR E O PAGAMENTO POR SERVIÇOS AMBIENTAIS A adoção de incentivos positivos – fiscais, tributários e creditícios – tem ganhado destaque na seara ambiental, sobretudo a partir da concepção do princípio do protetorAmbiente & Sociedade  Campinas v. XIV, n. 1  p. 95-114  jan.-jun. 2011 Uma análise sistêmica do princípio do protetor- recebedor ... incentivos positivos – fiscais, tributários e creditícios – que tem ganhado destaque na seara ambiental, sobretudo a partir da concepção do princípio do protetorrecebedor ao agregar retorno econômico aos “protetores” do meio ambiente com a promoção de mecanismos adequados. 1 A TEORIA DOS SISTEMAS SOCIAIS DE LUHMANN E SUA IMPORTÂNCIA PARA A PERSPECTIVA ... UMA ANÁLISE SISTÊMICA DO PRINCÍPIO DO PROTETOR – RECEBEDOR NA INSTITUCIONALIZAÇÃO DE PROGRAMAS DE COMPENSAÇÃO POR SERVIÇOS AMBIENTAIS HAIDE M. HUPFFER1 ANDRÉ R. WEYERMÜLLER1 WILLIAM G. WACLAWOVSKY1 INTRODUÇÃO A observação
 0  5  20

Imunidade celular em caninos neonatos - do nascimento ao 45° dia de idade.

... http://dx.doi.org/10.1590/1678-41625985 Arq. Bras. Med. Vet. Zootec., v.66, n.3, p.745-756, 2014 Imunidade celular em caninos neonatos – do nascimento ao 45° dia de idade [Cellular immunity in canine newborns – from birth to the 45th day of life] R.P. Klein1, M.L.G. Lourenço2, ... Medicina Veterinária – UFRB – Cruz das Almas, BA RESUMO O objetivo do presente trabalho foi acompanhar o desenvolvimento imunológico dos neonatos caninos, a fim de avaliar a imunidade celular pela análise dos leucócitos e linfócitos totais e das subpopulações de linfócitos T (CD4+ e CD8+) pela técnica de citometria de fluxo. Foram utilizados 30 cães ... precocemente absorvidas pela via gastrintestinal após a ingestão do colostro nas primeiras 24 horas após o nascimento, podem também auxiliar os recémnascidos no estabelecimento da imunidade celular local (Poffenbarger et al., 1991; Chappuis, 1998; Day, 2007). O sistema imunológico adaptativo mediado por células, após a estimulação antigênica, sofre expansão
 0  3  12

Avaliação da qualidade do colostro e transferência de imunidade passiva em animais mestiços Holandês Zebu.

... Houve adequada transferência de imunidade passiva, com 88,3% dos bezerros com PT acima de 5,5g/dL. Não houve efeito de ordem de parto, sexo do bezerro, estação do ano e grupo genético da vaca na qualidade do colostro e na PT (P>0,05). Vacas F1 produziram, em média, colostro de alta qualidade e houve sucesso na transferência de imunidade passiva. Palavras-chave: ... colostro que contém acima de 49,8mg/mL de globulinas é considerado de boa qualidade. A transferência de imunidade passiva pode ser avaliada pela dosagem de IgG no soro, por imunodifusão radial. Segundo Godden (2008), há falha na transferência de imunidade pelo colostro quando bezerros com 24 a 48 horas de vida têm menos de 10mg de IgG/mL de soro. Outro método ... na literatura, assim como os fatores relacionados à transferência de imunidade passiva (Davis e Drackley, 1998). No entanto, há poucos relatos sobre animais mestiços. O objetivo deste trabalho foi avaliar a qualidade do colostro de vacas mestiças Holandês Zebu, a transferência de imunidade das mães para os bezerros e a influência da composição genética,
 0  9  5

Imunidade passiva, ingestão de colostro e mortalidade em cabritos Moxotó criados em sistemas extensivo e intensivo.

... sobre a aquisição de imunidade passiva em caprinos são escassos, e a imunidade dos caprinos é usualmente discutida no contexto geral dos ruminantes. Considerando que a alta mortalidade de caprinos jovens no semiárido paraibano pode estar relacionada a falhas na aquisição de imunidade passiva, este trabalho teve como objetivo avaliar a imunidade passiva ... de imunidade passiva, pois não há participação do recém-nascido na sua síntese (Machado Neto, 2001; Tizard, 2002). A ingestão tardia ou a ingestão de pequenas quantidades de colostro frequentemente resulta em falhas na transferência passiva de imunidade (FTP) (Brignole e Stott, 1980; Besser et al., 1991). A constatação de que os neonatos com baixa imunidade ... de colostro nos dois sistemas de produção permitiu adequada aquisição de imunidade em cabritos, porém o sistema extensivo determinou severa deficiência nutricional nas mães, com baixa produção de colostro e graves perdas de neonatos. Palavras-chaves: caprino, neonato, colostro, imunidade, mortalidade ABSTRACT The acquisition of passive immunity in
 0  2  5

Efeito protetor das frações proteicas do soro de leite em camundongos Balb/C infectados por Escherichia coli O157: H7.

... exames histológicos e da morfometria, que as frações betalactoglobulina e alfalactalbumina exerceram efeito protetor sobre as vilosidades intestinais do jejuno distal e do íleo (P
 0  5  6

Efeito do manejo de fornecimento de colostro na imunidade passiva, cortisol e metabólitos plasmáticos de bezerros Holandeses.

... al. INTRODUÇÃO Diversos fatores podem interferir na aquisição de imunidade adequada pelo bezerro, dentre os quais está o manejo de fornecimento de colostro, que realizado de forma inadequada pode comprometer todo o desenvolvimento do animal (Ramin et al., 1996). Além da transferência de imunidade passiva, o colostro também tem função nutricional, pois ... de colostro é adequada em fornecer imunidade passiva (T2), próxima Arq. Bras. Med. Vet. Zootec., v.58, n.5, p.739-743, 2006 741 Paiva et al. àquela provida diretamente aos bezerros pelas suas mães (T3). Também demonstra que o fato de o bezerro mamar diretamente na vaca não garante melhor transferência de imunidade passiva, se outros fatores, ... horas de vida estavam acima da concentração plasmática mínima descrita na literatura como a ideal para garantir a imunidade adequada ao bezerro (10mg/ml (Wells, 1996)), sugerindo que todos os tratamentos testados foram eficazes na transmissão da imunidade passsiva. Os níveis plasmáticos de cortisol foram influenciados apenas pelo tempo de colheita (P
 0  5  5

A variedade da dieta é fator protetor para a pressão arterial sistólica elevada.

... fibras, porções de óleo e qualidade da dieta. A variedade da dieta ≥ 8 itens alimentares apresentou efeito protetor para alterações da pressão arterial sistólica; OR = 0,361 (0,148-0,878). Conclusão: A maior variedade da dieta ofereceu efeito protetor para alteração da pressão arterial sistólica. (AArq Bras Cardiol 2012;98(4):338-343) Palavras-chave: ... Artigo Original A Variedade da Dieta é Fator Protetor para a Pressão Arterial Sistólica Elevada Dietary Variety is a Protective Factor for Elevated Systolic Blood Pressure Erick Prado de Oliveira1,2, Karina Fernandes de ... colesterol e açúcar; e negativa com a ingestão de fibras, porções de óleo e IAS. De acordo com a tabela 3, a variedade da dieta maior ou igual a 8 itens alimentares apresentou efeito protetor para alterações da PAS. Não houve associação entre dieta e HAS e PAD. Para justificar a associação inversa entre variedade da dieta e PAS, foi realizada a correlação
 0  5  6

Avaliação da imunidade celular nos pacientes Co-Infectados pelo vírus da hepatite C e vírus da imunodeficiência humana.

... co-infecção por estes vírus não trouxe impacto negativo relevante em relação aos monoinfectados pelo vírus da imunodeficiência humana e as características de imunidade foram semelhantes. DESCRITORES – Imunidade celular. Hepacivírus. HIV. INTRODUÇÃO Aproximadamente 2% a 3% da população de países desenvolvidos são infectados com o vírus da hepatite C ... Gastroenterol v. 44 – no.2 – abr./jun. 2007 Tovo CV, Santos DE, Mattos AZ, Mattos AA, Santos BR, Galperim B. Avaliação da imunidade celular nos pacientes co-infectados pelo vírus da hepatite C e vírus da imunodeficiência humana O declínio na imunidade celular associado à progressão da infecção pelo HIV, pode aumentar a replicação do VHC e, conseqüentemente, ... ARTIGO ORIGINAL / ORIGINAL ARTICLE ARQGA/1284 AVALIAÇÃO DA IMUNIDADE CELULAR NOS PACIENTES CO-INFECTADOS PELO VÍRUS DA HEPATITE C E VÍRUS DA IMUNODEFICIÊNCIA HUMANA Cristiane Valle TOVO1, Diogo Edele dos SANTOS2, Angelo Zambam de MATTOS2,
 0  5  5

Efeito protetor de antagonista das gliproteínas IIb/IIa nas alterações hepáticas e pulmonares secundárias à isquemia e reperfusão do fígado em ratos.

... GASTROENTEROLOGIA EXPERIMENTAL / EXPERIMENTAL GASTROENTEROLOGY ARQGA/1313 EFEITO PROTETOR DE ANTAGONISTA DAS GLICOPROTEÍNAS IIb/IIIa NAS ALTERAÇÕES HEPÁTICAS E PULMONARES SECUNDÁRIAS À ISQUEMIA E REPERFUSÃO DE FÍGADO EM RATOS Leonardo F. CANEDO, Marcel Autran ... relações adenosina difosfato utilizado para fosforilação sobre o oxigênio consumido na reação e de coeficiente respiratório. Conclusões - O uso do cloridrato de tirofiban exerceu papel protetor da lesão hepática de isquemia e reperfusão e impediu o aumento da permeabilidade vascular secundária à lesão de reperfusão hepática. DESCRITORES – Traumatismo por reperfusão. ... que as plaquetas contribuem para lesão de isquemia e reperfusão no coração(8), pulmão(20) e pâncreas(15). No fígado, o bloqueio da agregação plaquetária também demonstrou efeito protetor na microcirculação(14). As plaquetas carreiam várias moléculas de adesão necessárias às interações intercelulares como a P-selectina, as integrinas e as glicoproteínas
 0  7  6

Síndrome do líquido cefalorraqueano na neurocisticercose: estudo crítico sobre a evolução da imunidade humoral.

... considerados os valores das medianas, da freqüência do evento referente a imunidade humoral do LCR e dos valores percentuais de freqüência. Os resultados dessas estimativas são apresentados, obedecendo à mesma sistematização, nas tabelas de 1 a 4 para aquelas que interessam à avaliação da imunidade humoral. COMENTARIOS A informação obtida quando levada em ... fenômenos neuroimunológicos por ele induzidos e o b s e r v a d o s no LCR 16,38,42,55,56 Dentre os estudos neuroimunológicos de interesse à NC destacam-se aqueles relativos à imunidade humoral, que levam em conta anticorpos anti-Cysticercus cellulosae detectados no LCR e soro e a ocorrência de imunoprodução local, excluída a eventual interferência de ... doença na barreira hêmato-encefálica (BHE). Relações e índices, bem como a verificação de bandas oligoclonais de globulinas gama apenas no LCR, permitem avaliar o comportamento da imunidade humoral em processos patológicos do SNC que desencadeiem reação inflamatória local, como a NC 22-25,31,60. Resumo da Tese de Livre-Docência na Disciplina de Neurologia
 0  3  15

Efeito protetor do BCG intradérmico na meningite tuberculosa

... E FEITO DO BCG INTRADÉRMICO x T.:..~ * *O.,* .^ PROTETOR NA MENINGITE - TUBERCULOSA Maria da Conceigáo Nascimento Costa*, Eduardo Luiz Andrade Mota2 e Lorene Louke Silva Pinto’ - A taxa de inndência da tuberculosena Bahti, ... concluir que para o grupo de aiancas estudado, 91,4% do risco pode ser atribuído à náo vacinacao com BCGID, enquanto que para os menores de un-r ano da popula@o de Salvador o efeito protetor, ou seja, a eficácia da vacina, é de 99,5%. Apesar da vacina BCGID ser a que apresenta a melhor cobertura de rotina no muniápio de Salvador, em algumas áreas esta cobertura
 0  4  7

Documento similar