Feedback

Águas Superficiais

Avaliação da rede de monitoramento de qualidade das águas superficiais da Bacia do Rio das Velhas utilizando o método da entropia

... AMBIENTE E RECURSOS HÍDRICOS AVALIAÇÃO DA REDE DE MONITORAMENTO DE QUALIDADE DAS ÁGUAS SUPERFICIAIS DA BACIA DO RIO DAS VELHAS UTILIZANDO O MÉTODO DA ENTROPIA Katiane Cristina de Brito Almeida Belo Horizonte 2013 AVALIAÇÃO DA REDE DE MONITORAMENTO DE QUALIDADE DAS ÁGUAS SUPERFICIAIS DA BACIA DO RIO DAS VELHAS UTILIZANDO O MÉTODO DA ENTROPIA Katiane ... que o múltiplo uso das águas fosse a preocupação central para a locação das estações (GONTIJO JÚNIOR, 2007). Desde então, as Unidades da Federação (UF) têm adotado diferentes estratégias no estabelecimento de seus programas de monitoramento da qualidade das águas. Atualmente 17 das 27 UF realizam o monitoramento de suas águas superficiais, totalizando ... órgãos federais e estaduais dirigidos ao gerenciamento racional das águas, no final de 1999, o Governo do estado de Minas Gerais, por intermédio do Conselho Estadual de Recursos Hídricos – CERH, também destinou recursos para o programa de monitoramento da qualidade das águas (Projeto Águas de Minas), passando o IGAM a integrar a coordenação do mesmo.
 0  5  111

Avaliação do emprego da ultrafiltração em membrana na remoção de células de cianobactérias para águas de abastecimento

... ULTRAFILTRAÇÃO EM MEMBRANA NA REMOÇÃO DE CÉLULAS DE CIANOBACTÉRIAS E MICROCISTINA PARA ÁGUAS DE ABASTECIMENTO ÁLISSON BRAGANÇA SILVA Belo Horizonte 2008 AVALIAÇÃO DO EMPREGO DA ULTRAFILTRAÇÃO EM MEMBRANA NA REMOÇÃO DE CÉLULAS DE CIANOBACTÉRIAS E MICROCISTINA PARA ÁGUAS DE ABASTECIMENTO ÁLISSON BRAGANÇA SILVA Programa de Pós-graduação em Saneamento, ... para a dessalinização de águas marinhas. Esta pesquisa trouxe um amplo desenvolvimento na produção de membranas assimétricas, que foram comercializadas para as indústrias química, farmacêutica e de alimentos (CHERYAN, 1986). Em meados da década de 1970, a tecnologia de membranas de osmose reversa (OR) para a potabilização de águas do mar já podia ser ... variante desta tecnologia, a nanofiltração (NF), começou a ser instalada em escala comercial para a remoção de dureza de águas subterrâneas no estado da Califórnia nos EUA. Esta tecnologia também foi utilizada para remoção de cor em águas derivadas de zonas de turfa na Noruega (SCHNEIDER & TSUTYA, 2001). O grande avanço do emprego da tecnologia de
 0  2  104

Avaliação espaço-temporal da qualidade das águas superficiais da microbacia do córrego Alegria após acidente ferroviário de junho de 2003 em Uberaba/MG e sua relação com os meios físico e antrópico

... HÍDRICOS AVALIAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL DA QUALIDADE DAS ÁGUAS SUPERFICIAIS DA MICROBACIA DO CÓRREGO ALEGRIA APÓS ACIDENTE FERROVIÁRIO DE JUNHO DE 2003 EM UBERABA/MG E SUA RELAÇÃO COM OS MEIOS FÍSICO E ANTRÓPICO Maurício Ferreira Guimarães Belo Horizonte 2014 AVALIAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL DA QUALIDADE DAS ÁGUAS SUPERFICIAIS DA MICROBACIA DO CÓRREGO ALEGRIA ... Alegria.................................. 18 Tabela 4.1 - Concentrações esperadas para Cloreto nas águas superficiais e respectivas classificações quanto ao seu uso humano. ............................................................................ 26 Tabela 4.2 - Concentrações esperadas para Ferro nas águas superficiais e respectivas classificações quanto ao seu uso humano. ............................................................................ ... ...................................38 5.2 AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DAS ÁGUAS DO RIO UBERABA NA APA .....................................................39 5.3 AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DO SOLO DE TRECHO DA MICROBACIA DO CÓRREGO ALEGRIA....................40 5.4 PLANO DE AMOSTRAGEM DAS ÁGUAS SUPERFICIAIS .............................................................................42
 0  2  130

Comunicação e mobilização social na gestão compartilhada de bens públicos: estudo de caso sobre a empresa águas da região de Maputo

... funcionamento, a empresa Águas da Região de Maputo presta contas às seguintes entidades: ao Ministério das Obras Públicas e Habitação (MOPH), que é o órgão do Governo responsável pelo planejamento estratégico do setor de águas e pelo controle das atividades do setor e pela preparação de legislação. Por sua vez, o MOPH reporta-se à Direção Nacional de Águas (DNA), ... Contexto socioeconômico e político de Moçambique e o surgimento da empresa Águas da Região de Maputo ...................................................................................................................... 9  1.2  Estrutura e funcionalidade da comunicação na empresa Águas da Região de Maputo .... 14  1.3  Acesso à água potável em Moçambique........................................................................... ... para a análise da gestão participativa da água entre a empresa Águas da Região de Maputo e comunidades que atende.............................................................................. 74  4.  Análise da Comunicação e da mobilização social na gestão compartilhada da água entre a empresa Águas da Região de Maputo e as comunidades que atende......77  4.1 
 0  18  139

Condição trófica e qualidade das águas das lagoas da APA Carste de Lagoa Santa, Minas Gerais

... APA (Fig.2). Suas águas são, em grande parte, provenientes do córrego Samambaia, que, embora apresente 30 baixas vazões, inclusive nos períodos de cheias, é responsável pelas maiores contribuições à lagoa do Sumidouro (Patrus 1998). A lagoa dos Mares, localizada ao sul da APA é uma das poucas lagoas perenes da região e suas águas drenam subsuperficialmente ... Orientador: Prof. Dr. Francisco Antônio Rodrigues Barbosa Belo Horizonte, maio de 2012. Folha de aprovação Ficha Catalográfica SILVINO, R.F. - Condição trófica e qualidade das águas das lagoas da APA Carste de Lagoa Santa, Minas Gerais. Tese de Doutorado. Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Minas Gerais. 134p. Renata Felipe Silvino, ... ribeirão da Mata (oeste-sudoeste) e tem como principais sub-bacias hidrográficas os córregos Samambaia, Palmeiras-Mocambo, Jaguara e riacho do Gordura, para onde são drenadas as águas pluviais captadas, em grande parte, pelos inúmeros dolinamentos distribuídos ao longo da área (Berbert-Born, 2000) (Fig.1). Figura 1: Localização e hidrografia do Carste
 0  6  134

Contribuições para monitoramento de balneabilidade em águas doces no Brasil

... e termais, todos os locais em que se prática o banho, seja em águas costeiras ou interiores, doces, salobras ou salgadas, constituem balneários. De acordo com a Diretiva 76/160 da Comunidade Econômica Européia, águas balneares ou balneários, são definidos como todas as águas correntes, águas doces e salgadas, em que o banho é expressamente autorizado ... epidemiológicos em águas recreacionais incluídos nos trabalhos de Prüss (1998), Wade et al. (2003) e Zmirou et al.(2003). ................................................................... 30 Tabela 3.5. Usos previstos para as classes de águas doces....................................................... 35 Tabela 3.6. Critérios para classificação das águas doces ... desenvolvimento sustentável (ÁGUAS DE MINAS, 2008). O monitoramento de qualidade das águas se insere neste contexto como ferramenta de gestão indispensável para o manejo adequado dos recursos hídricos. Além das leis supracitadas há outros instrumentos normativos que balizam a atividade de monitoramento e avaliação da qualidade das águas. Na esfera nacional
 0  5  157

Estudo de radionuclídeos naturais em águas de aquíferos da região metropolitana de Belo Horizonte

... urânio; c) Fracionamento químico de 234Th. Resultados das análises de amostras de águas superficiais e subterrâneas, ao serem organizados por Osmond & Coward (1976 apud BONOTTO [2004]), permitiram observar que a razão de atividade nas águas superficiais varia de 1 a 2, e a nas águas subterrâneas varia de 1 a 12. E em estudos de Moore (1967 apud BONOTTO [2004]) ... 4.6 é a representação dos dados obtidos para as águas subterrâneas de Águas de Lindóia (SP) no Diagrama de Cowart & Osmond (1980 apud SILVEIRA; BONOTTO [1995]) ilustrativo da concentração de urânio e razão de atividade 234U/238U. 34 Figura 4.6 Representação dos dados obtidos para as águas subterrâneas de Águas de Lindóia (SP), Diagrama de Cowart & Osmond, ... radionuclídeos (U total, 234U e 238U, 232Th, 226Ra e 222Rn) de ocorrência natural em águas subterrâneas dos diferentes aquíferos da RMBH; • Determinar a concentração da atividade de radionuclídeos em águas, possibilitando uma análise da distribuição de radionuclídeos de ocorrência natural em águas subterrâneas dos diferentes aquíferos; • Instalação de circuito específico
 0  2  79

Estudo de sistema para reaproveitamento de águas cinza, aplicável ao Programa Habitacional Minha Casa Minha Vida

... final corpos receptores superficiais ou galerias de águas pluviais, além do reuso, devem sofrer desinfecção.”. O uso de águas cinza para a descarga de vasos sanitários bem como para outros usos não potáveis pode oferecer ao usuário risco de contaminação no contato direto e indireto com essas águas, por isso a importância dessas águas estarem devidamente ... parâmetros de controle para reuso de águas cinza 4.5.1 - Parâmetros físicos Segundo Rapoport (2004), os principais parâmetros a serem analisados em águas a serem estudas são: - sólidos totais: Toda a matéria que permanece como resíduo após evaporação à temperatura de 103 C a 105 C; - temperatura: A temperatura das águas residuárias é um importante ... investimentos pontuais em infraestrutura, conscientização da população e incentivos efetivos em sistemas de reuso de águas cinza, captação e utilização de águas captadas proveniente de precipitações. O sistema experimental para coleta e tratamento de águas cinza realizado por May (2009), apresenta após os testes realizados por May (2009), eficácia em seu propósito,
 0  3  41

Estudo hidrogeoquímico ambiental em região cárstica no município Sete Lagoas - Minas Gerais: investigação da contaminação de águas superficiais e subterrâneas por nitrato de atrazina, na área do Centro Nacional de Pesquisa de Milho e Sorgo da EMBRAPA

... Ambiente e Recursos Hídricos da UFMG vii totais dissolvidos de (18 a 344) mg/L, nas águas superficiais; e, pH de (5,0 a 8,2), condutividade elétrica de (12 a 389) µS/cm e sólidos totais dissolvidos de (15 a 464) mg/L, nas águas subterrâneas. Nas águas superficiais e subterrâneas, monitoradas na área do estudo, as concentrações de cálcio e de ... bicarbonato, nas águas superficiais; e, (0,9 a 106) mg/L de cálcio e (8,0 a 309) mg/L de bicarbonato, nas águas subterrâneas. Em razão dos elevados teores, prevalentes, de cálcio e bicarbonato e dos pequenos teores dos demais constituintes principais, em geral, menores que 10% das concentrações dos constituintes principais, as águas superficiais e ... ................................................................................... 350 8.3.1 Considerações sobre as Águas Subterrâneas Monitoradas na Área do Estudo .......................... 472 8.4 HIDROGEOQUÍMICA DAS ÁGUAS SUBTERRÂNEAS NA ÁREA DO ESTUDO................................................ 484 8.5 SISTEMAS INTERATIVOS ÁGUAS SUBTERRÂNEAS E ÁGUAS SUPERFICIAIS .............................................
 0  4  890

Gestão de águas urbanas: percepção ambiental e práticas democráticas na cidade

... sanitário abrange a coleta, transporte, afastamento, tratamento e disposição final da águas residuárias. A drenagem tem relação com a impermeabilização do solo e a dificuldade de infiltração das águas pluviais. Sistemas de drenagem são necessários para controlar o escoamento das águas de chuva e devem estar associados à preservação de fundos de vale e ao controle ... públicas mais justas, com melhorias tecnológicas nos serviços de águas urbanas e finalmente, com a gestão integrada dos recursos advindos das políticas associadas às águas urbanas. Por estar inserido em uma rede de pesquisas empreendidas no âmbito do SWITCH, o presente trabalho aborda a gestão das águas urbanas, partindo de uma análise histórica do saneamento ... e proteção das águas urbanas. Nesse sentido, o programa de Recuperação Ambiental e Saneamento dos Fundos de Vale e dos Córregos em Leito Natural, denominado Drenurbs/Nascentes, foi proposto pela Prefeitura de Belo Horizonte, com o objetivo de promover a valorização do meio ambiente urbano, a partir do tratamento e revitalização das águas urbanas. Para
 0  3  145

Gestão integrada de águas subterrâneas: critérios gerais orientadores para a definição e caracterização de áreas estratégicas de abastecimento

... contexto, buscou-se abranger e correlacionar os mais variados aspectos relacionados às disponibilidades e demandas de águas subterrâneas (i.e. quantidade; qualidade; articulação com uso e ocupação do solo; e, integração com as águas superficiais) , em conformidade com os princípios, conceitos e tendências atuais, estabelecidos no cenário nacional e internacional. ... Interação com as Águas Superficiais ........................................... 50 3.3.2.1.4 - Aspectos de Interação com o Uso e Ocupação dos Solos ................................ 58 3.3.2.2 - Gerenciamento das Demandas.......................................................................................... 60 3.3.3 - A Gestão de Águas Subterrâneas ... Caracterização Qualitativa das Águas Subterrâneas ....................................................... 155 5.1.2.2.1 - Descrição do Sistema de Monitoramento Implantado.................................... 156 5.1.2.2.2 - Comportamento Hidroquímico das Águas Subterrâneas................................ 158 5.1.2.2.3 - Potencial Qualitativo das Águas Subterrâneas
 0  2  494

Governança econômica e tecnologias socioambientais aplicáveis à gestão das águas no litoral norte do estado do Piauí

... Silva GOVERNANÇA ECONÔMICA E TECNOLOGIAS SOCIOAMBIENTAIS APLICÁVEIS À GESTÃO DAS ÁGUAS NO LITORAL NORTE DO ESTADO DO PIAUÍ Belo Horizonte Escola de Arquitetura da /UFMG 2015 Paula Christina Campanelli da Silva Governança Econômica e Tecnologias Socioambientais aplicáveis à gestão das águas no litoral norte do Estado do Piauí. Monografia apresentada ao ... aplicados ao tratamento das águas confinadas por 33 meios alternativos, destinadas ao consumo humano. Exemplos de Governança Econômica e TS ambientais associadas entre si, em 36 busca de soluções para problemas comunais em comunidades ou grupos de indivíduos, com foco nos recursos naturais relacionados à gestão das águas Dois casos de TS ... aplicados ao tratamento das águas confinadas por meios alternativos, destinadas ao consumo humano;  Apresentar exemplos de Governança Econômica e TS ambientais associadas entre si em busca de soluções para problemas comunais em comunidades ou grupos de indivíduos, com foco nos recursos naturais relacionados à gestão das águas no Brasil. 19 4 METODOLOGIA Elaboramos
 0  3  61

Impacto da implantaçao de perímetros irrigados na qualidade das águas superficiais da porção mineira do médio São Francisco

... DAS ÁGUAS SUPERFICIAIS DA PORÇÃO MINEIRA DO MÉDIO SÃO FRANCISCO Rosa Carolina Amaral Belo Horizonte 2012 IMPACTO DA IMPLANTAÇÃO DE PERÍMETROS IRRIGADOS NA QUALIDADE DAS ÁGUAS SUPERFICIAIS DA PORÇÃO MINEIRA DO MÉDIO SÃO FRANCISCO Rosa Carolina Amaral Rosa Carolina Amaral IMPACTO DA IMPLANTAÇÃO DE PERÍMETROS IRRIGADOS NA QUALIDADE DAS ÁGUAS ... qualidade das águas superficiais na região do Médio São Francisco em relação aos parâmetros físico-químicos e biológicos. Programa de Pós-graduação em Saneamento, Meio Ambiente e Recursos Hídricos da UFMG 2 2 OBJETIVOS 2.1 Objetivo geral O objetivo geral desta pesquisa é a avaliação do impacto da agricultura irrigada na qualidade das águas superficiais ... fertilizantes e de pesticidas, o objetivo desta pesquisa foi investigar o impacto da irrigação na qualidade das águas superficiais da região, utilizando fonte de dados secundários de monitoramento disponibilizados pelo Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM) e pela HIDROWEB. Foram selecionadas nove estações de monitoramento na região que representassem
 0  11  124

As múltiplas territorialidades do planejamento e gestão das águas: olhares cruzados entre as regiões metropolitanas de Belo Horizonte e Paris

... urbanizada e geradora de maiores impactos sobre as águas superficiais e subsuperficiais. Desenvolve-se na RMBH uma diversidade de atividades que causam impactos sobre o meio ambiente e que pressionam a disponibilidade de água em quantidade e qualidade. A partir da Figura 2, que representa a situação das águas na RMBH em seu aspecto qualitativo (Índice ... pontos de monitoramento das águas superficiais, distribuídos em todo o Estado (IGAM online)”. 19 Figura 1: Região Metropolitana de Belo Horizonte no contexto das UPGRHs - Unidades de Planejamento e Gestão de Recursos Hídricos. Fonte: dados: IGAM (2010). Elaboração: UFMG (2010). 20 Figura 2: RMBH: qualidade das águas superficiais -primeiro trimestre ... Hídricos............................................................ 19 Figura 2: RMBH: qualidade das águas superficiais -primeiro trimestre de 2010. ......... 20 Figura 3: Região Île-de-France e a Aglomeração Parisiense. ........................................ 22 Figura 4: Perímetro do SAGE Orge-Yvette - Esquema de Planejamento e Gestão das Águas. .............................................................................................................................
 0  6  285

Efeitos das variações sazonais do clima tropical úmido sobre as águas e sedimentos de manguezais do estuário do rio Marapanim, costa nordeste do Estado do Pará.

... neutralidade. A saturação das águas intersticiais na estiagem é indicada pelos minerais evaporíticos: gipso e halita. As variações pluviométricas são responsáveis por graduais mudanças nos teores de nutrientes e nas propriedades físico-químicas (pH, Eh e salinidade) das águas superficiais e intersticiais, no controle do equilíbrio salino das águas costeiras, na ... Cl- destaca-se como o ânion principal das águas superficiais, segundo a relação: Cl->SO42->HCO3- e, entre os cátions Na+>Ca++> Mg++>K+. O aumento sazonal dos teores dos constituintes dissolvidos no período da estiagem é um reflexo do clima sobre a composição química das águas e, também, assinala a intrusão de águas oceânicas no estuário, tendo em vista ... alteradas quando as águas intersticiais são submetidas a processos de evaporação significativos. Tais processos originam uma diferenciação vertical e lateral na transição do domínio das águas salgadas -águas doces (salobras), com modificações contínuas e progressivas na salinidade e grau de oxidação. Figura 7 - Distribuição do ferro total dissolvido nas águas intersticiais. Figura
 0  5  10

Interpretação hidrogeoquímica das águas subterrâneas da ilha de Marajó.

... mais apropriado para essas águas. As águas salobras nessa região possuem elevados teores de cloreto e sódio e subor_ dinadamente bicarbonatos e magnésio. Essas águas, de acordo com suas relações paramé- tricas e teores de concentração resultam da mistura em proporções variadas de águas do- ces de origem pluvial com águas conatas, de origem ... trilinear de Piper das águas subterrâneas da Ilha de Marajó. Fig. 4b. Diagrama trilinear de Piper das águas subterrâneas da Ilha de Marajó. A Figura 5 apresenta a freqüência dos Tons dos maiores constituintes separadamente. 0 grupo predominante relativo aos anions são os das águas cloretadas com 6 2 Ύ , subor dinadamente aparecem as águas bicarbonatadas ... subor dinadamente aparecem as águas bicarbonatadas com 32¾, sendo apenas de 4¾ e de 2Ύ as águas mistas e sulfatadas respectivamente. Com relação aos cãtions o grupo mais freqüente é o das águas sódicas com 47¾, seguindo-se pelo grupo de águas mistas com 34¾; ás águas cálcicas e magnesianas aparecem com 10¾ e 9¾ respectivamente. Aguas Sσdicas Aguas
 0  34  24

Diatomáceas epilíticas de águas oligotróficas e ácidas do Sudeste do Brasil.

... Botanica Brasilica 25(1): 130-140. 2011. Diatomáceas epilíticas de águas oligotróficas e ácidas do Sudeste do Brasil1 Luís Gustavo de Castro Canani2,5, Mariângela Menezes3 e Lezilda Carvalho Torgan4 Recebido em 3/04/2010. Aceito em 10/01/2011 RESUMO (Diatomáceas epilíticas de águas oligotróficas e ácidas do Sudeste do Brasil). Poucos estudos tem ... Ciências Naturais, Porto Alegre, RS, Brasil 5 Autor para correspondência: lgustavocc@gmail.com Diatomáceas epilíticas de águas oligotróficas e ácidas do Sudeste do Brasil O conhecimento sobre a flora de diatomáceas bentônicas em águas oligotróficas e ácidas no Brasil é escasso e limita-se à contribuição de Schneck et. al. (2008). Outros estudos envolvendo ... Eunotia pirarucu, Sellaphora blackfordensis, Nupela giluwensis são primeiras ocorrências para o Brasil. As águas do curso superior do rio do Salto, objeto do presente estudo, enquadram-se na classe “Especial” (Resolução nº 16/96 do COPAM/MG), ou seja, águas destinadas ao abastecimento doméstico sem prévia ou simples desinfecção e à preservação do equilíbrio
 0  10  11

Fontes e concentrações de águas de fumaça na germinação de sementes e no vigor de plântulas de tomate.

... ARRUDA YMBC; FERRAZ IDK; ALBUQUERQUE MCF. 2012. Fontes e concentrações de águas de fumaça na germinação de sementes e no vigor de plântulas de tomate. Horticultura Brasileira 30: 293-299. Fontes e concentrações de águas de fumaça na germinação de sementes e no vigor de plântulas de tomate Yêda Maria BC Arruda1; Isolde ... estágios pós-germinativos, como no comprimento da raiz e do caule, peso e sobrevivência das plântulas. Em geral, as águas de fumaça influenciaram menos o crescimento do hipocótilo (Figura 3). Aumento significativo foi observado somente nas águas de fumaça produzidas com FP (concentração 1:2500), MI (1:50) e MSI (1:100): até 1,5 vezes maior do que o controle. O ... e 1:2.500. Entretanto o efeito estimulador manifestou-se prioritariamente nas concentrações 1:25 a 1:100, indicando uma faixa de maior influência positiva das águas de fumaça. Além disso, as águas de fumaça PG, FP, MI e MSI apresentaram mais resultados positivos em todas Hortic. bras., v. 30, n. 2, abr. - jun. 2012 295 YMBC Arruda et al. 100%
 0  8  7

Suplementação de novilhos Nelore sob pastejo, no período de transição águas-seca.

... foram, respectivamente, 6,06; 6,56; 6,46 e 6,96kg/dia. Logo, durante o período de transição águas- seca, a suplementação com 0,2; 0,3 e 0,5% do peso vivo proporcionou, respectivamente, aumentos de 8,3; 6,6 e 14,6% sobre o CMST. Ao final do período de transição águas- seca, a suplementação resultou em pesos vivos semelhantes. Todos os animais apresentaram ... suplementação proteica e ganho médio diário (kg/animal) de novilhos suplementados, durante o período de transição águas- seca. Tabela 4. Desempenho de novilhos Nelore que receberam diferentes suplementos durante o período de transição águas- seca Suplemento* CV Controle 0,2 0,3 0,5 (%) Consumo de suplemento (kg MN/dia) 0,167 0,597 0,865 1,469 Peso ... economicamente viáveis e proporcionaram desempenho semelhante sob condições de elevada oferta de forragem, sendo recomendado iniciar a suplementação proteica no período de transição águas- seca. Palavras-chave: gado de corte, consumo, desempenho, suplementação a pasto ABSTRACT The effects of proteic supplementation on performance and forage dry matter
 0  4  10

Monitoramento sanitário de um sistema integrado de tratamento de águas residuárias da suinocultura

... a incorporação das águas residuárias de 120 dias. Todavia, Barros et al. • Monitoramento sanitário de um sistema integrado de tratamento de águas residuárias da suinocultura TABELA 2. Redução dos coliformes totais, coliformes fecais e estreptococos fecais em percolados oriundos de três tipos de solos após as incorporações com águas residuárias da ... foram verificadas após a incorporação das águas residuárias de 120 dias, também em ambas as condições climáticas. No que se refere aos estreptococos fecais, as maiores reduções foram verificadas nas chuvas após a incorporação das águas residuárias in natura e com 90 dias, e na seca após terem sido incorporadas as águas in natura e com 120 dias de retenção. Nos ... incorporação das águas residuárias de 30 dias e nas duas simulações pluviométricas. As menores taxas de redução estiveram presentes, nas chuvas e na seca, após a incorporação das águas residuárias de 120 dias. Para os estreptococos fecais, as taxas máximas de redução, nas chuvas e na seca, foram verificadas após a incorporação das águas residuárias
 0  4  9

Contribuição à modelagem matemática do reator anaeróbio horizontal do leito fixo (RAHLF) para tratamento de águas residuárias.

... FIXO (RAHLF) PARA TRATAMENTO DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS Diener Volpin Ribeiro Fontoura São Carlos – SP 2004 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA QUÍMICA CONTRIBUIÇÃO À MODELAGEM MATEMÁTICA DO REATOR ANAERÓBIO HORIZONTAL DE LEITO FIXO (RAHLF) PARA TRATAMENTO DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS. Diener ... anaeróbia muito eficaz na remoção da matéria orgânica presente no liquido. Assim sendo, este processo é muito utilizado em sistemas de tratamento de águas residuárias. Várias configurações de sistemas de tratamento de águas residuárias por digestão anaeróbia foram propostas, como por exemplo: Fossas Sépticas; Lagoas Anaeróbias; Reatores Anaeróbios de Mata de ... [M].[L]-1.[T]-1 µm - Velocidade específica máxima de crescimento celular [T]-1. RESUMO Este trabalho estudou o reator anaeróbio horizontal de leito fixo (RAHLF) para tratamento de águas residuárias, desenvolvido no Departamento de Hidráulica e Saneamento da Escola de Engenharia de São Carlos – USP, investigando alguns modelos matemáticos com as condições
 0  8  131

Aspectos metabólicos, fisiológicos e taxonômicos de actinomiceto produtor de exopolissacarídeos, proveniente de águas subterrâneas contaminadas (São Carlos, SP).

... de Águas Subterrâneas: Anais de um congresso brasileiro em Porto Alegre, Brasil. Associação Brasileira de Águas Subterrâneas. pp. 8288. Fusconi, R. & Godinho, M.J.L. 1999 Bacteria and protozoa populations in groundwater in a landfill area in São Carlos, SP. Revista de Microbiologia 30, 196-202. Gadotti, R.F. 1997 Avaliação da contaminação das águas superficiais ... população mundial dependa de fontes subterrâneas de água não contaminada (Gibert et al. 1994), a água subterrânea vem sofrendo crescente contaminação, a partir do solo e das águas superficiais por metais pesados, ácidos, nitrogênio, fósforo e substâncias orgânicas naturais e xenobióticas (Notenboom et al. 1994). Segundo estes mesmos autores, entre as ... à geração e deposição final de resíduos e o baixo número de estudos realizados em águas subterrâneas de ambientes sub-tropicais, está sendo conduzido, junto ao Laboratório de Ecologia de Microrganismos Aquáticos (LEMA) da UFSCar o projeto intitulado “Microbiologia de águas subterrâneas adjacentes ao antigo aterro controlado da cidade de São Carlos (SP):
 0  6  128

Desenvolvimento de procedimentos em fluxo envolvendo espectrofotometria convencional e com longo caminho óptico para determinação de ânions em águas

... QUÍMICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA DESENVOLVIMENTO DE PROCEDIMENTOS EM FLUXO ENVOLVENDO ESPECTROFOTOMETRIA CONVENCIONAL E COM LONGO CAMINHO ÓPTICO PARA DETERMINAÇÃO DE ÂNIONS EM ÁGUAS VIVIANE GOMES BONIFÁCIO* Tese apresentada como parte dos requisitos para a obtenção do título de DOUTOR EM CIÊNCIAS (área: QUÍMICA ANALÍTICA) Orientador: Prof. Dr. Orlando ... Comunitária/UFSCar B715dp Bonifácio, Viviane Gomes. Desenvolvimento de procedimentos em fluxo envolvendo espectrofotometria convencional e com longo caminho óptico para determinação de ânions em águas / Viviane Gomes Bonifácio. -- São Carlos : UFSCar, 2008. 149 f. Tese (Doutorado) -- Universidade Federal de São Carlos, 2008. 1. Instrumentação. 2. Análise por injeçao de ... Programa para Controle e Aquisição de Dados........................................... 29 2.2 – Método Espectrofotométrico com Longo Caminho Óptico para a Determinação de Cloreto em Águas Utilizando Tiocianato de Mercúrio.................... 33 2.2.1 – Reagentes e Soluções................................................................................... 33 2.2.1.1
 0  8  151

Valoração contigente de um projeto de recuperação de qualidade das águas - o caso do córrego Limoeiro em Presidente Prudente, SP

... DE RECUPERAÇÃO DA QUALIDADE DAS ÁGUAS – O CASO DO CÓRREGO LIMOEIRO EM PRESIDENTE PRUDENTE, SP MÁRCIO ROGÉRIO PONTES São Carlos 2009 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA URBANA VALORAÇÃO CONTIGENTE DE UM PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE QUALIDADE DAS ÁGUAS - O CASO DO CÓRREGO LIMOEIRO ... Carlos 2009 Ficha catalográfica elaborada pelo DePT da Biblioteca Comunitária da UFSCar P814vc Pontes, Márcio Rogério. Valoração contigente de um projeto de recuperação de qualidade das águas - o caso do córrego Limoeiro em Presidente Prudente, SP / Márcio Rogério Pontes. -- São Carlos : UFSCar, 2010. 96 f. Dissertação (Mestrado) -- Universidade Federal de São Carlos, ... marinhos e estuarinos, sobretudo em países em desenvolvimento (UNEP-GPA, 2006). Esse problema também é frequentemente observado em corpos de água doce. Segundo o relatório de águas interiores do Estado de São Paulo (Cetesb, 2007), as principais fontes de poluição dos recursos hídricos são os lançamentos de efluentes líquidos e industriais, bem como
 0  2  115

Desenvolvimento de um fluorímetro microcontrolado para determinação de clorofila a em águas superficiais

... e feopigmentos em amostras de águas usando-se o método fotométrico e fluorimétrico (n = 3).......... 74 xi RESUMO DESENVOLVIMENTO DE UM FLUORÍMETRO MICROCONTROLADO PARA DETERMINAÇÃO DE CLOROFILA A EM ÁGUAS SUPERFICIAIS. Neste trabalho foi desenvolvido um fluorímetro portátil para determinação de clorofila a em águas superficiais. O instrumento foi ... elaborada pelo DePT da Biblioteca Comunitária da UFSCar G934df Guerreiro, Thiago Brito. Desenvolvimento de um fluorímetro microcontrolado para determinação de clorofila a em águas superficiais / Thiago Brito Guerreiro. -- São Carlos : UFSCar, 2010. 87 f. Dissertação (Mestrado) -- Universidade Federal de São Carlos, 2010. 1. Análise fotométrica. 2. Fluorimetria. ... CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE QUÍMICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA Desenvolvimento de um fluorímetro microcontrolado para determinação de clorofila a em águas superficiais Aluno: Thiago Brito Guerreiro* Dissertação apresentada como parte dos requisitos para obtenção do título de MESTRE EM QUÍMICA (área: QUÍMICA ANALÍTICA). Orientador:
 0  1  102

Documento similar